Pessoas ocupadas não devem ter filhos


Charles Darwin é lembrado como o pai da evolução e também por sua enorme capacidade de reflexão. Foi casado com o amor da sua vida e teve dez filhos. Na questão do relacionamento à dois, contemplou os prós e os contras do casamento principalmente com relação à saúde e insanidade mental - A paternidade e a família foram pano de fundo para meditações amplas sobre o próprio amor e sexo, trabalho e felicidade.

Para se ter uma ideia, poucos dias antes de se casar, depois de pesar os custos - Ele era conhecido também por ser gastador - Escreveu para Emma dizendo que sentia uma boa dose de felicidade quando estava sozinho e que a solidão ou tranquilidade, era um tônus para ele querer também estar com as pessoas, além é claro, de sentir que a realidade ia além do que se passava em sua mente. Desculpou-se pelo seu egoísmo, de não compartilhar com ela das paisagens selvagens que viu em suas viagens, das florestas gloriosas, dos passeios que fazia pelo convés que lhe ocuparam os dias por longos cinco anos.

Também escreveu: “Eu acho que você irá me humanizar, e em breve me ensinar que existe uma felicidade maior do que a de construir teorias e acumular fatos em silêncio e na solidão”.

No final da carta, escreveu: "Minha querida Emma, ​​minha sincera oração, você nunca poderá lamentar da minha solidão, irei acrescentar ação em sua vida. A primeira você está a realizar na Terça-feira; minha querida futura esposa, Que Deus te abençoe".

Não sei vocês, mas eu senti um clima pesado no final da carta (rs*)

Charles Darwin foi, sem dúvida, um dos pensadores mais significativos produzidos pela humanidade. A carta que enviou à Emma, parecia um alerta, afinal, ele tinha hábitos mentais peculiares e uma rotina rigorosa que, quando não cumprida, afetava seus humores. Essa rotina pode ter sido uma estratégia de adaptação de Darwin para controlar uma doença que dominou sua vida, a mesma que afligiu Vincent van Gogh - A ansiedade crônica, que o colocou entre uma legião de grandes mentes que mantiam uma relação estreita entre criatividade e doença mental. Um diagnóstico póstumo comprovou a doença.

Se pensar muito enlouquece ou pensar muito é sintoma de loucura?

Pois certo que ele escreveu uma outra carta à um amigo, bem antes de decidir-se casar com Emma, em que dizia que o casamento limitaria sua criatividade e que lhe tiraria o prazer de trabalhar, que se tornaria um dever para ganhar dinheiro, que teria muito menos dinheiro para os livros, no entanto, haveriam as coisas positivas, como a casa se mantendo sempre limpa, o que seria uma perda de tempo para Emma limpar a casa todo dia...

"Eheu? Eu nunca saberei francês, - ou verei o Continente - ou irei para a América, ou subirei em um balão, ou irei em viagem solitária para o País de Gales. Escravo e pobre...". 

#Euri! Mesmo os gênios têm seus dias de desânimo...

Casaram-se, tiveram filhos, ficaram juntos por 43 anos, até a morte. Foi amor e foi trabalhoso - O que mais poderia de ser para Emma, que foi avisada de que não seria fácil...

Darwin foi uma criança que se seniu amada, veio de uma família estável, de onde intuiu as capacidades de "humanização" desde o início - Foi produto de uma paternidade amorosa. Em uma carta, seu pai lhe escreveu quando tinha 15 anos de idade: "Outro dia me senti muito triste olhando para o jardim. As flores... Lembrei dos momentos em que você e Catherine eram crianças e eu estava sempre com você ou pensando em você. Era a parte mais feliz da minha vida e me atrevo a dizer que sempre será".

Darwin sabia que a ciência e a felicidade pessoal lhe eram complementares e não excludentes. Em uma carta a seu amigo botânico Asa Gray, Darwin observa essa falsa escolha com partes iguais que as pessoas fazem e, com humor irônico e seriedade escreve:

"As crianças são minha maior felicidade, mas muitas vezes e muitas vezes ainda minha maior miséria. Um homem de ciência deveria ter nenhuma, - Talvez não uma esposa? Pois então, não haveria nada neste mundo grande para cuidar. Um homem pode trabalhar como um cavalo".

Alguns detalhes da vida do casal tomei conhecimento através do Projeto Correspondência de Darwin.

Darwin mudou de ideia sobre o casamento e os filhos, mesmo assim, por saber que para dar qualidade de educação para os filhos, não poderia deixar que terceiros o fizessem. Naquele tempo, as mães tinham as amas que as ajudavam e até um passado recente podíamos contar com babás ou mesmo com empregados domésticos. No entanto, os tempos são outros... Quem não pode contar com a ajuda da família, principalmente os avós, tem que sacrificar a profissão. 

Pessoas ocupadas não devem ter filhos ou mesmo dividir o teto com alguém, mesmo assim as pessoas querem filhos e querem se casar, sabendo de antemão que crianças não fazem os pais felizes e que casamento não é para todo mundo.

