dando idéias



Uma boa idéia para animar as festas. A idéia foi inspirada no artista plástico Fafi que rotineiramente trabalha a arte da graffiti e retrata meninas sexys e liberais. E porque não fazer seus convidados participarem do desenho? Enquanto bebem os seus drinks criam uma atmosfera de descontração. Fafi usou a idéia pela primeira vez no "FILE DANS TA CHAMBRE" at Colette, que aconteceu em 03 de Julho de 2006 em Paris.

Este fim de semana abusei da idéia! Mas estou presa à ela desde o começo da outra semana. Não foi fácil confeccionar boquinhas e mais boquinhas. Mas a festa esteve boa! Não teve quem não se divertiu! E as boquinhas, tiveram histórias à parte!

Bocas e sorrisos distraem. Nem sempre! Numa das conversas que tive com Larika, ela disse que sentia medo. Pensei nas crianças que sofrem com o mundo adulto. Alguém já viu a campanha da Colgate?



Alguns adultos pensam que irão agradar as crianças e estão agradando a si próprios. Olha a besteira! Eu particularmente não gostei da idéia. É mais fácil as crianças arregalarem os olhos do que abrirem a boca. O dentista usa para distrair a criança enquanto fazem o serviço.

Deve ter algum odontopediatra por aí para falar melhor do assunto do que eu! :)

A idéia da propaganda das escovas Colgate Smiles Kids é fazer através de uma ação promocional com que os dentistas e os pacientes, incluindo as mães, se sintam familiares com a escova de dentes e que as crianças ao utilizarem a escova Colgate Smiles, o medo do dentista vai embora. Pluft!! Nesta promoção, as máscaras cirúrgicas de dentista foram enviadas para os consultórios. A messagem é clara: "Não é preciso ter medo do dentista com as escovas de dentes Colgate Smile Kids" - A campanha foi criada por Jung Von Matt - Hamburgo/Alemanha.

Onde acham que está o fundamento do medo da criança?




- Dinda, tô como medo do escuro.
- Não precisa ter medo do escuro, quando fecha os olhos não fica escuro? O medo só existe se a gente quiser.
- Não tenho certeza se é só do escuro. Não sei explicar.
- Você escutou alguma conversa, história ou viu na tv alguma coisa que te assustou?
- Não lembro, mas a minha mãe falou que todas as vezes que eu sentir medo, é para rezar para o meu anjo da guarda. Ele vem e me protege.
- Uai, então quer que eu reze com você?
- Eu não sei rezar no escuro.
- Que diferença faz?
- O escuro me dá branco!

Fiquei com uma leve sensação que ela queria me enrolar.

Acredito que esse medo da Larika, se for alimentado vai crescer. Porém andei pesquisando as causas. Mas qual criança que nunca sentiu medo? Carregar o medo para a vida adulta é que não dá.

Tive uma conversa com a minha amiga psicóloga. E dessa conversa, selecionei algumas partes que podem ajudar outras pessoas. Ah, eu avisei que iria virar post!

E quando o medo vira doença?

Quem nunca sentiu temor ao se ver no topo de um prédio de mais de cinqüenta metros de altura? Ou mesmo ao se ver obrigado a discursar diante de uma platéia numerosa?
Quando o medo se torna exagerado, gera ansiedade e altera o comportamento, deixando o individuo incapaz de reagir, ele se torna uma doença – uma fobia.

A fobia é basicamente um transtorno da ansiedade. Sempre presente, esta ansiedade se manifesta de forma mais intensa quando a pessoa é exposta ao objeto fóbico. Ou seja, às situações, pelas para as quais projetou todos esses medos.

Situações traumáticas também geram fobias. Um exemplo disso são pessoas, que participaram de alguma forma de incidentes aéreo. Ela pode desenvolver um quadro fóbico diante da possibilidade de entrar em um avião. Ou as que estiveram em um incêndio e passam a ter medo de qualquer coisa que lembre fogo, entrando em pânico apenas ao ver um bombeiro ou sentir sinal de fumaça.

A doença tanto pode surgir na infância, quanto na adolescência ou ainda na idade adulta. Os sintomas sempre se manifestam em ocasiões que despertam ansiedade. E, em geral, ficam com as mãos úmidas, o coração acelera, tem ânsias de vomito, tonteira e a sensação de que vai desmaiar. Tudo isso são quadros de ansiedade aguda.

O problema, no entanto, tem cura. O tratamento depende de cada caso específico. Alguém com fobia de altura, por exemplo, pode ser submetido a um tratamento pelo chamado “método positivo”, em que gradualmente se realizam tarefas para dessensibilizar o medo. Como subir até o primeiro andar, para progressivamente ir avançando andares mais altos e conseguir controlar a situação. Em outro processo, o psiquiatra induz o paciente a se imaginar em um lugar alto e tentar lidar com este medo em pensamento. Para estas fobias especificas, a técnica mais eficaz tem sido o tratamento comportamental.

