Quando eu nasci...

lumapetit

Quando eu nasci,
ficou tudo como estava,
Nem homens cortaram veias,
nem o Sol escureceu,
nem houve Estrelas a mais…
Somente,
esquecida das dores,
a minha Mãe sorriu e agradeceu.

Quando eu nasci,
não houve nada de novo
senão eu.

As nuvens não se espantaram,
não enlouqueceu ninguém…

P’ra que o dia fosse enorme,
bastava
toda a ternura que olhava
nos olhos de minha Mãe…

Sebastião da Gama, em Serra-Mãe
Meus pais fariam uma apresentação em Vitória e no meio do caminho nasci. Prematura sim, mas só essa vez na vida! Acho.
Soixante petites secondes dans un flash de la vie

blogagem ColetivaTodo dia 15, de cada mês, uma nova fase da vida será tema desta blogagem coletiva proposta pela Gina, do "Naco Zinha"; Rute, do "Publicar para partilhar" e Rosélia, do "Espiritual-idade". Visite nossas anfitriãs e suas respectivas postagens sobre o "Nascimento":
Embarque nessa com a gente!!

58 comentários :

  1. Este poema tão conhecido e verdadeiro. As «dicas» sempre tão interessantes e misturadas com uma nota pessoal...
    Gosto muito do teu blogue.
    bjs

    ResponderEliminar
  2. Gostei muito do pema e de tua estréia afobadinha no mundo,rsrs Lindo,Luma! beijos,chica

    ResponderEliminar
  3. Que belo poema!!
    Beijos, minha linda!!

    ResponderEliminar
  4. Amei Luminha!
    Tocante!
    E as fotos, são suas?
    Meu irmão também foi prematuro, mas não temos fotos do hospital(também, naqueles tempos, né hahahahha)
    Beijos!

    ResponderEliminar
  5. Olá, Luma querida
    Meu desejo de hoje é que uma chuva de bênçãos seja derramada sobre VC e outra chuva de pétalas de rosas orvalhadas...

    Que bom vc chegou... nasceu!!!
    meu netinho também foi prematuro e hoje é a coisinha mais fofa... mas foi um sufoco e também no ES...
    Temos pontos em comum, hein???
    O poema retrata a sua união com a sua mamãe... lindamente!!!
    Bastou um olhar dela sobre vc e tudo ficou supérfluo... maravilhoso!!!
    Assim deveriam ser todos os nascimentos...
    Hoje em dia são cerceados de tantos apetrechos e pouco amor...

    Carinhos fraternos em forma de orvalho sôbre pétalas de rosas...

    Uma santa e abençoada Quaresma para VC.
    Bjs natalícios

    ResponderEliminar
  6. Luma,
    Quiséramos que todas as mães tivessem esse olhar amoroso para o seu filho. Ainda bem que as nossas tiveram.
    Respondendo a sua pergunta, o filho nasceu 5 dias depois do meu aniversário, mas foi meu presente daquele ano!
    Bjs.

    ResponderEliminar
  7. Luma,

    Que poema lindo! E precisa algo maior do que o olhar amoroso de nossa mãe? Todo nascimento nos traz a emoção da vida. Quer dizer que você se apressou um pouquinho, e resolveu vir antes do combinado, é? kkk

    Um grande beijo
    Socorro Melo

    ResponderEliminar
  8. Bonito o poema, Luma, que eu até então desconhecia.
    Beijo.

    PS: só não tenha pressa para sair.

    ResponderEliminar
  9. Também desconhecia esse poema. Tao doce, bem inerente ao dia de nascimento de um filho, creio eu (nao sou mae, mas imagino que seja assim).


    Beijinhos

    ResponderEliminar
  10. Feliz aniversário!

    beijos!

    ResponderEliminar
  11. Uau, que poema bonito!
    E você estava doida pra chegar nesse mundo heim!
    Fiquei curiosa agora, teus pais eram artistas?
    bjs cariocas

    ResponderEliminar
  12. Belíssima participação, Luma. Parabéns!! Uma ótima semana, beijos, boa noite :)

    ResponderEliminar
  13. Oi Luma!!
    Que lindo isso !!! Me fez lembrar quando conheci o amor verdadeiro... eu cheguei em casa do hospital com minha mãe e minha primeira filha, aí eu sentada com ela nos braços dando de mamar que eu adorava dar para os 3 filhotes que tive, olhando ela mamando, narizinho suando de tanto esforço, abriu um pouco os olhinhos...aiiii amei tanto aquela ser tão pequeno... e perguntei pra minha mãe... Mãe é assim que você me ama? Ela disse:Sim... Eu : Nossa mãe você me ama muito...

    beijuu e boa noite...
    ps gostei muito dessa blogagem coletiva super cultural...rss

    ResponderEliminar
  14. Luma! Um olhar de mãe amorosa diz tudo e pelo jeito te recebeu muito bem neste plano.
    Beijos.