Podemos casar mil vezes, mas os filhos são para toda a vida.

O que realmente importa para as crianças?

A imagem que ilustra esse post entitula-se "A Batalha dos Vegetais". É um desenho feito no verso de uma folha original dos manuscrito de Charles Darwin de "A Origem das Espécies", realizado por um de seus filhos. Muitos outros desenhos acompanham os versos dos trabalhos de Darwin, demonstrando a importância que dava à sua família.
-----------------------------------------------------------------
Em tempo: A 9ª Edição do BookCrossing Blogueiro acontecerá entre os dias 08 e 16 de Novembro. Seja também participante de uma aventura!!

Ajude-nos a divulgar!



Assine para receber os textos do "Luz de Luma" em seu e-mail ou acompanhe pelo Facebook

63 comentários :

  1. Provavelmente é por isso que ainda não sou avó!!!
    Gostei de saber!!! Bj

    ResponderEliminar
  2. Muito legal,Luma! Há pessoas e pessoas e umas é melhor mesmo que não tenham filhos... bjs, tudo de bom,lindo dia! chica

    ResponderEliminar
  3. Luma, adoro ler coisas antigas e tentar entender o que queriam dizer. Adorei os trechos das cartas! Sinceramente, o final na carta para Emma também achei pesado!

    Algumas pessoas acompanham a ideia da sociedade que se tem que casar e ter filhos, e dai vemos crianças e jovens cometendo atrocidades! Minha opinião é que cada uma faça o que faz feliz, com ou sem filhos!

    A sociedade já me cobra casamento e filhos. Filhos até que entendo pois amo muito crianças e sou daquela que senta no chão e brinca com elas, mas isso não significa que estou preparada para ser mãe e cuidar de um inocente 24 horas por dia! E casamento, amo muito meu namorado e quero estar com ele, mas sou muito pé no chão, então acho melhorar me ajeitar profissionalmente para depois pensar nisso.

    Beijos

    ResponderEliminar
  4. Essa questão é muito pessoal.
    Antes de aposentar-me, exerci uma profissão em que a carga.horária era bem pesada. Tenho três filhos, adorei tê-los e não arrependo~me. Se tivesse que repetir, faria mesmo jeito, creio que nasci para ser mãe. Consegui fazer bem feito as duas coisas maternidade e trabalho.
    Boa quinta-feira!
    Beijokas, Rê!!!

    ResponderEliminar
  5. Ter filhos é iluminar sua vida, eu sempre trabalhei até em 3 empregos em determinada época de minha vida, mas sempre curti meus filhos, nunca faltou carinho, pleo contrário!
    Se eu voltasse no tempo teria meus 3 filhos novamente, pois foram um impulso em minha vida para crescer e entender melhor as diferenças humanas, aprendi muito com eles, e são meus tesouros!
    Bjus e boa quinta-feira,amiga!
    http://www.elianedelacerda.com

    ResponderEliminar
  6. Olá Luma, bom dia!
    Gostei de saber um pouquinho da vida de Darwin. Esse é o motivo pela qual ainda não sou avó, Tenho dois filhos já casados há algum tempo, mas nenhum quer saber de filhos, pela vida corrida que eles tem...
    Deixo beijos com carinho
    Marilene

    ResponderEliminar
  7. Luma gostei desse olhar.

    Concordo com você, ao dizer, que no final da carta o clima ficou meio pesado, principalmente agora que olhei a história por outro ângulo, rs.

    "Filhos são dádivas", eu sempre ouvi isso. E concordo com essa frase, por isso pessoas ocupadas não devem ter filhos. Eu, por exemplo, não iria consegui conciliar a minha vida corrida com um filho. Meu horário de trabalho é o mais louco possível, as vezes fico o final de semana inteiro trabalhando e tenho certeza que, se tivesse um filho, isso seria um problema. Como ia ficar a cabecinha dessa criança? Por que a mãe tem que trabalhar sábado e domingo? Eu não saberia explicar a ausência. Ou ele (a) não poderia compreender.

    Eu adoro crianças. Gosto de levar pra passear, faço todas as vontades – as mães depois reclamam comigo – vou até na roda-gigante. Mas confesso que na minha vida não há tempo para tempo integral. Eu sei que meus afilhados também adoram quando ligo pra eles e digo: “tô chegando”. É esporádico, e eu adoro quando o tempo me presenteia com essas delicadezas. Filhos são diferentes de afilhados. Acho que a presença tem que ser constante e não de vez em quando.
    Por isso assino quando diz “pessoas ocupadas não devem ter filhos”.

    Lu, como sempre: ADOREI!!!

