Começar de novo


Depois do meu desabafo no post anterior e da contrariedade que senti por duas pessoas queridas que diziam se amar muito, terem se separado por motivo banal, encontrei uma crônica do Guilherme Arantes como colunista convidado da Revista "O Globo" que foi um tônico para o recomeço de vida do meu amigo.

Ah, sim! Eu leio com atraso jornais e revistas que assino e essa entrevista data de 26 de maio de 2013. Procurei por ela na internet e não achei, somente achei imagem na fan page do artista.

Como gostaria muito de trazer o link para o blogue para vocês lerem a crônica, a única forma que encontrei foi digitá-la. Espero que gostem!
"Vida nova, casa nova. Recém-separado, eu havia alugado um sobrado aconchegante numa vila charmosa e arborizada, vizinho a um terreno baldio com uma placa de "vende-se" no muro da frente. Da janela do meu novo quarto, eu via os raios de sol se infiltrando entre uma densa vegetação, um bálsamo na cidade grande. Um achado.

Estava decidido a não repetir os erros e precariedades do passado, e cumprir um programa de rigor absoluto com a autoestima: parar de fumar, voltar a caminhar, correr, nadar, me cuidar, descobrir uma nova pessoa em mim.

Num dos primeiros dias dessa nova vida, fiz a feira numa rua próxima, e improvisei um lanche com direito a um saudoso creme de abacate - puro sabor da infância. Sem a menor cerimônia, joguei o caroço de abacate no terreno vizinho, com pena de jogar no lixo, e segui na faina de montar meu novo lar: geladeira, fogão, máquina de lavar, cama, colchão, lençol, cobertor, tudo novinho. Em pouco tempo, o novo lar ia tomando forma.

Um dos primeiros prazeres que a separação de um longo casamento proporciona é a redescoberta da simplicidade da vida: sem muitas argumentações, viu, gostou, comprou. Antiguidades, quinquilharias, quadros, tapetes, tantas escolhas impulsivas sem ter que discutir "mas para que isso?" A gente vê o quandto é importante o pleno exercício da liberdade, tantas vezes transformada em supérflua num relacionamento.

Um belo dia, ganhei de um casal de amigos uma muda da tal "árvore da felicidade". Logo arrumeir para ela um cantinho especial, bem na entrada da casa. Diz a lenda que essa planta tem poderes especiais, atraindo bons fluídos e trazendo amor. O fato é que ela não gostou muito do vento na porta da casa, então mudei o vaso de local, mas ela também não gostou de receber sequer uns raios esporádicos de sol, no corredor. Então tive de levá-la para a sala. Em poucos meses, surgiram nela umas tais de cochonilhas, tive que dar banhos com calda de fumo.

Ela parecia jururu, então troquei a terra velha por uma terra caríssima, mas ela foi definhando, caíram as folhas, e por fim, numa volta de viagem, encontrei a planta seca, esturricada, mortinha da silva. Fiquei chateado, e fui jogar a defunta no terreno vizinho, por cima do muro. Só então notei que no terreno agora existia um enorme abacateiro, repleto de lustrosos abacates. Era o meu caroço, anos depois! Havia germinado, crescido e frutificado sozinho, abandonado ali, no terreno baldio. Nunca reclamou de terra, de insetos, do vento, do sol.

Procurei o dono do terreno, era o mesmo da casa. Comprei os dois. Derrubei o muro, e hoje o abacateiro é a minha verdadeira árvore da felicidade. O verdadeiro amor é assim: precisa ter vontade de existir."

118 comentários :

  1. Eu lembro dessa crônica, Luma. Aliás, leio sempre essa revista todos os domingos. Também com atraso, mas de um ou dois dias, não de tanto tempo assim. rsrs Guilherme além de um cantor de sucesso se mostra um excelente escritor. Bjs e boa semana.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu leio os jornais e vou deixando as revistas de lado. Sempre digo que no final de semana vou colocar a leitura em dia, mas qual? Quase 70 dias de atraso... rs.

      Eliminar
  2. Pois é, Luma. Vontade de existir! Mas, no amor, só funciona quando os dois têm vontade.
    Abração.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, J.F.!!
      Você quis dizer: vontade recíproca! (rs*)
      Beijus,

      Eliminar
  3. Linda... Inspiradora para minha manhã... <3

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Profe!!
      Vamos plantar caroços!!
      :)
      Beijus,

      Eliminar
  4. Muito bom, o verdadeiro amor cresce em qualquer terreno, mesmo diante das adversidades, supera os terrenos áridos, precisa antes de mais nada de vontade de existir. Bom dia Luma!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Cristiane!!
      Assim deveria ser, mas as pessoas querem ser amadas e não querem amar. Estranho, não?

