Criança mimada tem poucas chances de vencer na vida


Você é pai, mãe, tio (a), avô (ó), irmã (o)... e lembra daquele serzinho pequenininho dando os primeiros passos e não imaginava que aquela doçura pudesse se transformar em um(a) tirano(a)?
  • Criança mimada denuncia preguiça dos pais
    Falta de educação surge porque os adultos deixam de impor limites
  • Às vezes os pais erram por amar demais e se esquecem que a principal função deles é educar para o mundo. Assim posto, quando for impor limites às crianças lembre-se do título desta postagem.
  • Criança mimada tem poucas chances de vencer na vida
  • Diarréia, xixi na cama, excesso ou falta de apetite e ambivalência comportamental podem fazer parte de um quadro clínico infantil: A Síndrome da criança mimada.
    Síndrome – "Para não contrariar o filho Sariel, de 1 ano e 9 meses, a enfermeira Márcia kumpinsk, 31 anos, não sai de casa sozinha com o marido desde que o garoto nasceu. “Sinto culpa por não dizer não e também por deixar de dizer. Fico tão perdida que gostaria que alguém me disse-se o que fazer”. A inquietação de Márcia não é um caso isolado. Um recente estudo publicado pelo jornal da Academia Americana dos Pediatras se refere a uma doença instalada nos Estados Unidos, a Síndrome da criança mimada, considerada um mal tão preocupante quanto o sarampo. “O fracasso dos pais em transmitir limites apropriados cria crianças egocêntricas, que não sabem lidar com as frustrações”(Leia +)
    A epidemia já está afetando 64% das famílias norte-americanas e número semelhante de brasileiras, segundo médicos e terapeutas nacionais. O Distúrbio descrito no artigo acima citado, atinge, em geral, filhos de mulheres que trabalham fora e que se sentem culpadas por não dar atenção às crianças.

    Os pais tentam recompensar essa ausência, mimando-os em excesso e evitando repreensões nos momentos em que estão juntos. Não entre na armadilha do não estabelecimento de limites para os atos e decisões infantis. A consequência imediata é o nascimento de uma geração insegura, despreparada para a vida e com poucas possibilidades de ser bem-sucedida profissionalmente.

    A maioria das pesquisas que lemos por aí, sabemos na prática ou pela sabedoria popular. Enquando estava lendo o artigo da Academia Americana de Pediatria, me lembrei de um garoto, filho mais velho de um casal - ele tinha uma irmã de oito anos - A mãe economista, ex-assessora de um antigo secretário geral de um ministério em Brasília, acumulava um outro trabalho de professora universitária - O pai geólogo, também funcionário público, trabalhador de outro ministério - Ambos trabalhavam muito e o pai estava constantemente viajando.

    A mãe sufocava o menino com atenções nas raras oportunidades em que estavam juntos. O garoto foi criado sem resistências do mundo exterior. Ele tinha enurece noturna (fazia xixi na cama), sofria de crises de depressão, era agressivo e ficou gago. Tentou inclusive, o suicídio, saltando de uma janela. Tinha fantasias de super-heróis e acreditava possuir poderes fora do normal. Ao mesmo tempo, não confiava nas pessoas e começou a desenvolver uma personalidade psicótica - concentrava-se somente em si mesmo e não tinha ligação com o mundo exterior, com as pessoas que o cercavam - Ainda hoje, continua com sua psicoterapia.

    Está mais do que provada a Síndrome relatada pelos psicoterapeutas americanos pelo que presenciamos em nosso cotidiano. No entanto, existe outro distúrbio entre os sintomas relacionados pelos pediatras: doenças dermatológicas.

    No Brasil existem trabalhos esparsos sobre o assunto e o fenômeno se repete sistematicamente sem que as famílias percebam o erro na criação dos filhos. Diana Baumrind, do Instituto de Desenvolvimento Humano da Universidade de Berkeley nos Estados Unidos, fez uma pesquisa com 150 garotos, acompanhando-os por 20 anos. Ela constatou que os filhos dos pais ditos autoritários - aqueles que estabelecem limites - são mais efetivos em evitar, por exemplo: Drogas. Ela verificou ainda que 85% dos garotos que participaram da pesquisa se tornaram adultos competentes.