    Beijos!^^

    ResponderEliminar
  8. Olha, eu acho que ter filhos realmente é só para quem tem vocação e condições de dedicar um bom tempo de qualidade à criação e educação.
    Quanto ao casamento, acho que só pode ser bem sucedido quando você está completo, satisfeito e feliz consigo mesmo e com sua vida e que a outra pessoa só vem para transbordar sua existência; caso contrário, está fadado ao fracasso.
    Bj e fk c Deus.
    Nana
    http://procurandoamigosvirtuais.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  9. oi Luma

    Tem gente que não está preparada nem pra casar nem pra ter filhos, isso pq não dispõe de maturidade emocional.
    Qdo vc se dispõe a casar e a ter filhos vc está disposto a ser doar pelo outro.
    Não vai pensar só em vc, vai pensar que muitas das suas atitudes podem refletir na vida dos outros, vai ter que abrir mão de muita coisa.
    E neste mundo egocêntrico que a gente vive, muita gente só olha pro seu umbigo.

    bjokas =)

    ResponderEliminar
  10. Oi Luma, acho que hoje, casamento e filhos deixaram de ser ideal de felicidade. Vejo cada vez mais no meu consultório pessoas que optaram por não ter filhos e hoje já com idade avançada, não se arrependem, tem uma vida feliz.
    Ter filhos é uma missão, não objeto de status e consumo, como vemos em alguns casos, pais que simplesmente “terceirizam” seus pimpolhos.
    A questão não é ser ocupado ou não. A questão é estabelecer prioridades e principalmente ter disponibilidade interna para se doar ao outro.
    Eu por exemplo sou muito ocupada, tenho o trabalho no consultório, os grupos, as aulas que ministro, mas a família está sempre em primeiro lugar.
    Bjs

    ResponderEliminar
  11. Querida Luma
    Pontos de vista!
    Para mim,ser mãe,foi a melhor coisa que me podia ter acontecido! Até hoje!
    Os filhos trazem alegria a um lar!
    Darwin teve dez e...não queria! Como seria se quisesse?!!!
    Uma reflexão muito interessante!
    Um beijinho
    Beatriz

    ResponderEliminar
  12. Olá Luma.
    Adorei ver Darwin sob outro olhar. Interessante. Pena atestar um quê de machismo na visão do casamento, mas o que esperaríamos nós? Nada é perfeito, ele também não o era - rrrssss
    Eu pessoalmente, acho que as pessoas são diferentes, e o que é um sonho para um é pesadelo para outro. É preciso é saber ter discernimento, e simplesmente não "ir na onda" e ver no que dá.
    Em relação às pessoas ocupadas terem ou não, filhos, é coisa complicada de opinar. Tem gente que tem capacidade para gerir tudo e muito mais em cima dum só pé, outras enrolam-se à primeira dificuldade.
    Mas, convenhamos: uma pessoa que é um génio da ciência, ou da arte, por exemplo, ou com um trabalho qualquer que exija isolamento para poder criar, e que, por acréscimo ainda tenha que cumprir horário com filho (que hoje também têm "agenda" concorrida); que tenha que cuidar de casa, roupa, almoço, jantar, supermercado, contas pagas a tempo e horas, e isto e mais aquilo... não sei se resta muito tempo para inspiração, para deixar obra...
    Isto dá conversa pra vários posts - hein!
    bj amg

    ResponderEliminar
  13. Oi Luma!
    Filhos e casamento já foram consequência um do outro...
    Amar e ser feliz atrapalha a atividade de pensar?
    Creio que só se pensar for uma compulsão doentia que inibe sentimentos.

    Belo post!

    Abração
    Jan

    ResponderEliminar
  14. É uma boa reflexão! Tenho um amigo que sempre gostou de se dedicar a muitas coisas e a mulher dele sempre se queixou, dizendo que ele só conseguia, porque ela tratava da casa. Eles separam-se entretanto, e ele agora cuida da casa e dedica-se ao dobro das coisas :)
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  15. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  16. Muito bom conhecer este Darwin humano e apaixonado, o que contraria a ideia de que estes homens de ciência não vêem mais nada na frente que os seus estudos.
    Um abraço

    ResponderEliminar
  17. Oi Luma, como vai, tudo bem?
    Você sempre com pensamentos intensos que nos levam a refletir demais!
    Eu fico encantada com a sua linha de raciocínio, sempre respaldada em exemplos práticos e verdadeiros!
    Gostei de ler o conteúdo das cartes que Darwin escrevia! Ele tinha um ótimo senso de humor..rsrs
    É por essa razão, que, ao final, a gente só tem algo a fazer: concordar com tudo o que foi especificado, por expressar a realidade atual!

    Inclusive, fiz um passeio pelos textos que indicou, principalmente o link que diz que "as crianças não fazem os pais felizes"! Muito interessante a análise e o fundamento.
    Atualmente é assim, os pais não possuem o tempo necessário para dedicar-se, com ternura e amor, às suas crianças.
    Tenho um exemplo prático na minha própria família, onde meu sobrinho é criado pelos avós, em razão de seus pais trabalharem o dia todo, inclusive nos finais de semana. O garotinho é um retrato fiel dos avós, está com a personalidade em formação e trata seus queridos ascendentes, como seus próprios pais. Inclusive ele, até prefere não ver o pai, pois não se afeiçoou a ele, em razão da distância que os separa. E é uma distância de sentimentos, porque estão perto, fisicamente, um do outro. Mas no caso, a distância tornou-se complexa, por impedir, que o amor entre pai e filho fosse desde o princípio, cativado. Parece que uma muralha foi formada!

