Desculpas à vaca


Esse direito - o de matar um veado ou uma vaca - nos parece natural porque nós estamos no alto da hierarquia. Mas bastaria que um terceiro entrasse no jogo, por exemplo, um visitante de outro planeta a quem Deus tivesse dito: 'Tu reinarás sobre as criaturas de todas as outras estrelas' para que toda a evidência do Gênese fosse posta em dúvida. O homem atrelado à carroça de um marciano - eventualmente grelhado no espeto por um visitante da Via-Láctea - talvez se lembrasse da costeleta de vitela que tinha o hábito de cortar em seu prato. Pediria (tarde demais), desculpas à vaca.

- Milan Kundera, em "A Insustentável Leveza do Ser"

No Brasil, o Decreto Lei nº 24.645 de 14 de julho de 1934 de Getúlio Vargas, publicado no Diário Oficial, Suplemento número 162 e a Declaração Universal dos Direitos dos Animais proclamada em Assembléia da UNESCO, em Bruxelas, Bélgica, no dia 27 de janeiro de 1978, tipificam os crimes cometidos contra os animais.

Desculpas à vaca
Não comer nada que sangra para morrer, parece exagero?

Que tals não comer produtos industrializados? Sei lá de onde vem a carne do hambúrguer, da almôndega, da lasanha...

Nestlé diz que encontrou carne de cavalo em produto fornecido pela JBS
+
JBS-Friboi venderá até 40% da carne do McDonald’s
+
Michael Appleby: “Pobres não devem deixar de comer carne”

Vamos pedir desculpas também ao cavalo...

Cilene Bonfim do blogue "Chama de News", acrescentando conteúdo a essa postagem:

Não tem saída: tudo que você come está contaminado
+
Motivos para ser Vegetariano

106 comentários :

  1. Ao invés do quem não tem cão caça com gato, a nova é quem não tem vaca, come carne de cavalo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pode ser normal para algumas culturas, mas não sei se aqui no Brasil o povo aceita esse tipo de degustação... eca!

      Eliminar
  2. Luma, gostaria de aproveitar a tua frase "Que tal não comer produtos industrializados?" para sugerir o documentário Muito além do peso. Bj

    http://muitoalemdopeso.com.br/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Falta consciência dos pais. Querem agradar o filho e acabam com a vida dele. Morte na certa.

      Dizer "não" é muitas vezes o mesmo que dizer "eu te amo"

      Ana Paula, vou deixar o link do filme aqui no blogue para quem quiser assistir: Muito Além do Peso

      Obrigada!

      Eliminar
  3. ... e desculpas a todos os outros seres , cujo os cadáveres humanos devoram com prazer.

    sem mais ...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cintia, não quis fazer uma lista enoooorme... mas o problema mais imediato que foi noticiado um pouco antes de publicar o texto, é que empresas brasileiras estão envolvidas no caso da lasanha feita com carne de cavalo que foi distribuída na Europa. Se acessar os links que deixei na postagem verá que talvez aqui também estamos comendo sem saber. Lá fizeram testes de dna e aqui?

      Eliminar
    2. nem sei se tem gente comendo sem saber por aqui, eu sei que eu não estou, fazem 11 anos que não como carne, que sorte a minha!

      Na Europa comer carne de cavalo é normalzinho ...aqui comer outras carnes também, e o mais engraçado é que as pessoas nem se assustam... nem sei dizer se houvesse comprovação disso aqui ( pelo dna ) faria alguma diferença , humanos não nasceram para serem carnívoros mas, parece que eles , em sua grande maioria, não sabem disso e, o que faz diferença afinal se é cavalo, porco, vaca, frango, javali, etc?
      Acho mesmo que a coisa só faria diferença se descobrissem estar comendo o vizinho ou algo assim. Porque nesse caso Europeu a moral da história é só o fato do consumidor estar sendo enganado , coisa mais feia...tsh !

      como eu disse ... todo os seres cujo os cadáveres humanos devoram com prazer.

      Eliminar
    3. * todos os seres cujo os cadáveres, humanos devoram com prazer.

      Eliminar
    4. Mais parece um filme macabro essa comilança toda!!

      Eliminar
  4. Eu lembro que fiz um post uma vez, o 'Denúncia: blogueira sangrenta come bife mal passado' q falava um pouco disso.

    http://pitacosdelua.blogspot.com.br/2012/06/denuncia-blogueira-sangrenta-come-bife.html

    aliás, estava nos TT's a hashtag #blogueirasangrenta

    as pessoas só faltam bater, têm uns que batem, em quem usa casaco de pele, mas não enquanto se tem dando dó das Chinchilas, povo continua comendo vacas, porcos, galinhas... Eu não uso peles, mas não me sinto menos 'culpada' por comer os bichos :( ... afinal, todos não sangram? Não gritam?

    Engraçado é que agora o povo se revolta não é porque está comendo carne de cavalo que é um ser que antes estava vivo, como a vaca, o porco... Só reclamam 'do tipo de animal', porque não é um animal que estão acostumados a ir no açougue e pedir um quilo... Se fosse, no máximo iam pedir pro prato sair mais barato.

    Pois é...Pois é...Pois é... :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Me lembro da hashtag #blogueirasangrenta, não por causa do assunto, mas por um tropeço, foi descoberta a identidade de uma blogueira.
      Bem, também não vejo diferença entre comer a carne e usar a pele para fazer casaco. Quer dizer, em ambos os casos é preciso matar o bicho. O que querem, que jogue a pele no lixo? Meio hipócrita comer carne e criticar quem usa a pele para fazer casaco. Muita gente não usa casaco, mas usa sapato, cinto... Bicho é bicho! Em alguns países é normal comer carne de cachorro que pode muito bem ser mais limpa que a carne de vaca. A carne do homem é dura, vai ver que por isso em países miseráveis não tem canibais. Hum... isso que pensamos, mas que tem gente comendo carne humana... lembra de um caso no nordeste de um casal que fazia pastéis ou algo parecido com carne humana?

