Ao sabor do Brasil!


Poucas as vezes ou nunca pensamos no trajeto que um bem de consumo faz até chegar em nossas mãos. Principalmente quem mora em grandes centros urbanos e tem todos os produtos à disposição. Movimentos como o Slow Food e Terra Madre trabalham para resgatar esta consciência para que passemos a consumir, preferencialmente, produtos que tenham sido plantados em área mais próxima.

A ideia de que ao consumirmos hortifrutigranjeiros locais estaremos diminuindo custos com atravessadores é válida. E é louvável se pensarmos também na valorização do pequeno produtor local. Mas apesar de ser um ótimo conceito, na prática não pode ser estendido a tudo.
No mundo de Baco, por exemplo, aqueles que se submetem à fidelidade regional estão fadados à ruína. Que o digam os produtores brasileiros. Em um ano em que a safra é recorde em tonelagem, os plantadores de uvas teriam que recorrer mais uma vez ao governo para comprar o excedente, ou quem sabe sair de porta em porta, como fazem os sitiantes das histórias em quadrinhos do Chico Bento.

Diante desse cenário onde sobram vinhos e consumidores, alguns produtores brasileiros partiram para o mercado internacional, expondo seus produtos em grandes feiras de vinhos. Feiras que acontecem a cada semestre de cada ano em países como Itália, Reino Unido e Alemanha e, em anos alternados, na França, Japão e mais recente a China.

Ainda que as feiras sejam produzidas para negociantes de vinho, têm uma característica que vai além do simples comprar e vender. As feiras da Itália e da França, por exemplo: São enormes, barulhentas, desorganizadas (na Itália), antipáticas (na França) e apresentam poucos vinhos de outros países.

Já as feiras do Japão e Alemanha são primores de organização e silenciosas - isso quer dizer que ninguém fica puxando assunto de salão, fala-se somente o necessário. Talvez seja por isso que delas saem os melhores negócios.

Em Londres, fazem-se poucos negócios, mas ninguém liga para isso. Porque a feira do Reino Unido é um lugar onde todos vão para ver e serem vistos. Se um país ou estilo de vinho "acontecer" por lá, isso será refletido no ano seguinte como tendência. E foi o que aconteceu com os vinhos brasileiros em 2010, quando onze vinícolas que fazem parte do projeto "Wines of Brasil" em parceria com o Instituto Brasileiro de Vinho (Ibravin), estiveram na feira de Londres.
Não me refiro à presença testemunhal, muito ao contrário. O estande brasileiro era chamativo e interativo - sem show de ziriguidum, telecoteco ou balacobaco. Foram convidados nomes importantes do mundo de Baco, além de jornalistas da mídia especializada e possíveis compradores, para conhecer os produtos e produtores brasileiros. O estande mostrou toda a simpatia de que somos capazes e, o mais importante, confirmou a seriedade do país nas negociações.
imagem Paulo Pampolin
O resultado se reflete até os dias atuais e a Agência Brasileira de Promoções de Exportações e Investimentos festeja!

Falta-nos muito para o reconhecimento internacional como país vitivinícola, é verdade... Mas se não colocarmos sempre a banquinha na feira aí mesmo que nos faltará muito mais... 

Enquanto isso, apreciem o vinho nacional. Garanto-lhes que daqui uns dez anos, as nossas videiras estarão realmente prontas para produzir vinhos especiais - A experiência é comprovada, solo receptivo, faltam as nossas castas envelhecerem...
Ademais, preparados para espocar a rolha e erguer um brinde, à vida?

nham!

Com alegria, pois o sentimento de tristeza não combina com os vinhos; ela torna todos eles com gosto metálico

Assine para receber os textos do "Luz de Luma" em seu e-mail ou acompanhe pelo Facebook

47 comentários :

  1. Aqui no RS os vinhos são maravilhosos e os prefiro aos cheios de pompa e riquififis e preços dez vezes maior...

    Posso ser completamente "grossa", mas adoro um vinho colonial e aqui em casa, mesmo com Kiko sendo italiano, de família de produtores de vinhos ,azeites, quase sempre o vinho preferido pra mesa é o nosso daqui, bem colonial, sem frescurites. E agrada.

