Você é o que você fala


Você pode ser às vezes repetitivo, irônico, revoltado, melancólico, sonhador, ácido ou mesmo piegas... Você pode ser o que quiser e achar que é mal compreendido e que ninguém entende os seus aparatos interiores. Isto acontece, por que seus confrontos são seus, só seus e se não expressá-los, ninguém entenderá a sua maneira de "pensar". Diria que você está com um grave problema de comunicação ou, em um caso mais extremo, de sociabilidade - Vou ali comprar uma bola de cristal.

Por outro lado, muita gente fala pelas ventas e mesmo assim não é escutada - todo mundo tem opinião sobre tudo e todo mundo quer valer a sua opinião, mas sem fundamentar, a fala não quer dizer nada.

Tenho visto um certo mau-caratismo (com hífen) no trato de assuntos que envolvem as relações sociais; O poder de manipulação de alguns, que pegam a realidade crua e deixam-na chocante, para depois transformá-la em coisa banal. Isto é manipulação das massas.

A mídia vira e mexe pega políticos e cidadãos boçais para enfiar goela à baixo dos "leitores ávidos" - preciso dar nome aos bois? Nesse ínterim, parece que um pirralho andou transando com a própria mãe no útero.

Lógico que a mídia está certa! Gente normal não dá ibope - Além de toda a gama de discussões, faltou falar sobre aborto e prostituição infantil - Se formos levar para o lado otimista, tudo que está acontecendo, está servindo para discutirmos os problemas sociais deste país.

De início, colocaram Deus, maconha e gays no mesmo saco e criaram uma barafunda, misturando religião com homossexualismo e drogas. O "leitor ávido" correu atrás da "notícia" para fazer dela chacota - sabe aquele leitor que reclama que ninguém entende a sua maneira de "pensar"? - e, na mais pura hipocrisia, o mesmo cidadão que diz não concordar com os boçais, aplaudiu dias depois o veto de um Kit Gay que seria distribuído pelo governo nas escolas.

O "leitor ávido" e superficial reclamou "Oras, criança ainda não sabe (cala a boca) discutir (sai da sala) homossexualidade (é assunto de adulto)". Mas para quem ainda não sabe, a suspensão se deu porque em um dos vídeos do kit anti-homofobia do Ministério da Educação, havia duas frases inadequadas a que os vídeos se destinavam: “Gostando dos dois (ga­­rotos e garotas), a probabilidade de encontrar alguém por quem sentisse atração era quase 50% maior” e “Tinha duas vezes mais chance de encontrar alguém”.

Além de trocarem o no nome do Kit anti-homofobia para Kit Gay, o "leitor ávido" preguiçoso no pensar, cumpriu seu papel de massa e incentivou outras pessoas a entrarem na linha de produção, empacotar e distribuir os rótulos: Quem defende a legalização da maconha - deve ser maconheiro; Casamento entre pessoas do mesmo sexo? Isso não é coisa que cristão apoie!

Estes discursos em tudo se assemelham às intrigas de alcoviteiros, confundindo conceitos e difundindo preconceitos. Vamos aos conceitos:

A legalização da maconha ou qualquer outra droga entorpecente é um problema de criminalidade (clandestinidade das drogas e formação de quadrilhas) e saúde pública (dependência química e psicológica).

Ser homossexual não é crime, não gera criminalidade, não é um problema de saúde pública - é um tema da esfera individual e privada - e quem não é gay, não tem nada com isso. Qual é o problema então? Se eles querem administrar suas vidas e se unirem civilmente com quem escolheram, o que temos com isso? Isso não afeta a sua moral, a sua sexualidade, a sua vida, enfim, se você é contra é porque considera essa categoria de seres humanos depravados anticristãos? Ou, sei lá, os gays são do diabo?

A maior cota de confrontos gratuitos vieram com pinceladas maquiadas em incontáveis facetas - Você aí do outro lado do ecrã dizendo para si mesmo: problema deles. Certamente, o Estado cria leis simplesmente em resposta as necessidades sociais e os problemas estão presentes. Por que não dar oportunidade às pessoas de suprirem suas necessidades?