      Eliminar
    2. Acho que era coxinha....

      Eliminar
    3. Fui procurar a notícia... e acho que hoje não durmo por causa das imagens. O texto:

      "Jorge Beltrão Nascimento, o pernambucano que confessou ter matado, esquartejado e comido algumas mulheres em Garanhuns, confessou a uma equipe de reportagem da radio clube super astral fm, que as vítimas do ritual macabro que fazia junto com sua família eras escolhidas com ajuda de arcanjos e querubins, que o acompanham desde a infância.
      Ele matava as vitimas, cortava em pedaços e comia no dia a dia, sua esposa aproveitava para lucrar vendendo empadas e coxinhas de carne humana.

      Eliminar
  5. Amo o Milan!!! A parte isso, a educação alimentar que minha mãe me deu meio que foi excludente com produtos industrializados e refrigerantes... Ela não acredita em produtos de caixinha, sopa de caixinha e por ai vai então realmente ser contra produtos industrializados é quase conveniente demais para mim que não fui educada para consumi-los.

    No mais tudo que vem em caixa para mim tem cara de não-comida, acho que até o cheiro é artificial demais para ser verdade!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Jaci, na minha casa até os caldos são feitos de forma artesanal. Mas tenho um vício horrível, adoro catchup! :(

      Eliminar
  6. É mesmo muito triste saber que estamos num mesmo planeta, humanos e bichos, e não os respeitamos, achamos que esta terra só a nós pertence. Então, por quê razão fomos colocados aqui no mesmo planeta?
    Boi ou cavalo, para mim é coisa distante, não costumo comer carne, ainda mais a industrializada.
    E, graças a Deus, meu filho é contra terminantemente à comidas em caixinhas
    um abraço carioca



    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Toda essa agressividade também tem a ver com o consumo de carne. Quem não come carne, logo sente o cheiro de sangue vindo dela e isso também ajuda a sentir aversão. Além disso, a forma como matam os animais... O homem se esquece que ele também é um animal.

      Eliminar
  7. Alguém aqui já pensou que para a população de baixa renda não há outra alternativa a não ser os produtos industrializados com conservantes nocivos à saúde porque são mais baratos? Tudo bem, nós pessoas esclarecidas e de algum poder aquisitivo escolhermos o que comer, mas mesmo assim está difícil. A nutricionista mandou eu evitar alimentos com sódio, só que tem sódio em todas as bebidas e alimentos! Sabem qual foi o resultado disso: já perdi 4 kg por não ter mais vontade de comer tais alimentos... É nessa hora que o "bicho" pega.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Adriana, conheço pessoas pobres que se alimentam melhor que aqueles que escolhem e podem pagar seus alimentos. O governo brasileiro garante a cesta básica para essas pessoas, mas isso não é o suficiente do ponto de vista nutricional. Aqui no interior, vejo um aproveitamento melhor da terra e qualquer parte da casa, eles plantam verduras e até mesmo frutas.
      Todo alimento natural custa menos do que alimento processado e são mais nutritivos. Preparações alimentícias custam três vezes mais do que alimentos inteiros, e eles têm aditivos que não são parte de uma dieta saudável. Alimentos integrais como frutas e legumes combate cólon-retais e câncer de boca e estômago. Frutas e legumes mantêm o sistema cardiovascular, conjuntivo, urinário e visão geral da saúde. São livres de colesterol e também ajudam a prevenir perda óssea e pedras nos rins. Estes alimentos saudáveis são potências antioxidantes, além de ter fibras, vitaminas e minerais. Quando você encontra uma criança que não gosta de comer verduras, em geral ela é de uma família com mais poses alimentares. A criança que não se alimenta direito será o adulto doente do futuro. Para os governos, investir nas merendas ricas em nutrientes tem sido a meta em muitos países. No Brasil, as crianças de baixa renda, se beneficiam com o programa nacional de alimentação escolar (PNAE) e em alguns Estados, uma parceria com a Ludic techniques, investe em técnicas ludopedagógicas em nutrição de Crianças e Adolescentes em Comunidade de Baixa Renda. Para você ver, as crianças das escolas públicas parecem que estão melhor assistidas quanto à alimentação. Não vejo esse cuidado nas escolas particulares. Vez ou outra vemos no noticiário casos de merenda escolar estragada, mas estes são casos de responsabilidade do Poder Executivo Municipal, que junto com as empresas prestadoras do serviço, se utilizar da merenda como sendo uma forma de obter altas quantias de dinheiro, seja para financiamento de campanhas políticas ou mesmo para luxo próprio. Nesses casos, entra a mídia com o seu poder de denúncia para exigir maior fiscalização do governo municipal.
      Acho que ao invés de tomar suco de caixinha, deveria tomar suco natural, pelo menos você sabe que ali está somente a fruta, sem aditivos e conservantes. Não aconselho ninguém em sã consciência a tomar refrigerante, pois esse destrói toda a reserva de cálcio do organismo, levando a rupturas ósseas e osteoporose antes da velhice.
      O sódio é conservante presente em todos os produtos industrializados e como você constatou, até mesmo em doces. Quem faz dieta deveria olhar os rótulos, pois ao invés de melhora, poderá piorar a saúde.
      Beijus,

      Eliminar
  8. Eu vou ter que concordar com a Adriana, comer saudável ainda é muito caro em um país onde muitos sobrevivem com um salário mínimo. Sei que com isso somos expostos a "n" problemas e meus quinze anos de gastrites e duodenites e afins não me deixam esquecer, mas é muito difícil para a maioria da população evitar os industrializados.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quem sofre mais com a má alimentação, são aqueles que moram sozinhos e não sabem cozinhar e os que comem fora. Não se alimentam, matam a fome!
      Os "ites" nos sistema digestivo nem sempre é por causa da alimentação. Um tempo atrás li uma reportagem falando sobre a "Geração Omeprazol": Estresse com mulititarefas e consumo de bebidas que aumentam gastrite entre jovens.