    E até nossos brindes são feitos com nossos espumantes gaúchos. E não sou bairrista, sou simples e prática. É daqui, é bom, vale experimentar! bjs, chica

    ResponderEliminar
  2. Um brinde à vida! Não entendo muito de vinhos, mas quando no Sul do país sempre havia um vinho produzido nas redondezas, pela família tal que a gente conhecia um ou outro membro. Que cresça e se destaque nosso vinho por aqui e além mares.
    Vou procurar saber o que é o Terra Madre, que ainda não conheço.
    Beijo!

    ResponderEliminar
  3. Adoro vinho.

    Nacionais ou internacionais.

    Não me importo com a nacionalidade...

    Com a globalização - que o nosso também faça história no exterior europeu!

    beijinhos, Luma, que julho seja bem bonito!

    Lígia e =^.^=

    ResponderEliminar
  4. Vinhos e alegria combinam muito bem!
    Sim, há muitos nacionais saborosos, bons!!

    Um ótimo Julho! Beijos

    ResponderEliminar
  5. Luma, adoro vinho, mas hoje no Brasil, está completamente fora de questao em razao do preco. Aqui na Alemanha, se toma os melhores vinhos do mundo(inclusive australianos, sulafricanos, chilenos e argentinos, sem contar os dos vizinhos europeus) com precinhos em torno de 5 a 10 euros a garrafa..

    ResponderEliminar
  6. Adoro vinho, e por falar nisto vou comprar um e degustar neste friozinho rs...

    bjokas =)

    ResponderEliminar
  7. Por cá, temos de facto bons e reconhecidos vinhos, mas mesmo o vinho "caseiro", aquele feito nas aldeias artesanalmente por quem tem uma pequena vinha, é bebido com gosto!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  8. Quando morei na Grécia tive a oportunidade de conhecer bons vinhos...Mas também conheci muitas iguarias que não conhecia antes! Alcachofra é uma delas...
    Um dia o Brasil também fará bons vinhos...Assim espero!!!

    ResponderEliminar
  9. Amiga,
    temos tudo para fabricarmos um bom vinho,
    um dia chegaremos lá!!!!!
    O vinho não combina mesmo com tristeza,
    ele é celebração, vitória, sucesso e Amor!
    Bjus e linda quarta-feira!
    http://www.elianedelacerda.com

    ResponderEliminar
  10. Oi Luma! Não entendo de vinhos e por isso mesmo, talvez, eu não goste. Engraçado eu ter me lembrado que os vinhos estão sempre associados à boa companhia. Será que é isso que me falta para apreciá-los? Pode ser!! Mas, à vida sim, um ode sempre!!! Beijo! Renata

    ResponderEliminar
  11. Bem...Portugal tem uma vasta e saborosa lista de vinhos de norte a sul!
    Por vezes não se cultiva porque não é hábito e há que mudar mentalidades!
    Por exemplo eu fui professora durante 35 anos mas desde 2011 que estou na aldeia que me viu nascer e para dar continuidade ao projeto da minha mãe...dediquei-me à agricultura e tenho plantado produtos novos...que muita gente da aldeia...ainda se mostra renitente!!! Bj amigo

    ResponderEliminar
  12. Luma, eu gosto de vinho, mas não tenho o hábito de consumi-los. Deveria. Um cálice diário faria bem, não? Gosto de dar preferência aos produtos nacionais e locais, porém, confesso, que em relação aos vinhos, tendemos a procurar os de nome no mercado internacional.
    Hora de mudar isso.
    Um brinde à vida e à alegria!
    beijo, menina