Ainda não vi nenhuma pesquisa sobre aceitação da homossexualidade, mas na prática percebo que as mulheres, talvez pela sensibilidade, visualizam de maneira diferente as relações humanas. Já o homem tende a boicotar o homossexualismo masculino e até a "achar bonito" o homossexualismo feminino, chegando ao ponto de terem fantasias sexuais com as moças. Meninos, não sejam machistas! Saibam, a homossexualidade tem lá a sua carga genética.

As inéditas, as boas ou quem sabe, por acaso, descaso, aconteceu... os homens sempre dão desculpas para não assumir sua própria homossexualidade, empurram com a barriga e em geral, saem do armário somente quando não dependem financeiramente dos pais. Outros não publicam, não acrescentam em conversas, não falam no jantar, namoram mulheres, casam com elas, vivem amargurados pulando de cama em cama clandestina - para depois encher o saco dos filhos: "No meu tempo homem não usava secador de cabelo".

Estou generalizando, viu?

Assim, vou também lhes dizer que muitas pessoas que se dizem religiosas não o são, pois tem atitudes mesquinhas, totalmente sem ética, egoístas e que apenas propiciam para si, vantagens em vida em troca da sua danação eterna. Ter um olhar fraternal é aceitar as pessoas como elas são e não se elevar acima de Deus, condenando e enquadrando em pecados, aqueles que não escondem seus "aparatos interiores".

Nessa plêiade de demônios em vidas abarrotadas de intempéries, a nostalgia ou a melancolia espreitam as madrugadas, se esparramam ao crepúsculo em singelas orações, contrárias às iradas palavras, que destilam veneno e não combinam com a "fé".

Alma enfarada e provocativa, no cimo da montanha a achar-se melhor que os demais mortais. Onde fica o próprio viver e conviver? Enclausurados, relapsos, divagadores e sem noção de raciocínio, enterraram o coração na curva do rio.


Confusão mental, mofo ancestral, inconformidade, balbúrdias, choramingos, disparates e a futilidade de ser uma pessoa mecanizada, numa vida sem sentido, conivente, consentida, se deixando levar, abaixando a cabeça, que não se revolta diante da maldade, corrupção, desonestidade, descaso, miséria e exclusão.

Continuem achando que a vida é um passatempo.

Preconceito gera atraso, ódio, desinformação - que podem ser convenientes para políticos, na medida que criam votos fáceis, mas que não ajudam a construir um país.

33 comentários :

  1. Quanto maior for o preconceito, mais somos vulneráveis aos efeitos dos atos dos políticos que se aproveitam disso tudo ...

    Um lindo dia, beijos,chica

    ResponderEliminar
  2. Bom dia Bella!

    Não vou comentar nada, porque seu artigo está excelente! Direto, indireto, linhas e entrelinhas...

    Quanto ao título do post, tenho que me cuidar... Falo demais rsrsrsrs.

    Beijo e carinhossssssssss

    ResponderEliminar
  3. Luma,

    Rafinha Bastos é, mais que qualquer coisa, um personagem. Claro que isso não o isenta das responsabilidades por aquilo que fala, mas, sinceramente, não o levo a sério. Na edição do mês de maio da Rolling Stone, ele, que se diz judeu, posa com uma coroa de espinhos, como se fosse Cristo, então a dele é chocar, e muita gente vai na onda, alimentando o troll.

    Já quanto ao famigerado kit, confesso que fui contra, pois penso que somente contribuiria para aumentar a animosidade e que fizessem comparações: ah, fulano também faz isso, então ele é gay. Amigos gays me disseram que se sentiriam desconfortáveis se, em sua época de escola, tivessem de assistir em classe a materiais assim. E adolescentes são maldosos, e sempre serão.

    É complicado, cada qual tem sua opinião, mas ainda acredito no bem maior, o problema é como alcançá-lo.

    Beijos.

    ResponderEliminar
  4. http://www.casadobruxo.com.br/textos/martelo.htm
    Esse texto, da Rose Marie Muraro é genial, vem bem a calhar a respeito dessa discussão.
    estou chocada, parece que estamos vivendo uma volta às trevas da Idade Média.
    A caça às bruxas voltou, a vida do outro deve ser monitorada, assim tenho certeza que o pecado é dela, não meu!, é muita demagogia de uma vez só!