O maior problema do paciente fóbico acontece nos níveis emocional e psicológico: ele passa a ter sua vida limitada. Um medo exagerado a escadas rolantes pode comprometer a vida de quem trabalha num shopping center, por exemplo. Da mesma forma, o medo de elevador, ou de passar em túneis.

Mas qual será a diferença entre um medo e uma fobia?

Medos todos nós temos. De bala perdida, de certos animais, de espaços fechados...A fobia se instala quando esse medo passa a ter um caráter de impossibilidade, em que compromete a liberdade de se levar uma vida normal e impede que se façam as coisas do cotidiano. Ou seja, a fobia é uma doença psiquiátrica, e precisa ser tratada porque é incapacitante, compromete a vida normal de uma pessoa.

A fobia social está ligada à competição

Situações sociais também podem gerar quadro de fobia, comum em grandes centros urbanos. É a chamada fobia social. Seus portadores entram em ansiedade quando se sentem expostos publicamente ou quando passam por uma avaliação. Podem chegar a um extremo de sentir-se extremamente constrangidos apenas por estarem em um restaurante lotado.

A fobia social está basicamente ligada à essa valorização da competição nos dias de hoje, em que as pessoas se sentem constantemente avaliadas, julgadas. Quem já tem uma estrutura de personalidade frágil, com dificuldades de se valorizar, pode fazer um quadro de fobia e se sentir extremamente ansiosa nessas situações.

A Síndrome do pânico difere da fobia social

Na primeira, o quadro de pânico surge sempre sem aviso prévio: de repente há um mal estar, falta de ar, o coração dispara, a mão fica molhada e existe a sensação de que se vai desmaiar. O receio de que os sintomas reapareçam leva ao medo de sair de casa.

Na fobia social, ao contrário, as situações de pânico só surgem quando a pessoa é exposta a situações de exposição publica que lhe gerem a ansiedade.

O pavor de Falhar

A garganta fica seca, taquicardia, falta de ar, dor no estomago e tremores. Esses sintomas da fobia social, uma nova doença divulgada pela OMS Organização mundial de saúde, em vários países do mundo, há programas de treinamento sobre o distúrbio. No Brasil, ela parece ter aumentado porque o diagnostico é mais reconhecido. Antes era confundida com timidez.

A Organização mundial de psiquiatria, ligada à OMS, acredita que uma pessoa em dez, pelo menos uma vez na vida, será acometida por uma crise de fobia social. O Fóbico social é aquele que está em uma sala de aula e não consegue levantar a mão para resolver uma dúvida. Fica paralisado com a possibilidade de exposição. Morre de medo de falhar. Isso poderia ser encarado como um caso de timidez, não fossem os sintomas físicos, recorrentes.

A idade mais propícia para o aparecimento da fobia social é a adolescência, quando os relacionamentos se intensificam. Ela pode, no entanto, deflagrar-se em qualquer época, muitas vezes depois de um período de stress. As causas ainda são desconhecidas, mas acredita-se em uma união de fatores biológicos e psicológicos. O tratamento inclui antidepressivos e psicoterapia. Atos corriqueiros, como fazer compras ou ir a uma festa, são estimulados. Pois é justamente no dia a dia que a fobia social aparece.

Uma linha muito tênue separa a fobia social da timidez excessiva

Na primeira, há os sintomas e a pessoa se sente ameaçada em situações triviais, como comer ou assinar um cheque na frente de estranhos. Na segunda, o mal estar é raro e o medo mais comum é o de expor e se relacionar.

O tímido é aquele que deixa de usar o seu potencial na hora em que precisa. A causa pode ter várias origens, como educação rígida e traumas anteriores, mas a sensação é sempre a mesma: falta de confiança na própria capacidade. Na carreira, o tímido ganha pontos negativos. Ele pode perder promoções por não saber se expressar no momento certo. Já os fóbicos sociais se sentem numa espécie de corda bamba para controlar suas crises de ansiedade.

Um amigo me contou que quando era pequeno e chegavam visitas em casa, ele se escondia debaixo das mesas. Quando cresceu, em algumas festas de família que era obrigado a ir, passava a maior parte do tempo dentro de banheiros, nas varandas ou em qualquer lugar que pudesse ficar sozinho. Hoje ele é uma pessoa solitária, tem excesso de zelo com as coisas, morre de medo de doenças, medo de muita coisa!

Não vamos alimentar o medo!
Beijus,
Luma

Comente aqui também!

