Detalhes

Pormenores de um todo que definem o conteúdo.

casa de bonecas
casa de bonecascasa de bonecascasa de bonecas
Alguém duvida?

casa de bonecas
A casinha vi no blogue "Coisas que gosto", numa chamada para o chá. Recomendo o blogue da Heloisa, um cantinho agradável, clean e ao mesmo tempo cheio de novidades! Já apliquei muitas ideias do seu blogue no meu dia a dia e desta vez, topei tomar o chá. E hoje foi muito bom meu passeio por lá, principalmente quando me deparei com as "50 maneiras de desperdiçar a vida".

Quem me conhece sabe que não sou de chorumelas e a tristeza do post anterior, foi retrato de um momento, até porque não sou uma pessoa triste. Estou justificando porque não quero que tenham dó de mim - recebi alguns emails de amigos blogueiros realmente preocupados, o que agradeço muito, mas afinal, quem não passará pela mesmíssima situação? Quase todos... No blogue quero preservar a liberdade que tenho de demonstrar através da escrita que sou uma pessoa de carne e osso - Ah, sim! Tem gente que acha que eu não existo, mas isso é uma outra história.

Para não desperdiçar o tempo de vocês e o meu também, poderíamos entrar em acordo para direcionarmos nossas energias para algo que realmente vale a pena: Nossas crianças. E não é porque seja mês comemorativo, mas porque elas e nós precisamos de muito mais que os olhos possam alcançar.

Quem não tem criança em casa, tem na vizinhança ou entre familiares e amigos. Existem aqueles que não gostam de crianças, a estes peço que não as excluam de suas vidas e dediquem um tempinho a elas, mesmo que elas não sejam suas. Ah, que energia boa! Elas ensaiam a vida como se fosse uma peça de teatro para no futuro encená-la. Percebe que criança que não brinca será um adulto amargo, sem criatividade e habilidade social?

Tudo o que a gente faz na relação com as outras pessoas tem um impacto sobre nós e sobre o outro. Uma pessoa pode ser muito habilidosa em uma situação e em outra não, muito competente no trabalho e nada competente em casa, por exemplo. Nossa história de vida vai se moldando com aquilo que aprendemos e na forma que a gente vai se comportar. Cada vez que me recuso a aprender algo porque fui cobrada ou que houve uma espécie de chantagem emocional, provavelmente ficarei mais inibida de fazer em outras situações o que eu deveria fazer. A coerência entre o que eu penso, o que sinto, falo e faço vem daquilo que aprendi de forma espontânea. Temos uma porta em nosso cérebro que se abre mais facilmente para o aprendizado de coisas que supostamente gostamos. Mas se eu não abrir essa porta para coisas que eu nunca experimentei, também não estarei desenvolvendo as minhas habilidades, principalmente as "sociais", aquela que muitos conhecem como "Inteligência Emocional".

Inteligência Emocional, aprendemos a tê-la desde a tenra idade e ninguém nasce com ela. Ninguém nasce com algum grau de inteligência em qualquer coisa. Sim, existem famílias inteligentes, por que as crianças são estimuladas desde cedo a se desenvolverem por causa do ambiente propício. Ninguém nasce burro, somente incapaz - mas isso também é outra história.

Brincar faz parte de todo esse processo, daí a expressão "Aprender brincando" e chama a nossa atenção porque nos dá a impressão que será mais fácil aprender. Mas será que é fácil brincar? Muitas crianças não sabem, que dirá um adulto. Como aprender a brincar, como ser uma pessoa mais leve e sociável?

As respostas para todos estes questionamentos, estão nas crianças. O adulto que "perde tempo" com crianças torna-se uma pessoa com menos nós e entraves. A criança que convive com outras crianças aprende tudo mais rápido e principalmente a ser menos egoísta.

Antigamente os pais tinham filhos em escadinha; Ao filho mais velho eram dadas mais obrigações, o que fazia ele ser mais responsável e havia um certo respeito hierárquico dentro da família. Atualmente os pais espaçam mais a idade entre os filhos e isso pode não ser legal quando você tem em casa dois ou mais "filhos únicos". O engraçado é que quanto maior o tempo entre os filhos, mais cobrador e infantilizado fica o filho mais velho. Me compadeço dos caçulas, porque imagino que ter um irmão mais velho que é velho, deve ser um porre.