    Luma, obrigada por tudo isso!
    Eu simplesmente adorei!
    Beijos e uma semana maravilhosa!!! :))))

    ResponderEliminar
  18. Luma, as ocupadas e as impacientes. Eu sou impaciente, gosto dos meus primos porque é simples levá-los pra passear, dar um sorvete e depois entregar para a mãe cuidar de dar banho e etc., mas não sei se tenho a "vocação". A maioria dos meus amigos com a minha idade já são pais, e se dividem entre os amorosos e os indiferentes. Se é para ser indiferente, é bem melhor nem ser.

    ResponderEliminar
  19. Que coisas lindas e importantes soube de Darwin, que jamais imaginei. Olhar os gênios como "simples mortais" é isso, sabê-los apenas ... simples mortais.
    Acredito que pessoas muito inteligentes têm algo de louco, sim, a cabeça trabalha mais freneticamente, eles não conseguem acompanhar a vida "comum", daí haver traços de loucura. Ou vícios. De alguma forma precisam extravasar.
    Uau! Fiquei realmente entusiasmada para ler mais sobre ele.
    Mas também, tem tanta coisa daquilo que "quem conta um conto, aumenta um ponto" que nunca vamos saber quem foram os biografados realmente, nem que ele mesmo coordene sua biografia. Vai saber, a gente sempre floreia, né? rs Foi mais um texto lindo de ler, Luma.
    Beijo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ah, esqueci o principal! Acho, sim, que é preciso pensar muito antes de ter um filho. Mulheres que não querem abrir mão de uma carreira têm que pensar mais ainda. Entregar filhos para a escolinha, ou para babás, ou para avós não é a melhor solução. Nunca me arrependi de ter eu mesma criado meus filhos, embora tendo marido e empregada. Nem pensei em carreira, foi muito gratificante ficar com eles. Agora, como avó, detesto que me façam de baba´, a neta que mora perto, a única dos cinco netos, foi para a escolinha em tempo integral aos 5 anos, pq vimos que realmente não era bom que ela ficasse sob meus cuidados, eu já cansada e precisando viver a minha vida. "Quem pariu Mateus que o embale". Concordo demais! bj

      Eliminar
  20. Luma,

    existem pessoas que realmente não precisam ter filhos nem mesmo conviver com humanos ou pets ao seu lado. Eu conheço um, não é parente, toda a beleza dele e inteligencia é jogada no ralo diariamente por ser tão arrogante, sem humor, affff.....

    Contudo, existe tempo sim para amar, e ter filhos é o melhor tempo da vida.

    Bjs

    ResponderEliminar
  21. Luma,
    um texto bom para refletir e muito real.
    Muitos pais já esqueceram seus filhos no carro e as crianças
    acabaram morrendo asfixiados, tudo por causa do estresse do
    dia a dia, trabalho demais.
    Eu optei por deixar o meu trabalho pra cuidar do meu filho, não
    me arrependi, participei de todos os momentos de sua vida, hoje
    ele é um rapaz de 21 anos, só me trás alegrias.
    Parabéns pelo texto, belíssima postagem, tema bom pra debater no
    mundo atual!

    Bjs, sucessos sempre ♥

    ResponderEliminar
  22. Oi Luma!
    Retornei a observar os desenhos... Um lar com amor sempre tem espaço p/ todos.
    Você me fez lembrar de algumas reuniões de pais na escola, quem comparecia na maioria das vezes eram as avós. É preocupante essa criação de filhos com pais ausentes. Um dos motivos de parar de lecionar e trabalhar em casa, foi uma escolha para ficar mais perto e orientado o meu filho.
    Excelente reflexão!
    Bjossssssss

    ResponderEliminar
  23. Concordo plenamente com o título ... só ele já diz 'tudo o mais' do texto. E, por conta acrescento : nem filhos , nem animais de estimação.... para estimar é preciso dedicação.
    Beijos Luma e, ótimo final de semana!

    ResponderEliminar
  24. Uma postagem para uma rodada boa Luma.
    Eu vejo como esta afirmativa tem sido pesada para algumas pessoas que conheço e outras as vejo tirarem de letra como se diz no meu futebolístico.
    Voce sempre interessante.
    Carinhoso abraço amiga e que as chuvas apareçam.
    Um lindo fim de semana a voce.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  25. Sabe, Luma? Eu tinha certeza de já ter comentado este post (que, aliás, achei interessantíssimo!) e parece que o comentário não foi. Deixe-me dizer, então, que é realmente fantástico que uma pessoa como Darwin possa ter-se dedicado tanto à família; bem mostra quais devem ser os nossos verdadeiros valores. Mudando de assunto, na próxima sexta (31) estarei publicando o post referente ao BookCrossing Blogueiro. Concorda com a data? Bom fim de semana!