    Um filho jamais será amigo de seu pai, se ele for omisso! As cobranças virão... "Uma criança mimada nunca ama a sua mãe" (H.Taylor)

    Leitura recomendada: Raiva - manual do proprietário - Situações comuns e soluções práticas para os pais diante da Birra

    Prometi a mim mesma falar deste assunto ainda essa semana e não sei se tem alguma relação com o período de férias, muitas pessoas tem acessado o blogue a procura de "Criança Mimada", "Criança com muita raiva", "Quando o filho não ama os pais"... Então, vocês percebem este "sintoma" social?

    45 comentários :

    1. Aqui tem várias regras. Uma das regras é que aqui, não é uma democracia. Não existe eleição direta. Nem existe partido de oposição.

      Sou pai. Ela mãe. Eles filhos. Eu tenho regras. Ela tem regras. Minhas regras e as regras dela devem ser obedecidas ou o rigor da lei e a imposição por outros meios.

      Se conversar, impor sanções fossem suficientes para resolver questões, não existiriam guerra entre países e povos.

      Se a diplomacia resolvessem todos os casos, questões e pendengas, ninguém nunca teria ido a guerras.

      Como canta Lulu: o mundo lá fora num instante te devora...

      ResponderEliminar
    2. Susbscrevo totalmente este teu magnífico post.

      Como fui pai e mãe e hoje já sou avó posso falar da minha experiência e tentar orientar os desorientados mais novos nessa "confusão" dos dias de hoje em termos educacionais/emocionais!

      Os pais de hoje são confrontados com tanta informação, tanto nham...nham...,que os garotos são educados de forma a quererem, exigirem até à exaustão, tudo dos pais e dos avós. O mal é que conseguem porque se se dá uma palmada é anti-pedagógico, se o põe de castigo é anti-pedagógico e o resultado está à vista de todos: crianças rebeldes, mal educadas, sem valores morais, habituados a ter tudo de mão beijada e uma futura geração ôca e com atitudes do quero, posso e mando e sem os pilares tão necessários.
      Quantos pais depois de um dia de trabalham compram o seu sossego pregando o menino(a) ou jovem em frente da televisão com banda desenhada ou com video-games? ou dando-lhe dinheiro ou até as chaves do carro e vai-te divertir? sem se preocuparem como decorreram as aulas, para onde vão e com quem e como é fácil ter dinheiro para shotes, discotescas, concertos e resmas de roupas sem nunca terem sentido o verdadeiro, real e doce de um NÃO sonoro e de um tapa na hora que os faz parar e pensar.

      Separei-me ainda elas eram novitas e um dia a mais nova queria um casaco(kispo) vermelho que tinha visto. Não filha, espera mais um mês e depois compro, por agora não dá! Furiosa nos seus 12 anos respondeu-me que ia pedir ao pai. Levou um tapa de tal forma que ainda hoje se lembra, não da força mas mais do correctivo porque lhe disse que quando digo Não ai dela que fosse pedir ao pai, e não pediu mesmoe mais, nunca lhe comprei o dito casaco. Isto é muito comum nos pais separados, que além de não serem adultos, correctos, bons educadores perante o bem em comum que são os filhos, andam numa guerra de quem dá mais, de recadinhos etc, etc.

      Mesadas nunca dei e nem dou às netas, a velha história de se dou algo a um tenho que dar aos outros, não, dou quando posso e quando entendo dar. Mimos, colo, carinho dei muito e hoje ainda dou, mas felizmente levei o barco a bom porto, porque chegava a casa bem cansada, mas falavamos muito como hoje ainda falamos.
      Sou avó apenas em SOS porque ficar a tempo inteiro para que os pais descansem, possam ir a jantaradas ou encontros de amigos...alto e pára o baile, não é nem nunca foi ou será do meu feitio e não gosto de abusos, Sou a rectaguarda para uma eventual doença, por motivos de trabalho não chegarem a tempo de as ir buscar à escolinha e só lhes dou folga quando me apetece passar uma noite sem dormir:) porque se enfiam na minha cama e aí é o fim da picada:)

      Comigo não há birras, vá com eles a um super a uma loja não me pedem nada de nada porque sabem que se o fizerem não há nada p'ra ninguém e no meu caso...um xupa vale por mil brinquedos ou até ouro:)

      A criança por vezes dá mais valor a um balão do que um brinquedo XPTO depende é da forma como se dá o balão!

