Lugar de homem é na cozinha! [update]

Outro dia estava lendo algumas notas pessoais da Martha Medeiros, especialmente o texto "Homem Cozinhando", que divertidamente expõe o perfeccionismo que alguns homens adquirem quando aprendem um pouquinho mais da arte culinária. Sabe aqueles detalhes que nós meninas relevamos, mas que para os meninos são pecados gastronômicos. pecador

Mas não é de hoje que os meninos são mais afetados para cozinhar do que nós! Nos restaurantes houve um desenvolvimento, Maîtres saíram de cena, para dar espaço ao Sr. Cozinheiro. Pode-se dizer que essa foi a substituição do século, a alteração mais importante que se deu na cozinha dos restaurantes nas últimas décadas. Como sempre, chegou aqui no Brasil com alguns anos de atraso, depois de ter sacudido os restaurantes europeus há mais de 30 anos.

Por trás de um bom restaurante há sempre um bom chefe de cozinha ou um dono que seja a alma da cozinha, isto é, que se dê bem com o mundo das panelas. Mas nem sempre foi assim - se em nossas casas a coisa evoluiu, imagina o que aconteceu em público! Vocês hão de se lembrar do glorioso primado dos Maîtres, num tempo em que o lustro das golas de seus smokings valia mais do que a gororoba que eles serviam com simpatia.

E o chefe de cozinha era um molambento mantido fora das vistas comensais, um trabalhador braçal, suado e com as vestes brancas ensebadas pelas manchas do labor. As reclamações chegavam a ele, os elogios ficavam na sala fazendo corar os Maîtres de prazer indevido.

Um dos componentes mais conhecidos dessa bizarra inversão de valores é o réchaud, que se presta a demonstrações pirotécnicas ao pé da mesa de deslumbrados clientes. Os pratos flambados do réchaud eram muito populares - como vocês sabem, infelizmente ainda temos alguns restaurantes que cultivam esse hábito insalubre.

A hora do fogo era o momento de glória dos Maîtres e de seus auxiliares, supremo orgulho de fogueteiros que terminava com a extinção da última labareda que consumia finos conhaques e licores - às vezes até álcoois vagabundos, aqui no Brasil - ao finalizar pratos salgados ou doces, cheguei a presenciar pessoas aplaudindo emocionadas uma dessas operações incendiárias. Toda essa cena muitas vezes a serviço de apenas do mascaramento de uma culinária pífia e pesada.

Mas o gosto das pessoas evoluiu e elas foram aprendendo a diferenciar as cozinhas boas das más, a valorizar a delicadeza da culinária antes de se impressionar com as mesuras do serviço. E assim não houve como continuar barrando o ingresso dos chefes à admiração dos clientes.

É fato também que a imprensa que trata das coisas do gosto acompanhou essa melhora. Já que fazem alguns críticos sérios entre nós - que pagam, à maneira da Europa, as suas refeições e conservam assim a isenção e independência indispensáveis para a confiabilidade dos comentaristas imparciais.

E é quando os chefes de cozinha assumem o lugar que lhes cabe que fica clara a diferença entre os restaurantes. Cada dia tem menos espaço os restaurantes sem uma boa proposta culinária a oferecer aos seus clientes. Um tipo muito conhecido é aquele cujo cardápio se apresenta orgulhosamente com internacional, ou seja, um variadão descaracterizado, o chefe de cozinha é apenas um dos hábeis nordestinos - eles são os nossos mais equipados cozinheiros - sem criatividade, os proprietários não tem a menor intimidade com fornos e fogões, capricham muito no serviço e, se calhar, flambam pelo menos as sobremesas. Tem um movimento bom - afinal, há gosto (bolso) para tudo - mas nenhuma importância culinária, dificilmente a gente se lembra deles com água na boca despertada pela lembrança de um prato particularmente bom.

Uma rápida folheada em guia de restaurantes, mostra que os destaques ficam com os restaurantes que tem alma, isto é, aqueles cujas cozinhas tem algo a dizer, são habitadas por chefes com ideias na cabeça ou tocadas por donos que sabem o que fazem. Anima ver que isso já existe e cresce a prática da boa culinária por todo o país.

