Belo belo belo

Tenho tudo quanto quero

luzdeluma
Tenho o fogo de constelações extintas há milênios.
E o risco brevíssimo - que foi? passou - de tantas estrelas cadentes.

A aurora apaga-se,
E eu guardo as mais puras lágrimas da aurora.

O dia vem, e dia adentro
Continuo a possuir o segredo grande da noite.

Belo belo belo,
Tenho tudo quanto quero.

Não quero o êxtase nem os tormentos.
Não quero o que a terra só dá com trabalho.

As dádivas dos anjos são inaproveitáveis:
Os anjos não compreendem os homens.

Não quero amar,
Não quero ser amado.
Não quero combater,
Não quero ser soldado.


- Quero a delícia de poder sentir as coisas mais simples 
(Belo Belo - Manuel Bandeira)

Saudade é querer voltar aquele instante em que fomos mais felizes...
Se compartilhada vira lembrança. A saudade é narcisista.
Vontade de comer o pastel de farinha de milho da mamã.
Você, tem fome de quê? Tem saudade do quê?

Esse texto faz parte da BC Saudades, organizada pela Ana Paula e Tina Bau.
Vem com a gente!! Clique nos links para saber quem participa.

Qual o tema para o próximo primeiro sábado de Agosto?

"01 de agosto, vamos pendurar uma receita no varal! Vale de óculos, de crochê, tricô, ou aquela receita especial que você sabe fazer e vai deixar todo mundo com água na boca! Em agosto, uma receita a gosto!"

Assine para receber os textos do "Luz de Luma" em seu e-mail ou acompanhe pelo Facebook

60 comentários :

  1. A minha fome e minha saudade...é sobre algo que já estou trabalhando há algum tempo que é gozar mais de minha liberdade, essa coisa de seguir certos padrões para ficar "bem na fita" e não fazer aquilo que realmente se tem vontade.

    ***Luma, não sei se comentei o post certo, pois meu comentário é referente ao post que finaliza com a pergunta "vc tem fome do que tem saudade do que?" mas, depois que cliquei para comentar, ficou td confuso, apareceu mais textos e as imagens ficaram por cima das palavras. Me desculpe!

    bjins

    ResponderEliminar
  2. Fome de palavras lindas como estas.

    Beijo grande!

    Renata.

    ResponderEliminar
  3. Saudade da tapioca com manteiga, feita pela minha mãe, lá em Belém...
    Hoje moro em Porto Alegre...
    Este poema de Manuel Bandeira é um clássico tão cotidiano, não é!
    Bjs, querida!

    ResponderEliminar
  4. Tenho saudade de tanta coisa... falando só em comida: pastel de feira, lula a dorê, coxinha, empadinha da praia... etc. :-))
    Bjo!

    ResponderEliminar
  5. "Você tem fome de quê?" é o chamamento da campanha deste ano para a Semana Mundial do Aleitamento Materno que estou puxando aqui em Maceió através da Aliança pela Infância. Você foi perfeita em sua saudade da mamã e a campanha.
    Oi, Bruxinha ;-)
    Bessos,
    Patrícia (mãe de bruxa)

    ResponderEliminar
  6. Que linda tua saudade e esse pastel ficou bem marcado em ti...Temos tantas saudades.Isso é bom, sinal que foram coisas boas! bjs, chica

    ResponderEliminar
  7. "Saudade compartilhada vira lembrança", ah, eu acho que mesmo que doa, falar, compartilhar uma saudade alivia, torna mais leve e se for assim com pastel de farinha de milho, faz um bem rememorar!
    Beijo!

    ResponderEliminar
  8. Grande Manuel Bandeira! Tenho saudade de muita coisa. Ainda bem!
    Luma, obrigado pela visita. Até pensei em participar sim, com uma história do meu Cacos da memória, já que falamos de saudade; mas como posso participar, não entendi o que devo fazer? Hoje vou sair, mas amanhã... Abraços.