      Eliminar
  9. Pois é...

    Concordo que não se deva consumir produtos industrializados e muito menos comer carne e, nem usar nada de couro e de peles de animais...

    Estou em processo de reeducação alimentar...experimentando novos sabores, tudo fresco e feito na hora...inclusive cultivando uma pequena horta no apartamento.

    Agora vou lá ver o documentário indicado pela Ana Paula... muito obrigado.

    Um beijo grande Luma

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Minha mãe dizia que os jovens não se preocupam com a saúde porque aindas a tem. Mas nunca é tarde para começar a adotar hábitos alimentares saudáveis.
      Também entrei na onda da horta e estou com uns tomatinhos lindos que dá até dó de comer! Se a gente morasse próximo, iríamos trocar alimentos. Além da minha horta, meu caseiro tem um sítio e quando ele retorna, traz muita coisa e distribui pela vizinhança toda. Uma grande farra de hortaliças! :)
      Beijus,

      Eliminar
  10. De total acordo, aliás eu faço muito essa analogia aqui em casa, a propósito das refeições vegetarianas que cozinho.
    Industrializadas nem pensar, e mesmo carne 100%, em quantidades reduzidas.
    Pode ser que esse escândalo sirva para alguma coisa.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tomara, Fernanda!!
      As crianças não precisam saber que a comida é vegetariana. Elas são sugestionáveis e ouvem dos amigos que esse tipo de comida é ruim e antes de provar, acreditam. Um bifinho de soja temperadinho, tem melhor?
      O problemas maior é comer carne vermelha em excesso. Satisfeitas a quantidade nutricional exigida por dia, o resto é gula!
      Beijus,

      Eliminar
  11. Olá Luma..:))

    Hum..que vaquinha linda! A vaca é malhada..:))
    Bom, a carne é fraca.=The flesh is weak!
    Acho que quem não tem hábito de ingerir carne diariamente percebe aquele odor característico da carne, e sente náuseas..:))
    Que ingerimos carnes sabe lá que tipo não é algo difícil de acontecer..eles vêm de forma camuflada em formas apetitosas..:))
    Hum..tô sabendo das mutretas em razão da ganância..:))
    Esse poder=power de "Matar=Kill", exerce no ser, uma certa de sensação de domínio sobre o outro ser, e o o indivíduo acha que pode fazer o que bem entende do outro ser, ou seja, o forte domina o fraco. Na verdade é o equilíbrio que precisamos na sociedade futura, uma sociedade que esteja baseada na cooperação, e não na competição, porque, essa sociedade baseada na competição, realmente está levando todos à insanidade, vocês devem ter percebidos isso..:))
    Ótemo e ótima semana!
    A big Hug and Tchauzinho
    Música: Sons de Cello..
    02-Sato Masaru movie soundtrack - Sword of Doom

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Luma, achei fofinho o comentário "anglicanizado" da Elena e adorei a abordagem "cuti-cuti" ao texto. Mas o que eu mais gostei foi no final, ver que a trilha sonora do comentário da Elena é de Sato Masaru para o filme "Espada da Destruição". Gostei Elena, manda ver, garota!

      Eliminar
    2. Roberto, a Elena é ótima! A música do filme "Espada da Destruição" foi para combinar com o poder=power de "Matar=Kill" :)
      A gente só precisa encontrar o equilíbrio para melhor sobrevivermos. Do jeito que está, a natureza tem se desequilibrado cada vez mais. A vaca vai pro brejo e nós também! :(
      Beijus,

      Eliminar
    3. Olá Luma :))
      Hum..parece que ganhei um fã, agradeço muito pela apreciação, arigatô :))`
      O poder=power em mãos erradas, trazem desastres e perdas irremediáveis, a história tem nós mostrado isso..:))
      Ótima semana!!
      A big Hug and Tchauzinho

      Eliminar
  12. O correto seria: ninguém matar nada!
    Tenha uma boa semana, Luma!
    Bjo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Lembrei de um primo que não deixa matar nem mesmo barata.
      Boa semana!!
      Beijus,

      Eliminar
  13. Oi Luma,

    Eu como e gosto de carne...kosher ou halal (porque ao menos a carne é morta de uma forma ética e espiritual). E detesto quando os radicais naturebas tentam impingir-me o seu vegetarianismo radical (que é contra-natura no homem; mas se escolherem essa via tudo bem, mas deixem-me seguir a minha).

    Agora, eu desconfio de toda a comida industrializada, ponto final parágrafo (não é coincidência que desde que o aumento do seu consumo se deu, se tenha dado um aumento de 60% de pacientes com cancro...mais não digo).

    Temos de voltar ao básico, minha gente: cultivem e criem a vossa própria comida. Para os que estão nas cidades: invistam numa pequena cooperativa agrícola biológica.
    Isto está mal!

    Beijoss

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estou de acordo com o abate halal “Em nome de Alá, o mais bondoso, o mais Misericordioso” - o alimento é sagrado e deve ser respeitado.
      Aqui no Brasil temos somente dois selos que certificam os produtos Kosher. São cuidados que toda a humanidade deveria ter.
      Max, estamos caminhando de volta à nossa origem e isso acontecerá muito em breve, ou melhor, assim que toda a tecnologia substituir os homens na indústria. Voltaremos à nossa origem e deixaremos as funções mecânicas para os robôs. Sobrará tempo para o homem ir de encontro a si mesmo, sem desculpas! :)
      Beijus,

      Eliminar
  14. Oi, Luma,

    Faz tempo que não como carne, embora - por causa dos carnívoros da casa - continue a prepará-la e até a publicar receitas de algumas que preparo no blog. Nunca fui fã ardorosa de carnes e desde criança percebi que podia passar sem elas. Há alguns meses tenho notado uma certa dificuldade na minha digestão de carnes, acho que isso também decorre da contradição existente em ser contra a matança de animais e ingerir eventualmente a carne deles, por isso parei, rsrs.
    Mas eu acredito que o costume humano de comer carne esteja também associado ao fato de os homens também serem animais e como os irracionais, predadores dos que estão na hierarquia inferior (como os leões e outros). Mas já passa da hora de eles perceberem que são diferentes, podem escolher, não é verdade? rsrs.

