Ciberativismo

Ciberativismo é uma forma de ativismo realizado através de meios eletrônicos, como a informática e a internet. Na visão dos que o praticam, o ciberativismo é uma alternativa aos meios de comunicação de massa tradicionais, permitindo-lhes "driblar" o monopólio da opinião publica por estes meios, ter mais liberdade e causar mais impacto, ou é apenas uma forma de expressar suas opiniões (Definição: Wikipédia)

Muitas ciberações estão presentes atualmente na web - Os blogues cumprem a sua parte divulgando e os leitores com um simples clique são convidados a participar dos projetos que correm pela rede.



O Gabriel Dread veio me avisar do Projeto de Lei 01/2009, apresentado pelo senador Expedito Júnior (E-mail: expedito.junior[at]senador.gov.br) que altera o artigo 6º do Código de Proteção e Defesa do Consumidor, ampliando os nossos direitos. No rótulo das embalagens dos produtos alimentícios e etiquetas das peças de vestuário, deverão constar obrigatoriamente a composição, incluindo a indicação da existência de componentes de origem animal, dando ao consumidor brasileiro, o direito de escolha.

"A matéria foi enviada à Comissão de Meio Ambiente, Defesa do Consumidor e Fiscalização e Controle (CMA), onde aguarda designação de relator. A proposta de Expedito Júnior poderá receber emendas dos senadores que integram a CMA e terá decisão terminativa nesse colegiado" (Iara Guimarães Altafin / Agência Senado) - Veja o PDF direto no site do senado.

Com o apoio do Senador Expedito Jr., Fábio Chaves, do site Vista-se fez uma carta onde expressa sua vontade de que a lei seja aprovada de forma rápida e prática. Você pode assinar a carta manifestando também o seu apoio ou se preferir, assinar uma petição elaborada pelo grupo Gato Negro, que além da aprovação do projeto-lei, pede a rotulagem adequada para cosméticos, produtos de limpeza e higiene. Assine a carta ou/e a petição e garanta o seu direito de escolha!



Tudo começou quando o senador Eduardo Azeredo com seu projeto de lei, pleiteava a obrigação da identificação dos usuários de internet antes de iniciar qualquer operação que envolvesse interatividade...

Ontem estava no twitter e li o seguinte tweet: "ALERTA GERAL: o deputado Regis de Oliveira da Comissão de Constituição deu parecer favorável ao Projeto do Senador Azeredo. É preciso agir!" (via @samadeu)

clipped from www.senado.gov.br
ENTREVISTA
11/07/2008 - 20h02
Azeredo: lei dos cibercrimes nos alinha com o primeiro mundo

A caminho de Belo Horizonte, no final da tarde desta sexta-feira (11), o senador Eduardo Azeredo (PSDB-MG) disse à Agência Senado que seguia para o seu estado convicto de ter cumprido uma missão: a aprovação pelo Senado, na noite de quarta-feira (9), do projeto de lei que tipifica os crimes cometidos por meio de computadores, na Internet e em outros tipos de rede. Definidos em lei, os crimes passam a existir no mundo jurídico, dando aos tribunais instrumentos para punir ciberpiratas, estelionatários, pedófilos e aqueles que criam e espalham vírus com a intenção de danificar equipamentos, programas e arquivos.

O senador classificou as reações negativas ao novo texto, principalmente da Associação Brasileira dos Provedores de Acesso, Serviços e Informações da Rede Internet (Abranet), como fruto de "interpretações equivocadas". Ele observou que o projeto aprovado, uma proposta substitutiva ao PLC 89/03, está em linha com a Convenção de Budapeste, firmada em 23 de novembro de 2001, na Hungria, e considerada por Azeredo peça fundamental na cooperação internacional para o combate aos crimes cibernéticos.