    ResponderEliminar
  9. Excelente, Manuel Bandeira!

    Saudade? Particularmente, de meu Pai...

    Beijinhos e feliz Julho

    ResponderEliminar
  10. Amei...e concordo que a saudade é narcisista. Bela definição, porque se compartilhada vira lembrança mesmo. O poema é belo em todos os sentidos.
    Um ótimo sábado. Beijos
    www.brasildobem.net


    ResponderEliminar
  11. Manuel bandeira foi o Grande Mestre da Literatura!!
    Eu tenho fome de Amor, de beijos, Abraços, Fé, Equilíbrio.
    Tenho saudade de meus pais todos os dias e as noites ficaram mais vazias também, mas moram dentro de mim!
    É lindo dar valor ao simples, Bandeira era Grande demais!
    "Quero a delícia de poder sentir as coisas simples!"
    Bjos e final de semana iluminado,amiga!
    http://www.elianedelacerda.com

    ResponderEliminar
  12. "Eu tenho fome dos sabores da minha infância e do sentimento de proteção que emanava deles!": foi o que pensei após o desfecho do teu texto.

    Amo Manuel Bandeira, adorei reler o poema nessa manhã chuvosaaaa de Recife!

    ResponderEliminar
  13. Eu tenho saudades de alegrias e também de tristezas. de sabores, de pessoas, lugares, sentires diversos
    Saudades melancólicas, divertidas, aconchegantes...

    Tão diversas e muitas tão comuns as saudades
    Tão inútil e nocivo repreender, querer entender ou analisar por demais esse sentimento eu acho

    Enfim
    Tenho saudades até de mim e minhas saudades fazem ponte, são alicerce, são ninho e também alavanca
    Pastel com caldo de cana
    Colo de mãe
    Abraço de quem nos abraçava com coração
    Tudo com um fechar de olhos,sentindo cheiro, num piscar, no presente se possível
    Porque tudo vale a pena se a alma não é pequena, concordo com o poeta

    ResponderEliminar
  14. Oi, Luma
    Que belos versos. E que sabedoria, não?
    As coisas simples são as mais importantes, e às vezes só percebemos isso quando não as temos mais.
    Sinto saudades da infância dos meus filhos. Quando estavam sobre minha proteção, longe da maldade do mundo , sob minhas asas.
    Beijo, menina

    ResponderEliminar
  15. Tenho lembranças.
    Saudades poucas
    Fome saciada, as duas

    ResponderEliminar
  16. Incrível! Raramente versos me fisgam de tal forma, Luma!

    ResponderEliminar
  17. "A saudade é narcisista."
    Que forte essa frase. E a saudade dos pasteis me corta o coração.
    Obrigada por dividir essa linda poesia.
    Abraços
    Grá

    ResponderEliminar
  18. Saudades de folhas viradas da nossa história.... Beijo Lisette.

    ResponderEliminar
  19. Oi Luma!
    Poxa... É a segunda vez na semana que leio Manuel Bandeira aqui na blogosfera e achei que o desfecho do poema descreve bem os arromânticos.
    Concordo que a saudade é um sentimento narcisista e, acima de tudo, doloroso para quem a alimenta.
    Adorei tua participação, tentei participar mas fiz errado, achei que era opcional e acabei escrevendo um conto intenso com a temática. Mas valeu pela inspiração que tive no meio da madrugada. :)
    Beijos e bom fim de semana para ti.

    Rivotril com Coca-Cola

    ResponderEliminar
  20. Boa noite Luma.
    Bacana a sua participação. A sua pergunta me fez refletir de que eu sinto saudade, acho que é do colo da minha mãe, já adulta é no colo dela que sentia uma paz inesquecível. doces lembranças. Um lindo domingo. Beijos.

    ResponderEliminar
  21. Oi Luma, lindo poema e linda reflexão sobre saudade.. imagino a sua de todo o coração.. a minha acho que nem preciso falar... é a saudade também do "franguinho com quiabo e angu" que só meu pai sabia fazer... lembrando da culinária pra falar que a saudade é só dele!