    ResponderEliminar
  5. Luma , quanto legalização a maconha, se não me engano o Silvio Lach, disse uma frase que para mim é perfeita, “nós não temos policia para coibir, nem tão pouco clinicas para tratar”, ou seja, “a gente somos inútil” creio que seja algo a ser realmente discutido e pensado e planejado muito.Quanto ao kit homofobia, me fez lembrar o que foi ensinado na sala de aulas do meu filho, há 20 anos atrás, no momento em que eu estava recém divorciada, e que trouxe ,muito conforto para ele, algo assim: família, é constituída por, pai, mãe e filho (s), porém, há casais que se separam e o filho(s) vai morar com a mãe ou com o pai. Simples assim. Será que é necessário um kit para explicar, o respeito, e explicar as naturalidades da vida? Concordo com o Luciano, só aumentaria a animosidade.

    ResponderEliminar
  6. Bom, sobre voce ser o que voce fala, discordo em parte. O "ser" implica em muitas coisas. Se voce fala, no entanto, e faz diferente, sim, ha um problema gravissimo de comunicacao, e no minimo isso vai ao detrimento de quem quer comunicar. Mas sei que existe diferencas entre os diversos meios de comunicacao, e o que vejo de muito, muito triste no Brasil atual e a ausencia de senso de humor, ou da diferenciacao entre senso se humor e opiniao, ou pregacao.

    Humor como propaganda sempre existiu e sempre existira. O "chocar" que voce fala e a essencia do humor. Como diz uma amiga minha, Tom e Jerry, desenho infantil das antigas, ja era para chocar, ja era violento, e levantar a hipotese de que Tom e Jerry vai contra o movimento ambientalista ou de protecao aos animais, para mim, e mais um absurdo comico. O mesmo acontece com toda especie de humor, especialmente na satira. Acompanho o CQC quando da, nao faco questao, mas em grande parte de seus comentarios nao so rio, mas vejo criticas sociais sendo empregadas na logica do humor. O trollismo do CQC e natural para mim: Cresci assim, e fui vitima de bullies de verdade, sabendo diferenciar bem o que e trollismo e o que nao o constitui. (Bastos nao se diz judeu, eh judeu, e emprega humor judaico na maioria de suas observacoes). Acredito que ha uma histeria predominante na WWW sobre o humor, linkando-o a coisas, sim, serias. Mas ele eh um palhaco e, como voce bem disse, palhacos nao se leva a serio.

    Sobre o kit anti homofobia, nao sei o que dizer. Sou a favor de tudo que seja mais pro liberdade de expressao, mesmo que gere chacotas e outros problemas, ja que soluciona o maior problema, que e a mordaca que se poe em homossexuais (mesmo homens com o fetiche acham que aquela mulher lesbica certamente sente falta do falo dele), uma censura que onde moro existe cada vez menos, mas que ainda assim existe. Portanto, se ajuda a propagar a ideia que e natural ser homossexual, to dentro. Mas nao estou diretamente ai para opinar, so vi partes do kit.

    De resto, sempre bom acompanhar a luz.

    bjx

    Roy

    ResponderEliminar
  7. Oi querida,
    As vezes da vontade de botar a boca no mundo nao é? Com toda razao. Li agora sobre esse cretino do "mamaço" que nome escr. para falar em amamentaçao, condiçao tao importante para a criança ter saúde.
    A mesma criatura incentiva o estupro? Esse deve ser filho de chocadeira como diziam antigamente: nao teve mãe. E tomara que nao tenha nem mulher nem filhas nao é? Que elemento perigoso e na tv!!!
    Ha uns poucos anos atras dicutia-se se estava em surgimento uma nova raça e nao humana. E nao estou falando de sites sobre terras-ocas ou repteis nao. Foi uma discussao que surgiu de aclamados profissionais do Direito, da Psicologia, etc nos poroes das universidades, depois do crime daquele menininho que foi arrastado por assaltantes. Lembra? Inesquecivel. Claro que nao esta surgindo uma nova raça inferior a humana.
    Precisamos sim de surgir uma nova especie, superior ao humano. Será que vamos evoluir antes que esse mundo acabe? Por que somos o que falamos, o que nao falamos, o que fazemos e o que deixamos de fazer. As omissões tambem sao mal-ditas. Enfim, nem sei o que dizer. É isso, tem hora que nos calamos diante do mundo e nos perguntamos internamente: sera possivel?
    Beijos e bom dia, apesar de todos os pesares. Voce é bom-carater, com hifen. Coisa rarissima hoje em dia...
    Cam