O texto aprovado no Senado ainda será votado, de forma definitiva, na Câmara dos Deputados, mas Azeredo acha que a ampla participação daquela Casa nos últimos entendimentos sobre o substitutivo deu ao projeto um caráter consensual [leia entrevista]
Quando o senador Azeredo é questionado - sobre o porque dos provedores de internet estarem reagindo negativamente ao projeto de lei sobre os cibercrimes, ele responde: "não sei o motivo... Talvez essas reações negativas sejam fruto de uma interpretação equivocada do projeto aprovado pelo Senado" e quando também questionado de tentar restringir a liberdade na internet, diz que à época, os trabalhos apresentados foram analisados parcialmente e que agora a redação foi aperfeiçoada para evitar interpretações equivocadas.

O texto do Projeto lei, que aglutina três outros projetos leis (76/2000, 137/2000 e 89/2003) , já passou na comissão de Constituição e Justiça do Senado, foi revisado e alterado várias vezes. Na atual mudança, as empresas de conteúdo e acesso; guardarão os dados da origem, como data e hora da conexão, repassando às autoridades mediante decisão judicial.

A jornalista Juliana Oliveira expõe as Controvérsias:

"No entanto, especialistas e até parlamentares consideram a proposta restritiva à liberdade dos internautas. Para muitos, entre outros aspectos, lei dará margem a proibição de condutas corriqueiras como transferência de músicas de um CD para o tocador de MP3 somente para uso pessoal.

Outros detratores contra o PLC dizem que as redes sociais abertas poderão ser proibidas, uma vez que o dispositivo cria uma série de determinações que bloqueiam as redes abertas e criminalizam condutas que são corriqueiras na internet.
Um dos parlamentares que mais condenam a “lei do Azeredo” é o deputado Paulo Teixeira (PT-SP). Para ele, três aspectos são inadmissíveis no projeto: a violação dos dispositivos de segurança, o alto controle sobre a internet e os dispositivos penais como estão redigidos.

José Portugal, chefe do gabinete do senador Eduardo Azeredo, esclareceu que a lei não se resume “apenas em limitar download de arquivo”. Segundo ele, trata-se de uma alteração na constituição penal, o que significa tipificar diversos crimes praticados atualmente na rede, mas que não sofrem punição por falta de jurisdição.
O assessor de Azeredo prefere não prever um prazo para a aprovação do projeto de lei. “A Câmara está cheia de coisas para fazer. Com a crise mundial, eles (deputados) não ficam muito preocupados com problemas como internet, mesmo sendo de extrema relevância”, conclui"


Valha-me Deux, um assessor deixar de responder uma pergunta com a desculpa da crise mundial! Como diz na minha terra: Kill Kill Palhaço!!
Até o momento temos mais de 139 mil assinaturas na petição, dezenas de blogs apoiando a causa com ações e organizações atuando contra este projeto, queremos mudar o panorama da democracia brasileira. O que você vai fazer?
Se não assinou a petição e não postou sobre o assunto em seu blogue, pode fazê-lo. Ainda é tempo! Pode também se filiar à comunidade Ciberativismo e acompanhar pelo SaferNet todo o processo.
Outras ações atualmente na rede:
Não Homofobia! "Iara Bernardi, Deputada Federal, criou em 2001 um projeto de lei que criminaliza a homofobia, e iguala a discriminação por orientação sexual ao racismo. Preste atenção: 2001. No fim de 2006, o projeto foi encaminhado para o Senado. O grande "progresso" foi o projeto ter mudado de PL para PLC.

Para contribuir no processo e deixar claro como é importante que essa lei seja aprovada, foi lançada uma petição virtual para acumular 1 milhão de assinaturas de adesão ao projeto de lei. Até agora, pouco mais que 30 mil pessoas preencheram o formulário com seu nome, e-mail, RG e CPF" - Contribuindo para um mundo melhor: BHY

Conheça a campanha, entenda, promova e participe!