    Ah, quanto ao texto que acabei de publicar, o que o físico lá quis dizer era que a gente tem que ser fiel aos dons e pagar o preço devido para desenvolvê-los, pois o comum é as pessoas não pagarem e acabarem se aviltando, se diminuindo. A pessoa sabe que tem talento para ser - por exemplo - cineasta, mas acha que este sonho é ilusório, que ela não teria chance e assim acaba cursando administração de empresas e se tornando um funcionário público frustrado e medíocre. Não se desenvolve como administrador, porque não gosta do assunto e nem como funcionário porque detesta o cargo, rsrs. Mas isso porém não exclui o fato de termos muitos talentos, e o físico admite isto, pois ele fala em "dons", rsrs.

    Um beijo! O seu comentário é sempre inteligente e instigante.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Marly, não podemos escolher pelas pessoas o que elas querem comer. Instruímos as crianças e mesmo assim, muitas vezes elas não nos acompanha. Principalmente para as crianças, a proteína da carne se faz necessária para o seu crescimento íntegro. Mas e depois? A proteína vegetal pode muito bem ser o principal da boa alimentação, ao contrário do que vem acontecendo, quando as pessoas já não perguntam o que tem para o almoço e sim: "Qual carne é para o almoço".
      Entendi o que o físico quis dizer e admirável que ele defenda esse pensamento, ainda mais em uma sociedade que as pessoas procuram por profissões rendáveis... mas creio também que além dos dons naturais, ainda temos aqueles que descobriremos com o passar dos anos.
      Obrigada pelo carinho!!

      Eliminar
  15. Fui vegetariana total por uns 20 anos mais ou menos.... hoje em dia só não como carne vermelha ou de porco e mesmo branca é frango raramente e peixe esse sim gosto.
    Não acho que por estar no topo o homem tenha o direito 'sagrado' de comer outros animais. Come por necessidade e gosto, diferente das outras criaturas que, até onde sei, comem por fome.

    =^.^=

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Direito sagrado de comer carne não temos! Veja o que está escrito na bíblia:

      "Tudo o que se move sobre a terra e todos os peixes do mar nas vossas mãos serão entregues. Tudo o que se move e vive ser-vos-á para alimento; como vos dei a erva verde, tudo vos dou agora. Carne, porém, com sua vida, isto é, com seu sangue, não comereis" (Gênesis 9:2-4).

      Eliminar
  16. Eu não morreria caso não houvessem carnes no mundo, mas gosto de comer, mesmo que seja um pequeno pedaço. Eu nao fico feliz ao lembrar da origem, o que era antes de estar no prato. Contudo, não aprecio comida industrializada. Procuro sempre o mais natural possível.

    Beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sentimentos contraditórios, Sissym. Você que prepara a sua comida?
      Beijus,

      Eliminar
  17. O McDonald's vem veiculando um comercial na TV que visa desfazer a imagem negativa dos produtos associados aos seus lanches, tais como a famosa "carne de minhoca". No comercial em questão, vemos plantações de alface que dão água na boca até para quem é carnívoro por excelência, como este que vos escreve, e rebanhos de bois, bezerros ou reses que tais, que não são facilmente identificáveis no filme (não sei se de caso pensado), mas que não são minhocas (risos).
    Adoro picanha mal passada, não passo sem bombons de alcatra e faço "artesanalmente" quibes crus e steaks tartar que degusto sempre que possível. Por outro lado, não dispenso uma salada completa com bastante palmito, lascas de parmesão e ovos cosidos em rodelas. Não me vejo comendo somente brócolis, cenouras, rabanetes e outros frutos da terra que, a despeito de ser nutritivas, não me falam ao paladar como um pizza, uma bela macarronada ou um filé a parmigiana borbulhante, acompanhado de arroz soltinho e bastante batata palha. Saudável? Não. Saboroso? Sim.
    Em última análise, a vida é curta demais para beber vinho vagabundo e mastigar hortaliças.
    Um grande abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hehehehe Fernando... A minhoca já vem sendo consumida pelo homem há milhares de anos, na forma de farinha, como ingredientes de sopas, em receitas de doces e assados. Se você não se assusta com as notícias sobre a carne ou mesmo seus malefícios, não deveria se importar com a minhoca :) Existem minhocas azuladas de meio metro de comprimento, quem sabe é essa que está na composição de um tempero pronto muito usado.
      O McDonald's é uma empresa que visa lucro e jamais usaria carne de minhoca que é 5x mais cara que a carne bovina.
      A decisão sobre que comida colocar no prato tem implicações econômicas, ambientais, éticas, culturais, fisiológicas, filosóficas, históricas, religiosas. Ao decidir o que comer você tem que saber o que está fazendo e o que isso implica.
      Qual o tempero que a carne disfarça?

      Eliminar
  18. Luma, está cada vez pior pra saber o que realmente comemos... Credo!!! Tem de tudo! beijos,chica

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Verdade, Chica!! Vamos ter que começar a cuidar das plantinhas para poder comer!! Beijus,

      Eliminar
  19. Desse mal não me contamino sou vegetariana, nada contra quem come carnes.
    Bjs querida, ótimo texto

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nada contra também, Rute!! Cada um, cada um, responsável por si! Beijus,

      Eliminar
  20. Oi Luma,

    já fui vegetariana e depois voltei a comer carne aos poucos, agora como mais peixe e frango mas pretendo voltar a ser vegetariana novamente. Moro perto de muitas fazendas e me arrepio quando vejo um bezerrinho lindo me olhando com seus olhos doces.