    ResponderEliminar
  26. Oi Luma, concordo plenamente com o título do post. Respondendo a pergunta que fizeste outro dia lá no meu blog, graças a Deus aqui em Moçambique ainda não tivemos nenhum caso da doença, mas os aeroportos internacionais estão a monitorar as pessoas que entram no país, como já vem acontecendo nos outros países. Um óptimo final de semana para ti. Beijinhos

    ResponderEliminar
  27. Luma
    A esposa de Darwin devia ama-lo muito , visto que
    ele era um tanto enigmatico mas acho que ela tinha a certeza de ele a amava,
    estranho ou não viveram sua história, quanto a frase , acho que quem tem filhos não devem se ocupar tanto .
    bjs e um bom fim de semana.

    http://eueminhasplantinhas.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  28. Ué, meu comments não foi. Bom, post interessante com um quê de Darwin. Sobre pais ocupados, conheço uma, que esquece de buscar o filho na escola, e, às vezes, o deixa em casa de outras pessoas, para ir ao shopping! Homens e mulheres não são sinônimos de bons pais e mães...

    ResponderEliminar
  29. Vinícius de Moraes já dizia:
    "Filhos... Filhos?
    Melhor não tê-los!
    Mas se não os temos
    Como sabê-lo?"

    ResponderEliminar
  30. É uma reflexão inquietante e admirável, a partir de uma historia de vida que muito contrasta com os tempos em que vivemos...

    Beijo

    ResponderEliminar
  31. Filhos completam o casal, eu penso assim, Luma
    Porém casais muito "ocupados" não deveriam mesmo ter filhos.
    Te desejo um ótimo final de semana e tudo de melhor.
    Um beijinho carinhoso de
    Verena e Bichinhos



    ResponderEliminar
  32. Belo texto Luma, muita reflexão sobre isso, concordo plenamente.
    Filho são os elos definitivos. São e estão para sempre.

    forte abraço
    c@urosa

    ResponderEliminar
  33. Luma, gostei dos trechos de catas dele que transcreveu. Até nem considerei pesada a que antecedeu o casamento, porque ele foi honesto. Com suas características personalíssimas, pareceu-me muito verdadeiro. Quando se vive com alguém, essa é uma qualidade que auxilia nas dificuldades pelas quais passam os casais. Basta entender e aceitar, o que se impõe desde cedo. E sua esposa se encaixou, perfeitamente, no perfil , eis que viveram anos e anos juntos.
    Quanto aos filhos, a decisão não deve ser motivada pelo querer, tão somente, mas pela capacidade de educar, mantendo outros afazeres sem prejudicar a família. E marido e mulher precisam se posicionar, francamente, quanto a isso. Particularmente, optei por não tê-los. Sou muito ansiosa e isso não seria bom para nenhuma criança. Costumo brincar que só poderia fazê-lo se tivesse um médico à minha disposição, dia e noite. Tentaria prendê-los em uma redoma, para proteção, impedindo-os de voarem. Sou uma ótima tia e está bom assim (rss). Já me dediquei horas e horas ao trabalho, quando mais jovem, e enlouqueceria para conciliar as atividades de executiva e mãe. Um excelente texto. Bjs.

    ResponderEliminar
  34. Luma,
    o rigor que ele deu à ciência foi impulso para outras importantes escolhas, como a de constituir família e de nela se perceber mais completo como pessoa.Gostei muito de conhecer estas facetas de sua personalidade "ansiosa", reveladora e instigante que encontrou em Emma o par perfeito, dando-lhe dias felizes, partilhados em harmonia e afeto.Souberam equalizar a vida através das ocupações.Ótimos exemplos.

    Cativante leitura.Grata.
    Bjkas mil,
    Calu

    ResponderEliminar
  35. Já dizia Vinícius de Moraes: "Filhos? Melhor não tê-los, mas como sabê-lo?" Nossa, inacreditável ele ter tido tantos filhos! Nunca me interessei em ler a biografia dele e o que eu li aqui deu para eu sentir um pouco de pena de Emma. Devia ser muito atormentado com a doença!! Parabéns pela qualidade. Sou sua fã. Um grande abraço! Lindo final de semana! Beijos!

    ResponderEliminar
  36. Ah, Luma, que texto fantástico! Não imaginava tudo isso acerca de Charles Darwin!
    Corajosa, a Emma, que mesmo sendo avisada seguiu em frente, hahaah!
    É o amor... quando grande e forte faz com que sigamos em frente e qualquer coisa que fique para trás será mero cenário do passado.
    Fiquei curiosa acerca da doença "ansiedade crônica"... não que eu seja uma grande mente, mas estou sempre à procura de informação, ocupação, novidade, há períodos em que é de uma forma exaustiva... não será isso?
    Achei curiosa a diferença de teor da carta à amada oara a carta ao amigo... homens tem essa peculiaridade, de tratar homens e mulheres de uma forma completamente distintas. Assisti certa vez a peça "Diálogo dos p***s" e confesso que fiquei um pouco abalada com a crueza do universo masculino acerca das mulheres, kkkkk. Prefiro ficar com a face cordial, sensual e apaixonada.
    Um abraço!