      A coisa que mais me custa ouvir é: não somos mãe e filha, somos as melhores amigas...é MENTIRA e não acredito nestas palavras, sou/somos amiga sim senhor mas acima de tudo sou MÃE, a tal ilha onde podem sempre ancorar e todos os filhos partilham com os amigos(as) o que muitas vezes não dizem aos pais, porque não são obrigados a fazê-lo, já que cada um tem o seu patamar, os seus segredos e só assim se tornam adultos conscientes, menos complicados e com bagagem para se fazerem à vida!
      Deverá haver regras em tudo, os pais não têm que ter medo de dizerem NÃO, jamais serem "omissos", porque muitas crianças e sobretudo adolescentes por vezes dizem-me: antes tivesse ouvido um NÃO...antes o meu pai ou mãe tivesse insistido...!!!!

      Beijos do lado de cá do oceano

      ResponderEliminar
    3. Ihhh Luma, e como percebo. Tenho muitos irmãos e irmas e MUITOS sobrinhos (leia-se 10) com idades entre 01 mes e 22 anos.
      E são os mimados, os que os pais fazem tudo por ele, se sacrificam, nao sabem dizer não >> estes são os filhos pestes, com tendencia ao mau caratismo, egoístas, mal educados e pior, não dão o menor valor para os pais. os consideram "frouxos".
      Fui criada na "rédea curta" como diz minha mãe: autoridade, regras, e muitas palmadas. Sei que os tempos mudam, hoje em dia a psicologia é outra, mas sinceramente não sei se quando tiver os meus, educarei-os de maneira muito diferente de como fui educada.

      ResponderEliminar
    4. Perfeito. Me lembrei daqueles "educadores" em restaurante, já percebeu isso? Aqueles que visivilmente não educam em casa,e em público, resolvem dar "show" de disciplina? Eu costumo dizer que devemos educar até para termos comodidade no futuro, é um excelente investimento.

      ResponderEliminar
      Respostas
      1. Genial. Já percebi isso. "Para de brincar juninho! senta na mesa com a mãe" Quieto !

        Eliminar
    5. Percebo sim.
      Infelizmente, percebo muita preguiça e vontade enorme de descansar e passar para alguém( vó, empregada, babá, professora,outro cônjuge etc) a tarefa mais difícil como dizer não, ensinar , educar, acompanhar.
      Tem outros lados também.Percebo também boa vontade e uma sensação de se estar perdido sem saber o que fazer ( não é fácil mesmo). Penso que se deve atuar com amor e tentar acertar . Atualmente não temos mais aquelas tias, madrinhas e vizinhas que ajudam a aconselhar . Temos uma correria danada e você nem sabe quem mora a seu lado , muita gente nem irmãos tem e parentes só para cartão de natal automático no orkut.
      Ler um texto assim , trocar idéias , observar os filhos , acompanhá-los , estar a disposição . Tudo isso ajuda
      Os pais separados( oficialmente ou na mesma casa - acontece né? ) devem refletir sobre as regras que vão estabelecer em conjunto sem usar o filho em outros assuntos .

      Luma, excelente postagem, abre um campo muito bom para reflexão, conversa e atitudes diferentes, se for o caso.
      bjos

      ResponderEliminar
    6. Oi Luma.
      De fato, muitos pais se tornam escravos das vontades dos filhos. As razões, na minha avaliação, são sentimento de culpa e injunções do comportamento politicamente correto. Como você bem observou, o que estes pais consideram correto raramente produz o melhor, no caso um adulto socialmente responsável, tolerante e solidário.
      Se eu fosse livreiro, reeditaria o livro do dr. Benjamin Spock Meu filho, meu tesouro. Seria novamente um best-seller.

      Beijo.

      ResponderEliminar
    7. Luma, que bela postagem!
      Fui criado com regras firmes (e até umas chineladas!) e não fiquei traumatizado, ou revoltado, ou drogado, ou qualquer outra coisa. A mesma coisa aconteceu com a Nina, minha esposa. Nossos filhos tiveram o mesmo tipo de educação e são pessoas honestas, trabalhadoras, conscientes. Minha filha e o marido tratam as duas filhas (15 e 11 anos) da mesma forma. São meninas tranquilas, responsáveis, sabem o que podem e o que não podem ter ou fazer. Sei que hoje em dia os tempos são diferentes, pai e mãe trabalham fora, e assim por diante. Porém, mesmo com sacrifício, não podem descuidar do amor e da educação aos filhos. Se o casal acha que não vai ter condições de criar, é melhor que não tenham filhos. Avós, babás vizinhos, etc., nunca passarão de pais substitutos, momentâneos, e sem obrigação de educar.
      Abração.