      Eliminar
  5. Bom dia minha querida Luma! Eu li seu post anterior e não tive vontade de comentar. Este porém eu adorei. E a vida é bem assim: simples. Sem enfeites quando existe a vontade de existir.
    Achei graça na história do caroço de abacate. Fiz muito isso no terreno ao lado da última casa onde morei. Tenho que ir lá conferir os pés de abacates, laranjas e maçãs...quem sabe não é?
    Muito gostoso acordar e ler uma mensagem sobre a vida como essa.
    Psiu... também leio tudo atrasado...mesmo porque nunca tenho presa...
    Beijão.
    Astrid Annabelle

    ResponderEliminar
  6. Pressa..*ops digitei errado..perdão...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Astrid!
      Compreendo porque não quis comentar! Foi um post "azedo" :(
      Também procuro simplificar a vida, mas algumas coisas ainda precisamos digerir para compreender e somente depois disso, a simplificação.
      Imaginou se tudo o que ingeríssemos, também plantássemos? Não iria faltar comida, abrigo, calor humano... :)
      Devagar e sempre!!
      Beijus,

      Eliminar
  7. Amor???? Dá um trabalho...mas é bom né?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hahahaha tudo que é bom, traz também algum prejuízo!!
      :)
      Beijus,

      Eliminar
  8. Lindo texto e gostei muito da lição que passou! Muito bom pasar aqui sempre,Luma! beijos,chica

    ResponderEliminar
  9. Querida Luma
    Suas postagens são sempre surpreendentes.Mas,é isso mesmo:«O amor tem de ter vontade de existir»,mas, da parte dos dois.
    Conforme diz J.S.Nobre:«A vida é,toda ela,uma sintonia do Bem e da Verdade.Sintonia é um estado ou uma posição de encontro e de harmonia com alguém ou alguma coisa.»
    Num relacionamento,se essa sintonia deixa de existir,não havia amor.
    parabéns pelos temas que escolhe.
    Aguardo visita.
    Beijinhos da
    Beatriz

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Beatriz!!
      Existir sozinho é existir pela metade!
      Perfeita definição de J.S. Nobre!
      Obrigada pelo carinho!!
      Beijus,

      Eliminar
  10. Começar de novo...
    E contar comigo...
    Creio que seja mais ou menos isso que a música quer nos revelar. rsrsrs
    Li o texto de ontem e me quedei pensando, pensando e pensando.
    Entendi o desabafo.
    No de hoje, entendo toda a alegria do recomeçar.
    Valeu Luma!
    Beijão.
    Começar de novo....

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Beth!
      Acertos e desacertos da vida! Que graça teria se fosse diferente, mas eu juro que não acharia ruim em viver em um mar de alegria, amando muito e vendo as pessoas amadas felizes. Definitivamente, o paraíso não é aqui! Enquanto isso, precisamos pelo menos contar com nós mesmos! Vamos cuidar da nossa sanidade mental!!
      Beijus,

      Eliminar
  11. Oi Luma, gostei muito do texto, com uma grande lição. Um óptimo dia para ti. beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Telminha!!
      Beijus,

      Eliminar
  12. Bom dia Luma,
    Gostei do texto, e sei bem do que se trata...um amor eterno que se desfaz do nada. Entendi a duras penas que a cada dia temos a possibilidade de recomeçar, reaprender, de criar um novo olhar.
    bjs
    sonia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bom dia, Sonia!
      Todos os dias são de recomeço e me parece que devemos fechar o dia anterior com chave de ouro. Isso quer dizer, tristezas e mágoas deixadas no passado. As duras penas aprendemos que as pessoas que nos fazem infelizes, pouco sabem do mal que fizeram ou se tem consciência, continuam a sua vidinha procurando a própria satisfação. Perdoar é um bem que fazemos para nós! Mas como é difícil criar esse novo olhar!!
      Beijus,

      Eliminar
  13. Olá querida!
    Adorei o Texto!
    É assim mesmo... Tem que ter vontade de existir...
    bj
    Beta

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Beta!!
      Vontade de existir "de verdade"!
      :)
      Beijus,

      Eliminar
  14. Oi Luma, que legal este texto!
    Alguém nos tira o "caroço" e joga fora. Todo "caroço" tem, em si mesmo, o potencial de recomeçar a vida...