Temos exemplos na vida, mas só aprendemos com as nossas próprias cabeçadas. Os pais alertam, cumprindo o seu papel, mas deixar um filho errar por si, não é poupá-lo de sofrimento, é simples prova do nosso próprio amadurecimento. Ninguém aprende com o erro do outro e sim com seus próprios erros.

Criança não é detalhe dentro de uma família, ela sim é cheia de detalhes que precisamos prestar atenção para que o conteúdo não seja comprometido.

Que tal arrumar um pretexto para reaprender a brincar?

Topa brincar de casinha comigo? Venha!

31 comentários :

  1. Oie.
    Vim conhecer seu blog e já estou seguindo para voltar mais vezes.
    Fui professora de Informática Educacional e atuei em um ambiente escolar extremamente preocupado com o Lúdico. Saudade daquelas crianças que amavam aprender. Adorei o post!
    Abraços,
    Dany, Danielle
    www.danydanielle.blogspot.com

    ResponderEliminar
  2. Puxa, fui lá brincar contigo.Achei lindo e fiquei! beijos,tudo de bom,chica

    ResponderEliminar
  3. Bom dia Bella!

    Hoje, levando criança p/ fazer exame de rotina, sem muito time. Mais tarde vou com certeza na amiga...

    Avisando que hoje tem a primeira promoção natalina na Jubiart!

    É,chegando natal...

    Lindo dia p/ vc! Beijãooooooooo

    ResponderEliminar
  4. Subscrevo inteiramente o que dizes neste post magnífico, porque brinquem muito com as filhas e filhos dos vizinhos, e hoje com os netos, longe das televisões e na reinvenção no fabrico de brinquedos da minha geração num aproveitamento de material que vai para o lixo...e tanto eles valorizam e dão muito mais valor do aos brinquedos XPTO. Há guerra entre avós...quem dá mais ao menino e menina" e acredita Luma, sobretudo a de 8 anos e a de 5, sabem que não se pode ter tudo e vá com elas aonde for que não pedem literalmente nada.

    Têem o mesmo comportamento com os pais e não sou avó para deseducar...mas continuar o trabalho que eles fazem.

    São solidárias, nada lhes escapa, e ontem que estive com elas em SOS avó fizeram sapinhos de papel de publicidade/propaganda (um gasto dantesto feito em Portugal) e lá estive de gatas uma hora e....perdi:) mas sempre lhes incuti que têem que aceitar quando perdem...porque só assim sabemos crescer!

    Para se poder brincar é nunca deixar morrer a criança que existe em todos nós, mas os que deixam...devem descer ao nível das crianças e "perder tempo" com elas. Faço o jantar antes de as ir buscar à escola...e desde saltar à corda, lançar paraquedas que também os fiz, a dizer sapinho pula-pula...vale por mil filmes na tv e o dessassogo é fico que nem Mariamole:)

    "O deixar errar" será sempre a melhor forma, já que em muitas situações a proibição total aguça a curiosidade e dou-te dois exemplos:
    -a minha filha mais velha era por demais e um fascínio pelos fósforos, que com 3/4 anitos mal os apanhava...avisei, avisei...e deixei mas à espreita. Queimou a ponta do dedo...remédio santo.

    Com as netas, sobretudo com a de 5 anos...não faças isso olha que vai dar mau resultado...continua na dela...teimosaaaaaaaaaaaaa...e resultado? entalou um dedo que teve que ir ao hospital apenas por precaução pois poderia ter partido um ossinho. Ontem...Bó, abres ã porta da garagem? é que aprendi a lição. Toma e amebrulha:)

    Não consigo ir brincar de casinha contigo, o link não abre...mas logo voltarei:)

    Um beijo garota linda

    ResponderEliminar
  5. Luma,

    Aqui em casa somos três, nascidos em um espaço de quase 15 anos: o mais velho vai fazer 31, o mais novo tem 17, mas a casa sempre é cheia de crianças, meus primos praticamente moram aqui. É interessante ver como se desenvolvem rápido - e em como são diferentes de quando eu era criança. É sempre muito bom tê-las por perto.