    Bejim.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Meire, às vezes o corpo se ressente da falta de carne, o que não acontece com quem a vida toda não usou produtos animais. Beijus,

      Eliminar
  21. Minha querida

    Eu não sou vegetariana, mas cada vez gosto menos de comer carne.
    Um texto muito oportuno.

    Um beijinho com carinho
    Sonhadora

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Rosa!!
      Está no caminho certo! Com o passar dos anos, a nossa digestão fica mais preguiçosa e a carne não contribui para o funcionamento corredo do aparelho digestivo. Antes que os problemas apareçam, melhor diminuir mesmo!! Beijus,

      Eliminar
  22. Aí está um preceito que tem milênios:o de colocar-se no lugar do outro/ter empatia real;sentir na pele conforme narrou o Kundera.
    Há tempos tenho evitado carne na minha alimentação, mas ainda não aboli frutos do mar.
    Bjos, Luma,
    Calu

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Essa empatia vem dos tempos das cavernas :) Algumas das primeiras pinturas nas cavernas representavam vacas. Devemos à carne nossas primeiras manifestações artísticas e, possivelmente, a origem das nossas religiões – essas pinturas são o primeiro registro de uma humanidade preocupada com o mundo espiritual, acertando as contas com os animais que matava?
      Beijus,

      Eliminar
  23. Muitas coisas desconhecemos as origens, não só comidas, mas roupas, calçados, influências importantes na sociedade,... Tantas coisas fruto de trabalho escravo, roubalheira,... nós piramos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Devemos muitas coisas importantes ao hábito de criar vacas para matar. Piramos!

      Eliminar
  24. Está difícil hoje em dia escolher o melhor alimento para nossa mesa.Se somos o que comemos deveríamos prestar bastante atenção ao que entra pela nossa boca.
    Ótima reflexão,meu abraço,bom dia!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade, Bergilde!! Eu procuro manter a alimentação o mais natural possíve e diante das últimas notícias, com uma potencia da indústria alimentícia envolvida em escândalo, não posso confiar nem mesmo no que dizem ter no rótulo. Sigamos!!

      Eliminar
  25. Oi, marquei você em uma tag lá no meu blog. Fica à vontade pra responder.

    Beijos,

    http://candyblogbr.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Logo mais vou lá!
      Obrigada!!
      Beijus,

      Eliminar
  26. Aqui no meu interior e acredito que muitas partes do Brasil o auto consumo de carne é gritante. Na minha cidade já foi fechado diversas vezes o estabelecimento que faz a comercialização indevida de carne, mas depois de três meses está funcionando. Tantas alternativas para nos alimentarmos, muitos prefere a carne, seja de boi, de vaca... triste realidade

    Beijo carinhoso!
    Lorena Viana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nossa, Lorena!! Isso é grave!! Pior que abri e fechar, abrir e fechar... é o povo continuar a comprar nesse lugar! Só tem esse lugar para comprar carne na sua cidade? Beijus,

      Eliminar
  27. Querida Luma; infelizmente, hoje em dia, já não se tem respeito nem pelo semelhante, quanto mais ao animal. A vida parece já não ter valor e se mata com uma facilidade que impressiona. E pior, sem motivo.
    É verdade, consumimos de mais, carnes. Infelizmente essa é a cultura. Mas, creio que as alternativas não são muito divulgadas e essa troca de costume, deveria já deveria ter sido introduzido. Mas daí começaríamos uma luta com a indústria frigorífica, os criadores de gados de corte, de aves, etc...
    Mas sobre meu netinho; graças a Deus bem e danadinho...Obrigada, amiga.
    Tem um vídeo dele no youtube; http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=Jz-iPur8lu8
    Beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O povo anda engordando e comendo como se tivessem voltado da guerra. Parece que o homem também morre pela boca, não somente o peixe.
      Lúcia, fui assistir o vídeo e deixei recadinho pra você lá! :) Ele está uma fofurinha!!
      Beijus,

      Eliminar
  28. Oi Luma
    E pensar que nós é que somos subdesenvolvidos mas a sandice vem da Europa _ quem diria?? rs claro que aqui também existe de tudo - o certo mesmo é não comer _ como seria bom um boicote geral a toda carne de animal!Não é tão fácil nesse mundo que vivemos mas venho tentando e já criei o hábito da carne branca e depois só peixe.
    É complicado,
    Obrigada pelo ótimo pos't
    beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E dá-lhe hormônio para crescer rapidamente, ganhar carne para morrer. Foi-se o tempo que o criador esperava o porquinho engordar, a vaca chegar no ponto... O boicote não vai acontecer nunca! Quando falta carne o povo enlouquece! Pior que a carne é ela industrializada. Nem prego para as pessoas pararem de comer carne, que não adianta. O pedido é para ficarem atentas aos produtos industrializados.
      Faz bem em trocar pela carne branca.
      Obrigada você!
      Beijus,

      Eliminar
  29. Verdade, amiga! Vamos pedir, e de joelhos, perdão à Mãe Natureza. Valeu, Luma!!!! Bjsssss

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O homem atentando para os seus iguais. Espero que haja punição para essa enganação toda! Beijus,

      Eliminar
  30. Bom sei que deveríamos pedir desculpa e tal, mas todos os animais se alimentam uns dos outros!!!! infelizmente a gente mata a mais... e nem sempre só para comer... esse é o problema.

