Dance comigo

Luz de Luma, Yes party!
Em um artigo da revista francesa "Arts" foi publicada uma comparação de filmes de direita, bem-feitos, com os de esquerda, bem-intencionados. O Crítico de cinema François Truffant dizia que era preciso esperar que Alain Resnais se tornasse diretor de longas "para finalmente assistirmos filmes de esquerda bons e belos".

A promessa se cumpriu e quando Resnais, também crítico e respeitado diretor de curtas documentais, lançou o seu primeiro longa de ficção, inaugurando-se o movimento conhecido como "Nouvelle Vague" [Nova Onda].

A onda estava feita e atores desconhecidos passaram a interpretar histórias atuais. Havia predominância de tomadas externas mesmo com orçamentos reduzidos, porém com a "assinatura" de diretores, que antes críticos de cinema, passavam da teoria para a ação. Era 1958 e em três anos, uma infinidade de filmes franceses e cerca de 170 cineastas tinham estrelado no país.

nouvelle vague

Que Reste-t-il de la Nouvelle Vague?

Com um título que remete a época de ouro do cinema francês, a banda Nouvelle Vague esteve no Brasil em Setembro de 2008, com apresentação em três capitais. No Rio, com várias tribos presentes e eu estava lá. Muita demora para começar e valeu a pena? Valeu muito a pena. A banda super carismática apresentou pequenas coreografias ensaiadas e todo mundo dançou e cantou. Sim, as músicas são todas covers conhecidas nossas, dos anos 80, clássicos de new wave a punk, acrescentadas de pitadas de deboche e blasè francês. Um verdadeiro upgrade

Dizem que antigamente os pares dançavam de rosto colado, para a proximidade ajudar na escolha de quem conviver. A maneira como o homem pegava sua dama, a segurança em conduzí-la e a leveza na correção dos passos, se caso houvessem erros, contavam pontos na conquista. Para os tímidos, a dança era fundamental impulso para entabular conversação e para os atiradinhos, se eventualmente acontecesse um certo entumescimento de determinado orgão da anatomia masculina, seria o fim. Em via de regra, deixado no meio do salão (parte do texto do Marco [Antigas Ternuras] adaptado por mim). Leiam na íntegra!

Eu gosto da cartilha nouvelle Vague de dar novo significado maroto, intimista, desordeiro para as canções - do ensaio, de dançar no quarto, na tenda, na pista e da apresentação de passinhos, mesmo à três.


Quer ouvir mais? Clique aqui.

7 comentários :

  1. adorei, adorei essa dança menage à trois. Vou linkar. Bjs.

    Anita

    ResponderEliminar
  2. Me lembro agora do Cineac Trianon, no Rio. Tudo que é bom acaba. A sessão começava quando o espectador chegava e terminava quando ele ia embora. A programação era, essencialmente, dança, clássica e popular, ballet clássico ou jazz. O Lago dos Cisnes ou um simples sapateado. Não havia hipótese de eu ir ao Rio e não ficar algumas horas no Cineac Trianon.

    Ano? Talvez 1957. Seria isso "antigamente"? Talvez não porque, quanto a dançar de rosto colado e de existir um certo entumescimento, nunca recebi nenhuma reclamação.

    ResponderEliminar
  3. Querida Luma,

    Dançar de rosto colado faz bem à saúde do coração - rsrsr - obrigada pela dica do conjunto musical. Bom domingo.

    Beijos, Madá
    P.S.: obrigada pelo sua visita ao meu bloguinho e comentário. Ah, não gosto muito de podar as plantinhas - apenas o necessário.

    ResponderEliminar
  4. Eu me senti uma et lendo esse post... To completamente por fora... Defasada...

    Sobre o meu texto, é 100% real... E sim, eu tb acho que a solidão é uma necessidade básica.

    beijso querida

    jana
    (Entretantas-eu)

    ResponderEliminar
  5. Luma,

    temos um amigo do blog 100cabeças que esta a ponto de perder todas as 100 por ter sofrido a agressão de que vpocê também já foi vítima! Se puder dizer a ele como deve proceder seria muito util. Seu blog foi incluido como IMORAL.
    Antecipadamente te agradeço.
    Se a MODA pega estamos TODOS fritos!

    ResponderEliminar
  6. Luma, enviei-te um e-mail mas, por qualquer razão, veio devolvido. Deixo-te aqui o meu e-mail. Quando puderes diz-me o que fazer para retirar o "cão" que guarda a entrada do meu Blogue. Obrigado.
    ruisilvares@hotmail.com

    Quanto a este post é curioso, ainda agora estive numa loja da FNAC e tive dois CD's dos Nouvelle Vague na mão. A sequência de temas que está aí em cima poderia ser tirada da prateleira onde guardo a minha música. Dead Kennedys, Echo, Joy Division... danço bastante com my self ao som desses grupos quando estou por aqui a pintar.
    :-)
    Esta situação incómoda tem dado para conhecer alguns Blogues interessantes de pessoas que, como tu, apareceram no 100 Cabeças a manifestar solidariedade comigo.
    Diz o povo que "há males que vêm por bem", nesta ocasião sou levado a concordar!

    ResponderEliminar
  7. Deve ser bem melhor que assistir o chatíssimo João Gilberto e seu banquinho

    ResponderEliminar

Tenha identidade, não seja anônimo na web. Crie sua identidade virtual.

...bisbilhotaram em quietude, sem solidão

PlagSpotter - duplicate content checker tool
Licença Creative Commonsget click

Algumas coisas não têm preço


finalista the weblog awards 2005finalista the weblog awards 2006
finalista the weblog awards 2007weblogawards 2008
Verificar conteúdo duplicado

Me leve com você...

Leia o luz no seu celular

Copyright  © 2014 Luz de Luma, yes party! Todos os direitos reservados. Imagens de modelo por Luma Rosa. Publicações licenciadas por Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial- Vedada a criação de obras derivadas 2.5 Brasil License . Cópia somente com autorização.

Tem sempre alguém que não cita a fonte... fingindo ter aquilo que não é seu.

Leia mais para produzir mais!

Atenção com o que levar daqui. Preserve os direitos autorais do editor