    Beijos grandes!

    ResponderEliminar
  22. Luma a saudade maltrata mas em minha opinião a saudade também ajuda a lembrar de onde viemos e nos ajuda a dizer para onde vamos. Ja a noatalgia é tão boa!!! Eu amo! As vezes sinto o cheiro se algumas coisas da minha infância. Beijos querida!

    ResponderEliminar
  23. Oi Luma
    belos versos!
    tão lindos que volto a ler novamente!
    belo, belo

    suas saudades do pastel da mamã!
    uma boa saudade,
    saudades de coisas boas!
    isso sempre faz bem!
    saudade devia ser sempre coisa boa
    tristeza não, deixe-a bem longe!

    só quero sentir saudades de coisas boas
    exemplo: de quando minha professora dizia que
    eu tinha a letra mais bonita da classe

    bjss

    ResponderEliminar
  24. Oi Luma!
    As vezes a saudade maltrata.Sou muito saudosa e a qualquer momento entro nas lembranças.
    Belo, belo, belo é belo
    Xero

    ResponderEliminar
  25. Oi Luma! Tenho fome de sabores perdidos no tempo, aqueles que não voltam mais. Tenho saudade de ficar sentada ao lado de minha vó nas tardes frias de outono,..Quando saía aquele solzinho gostoso ela colocava uma cadeira e ia fazer crochê...Gostava de pegar as mãos dela e sentir a maciez da pele fininha e enrugada, ficava pensando se um dia as minhas ficariam como as delas...Como disse o poeta acima...Num risco brevíssimo, passou... e minhas mãos estão ficando como eram as dela.
    Linda postagem, como sempre!
    Beijos, ótimo domingo!

    ResponderEliminar
  26. Boa tarde Luma
    Belo texto, e quem não tem saudades de coisas que passaram , eu tenho muitas , não voltam mais , mas também não compartilho , acho que sou narcisista será?

    beijinhos

    http://eueminhasplantinhas.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  27. Tenho lembranças e saudades:da minha mãe e do meu pai que se foram,de minha gatinha Leti que morreu de velhice,saudade de nossa antiga casa que não existe mais,saudade de tanta coisa...

    ResponderEliminar
  28. Eu também tenho saudades de muitas coisas, minha amiga.
    Da comida que minha mãe fazia.
    Dum café feito em cafeteira em cima do fogão
    e do pão caseiro torrado.
    A vida vai seguindo, as saudades vão ficando.
    Gostei do seu texto, minha querida amiga.
    Bj.
    Irene Alves

    ResponderEliminar
  29. Oi Luma,
    Sinto saudades de momentos felizes que vivi ao lado da minha família e dos meus amigos.


    Big Beijos
    Lulu on the Sky

    ResponderEliminar
  30. Que lindo.
    Saudade de tantas coisas, do que vivi e do que não vivi.
    mas principalmente das viagens em família.

    Beijossssssss
    ┌──»ʍi૮ђα ツ

    ResponderEliminar
  31. A capacidade de sentir já é um grande presente. E o que é a saudade senão lembranças de momentos sentidos, que nos voltam com a mesma intensidade? Bjs.

    ResponderEliminar
  32. Eu quero as coisas mais simples tb, pq nelas encontramos gotas de felicidades.

    bjokas =)

    ResponderEliminar
  33. Oi, Luma!
    Concordo com você:"a ausência é mais doída que a saudade"!
    A ausência deixa um buraco, um vazio angustiante. Há uma esperança remota, até!
    A saudade parece irreversível, sem remédio, definitiva!
    Beijos!