    ResponderEliminar
  15. Eu já nasci dando trabalho. Mó cabeção, me tiraram à fórceps! Tive uma infância tranqüila, como é tranqüilo e enganoso todo céu antes de uma tempestade. E foi o que veio. Tenho pena da minha mãe e do meu pai pelo filho que tiveram. Eu dei e dou muito trabalho!

    Beijos,

    ResponderEliminar
  16. Novo blog, novo post...confira! Bjs e fik c Deus.

    ResponderEliminar
  17. Faço parte da blogagem e estou aqui para prestigiar e conhecer a sua. UAAAAAUU! Que poema belíssimo, Luma! Vc fez uma preciosa escolha e seu nascimento no meio do caminho tbém foi "sui generis" Adorei sua postagem. Bjbjbjbj!

    ResponderEliminar
  18. Oi Luma,

    Fiquei com a mesma curiosidade da Beth, ahahah - incrível como a gente desvia do tema central né?

    Prematura? Já eu demorei mais 4 dias além do "prazo". Minha mãe já estava decidida a ir para roça plantar feijão quando eu dei os sinais que seria aquela hora, sem parteira nem nada. Rsrsrsr.
    Um beijo

    ResponderEliminar
  19. Oi Luma! Que blog mais lindo o seu! É claro que já estou seguindo e virei sempre conferir as novidades.
    A receita do brigadeiro de colher rende mais ou menos uns 10 copinhos quando eu faço aqui em casa, mas depende do leite condensado (alguns são mais espessos) e do tamanho do copinho.
    bjk

    ResponderEliminar
  20. Oi, bom dia! Puxa, retratar assim o nascimento, é uma maravilha! Bela poesia, retrato de uma união linda entre mãe e filho....

    ResponderEliminar
  21. Ai, nao teve jeito! me apaixonei pelo que escreveu, pelo tema, pela oportunidade tardia de participar! Enato... escrevi tb.! NAO PUDE RESISTIR. Entao... so' saiu hoje (aqui NA TAILANDIA ja' e' dia 16), agorinha, agorinha. Espero que "tudo bem"... kkkk!
    Espero que gostem:

    http://umaesposaexpatriada.blogspot.com/2011/03/fases-da-vida-nascimento-blogagem.html

    Bjs, Renata C., UMA ESPOSA EXPATRIADA

    ResponderEliminar
  22. Luma
    que emocionante é este poema.
    também sou prematura, será que mineirinho é tudo apressadinho, rsrs.
    bom dia minha flor.

    ResponderEliminar
  23. Um belo poema, Luma. E eu, que sempre fui devagar, nasci depois da hora...

    Um beijão.

    ResponderEliminar
  24. Luma, tinha acabado de receber o link da Renata, quando vi sua mensagem. Obrigada, já coloquei lá!
    Bjs.

    ResponderEliminar
  25. mas vc falou tão pouco do momento que foi só seu!!! o fato de ter se antecipado deve ter gerado várias outras histórias paralelas né? rs...
    boa escolha do poema. muito bom.
    mas bom é estar de volta, Luma. e agora parece que é de vez!
    beijo querida

    ResponderEliminar
  26. Que bonito, Luminha...
    Você foi prematura e eu demorei a nascer. Já estava quase estrebuchando quando me tiraram de dentro de minha mãe.
    As fotos do neném são uma belezura... Também gosto de pegar em mãozinhas e pezinhos de bebês.
    Carpe diem. Aproveite o dia e a vida.

    ResponderEliminar
  27. É a mais pura verdade. Ao nos tornarmos mães, somos únicas.
    Nada nem ninguém importa, é o momento masi sublime de nossas vidas.
    E ao olhar aquele ser tão pequenino, nos espanta pensar no poder imenso que teve. O de nos tornar mulheres. Completas.
    Lindo.
    Beijos querida.