    Abração
    Jan

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Jan!
      Cada um de nós também temos os nossos caroços! Vamos recomeçar!!
      Beijus,

      Eliminar
  15. Que lindo que lindo!!!
    Obrigada, Luma querida!
    Amo suas postagens. A vida fica com mais vontade de ser vivida, sabes?
    Beijossssssssssss
    Vero

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Vero!!
      Obrigada pelo carinho!
      Se a vida não está fácil, vamos tentando!!
      Beijus,

      Eliminar
  16. Até arrepiei com essa crônica.
    Linda, linda!!!!
    Final surpreendente.
    Realmente, o verdadeiro amor, precisa ter vontade de existir.... sem mais.

    Um beijo querida...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Roberta!
      Quero te pedir desculpas que o seu comentário foi para a caixinha de spam e só agora eu vi. Não entendo essas coisas do blogger... eu adorei essa crônica. Da fruta aproveitamos o caroço e da vida a sua essência. Se o sentimento não frutifica com as regas, melhor esquecer!! :)
      Beijus,

      Eliminar
  17. Belíssima crónica, terminando com um postulado que devia ser seguido à risca "O verdadeiro amor é assim: precisa ter vontade de existir."

    Fico grata por esta partilha, Luma

    Bjos :

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Odete!!
      Viveríamos no paraíso se todos cumprissem essa regrinha básica... rs.
      Beijus,

      Eliminar
  18. Oi Luma!
    Bela crônica de meu cantor de adolescência. Não conhecia.

    Quanto aos relacionamentos duradouros, percebo que a pessoa por vezes, se separa de si mesmo...foge. E não pensa na possibilidade de fugir com o par!
    O pior é quando o par está na faixa dos 50, onde é tão importante o apoio do outro, pois a saúde requer mais atenção, a grana diminui, os filhos se vão.
    Foi mesmo necessário esmagar o caroço de abacate?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Cristina!
      Acho que a falta de sincronia no amor está ligada ao que vivemos e como assimilamos as nossas mudanças diárias. Basicamente conhecemos alguém e nos apaixonamos sendo alguém que estava susceptível à isso, mas nós mudamos e os interesses também, assim como a nossa forma de encarar o amor e o que procuramos em uma pessoa para amar. Deixar de amar, não existe essa hipótese. O amor por esse alguém ficou para trás em um outro tempo.
      Passar a vida ao lado de alguém e chegar na maturidade sem contar que os momentos ruins chegarão, pode ser frustrante para os dois lados. Saber olhar o outro é uma forma de aceitar que essa pessoa está mudando, está envelhecendo...
      Beijus,

      Eliminar
  19. Que lindo, Luma! obrigada por compartilhar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada você por vir aqui prestigiar!!
      Beijus,

      Eliminar
  20. Oi, Luma!
    Tu te atrasas nas leituras, eu nas visitas. Muitas vezes leio teus posts e na hora de comentar tenho que sair, pois minha vida na internet é assim, mais fora do que dentro.
    Como sempre teu post é ótimo! O Guilherme Arantes também e não sabia que ele tinha o dom da escrita. Como tu.
    Bjim, cosquirídia.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Rosamaria!!
      A vida urge, como diria uma amiga! Não dá para ficar de trelelê o tempo todo, não é mesmo?
      Obrigada pelo elogio, mas o Guilherme Arantes compõe desde cedo e para isso é preciso saber escrever ou ter uma boa organização de ideias. Ele poderia escrever mais! Eu não reclamaria!!
      Beijus,

      Eliminar
  21. Luma, a vida é sempre cheia de surpresas! Não passei por uma separação muito traumática, ainda, mas já aprendi que quando a gente menos espera somos surpreendidos por algo bom. Que assim seja, então.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Luciano!!
      Acho que não podemos fugir do que tem que nos acontecer. Se tivermos que nos apaixonar ou se tivermos que sofrer por causa de uma paixão, temos que passar!! Isso é sinal de que não perdeu oportunidades, que viveu!!
      Beijus,

      Eliminar
  22. Olá Luma...