    Link Direto

    ResponderEliminar
  34. Olá Luma, tudo bem?
    Nossa, que texto rico, ainda mais com a bela composição de Manuel Bandeira!
    A saudade para mim é muito dolorida, concordo em gênero e número quando diz que ela é "narcisista", pois só faz parte da gente, apenas voltada para nós mesmos não é?
    Hahahaha Luma, você, além de me deixar com saudade, me deixou mais é com fome!! Esses pastéis aí estão bonitos e parecem saborosos demais!!
    Deu água na boca...rsrs

    Querida, aproveito para convidá-la para a festinha de 4 aninhos do meu blog.. Estou reunindo os amigos da velha guarda, o que está virando pura nostalgia!
    Bem, por lá você também é TOP e parte integrante e importante daquele cantinho!!
    Se puder, será uma grande honra para mim!!

    Beijinhos e uma semana mais do que maravilhosa!:)))))

    ResponderEliminar
  35. Eu quero amar e sentir-me amada na simplicidade da vida!!!
    Bj e bela a sua escolha e venha a receita a gosto!!!

    ResponderEliminar
  36. Fome de postagens tão sensíveis quanto essa, Luma. Que bonito. Lindas palavras. E saudade é isso aí mesmo. Bjs e tenha uma ótima semana.

    ResponderEliminar
  37. Belo poema. Simples e belo. Alimenta e acalma anseios. Não fomento a saudade. Prefiro o aqui e o agora.
    Beijo

    ResponderEliminar
  38. SAUDADE: «Não digas,
    Não acenes,
    Não te lembres.
    Que se mantenha mudo, hirto e sem memória
    O nosso adeus eterno,
    E que o poeta, do seu negro inferno,
    Cante como puder
    A mágica aventura de encontrar
    E perder, a sonhar,
    O teu aberto corpo de mulher» (Miguel Torga)

    Flores, sorrisos e poesia são os votos de
    Fernando Semana

    ResponderEliminar
  39. Oi Luma! Tenho saudade do belo, do bom, do virtuoso, da boa fama, do amável e e tudo o que procuro guardar bem guardadinho no meu coração. Daí quando lá fora tá feio, eu corro para dentro e contemplo o belo. Beijo! Renata

    ResponderEliminar
  40. Oi Luma, lindo!
    Acho que o melhor post dessa BC que li até agora.
    Eu não conhecia essa poesia do Manoel Bandeira, incrível!
    Bjs

    ResponderEliminar
  41. Adorei o post Luma!
    Tenho saudades de muitas coisas, muitas pessoas, tanta coisa que não caberia colocar aqui...
    E fome?
    Fome de viver, de curtir minha família, as pessoas que amo. Fome de não ter tantas obrigações, de ser mais livre...
    E você Luma, tem saudades de quê?
    Beijokas flor.
    Lia Christo
    www.docesletras.com.br

    ResponderEliminar
  42. Lindo texto!
    Que venham coisas simples para encantar nossos dias.
    Beijos
    *-*

    ResponderEliminar
  43. Olá, Luma.
    Lindo, lindo, lindo!
    "os anjos não compreendem os homens" - não mesmo.
    Olha, eu concordo com a Ana Paula, que diz que: "mesmo que doa, compartilhar uma saudade alivia" - é sempre melhor compartilhando.
    E vou te dizer: saudade, daquelas de doer, eu tenho do meu pai e de tanta coisa que vivemos juntos e das que nos ficou faltando.
    Saudade boa, eu tenho do deslumbramento das descobertas de menina - coisas boas que ainda fazem a gente sorrir.
    Lendo da sua vontade de comer pastel de farinha de milho, lembrei duns pastéis recheados com doce de goiabada que a avó de uma colega da faculdade fazia para o lanche, sempre quando eu ia lá - e eram tantas vezes =)
    E também tenho vontade de comer goiaba acabada de pegar da árvore. Mas tá difícil.

    bj amg

    ResponderEliminar
  44. Saudades da minha avó
    Saudades dos momentos raros que tive com ela em que nos conectavamos, havia química.
    Saudades do frango cozido que ela fazia.
    mas só percebi isso depois que ela se foi.
    Tenho saudades da minha avó que está entre nós mas que não está próxima fisicamente
    Saudades do bolinho de chuva que ela faz e do modo que ela cuidava de mim quando eu estava doente.
    A falta de uma me fez dar mais valor a outra e me fez sentir mais saudades da que ficou.
    Agora a saudade apertou.
    Bjuss!

