Mental Obesity

cabeça cheia

Acabei de ler o livro «Mental Obesity» e joguei a minha balança fora!

Tinha bastante curiosidade em ler o livro do Prof. Andrew Oitke, um revolucionário dos campos de educação, jornalismo e relações sociais; nesta obra ele descreve o que considera ser o pior problema da sociedade. Catedrático de Antropologia em Harvard, revela um conceito e destaco alguns parágrafos:

«Há apenas algumas décadas, a Humanidade tomou consciência dos perigos do excesso de gordura física por uma alimentação desregrada. Está na altura de se notar que os nossos abusos no campo da informação e conhecimento estão a criar problemas tão ou mais sérios que esses.»
Vai mais além

«A nossa sociedade está mais atafulhada de preconceitos que de proteínas, mais intoxicada de lugares comuns que de hidratos de carbono. As pessoas viciaram-se em estereótipos, juízos apressados, pensamentos tacanhos, condenações precipitadas. Todos têm opinião sobre tudo, mas não conhecem nada. Os cozinheiros desta magna fast food intelectual são os jornalistas e comentadores, os editores da informação e políticos, os romancistas e diretores de cinema. Os telejornais e telenovelas são os hamburgers do espírito, as revistas e romances são os donuts da imaginação.»

Estamos esquentando...

«Qualquer pai responsável sabe que os seus filhos ficarão doentes se comerem apenas doces e chocolate. Não se entende, então, como é que tantos educadores aceitam que a dieta mental das crianças seja composta por excesso de desenhos animados, videogames e telenovelas. Com uma «alimentação intelectual» tão carregada de adrenalina, romance, violência e emoção, é normal que esses jovens nunca consigam depois uma vida saudável e equilibrada.»

Um dos capítulos mais polémicos e contundentes da obra,
intitulado "Os Abutres" em referência, lógica ao filme. Afirma:

«O jornalista alimenta-se hoje quase exclusivamente de cadáveres de reputações, de detritos de escândalos, de restos mortais das realizações humanas. A imprensa deixou há muito de informar, para apenas seduzir, agredir e manipular.»

O texto descreve como os repórteres se desinteressam da realidade fervilhante, para se centrararem apenas no lado polêmico e chocante.

«Só a parte morta e apodrecida da realidade é que chega aos jornais.»

Outros casos referidos criaram uma celeuma que perdura.

«O conhecimento das pessoas aumentou, mas é feito de banalidades.
Todos sabem que Kennedy foi assassinado, mas não sabem quem foi Kennedy.
Todos dizem que a Capela Sistina tem teto, mas ninguém suspeita para que é que ele serve.
Todos acham que Saddam é mau e Mandella é bom, mas nem desconfiam porquê.
Todos conhecem que Pitágoras tem um teorema, mas ignoram o que é um cateto.
Não admira que, no meio da prosperidade e abundância, as grandes realizações do espírito humano estejam em decadência. A família é contestada, a tradição esquecida, a religião abandonada, a cultura banalizou-se, o folclore entrou em queda, a arte é fútil, paradoxal ou doentia.
Floresce a pornografia, o cabotinismo, a imitação, a sensaboria, o egoísmo. Não se trata de uma decadência, uma «idade das trevas» ou o fim da civilização, como tantos apregoam. É só uma questão de obesidade. O homem moderno está adiposo no raciocínio, gostos e sentimentos. O mundo não precisa de reformas, desenvolvimento. Precisa sobretudo de dieta mental: COM QUALIDADE!

Progressos!!!

Descobri de onde vem aqueles dois quilos a mais que atormentam a todos.
Não ligo mais a tv para dar soninho!