A campanha brasileira "Homens Unidos pelo Fim da Violência contra as Mulheres", associada à Campanha Mundial da Secretaria Geral da ONU: "Campanha do Laço Branco", pretende engajar homens na luta por uma sociedade mais justa e igualitária, principalmente no trato dos direitos das mulheres. Os homens se comprometem a contribuir na implementação integral da Lei Maria da Penha e nas efetivações políticas públicas visando o fim de qualquer forma de violência contra as mulheres. Contribua homem!
São várias as campanhas circulando na rede e não me extenderei. Vale ressaltar:
  • As últimas campanhas propostas pelo Greenpeace, pela WWF - Brasil e Avaaz - acessem!

  • O Ministério da Cultura, diponibiliza uma espécie de tutorial para ativistas - Blogando anonimamente (?) - Eu queria que alguém me explicasse isto.

  • O grupo ciberativista mais conhecido no Brasil é o Centro de Mídia Independente. Nossa versão nacional do Indimedya. O Centro de Mídia Independente mantém um site de notícias 24 horas, atualizado com denúncias, fotos e textos de livre reprodução de participação voluntária, também mantém rede implantada em computadores na periferia e em assentamentos do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), engajados no trabalho de inclusão digital.

  • Outra rede de ciberativismo é a Global Voice, iniciativa sem fins lucrativos do projeto "Global Citizens Media" criado pelo Centro Berkman para Internet e Sociedade da Escola de Direito de Harvard. O projeto conta com profissionais com missão de ajudar pessoas a se comunicar em regiões onde forças maiores as impeçam e na divulgação de casos envolvendo censura e tirania espalhados pelo mundo, chamando atenção do planeta para os casos de cerceamento de liberdade.

  • Indico a leitura do texto postado no blogue Cibercultura no Jornalismo, escrito por André Lemos (professor da Faculdade de Comunicação daUFBA), onde ele explica o que é ciberativismo e dados curiosos sobre a sua origem. Vale a pena!
Use a rede para o bem!!

2 comentários :

  1. Luma, que conexão!! Juro que hoje mesmo eu ia publicar uma postagem com esse nome e colocar várias iniciativas diferentes nela...
    Mas aí resolvi dividir em séries de postagens separadas, para não embolar diferentes conteúdos... Hoje mesmo publiquei duas da série "Cyberativismo":
    -São Paulo urgente: Plano Diretor, sobre um Projeto de lei do prefeito Kassab; e
    -Movimento Passe Livre em Florianópolis, sobre os protestos contra o aumento da tarifa de ônibus em Floripa (hoje é R$2,80, vê se pode)...

    Finalizando este longo comentário emocionado com a sincronicidade que estou vivendo com minha musa inspiradora virtual Luma Rosa, agradeço imensamente o destaque dado ao "Veganismo no Senado"... valeu, Luma!
    E valeu também pela ajuda com o template... arrumei outro jeito de resumir os posts na primeira página que não da pau e não aparece inteiro antes de resumir...

    Abração, beijos e Positivas Vibrações
    Gabi Dread

    ResponderEliminar
  2. Olá!
    Vim lhe convidar para que conheça um pouco do meu trabalho de pintura em camisetas!
    Até
    http://ramasppfp.sites.uol.com.br/pinturaemcamisetas.htm

    ResponderEliminar

Tenha identidade, não seja anônimo na web. Crie sua identidade virtual.

...bisbilhotaram em quietude, sem solidão

PlagSpotter - duplicate content checker tool
Licença Creative Commonsget click

Algumas coisas não têm preço


finalista the weblog awards 2005finalista the weblog awards 2006
finalista the weblog awards 2007weblogawards 2008
Verificar conteúdo duplicado

Me leve com você...

Leia o luz no seu celular

Copyright  © 2014 Luz de Luma, yes party! Todos os direitos reservados. Imagens de modelo por Luma Rosa. Publicações licenciadas por Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial- Vedada a criação de obras derivadas 2.5 Brasil License . Cópia somente com autorização.

Tem sempre alguém que não cita a fonte... fingindo ter aquilo que não é seu.

Leia mais para produzir mais!

Atenção com o que levar daqui. Preserve os direitos autorais do editor