Erro Meu, mas Problema Seu

Evandro Monteiro
Foto: Evandro Monteiro/Prémio Esso e Digna Imagem

O Cejunior sugestionou um grande herói: "Capitão Nascimento, a fera do BOPE, o justiceiro da caveira, o único que não é moleque. Agora sim, o Brasil vai prá frente!" - é brincadeira que todos estão fazendo, mas me dá medo!

A Yvonne achando graça da sugestão, foi mais adiante: "Capitão Nascimento já tem o meu voto para presidente da república, governador do Rio (meu título ainda é de lá) ou qualquer outro cargo. Pegando carona com o Sivuca, bandido bom é bandido morto" - Que meda.

Tenho lido muita coisa sobre o filme "Tropa de Elite" - calma crianças... Também estou enjoada desse assunto. Está rodando a net igual a época do lançamento do ipod, saturando a todos, porém vejamos; li uma postagem entitulada "Capitão Nascimento: Herói, Anti-herói ou Vilão?" em que é feita uma análise sobre esses três modos de ser do dito capitão, acrescentando alternativas que resultou em uma enquete - “Quem é o Capitão Nascimento para você?” - finalizada no último dia 22, eis os resultados:

  • 1. Um Herói Nacional, porra! Chuck Norris FDP! (54%, 39 Votos)
    2. Um bom policial, mas com atitudes questionáveis (17%, 12 Votos)
    3. Policial padrão, bate em quem tem que apanhar (17%, 12 Votos)
    4. Um exemplo de desrespeito e estupidez, é uma vergonha (10%, 7 Votos)
    5. Um homem atormentado pelo stress, deveria sair da PM (3%, 2 Votos)
  • Total de votos 72

    Estamos tão saturados de corrupção que mesmo o personagem central, sendo um policial com atitudes questionáveis, caíu nas graças do povo. As críticas sociais-comportamentais apareceram e tanto qualificaram, quanto desqualificaram o filme, quando relacionado ao conceito de formação de caráter e disciplina em sociedade. Não questiono aqui outros méritos do filme.

    O Ministério Público foi acionado contra as cenas de tortura e a sugestão para que o filme documentário fosse exibido em escolas está em vias de causar mais um colapso educacional.

    Não podemos negar que o filme gera questionamentos e conversações. Isso já é muito bom. Porém crianças têm que conviver com livros e não com armas.

    Estrangeiros como o escritor peruano Daniel Alarcón que participou da última Bienal do Livro, e que vai escrever um artigo para o "Los Angeles Times", falando sobre "Tropa de Elite", opinou sobre o filme quando participou aqui no Brasil do "Botequim Filosófico"; ele achou o filme fantástico, quase um Harry Potter - "Quem vê isso vai achar que todos que estão em Guantánamo são culpados, que todos os meninos de 14 anos do Iraque matam"

    E eu vou repetir uma frase que sempre digo: O mundo precisa de delicadeza



    Quem não leu a postagem sobre o Prêmio Internacional de Imagens de Microscopia de Força Atômica em que Luciano Paulino da Silva, pesquisador da Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia, unidade da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, ganhou o segundo lugar entre mais de 250 imagens inscritas, sendo a única não européia premiada - O Luciano veio aqui no "Luz", como vocês podem observar acima, agradecer a publicação da foto com a qual ganhou o prêmio e também agradecer à vocês, que deixaram comentários carinhosos destinados à ele. Repasso o agradecimento.

    Sim, meus amores, depois do "Caos", nós merecemos uma nova ordem!
    E na minha cabecinha fiz um paralelo, questionando qual o perfil do meu herói. Entre o Capitão Nascimento e o Luciano Paulino da Silva, prefiro o último.

    Beijus,
    Luma

    Comente aqui também!

    19 comentários :

    1. Cmd. Jåµë§ ßønd10:09

      -= O mundo precisa de delicadeza, hein? O mundo precisa é de uma redução drástica de população... algo na ordem de 99,9999%

      ResponderEliminar
    2. Luma, obrigada pela menção. Querida, eu vi o filme e digo a você que o achei tendencioso em alguns momentos. Não sou mais jovem, não ando por aí com universitários, mas pela experiência com os amigos da minha filha, posso dizer que achei meio forçação de barra mostrar aquela turma de mauricinhos e patricinhas fazendo parte de ONG que atua diretamente na favela. Quem mora no Rio sabe perfeitamente bem que quem estuda naquela universidade não chega sequer na calçada da rua que vai dar na favela. Jovem classe média que sobe favela é viciado ou gosta de baile funk e ainda assim em determinados lugares cujo policiamento é intenso como a Ladeira dos Tabajaras.

      Outra coisa que deixou os policiais muito fulos é que houve uma grande generalização, como se todos eles fossem daquele jeito, o que não é verdade.