    ResponderEliminar
  37. Oi, Luminha,

    Depois de três semanas viajando, e de chegar e encontrar "trocentos" problemas para enfrentar, estou de volta à arena, rsrs. Este post - "para variar", rsrs - suscita muitas reflexões. No tempo de Darwin era comum as famílias numerosas, já que não havia controle algum de natalidade. Por isso mesmo a gente não deveria ficar surpresa com o fato de ele ter feito tantas ponderações a respeito do casamento, né? rsrs. Para mim isso prova que ele era um homem sensato, rsrs. Já ter filhos em nossos dias realmente é algo que exige muita reflexão, pois criança implica muitas responsabilidades, sacrifícios para os pais e outras coisas mais, pois criança tem muitas necessidades que não podem deixar de ser satisfeitas. Acho que a questão da paternidade é um dos grandes desafios da nossa era.

    Um beijo e boa semana

    ResponderEliminar
  38. Sabe que concordo, quantas crianças por terem os pais ocupados a trabalhar todo o dia, mal os vêem e são educados por outras pessoas.
    Li a biografia e Darwim depois de ter visto o filme " Creation " parte biográfico e parte ficcional, que narra o relacionamento de Charles Darwin com sua filha mais velha e também os conflitos com sua esposa.

    beijinho e boa semana

    ResponderEliminar
  39. Bom dia Luma!
    Encantei-me pelo teu post!
    Mesmo com todas as suas teorias e a certeza de que o matrimônio o limitaria em alguns aspectos, Darwin acreditava no casamento e que após a sua união ele seria "domado" positivamente em alguns aspectos!
    Ainda não sou mãe, mas meu ideal é ser integralmente, com muito respeito, qualidade e responsabilidade!
    Não quero que meus filhos tenham lembranças como as que tenho da minha infância, sendo criada por babás. Meus pais sempre fora de casa, trabalhando e a noite "cada um no seu quadrado"!
    Se os pais tem pouco tempo para ficar com os filhos, esse pouco tempo tem que ser vivido com muita qualidade e atenção!
    Te desejo uma ótima semana.
    Um grande abraço
    Léia

    ResponderEliminar
  40. Mais um post EXCELENTE e desconhecia do muito que escreveste.

    Darwin foi contraditório e não teve um, mas dez filhos como indicas e não deixou de ser quem era.

    Já sou avó de quatro netos que não lhes falta resmas de carinho, ocupação integral dos seus tempos livres de preferência por campos e praias por parte dos pais que, apesar do muito trabalho que têm (felizmente) neste mundo cada vez mais "capitalizado e ao sabor dos mercados nojentos" conseguem ser pais, mas pais mesmo. Como diz e bem "Léia Silva" Se os pais têm pouco tempo para ficar com os filhos, esse pouco tempo tem que ser vivido com muita qualidade e atenção". O mesmo se aplica aos avós que faço precisamente o referido...estou mais tempo com as mais velhas porque sou a única avó, ao invés de muitos que plantam os netos em frente a uma televisão.

    Beijos do lado de cá do oceano

    ResponderEliminar
  41. Tempo de qualidade é um conceito de que se fala muito , mas que quanto a mim não resolve o problema de falta de tempo para estar com quem se gosta, principalmente crianças.

    Beijinhos e boa semana, linda

    ResponderEliminar
  42. Que bacana esse texto!!! Muito bom! Darwin pra mim foi um grande homem. Pensava como muitos pensam sobre casamento. É deixar a solidão e as "esquisitices" de solteiro de lado e viver com a vida preenchida com esposa, casa e família. Isso é fato! Ao mesmo tempo iria se ocupar demais com outros quesitos que o solteiro não se ocupa. Isso também é fato..
    Preocupação com os filhos é constante. Com dez???? O cônjuge também é "um filho" e precisa ser amado de forma diferente além disso...

    A casa precisa ficar de pé, limpa e organizada para todos viverem bem. Sim, com certeza é preciso ter tempo para tudo isso e o trabalho é muito maior do que ser solteiro... e o tempo do "amar" é urgente dentro de uma família...

    Mas há alegria nas duas coisas e muitos dizem também não querer voltar aos outros tempos. A solidão é cruel e mais vale momentos de comprometimento da criatividade do que olhar ao redor e não ter ninguém para amar, ser amado e se preocupar...

    Não senti peso na carta dele, achei singela, sensível... Mas ele estava disposto a amar e a enfrentar tudo.. apesar de!!! Mesmo com todo "aviso", era preciso que ficassem juntos..

    Beijos grandões Luma e feliz semana!

    ResponderEliminar
  43. Não tenho filhos e meus conceitos é melhor guardar pra mim, Eu acho que pessoas ocupadas demais não devem ter filhos, porque elas querem que os outros criem pra elas.
    Mas falando da carta, quando ele diz: Minha querida futura esposa, que Deus te abençoe. Senti o peso dessa frase, viu? Mas que bom que deu certo e viveram "felizes para sempre", outros tempos, outras maneiras de se viver e tolerar-se. Boa semana.