    ResponderEliminar
  13. Oi Luma, tudo bem?
    Eu não sou apreciadora de vinho. Te confesso que apesar de achar gostoso, não tenho o hábito.
    Talvez o que me falte para apreciar melhor seja o clima, já que no Rio de Janeiro é sempre tão quente...
    Bjus
    Lia Christo
    www.docesletras.com.br

    ResponderEliminar
  14. Oi Luma!
    Aos poucos o Brasil vem produzindo vinhos de qualidade comparável a muitos importados e conquistando outros mercados. Pena que o brasileiro não tenha o hábito de consumi-lo com frequência. Talvez pelo clima...Aqui onde moro, além de se produzir um bom vinho, o clima mais frio e a descendência italiana, tem ajudado no aumento da produção artesanal de vinhos e no crescimento de muitos vinhedos. O turismo rural na região e a proximidade com a capital, tem contribuído para esse crescimento.
    Beijo!

    Link direto

    ResponderEliminar
  15. Luma, como cheguei a tempo de ajudar a produzir, bastante e ter aprendido a bebê-lo e por saber o potencial consumista, por observação direta. Cabe ás entidade oficiais incentivarem a criação de Institutos vocacionados, para promover o consumo local.
    abraços

    ResponderEliminar
  16. Olá Luma, vinho, com moderação claro, dá origem a alegrias sobretudo se estamos em boa companhia! muito bom que se dê valor aos produtores locais para que a diversidade da oferta de produção vinícola ou outra não desapareça e pelo contrario cresça com novas espécies de vegetais e de licores... tão bom, não é?! boa sorte para os vinhos brasileiros, de certeza que vão ser notáveis!
    abracinhos para ti
    Angela

    ResponderEliminar
  17. Oi mnha quelida eu não bebo nada com alcool, pq não curto.
    Mas ótmo post.
    Ótima 3ª feira para vc!
    Obrigada pela visita
    Beijos Coloridos!!!♥♥♥

    ResponderEliminar
  18. Oi Luma! Não posso falar sobre qualidade de vinhos, sabores, safras, só conheço esses simples mesmo e adoro vinho verde bem geladinho!
    Acho que em todo tipo de investimento precisa de "montar e expor a banca" ou nada muda, cresce.
    Essa imagem conseguiu deixar uma couve-flor apetitosa! rsrs
    Beijos!

    ResponderEliminar
  19. Oi Luma,

    Belo post!
    Não costumo beber com freqúência, mas gosto de um bom vinho. Já provei vinhos brasileiros de excelente qualidade.
    Bjs

    ResponderEliminar
  20. Luma sou uma felizarda porque moro no estado das maiores e melhores vinícolas brasileiras. A região dos vinhedos é maravilhosa em todos os quesitos turísticos para a boa mesa e hotelaria, inclusive tem o Spa da Caudalie com massagens e vinhoterapia que são procurados pelo mundo todo. E viva os nossos vinhos.
    Beijos!
    www.brasildobem.net


    ResponderEliminar
  21. Nao bebo nada com alcool,mas aprecio um bom vinho lá de vez que outra.Bjs

    ResponderEliminar
  22. Luma... brindar a vida com um vinho é sempre bom.. mas como ando reclamando de todos os vinhos... Não consigo mais sentir diferença.. posso estar errada ou não esteja esbarrando em vinhos certos.. Mas pra mim sempre prevalece o alcool.. não consigo sentir o gostinho da uva como evidência...

    Se souber de um bom me fale.. Chicaaaaa indica aí rs

    De qualquer forma, um brinde a vida com vinho! Adoro!

    Ahh não se esqueça dos queijos...sem eles faltam alguma coisa! :)

    ResponderEliminar
  23. Luma, meu marido toma vinho, uma taça, todos os dias no jantar e eu acompanho-ó vez em quando, mas por mais que queiramos comprar os nacionais, ainda assim, certos estrangeiros saem mais baratos, como chilenos ou argentinos. O negócio é procurar sempre as boas promoções semanais.
    Um abraço carioca.


