Muita gente odeia o Natal Cristão

odiando natal


O texto que segue, já circulou por vários blogues e sites no finalzinho do ano passado e eu gostaria de publicá-lo no "Luz", agora próximo ao Natal, justo por ser uma época em que o sentimento fraternal fica mais à flor da pele - ou deveria ficar - para pensarmos na nossa parcela de responsabilidade social e deveres de cidadãos.

Vou fazer um slideshow para você.

Está preparado?

É comum, você já viu essas imagens antes.

Quem sabe até já se acostumou com elas.

Começa com aquelas crianças famintas da África.

Aquelas com os ossos visíveis por baixo da pele.

Aquelas com moscas nos olhos.

Os slides se sucedem.

Êxodos de populações inteiras.

Gente faminta.

Gente pobre.

Gente sem futuro.

Durante décadas, vimos essas imagens.

No Discovery Channel, na National Geographic, nos concursos de foto.

Algumas viraram até objetos de arte, em livros de fotógrafos renomados.

São imagens de miséria que comovem.

São imagens que criam plataformas de governo.

Criam ONGs.

Criam entidades.

Criam movimentos sociais.

A miséria pelo mundo, seja em Uganda ou no Ceará, na Índia ou em Bogotá sensibiliza.

Ano após ano, discutiu-se o que fazer.

Anos de pressão para sensibilizar uma infinidade de líderes que se sucederam nas nações mais poderosas do planeta.

Dizem que 40 bilhões de dólares seriam necessários para resolver o problema da fome no mundo.

Resolver, capicce?

Extinguir.

Não haveria mais nenhum menininho terrivelmente magro e sem futuro, em nenhum canto do planeta.

Não sei como calcularam este número.

Mas digamos que esteja subestimado.

Digamos que seja o dobro.

Ou o triplo.

Com 120 bilhões o mundo seria um lugar mais justo.

Não houve passeata, discurso político ou filosófico ou foto que sensibilizasse.

Não houve documentário, ONG, lobby ou pressão que resolvesse.

Mas em uma semana, os mesmos líderes, as mesmas potências, tiraram da cartola 2.2 trilhões de dólares (700 bi nos EUA, 1.5 tri na Europa) para salvar da fome quem já estava de barriga cheia. Bancos e investidores.

Como uma pessoa comentou, é uma pena que esse texto só esteja em blogs e não na mídia de massa, essa mesma que sabe muito bem dar tapa e afagar.

Se quiser, repasse, se não, o que importa?

O nosso almoço tá garantido mesmo…

Neto,
Agência Bullet.




Você acredita que Cristo nasceu para salvar a humanidade e que todos os anos, no seu aniversário - você sendo cristão - deveria renovar o sentimento de amor à humanidade?

O natal foi aos poucos perdendo a sacralidade e por conta da ganância substituído por pinheiros, luzes pisca piscas, ceias com peru, sinos, presentes, “autos”, "papais noéis", sapatos na janela, roupas novas, renas, trenós...

As crianças já não esperam mais o Cristo renascer, as famílias não mais celebram e agradecem o pão recebido durante o ano, pois ficam paladinos à espreita do Papai Noel. Não seria de duvidar que no futuro, seja trocado o "Dia do Natal" pelo "Dia do papai Noel".

39 comentários :

  1. Luma, eu já conheci criança que não tinha idéia de nascimento de Jesus no Nata. Pra ela, natal era a época do Papai Noel e de ganhar presente. Portanto, acho que a época a que te referes no final, já chegou.
    Beijos!