    ResponderEliminar
  44. Boa semana, Luma; aguardo o próximo post!

    ResponderEliminar
  45. Luma querida, como tenho refletido nestes anos sobre Darwin. Sim, ele pesou muito casar ou não, mas deve-se incluir nisso o fato de que ele, sem saber a fundo sobre a genética e mutação, sabia que primos, parentes próximos, poderiam ter problemas com filhos. Ele sentiu grande culpa por toda a vida especialmente pela morte de sua primogênita Annie, fraca de saúde, a que atribuiu ao "sangue próximo". Foi tratado por medicina alternativa, como hidroterapia, assim como Annie e creio que a pneumonia não gostou disso e a levou. Fora o tratamento com Calomelano, remédio para tudo, que causava alucinações (o fantasma de Annie o tempo todo a seu lado?), intoxicação pelo mercúrio e não resolvia nada. Mas ele precisou passar por isso para ter a certeza de abolir este medicamento. Já Emma, se revelou uma mulher amorosa e compreensiva, que lhe deu a força de que precisava para enfrentarem a sociedade no que eles julgavam que era Matar Deus. Pois é, está aí A Origem das Espécies, alguns filhos que não vingaram (o último também morreu bebê), a coragem em pensar diferente e o funeral na abadia de Westminster com todas as honras cristãs... Adoro saber disso. Ele , no final das contas, voltou para a família e para os filhos, quando saiu de seus momentos de solidão. Voltou a contar histórias e a ser um pai, cujo tempo era dividido também com a família! Adorei o post, o desenho! Beijos!

    ResponderEliminar
  46. Olá Luma, passando rapidinho para te deixar um abraço e desejar uma linda semana. Comecei a ler seu post, me interessei. Sem tempo, voltarei depois para ler com calma.
    Viu o cajueiro? Eu também nunca tinha visto, minha mãe fez a muda de uma castanha e plantou. No ano passado ele floriu, mas não deu caju, secaram as flores. Este ano, começou a produzir... achei lindo demais.

    Beijos, estou correndo...

    ResponderEliminar
  47. Cursei psicologia por um ano, e as coisas que você disse têm bastante a ver com o que estudei nesse tempo.
    O que é importante para as crianças? - exitem muitas teorias. Sabe, acho que todo mundo tem direito de gerar e criar uma vida, ocupados ou não (a não ser que ocorram maus tratos à criança, é claro), mas entendo o que você quis dizer.
    Além disso, é incrivel como sempre entro no blog e o título do post as vezes é algo como esse, em que pensei "nhé, assunto chato, não quero filhos" - mas você conseguiu tornar interessante. Todo esse paralelo traçado com à vida de Charles Darwin, uau. Cada texto que leio aqui justifica porque esse blog está entre os meus favoritos. rs
    Vi um filme-biografico sobre Darwin. O filme não era grande coisa, mas a vida do cara, sensacional.

    ResponderEliminar
  48. Oi Luma! Educar demanda tempo e tempo é o que a maioria reclama que falta. Por minha vez, deixei minha vida profissional para não terceirizar a educação da Laura. Hoje ela está com cinco anos e meio e eu me sinto satisfeita com a minha escolha, ganhei a educação dela. Beijo! Renata

    ResponderEliminar
  49. Eu não sabia desses fatos da vida do Darwin. Mas concordo que pessoas ocupadas não deveriam ter filhos. Não digo nem em se casar...porém, como boa parte das pessoas quando casa quer ter filhos, melhor ficar sozinho mesmo. Filhos são responsabilidade. [[essa que alguns não possuem]

    ResponderEliminar
  50. Luma, um ótimo texto para reflexão!
    A maioria dos pais de hoje não tem tempo para os filhos e a educação desses ficam com as babás ou vovós.Mesmo assim querem tê-los! Eu tive que largar o meu trabalho para cuidar do meu neto! Sinto falta, mas não me arrependo.
    Beijos
    Amara

    ResponderEliminar
  51. Que texto interessante, Luma. E faz uma boa reflexão sobre esta questão. E tem muita gente que não deveria ter filhos mesmo, inclusive algumas que não são mt ocupadas mas não tem vocação alguma. Bjs e boa semana!

    ResponderEliminar
  52. Bom dia Luma, a postagem de hoje na Literatura é sobre Book crossing Blogueiro.

    Nooossa criança é tudo de bom, pena que eu não posso ter filhos(mas algo muito bem resolvido para mim), amo,amo crianças
    E esse amor é repartido com meu único sobrinho e outras crianças que conheço nas minhas contações e o mundo afora.

    Tem pessoas que tem filhos para outras pessoas criarem e educarem se estão certos ou errados, não saberia dizer, é algo que precisa ser pesado em duas balanças.
    Beijos Luma, ótima semana.