      No entanto, achei louvável mostrar o BOPE que realmente é eficaz. Experimenta roubar uma galinha na favela da Tavares Bastos, onde tem um batalhão. No outro dia você está morta. Acredito que é um dos poucos lugares de uma grande cidade brasileira que se pode dormir de janela aberta.

      No mais, acho que esse tipo de filme só reforça a idéia de que o Brasil está totalmente perdido. Confesso a você que não quero que ele seja escolhido para o Oscar, como foi Cidade de Deus. Sei que está tudo ruim, mas temos que nos ater nas coisas boas de vez em quando. Chega de realidade. Quero um pouco de alienação.

      Beijcoas

      ResponderEliminar
    3. Luma, pode me chamar de alienada, mas não tive a menor vontade de ver esse filme... Já temos a versão dele no nosso dia a dia...
      Beijos, beijos

      ResponderEliminar
    4. junior12:33

      Luminha querida minha,
      Sim sim, o povo está cercado de corrupção, e é extremamente corrupto também, por isso se identifica. Eu queria ser uma pessoa que as visões de mundo que você tem, certamente eu seria uma pessoa melhor.
      Beijos beijos

      ResponderEliminar
    5. Olá!

      Fiquei com saudades mesmo! O blog faz falta... Vamos divulgar sim! Adoro =))

      Bejocas e obrigada pela visita.

      ResponderEliminar
    6. Concordo plenamente, precisamos de mais amor e delicadeza pq pela força e grosseria ja vimos que ñ adianta.

      Bjão

      ResponderEliminar
    7. Realmente.
      no filme percebe-se que há uma comparação de igualdade, entre o comportamento da "Elite" e os próprios traficantes.

      não existem mocinhos.
      Usar de violência pra acabar com a violência?

      fala sério.
      mas antes que pensem que é uma utopia, não vai ser fácil. Não mesmo.

      ResponderEliminar
    8. O perfil conservador que está se infiltrando e trasformando nossa sociedade em sociedade do MEDO é culpa nossa (não, nunca culpo os políticos, eles são nós) por isso é que as pessoas consideram o herói nacional, devido ao medo, andar nas ruas é o menos indicado, é um cerceamento da liberdade e a culpa é nossa, e eu, apesar não achar capitão nascimento um herói, nem ter raiva de bandidos, digo: não tenho mais esperança!

      ResponderEliminar
    9. Oi, Luma.

      Gostei do post. Afinal, é cada heróis que a gente arruma aqui no Brasil, né. É uma carência de alguém para se espelhar que qualquer besta vira referência.

      Enquanto isso, o nosso amigo Luciano Paulino continua fadado ao anonimato. Vi as fotos em um jornal aqui de Belo Horizonte. São realmente fantásticas.

      Abraço, Pedro.

      ResponderEliminar
    10. Eu concordo com o priemiro comentário, Luma: Precisamos drasticamente ter controle de natalidade. O mundo está estufando de gente e gente que nao sabe nem porque nasceram, resultado de uma gravidez nao planejada.

      Legal o Luciano vir até aqui te agradecer e nos agradecer os comentário. Só nao entendi porque assinou anônimo.

      Abracos

      ResponderEliminar
    11. Ainda não vi o filme, mas pelo que dizem não deve dever nada, em violencia, aos filmes americanos, estou errada?
      Meu heroi tambem não é esse que sai por ai matando e torturando.
      Realmente o mundo precisa de mais delicadeza.

      bjs

      ResponderEliminar
    12. Georgia, o Luciano não assinou como anônimo. Ele fez o comentário, aqui no sistema do blogger e se clicar nas opções, verá que a que mais lhe cabe é "anônimo" por não ser registrado no blogger ou possuir página na web. Apesar da opção assinalada, ele se identificou, portanto, não ficou no anonimato.
      Beijus

      ResponderEliminar
    13. Oi Luma!

      Eu ainda não vi o filme e acho que nem vou: assistir ao Jornal Nacional dá quase na mesma ultimamente, não concorda ?

      Delicadeza e gentileza nunca são demais. O Luciano foi um gentleman.

      beijos querida,

      ResponderEliminar
    14. Vou dizer a mesma coisa que digo quando leio questionamentos sobre o filme.
      Deixem O tropa de Elite em paz!!!
      Acho que a maioria dos blogueiros o máximo que chegou perto da violência foi um assalto violento com arma na cabeça, um furto sem maiores conseqüências.
      Quem vive nas favelas, morros ou aglomerados é que sabe o que é um tiro de projétil traçante ou metralhadora anti-tanque.
      Eu vejo o povo americano admirar a S.W.A.T, FBI e o escambau.
      E aqui no Brasil filme do BOPE eles tem de atirar margaridas para termos orgulho deles.
      Mais uma vez parabéns pelo trabalhio e pela gentileza do pesquisador Luciano Paulino.
      Beijos.

