(Tá ahí) - Eu fiz tudo p'rá você gostar de mim

Marcha-Canção de Joubert de Carvalho com Orchestra Victor - Gravação em 27 de janeiro de 1930


Nada ou quase nada, fazia prever uma foto célebre em que ela aparece sem calcinhas sob a saia, quando era uma das estrelas de Hollywood. Mas, já nesta ocasião, havia muito do requebrado, do revirar dos olhinhos, da malícia deliciosa com que Carmen Miranda iria, poucos anos depois mostrar ao cinema americano - em outras palavras, ao mundo dos anos 40 - O que é que a baiana tinha.



Naquele dia, Maria do Carmo Miranda da Cunha gravava, nos estúdios da Cinédia, sob a direção do cineasta Ademar Gonzaga, as marchinhas "Moleque indigesto" e "Goodbye" e pela primeira vez aparecia em um filme, "A voz do carnaval".

Nascida em Portugal, chegada ao Brasil aos dois anos de idade, nenhuma mulher haveria de personificar tão perfeitamente a imagem que os americanos faziam do país distante chamado Brasil quanto Carmen Miranda. A partir de 1933 a cantora que se revelara quatro anos antes no rádio brasileiro transformou-se numa presença frequente nos filmes feitos no Brasil: seguiram-se "Alô, alô Brasil" "Estudantes", ambos de Wallace Downey, e sobretudo "Alô, alô carnaval", também de Gonzaga.

Em 1939, célebre no Brasil, na Argentina e no Uruguai, em cujos cassinos causava furor, ela foi levada para os Estados Unidos, onde, primeiramente apareceu em shows da Broadway pelas mãos do empresário Lee Schubert, que a viria no Cassino da Urca, no Rio de Janeiro. Apenas três anos depois, tendo cantado até para o presidente americano Franklin Roosevelt, Carmen Miranda foi eleita uma das três personalidades mais populares da América - Roosevelt em plena guerra, sendo o primeiro da lista. Quando retornou ao Brasil foi chamada de vendida aos americanos, ao que respondeu cantando: "Disseram que eu voltei americanizada..."

Carmen viveu na capital do cinema até morrer em 1954, aos 46 anos, infeliz, após completar apresentações em Las Vegas, Cuba e no show de Jimmy Durante (última imagem ainda viva/assista), na tv americana. Ela tinha aparecido em 19 filmes, gravado 154 discos brasileiros e americanos. O enterro, no Rio de Janeiro, foi acompanhado por multidão de quase 500.000 pessoas que cantavam "Taí, eu fiz tudo pra você gostar de mim..."


imagem

Nove de Fevereiro de 2009 - comemoramos o centenário de nascimento da grande pequena notável, um dos primeiros ícones internacionais do Brasileirismo. Salve, Carmen Miranda!

Este post está programado, pois dia 08 (Domingo) às 19hs estarei na livraria Toca do Vinícius em Ipanema participando de especial homenagem à Carmen Miranda, com o lançamento do livro "Carmen - uma biografia" do jornalista e escritor Ruy Castro, que derruba mitos sobre a cantora. Quem estiver no Rio, apareça!!

Endereço: Rua Vinícius de Moraes, 129
Loja C em Ipanema - Rio de Janeiro RJ
quase esquina com a Rua Barão da Torre.

Na segunda-feira, dia 09, às 21hs, o Centro Cultural Carioca promove apresentação do Tio Samba, onde será destacando o universo dos duetos.

Endereço: Rua do Teatro, 37 - Centro - Rio de Janeiro/RJ

Também dia 09, lançamento da "Medalha Cem anos de Nascimento de Carmen Miranda", às 19h, no Museu Carmen Miranda, localizado à Avenida Ruy Barbosa, defronte ao nº 560 no Parque do Flamengo no Rio de Janeiro.

As comemorações no Museu acontecerão durante todo o mês [veja programação]. Acompanhe também as programações locais nas cidades do Porto (Portugal), Bauru/SP, Ribeirão Preto/SP, Brasília/DF e São Paulo, capital.

Se você não pode participar de nenhum destes eventos, promova em seu bloguinhú!! Vamos rememorar a "pequena notável"!

Eu estarei ciceronando a minha mãe em alguns eventos por estes dias e se eu sumir, paciência!!

A Tine Araújo, convida os blogueiros a postarem suas Histórias de Carnaval, até o 19/02 e comunicar à ela. É uma espécie de blogagem coletiva sem dia marcado.

Eu não gosto deste carnaval de 'caras e bundas' que atualmente se apresenta, mas (tá ahí), quem sabe, se um dia retornar as marchinhas de carnaval, eu aprecie mais?

*(tá ahí) era o modo que se escrevia antigamente 'taí'

Boa semana!!
Beijus

5 comentários :

  1. A nossa querida Carmen!

    ResponderEliminar
  2. Não sei se tem a ver com vida passada mas, o carnaval sempre me deixou triste e as marchinhas quando ouço, sempre acabo chorando... ainda vou descobrir o motivo disso.
    Beijos!

    ResponderEliminar
  3. Sim. Ela é imortal.
    E esse vídeo da última apresentação que você postou é bom. Vou guardar!
    E é claro que também fiquei interessado em conhecer o livro.
    Boa semana.
    Inté!

    ResponderEliminar
  4. Minha mãe adorava e adora Carmem Miranda. eu quando criança assistia aos filmes dela,divinos. suas músicas são imortais, assim como Carmem, um ícone para todos nós brasileiros. quando o livro chegar por aqui, vou comprar e dar para a mamãe.
    Beijos minha linda, grande dia hoje para ti!

    ResponderEliminar

Tenha identidade, não seja anônimo na web. Crie sua identidade virtual.

...bisbilhotaram em quietude, sem solidão

PlagSpotter - duplicate content checker tool
Licença Creative Commonsget click

Algumas coisas não têm preço


finalista the weblog awards 2005finalista the weblog awards 2006
finalista the weblog awards 2007weblogawards 2008
Verificar conteúdo duplicado

Me leve com você...

Leia o luz no seu celular

Copyright  © 2014 Luz de Luma, yes party! Todos os direitos reservados. Imagens de modelo por Luma Rosa. Publicações licenciadas por Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial- Vedada a criação de obras derivadas 2.5 Brasil License . Cópia somente com autorização.

Tem sempre alguém que não cita a fonte... fingindo ter aquilo que não é seu.

Leia mais para produzir mais!

Atenção com o que levar daqui. Preserve os direitos autorais do editor