    ResponderEliminar
  24. Um brinde à vida sim!
    Não conheço os vinhos brasileiros, mas os portugueses são de uma grande qualidade.
    Bjs

    ResponderEliminar
  25. Bom dia querida Luma!
    Mais uma bela postagem, texto mui rico, amei!
    Um bom vinho é sempre bem vindo uma pena que muitos brasileiros não
    tenham o hábito de apreciar uma taça de vinho.
    Há muitos vinhos nacionais de excelente qualidade.

    Bjs, fique com as bençãos de Deus! ♥

    ResponderEliminar
  26. Bom dia, Luma!
    No ano passado tive a oportunidade de visitar com marido, o circuito das frutas e ouvimos e aprendemos um pouco sobre a produção. Realmente, quem compra na feira ou no mercado, não sabe do trabalho do produtor e quanto perde quem planta até chegar no consumidor final...
    Infelizmente, o vinho nacional não é muito consumido lá em casa. Sempre encontramos opções melhores e com valores mais acessíveis.
    Boa postagem!
    Abraços.

    ResponderEliminar
  27. Só assim para minha pessoa aprender uma ou duas coisas sobre a distribuição dos vinhos brasileiros. Boa Sorte aos produtores!

    ResponderEliminar
  28. Acredito em valorizar os produtos de cada região e principalmente do pequeno produtor sem atravessador....beijo Lisette.

    ResponderEliminar
  29. Sempre tive paixão por vinhos, querida Luminha. Seus estudo é magistral, você é uma das pouquíssimas colegas mais bem informadas que conheço. Parabéns! Adoreiiiii!!! Bjssss

    ResponderEliminar
  30. Este seu post já deu um pequeno contributo, já que fiquei a saber que o Brasil produz vinhos...
    Para além da boa qualidade, aspeto que é bem valorizado no mercado internacional, são necessárias boas campanhas de marketing, participação em feiras, etc., tal como referiu no seu texto.
    Luma, há muito tempo que gosto do seu blogue.
    Por isso, vou passar por aqui muitas vezes.
    Saudações poéticas.

    ResponderEliminar
  31. Oi Luma! Vinho e alegria vivem de mãos dadas! Quanto ao início do post, realmente comprar hortaliças e frutas da região onde vivemos é muito mais barato e, se forem os da safra, melhor ainda! Baratos e fresquinhos! Bjks Tetê

    ResponderEliminar
  32. Eita Luminha que sua amiga aqui,
    não bebe nada. Nem mesmo um vinho
    maravilhoso feito no Brasil.Então vou brindar com uma
    boa agua e acreditar nas conquistas do nosso país.
    Beijos paz e luz.

    ResponderEliminar
  33. Oi, Luma!
    Tenho uma cidade vizinha - Andradas, com tradição em bons vinhos. A vinícola "Casa Geraldo" vem investindo nessas feiras internacionais e conquistou vários prêmios.
    Quando encontrarem um vinho "Casa Geraldo", podem provar que é de qualidade - feito aqui na pontinha mineira da Mantiqueira!

    Beijos bacanas!

    ResponderEliminar
  34. Gosto e vinho, quando tinto e seco. É minha bebida favorita e sempre os tenho em casa. Confesso, porém, que não compro os nacionais. Deveriam ter preços bem acessíveis, para estimular o consumo. Sequer posso avaliá-los, mas sempre torço para que nossos produtos adquiram qualidade e sejam reconhecidos, por mérito, lá fora. Bjs.

    ResponderEliminar
  35. Oi Luma
    De vinhos eu nada entendo minha querida, mas posso brindar com água que bastante saudável minha amiga.
    ficar conhecido no exterior é preciso aprimorar as técnicas e a qualidade e nisso as vinícolas brasileiras tem investido e com certeza agregarão sucesso minha querida
    Beijos

    ResponderEliminar
  36. É. Muito bom o post!