      ResponderEliminar
    8. nossa kda comentario, fantastico...e muitos se parecem no meu modo de pensar e educar. educar ow coisinha dificil. tenho um filho de 7 anos ele é um amor e olha q nao sou tao coruja assim, tem suas peraltices mas ele sabe escultar os Naos e entende-los. Mas o q vejo hj é q os pais permissivos acabam tornandos os pais q tentam educar os filhos em viloes. O meu filho mesmo qdo vê algum amiguinho tendo atitudes q eu desaprovo ele comenta comigo : pq a mae de fulaninho deixa e vc nao? aí lá vai vc ter q explicar q a coisa nao é bem assim kda um educa de um jeito, e bla, bla bla.
      Fui educada as rédeas curtas , meu marido tbm e somos equilibrados, honestos, nao topamos drogas e nem revoltados...entao acredito se isso funcionou pra nós pq nao funcionará pro nosso filho??!! e é assim q educamos acredito q uma boa conversa resolve muita mais muita coisa mesmo mas como diz uma amiga a "psicovara" por horas tbm ajuda rsrs...nada de espancar ou surrar mas umas palmadas acredito q nao faça mal.
      acho q me estendi bastante no assunto, mas encontrei o blog e axei super interessante o assunto e gostei dos comentários.
      P.S- nao sei se estou certa ou errada em relaçao a educaçao de meu filho mas tem uma coisa o amor na vida dele nunca há de faltar.

      ResponderEliminar
    9. Percebo demais, claro, e de fato acho que e realmente uma enorme armadilha, mas para quem e pai ou mae o desafio nao deve ser pequeno.

      Nao posso discutir com as pesquisas em si, mas com a experiencia que tenho, diria que essa sindrome como sindrome e uma invencao. O fato de que mimar a crianca seja nossivo e fato, contra isso ninguem discute.

      Recomendei la no face!

      bjx

      RF

      ResponderEliminar
    10. Bom não sou mãe e nem tenho filhos, mas acredito que cada caso tem suas diferenças, tem pais "fora da realidade de ter filhos" e tem pais que mima mas sabe regrar este mimo.A e tem filhos que são pais dos seus pais acho isto estranho, mas cada um tem o que deseja.

      ResponderEliminar
    11. Luma, aplaudo a Fatyly de pé!
      É das minhas!

      Tenho vivido uns momentos de "medo" pois minha filha mais velha, que mora em Londrina e tem 3 filhos, parece estar "perdendo a mão" na educação dos meninos. Não que não seja rígida e o marido também, mas é que hoje em dia parece que tudo é permitido, faz mal negar algo à criança, vai traumatizar, sei lá...Ela anda cansada, largou a carreira para cuidar dos filhos e mesmo assim está difícil.
      Hoje os pais se cobram muito, por não dar muita atenção, não ter tempo disponível, tem esse blá blá blá de que qualidade é melhor que quantidade... é tanta coisa na cabeça que eles (os pais) se perdem.
      O que sei é que disciplina, rotina, horários, são regras para se criar bem uma criança. Mas parece que os pais acham que é "injusto", que têm que viver a vida, saem com filhos até altas horas, crianças comem em lanchonetes, restaurantes, tomam refrigerante, é tudo uma loucura!
      Temo por essa geração que está crescendo agora e as que virão!
      beijo!

      ResponderEliminar
    12. [1] Pra começo, o que faltou dizer ontem [depois vem um comentário gigante, :D]: acredito que nessas coisas que acontecem além de nossa vontade é que aprendemos a [re]conhecer a nossa vontade. Desejo que em 2011 suas vontades prevaleçam ante ao "inesperado do destino" :)...

      [2] Consegui aparecer antes do findes \o/
      Deste: Mirem nos avós, pois as crianças mimadas de hoje são filhos [literalmente] de pais que foram pré-mimados e mal educados, deixados "pro mundo criar", mesmo em tempos menos flexiveis e informações que só apareciam por uma tela e muito papel. Pra mim é um "crime de alma" colocar um filho no mundo e permanecer cuidando mais da sua vida do que da vida dessa pessoa pela qual você será muito tempo responsável. Eu, que ainda tenho muito tempo, primeiro serei egoista e viverei tudo que quero, batalharei tudo o que preciso, para que chegue a hora de viver em função daquela pessoinha, ela seja alguém que mereça caminhar por esta terra e também carregue e espalhe coisas boas. Repassarei o que recebi, e viverei por e para ela, somente, certo de que foi uma escolha sem arrependimentos e toda essa sorte de bobagens que vejo os pais cometendo, e doem. Trabalho com um exemplo de 27 anos: ele tem disfunções de todos os tipos [asma, bronquite, dores no estomago, dores de cabeça], tudo que se ativa não por um efeito biologico, mas pelo psicologico do relacionamento com os pais. Quanto a percepção dessa nova geração de pais, infelizmente, a gente só vê o que conhece...