    Grande beijo.

    ResponderEliminar
  6. PS: num comentário que fizeste lá, perguntas se gosto de Rodrigo Leão. Julgo ser o português que de facto gosto com uma obra invejável: em 82 com o grupo Sétima Legião e em 85 com os Madredeus, que acabaram há pouco tempo, mas que percorreram mundo. Agora também já ouvi as suas poucas composições/músicas a solo, uma voz deliciosa... que prometem ser um sucesso.

    Um abraço

    ResponderEliminar
  7. Meu filho tem um irmão por parte do pai, com uma diferença considerável de idade, o pequeno o vê como um ídolo, a quem ele chamava quando pequeno de "irmão grandão". Fui lá brincar de casinha,o chá estava uma delícia.
    beijinho

    ResponderEliminar
  8. Perfeitooooooooooo
    Maravilhosoooo
    Adorei Lumaaaa e olha que estou descobrindo que é maravilhoso voltar a ser criança com QUASE 40, por causa do João Victor viu ??? rsrs
    Bjs
    Debby :)

    Perfeito seu texto Luma adorei... e vou propagandear ele no meu blog viu ???

    ResponderEliminar
  9. Luma, minha vida são as crianças e engana-se quem acha que é perda de tempo dar-lhes atenção.
    Falou bem demaissssssss.
    Agora vou brincar. rs
    Xeros

    ResponderEliminar
  10. Oi, Luma!

    Brincar é um desafio, pelo menos pra mim, kkk Acho que perdi o jeito, a paciência, sei lá...
    Já brinqui muito, mas, confesso que não consigo mais. Às vezes até tento, com meus sobrinhos, mas, daí lá vem a bagunça, a algazarra, todos querem a mesma coisa, e me sinto num campo de guerra, kkk
    Mas, concordo em gênero, número e grau com o seu pensamento.
    Aliás, adoro conversar com crianças, estimular a criatividade delas, rir com elas... Só não consigo brincar, por muito tempo.

    Obrigasda pelas visitas sempre tão carinhosas, viu?

    Beijos
    Socorro Melo

    ResponderEliminar
  11. Luma,

    Não vou dar pitaco. rsrs Você disse tudo. Brincar com e deixar brincar a criança torna um adulto mais confiante, com melhor autoestima. O mais difícil para a mãe é entender que o filho vai errar. Todo erro gera consequência que faz sofrer. Ver filho sofrer, mãe nenhuma merece.
    O chá estava delicioso! Comentei la nas casinhas.

    Girassóis nos seus dias.
    beijos

    ResponderEliminar
  12. Conhecer alguém aqui e ali...

    Um beijo da Nita. Hoje de boa noite!

    ResponderEliminar
  13. Olá Lum

    Eu sou Kinha e vim conhecer seu espaço. Gostei e já estou te seguindo. Vou aguardar a sua visita e ficarei feliz se me seguir também.

    Venha participar do Sorteio de uma joia criada pela designer Eliana Colognese e uma camisa da grife A COSTUREIRA MADAME. Faca já a sua inscrição.

    Bjoooooooo..................
    WWW.AMIGADAMODA1.COM

    ResponderEliminar
  14. Oi, Luma!

    Na postagem anterior percebi foi um momento de nostalgia. Uma necessidade de escrever sobre o momento. Momentos necessários para todos nós.

    De uns tempos para cá aprendi a não sentir pena das pessoas pois acho que sentir dó não é um bom sentimento.

    Quanto a brincadeira vou lá brincar um pouquinho, já que na minha infância não brinquei muito.

    Beijos!

    ResponderEliminar
  15. Luma, não se preocupe com as aguas passadas: SMILE!

    Sobre o blog fofo que indicou, vou ver... amei as imagens.