19 comentários :

  1. Luma, tudo bem com os olhos??? Posso imaginar que sim pelo tamanhao do post, kakakakak!!!
    Mas muito bom. Quanto às boquinhas para a festa achei bem criativo, agora qto às máscaras para os dentistas um verdadeiro horror e pensar que a tal coisa partiu aqui pertinho de mim, affi!!!
    Quanto aos medos e suas pretenciosas formas é algo profundo e sério e creio que depende muito ou da situacao ou da pessoa envolvida. Há coisas que podem traumatizar uns e outros nao. Eu mesma já passei por uma turbulência em que o aviao despencou metros à baixo e nao fiquei traumatizada. Mas o fato de eu ter vindo morar aqui me faz deixar as luzes do corredor acesas quando estou fazendo férias em qualquer outro luigar do mundo que nao seja a minha casa. Medo? Nao sei. Mas observei que é assim.

    Boa semana querida e parabéns pelo post.

    Beijao

    ResponderEliminar
  2. Luma, realmente para uma criança é assustador ver essas máscaras. Querida, sobre o assunto síndrome do pânico, eu posso dizer que sei bem o que é isso, visto que um familiar meu já teve e foi terrível. Ter medo do escuro e da própria sombra deve ser enlouquecedor.
    Querida, mudando de assunto, sabe um desabafo que fiz recentemente a você a respeito de um certo alguém? Leia o post de hoje. Está mais agressivo do que nunca. Fiquei de queixo caído.
    Beijocas

    ResponderEliminar
  3. Boquinhas show, acção promocional diferenciada, e como tudo que é diferenciado, causa primeiro um espanto e a reprovação....

    sobre medos, analise pertinente e post mesmo grande, super esclarecedor. Os meus medos nunc foram alimentados, apenas enfrentados, alguns mantem-se como leves receios, outros sumiram...

    bjos!

    ResponderEliminar
  4. Daniela Mann12:08

    Amei as palhinhas com boca, são um show! :)
    Beijinhos Luma

    ResponderEliminar
  5. Caramba, e Luma também é educação e cultura!!!!
    Parabéns pelo Post, bem elucidativo.

    ResponderEliminar
  6. naenorocha1@hotmail.com14:49

    Deve ser no míminimo hilárico essas bocas sobrepostas. Um beijo para fora, haja criatividade.
    Mas tudo vale se o vale foi generoso.

    Um beijo.
    Aparece mulher das órbitas.
    Naeno

    ResponderEliminar
  7. Luma,

    Sabe que seu post me despertou pra uma coisa que me deixou na dúvida.
    Medo de altura eu tenho sim, a ponto de paralisar...mas eu tenho um medo que é mto maior, medo de Ratos...
    Isso é originado da minha infância, mas tipo, se vejo um bicho desses eu simplesmente travo, fora depois o escãndalo, e vou te contar que por ex, tem dias a noite (que ridícula essa frase...rs), corrigindo...tem noites em que já estou deitada, de luz apagada e me vem na cabeça que vai aparecer um rato sei lá de onde e subir na minha cama...vc não tem noçao de como fico...fora o tanto de sonhos que tenho com esse bicho...
    Será isso um princípio de fobia ou apenas medo?
    Beijos

    ResponderEliminar
  8. Essa coisa de sindrome do pânico é a que eu acho que estou ficando propicio, é essa coisa da violência urbana, mas ela não virá
    mas falando de coisas legais, adorei as boquinhas!!!

    ResponderEliminar
  9. Bastante criativas as "boquinhas", se tivesse filhos ou netos, copiaria para uma festa de aniversário...
    Quanto ao medo, uns tem mais e outros menos. Eu tenho pavor de água, talvez por essa razão nunca consegui aprender a nadar...
    bs,

    ResponderEliminar
  10. Gostei das máscaras com sorriso, assim afugenta o medo do dentista da criançada.
    Big Beijos

    ResponderEliminar
  11. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  12. Oi Luma!!!
    Legais as boquinhas, mas eu me assustaria com a máscara se fosse criança... rs
    A Larika é terrível, hein! Essas crianças parecem ter resposta para tudo!!! hehehe
    Nem vou entrar no mérito das fobias e medos... Ia "falar" muito... hehehe
    Sobre a monetização, está saindo um quadro mais lindo que o outro!!! Estou adorando!!!
    PS: Removi o comentário acima para corrigir, mas esse negócio é o maior dedo-duro... rs
    Beijos

    ResponderEliminar
  13. Luma,
    quando fico com medo, a garganta seca mesmo.

    O post está muito bom. Parabéns.

    Só vou levantar um ponto sobre os canudinhos. Eles não são ecologicamente corretos. Já temos plástico demais. Acho que poderíamos nos abster deles em qualquer ocasião. Bem, mas uma vez ou outra, acho que dá sim para usar e até ser bem criativo. A única porque disse isso é porque aqui nos Estados Unidos eles dão canudinho para qualquer bebida que a gente peça. Sempre e em exagero.