    ResponderEliminar
  37. Bom dia Luma.
    Sou neta de Italianos e já pequena saboreava um bom vinho.
    Adorei ler seu texto!
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  38. Oi Luma, eu não sou muito fã de vinho, nunca tomei, não entendo muito sobre essa bebida que fascina a muitos, Luma passando pra desejar um ótimo final de semana beijos.

    ResponderEliminar
  39. Oi Luma. que post legal!
    Eu não sou muito de bebida, mas mesmo não bebendo, sou uma grande admiradora de vinho. Acho chique demais!
    Bjssssss querida e um belo FDS p/vcs

    ResponderEliminar
  40. Boa tarde Luma,
    Os vinhos do nosso país são bons. Eu gosto.
    Há diversidade e qualidade!
    Até domingo, acontece em SP um evento sobre vinhos,
    'Wine Weekend São Paulo Festival',
    e os vinhos do Brasil estão entre os principais
    destaques.
    Bjs!

    ResponderEliminar
  41. Oi Luma,
    Se tem algi que eu adoro é vinho, mas tem que saber escolher
    Big Beijos
    Lulu on the Sky

    ResponderEliminar
  42. OI LUMA!
    EM NOSSA SERRA GAÚCHA HÁ ÓTIMOS VINHOS E PORQUE NÃO CONSUMIR O QUE É PRODUZIDO AQUI SE É TÃO BOM QUANTO?
    COM ESTE FRIO, UM BOM VINHO CAI MUITO BEM.
    ÓTIMO POST LUMA.
    ABRÇS
    -http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  43. Vamos brindar a vida com muito vinho tinto suave, de preferencia.
    E que saibamos apreciar nossas riquezas que são muitas.
    Abraços.
    Grá

    ResponderEliminar
  44. Oi, Luma.
    Congratulações, mais uma vez, por outra excelente postagem.
    A propósito, aquela sequência sobre pilhas e baterias de que lhe falei há algumas semanas começa a ser publicada amanhã lá no meu Blog (www.fernandomelis.blotspot.com.br) e replicada na minha página da rede PontoLink, que é www.link.flog.br/fernando-melis/ (clique no botão LINKS para acessar todas as postagens já publicadas). Beijos, bom frio e até mais ler.

    ResponderEliminar
  45. Oi Luma, que bacana este post. Fiquei feliz depois que li.
    E que as nossas castas envelheçam sagradamente ... os nossos espumantes eu aprecio sem moderação.
    Salute cara, un bacio s2

    ResponderEliminar
  46. Por cá também há que investir em mercados novos para escoar a produção. Temos bons vinhos (e azeite) mas não chega ter a qualidade assegurada, o mercado é feroz e há muitos países que também têm bons produtos.
    Consumimos vinho do produtor local mas também o proveniente de outras regiões portuguesas.
    Bjo, Luma :)

    ResponderEliminar
  47. Querida Luma
    Parabéns pela posição que o Brasil já ocupa como país exportador de vinho!
    Quanto mais tempo passar,melhor as castas vão ficar e o vinho já em pipas ou engarrafado vai envelhecer e ficar no ponto!
    Um beijinho
    Beatriz .

    ResponderEliminar

Tenha identidade, não seja anônimo na web. Crie sua identidade virtual.

...bisbilhotaram em quietude, sem solidão

PlagSpotter - duplicate content checker tool
Licença Creative Commonsget click

Algumas coisas não têm preço


finalista the weblog awards 2005finalista the weblog awards 2006
finalista the weblog awards 2007weblogawards 2008
Verificar conteúdo duplicado

Me leve com você...

Leia o luz no seu celular

Copyright  © 2014 Luz de Luma, yes party! Todos os direitos reservados. Imagens de modelo por Luma Rosa. Publicações licenciadas por Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial- Vedada a criação de obras derivadas 2.5 Brasil License . Cópia somente com autorização.

Tem sempre alguém que não cita a fonte... fingindo ter aquilo que não é seu.

Leia mais para produzir mais!

Atenção com o que levar daqui. Preserve os direitos autorais do editor