    Pois é..deve doer muito uma separação independetemente do motivo. O importante é ter forças para se refazer. Confesso: eu não consigo me ver nessa situação e nem quero rss.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Wilian!
      Acho que ninguém quer, mas acontece... rs.
      Beijus,

      Eliminar
  23. Que texto bonito! E é bem por aí mesmo: desentendimentos todo casal tem e é normal, mas não adianta forçar um relacionamento que não está bem.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Fernanda!
      Parece que o amor agora tem tempo de validade! Mas na verdade, quando amamos de menos, o amor tende a minguar!
      Beijus,

      Eliminar
  24. Amor???
    Tem hora q dá uma vontade de meter o pé na b... dele e mandar ele sumir...
    Mas daí, vem a triste constatação de que sem ele não somos nada!!!
    Ficamos igual a tal planta esturricada do Guilherme Arantes!!!
    Adorei o texto!!!

    bjos

    P.s: Vc recebeu meu e-mail? Mandei na segunda!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hahahahaha só tu!!
      Tem horas que precisamos estar sozinhos!
      Repensar e dar chance ao amor!!
      Beijus,

      Eliminar
  25. eu também leio as coisas com atraso, e muitas vezes nem leio... ainda mais agora, com tanta publicação e a internet, ler tudo é mesmo impossível... assim vamos ficando seletivos, lemos as coisas de um determinado autor, de uma publicação que gostamos, de alguém que recomenda, e de sites e blogs de pessoas as quais admiramos e respeitamos a opinião... eu gosto do Guilherme, mas jamais teria lido essa bela crônica não fosse por sua sensibilidade ao descobri-la, e sua generosidade ao compartilhá-la... e seus excelentes textos próprios, que é que me faz vir ao seu blog ler...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Carlos!
      Algumas pessoas leem "por cima" e isso não sei fazer com jornais. Algumas publicações não consigo ler pela internet e prefiro a leitura física, a ter que assinar on-line ou ter que carregar o tablet para todo lado. A crônica do Guilherme, comecei a ler por curiosidade, já que não o conheço como autor e foi me pegando por causa do texto anterior.
      Obrigada! Preciso escrever mais! :)
      Beijus,

      Eliminar
  26. Até arrepiei com o texto/crônica!!!!!

    Realmente, o amor precisa querer para poder existir...

    Belíssimo!!!!

    Beijos querida

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Roberta!
      Fico feliz que tenha se emocionado com a crônica!
      Ah, o amor... depende de existir... :)
      Beijus,

      Eliminar
  27. Adorei o texto!
    Uma grande, intensa resposta ao post anterior,a nós mesmos: " O amor precisa ter vontade de existir."
    Beijo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Ana Paula!!
      Calhou bem! :)
      Beijus,

      Eliminar
  28. Nossa, o que dizer? Simplesmente SENSACIONAL.
    Já me divorciei antes e esta sensação de liberdade é ótima... hahaha! Claro, antes, a gente sofre pacas, mas faz parte do amadurecimento, vamos dizer assim.
    O amor só se mantém com o esforço diário das 2 pessoas!
    E sabe que a tal árvore da felicidade tb precisa de um par pra crescer? Eu não sabia. Tenho uma tb, que estava na mesma situação da dele... até que me falaram que tinha a árvore da felicidade macho e a fêmea, e que precisava plantar as duas juntas. E não é que foi isso mesmo?? Hj a minha árvore da felicidade cresceu e está linda.Olha o amor aí nas plantas tb!!

    Qto à dieta, só a falta do meu pãozinho francês de manhã tá me matando... hahaha! Não vejo a hora de entrar no próximo ciclo, pois aí estará liberado.
    Obrigada pela força, viu!
    Bjns
    :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Cici!
      Para ser feliz precisamos olhar para frente e deve ser muito boa essa sensação de liberdade!
      Caraca!! Muito legal saber sobre isso da árvore da felicidade. Vai ver que foi por isso que a minha morreu... rs.
      Saber que a privação é temporária, ajuda! Vamos ver quando você abrir para nós sobre essa dieta!!
      Beijus,

      Eliminar
  29. A separação tem o seu lado negativo e o positivo. Esta crônica é um grande exemplo de alguém que conseguiu superar o divórcio para contemplar coisas simples da vida e vivê-la de modo especial, singular e único, apreciando a natureza e sua perfeição.