    Beijos saltitantes
    Boa semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Verdade, Morena!! As desculpas foram sob o olhar de Milan Kundera! Quanto tempo ele escreveu o texto e as coisas só pioraram de lá para cá. Beijus,

      Eliminar
  31. Segundo a teoria evolucionista, o nosso cérebro só cresceu em tamanho e complexidade quando começamos a consumir carne de outros animais, quando começamos a nossa overdose de proteínas e gorduras. Considero o cerne do problema "lasanha com carne de cavalo" o fato de ter sido surpresa e não da carne ser de cavalo. Experimente ler um cardápio de um restaurante de comidas exóticas e aparecerão, além de uma infinidade de insetos, doces e salgados, patas de elefante, testículos de bisão, cérebros e outras "dilícias" de fazer legista engulhar.
    Tenho experimentado as vantagens de uma comida mais cheia de plantinhas e como frutinhas (apenas as vegetais) por causa da frutose em seus mais variados aromas. Fora isso, ainda quase me afogo em saliva ao ter uma picanha suculenta sendo fatiada sobre o meu prato. E pra não deixar a perspectiva sobrenatural sem comentário, lembro bem que no mesmo livro de Gênesis, capítulo 1, verso 28 diz assim: Frutificai e multiplicai-vos, e enchei a terra, e sujeitai-a; e dominai sobre os peixes do mar e sobre as aves dos céus, e sobre todo o animal que se move sobre a terra.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Realmente! No texto não digo para as pessoas não comerem carne e sim produtos industrializados. O lance é que venderam cavalo por vaca e a carne de cavalo na Europa é bem barata em relação à carne de vaca. O povo sentiu-se enganado. Se precisou de dna para descobrir o teor das embalagens, que dirá os outros produtos industrializados?
      Sobre a teoria evolucionista, ainda não tinha me deparado com a afirmação de que depois que começamos a comer a carne de outros animais, o nosso cérebro começou a crescer... bem, então é por isso que leão tem cérebro grande? Mas isso não confere inteligência. O Cérebro de Einstein não foi enterrado com ele e usam como parâmetro para o estudo das suas habilidades com a dos cérebro de pessoas com habilidades correlatas, no entanto, os cientistas se assustaram com o tamanho do cérebro de Einsteim por ser bem pequeno.
      A New Scientist escreveu um artigo, dizendo que o tamanho do cérebro impulsionou a evolução do Homo sapiens. Neste ponto, nossa distinção dos outros primatas é clara. Enquanto os macacos não podem ter um cérebro muito grande porque as mandíbulas fazem muita força e pressionam o crânio com violência, uma mutação genética teria feito os hominídeos se livrarem deste problema. O nosso cérebro se alimenta de oxigênio pela quebra de açúcar, portanto, os animais precisam de mais carboidratos do que de proteína.
      Li um artigo que afirmava que o Desenvolvimento do cérebro começou à partir do descobrimento do fogo pois com isso os alimentos ser cozidos. Nossas mandíbulas ficaram menores e o cérebro cresceu. Na teoria. os cientistas sempre imaginaram que o cérebro humano foi pouco a pouco crescendo e nossa capacidade foi aumentando. Mas há quem pense o contrário: as novas habilidades adquiridas ao longo do tempo é que foram conferindo mais complexidade ao cérebro.
      Uma nova adaptação é que incitava um novo desenvolvimento do cérebro, e isso teria acontecido incontáveis vezes ao longo da nossa linha evolutiva.
      Citei Gênesis em um comentário acima...

      Eliminar
  32. Ah sim! Faltou pedir desculpas às vacas, carneiros, bodes, jacarés, patos, galinhas (da terra, de granja e d'angola), tatus, porcos, pacas, peixes e crustáceos das mais variadas subespécies e aos insetos que eventualmente engoli enquanto conversava pilotando minha moto. Foi mal, galera!
    Beijos, Luma.

    ResponderEliminar
  33. Querida Luma
    Sou vegetariana e procuro respeitar em todos os aspectos todos seres vivos.
    Parei de comê-la, pois meu organismo começou a rejeitá-la naturalmente, depois disso vi que o meu amor pelos animais aumentou ainda mais.
    E' muito triste toda essa violência, mas se não conseguimos ter empatia nem pelo nosso vizinho ou colega de trabalho, imagine por um animal! Deprimente.
    Um grande abraço
    Léia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Imagino que éramos muito violentos e saíamos à caça e devorávamos os animais que matávamos. Atualmente temos disponibilidade de todo tipo de alimento e podemos escolher. Se podemos optar por nos alimentar sem ter que comer cadáver, melhor.
      Léia, conheço várias pessoas que o organismo passou a rejeitar a carne. Acho que isso deve fazer parte de um processo de evolução - pessoas que não comem carne, são menos agressivas.
      Beijus,

      Eliminar
  34. Luma! Eu aboli a carne vermelha da minha alimentação naturalmente. E hoje, me sinto muito melhor. Da carne branca, ainda gosto. Principalmente o peixe. Penso que o pior é a gente nem ter ideia da quantidade de alimentos transgênicos que, por vezes, ingerimos até sem saber. Beijo e ótima semana!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Renata, comecei a perceber que meu cérebro enfraquecia quando comia carne. Isso explicado pelo médico, de que a carne vermelha, por ter a digestão lenta, precisa de mais sangue circulando no aparelho digestivo. Sabe aquela famosa preguicinha após o almoço? Então, isso estava atrapalhando o funcionamento do meu cérebro, me dando um certo cansaço extra e diminuindo a produtividade no trabalho. Comer comidas leves garante mais disposição.
      Ainda vou fazer um post sobre os alimentos transgênicos :)
      Beijus,

      Eliminar
  35. Tudo que é radical eu abomino!
    Tudo o que uns defendem e querem ter razão de tudo, eu abomino!
    Tudo o que faz mal pra uns, faz bem pra outros.
    Nós somos o que comemos, o que pensamos, o que dizemos, o que vivemos, o que conquistamos, o que respeitamos, o que amamos...
    Quem quer comer carne, coma! Quem acha isso errado, abominável, não coma! Tão simples!

    Tenho um amigo que mora no Japão e no blog dele sempre tem uns engraçadinhos dizendo que lá eles comem carne de cachorro. Não sei se comem, mas do mesmo jeito que achamos estranho eles comerem coisas exóticas, eles nos acham estranhos também por não comermos. Cada um é cada um!
    Sem radicalismo, de preferência. Odeio isso!