31 comentários :

  1. Muito bom esse livro deve ser. Interessante essa coisa da obesiddade mental. Pencebo que voce anda pensando no assunto ja faz um tempinho, desde aquele comentario sobre o tempo que se perde num facebook da vida por exemplo; E realmente, antes as pessoas ja se perdiam dentro de um shopping center, agora ja nem é preciso sair de casa para cair de boca no excesso de informaçao. A internet ja traz tudinho para voce.
    Assustador o quantidade de informaçao e banalidade. E puxa, de fato nao sei o que é um cateto...Sei que é a soma dos quadrados da hipontenusa... é isso? Por que algum dia devo ter decorado. Mas nao tenho a menor idéia do que significa. O autor tem toda razao... Beijos e boa semana,
    Cam

    ResponderEliminar
  2. Pelos exemplos transcritos mentalmente devo estar magrinho, afinal sei quem foi Kennedy, sei o que é um cateto, distingo Saddam de Mandella... agora se continuar a comer pizzas e hamburgeres (mesmo sem ver TV) não vou diminuir de peso físico...isso não. Uma boa semana cheia de sorrisos, flores e ...poesia (e sem gorduras mentais ahahaah)!

    ResponderEliminar
  3. Luma, que interessante, vou ver se encontro esse livro pra ler por aqui. E vou tomar a liberdade de compartilhar no facebook, quem sabe mais gente ler e pensa sobre, vi que tem o link pra compartilhar e curtir aqui no blog.

    Beijo e obrigada por partilhar esse post com a gente.

    ResponderEliminar
  4. Oi Luma, nossa, que livro hein! Recheado de verdades escancaradas. Olha, eu perdi a graça com a TV a alguns meses. Tem horas que a gente pira se ficar pensando o quão perversa são as relações na nossa sociedade. Deu vontade der ler o livro todinho. Bjus

    ResponderEliminar
  5. Parece-me muito interessante esse livro. Pelo que você colocou aqui, compartilho da ideia do prof. Andrew. Estamos gordos mentalmente. Estamos no modo de falar, porque sinceramente não me vejo assim. Muito pelo contrário. Minha mente é sarada, porque cuido dela, muito mais até do que do corpo. Não sou nenhum alienado alheio a tudo que acontece, mas não me deixo espantar por sensacionalismos da mídia e procuro olhar e saber o que real significado das coisas... Obs1: quanto aos quilinhos a mais agregados ao ligar a tv "para dar soninho", tb não corro o risco. Não assisto tv antes de dormir. Sequer tenho uma no quarto para ser mais preciso. Quando vou para ele, ou é para namorar ou para dormir. Xêro, luminha. Obs2: saudades.

    ResponderEliminar
  6. Oie! Achei bem interessante, mas só não gosto de radicalismos, nem tanto ao céu e nem tanto a terra, o ideal é buscar o equilíbrio para as coisas... Mas achei megainteressante sim e fiquei curiosa, adoro assuntos polêmicos! ;)
    Beijo, beijo!
    She

    ResponderEliminar
  7. Eu nunca tive balança e sinceramente me sinto feliz com meu peso que muitos devem considerar acima de algum padrão. Dane-se. Não vivo por eles, vivo por mim.
    E ontem alguém quis comentar comigo sobre o dilema do Rio e eu já estava pensando no jogo do Fluminense que ganhou o campeonato, mas o tema era outro: morros, polícia, drogas e bla bla bla bla. Pois bem, não sei nada a respeito e fui chamada de alienada. Sim, sou. Confesso. Mas não vou ficar ouvindo milhares de informações sobre um assunto velho, vencido e que já poderia ter sido resolvido se houvesse de fato interesse. Assim sendo, fui tratar de ler meus dois livros novos e terminar um outro que tinha começado. Ouvi clássicos, tomei chá e escrevi.
    Cansei desse jornalismo tolo e sem importância que não acrescenta nada a minha vida. Se saber disso tornasse o mundo melhor, não seria o caos que é. Mas eu tenho pra mim que a tv só vende o que está lá porque tem malucos diante da tela louco por sangue. Eu heim
    Bacio carissima