    Gostei do seu comentário em meu blog e adorei o seu. Já estou te seguindo e coloquei o seu blog na minha Lista de Blogs.

    Parabéns pelo belo trabalho!

    Beijos


    www.teoriasdoleaodamontanha.com.br

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Leão da Montanha!!
      Um exemplo para aqueles que querem recomeçar!
      Obrigada!
      Seja bem-vindo!!
      Esperando atualização no seu blogue!
      :)

      Eliminar
  30. Pois é assim mesmo, quando mudamos de situações adversas, as coisas mudam juntos, e quando descuidamos mesmo sem querer mudar, as coisas caminham sobre o trilho vital.
    E essas crônicas das vidas alheias fazem com que venhamos refletir e dar valor as coisas mais simples que a vida nos oferece.
    Ps. Obrigado por nos visitar lá no nosso espaço.
    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Lu!
      Depois que tudo passa, temos a impressão que devíamos mesmo passar por aquilo. De longe os problemas sempre parecem menores!
      Obrigada você!
      Beijus,

      Eliminar
  31. É. A crônica é boa mesmo!

    ResponderEliminar
  32. Uau!!! O verdadeiro amor precisa ter vontade e tenho a impressão que isso não se refere só ao amor que liga um homem a uma mulher, uma mulher a outra ou um homem a outro... Isso vale para tudo na vida... Vale até para trabalho, amigos, família, para amar tem que ter vontade, a despeito de qualquer coisa até mesmo das possibilidades.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Pandora!!
      É isso mesmo!! Antes de qualquer proposta de vida, temos que ter boa vontade. Começar algo sem interesse, não está com nada!!
      Beijus,

      Eliminar
  33. Que lindo! Ainda não conhecia.
    O amor acaba sim e cada um para seu lado é melhor.
    Olha quem está falando rsrs eu, casada com o mesmo marido,nos conhecemos desde os 13 anos ......lá se vão uns 200 anos.
    Mas vejo por aí que muita gente que separa e vive numa boa.
    É uma escolha.
    Ahhhh esse abacateiro me lembrou o terreno vazio do lado da minha casa, que plantei tanta coisa e anos depois veio alguém com uma máquina, tirou tudo (chorei) e construiu duas casas quase sem quintal.
    Vida difícil rsrrs
    Beijos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Jô!
      Num relacionamento tem sempre uma parte mais fraca e que sofre mais. Parece que com o tempo o amor vai se anestesiando com a rotina, mas basta uma reviravolta para entendermos o como ele é frágil!
      Muito triste o que aconteceu com o terreno ao lado da sua casa. Devia ter comprado também!! :)
      Beijus,

      Eliminar
  34. Caramba, que coisa mais linda esta crônica! À princípio não me pareceu dizer muito, mas o final foi tudo, deixou uma mensagem direta e real do que acontece com a gente, com as pessoas que têm amor próprio e vontade de continuar vivendo. É isso mesmo!
    A vontade de existir, de continuar tocando a vida, é como este abacateiro sobrevivente. adorei!
    Vou repassar para uma amiga que precisa muito ler uma coisa dessas.
    beijocas cariocas


    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Beth!
      Ela começa de mansinho e vai tomando conta... Como a própria vida, não percebemos o que realmente tem valor para nós até que ela nos faz uma surpresa!
      Obrigada pela indicaçao!
      Beijus,

      Eliminar
  35. O amor é assim: precisa ter vontade de existir" Uau, Luma, que coisa mais linda de crônica. Eu fui um abacateiro e sou, mesmo ele não estando mais aqui! Grande abraço!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Maria Luiza!
      Precisamos de ter fé, de ter vontade, de querer que exista! Quem não acredita no amor terá maior dificuldade de encontrá-lo. As pessoas que são susceptíveis, são justamente as que acreditam!
      Beijus,

      Eliminar
  36. Oi Luma! Começar de novo sempre provoca entusiasmo, recarrega as baterias e pode surpreender com outras performances. Beijo e ótima quarta-feira!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Renata!
      Sim, temos que também ter energia para recomeçar!
      :)
      Beijus,

      Eliminar
  37. Que lindo, Luma! Obrigada por postar pra gente!
    Recomeçar é bom e é ruim também. Dá medo, dá receio de começar de novo e errar de novo. E a gente sempre erra de novo, porque a vida é assim.
    Qdo me separei a melhor sensação que sentir foi a liberdade. Mas não sabia o que fazer com ela. Então continuei minha rotina, que já estava enraizada em mim. Me descobri metódica e careta.
    E os erros continuam e vão continuar, e os amores virão e irão... como num ciclo.