    ResponderEliminar
  53. Nossa! Como é bom aprender toda vez que entro aqui.
    Acho que quem pensa muito sempre se vê nesses dilemas - a parte mental ou a parte sentimental. Eu sempre pensei que ter família é muito mais que trabalhar e por comida na mesa. A gente se torna responsável de todas as formas pelo ser humano que divide o teto com a gente e mesmo depois que este ser sai de casa.
    Como vc disse, os tempos mudaram e infelizmente, os valores também. Muitos se casam sim, mas sem saber o que é um casamente e muitos colocam filhos no mundo por um simples ato, sequer sabem de todas as responsas que vêm acopladas com tal ação. E é por isso que o mundo a cada dia perde valores. As crianças, crescem sem referência, sem limites, sem parâmetros.
    Educação é muito mais que o governo "dar cadernos, merendas e vagas nas escolas", mas muitos pais sequer desconfiam disso.

    Boa postagem, como sempre!
    Abraços e lindo dia.

    ResponderEliminar
  54. Lumita!!! Adorei isso! Foi certeira - como de costume! Ter filhos deve ser uma escolha. Um escolha consciente. Não é questão de "vocação" ou "ciclo natural da vida". Eu mesmo adoro criança. Criança dos outros... hehe. Para mim e para o estilo de vida que escolhi levar eles - os pimpolhos - não se enquadram. Talvez mais adiante, nzé? Bjocas!

    ResponderEliminar
  55. Pra ter filhos é preciso pensar bem, pesar pros e contras. Eu pensei tanto que quando achei que era a hora já não deu mais tempo de tê-los! Mas, com certeza, se os tivesse tido sem condições de dar à eles toda a atenção que uma criança necessita eu teria me arrependido! Bjks Tetê

    ResponderEliminar
  56. Sou mãe e avó... O tempo se arruma quando se quer em efetivo. Olá minha querida. Saudades. Olha mais um dezembro se aproxima em nossas vidas e, como tradição vamos homenagear o aniversariante Jesus Menino, por isso estou te esperando na Ilha para nos interagirmos no Boas Festas 2014. O convite é um span, pois como sabes que meu tempinho é curto. Um enorme beijo no coração.

    ResponderEliminar
  57. O post é excelente e os comentários deram um tom espetacular! Estou a pensar em tudo o que li por aqui...
    Beijo!

    ResponderEliminar
  58. Texto muito bom pra pensar e refletir...
    Casamento, filhos e trabalho/profissão são coisas ótimas e realizadoras... Com equilíbrio e vivendo o sentido bonito deles, é alegria e satisfação!...

    Um abraço grande, Luma!

    ResponderEliminar
  59. Oi Luma, boa tarde,
    Plenamente de acordo:
    'pessoas ocupadas, não devem ter filhos',
    aliás deveria ser proibido!
    Mas virou moda terceirizar até a educação de crianças.
    Fazer o que né? Isso é pessoal, e cada pessoa
    faz o que acha melhor pra ela.
    De uma coisa eu sei:
    ter filhos pode até ser muito bom,
    mas não tê-los é muito bom também!
    Quanto a Darwin, ele realmente acrescentou muita ação à vida de Emma,
    afinal, cuidar de 10 filhos, não é brincadeira...
    Bjs :)

    ResponderEliminar
  60. Não conhecia estes aspetos de Darwin e adorei ficar por dentro. Entendo bem essas dúvidas. Afinal respeitam à sua clarividência.
    Não é fácil conciliar tudo, sobretudo quem não tem apoio de retaguarda, atualmente.
    Fiquei matutando na frase: " Se pensar muito enlouquece ou pensar muito é sintoma de loucura?"...
    Bjuzz. Luma

    ResponderEliminar
  61. Foi bom conhecer um pouco sobre Darwin!
    Todos temos problemas...Mas também temos a oportunidade de nos livrarmos deles...Quanto aos filhos, quem não é ocupado nestes dias atuais? Tempo é uma questão de prioridades...


    Beijão

    ResponderEliminar
  62. Gostei muito desse post!! Realmente hoje em dia é muito difícil cuidar de nossos filhos e ainda trabalhar, mas é preciso fazer sacrifícios para conseguir dar conta dessa tarefa divina: criar indivíduos. A gente fica meio louco, mas é o que há de mais sublime que podemos fazer aqui na terra.

    ResponderEliminar

Tenha identidade, não seja anônimo na web. Crie sua identidade virtual.

...bisbilhotaram em quietude, sem solidão

PlagSpotter - duplicate content checker tool
Licença Creative Commonsget click

Algumas coisas não têm preço


finalista the weblog awards 2005finalista the weblog awards 2006
finalista the weblog awards 2007weblogawards 2008
Verificar conteúdo duplicado

Me leve com você...

Leia o luz no seu celular

Copyright  © 2014 Luz de Luma, yes party! Todos os direitos reservados. Imagens de modelo por Luma Rosa. Publicações licenciadas por Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial- Vedada a criação de obras derivadas 2.5 Brasil License . Cópia somente com autorização.

Tem sempre alguém que não cita a fonte... fingindo ter aquilo que não é seu.

Leia mais para produzir mais!

Atenção com o que levar daqui. Preserve os direitos autorais do editor