    ResponderEliminar
  8. Estes livros são gostosos de ler.
    com carinho Monica

    ResponderEliminar
  9. Luma; adorei o post! ele está certíssimo! Pior; deixamos-nos levar pelos apelos. A própria ciência, não sei se a mercê das apelações da mídia, se contradiz sempre. O que antes, segundo eles, fazia mal, hoje, eles já sinalizam como sendo fundamental, o café. E por aí vai. Acredito que se fôssemos seguir tudo que falam, acabaríamos é dando pane em nossa memória. Sendo assim, sigo os princípios da educação que meus antepassados deixaram. Se até hoje nada fez mal, não fará agora. Evito apenas excessos, de qualquer ordem.
    Boa semana! Beijos

    ResponderEliminar
  10. Luma,
    Que texto bom hem? Nossa sabe que eu nao tinha pensado nesse assunto por esse angulo? Minha inteligencia anda gorda sim, afinal, eu nao ando com vontade de me interar por tantas coisas que vem acontecendo....esse livro 'e muito bom e me abriu os olhos pra alguns aspectos da minha vida. Olha, acompanho todos os seus textos e os acho magnificos, mas esse superou as expectativas...parabens pela sua sensibilidade ao enxergar essas coisas e compartilhar conosco..porisso que estou sempre aqui...
    Bjs carinhosos
    Marcia
    Ps: Obg pelo carinho no comentario la no meu bloguinho...e sim, eu tambem tenho muito de minha mae, menos a culinario ne? rsrsrsrs e ela gracas a Deus ainda esta aqui faceira que so ela...a senhorinha mais fofa que existe na face da terra...rsrsrs..bjs

    ResponderEliminar
  11. Boa tarde menina, acho que eu vou atrás desse livro, quem sabe assim me livro de uma barriguinha chata da qual a Lu tem reclamado nos últimos tempos. rs
    Grande abraço

    ResponderEliminar
  12. Texto maravilhoso. Muitas vezes eu fico pensando: Como seria o mundo se os meios de comunicações, os formadores de opinião em vez de colocarem notícias trágicas passassem a mostrar o lado bom dos acontecimentos?...
    Creio, o mundo seria bem melhor...

    ResponderEliminar
  13. ADOREI O TEXTO E VOU VER SE ENCONTRO O LIVRO DEU MUITA VONTADE DE LER!

    ResponderEliminar
  14. Amei este texto, para mim um dos melhores , pois está simples conciso. Obsidade ampliada para o social. Este livro é especial.
    Bjs

    ResponderEliminar
  15. Os "progressos" foram benéficos mas estamos perante uma geração do "descartável" em que só aprendem o que lhes interessa e o resto é paisagem. A culpa é de quem? da educação que recebem com uma vida facilitada ou não a todos os níveis.
    Cansados preferem delegar na escola, televisão, internet ou nos avós o que como pais deveriam fazer onde o diálogo deveria ser regra nº.1.

    Gostei imenso e olha que a minha história de vida não fugiu do que o autor escreveu e hoje as filhas educam os meus netos na mesma base e os pilares do "bom senso a todos os níveis" vão-se mantendo.

    ResponderEliminar
  16. Olá Luma,
    Quantas verdades, quantas verdades...Não li o livro, mas li uma crítica, nas quais eram destacadas algumas frases que inseres. O que eu considero como síntese é que estamos a viver num mundo demasiado absurdo e perigoso e parece que não há volta a dar!!!
    Beijos,
    Manú

    PS. Sobre o teu comentário no meu blogue, eu não sou crente, concordo contigo mas o poema é muito bonito e foi decorado em miúda!...

    ResponderEliminar
  17. Luma,
    Não conhecia o livro, vou tentar ler.
    É incrível o que acontece atualmente... Alguns pais preferem a comodida de deixar os filhos o dia inteiro na televisão ou computador, acreditando que estão mais seguros do que na rua.
    Sei lá... Eu sempre falo que criança e adolescente precisa de exemplo na vida para conseguir usar o cérebro de forma correta.
    Beijos

    ResponderEliminar
  18. Adorei o comentário sobre o livro, vou procurá-lo pois fiquei curiosa.
    Atualmente a televisão significa violência e sexo, nada como ler um bom livro.
    Beijos.

    ResponderEliminar
  19. Nossa, Luma! Isso sim é que é terapia de choque! Porém, a mais pura verdade... infelizmente.
    Beijos!