    Como sempre fazendo a gente pensar...
    Beijos, querida!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Como escrevi acima em uma outra resposta a um comentário, a decisão sobre que comida colocar no prato tem implicações econômicas, ambientais, éticas, culturais, fisiológicas, filosóficas, históricas, religiosas. Quem vai comer, decide o que comer.
      Não sabia que no Japão comem cachorro. Acho que não, mas não posso afirmar. Sei que na Coréia eles comem. É absurdo, pois são animais domésticos, assim como os gatos, passarinhos... Na Índia eles comem pombos, na China comem ratos... Os chineses quando chegam no Brasil correm para uma churrascaria. Na China, a carne de vaca é muito cara, se não fosse, não comeriam ratos. Mas que bom que lá é cara. Perigava a carne de vaca acabar no mundo.
      Beijus,

      Eliminar
  36. Oi Luma,

    Curioso como os costumes alimentares são diferentes. Lembro de um lugarejo no interior da Bahia onde o lema era: "comer o que encontrar". Foi a primeira vez que vi comerem buchada de bode e carne de jumento. Nunca tive coragem de provar, mas entendo que as circunstâncias podem determinar os padrões alimentares. Aqui em Piacenza existem açougues de carne de cavalo e quando a notícia da Nestlè saiu, as pessoas se maravilharam que alguém tivesse se maravilhado por isso.

    Sou carnívoro, tenho consumido pouca carne e fico doido por um churrasco.

    :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Na seca vale sobreviver! Mas acho que nos países em que a carne de cavalo foi vendida como carne de vaca, o motivo da indignação não foi por ser carne de cavalo, mas porque a embalagem indicava outra carne. A população sentiu-se lesada financeiramente, afinal, a carne de cavalo é bem mais barata. Também lesada moralmente por ter comprado uma coisa e era outra. Um bifinho não mata ninguém! O problema é mesmo o excesso! Beijus,

      Eliminar
  37. O tema é polémico e complexo.
    Mas há uma coisa que eu digo de vez em quando e que se poderá apliacar a este teu post: morrer saudável é o pior que há na vida. Porque o sofrimento é longo e progressivo. Pode durar mais de 10 anos...
    Querida amiga, tem um bom resto de semana.
    Beijo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Como assim? Quem morre saudável, morre de uma hora para outra! Quem morre doente é que fica sofrendo... Depois me explica direito!!
      Vamos viver com equilíbrio! Beijus,

      Eliminar
  38. Querida amiga

    Há temas que
    não encontramos respostas.
    Penso que acima
    de tudo,
    a vida deve ser preservada,
    cuidada e respeitada,
    seja ela de que tipo for.

    Desejo que o amor,
    faça morada em seu coração.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que o amor também faça morada em seu coração!! :)

      Eliminar
  39. Bastante polêmico seu post de hoje, acho que iria fazer uma monografia sobre esse assunto, se iniciar a falar sobre ele. Abraços.Sandra

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Sandra!!
      Percebeu que não comecei a escrever? Se começasse, não sei onde iria parar :)

      Eliminar
  40. Tema e polêmica boa! Ainda tem caldo?
    Estou num processo semi vegetariano (se é que existe), estou tirando a carne do cardápio devagar, era semanal, quinzenal, agora é mensal, daqui a pouco a turma no cafofo nem vai sentir que parou de comer carne... Na verdade não quero impactar o meu organismo!
    Luma, como gourmet já fui bem selvagem, morei na Altamira - PA, visitava aldeias, tinha amigos indígenas, já comi carne de macaco,onça, cobra jiboiá, jacaré etc. Sempre olhava receosa, mas a curiosidade de saber sobre o sabor era maior, foi uma época que marcou muito (anos 70) não esqueci os detalhes até hoje, não vou contar p/ vc não passar mal rsrsrsrs
    Enfim, hoje não como animal silvestre, porém não condeno quem mata para sobreviver. Meu filho é um "italiano" ama massas, só dá trabalho nas verduras, elas parecem 007, todas disfarçadas no prato rsrsrs.

    Estou lendo um livro (na verdade dois) "100% Vegetariano", falarei sobre ele no bloguito, quando terminar.

    Bjãoooooo e sonhe com os anjos luzes!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bia, ainda tem caldo... rs.
      Existem muitas tipos de vegetarianos. Mas acho que a melhor forma de se alimentar é aquela que não te traz prejuízo mental e físico. Uma amiga não se sentiu bem comendo muita verdura e foi ver tinha um problema no colón que ainda não tinha se manifestado. Quer dizer, anteriormente ela se alimentava instintivamente de um modo que a doença dela ficava quietinha.
      Eu ainda como carne, Bia. Bem pouco, mas ainda como. Mas a questão maior que trato no texto é dos produtos industrializados e como enganam o consumidor.
      Vou esperar pelo post!!
      Beijus,

      Eliminar
  41. É para ficar bem pensativa!

    Carol
    www.umblogsimples.com

    ResponderEliminar
  42. Sou vegetariana há 13 anos, mas não sou radical, respeito a opinião alheia e achei seu texto de muito bom gosto e ótimo tom ;)

    Beijos =)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Nadine! Nem queria tocar no assunto sobre ser ou não carnívoro, vegetariano... o que mais me preocupa é o que andam colocando dentro das embalagens industrializadas... beijus,

      Eliminar
  43. Luma,
    O que eu não gosto é do radicalismo. Acho que podemos como vc mesmo coloca, evitar produtos muito industrializados. Onde nem sabemos de que carne é aquele alimento. Parar de vez de comer carne em um país onde não se tem a cultura de ter comidas vegetarianas é bem pesado. Digo isso por conta da minha cunhada americana que quando ela vem nos visitar é um horror para cozinhar para ela. Primeiro, no Ceará não temos tanta variedade assim de verduras e legumes para se fazer. Tudo bem que ela come peixes e mariscos, ótimo pois aqui só o que temos e muito é isso. Mas quando se vai a um restaurante e pede algum prato de camarão ou outro marisco qualquer sempre eles colocam outro igrediente de origem animal e lá vai ela não poder comer. Complicado! Não é fácil mesmo ser vegetariano aqui! Por isso que acho que a pessoa deveria comer de tudo e evitar ao máximo tudo que sangre! Até mesmo para ir a algum local facilitar a vida de quem recebe. Não é toda casa que vamos visitar, ou a algum evento que tenha pratos vegans puros. Tem saladas com frango dentro, por exemplo! E aí???? Por isso falo, vamos evitar e tentar comer coisas saudaveis mesmo que sejam carnes!
    Beijos
    Adriana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Adriana, também sou contra radicalismo. Por isso a minha atenção no post foi focada nos produtos industrializados. Já tentei ser vegetariana, mas como você bem expôs, não somente no Brasil, é bastante complicado. Ainda bem que aqui na região sudeste tem aumentado o número de restaurantes vegans, mas sei que no resto do Brasil é bastante complicado!! Beijus,