    ResponderEliminar
  45. Oi Luma.Eu tenho saudade da minha mae
    e dos seus bolinhode bacalhaujs.do seu perfume de violeta....e mais algumas saudades.Bjs

    ResponderEliminar
  46. Oi, Luma! Tenho saudade dos jogos que aconteciam na rua em que morava. Eu e meus amigos da época jogávamos queimado, vôlei e etc... também andávamos de bicicleta! Enfim, é uma saudade gostosa! rsrsrs

    ResponderEliminar
  47. Olá Luma esse poema é maravilhoso; o poeta um dos meus
    preferidos.
    Hoje em dia o que mais tenho saudades são daquele tipo de pessoas
    que passam paz e tranquilidade e que fazem a vida ser mais simples o possível;
    Hoje em dia vê e vive-se de tudo mas acho que dá em uma conversa as coisas serem mais leves sem esse pavor coletivo.
    Mas naõ dispenso um bolinho de chuva com canela por aqui kkk.
    Bom julho.
    Janicce.

    ResponderEliminar
  48. Luma querida, boa noite!

    Belo, belo, belo!
    Tenho saudades de minha infância, dos meus 6 irmãos e da minha
    mãe e do meu pai. Graças a Deus todos são vivos mas cada uma
    mora em uma cidade diferente. Meus pais são separados, nada como
    uma separação para mudar a vida das pessoas.

    Bjs, feliz semana! ♥

    ResponderEliminar
  49. Oi Luma!
    Tenho saudade de muitas coisas e pessoas e de comer tudo aquilo que não posso e não faz bem pra ninguém.
    Quero participar do varal. Obrigada, querida pela força lá.

    ResponderEliminar
  50. Tenho saudades de quase tudo, menos da comida da mamãe, porque era horrível, assim como é a minha. rs
    Adorei o poema, Luma.Bela escolha.

    Beijinho.

    ResponderEliminar
  51. Oi Luminha,
    Saudade é um sentimento que quando não cabe no coração, escorre pelos olhos.
    Bob Marley
    tenho saudade de pai, de irmão, de primeiro marido, de melhor amigo de outro melhor amigo. E de cazuza também que hoje faz 25 anos que se foi. Um poeta rebelde, irreverente que disse muito em pouco tempo.
    Beijos, saudades rs.

    ResponderEliminar
  52. Olá Luma,

    Muito interessante este conceito de que a saudade é narcisista. Até parei para pensar a respeito. Penso que a saudade, a princípio, tem cheiro de coisa boa, pois, em tese, só se sente saudade do que foi bom e marcante. Por outro lado, ela também traz aquele ângulo doloroso de algo que se perdeu no tempo e que jamais se repetirá. Neste momento, por exemplo, sinto o sufoco daquela saudade dolorosa, já que, daqui a pouco, quando o calendário rodar, estará fazendo um ano do falecimento de minha mãe e as lembranças estão me machucando, pois não estou conseguindo me concentrar nos momentos felizes, mas em seus momentos finais.
    Sem demagogia, sinto fome de respeito ao próximo, principalmente por parte de quem pode restabelecer a dignidade aos dependentes de assistência médica por parte do nosso Sistema de Saúde. Estamos carentes de muitas coisas, é verdade, mas é doído ver o povo mendigando assistência médica para si ou para familiares junto a este inoperante Sistema de Saúde.
    Você tem saudades do pastel de farinha de milho de sua mãe e eu dos quibes que a minha mãe fazia...hummmm....
    Belo belo belo este poema de Manuel Bandeira.
    "Tenho tudo quanto quero", graças a Deus.