Sempre questionamos os motivos de se abrirem e fecharem tantos restaurantes todo ano. A resposta aí está, fecham rápido as casas que não tem nada de novo a dizer, cujos donos encaram o restaurante apenas como um negócio a mais. Prestem atenção aos que dão certo, poucas vezes boas propostas culinárias deixam de conquistar a confiança do público.


filhos da mamma

E não estou contando nenhuma novidade. É bom lembrar que os restaurantes mais bem-sucedidos deste país foram sempre os familiares, desde as cantinas italianas paulistanas, alguns velhos portugueses do Rio e muitos outros, principalmente de cozinha regional, espalhados pelo Brasil. Neles os chefes de cozinha foram invariavelmente as mammas que ali exercitaram nada mais que suas cozinhas familiares, sua cultura.

Os novos chefes, esses modernos, de toucas muito brancas, só fazem seguir os passos das mammas. Sejam bem-vindos!


chefes

Já na crônica da Martha Medeiros, essa revolução culinária dentro de algumas casas, acarretaram  mudanças bem sensíveis, ao que ela finaliza:

"Ah, que saudades daquele tempo em que cozinhávamos com um "ajudante" tarado, encoxando a gente na pia..."

[upadate] - Bom saber que este post inspirou a criação de um  blogue! Meninos, arregacem as mangas, pois o @ochato, dá trabalho para vocês! Visitem "A cozinha é nossa! Foi-se o tempo que as mulheres mandavam na cozinha!" e participem!

41 comentários :

  1. oi Luma,

    apetitoso o texto...é essa é a nova realidade...até há um tempo...pessoas iam aos restaurantes chiques para serem vistas....serem comentadas e fazerem a propaganda de onde estiveram...comida nada digestivel ou apreciada...hj parece q a inteligencia estomacal fala mais....e é bem melhor sair com a familia, ou com alguem que nos dê o prazer de uma boa companhia...comer...conversar e sair satisfeito com o programa...e com o paladar....e a figura do chef é bem mais acolhedora.....

    bjus

    ResponderEliminar
  2. Inspirado o texto, mas nunca pensei no status do perigoso show pirotécnico (olha que o meu trabalho deveria pensar nos aspectos de segurança)...

    Mas não sai nenhuma receita da tua preferência (pois até onde eu me lembro, sempre tinha uma receita nos teus posts sobre gastronomia).

    E agora este post está visualizando normal (vai entender).

    Fique com Deus, menina Luma.
    Um abraço.

    ResponderEliminar
  3. Cozinho muito bem, obrigado. Mas aprendi com a minha mãe, sem estrelismos e com muita praticidade. Quando no Brasil, surpreendo os convidados com pratos simples e rápidos da cozinha italiana; quando na Itália, com pratos brasileiros. Quer coisa mais fácil de fazer e saborosa que uma moqueca de camarão? Mas você tem razão: a maioria dos homens de cozinha se acham o máximo. Dou corda e digo aos amigos que cozinham que deveriam ser canonizados a cada prato que me servem. ;D

    ResponderEliminar
  4. Ainda cozinho com aquele ajudante... (momento de orgulho!?)
    *rsss
    Olha que ele cozinha melhor que eu.
    Penso que o motivo seria, justo o fato de ter se envolvido profissionalmente com pessoas dessa área. Daí, me aproveito (té o talo); usando como desculpa pra fujir dos cansativos afazeres domésticos.
    "-Môôôô, faz uma comidinha bem gostosa pra sua mulher, faz?!!!!!
    Afinal, ninguém cozinha como vc neam!!!!"

    É que eu não sou assim tão refinada; curto bastante um salmão bem preparado, ervas finas, palmito champignon, vinhos...
    Mas também não rejeito uma perfeita buxada de bode e sarapatel(mas estes não sei preparar).
    Coisas de nordestina.