    ResponderEliminar
  8. É melhor as pessoas terem mais papas nas línguas, ou melhor, nos dedos, ou arcarem com as consequências

    =)

    ResponderEliminar
  9. Adorei seu texto Luma! Nem vou comentar pq acho q vc disse tudo.

    Obrigada pela visita no meu blog! E eu acho q a Mirys deveria mesmo buscar apoio com as empresas de telefonia. Ajudaria muito a gente nessa data... Meus bolsos agradeceriam! rs

    Boa quinta!

    ResponderEliminar
  10. Pois é minha cara amiga Luma, um país sem qualidade na educação, não formará nunca um povo crítico e reflexivo. Esse povo nunca será capaz de afugentar da sua vida os preconceitos e a ignorância. E, assim, os irmãos e irmãs "diferenciados" que merecem respeito e o amparo da lei (se é que existe lei nessa mer... de país) serão sempre prejudicados e "préjulgados".

    forte abraço do amigo leitor,

    C@urosa

    ResponderEliminar
  11. Oi Lumitcha,
    Me ensina como se faz o tal link? Escrevi sobre uma aula e queria colocar o link do blog do professor no meu texto, mas nao sei como se faz isso.
    Beijos e muito obrigada!!!!!
    Cam

    ResponderEliminar
  12. Irretocável, Luma querida.
    Agora, para além do efeito catártico de suas palavras, resta interiorizá-las e sobretudo agir, cada um de nós, para a modificação do status quo.
    Obrigada por nos colocar a situação de forma tão clara.
    beijos

    ResponderEliminar
  13. Luma:
    Parabéns pelo texto!
    Como sempre você sabe o que diz.

    Boa quints-feira!

    Anny

    ResponderEliminar
  14. O problema é que, para falar algo audível e relevante, é preciso ter consciêncis situacional, o que é utopia no Brasil e mesmo em qualquer lugar do mundo, a partir da cultura de massa.

    As massas já deixaram de pensar há muito tempo, e, no Brasil, nunca pensaram, sempre foram preguiçosas em fazê-lo, por isso, somos um país de tantos preconceitos inexplicáveis.

    ResponderEliminar
  15. O ser humano tem muito que aprender...beijo Lisette.

    ResponderEliminar
  16. Oi Luma
    Obrigado pela visita e pela informação. Como recebi o texto por email, conforme citado, não tinha o autor. Já fiz a devida correção. A indicação, vai ficar pra próxima encarnação, pois meu inglês e zero. Obrigado
    Bjux

    ResponderEliminar
  17. que se fale o que se pensa, viva a liberdade de expressão. mas viva muito mais o respeito ao próximo, ao direito do outro, o pensar alheio.

    na questão dos gays e cia, lá vem a chuuuuuuva de hipocrisia, gente que não é gay que se incomoda com quem o outro divide a cama e pronto, olha ai o bafafá chato. dai entra a religião x, o não sei quem z, discussão, discussão, discussão.
    e mistura ai preconceitos esparramados, teses malucas que justificam coisas abomináveis, etc e pronto, que confusão

    mamaço... cqc, certos, errados. maconha, cota racial, etc.

    o povo se acabando nessa discussão. e do Palocci, corrupção, ninguém quase fala nada, parece que tá tudo tão bem na vida do povo...

    tá tão cansativo esse mundo... tão desgastante

    bjs, ótimo texto

    ResponderEliminar
  18. O ser humano é muito interessante. Ainda bem que temos uma consciencia. E assim avida fica mais fácil.
    Mas conviver não é fácil não!
    com carinho MOnica

    ResponderEliminar
  19. Olá, querida Luma
    A vida não tem nada de passatempo... vc tem toda razão!!!
    Com essa gama de situações a se pensar... a acolher no mínimo... tem que se dá um duro danado para se sobreviver com paz e alegria a tanta reviravolta que o mundo dá...
    Bjs de paz e excelente fim de semana.