      ResponderEliminar
    13. [3] Dos anteriores:
      Amadurecemos com os nossos blogs || Vejo que "blog" virou um termo guarda-chuva, abrigando hoje muitas coisas sob ele. E acredito que o Jobs tenha usado este termo pensando no sentido mais pejorativo que conhecemos: os probloggers, os que se oferecem / vendem por qualquer "ajudinha", o que no caso de uma empresa como a dele, diretamente ligada a nossa paixão [para alguns, trabalho], deve ser um tanto incomodo. E o que ele diz, de qualquer forma repercute estranhamente. Tal qual o tapa de luva que ele está dando na miopia comercial dos jornais, investindo em apps gratuitos para ipad aos assinantes de impresso ao invés de criar ou [1] um conteudo plus e pago para o suporte ou [2]criar um site otimizado para ipad, à esses leitores. E sim, quaisquer duas horas que vc tirar para feeds e blogs viram umas 3, 4...

      Saudável e Feliz || Excelente! Levo minha boa vida e vida boa com um dia sem carne, frutas de 4 a 5x, bike 2x, corrida de 2 a 3x, um exercicio leve 3x, isso tudo numa semana. Passeio entre 4k do peso ideal, sem maiores problemas. E Osho é beem interessante, de verdade :))...

      Amigos são Livros... || O meu cão está chegando à terceira idade, mas ainda está com a saúde em dia. Aos livros está me faltando é apego, pois em casa estou com alguns fechados e ainda não consegui lê-los [por não resistir ao que há na biblioteca da atual facul] :P...

      Só é gordo quem quer || A primeira palavra que me veio quando comecei a ler: biotipo. Ela por si mata a afirmação que a cultura impos como resumo do livro do João U.Jr. Ainda são muito timidas as publicações sobre saude mental = saude fisica... estão mais que conectadas e parece-me que, aproveitando o gancho, "só não estuda quem não quer". Mas é compreensivel ao menos no Brasil, onde a função das universidades publicas é colocar no sistema publico e das particulares é gerenciar grandes carreiras / centros médicos...

      Paixão e Suor || acredito que já conheça, mas se não, procure pelo podcast Café Brasil, do Luciano Pires, e ouça os programas sobre mbp e bossa nova. Um desbunde :)... é de fato estranho ver que as pessoas criticam quem [re]visita nosso passado musical, quando o que elas adoram de fora nada mais é que a releitura do passado cultural e musical deles... e por uma "incrivel" coincidencia do destino, depois do RAP [proporcional ao funk cá] os artistas e discos que estão fazendo mais sucesso são os que estão usando uma pegada vintage.

      Deixe o mundo saber que você tem um blogue || Essa experiencia que você teve com o blog eu tive numa comunidade do Orkut, ainda viva, mas bem menos inteligente do que aquela época... sou um dos moderadores dela, inclusive. Mas a vida corrida deixa a administração nas mãos do sempre dono dela... acredito que já tenha reparado que há pelo menos us 3 anos, quando so blogs explodiram em definitivo, os temas polemicos são polemicos em si mesmos, postados com um conjunto de palavras ótimas pra SEO e só... não há feedback... o autor taca o fogo e deixa o circo, só pelo "ibope" e essa velha mania humana de quere aparecer. Fecha com o que disse sobre o que está no "guarda-chuva" do nome blog, hoje.

      Acordou e o dia estava claro || ri sozinho aqui com o "radio gostosinha" :D...

      A arte de deixar as coisas sem fazer || o bacana de ler posts de final de ano nessa época é fixar novamente aquilo que se busca... e achar mais de 90% das 50 recomendações na minha vida foi um largo sorriso aqui! Mais que os blogs intoxicando, vejo o twitter com um potencial muito mais efetivo. Cada tweet gera uma pg. Estrago considerável...

      ótimos dias e beijão!