      Eliminar
  44. Luma querida, eu não como carne e tenho um profundo respeito pelos seres de todas as espécies.
    O que vejo e entendo, principalmente depois de muito ouvir "mas Deus deixou para que o homem se alimentasse...", eu digo, "exatamente, se alimentasse e não se empanturrasse e destratasse os animais, não dando condições de vida digna.
    Qdo meus avós e bisavós tinha criação, eles ficavam pelo quintal, livres, eram alimentados e bem tratados e um dia viravam alimento, com dignidade, sem sofrimento, encarcerado.
    Acho que muitos não entendem essa discrepância e se não tiver carne no prato é como se não tivesse alimento.
    Eu não como e se pudesse não deixaria nenhum animal sofrer.
    E o pior é que a questão vai além: calçados, produtos de limpeza, higiene, cosméticos...

    Gsotei do seu texto.

    Abração.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. No passado, a carne era reservada para o final de semana, pois durante a semana a atenção maior eram para as hortaliças e legumes que a terra produzia. Para se comer a carne, era preciso a engorda e isso demorava. Atualmente o número de casos de câncer tem aumentado e consequentemente a alimentação farta. Como escrevi acima, não somente o peixe tem morrido pela boca!!
      Então, tem gente que não come carne mas usa vestuário e acessórios... daí como faz?
      Beijus,

      Eliminar
  45. Olá Luma.
    Não tem como não dizer que somos carnívoros, palavra forte essa, dá uma impressão de canibalismo. Mas com estas novidades que estão aparecendo como carnes exóticas em nosso prato, bichos que convivemos e aprendemos a amar como minha galinha e meu galo, me dá um aperto em meu coração em me alimentar com os da mesma especie, é estranho eu sei, hipocrisia talves, posso somente dizer que a carne consumida aqui em casa esta diminuindo e a dieta por causa de um problema de coração do maridão continua, natureba. Preparo nossas refeições sempre, não gostamos de comida industrializada. O problema é que as pessoas não fazem mais uma orta em casa, tudo é comprado pela comodidade. Quem sabe uma educação alimentar não seria a solução. Aprendendo sempre. A saúde em primeiro lugar. Beijinhos e um fim de semana maravilhoso.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nos acostumamos desde sempre a comer carne e conforme vamos tendo a ciência de como o mundo tem girado, temos que nos acomodar aos novos tempos. Tempos de comida contaminada por excesso de adubos e produtos químicos, mas o engano de levar gato por lebre... ou melhor, carne de cavalo por carne de vaca, nos coloca em uma situação de que, a partir do momento que não somos nós que criamos os animais que vamos comer, o que está exposto em um supermercado depende de fiscalização rigorosa. Se a fiscalização não funciona, como faz? Estamos à mercê dos grandes frigoríficos... essas coisas nos faz parar para pensar em que estamos comendo e se vamos continuar. Quando temos casos de doença na família, todos acabam entrando na dieta juntos!
      Beijus,

      Eliminar
  46. Eu li alguns comentários aqui, não todos, então vou responder a um deles. Venho de uma família de baixa renda e na minha infância inteira e adolescência nunca comi comida industrializada. Minha mãe sempre manteve uma horta no quintal. Eu odeio comida artificial. Uma vez fui comer uma sopa instantânea e botei tudo fora. Sinto muito, mas isso não é comida.
    Eu como carne, admito, embora não coma os animais que eu conheço, só os estranhos. E até hoje temos horta, é a melhor coisa. Hj mesmo estamos planejando plantar alface e radicci. Bj.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Patrícia, tenho uma sobrinha que foi criada como você e até mesmo os cubos instântaneos e temperos prontos lhe faz mal. Seu organismo rejeita o artificial e isso é bom!
      Tenho uma hortinha também! A minha é suspensa porque moro em apartamento. Ah, o que é radicci?
      Beijus,

      Eliminar
  47. Acho super justo lutar por um mundo em que as pessoas sejam vegetarianas, mas vai ser necessário uma grande mudança cultural.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ou pelo menos que tenhamos ciência do que estamos comendo, por opção! Beijus,

      Eliminar
  48. Se quem fala muito dá bom dia a cavalo, quem come demais pode estar relinchando ao invés de arrotar (:...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hahahahaha rir para não chorar!! :) Beijus,

      Eliminar

Tenha identidade, não seja anônimo na web. Crie sua identidade virtual.

...bisbilhotaram em quietude, sem solidão

PlagSpotter - duplicate content checker tool
Licença Creative Commonsget click

Algumas coisas não têm preço


finalista the weblog awards 2005finalista the weblog awards 2006
finalista the weblog awards 2007weblogawards 2008
Verificar conteúdo duplicado

Me leve com você...

Leia o luz no seu celular

Copyright  © 2014 Luz de Luma, yes party! Todos os direitos reservados. Imagens de modelo por Luma Rosa. Publicações licenciadas por Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial- Vedada a criação de obras derivadas 2.5 Brasil License . Cópia somente com autorização.

Tem sempre alguém que não cita a fonte... fingindo ter aquilo que não é seu.

Leia mais para produzir mais!

Atenção com o que levar daqui. Preserve os direitos autorais do editor