      ResponderEliminar
    15. Luma, que bom que tens um visão ponderada. A Rede está cheia de opiniões veementes.
      Ainda não vi o tal filme.
      E, sem dúvida, o mundo precisa de gentileza!

      ResponderEliminar
    16. Querem passar esse filme nas escolas?! Piraram feio!!!

      ResponderEliminar
    17. Malu12:42

      Todo mundo julga a ficção mas poucos se atentam à realidade atrás da ficção. A Tavares Bastos nunca foi um morro violento mesmo quando os marginais conviviam conosco. Mas a realidade é que eram marginais, bandidos, que serviam de exemplo para as nossas crianças. Nossos jovens não queriam os trocados ganhos com o suor dos pais e sim o dinheiro fácil e farto dos traficantes. Tivemos alguns mortos, poucos se comparado com o noticiário de outros lugares. Mas todos sabiam que era uma questão de tempo. Então colocamos o tempo ao nosso favor. Com a instalação do BOPE, os marginais sairam da nossa comunidade. E agora, qual é o exemplo dos nossos jovens e crianças? Temos uma escolinha de Ballet de onde quatro alunas foram selecionadas pela concorrida Escola Estadual de Ballet do Rio de Janeiro, nossas crianças tocam violino e violoncelo na Orquestra Infantil da Petrobras, um de nossos jovens foi recentemente escalado para jogar pelo Flamengo, temos um curso de cinema, de enfermagem geriátrica, de alfabetização para adultos, as novelas brasileiras e produções estranjeiras vêm gravar na nossa comunidade gerando empregos e novas experiências para os moradores, temos noites de JAZZ & BOSSA NOVA, onde brasileiros e estranjeiros são bem recebidos para passar momentos agradáveis num lugar sem violência, sem drogas, sem medo.
      Uma colega de trabalho me disse que tinha medo de denunciar bandidos e traficantes, de dar apoio aos policiais. Mas ela não tem medo de sua omissão destruir a vida de um inocente? Acredito que a omissão das pessoas, devido ao medo, foi que provocou esta terra sem lei que vivemos. As pessoas tem medo de se unir para fazer o que é certo. Minha experiência como vizinha do BOPE me diz que devemos fazer o que é certo, dar o exemplo para os jovens, independente das consequências. O BOPE é uma instituição que tende a fazer efeito desde que conte com a nossa cooperação. Vamos nos dar uma chance. Caso queiram nos visitar, todos serão bem vindos. www.jazzrio.com

      ResponderEliminar
    18. É... Eu também quero mais delicadez, inteligência, bom-senso... Volência NÃO é a saída, ela é só o caminho mais fácil...
      Beijos!

      ResponderEliminar
    19. Vi o link lá no facebook e vim correndo ler. Confesso Luma que essa postagem mexeu comigo. De várias maneiras mexeu e por vários motivos. Primeiro fiquei me perguntando se tenho sido honesta no meu blog. Preocupo-me muito com créditos daquilo que não fiz e que não escrevi, mesmo assim posso falhar e nesse caso falhar, esquecer é imperdoável. Outra questão marcante pra mim é que seu post faz referência ao filme Tropa de Elite II, que não vi e nem tenho vontade de ver. Tropa de Elite, o primeiro, foi um filme que me incomodou bastante e foi depois de ter visto esse filme que meu filho de repente cresceu. Foi depois desse filme que percebi sua vocação de jornalista (ele não). Mesmo assim insitiu no vestibular de Direito, não passou e depois deu no que deu, vc sabe. Enviarei pra vc esse primeiro texto dele, então com 17 anos, quando observou a reação da plateia em relação ao filme.O mais interessante que de alguma forma minhas angústias estão relatadas nesse texto sem que jamais tívessemos conversado sobre o assunto. Bjs

      ResponderEliminar

    Tenha identidade, não seja anônimo na web. Crie sua identidade virtual.

    ...bisbilhotaram em quietude, sem solidão

    PlagSpotter - duplicate content checker tool
    Licença Creative Commonsget click

    Algumas coisas não têm preço


    finalista the weblog awards 2005finalista the weblog awards 2006
    finalista the weblog awards 2007weblogawards 2008
    Verificar conteúdo duplicado

    Me leve com você...

    Leia o luz no seu celular

    Copyright  © 2014 Luz de Luma, yes party! Todos os direitos reservados. Imagens de modelo por Luma Rosa. Publicações licenciadas por Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial- Vedada a criação de obras derivadas 2.5 Brasil License . Cópia somente com autorização.

    Tem sempre alguém que não cita a fonte... fingindo ter aquilo que não é seu.

    Leia mais para produzir mais!

    Atenção com o que levar daqui. Preserve os direitos autorais do editor