      ResponderEliminar
    14. Eu dou muito carinho para minha filha, mas tambem sou dura. Acho que dar amor e atenção não precisa de confundir com falta de bons habitos. Eu não afirmo que pessoas mimadas não são futuras vencedoras, pq eu conheço uma que mais mimada impossível, ela é falsa e arrogante, porem, sabe escalar perfeitinho, e está muito bem. Ou seja, depende como é criado. Neste caso, ela é muito narcisista, o que a leva a ser competitiva, mesmo que seja altamente mimada.

      Bjs

      ResponderEliminar
    15. A postagem anterior foi sobre amor, mas educar os filhos para que eles não adiquira tal disturbio também é amor (mesmo que pareça o contrario)...

      E o Max, está melhor Luma?

      Fiquem com Deus, menina Luma e canino Max.
      Um abraço.

      ResponderEliminar
    16. Ah guria, tão dificil encontrar o equilibrio na educação.

      Beijos

      ResponderEliminar
    17. Amo os meus pais e fui criado sem mimo, comendo o que tava na mesa e respeitando os mais velhos.

      ResponderEliminar
    18. Oi Luma

      Perfeita postagem para a época.
      O que ouço de pais reclamando que não aguentam mais os filhos em casa.
      Quando ainda trabalhava com crianças pequenas, e olha que faz tempo, o problema já se instalara.
      Muitos pais que eram chamados por problemas na Escola, diziam: "pode educar professora, porque eu não posso com ele(a) mais e nem tenho tempo".

      Imagine uma coisa dessas, se um pai ou uma mãe não pode com seu filho, quem vai poder? Apenas indicamos o caminho, mas não somos os pais. Dizemos não, mas não é para tudo.
      Muitos pais, tem pena dos filhos, sentem-se culpados como diz o texto.
      Tínhamos um lema:
      SE O FILHO TEM NOTA ALTA ELE É BOM, MAS SE ELE REPROVA O PROFESSOR NÃO PRESTA.

      Quem ama, educa.

      Texto espetacular. Obrigada por compartilhar.

      Bjs no coração!

      Nilce

      ResponderEliminar
    19. Ola! Voltei! Alias, assinei o Feed o que torna tudo mais facil!
      La no BLOG costumo falar sobre isso tb! E' incrivel, mas no fundo no fundo e' o SENTIMENTO DE CULPA que esta' por tras de FILHOS MIMADOS, pois os pais querem "compensar" algo... que tiveram (ou nao tiveram) na infancia,s em avaliar o tempo, a epoca, as circunstancias, a vida atual, etc.
      Se vc tiver um tempinho, da uma olhadinha no POST onde transcrevi uma excelente materia sobre isso... "A ANSIEDADE PODE SER BOA, por Jerome Kagan" e um outro "FILHOS - um pouco de tudo, matérias publicadas por ai... e uma diquinha minha...".
      Num deles ha a seguinte citacao:
      PEQUENOS IMPERADORES
      “Uma mãe que nunca briga, que sempre se submete à vontade dos filhos, que vive para eles única e exclusivamente acaba por se tornar uma fonte de culpa para a criança, que se sentirá um monstro diante daquela pessoa tão irritantemente boa.
      Ser mãe é a dificil arte de se fazer desnecessária”.
      (Psicoterapeuta Maria de Melo)
      Fonte: Revista Claudia, Editora Abril – Mar/06

      Mil bjs!

      ResponderEliminar
    20. Luma,
      Andei lendo ou ouvindo algo sobre o filharcado. O mundo já viveu épocas de matriarcado, de patriarcado e agora está vivendo o filharcado. As famílias são muito pequenas e as crianças ganharam uma importância muito grande, daí serem mimadas.
      Ótimo post.
      Bjkas e um ótimo final de semana para vc.

      http://gostodistonew.blogspot.com/

      ResponderEliminar
    21. Não tenho filho ainda, mas vou confessar, morro de medo de não saber criar meu filho...
      Pelo que ando vendo por aí... é preocupante o que os pais andam fazendo com seus filhos...

      bj

      ResponderEliminar
    22. Excelente...dispensa acrescentar minha opinião, pois seria redundancia. 10!!!