    Uma ótima semana, menina!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Clara Lúcia!
      Acho que perdemos um pouco o chão e depois chegamos novamente no lugar. A liberdade sempre será uma sensação transitória.
      Talvez os ciclos dependam da nossa predisposição, não é mesmo?
      Beijus,

      Eliminar
  38. Luma,que cronica mais linda!Muitas vezes damos amor a pessoas erradas...rss...bjs,

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Anne!!
      É verdade, como também muitas vezes não identificamos o amor que as pessoas sentem por nós!!
      :)
      Beijus,

      Eliminar
  39. Eu meio que não entendi. Ele diz que o amor basta-se por si mesmo, nasce sozinho, não precisa de cuidados? Enquanto que a tal arvorezinha da felicidade foi pras cucuias apesar de todo o cuidado? Mas isso contradiz o "precisa ter vontade de existir" ou pelo menos coloca essa vontade no amor em si, não em quem o sente/planta/cuida. Nesse caso concordo: com todos os cuidados, às vezes o amor morre. Sem que seja culpa de ninguém.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Edu!
      Se ele diz que o amor basta por si mesmo, é por conta do que aconteceu com o caroço de abacate (teve vontade de existir). A árvore da felicidade não sobreviveu, mas isso porque a natureza não ajudou... rs. Veja o comentário da Cici acima; ela diz que um pé macho precisa da companhia de um pé fêmea e vice-versa, para permanecerem fortes. Veja bem!!
      Para existir temos que ter vontade própria e muitas vezes somos cuidados por alguém que não amamos e isso não garante que o amor nascerá em nós.
      :)
      Beijus,

      Eliminar
  40. Ou nasce e cresce, alheio à nossa vontade.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É o contrário, Edu... rs.

      Eliminar
  41. Oi Luma!! Vim retribuir a sua visita :)
    Obrigada por deixar meu blog bem mais alegre!

    Beijinhos, voltarei viu!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigda você!! Volte sempre que desejar!! Seja bem-vinda!! Eu gostei bastante do seu blogue!! :) Beijus,

      Eliminar
  42. Gostei do texto, tem uma bela história...
    realmente, um amor genuíno sempre existirá. beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Assim queremos... rs.
      Beijus,

      Eliminar
  43. Essa crônica só reforça o que eu sempre afirmo: A felicidade não depende de ninguém, nem pode lhe ser dada por outra pessoa. Ela só pode ser produzida por seus próprios atos. Bj

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Verdade, Vitorio!
      Veja a resposta que deu ao Edu, muito parecida com o que pensa! :) Beijus,

      Eliminar
  44. É uma linda cronica, particularmente achei melancólica no inicio, pois fui levado pela emoção (bons textos nos proporcionam esta viagem), mas amei o significado e seu final feliz(de certa forma).
    Divórcio é uma história triste onde a princesa e o principe se tornam inimigos e a bruxa má e seu dragão se tornam os heróis.
    A bíblia diz que devido a dureza de nossos corações seguimos caminhos separados, e mostra que a vida continua numa nova jornada que nos faz admirar novos amores.
    Particularmente torço para que esta história termine com o perdão e um recomeço. Que DEUS possa agir nesta família restaurando este vaso.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Sérgio!!
      Uma separação não é boa, nem mesmo para quem quis separar! Dizem até que só conhecemos com quem fomos casados, depois da separação. Todos os venenos veem à tona!
      Também estou na torcida! O que Deus une, o homem não separa!
      Beijus,

      Eliminar
  45. Oi Luma!
    Ah quanto tempo não nos falávamos...
    Sobre a questão do amor e seus meandros realmente daria um bom livro de tantas questões que envolvem...
    Conseguir manter o amor como quesito imprescindível num relacionamento não é tarefa fácil, precisa-se dedicar tempo, paciência, doses cavalares de resignação e muita, mas muita vontade de dar certo.
    Espero que estejas bem e feliz!
    Mila

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Verdade, Mila!! O assunto "amor" é um saco sem fundo!! Acho que você sabe das medidas para se manter um bom relacionamento. Relacionar-se é renunciar e ao mesmo tempo dividir - A generosidade não é para todos!
      Eu estou feliz! Obrigada por se preocupar e espero que também o esteja!
      Beijus,