    ResponderEliminar
  5. Na sociedade "capitalista-consumista-imediatista" da nossa atualidade, não importa quem cozinha o quê, cada um tem que se virar! Quando um realmente quer (seja homem ou mulher) , aprende a fazer, sem "ais" nem "uis". Vendo por esse ângulo, os homens são infinitamente mais práticos. E o que eles cozinham sempre fica bom, basta que sigam uma boa receita.

    Nos restaurantes, comer bem é como ler um bom romance. E não depende exclusivamente da comida, mas também do ambiente, entre outros fatores. Assim como um bom romance não depende exclusivamente da estória, mas da harmonia ortográfica com que é escrita.

    ResponderEliminar
  6. Luma,

    Confesso que não cozinho nada, mas admiro a comida da mamma - minha avó, rs.

    Acho que este movimento de se valorizar quem se deve valorizar é muito justo, mais justo ainda que estabelecimentos que tanham ciência disso se destaquem.

    Excelente post, deu mesmo água na boca.

    PS: Já leu Gourmet? É um mangá interessante - de volume único - sobre culinária japonesa.

    ResponderEliminar
  7. Luma, quando eu vejo meu fuilho de 16 anos, na cozinha, preparando o almoco, jantar ou cafré, concluo o quanto foi bom ter alrgado o Brasil e ter voltado apra a Suécia.Perdi muita coisa. Mas ganhei outras tantas...essa, do meu filho aprender a se virar sozinho, foi uma delas.

    bjs e dias felizes

    ResponderEliminar
  8. Acho lindo homem que cozinha, mesmo se não for um chef. Se lavar as louças então rsrsr =)

    Adorei o post, lembrei do Edu Guedes rsrsrs

    Bjus Luma!Muito mais Luz no seu caminho!

    ResponderEliminar
  9. Luma,
    tem até esse papo de "cozinha de autor", chique isso hein!?
    mas acredito que a arte da culinária é meio parente da arte da pintura, onde preparar tintas, e materiais passam pelo mesmo ritual de transformação...
    beio com sabor de arte,

    ResponderEliminar
  10. Há uns 15 anos atrás, estava em New Orleans com minha mulher e amigos num restaurante elegante e o maitre veio servir alguma coisa flambada. Não deu outra! O negócio virou, incendiou parte da mesa e queimou o braço de um dos "comensais", sem gravidade.

    Menina, a cara do maitre era de incredulidade, terror e vergonha ao mesmo tempo. Mas o restaurante foi elegante e não cobrou nossa conta.

    Pessoalmente não consigo comer nada flambado, acho meio estranho mesmo.

    E uma das coisas que vou fazer antes de morrer, é aprender a cozinhar. ALiás, com essa de ficar alguns dias sózinho aqui em Friburgo, já estou me virando com algumas coisas bem básicas.

    E gostando!!!

    Um beijão.

    ResponderEliminar
  11. A última frase foi tudo!!

    bj

    ResponderEliminar
  12. Por outro lado ainda temos muito "macho" por aí que diz que lugar de mulher é na cozinha.

    Saudades Luma.

    ResponderEliminar
  13. Luminha,
    "Lugar de homem é na cozinha" mesmo!

    Portanto que aqui em casa, quem faz almoço é o irmão mais velho e ele é cheio de manias para cozinhar...

    Estou te convidando para na próxima terça a comparecer no Ideias de Milene e pegar o meme q estará a disposição de todos para q possam respndê-lo em SEUS BLOGS...
    O selinho (na verdade uma imagem) para vc é opcional...
    Eu uso o selo para identificar a postagem em outros blogs...
    Passa lá para ver! O Blog estará fazendo 1 ano!!!

    bjão

    ResponderEliminar
  14. E enquanto eu leio o seu texto, tô sentindo um cheirinho bom que vem da cozinha. Então quando olho, vejo que o papai tá cozinhando e a mamãe está na rua!! (rs)...

    Ê realidade maravilhosa, rs..