    BEIJOS

    ResponderEliminar
  16. Tive uma infância em que brinquei muito com outras crianças, vivia no clube, nos parques, praças, tinha muitos amiguinhos, lembro-me bem disso :)
    Convivi muito com meus primos (passávamos férias maravilhosas juntos). Enfim, guardo lembranças maravilhosas dessa época, mesmo com dificuldades em casa, meus pais me proporcionaram momentos inesquecíveis.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  17. A cada dia que passa vejo mais e mais motivos para brincar!Lógico que ajudada pela neta.
    bjs
    Jussara

    ResponderEliminar
  18. Não me apercebi que tinha voltado logo não li o post anterior. O blogue da Heloísa eu visito desde que entrei neste mundo da blogosfera. Nem sempre comento, mas isso eu faço com todos. Quandoi não me ocorre nada de jeito para dizer, ou quando não entendo os textos, saio de mansinho sem deixar rasto. Também quando o tempo é pouco, eu perefiro gastar o tempo nas visitas do que nos comentários.
    Quando ao assunto do seu post ele retrata a realidade do meu país. Quando eu tinha 20 meses, nasceu minha irmã, e no dia em que ela fez um ano nasceu meu irmão. Eu tinha que tomar conta deles e não os deixar fazer asneiras, mas o meu entendimento não era muito melhor que o deles. Hoje devido à situação de desemprego que se vive os pais não arriscam mais do que um filho, e quando arriscam, um já está quase namorando.
    Um abraço e tudo de bom por aí.

    ResponderEliminar
  19. Como de costume gostei do seu texto...e te conto..aqui em casa tem duas crianças no momento...eu e o meu netinho Raphael....uma delícia!!!
    Vou conhecer os links e ler o post anterior....depois eu volto.
    Beijão
    Astrid Annabelle

    ResponderEliminar
  20. Foi, Luma. Foi um momento pontual. Porque a Luz que conhecemos é sempre a que esmiúça os temas mais complexos, os mais corriqueiros e, além disso, vive fazendo piadinha, principalmente se for segunda-feira. Desde que entrei aqui a primeira vez tem sido assim...

    Ah, pois é. Agora que vc publicou a teoria que contesta sua existência, vai ver se não vai aparecer um ou outro por aqui com uma interrogação por cima da cabeça, e aquela posição de sobrancelhas típica de quem carece de um pouco mais de explicações (porque sente que está boiando). Uma pena eu não ter um link lá na minha jANELA, dissecando a teoria, que é pra ligar em bluetooth com o seu e satisfazer curiosos e potenciais adeptos, hahahaha!

    É, tenho dito... Sua cabeça não pára, ô coisa difícil compor esta mulher! Melhor render-nos a limitação preguiçosa de que ela não existe =) De carne e osso, é? Hum, eu sei...

    Olha, muito conveniente as considerações sobre infância. Até pra mim, que tenho filhos pequenos, um deles com 0 anos (meu Deus! Qta responsabilidade! Logo eu!), foi um chamamento. Coisas que são necessárias serem ditas a respeito do que carecem as crianças; respeito.

    Sobre brincar, realmente quem tem criança por perto faz cada papel ridículo... Ridiculamente saudável. Tanto que na hora já tiramos a etiqueta de "ridículo" da testa e colamos em quem nos classifica, tipo, "ridículo é vc, meu camarada!" [que tá olhando com essa cara]. Estou reaprendendo a brincar. Se eu não fosse tão "mãe megera", talvez aprendesse mais rápido.

    Filhos em escadinha é legal. Filhos com uma distância boa, também. Tem que ser sem pressão, deixar fluir. Também não se pode não ter um filho por esse ou aquele motivo mesquinho (quando e se é mesquinho) caso haja a vontade de tê-lo. Penso que a vontade é o mais difícil, hoje em dia...

    Bjs,

    Michelle

    ResponderEliminar
  21. Sensacional Luma querida! Amei seu texto! Nossa em várias frases parei e bebi as suas palavras tão verdadeiras e soltei um sonoro: - É mesmo! (rsrs)
    Show de post!
    Minha querida passo também para te dizer que recebi o seu carinho no meu aniversário com enorme carinho, muito obrigada! E muito obrigada também pelo lindo comentário que deixou lá na minha entrevista para a Anne Lieri no Recantos dos Autores. Adorei! ;)
    Beijo, beijo!
    She

    ResponderEliminar
  22. Olá Luma,

    Estiveste num vibe menos agradável? Vou ler o post anterior, mas desde já digo que todos temos direitos a momentos menos alegres. Com uma sobrinha minha, descobri que até as crianças têm o seu dia Não.