      Eliminar
  46. Luma,
    Como sempre você escreve muito bem amiga.
    òtima quarta!
    Big Beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Lulu!!
      Big Beijus,

      Eliminar
  47. O amor precisa mesmo ter vontade de existir, o final resume tudo, muito bom!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vero, Luciana!
      Gosto muito quando aparece por aqui!
      Beijus,

      Eliminar
  48. Oi, Luminha,

    Este negócio de relacionamentos é complicado demais, é DI FÍ CIL, rsrs. Em certa ocasião vi um documentário sobre um dos novos gênios do cinema (uma diquinha só: fez filmes sobre
    viagens estrelares envolvendo guerras, rsrs) e os amigos dele disseram que haviam ficado
    pasmo, quando se deu a separação do casal, pois o gênio amava a mulher e coisa tal, e ela
    foi quem pediu a separação. Um dos amigos (super, mega famoso) disse: eu fiquei perplexo, pois achava o casal mais que perfeito, realmente a gente não conhece muito bem ninguém, rsrs.
    O cara voltou a se casar recentemente, depois de um longo período de solterice, rsrs. Conto tudo isso só para enfatizar que essas coisas fazem parte da vida, fazer o que? rsrs.
    Gostei da crônica do GA e sou fã das músicas dele, tenho os discos, rsrs.

    Um beijo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Marli!
      Não consegui identificar o ator... :( Mas como diz a sabedoria antiga "ninguém sabe o que acontece dentro de quatro paredes".
      Assisti um vídeo antigo da participação do Guilherme Arantes no programa do Flávio Cavalcanti. Ele toca piano super bem e compõe lindamente! Mas o show que assisti em minha terra natal, não gostei.
      Beijus,

      Eliminar

  49. Olá Luma,

    Você tem um excelente espaço. Parabéns!
    Adorei a bela crônica do Guilherme Arantes, que traz lições preciosas.

    Beijo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Vera!!
      Seja bem-vinda!!
      Beijus,

      Eliminar
  50. Um texto maravilhoso.
    Eu conheci um casal que parecia ser o expoente máximo de felicidade. Era sempre referenciado pelos vizinhos como um casal modelo.
    E um dia o casal separou-se. Todos ficamos espantados. Hoje a senhora vive em Cascais, com outro senhor, e o ex vive na Caparica casado com outra senhora.
    A verdade é que esta história do amor é uma coisa complicada, e cada qual apenas sabe de si, e dos seus sentimentos.
    Um abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Elvira!!
      É triste pensar que nascemos sozinhos e que morreremos sozinhos. Por isso queremos a nossa vida agregada à pessoas, para ter melhor conforto de vida, que nos trazem alegrias e que essas sejam maiores que as tristezas. Se assim não for, melhor a separação. Não dá para viver com quem lhe quer fazer tristezas. Talvez a balança desse casal tendia para o lado da tristeza sempre!
      :)
      Beijus,

      Eliminar
  51. Gostei muito dessa crónica! Nos últimos tempos também tive notícias dessas de casais que após mais de 25 anos de casados se separaram. Pelo menos de princípio, deve ser muito difícil começar de novo, quando todos os projetos estão centrados nessa vida a dois. E com outra idade, outra maneira de ver a vida, não se pode passar a esponja sobre os últimos anos e voltar atrás, quando se era mais jovem e não se tinham responsabilidades praticamente nenhumas. Nem filhos para acabar de criar...

    Enfim, espero que o teu amigo ultrapasse a situação o melhor possível!

    Beijocas!

    ps - lembro-me sempre da canção de Ivan Lins, na série Malu Mulher, que tratava o tema...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Teté!
      Acho muito tempo junto para se separar. Um amigo do meu pai começou a sair com meninas novas e logo a esposa descobriu. O tempo de casamento era esse que contou, mas a esposa ficou muito magoada e odiou o marido. Separaram. Atualmente ele está só, amargurado, não sai com mais ninguém... envelheceu. A ex-esposa entrou para a faculdade, para um grupo de teatro, está ligeira e bela... Se perguntar se ela quer um homem sob o mesmo tecto? Não quer! Sua qualidade de vida mudou para melhor e está feliz com a família que não larga-lhe do pé. Ela ama todos e ele odeia todos! Que triste sina desse homem que se dizia tão poderoso.
      Acho que cada um de nós carrega uma história nossa e várias de nossos amigos. De tudo tiramos muita experiência!
      Beijus,