    Beijos querida!!^^

    ResponderEliminar
  15. Deu até fome!!!
    Po realmente hj em dia os homens cozinham de verdade com a gente... na minha viagem então o Ti cozinhou quase todos os dias ^^ adorooo

    Beijos saltitantes
    Boa semana

    ResponderEliminar
  16. Oi Luma, nossa, lendo seu post lembrei do amore da Lu, o Marco Antônio que diz que não sabe cozinhar, mas quando vai pra cozinha, nossa, faz cada coisa gostosa. Mas ele diz em alto e bom tom que só vai pra cozinhar pra beliscar a cozinheira, que eu nem preciso dizer quem é, não é mesmo? Beijitos

    ResponderEliminar
  17. Delicia de Post...eqto lia comparava alguns q vejo aqui com alguns q via aì.
    E falando em jovens chefs, esta semana li uma news do Gambero Rosso sobre um Curso para jovens Chefs, quase postei a respeito, desisti qdo o vi o valor do curso, 3 meses por 7700,00 euros...

    Bjs
    Meiroca

    ResponderEliminar
  18. Ainda não sou dono de restaurante (rs), mas cozinho bem e gosto de fazer isso. Sou até elogiado por visitantes que aparecem aqui em casa e pensam que minha esposa é quem preparou "a gororoba" (rs).

    Acho que não deve existir mesmo separação entre homens e mulheres em nada relativo a criatividade, inteligência e desempenho profissional.

    ResponderEliminar
  19. Luma,

    Muito bom o seu post!

    Deu até vontade de fazer algum prato especial. rs

    Cozinho desde pequeno e minha mãe me ensinou, além dos pratos, algums macetes que não podem faltar para um bom desempenho na cozinha. Uma delas é não deixar faltar algum ingrediente e pensar que, substituindo por algo parecido, o prato ficará do mesmo jeito.

    Achei interessante a conclusão com a frase da Martha Medeiros. Não sei por que, quando acontece o inverso na cozinha, alguma coisa cai, e se quebra, ou se espalha pelo chão.

    Abraço

    ResponderEliminar
  20. Gosto de cozinhar e já que a Martha tem saudades que ela tente fazer, como ajudante, o que ele fazia. Rs.

    Belo texto e constatações, Luma

    ResponderEliminar
  21. Ah adorei esse post e concordo inteiramente Acrescento quea equipe do chef tb ´super importante, e hoje na minha humilde loja que nao mais é uma padaria, nem so lanchonete mas nao chega ainda a ser um restaurante, subistuo aos poucosfuncionaris sem nenhma qualificaçao por moçada saida dos cursos... enfim se voce leumeu e-mail, é uma mega diferença. E se ainda estamos com o pe na lama, pelo meno s ja salvams dignidade do local.
    Beijos da Cam

    ResponderEliminar
  22. Oi, Luminha. estou de volta. E cheio de saudades dos pezinhos mais lindinhos da blogosfera.
    Olha, gostei muito do seu post. Gosto de cozinhar e faço algumas coisas bem feitinhas, modéstia às favas. Gosto de restaurantes com alma, mas não aprecio nem um pouco a nouvelle cuisine. Tenho especial horror por pratos que mais parecem um quadro de Pollock, cheios de desenhos com molhos, arrumados feito uma escultura moderna... Gosto de comida com cara de comida.
    É bom cozinhar e às vezes vou feliz pilotar um fogão. mas também gosto de encoxar a cozinheira na beirada da pia...Ô meu Deus! Que diliça!
    Carpe Diem. Aproveite o dia e a vida.

    ResponderEliminar
  23. Luminhaa!
    Adorei sue post!
    Fez-me lembrar o Apicius nos finais de semana do JB.
    Realmente, hoje se vê muita presepada, mas comida boa e que fica durante anos e anos, não tem nada disso, apenas qualidade e compromisso com a clientela.
    Um desses que considero bótimo e sempre gostoso é o Adegão Português, com seus garçons quase octogenários. hehe
    beijinhos cariocas

    ResponderEliminar
  24. No Rio, é? Não sei porque eu imaginava Espírito Santo. E pensar que estive 5 dias por aí e não te encontrei...

    ResponderEliminar
  25. No caso, eu faço o papel da ajudante tarada....meu namorado cozinha muiito bem!rssss!e eu ajudo.kkkkkk!
    Bjs!
    Ps: O massa realmente comprou aqueles carros, ele tava lá em viracopos e ele mesmo manobrou os carros para colocar nas plataformas de transporte.também o preço que ele deve ter pago, todo cuidado é pouco!rsss!
    Bjs!