    ResponderEliminar
  28. Adorei o poema, eu, mãe de uma 'apressadinha', rs.
    Luma, ando sem comentar, leio o blog no trabalho, mas não dá para ficar comentando, entende? Que bom que vc gosta de selinhos! Vou continuar te indicando então! Mesmo q vc não repasse, não faz mal! Bjs

    ResponderEliminar
  29. Pois não é que por muitas e muitas vezes me pergunto se já nasci? E quando resposta não vem complico mais a questão e pergunto se já parei de nascer.
    Cadinho RoCo

    ResponderEliminar
  30. Que lindo!!! Não conhecia. Bjs

    ResponderEliminar
  31. Adorei este poema, simplesmente lindo.
    Beijinhos lusos

    ResponderEliminar
  32. Olá Luma,

    Que forma linda e delicada para descrever um momento que na vida de sua mãe, tenho certeza que foi único.
    Ficou tudo Maravilhoso....
    Estou muito emocionada com o rumo que tomou a blogagem coletiva, encontrei histórias de vida que me tocaram profundamente.
    Um grande beijo em seu coração!!!

    ResponderEliminar
  33. olaááá', obrigada pela visita!!

    ResponderEliminar
  34. Você foi adiantadinha, as minhas meninas, atrasadinhas, rsrsrsrs... mas a emoção de ver o rostinho pela primeira vez... ah, essa sempre é a mesma!

    Saudades das blogagens coletivas. Fiquei muito tempo praticamente sem escrever, mas estou voltando aos poucos. Logo, devo reformular um pouco o EEEPA, inclusive no visual, com desenhos meus (mesmo porque tenho que combinar com o meu blogfolio e o do Ed, não é?). Enquanto isso, vou escrevendo aos poucos, pra desenferrujar o cérebro, aí quem sabe também volto às blogagens coletivas!!!!

    Beijocas!!!

    ResponderEliminar
  35. Lindo poema. E se voce veio logo, provavelmente é por que estava avida pela vida!!! Beijos qurida.
    Adorei a idéia da postagem!

    ResponderEliminar
  36. Querida Luma,

    O nascimento é sempre especial... oportunidade de crescimento, evolução, aprendizado.

    Bela poesia!

    Bjokas
    Gisele

    ResponderEliminar
  37. Adorei, Luminha.
    Adorei também a entrevista de Adélia, obrigada mesmo.//

    Beijos mil pra você.

    ResponderEliminar
  38. Olá, Luma,

    Gostei da sua abordagem do assunto, pessoal e alto-astral, rsrs. Gostei do poema e fiquei curiosa quanto ao autor.

    Um beijo e bom dia!

    ResponderEliminar
  39. Oi...então...olhando por esse ponto de vista você tem razão no seu poema, mas ao mesmo tempo o nascimento muda a vida de quem nos colocou no mundo e ainda dos que sequer nos esperavam, com certeza a tal apresentação dos seus pais foi cancelada, o que de certa forma influnciou a vida de cada pessoa que ali estava esperando...enfim...
    Parabéns pela postagem...essa blogagem coletiva realmente stá melhor do que esperava e não nasceu prematura...rs
    Um abraço na alma
    Beijo

    ResponderEliminar
  40. Eu nasci nove meses e alguns dias depois que meus casaram. Eles casaram dia 29 de janeiro de 1958 e eu nasci dia 6 de novembro de 58
    Mas mamae quase morreu porque teve eclamps e eu nasci muito pequenina.
    com carinho
    sua amiga Monica

    ResponderEliminar
  41. Oi queridona, obrigada pelo carinho lá no meu mundinho abóbora ... você me indicou Julia & Julie, eu já assisti e gostei muito, tanto que até comprei o filme para rever as vezes ... tenho esta mania sabe ?? ... Sucesso a você sempre.
    Beijokas abóboras

    ResponderEliminar
  42. Oi Luma,

    Adorei as fotos: que coisa mais fôfa!

    Pois é, o milagre do nascimento é o maior mistério ao cimo da terra: Louva a Deus!

    Beijoss

    ResponderEliminar
  43. Bonito poema e traz a delicadeza do acolhimento do ser ao mundo transmitido pelo sentir materno.
    bjs

    ResponderEliminar
  44. Fugiu de Vitória é? hehehe
    Lindo esse poema, me tocou muito pq hoje para mim é um dia especial :)
    Beijos!