    Bjs.

    ResponderEliminar
  14. Luma, sindrome de´pânico é realmente muito complicado. conheço alguem que já teve, mas se deu bem com medicação e terapia.
    As boquinhas achei genial a ideia,e mostri para mali, a aborrecente da casa que aprovou, total!
    No mais, medo, pra que te quero....
    bjos

    ResponderEliminar
  15. denise01:34

    Luma. estava inspirada! De uma coisa você não tem medo: de escrever,he he!
    Mencionei seu post sobre as ameaças ao pc lá no meu blog, tá.
    Não gosto de mencionar meus medos.prefiro encará-los silenciosamente.
    beijo, menina

    ResponderEliminar
  16. Meire05:08

    Amore eu tenho medo de estar em um elevador sozinha, e se tenho q estar sozinha antes de fechar verifico on esta o botao da emergencia e se meu celular esta comigo, tudo isso depois de ficar presa em um elevador em Curitiba.
    Tb jah fiquei com medo qdo as portas do aviao se fechavam, mas nao era medo, era a sensaçao de estar presa, fechada, sem saida, mas nestes momentos smepre bati um papo comigo mesma e aos poucos me sentia melhor.
    Sera' que sou normal?
    bjs

    ResponderEliminar
  17. Luma, adorei estes canudinhos e também as máscaras de dentistas... fiquei meio voando porque não sei que campanha é essa que vc falou, da Colgate.
    Acho a sua afilhada demais! Muito esperta. :-))))
    O medo realmente é um problema. Eu sou muito tímida, principalmente com pessoas novas, mas depois que conheço melhor a pessoa fica tudo ótimo. Dizem que é por causa do meu signo... mas acho que está mais para algum trauma ou a maneira que fui criada, como vc falou.

    ResponderEliminar
  18. Oi Luma,
    Genial estas boquinhas.

    Verdade, muitas vezes o adulto acha que a criança vai "amar" algo e esqueceu de focar justo na visão que a criança tem sobre as coisas.
    Me lembro bem do meu filho com uns 7 anos dizendo em frente a tv, para determinados comerciais:
    "Os caras pensam que somos burros?"
    Tudo bem que ele crescia em ambiente publicitário e claro era bom observador de como criávamos. Bem por isso digamos que, suas observações não eram propriamente as mesmas de outras crianças de sua idade. Porém ele e os amiguinhos, nos nortevam bastante, quando a criação envolvia produtos infantis. Crianças são muito mais espertas do que aquilo que imaginamos e respondem às coisas à moda delas...com um direto no estomago, rs.
    Optei sempre por expor as coisas para elas e observar suas reações, depois questionar os porques. Às vezes acho que quem cria algumas campanhas esquece justamente de quem é o público alvo e acaba trabalhando somente com sua imaginação do que "agradaria." Sem testar.

    Medo é um alerta natural do indivíduo, está em nosso "sistema", como um anti-virus no pc. Serve para alertar de que algo está para acontecer. A falta de atenção à isto, sim acaba por gerar tantos problemas como fobias.

    Já tive a sindrome do pânico e tomei poucos remédios para me curar, justamente por ser avessa a medicamentos alopatas. Também fui atrás de "entender" de onde eu havia pego aquilo, e já que descobri ser emocional (sou meio maluca, gosto de me observar e procuro "dissecar" meus problemas). Pensei em me curar com óbvio, tratando e fortalecendo meu emocional e claro meus chás e medicina natural que tanto amo, deu certo :)

    bjs

    ResponderEliminar
  19. Bem bacana o blog. Tenho um de clássicos da Sessão da Tarde.
    Vlw
    http://www.ex-filmes.blogspot.com

    ResponderEliminar

Tenha identidade, não seja anônimo na web. Crie sua identidade virtual.

...bisbilhotaram em quietude, sem solidão

PlagSpotter - duplicate content checker tool
Licença Creative Commonsget click

Algumas coisas não têm preço


finalista the weblog awards 2005finalista the weblog awards 2006
finalista the weblog awards 2007weblogawards 2008
Verificar conteúdo duplicado

Me leve com você...

Leia o luz no seu celular

Copyright  © 2014 Luz de Luma, yes party! Todos os direitos reservados. Imagens de modelo por Luma Rosa. Publicações licenciadas por Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial- Vedada a criação de obras derivadas 2.5 Brasil License . Cópia somente com autorização.

Tem sempre alguém que não cita a fonte... fingindo ter aquilo que não é seu.

Leia mais para produzir mais!

Atenção com o que levar daqui. Preserve os direitos autorais do editor