    ResponderEliminar
  20. Lumita, confesso que boiei nesse seu post! Não vejo TV aberta, talvez seja por isso...o que sei é que SOU TOTALMENTE A FAVOR da liberdade de expressão, seja ela do jeito que for. beijos,

    ResponderEliminar
  21. muito bem menina.

    deixei meu e-mail aí.

    bj

    ResponderEliminar
  22. Só posso dizer.. és uma profetisa do novo tempo!
    Quantos Kits engolimos todo dia...
    as vezes me pergunto se existem os kits que eu gosto entende?...
    ou se sou parte de um!
    Poesia e beleza não dá ibope, muito menos um texto inteligente neste nipe!

    Mas a gente está aqui com a trombeta em beiço! rsss tocando!

    Luma, sua energia poderosa encanta-me!
    Sabe que eu sempre percebo o homem que se casa e pula de cama em cama mesmo casado.. e eu profano que sou. abriguei um ou dois destes em lençóis de fogo... quando era ainda inconseqüente-apaixonado...

    Ah.. Luma ainda quero conversar horas com vc!

    Bju de fogo!

    ResponderEliminar
  23. Oi Luma,
    Eu não vi este kit Gay e tenho medo de me expressar a respeito sem conhecer melhor, mas sou favorável ao casamento gay, a legalização do aborto (sim, pois da maneira que está o aborto está liberado e abortam fetos da mesma maneira que abortam embriões) e tb da liberação da maconha (acho menos perigosa do que o alcool).
    Bjkas e um final de semana maravilhoso para vc.

    www.gosto-disto.com

    ResponderEliminar
  24. Oi Luminha, saudades de vir aqui, e hoje encontro esse post super interessante. Parabéns, como sempre.
    Sobre a gente ser o que fala, é verdade, pois não apenas somos o que falamos, mas também o que pensamos, sentimos e manifestamos. No meio disso tudo há algo que constitui a verdadeira essência, o que prevalece. Não adianta falar uma coisa e sentir outra, pensar outra e agir diferente daquilo que proclama. Então, certamente que tudo é um conjunto dessas coisas que compõem a essência do Ser.
    Sobre homosexualismo, não me dou o direito de julgar. Apenas aceito quem é aquilo que é, e se estiver errado ou for pecado, isso não é coisa que me caiba decidir, portanto, julgo que a tolerância devia ser mais difundida com relação a tudo isso, afinal, vê-se muito do contrário. E isso é triste. Óbvio que não vamos dizer aos nossos filhos que ser homosexual é super legal, mas vamos ensiná-los a respeitar as diferenças, essa e todas as outras que fazem com que cada um seja um ser indivídual, vamos ensinar a tolerância, o amor, a compaixão, o perdão. Acredito que esses são os alicerces para uma sociedade saudável, para um novo mundo que ainda pode ser construído com base naquilo que conseguirmos doar e ensinar as gerações futuras a agir do mesmo modo, e cada vez melhor.
    Eu ainda creio num mundo assim. Pode ser uma Utopia, mas esse mundo chegará sim, tarde ou cedo. Muitos não sabem, mas simplesmente não existe outra opção. O mundo tal como o conhecemos já esgotou todas as possibilidades, a sociedade é falha, muita coisa está errada e a única coisa a fazer agora é a regeneração, processo que aliás já iniciou, embora só o possa ver quem tem olhos para isso.
    Obrigada pelo texto, pela oportunidade de reflectir, expressar, manifestar aqui a minha ideia, minha opinião. Amei.
    Beijo na alma.
    Angel.

    ResponderEliminar
  25. Passando... Só para desejar um sábado especial p/ você!

    Bijos e ternuras

    ResponderEliminar
  26. "Mais do que o direito a falar, muitas vezes temos o direito de calar. Ou melhor, o dever de não dizer toda a nossa verdade. Guardar para nós aquilo que sabemos e ir dizendo à medida em que o outro dá sinais de que é capaz de ouvir é um exercício de sabedoria e maturidade."

