Fuja do Crowd!!



Para quem não sabe, crowd é sinônimo de muita gente. Muita gente que unidas podem transformar qualquer ambiente em um inferno, para aqueles que não estão a fim de agito.

E se você passa o carnaval odiando aquele seu vizinho que toca insistentemente a mesma música - faz churrasco, joga fumaça e fuligem para dentro da sua casa - e as crianças choram, o gato mia, as panelas batem, a mulher grita... você não está entendendo!

... Requebra requebra, requebra assim, pode falar, pode rir de mim! ...

Acredite, são poucos os paraísos terrestres beira-mar no Brasil, mas eles ainda existem. Lugares onde você não precisa disputar areia. Um desses lugares é Ponta do Corumbau, um vilarejo de pescadores. Porém, como todo lugar paradisíaco, existe uma certa dificuldade de acesso.

Silêncio, longas caminhadas na areia, roupas simples, havaianas nos pés e peixe na brasa. Natureza viva e morta. Falésias, pedras moles, com texturas e cores variadas.

Cabral aportou em Barra do Cahy depois que avistou o Monte Pascoal. A comitiva, em pequenos botes atravessaram os recifes de corais a procura de água doce. Ali aconteceram os primeiros contatos entre brancos e índios.

A Vila Naiá é “pauvre-chic”, a preferida para se hospedar - tem preocupação em ser sustentável socioambientalmente e possui um centro de educação ambiental. Existem outras pousadas de auto nível como o Tauana Hotel e a Fazenda São Francisco, mas preste atenção: Se quer apenas conhecer as pousadas, não será bem-vindo. Melhor visitar os sites, fazer sua reserva para não ser barrado por um segurança - eles não permitem visitas, para não prejudicar a intimidade dos hóspedes. Sim, o serviço é impecável, dispõem de quiosques de massagem, lençóis de algodão egípcio e piscina particular em cada um dos bangalôs. Se você quer descansar, passar uma lua-de-mel, este é o lugar!

Em toda a Ponta de Corumbau, totalizam 8 hotéis e pousadas, alguns pescadores alugam suas casas e os mais aventureiros, acampam. A Villa Segóvia é uma pousada e camping super simples, com cenário lindo, para quem não pode gastar muito ou quer ficar em contato com a natureza.

O importante é conhecer, antes que seja tarde demais; antes que o último reduto não-crowdeado da Bahia acabe.



"É preciso ver o que não foi visto, ver outra vez o que se viu já, ver na Primavera o que se vira no Verão, ver de dia o que se viu de noite, com Sol onde primeiramente a chuva caía, ver a seara verde, o fruto maduro, a pedra que mudou de lugar, a sombra que aqui não estava" (José Saramago)

Com olhar atento, registramos em nossas pegadas deixadas pelo caminho, momentos eternos que, se compartilhados, melhor ainda!

Qual a sua visão do paraíso?

2 comentários :

  1. O meu conceito de Paraíso..está nas tuas fotos, nas tuas palavras. Jinhos, gostaria de sair voando e ir para esses lugares.

    ResponderEliminar
  2. Esse lugar é lindo!!! Passei quase perto de lá, mas um dia quero ir e aproveitar esse lugar perfeito.
    Tb fugi do crowd. Fui pra praia no retiro da igreja. Coisa boa!!
    bjinho

    ResponderEliminar

Tenha identidade, não seja anônimo na web. Crie sua identidade virtual.

...bisbilhotaram em quietude, sem solidão

PlagSpotter - duplicate content checker tool
Licença Creative Commonsget click

Algumas coisas não têm preço


finalista the weblog awards 2005finalista the weblog awards 2006
finalista the weblog awards 2007weblogawards 2008
Verificar conteúdo duplicado

Me leve com você...

Leia o luz no seu celular

Copyright  © 2014 Luz de Luma, yes party! Todos os direitos reservados. Imagens de modelo por Luma Rosa. Publicações licenciadas por Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial- Vedada a criação de obras derivadas 2.5 Brasil License . Cópia somente com autorização.

Tem sempre alguém que não cita a fonte... fingindo ter aquilo que não é seu.

Leia mais para produzir mais!

Atenção com o que levar daqui. Preserve os direitos autorais do editor