Tempo, tempo, tempo

Pessoas são exemplos de força, talento e persistência. Cada um, a seu modo, faz algo de bom pela vida, numa análise das próprias emoções, lembranças, prazeres e sonhos, realizados ou não.

O resultado sempre comprova que a felicidade quase sempre está ligada em coisas simples como a boa mesa, família, amizade e natureza.

Quando leio os comentários deixados no "luz" fico sujeita a alguns questionamentos e essa interação fazem aflorar sentimentos, pensamentos alegres e algumas vezes tristes.

Tempos atrás, a mais ou menos três anos, o Afonso (ainda blog*Spot) veiculou a preocupação "se" algum blogueiro amigo morrer e não ter alguém para avisar?! - É, alguns blogam sem que a família ou alguém próximo saiba - E nós leitores como ficamos, diante do sumiço do caríssimo blogger?

"Pois é,

E se eu, ou outro blogueiro qualquer, morrer de uma hora pra outra, como todo mundo vai ficar sabendo? Será que vão ficar vindo aqui e olhando o mesmo post por duas, três ou mais semanas, até desconfiar que algo aconteceu? O mais provável é que se pense em depressão, ou mesmo que desisti do blog e, num gesto que me tornaria um ser abjeto, não avisaria que desisti? Mas, e se tiver morrido?"


A verdade é que não somos práticos com relação à morte ou melhor, não nos educamos sobre a morte. Porque?

Certo que romantizamos a vida e a religião pesa muito na cultura tradicional das idéias. Cresce o número de pessoas que crêem em outras vidas, como forma de continuidade desta. Assim fica mais fácil aceitar a realidade e as injustiças terrenas, não?

Como podemos imortalizar nossa alma?

Fazemos isso em nossos bloguitos, quando demostramos através da escrita, a alma que existe dentro do nosso corpo. Se não escrevemos, comunicamos de alguma forma, falando da vida, sobre a vida, sobre o amor ou coisas que nos acontecem... outras pessoas passam pela vida caladas, sofrendo sozinhas com o enclausurando as idéias. Melhor, enclausurando a própria alma.

Porque falar de coisas tristes, nos leva a colocar os pés no chão?

O lado romântico da vida é este - acreditar que a terra é o último dos planetas e que a vida não pode simplesmente se transformar em íons, que somos eternos. Podemos rir de nós mesmos e conversarmos com a vozinha crítica dentro de nós que pode, a qualquer hora, desmaiar a verdadeira visão dos fatos.

Somos todos volúveis. Em uma hora valorizamos demais a vida e em outra valorizamos demais a morte. A saída é mesmo, saber valorizar o tempo, o aqui e agora - Não ter medo de parecer piegas.

Não peça perdão depois, não faça amor depois, não fique com vergonha e travado para dizer “eu te amo”, não tenha medo de mostrar-se "ridículo" ...pequenos gestos fazem a diferença. Um sorriso pode mudar o rumo da sua vida.

Tinha uma propaganda na TV que dizia mais ou menos assim:

- Veneza desaparece 1 cm por ano, significa 1 cm a menos de Veneza a cada 365 dias...
- Amanhã no Central Park terão caído 15000 folhas...
- Neste mês, você encontra tulipas nas floriculturas. No mês que vem, talvez não.

Isto significa que a cada dia temos menos um dia de vida.

Dizem que a vida é curta, mas não é verdade. A vida é longa para quem consegue viver pequenas felicidades. E essa tal felicidade anda aí, disfarçada, como uma criança traquina brincando de esconde-esconde. Infelizmente, às vezes não percebemos isso e passamos nossa existência colecionando nãos: a viagem que não fizemos, o presente que não demos, o perfume que não sentimos, a audácia que não tivemos!

Lembram da música: "...A jura secreta que não fiz, o beijo de amor que eu não roubei...”?

A vida é mais emocionante quando se é ator e não espectador, quando se é piloto e não passageiro, pássaro e não paisagem, cavaleiro e não montaria. E como ela é feita os instantes, não pode nem ser medida em anos ou meses, mas em minutos e segundos.

Lembre-se do tempo que você soube aproveitar no passado e imagine aquele tempo que você não irá disperdiçar no futuro. Pra quê se preocupar com a morte? Pra você ela está distante, não é mesmo?