    ResponderEliminar
  45. Oi Luma,
    a minha caminhada já vai longa pelos blogs, mas a satisfação continua imensa a cada postagem visitada.

    Tal e qual como no poema, quando a BCFV nasceu... ficou tudo como estáva e nada demonstrava que o sucesso seria tanto, que o sentimento partilhado seria tão grande e pleno, não houve nada de novo:

    nem estrelas cadentes, nem eclipse, nem queda de meteoritos, nada!

    Mas assim que o dia 15 começou a amanhecer, houve uma revolução divina, as energias do bem entraram em sintonia, a harmonia reinou, os temas diversificaram-se, as pessoas acarinharam-se porque era dia de nascimento e eu no meio das dores de tantas horas no computador, de dedos dormentes de teclar, sorri como uma mãe que esquece da dor e que só vê amor.
    Obrigada por ter-me conduzido a esta divagação.
    Beijo além-mar,
    Rute

    ResponderEliminar
  46. Você tem mesmo certeza que foi prematura apenas uma vez? rs
    Eu pouco sei sobre meu nascimento. Sei que era pra ser no dia 28, mas choveu forte e atrasou tudo, pronto, a meia noite e um do dia 29 lá estava eu... kkkkkkkkkkkk
    Não dá pra dizer que atrasada, mas eu não posso dizer que me atrasei apenas uma vez...
    bacio

    Ps. Recebeu meu e-mail?

    ResponderEliminar
  47. Lindissimo poema. Tão simples e tão arrebatador.
    Beijinhos grandes.

    ResponderEliminar
  48. Belo poema abrilhantando a coletiva sobre nascimento que vim interagir.Sigo-a.Bjs no coração.

    ResponderEliminar
  49. Oi, Luma:

    Vim agradecer sua visita ao meu blog!

    Mas queria saber mais um pouquinho sobre seu nascimento...
    Seus pais são-eram artistas !

    Beijo

    ResponderEliminar
  50. Belo poema!parabéns.bjs

    ResponderEliminar
  51. Luma...adorei seu poema.Cada cantinho que a gente passa , mais vontade de explorar tanta coisa bonita como o seu blog..Só apanhei um pouco para comentar...beijinhos

    ResponderEliminar
  52. Luma, que doce teu post! Quanta ternura nessa foto e na poesia! Adorei.
    Bjos
    Léia

    ResponderEliminar
  53. Minha querida Luma, que maravilha de post, valeu a pena, toda a (minha) espera para poder vir aqui.
    Só hoje pude vir.
    Aprender com você, vc sempre ensinando, sobre São Patrício, ah! estou verde de felicidade.:=)
    Um grande beijo, minha querida!
    Meg

    ResponderEliminar
  54. Oiee!!
    Lindo poema.....a ternura de sua mãe e o seu nascimento fizeram toda a diferença com ctz!
    Linda semana pra ti!
    Bjs♥

    ResponderEliminar
  55. Luma, que belo poema para simbolizar o momento mais belo da vida, que é o nascimento! Um beijo :-)

    ResponderEliminar
  56. Oi Luma querida!
    Adorei o poema! Cada nascimento promove mudanças na vida dos que estão envolvidos e, talvez, para o mundo, tudo segue normal. Porém, uma vida é sempre a promessa da possibilidade de um futuro diferente... As fotos são lindas. São suas?
    Grande beijo,
    Jackie

    ResponderEliminar

Tenha identidade, não seja anônimo na web. Crie sua identidade virtual.

...bisbilhotaram em quietude, sem solidão

PlagSpotter - duplicate content checker tool
Licença Creative Commonsget click

Algumas coisas não têm preço


finalista the weblog awards 2005finalista the weblog awards 2006
finalista the weblog awards 2007weblogawards 2008
Verificar conteúdo duplicado

Me leve com você...

Leia o luz no seu celular

Copyright  © 2014 Luz de Luma, yes party! Todos os direitos reservados. Imagens de modelo por Luma Rosa. Publicações licenciadas por Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial- Vedada a criação de obras derivadas 2.5 Brasil License . Cópia somente com autorização.

Tem sempre alguém que não cita a fonte... fingindo ter aquilo que não é seu.

Leia mais para produzir mais!

Atenção com o que levar daqui. Preserve os direitos autorais do editor