    Bjos.

    ResponderEliminar
  27. Saber calar é coisa importante, sim. Calar tolerando e denunciar quando for necessário, sempre!
    Adorei texto. Já vivi o suficiente para te dizer que tens toda a razão.
    Beijos

    ResponderEliminar
  28. Pois eh Luma preconceito existe por toda a parte e muita gente fala demais. O importante eh nao dar atencao as bobagens que se falam. As pessoas sao livres para fazerem o que quiserem desde que nao prejudiquem outras. Viver em sociedade nao eh facil e o conceito de liberdade nao eh entendido claramente por muitos. O importante eh se intruir buscando o conhecimento constantemente e assim ter um entendimento melhor das coisas e das pessoas e poder falar com propriedade.
    Um abraco
    Shrek

    ResponderEliminar
  29. Falar, escrever, se expressar de qualquer forma, é complicado e, às vezes, penoso. As relações humanas são difíceis mesmo, já que tão pouco conhecemos de nós mesmos, quanto mais do outro.

    Gosto muito do que escreveu Mario Quintana: A gente pensa uma coisa, acaba escrevendo outra e o leitor entende uma terceira coisa... e, enquanto se passa tudo isso, a coisa propriamente dita começa a desconfiar que não foi propriamente dita.
    Embora ele se refira à escrita, creio que se aplica a outras formas de comunicação.

    Beijinho

    ResponderEliminar
  30. Olá,
    Texto lúcido e esclarecedor.
    Preconceito está virando uma doença contagiosa, pessoas julgam, emitem opiniões sem sequer saber do que falam.
    Infelizmente alguns que se dizem "religiosos" não colocam em prática aquilo que pregam.
    Carinho procê.

    ResponderEliminar
  31. Olá, é 1ª vez que venho aqui e gostei muito do seu texto. Olha, se formos o que falamos então...estamos f*didos porque vivemos numa sociedade em que o refletir não é valorizado pois reflexão leva tempo e como vivemos numa era em que as informações vem e vão muito rapidamente e , portanto, se valoriza aquele que consegue digerir todo esse pretenso conhecimento que o mundo traz minuto a minuto, sem formar um juízo crítico do mundo em que vivemos. O exemplo máximo é esse tal de kit antihomofobia que está parecendo um "tiraço" no pé...Álias, como todas as campanhas governamentais que pretendem levar algum bem estar a população e não falo desse governo e sim de governos desde a época do 1º mandato do FHC...Alguém lembra a campanha pra incentivo de uso da camisinha no carnaval de 93 em que se chamava o pênis de Bráulio, numa tentativa rísivel de descontrair o tema: uso de camisinhaxAids ? Então, o interesse do povo foi não falar da campanha e seu motivo em si, mas sim zoar as pessoas que tinham o nome Bráulio.
    Enfim, resumo da ópera: o que falta e que seria tão salutar a todos é adotar o hábito da reflexão crítica sobre o mundo.

    ResponderEliminar
  32. Preciso voltar a este post noutro dia pra comentar sobre os aspectos semânticos das palavras que usou e de como as palavras têm poder. Favoritei pra isso.

    ResponderEliminar

Tenha identidade, não seja anônimo na web. Crie sua identidade virtual.

...bisbilhotaram em quietude, sem solidão

PlagSpotter - duplicate content checker tool
Licença Creative Commonsget click

Algumas coisas não têm preço


finalista the weblog awards 2005finalista the weblog awards 2006
finalista the weblog awards 2007weblogawards 2008
Verificar conteúdo duplicado

Me leve com você...

Leia o luz no seu celular

Copyright  © 2014 Luz de Luma, yes party! Todos os direitos reservados. Imagens de modelo por Luma Rosa. Publicações licenciadas por Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial- Vedada a criação de obras derivadas 2.5 Brasil License . Cópia somente com autorização.

Tem sempre alguém que não cita a fonte... fingindo ter aquilo que não é seu.

Leia mais para produzir mais!

Atenção com o que levar daqui. Preserve os direitos autorais do editor