    ResponderEliminar
  26. Luma:
    Pois é, lugar de homem pode ser na cozinha. Nós deixamos, né? Hehe!

    *Não posso acreditar numa coisa incrível desta.
    Você escreveu sobre 'lugar de homem é na cozinha' e eu sobre o 'Dia da Poesia'e a coincidência? Nós duas likamos...Martha Medeiros.
    Sincronia. Você acredita nela?

    ResponderEliminar
  27. Que presença de espírito tem esta jovem!
    Parabéns, Luminha.
    bjs

    ResponderEliminar
  28. Luma:
    Agora, um segundo comentário depois de ler o texto de Martha.

    Pois é, não sei qual é o problema deles. Gostam mesmo de complicar as coisas mais simples.
    Quem sabe um dia aprendem que o caminho não é este?
    Vamos rezar! hehe!

    Beijos.
    Anny.

    ResponderEliminar
  29. Hum... cheguei a ficar com água na boca, pois teu post me fez lembrar do Adegão Portugues, em S. Cristóvão... Lá, o Bacalhau a Gomes de Sá tem alma!

    Bjs.

    ResponderEliminar
  30. Aqui no meu estado (Maranhão) é pouco tradicional, homem na cozinha, e eles ainda se orgulham disso.

    Bjs
    Mah

    ResponderEliminar
  31. Luma que post delicioso!
    prefiro um ajudante tarado, rsrsrsr
    O texto da Marta também é ótimo, estes homens são frescos adoram complicar as coisas, logo aquelas coisas, rsrsrs
    Obrigada querida por me indicar para Lila, adorei conhecê-la e o blog dela é show.
    Beijo terno na alma minha linda e vamos ver se conseguimos resolver nosso pequeno problema com o tempo, rsrsrs
    Amei tua visita viu!

    ResponderEliminar
  32. Oi Luma! É sempre um prazer tê-la visitando o meu Blog e vir aqui no seu. Visito e sigo o seu há muito tempo, pois gosto muito do que encontro por aqui. Obrigada por indicar o Blog da Andréia, ela é extremamente simpática. Gostei muito do que vi por lá e já sou sua seguidora também.

    Quanto a Sindrome de Asperger, realmente o diagnóstico é mais difícil de ser dado por alguém que não é familiarizado com a área da saúde mental, pois como a criança, adolescente ou adulto, são inteligentes demais muitos podem pensar que a falta de socialização e emoões é um reflexo disso. O sintoma mais caracterírtico é a dificuldade em expressar, perceber e entender emoções. Não se tem muita pesquisa neste campo, mas o pouco que há diz que provavelmente é uma falha de comunicação em neurotransmissores responsáveis pelo desenvolvimento da empatia(perceber a emoção no outro como se fosse sua). A pessoa com Aspie, percebe que deveria ficar triste em determinadas situações, mas não conseguem expressar com tanta facilidade. Para alguns é praticamente impossível. Sabe aquela vontade de chorar que não saí e que oprime o peito gerando angustia? Já escutei um relato de um "Aspie" que descreveu a sensação mais ou menos assim. Ele nunca tinha experimentado essa sensação como a gente experimente, mas por ler muito a respeito deduziu que assim o fosse.
    Beijos querida e até o proximo encontro por aqui.
    Lila

    ResponderEliminar
  33. Oi, Luma,

    Ainda bem que novos tempos também trazem homens repaginados . O estilo chef é uma delícia. Geralmente bem humorado , bem resolvido, deixando as neuras só pra nós...rsrs

    Olha, as vendas do livro serão através de pedidos por email para a Raquel ( sua filha ). Qualquer coisa, me fale.

    Beijão, linda.