      ResponderEliminar
    23. Luma, te aplaudindo daqui...Parabéns pela abordagem perfeita do tema!beijos,chica

      ResponderEliminar
    24. O que estraga tudo é a infeliz culpa de mãe. Se trabalha fora então o peso é bem maior.
      Mas a mãe tem que entender que se o filho chora não é sinal de filho infeliz. Toda criança chora. Então mesmo se só tem 1 hora por dia com o filho ou nem isso( e isso é realidade em muitas casas)tem que educar sim, impor limites sempre. E não é um brinquedo novo que vai substituir a presença.
      Fácil não é. Mas alguém disse que ia ser?
      Adorei! Direta, reta e verdadeira!
      Beijos!

      ResponderEliminar
    25. Oi, Luma!

      Só não vê, quem não quer, não é mesmo?
      Há poucos dias atrás, fiz um post tratando de assunto parecido (não com palavras tão bonitas), no qual me referi a imposição de limites, da responsabilidade dos pais, no trato com os jovens,etc. entendo que, essa falta, dos pais, acarretará grande prejuízo aos filhos e a sociedade.
      Excelente abordagem.

      Beijos
      Socorro Melo

      ResponderEliminar
    26. O grande problema, embora possa não ser o principal, 1) é a educação recebida pelos pais dos avós.
      2) Pais com problemas geram outros nos filhos.
      Outra coisa: 3) adultos que não gerenciam o próprio tempo, que dão mais ênfase ao trabalho do que à familia.
      4) Pais que não têm conceitos claros sobre como educar.

      O assunto, é sério!

      ResponderEliminar
    27. Sempre disse aos meus filhos: "Educar filhos é a tarefa mais ingrata e difícil da nossa vida" !
      .

      ResponderEliminar
    28. Excelente texto.

      Sem duvida que atenção, mimos, regras, limites, valores, fazem falta para o equilibrio emocional da criança!

      ResponderEliminar
    29. Hoje em dia está tudo estranho. Eu não tenho filhos, mas tenho um cão e vejo que os cães estão ficando estranhos. Daí dá pra entender que o problema está nos humanos.
      Ontem no mercado vi um pai dizendo "esta vendo, tinha o sorvete a sua mãe que não quis levar. Ela é assim. Só faz o que quer" - a criança respirou fundo, cruzou os braços e reclamou em alto e bom tom "vai começar a falar mal da minha mãe de novo?"
      Pois bem, o filho do mio amore separou-se recentemente e diz pra filha ao telefone "vc não me ama mais, agora seu negócio é com sua mãe".
      Aí eu me pergunto "essa gente está preparada pra ser pai e mãe?" visivelmente não. E pra mim não faz diferença se trabalha fora ou não, o ruim é ver que está cada vez pior a argumentação. São crianças em idade avançada educando crianças... aff
      vai longe. Pobre mundo.
      bacio

      ResponderEliminar
    30. Espetacular o teu post, Luma! Muitas mães conhecidas minhas precisavam ler, que vou tentar que o façam.
      Aplaudo com a Lúcia o que a Fatyly comentou. Também o que a Betty Gaeta disse sobre o filharcado.
      Meus filhos foram criados à maneira antiga e não tive problemas com eles. As netas já não sei como vai ser, não dou pitaco pq são filhas de filho.
      Bjim, cosquirídia.

      ResponderEliminar
    31. Sou Pedagoga, e adorei seu post!!! Parabénsss

      ResponderEliminar
    32. Tem que virar um problema sério pras pessoas se darem conta da criaçao dos filhos!! rsrs

      Muito boa a matéria!!

      Beijoss

      ResponderEliminar
    33. Luma esse artigo está perfeito!
      Crianças devem ter limites independe de qualquer coisa!
      O ruim, é que há muitos pais que jamais vão admitir que o filho sofra. Sabemos que em algumas situações o sofrimento faz a criança amadurecer e ser um adulto confiante.

      Bom final de semana

      ResponderEliminar
    34. A criança tem de ter limites impostos e bem definidos. Educação também é preparar para os fracassos e desilusões. Só assim o adulto saberá como superar os problemas que a vida apresentará.

      ResponderEliminar
    35. Gostei demais da matéria, Luma.
      Há quatro meses nasceu meu primeiro neto, e ainda tenho uma filha adolescente. O que eu invoco, é com esse negócio de dar presente, presente, presente...toda hora.

      ResponderEliminar
    36. Crianças mimadas terão mais dificuldades de enfrentar as dificuldades e por isso terá mais dificuldade no desenvolvimento da carreira.