      Eliminar
  52. Oi Luma!Primeiro: as fotos do Guilherme Arantes,o tempo é implacável.Segundo: a crônica é linda e inspiradora,eu adoro morar só justamente porque a liberdade é tudo!Adoro aquele ditado "antes só que mal acompanhado",mas bem que gostaria de encontrar alguém pra compartilhar a vida,mesmo que o "pra sempre" só exista nas estórias de contos de fadas.Um beijo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hahahaha corajosa!! Não sei como ninguém ainda tinha tocado nesse ponto. Tu es sincera!!
      Eu compreendo o seu ponto de vista entre a liberdade total e uma vida compartilhada. Talvez um casamento de casas separadas?
      :)
      Beijus,

      Eliminar
  53. Sempre devemos começar de novo....
    Beijo Lisette

    ResponderEliminar
  54. Oi Luma!!!
    Deu até pra lembrar tudo parabéns pelo post beijos Luci

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Luci!!
      Acho que muitos aqui fizeram o mesmo caminho!
      :)
      Beijus,

      Eliminar
  55. Oi Luma,

    "O verdadeiro amor é assim: precisa ter vontade de existir". Uma crônica simples e linda. E por que não dizer tocante? Um bela lembrança. Obrigada por compartilhar. Ganhei a noite! rs!

    beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que bom que gostou, Edilma!!
      Que o amor exista sempre em sua vida!!
      :)
      Beijus,

      Eliminar
  56. Eu nem preciso, minha árvore da felicidade deu frutos e faz boa sombra, mas estou com um abacate ali me olhando. Vou plantar o caroço e torcer pra vingar nessa terra de clima extremo.

    :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Faz isso, Allan!
      Vamos ver se o clima da Itália é bom para abacates!
      :)
      Beijus,

      Eliminar
  57. Que lindo Luma.
    Uma lição de vida fantastica.
    Belissima partilha com generosidade.
    Gostei muito.
    Meu abraço amiga.
    Bjo

    ResponderEliminar
  58. Uau Luma, que linda crônica! Hoje em dia, é muito fácil para as pessoas dizerem que se ama, o difícil, é assumir as consequências de se viver um amor verdadeiro, enfrentando todos os problemas juntos, com fé e esperança!
    bjssss

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Dayse!
      Acabou-se a inocência!! Acho bom que assim tenha acontecido, pois embarcamos em um relacionamento sem os artifícios da fantasia, no entanto, as pessoas estão medrosas; elas têm medo da entrega, da decepção, do pé na bunda... daí não vivem o amor!
      Eu prefiro viver do que ficar pensando na morte!
      :)
      Beijus,

      Eliminar
  59. Basicamente era uma frase que eu precisava ler hoje, diante de várias coisas que tenho pensado sobre relacionamento: "o verdadeiro amor é assim. Precisa ter vontade de existir." Bom demais :)... bjo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Tony!
      Quando temos vontade, temos mais persistência, temos um olhar mais positivo... ao contrário do amor, existe o desamor e, lembro de um conselho que a minha mãe dava para uma amiga que vivia brigando com o marido: "Antes de iniciar uma briga, pense primeiro onde quer chegar. Se quer continuar com esse amor, não brigue por qualquer coisa. Se quer acabar tudo de uma vez, brigue por qualquer coisa".
      :)
      Beijus,

      Eliminar

Tenha identidade, não seja anônimo na web. Crie sua identidade virtual.

...bisbilhotaram em quietude, sem solidão

PlagSpotter - duplicate content checker tool
Licença Creative Commonsget click

Algumas coisas não têm preço


finalista the weblog awards 2005finalista the weblog awards 2006
finalista the weblog awards 2007weblogawards 2008
Verificar conteúdo duplicado

Me leve com você...

Leia o luz no seu celular

Copyright  © 2014 Luz de Luma, yes party! Todos os direitos reservados. Imagens de modelo por Luma Rosa. Publicações licenciadas por Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial- Vedada a criação de obras derivadas 2.5 Brasil License . Cópia somente com autorização.

Tem sempre alguém que não cita a fonte... fingindo ter aquilo que não é seu.

Leia mais para produzir mais!

Atenção com o que levar daqui. Preserve os direitos autorais do editor