A vida é agora!

9 comentários :

  1. Luma, como gostei desse seu texto! E, olhe, é uma questão se sincronicidade, pois andei pensando nisso...e se eu morrer??? como ficam meus blogs??? Apesar de celebrar a vida, de ter consciência da eternidade da alma, o corpo físico um dia vai morrer e com ele tudo o que à Terra pertence!
    Mudando de assunto...linquei você,OK?! Apesar de fazer parte dos meus blogs favoritos em muitos cantos espalhados por aí, no meu blog principal ainda não havia referência a você.
    Agora você veio para casa!!!!rs,rs,rs...
    Um beijo grande cheio de VIDA!!!!
    Astrid / Ma Jivan Prabhuta

    ResponderEliminar
  2. A vida é curta, curtamos a vida, para depois não lamentarmos "que devíamos ter arriscado mais,amado mais, ter visto o sol nascer, ter aceitado as pessoas como elas são(...)"(trechos aleatórios da música 'epitáfio' dos titãs).Um abraço,Armando(lygiaprudente.blogspot.com)

    ResponderEliminar
  3. Lindo o texto. Amei. Às vezes, a gente se prende a pequenas coisas, e a vida está passando...Seria melhor viver e viver.beijo, Vivi e bebê

    ResponderEliminar
  4. Oi Luma, tudo certo?!
    Estou passando para agradecer o voto e comentários lá no blog. Valeu mesmo, mulher! E você, não se inscreveu lá? Não te achei.

    Ótimo post, Luma....Grande beijo!

    ResponderEliminar
  5. É verdade, Luma! Precisamos aproveitas cada momento porque realmente passa rápido demais... bjo!

    ResponderEliminar
  6. Amiga...Boa semana. Abraços !!!

    ResponderEliminar
  7. É a maior das verdades: Ninguém se prepara pro pior ... Mas, também, pra quê, né? Quanto ao arrependimento por não aproveitarmos as oportunidades que a vida nos dá, postei lá uma homenagem pro meu pai, que teria aniversariado no dia 01 deste mês, se vivo estivesse. Como lamento não ter curtido mais cada dia junto dele!
    Levantaste um assunto que nunca me ocorreu: Nomear alguém pra avisar, no meu blog, quando eu "passar dessa pra outra" ... Sinistro!

    ResponderEliminar
  8. Luma, a profundidade deste texto me emocionou.
    Tem alguns blogues que eu visitava que estão parados há tempos, o blogueiro não deixou nenhum rastro, nenhuma notícia. Eu penso, tomara tenha apenas desistido de blogar. Porque através da escrita, quando nos relacionamos com as pessoas criamos vínculos e estes vínculos ultrapassam o mundo virtual.

    Também acredito que a vida é feita de momentos, que é um eterno agora. No meu caso estou sempre em constante transformação e aprendizado.

    Por isso venho aqui, aprender um pouco mais com suas palavras.

    Beijos!

    ResponderEliminar
  9. Luminha, se eu morrer, a minha energia vital se espalhará pela rede e continuará a "blogar" pela eternidade. ;o)

    Nossa, eu nem penso nisso. A morte para mim é tão algo obscuro que nem quero pensar. O negócio é viver cada dia como se fosse o último, mas sem exageros.

    Beijos!!!

    ResponderEliminar

Tenha identidade, não seja anônimo na web. Crie sua identidade virtual.

...bisbilhotaram em quietude, sem solidão

PlagSpotter - duplicate content checker tool
Licença Creative Commonsget click

Algumas coisas não têm preço


finalista the weblog awards 2005finalista the weblog awards 2006
finalista the weblog awards 2007weblogawards 2008
Verificar conteúdo duplicado

Me leve com você...

Leia o luz no seu celular

Copyright  © 2014 Luz de Luma, yes party! Todos os direitos reservados. Imagens de modelo por Luma Rosa. Publicações licenciadas por Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial- Vedada a criação de obras derivadas 2.5 Brasil License . Cópia somente com autorização.

Tem sempre alguém que não cita a fonte... fingindo ter aquilo que não é seu.

Leia mais para produzir mais!

Atenção com o que levar daqui. Preserve os direitos autorais do editor