    ResponderEliminar
  20. Não conhecia a obra e agora fiquei curiosa para ler.

    Espero encontrá-lo, rsrs....

    Estou precisando de uma leitura assim, rs....

    Beijos Lu...

    ResponderEliminar
  21. O livro do Prof. Andrew, parece ser uma boa pedida "Obesidade Mental" muito interessante mesmo, vou dar uma olhada. valeu pela dica Luma.

    Escrevi um texto sobre Ritual de Paixão (Amor Vampiro) se quiserem ler, de uma expiada, bjs e bom dia.

    ResponderEliminar
  22. Eu não vejo tv mesmo!
    Fiquei tentada a ler o livro!!!
    Beijos saltitantes
    Boa semana

    ResponderEliminar
  23. Luma...adorei o texto,
    acho que toca numa parte muito vulnerável da vida hj,fast food mental,fiquei muito curiosa pra ler o livro tbm
    Olha super obrigada por indicar o texto pra Laura, já trocamos figurinhas, hehehe
    Tentei deixar recado aqui outro dia, mas estavas off
    Valeu bella!
    beijão,

    ResponderEliminar
  24. Já faz tempo que não assisto quase nada na tv. Quando a ligo é para ligar o dvd e ver filmes bons, ruins, mas que me divirtam.
    As novelas e telejornais estavam me deixando irritada, então, não vejo mais.
    Adorei o texto.
    bjs

    ResponderEliminar
  25. Luma,

    Vou já tratar de adquirir esse livro. Deve ser magnífico. Excelente informação.

    Abraço.

    ResponderEliminar
  26. Aqui pela primeira vez e que coisa boa o Antõnio Rosa me proporcionou ...
    Já seguindo e linkando ...
    Irei com calma ler seus escritos para saboreá-los.
    Mas, me atendo ao presente post, tenho a dizer q fiquei empolgadíssimo com sua dica literária, pois os fundamentos q norteiam a obra em muito batem com minhas convicções ... Sua sinopse da obra é capaz de estimular qualquer um a devorá-lo com avidez ...

    bjux à Luma

    ;-)

    ResponderEliminar
  27. Tenho mesmo que ler esse livro!
    Beijinho

    ResponderEliminar
  28. Infelizmente, um mau que poucos conhecem e agem contra ele...

    Engraçado que para mim a quantidade de informações seja efeito da inteligência, mas a sabedoria é necessária para transformar este potencial em real conhecimento.

    E não te acho um caso perdido, pois estamos em meio aos sonhos, mesmo que agora seja reais (há um tempo atrás não passavam de planos de alguém).

    Fique com Deus, menina Luma Rosa.
    Um abraço.

    ResponderEliminar
  29. Oi, seu link paa o livro não funciona. Você realmente tem o livro? Alguém tem? Tem como indicar onde comprar ou disponibilizar uma cópia? Obrigado.

    ResponderEliminar
  30. Interessante esse tema e livro,Luma! Que tenhas uma linda semana,beijos,chica

    ResponderEliminar
  31. Puxa, desde a manhã não conseguia postar.
    Interssante esse post. Ben esclarecedor! uma linda semana, beijos, chica

    ResponderEliminar

Tenha identidade, não seja anônimo na web. Crie sua identidade virtual.

...bisbilhotaram em quietude, sem solidão

PlagSpotter - duplicate content checker tool
Licença Creative Commonsget click

Algumas coisas não têm preço


finalista the weblog awards 2005finalista the weblog awards 2006
finalista the weblog awards 2007weblogawards 2008
Verificar conteúdo duplicado

Me leve com você...

Leia o luz no seu celular

Copyright  © 2014 Luz de Luma, yes party! Todos os direitos reservados. Imagens de modelo por Luma Rosa. Publicações licenciadas por Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial- Vedada a criação de obras derivadas 2.5 Brasil License . Cópia somente com autorização.

Tem sempre alguém que não cita a fonte... fingindo ter aquilo que não é seu.

Leia mais para produzir mais!

Atenção com o que levar daqui. Preserve os direitos autorais do editor