      ResponderEliminar
    37. Olá Luma querida!
      Como sempre mais um excelente texto, baseado em excelentes leituras que você faz e com temas de muita relevância!
      Eu sempre disse aqui em casa (tenho 4 filhos!!!) que os filhos vêm ao mundo para adaptarem-se ao ritmo dos pais e não o contrário! Exagerado? Pode ser, mas não abro mão dos limites... Não gosto e não aceito criança mimada. Tenho certeza que elas sofrerão consequências drásticas no futuro e aí, os próprios pais se sentirão culpados... Penso que preparamos pessoas para um mundo que não perdoa erros e nem egocentrismos... E quando a lição vem do mundo e não dos pais, o aprendizado é duro!
      Portanto, amar representa educar! Mas muitos pais, antes de saberem disso, precisam aprender a educarem-se...
      Esse é um quadro preocupante mesmo: pais omissos e condescendentes demais = filhos rebeldes, egoístas, egocêntricos e rebeldes... Daí, talvez se explique o sucesso de programas como os "Super Nanny" da vida!
      Grande beijo,
      Jackie

      ResponderEliminar
    38. Olá Luma..:)
      Xii...eu não gostei de certas afirmações taxativa do texto.
      Uma "criança mimada nunca ama sua mãe", e olhe lá, que tem montão de crianças mimadas..ehehee..:))
      E olhe que a criança de hoje em dia começa muito cedo, vc não acha, heim?

      Tchauzito

      ResponderEliminar
    39. Anónimo23:08

      nao queria ter uma irma ela e muito chata

      ResponderEliminar
    40. Oi Luma..

      Hoje não se mensura a responsabilidade de ser pai ou mãe.
      Crianças além de amor e carinho, gostam e precisam (pode não parecer) de regras e limites pois se sentem protegidas.

      Beijão

      ResponderEliminar
    41. Fui muito mimada de ter quase tudo que eu queria, sem me esforçar pra ter e depois sofri por isso. Mimar demais é um dos maiores erros que os pais podem ter na criação dos filhos, a culpa não é da criança e sim dos pais que não sabem impor limites e dizer '' não '' .

      ResponderEliminar
    42. gostaria de saber um e-mail de contato do blog meu e-mail é sipsicopedagogia@hotmail.com , obrigada simone

      ResponderEliminar
    43. crianças mimadas tem mais chances de sofrerem bullying do que as que não são, porque por sempre terem a proteção dos pais para tudo praticamente, não vai saber se defender por si próprio contra outras e também porque os pais nem sempre estarão perto delas para evitarem isso, as crianças mimadas também terão um atraso na mente por exemplo quem tem 12 anos, pelas atitudes vai parecer que tem 8, crianças mimadas também desobedecerao e muito os pais com grosseria e etc... ou seja até os próprios pais sofrerão com o filho e também os filhos mimados se tornam muito tímidas, isoladas ou depressivas quando chegam "naquela idade" e quando forem querer tomarem conta do seu próprio nariz não vai saber se lidar com o mundo e sofrerão muito para aprender muitas coisas o que elas deveriam ter aprendido antes na adolescencia ou até mesmo na meninice, por que vão ter medo de aprender coisas novas sozinhas,confesso que também sofri com isso e também acho que provavelmente as crianças do futuro (nossos futuros filhos) serão ainda piores do que os de hoje em termos de mimagem, eu recomendo que quem é pai ou mãe e está lendo meu comentário, por favor peço para vocês evitarem de mimar seus filhos por que quando crescerem trarão muitos problemas para vocês mesmos

      ResponderEliminar
    44. crianças mimadas também terão dificuldades para entrar na faculdade ou até mesmo arrumar um emprego

      ResponderEliminar

    Tenha identidade, não seja anônimo na web. Crie sua identidade virtual.

    ...bisbilhotaram em quietude, sem solidão

    PlagSpotter - duplicate content checker tool
    Licença Creative Commonsget click

    Algumas coisas não têm preço


    finalista the weblog awards 2005finalista the weblog awards 2006
    finalista the weblog awards 2007weblogawards 2008
    Verificar conteúdo duplicado

    Me leve com você...

    Leia o luz no seu celular

    Copyright  © 2014 Luz de Luma, yes party! Todos os direitos reservados. Imagens de modelo por Luma Rosa. Publicações licenciadas por Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial- Vedada a criação de obras derivadas 2.5 Brasil License . Cópia somente com autorização.

    Tem sempre alguém que não cita a fonte... fingindo ter aquilo que não é seu.

    Leia mais para produzir mais!

    Atenção com o que levar daqui. Preserve os direitos autorais do editor