    ResponderEliminar
  34. Muito culto esse post.
    Culinária de primeiríssima.
    Quanto aos homens na cozinha, acho um charme.
    Os restautantes ficam muito mais interessantes e as nossas casas também.

    bjs

    ResponderEliminar
  35. Acabo de ver o vídeo abaixo e então vou para a cozinha. Curiosa combinação. A cozinha é um lugar para se identificar consigo mesmo e com todos os outros elementos.
    E aqui em casa lugar de homem é na cozinha mesmo, ao meu lado, e haja farinha voando pelos quatro cantos. rs
    Bjs

    ResponderEliminar
  36. Rsrs Otimo texto (especialmente a ultima frase ;-))!

    Eu nao cozinho, mas foi em BH que aprendi a necessidade da comida mais rica e saudavel. No "Particular" em BH, por exemplo, um boteco copo sujo que voce nao da nada, os melhores pratos e mais memoraveis provei das maos do simpatississimo chefe e sua esposa, donos do estabelecimento. Seja carne de sol com pimenta de cheiro e uvas, ou sanduiche de figo... Fantasticos pratos. So nao acho que seja nada "intelectual" nessa parada, rsrs. Comida, no inicio do dia, eh apenas comida. No fim do dia, voce sabe o que vira =P

    Bjx

    RF

    ResponderEliminar
  37. Luma, acho o máximo homem na cozinha, mas sempre há uma mulher por perto, pra uma assessoria...Hoje eles estão mais sofisticados e homem realmente gosta de uma cozinha completa. Meu marido sempre cozinhou muito bem, mas eu era sua ajudante. Estava por trás de tudo e ele ganhava a fama. Aí um dia falei que ele fosse e fizesse tudo, do descascar ao cortar, ao lavar... Aí ele quase desanimou mas o bacalhau da sexta-feira santa ainda é dele...
    Meu genro cozinha divinamente. Até o arroz dele é pra se comer sem acompanhamento. E não gosta nem de companhia na cozinha. Reina absoluto.
    E meu filho caminha pra ser ótimo também.
    Mas veja que eles elegem a cozinha uma vez apenas na semana. É bem diferente. Então, quando o fazem, é pra caprichar mesmo.

    ResponderEliminar
  38. Bela análise. Achei que colocarias alguma receita tua. Pelo que notei em alguns comentários, ainda há um certo preconceito caseiro com os homens na cozinha. De qualquer forma, por aqui meu reinado é absoluto: mulher tem que ser servida, com uma surpresa de cada vez.

    ResponderEliminar
  39. Depois que a Júlia nasceu, meu marido se acupou da cozinha e não decepcionou! :-))
    Bjos!

    ResponderEliminar
  40. Oi Luma...brigadim pela presença lá no Verseiro...
    Confesso que na cozinha sou mais um daqueles que diz "eu me viro"...
    Minha especialidade é um pirão que feito com aipim e não farinha...
    Assim como está no texto, gosto de inventar...rsrs...mas faço uma bagunça danada na cozinha...rs
    Aprendi a fazer este pirão com meu irmão...este sim é apaixonado por culinária, mas sem frescuras...faz um salmão que fica uma loucura, mas tenho certeza que o deixa queimar caso vislumbre a chance de dar uma encoxada...rsrs
    Muito legal o texto...abaixo as diferenças...e um vida longa para as encoxadas...rsrs
    Um abraço na alma...bjo...bom fim de semana

    ResponderEliminar

Tenha identidade, não seja anônimo na web. Crie sua identidade virtual.

...bisbilhotaram em quietude, sem solidão

PlagSpotter - duplicate content checker tool
Licença Creative Commonsget click

Algumas coisas não têm preço


finalista the weblog awards 2005finalista the weblog awards 2006
finalista the weblog awards 2007weblogawards 2008
Verificar conteúdo duplicado

Me leve com você...

Leia o luz no seu celular

Copyright  © 2014 Luz de Luma, yes party! Todos os direitos reservados. Imagens de modelo por Luma Rosa. Publicações licenciadas por Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial- Vedada a criação de obras derivadas 2.5 Brasil License . Cópia somente com autorização.

Tem sempre alguém que não cita a fonte... fingindo ter aquilo que não é seu.

Leia mais para produzir mais!

Atenção com o que levar daqui. Preserve os direitos autorais do editor