    Como assim, não existes? Ok, vou ler também esse blogue lol.

    Para mim um adulto nunca perde tempo com crianças, pelo contrário: investe tempo nelas.
    É lamentável que muitos pais hoje falem dos filhos com aquele tom de "Ai, tive estas crianças, este peso, que só me ocupam tempo e sugam as energias"...quem mandou ter filhos? E mais, será que um dia não tiveram a atenção máxima e devoção dos seus pais (que nunca se queixaram)? É triste...

    Sou contra filhos únicos: são egoístas (e olha, estou rodeada deles). O meu irmão pode ter sido um porre em certas ocasiões, mas dou Graças a Deus pela sua existência na minha vida - foi uma experiência e tanto, que contribuiu para o que sou hoje.
    E depois temos os tais filhos, a quem te referiste, que embora tenham irmãos a diferença de idades é tão díspar que os pais acabam por educar vários filhos únicos (egoístas): também tenho exemplos disso na família.

    É um assunto complexo, mas que vale a pena analisar.

    Beijoos

    ResponderEliminar
  23. Querida
    Como entendo vc!!!
    Tem gente que pensa que, porque falamos de Deus, somos anjos... assexuados e outros...
    Bjm de paz

    ResponderEliminar
  24. Vim até aqui e aceitei o convite de brincar contigo.
    Prestar atenção nas crianças, observar, aprende-se muito.
    Desejo que esteja, sempre, bem.
    Beijos.

    ResponderEliminar
  25. Fui lá brincar de casinha...que delícia...! não sabia que voce ainda brincava de boneca...que bom!! um lado da Luma que eu ainda não conhecia e amei conhecer...


    Crianças, sempre amei...fiz Pedagogia e dei aulas para crianças muitos anos da minha vida...foram os meus melhores dias vividos aqui na terra...vivia num mundo encantado...

    Que post ótimo para chamar a atenção...é uma pena que tão poucos "percebam as crianças"...

    Um beijo e muita luz no seu caminho...!

    Liz

    ResponderEliminar
  26. Ja' fui visitar e encantei-me!
    Um lindo e mágico fim de semana para você!
    Bjim
    Léia

    ResponderEliminar
  27. Show!

    Vou conhecer o Blog...
    A casinha é uma prenda...

    tua reflexão sobre as crianças.. certeira...
    O que mais dizer, além de grato por tantas boas partilhas!

    Bjus Luma Rosa!

    Te Adoro vc sabe.

    ResponderEliminar
  28. Luma:
    Ah, que texto bom de ler...e imaginar que tudo pode começar nos Detalhes.
    Nas casinhas que fizemos de desenho e de folha de bananeira...
    Obrigada!

    E tudo pode ser possível se insistimos. mesmo quando parece que não sabemos fazer...Valeu.
    Beijos.
    Anny

    ResponderEliminar
  29. Quanto detalhe neste seu post ecomo foi bom ir brincar de casinha. Muito linda e cheia de mimos que não dá vontade de sair.

    Mês da crinaça, mês da conscientização.

    Obrigado pela visita e alavras que tocaram o meu coração.

    Beijos

    ResponderEliminar
  30. Luminha!
    Também fui nessa, adorei brincar de casinha.
    um super mega beijo carioca e ótimo fim de semana!

    ResponderEliminar

Tenha identidade, não seja anônimo na web. Crie sua identidade virtual.

...bisbilhotaram em quietude, sem solidão

PlagSpotter - duplicate content checker tool
Licença Creative Commonsget click

Algumas coisas não têm preço


finalista the weblog awards 2005finalista the weblog awards 2006
finalista the weblog awards 2007weblogawards 2008
Verificar conteúdo duplicado

Me leve com você...

Leia o luz no seu celular

Copyright  © 2014 Luz de Luma, yes party! Todos os direitos reservados. Imagens de modelo por Luma Rosa. Publicações licenciadas por Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial- Vedada a criação de obras derivadas 2.5 Brasil License . Cópia somente com autorização.

Tem sempre alguém que não cita a fonte... fingindo ter aquilo que não é seu.

Leia mais para produzir mais!

Atenção com o que levar daqui. Preserve os direitos autorais do editor