    Linda participação, Luma. Parabéns!

    Beijo.

    ResponderEliminar
  53. Muito belo, sim, Luma! E quanto à sua pergunta... será que a saudade é mesmo narcisista? Ou apenas nos quer fazer voltar no tempo, aos momentos mais queridos da nossa vida? :) Boa semana, amiga!

    ResponderEliminar
  54. Não sei como vai ser daqui a uns tempos. Para já, as saudades de alguém ou de alguma coisa são processadas como lembranças doces. Talvez porque ainda consiga viver bem o presente.
    Muito bem conseguida tua postagem.
    Bjo, Luma :)

    ResponderEliminar
  55. fico maravilhada de ver esse uso tão belo da palavra saudade, de tantas formas, de tantas cores.. lindo Luma, obrigada :)

    a tua pergunta, a água é quentinha no Algarve em geral no verão... e as ondas muito quietinhas e nas ilhas é o máximo para crianças

    na costa oeste as ondas são mais fortes e a água mais fria...
    abracinhos do verão
    Angela

    ResponderEliminar
  56. Luma, Não sei se lembra, você deixou uma dica pra eu ler a matéria "O sol estimula o nosso cérebro, a vida fica mais leve e solta". Mas eu já dei voltas por aqui no seu blog e não encontro essa sua postagem. Quando tiver um tempinho, passe-me o link, por favor.
    bjn amg

    ResponderEliminar
  57. Parabéns pelo poema do Bandeira, excelente escolha. Saudade, ela está em tantas coisas, a tranquilidade das cidades, da simplicidade, da cordialidade hoje quase esquecida, da reunião em família aos domingos e do tempo que as crianças eram ingênuas.
    Aqui um breve ex: Uma amiga de uma sobrinha minha, tem um filho de 12 anos, engravidou recentemente, o menino demonstrou um ciúme descomunal, e então, ao perceber as mudanças, a mãe me falava sobre a surpresa e hipótese de está grávida, o menino ouvia e dizia- que grávida, esses dias vc estava menstruada... Um assunto que não compete a uma criança , achei um horror, aquilo. Sou do tempo que em conversa de adulto criança ficava de fora, meu pai só olhava pra mim, e eu já entendia cuidando de me retirar do recinto. Enfim, sinto saudade de tudo que era sadio e natural.
    Bjs!

    ResponderEliminar
  58. Querida Luma
    Neste momento, depois de ler a sua postagem, quase me apetecia dizer que vivo um pouco de saudades, como escreveu um poeta português.Sabe? Contudo, pertenço àquele número de pessoas que acredita que amanhã, vai ser muito melhor do que hoje.Daqui a bocado, se algo agora está a correr mal, vai passar tudo.A vida é muito bela.
    Parabéns pela sua mensagem.
    Um beijinho
    Beatriz

    ResponderEliminar
  59. Hi, Nice post thanks for sharing. Would you please consider adding a link to my website on your page. Please email me back.

    Thanks!
    Angela
    angelabrooks741 gmail.com

    ResponderEliminar

Tenha identidade, não seja anônimo na web. Crie sua identidade virtual.

...bisbilhotaram em quietude, sem solidão

PlagSpotter - duplicate content checker tool
Licença Creative Commonsget click

Algumas coisas não têm preço


finalista the weblog awards 2005finalista the weblog awards 2006
finalista the weblog awards 2007weblogawards 2008
Verificar conteúdo duplicado

Me leve com você...

Leia o luz no seu celular

Copyright  © 2014 Luz de Luma, yes party! Todos os direitos reservados. Imagens de modelo por Luma Rosa. Publicações licenciadas por Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial- Vedada a criação de obras derivadas 2.5 Brasil License . Cópia somente com autorização.

Tem sempre alguém que não cita a fonte... fingindo ter aquilo que não é seu.

Leia mais para produzir mais!

Atenção com o que levar daqui. Preserve os direitos autorais do editor