    ResponderEliminar
  2. Como contadora de histórias infantis, sempre estou em creches, orfanatos, ongs e comunidades. Muitas vezes ao contar o verdadeiro significado do Natal, as crianças se assustam e diz:_Natal é a chegada do papai noel para ganhar presente(como disse a amiga Ivana). Será que o significado de Natal é
    isso mesmo que vemos na mídia?Bem querida, esse é um assunto que com certeza daria páginas e páginas. Beijinhos a vc

    ResponderEliminar
  3. O que importa unicamente neste Natal é o simbolismo da caridade. E essa, nos dias globais que vivemos, é dada pelo consumismo desenfreado que, felizmente, vai mantendo alguns postos de trabalho no comércio e na indústria. O resto é apenas o sostício de Inverno. Cristo nasceu em Julho.

    ResponderEliminar
  4. Luma, esse seu texto é um soco na boca de muita gente...todo mundo deveria ler...
    Natal perdeu o sentido há muito tempo...e olha que nem tenho religião...mas o que se vê é comércio, comércio e mais comércio...
    O símbolo, está lá, esquecido em cima do móvel...ninguém nem se lembra do pobre do jesus cristinho...
    Eita mundo hipócrita!
    Beijos

    ResponderEliminar
  5. Luma, eu estou a conseguir mudar a celebração do Natal, na minha família. Sentia-me infeliz ao festejar aquele Natal, despojado espiritualmente, com única vertente materialista. No ano passado, até os meus familiares ateus adoraram o Natal que passaram cá em casa. Para começar abolimos os presentes entre adultos, só damos às crianças e com regras. Antes de começarmos a ceia de Natal, li um texto, simples, pequeno, que falava de Jesus, o aniversariante, e do que ele nos deixou até hoje. Todos ficaram comovidos e simultaneamente alegres. Depois dos doces, cantamos músicas de Natal em conjunto, foi lindo. Este ano temos ainda mais projectos, crianças que tocam instrumentos estão a ensaiar peças, outros uma pequena representação, etc. Mas todos estão motivados para uma celebração diferente, mais espiritual.
    Quanto à solidariedade, essa praticamos todo o ano.

    Só deixo um conselho, a quem não gosta do Natal que celebra: mude-o! Vá lentamente introduzindo ou sonegando comportamentos e veja a reacção da sua família. Pode ser muito mais positiva do que aquilo que pensa!

    Beijocas, Luma!

    ResponderEliminar
  6. Luma,
    O texto é interessante. E real, infelismente.
    Como a Ivana disse, há crianças que relacionam o natal a presentes e comilança, jamais a Jesus. Sendo cristã católica eu fico triste ao ver irmãos meus sequer lembrando de como o Natal deveria ser celebrado...
    Beijos, querida.

    ResponderEliminar
  7. Muito bom o texto viu...

    abraços

    Hugo

    ResponderEliminar
  8. Luma, eu penso que as pessoas sabem que o Natal é a celebração do nascimento de Jesus, mas O ignoram, não crêem nele, muitos até o ridicularizam; no entanto, a glamurização da festa, com bebidas, comilanças, roupas e presentes é algo difícil de se resistir,né? Quanto a fazer o bem e praticar o amor, não deve ser atitude natalina, mas diária.
    beijo, menina
    denise rangel

    ResponderEliminar
  9. Morrem 20.000 (vinte mil) crianças por dia, com fome!

    ResponderEliminar
  10. hoje somos números, simples médias, filas intermináveis de papeis, e-mail's, ou apenas nomes que por ordem alfabética deslizam numa qualquer lista. Não deveríamos apenas ser fraternos num hipotético dia em que Alguém nasceu, deveríamos sê-lo a vida inteira, porque com todos os restantes 6 mil milhões de seres humanos partilhamos este planeta, que também ele precisa do nosso amor e fraternidade, por isso, natal deveria ser sempre que estendermos a mão ao nosso irmão.

    ResponderEliminar
  11. Luma, gosto de pensar (na mesma linha de pensamento do Jorge) que o Natal deveria privilegiar o simbolismo da caridade. É detestável essa onda de consumismo, seja em relação aos presentes, seja em relação aos comes e bebes.

    Sobre a Caetano de Campos, fiz lá o chamado 5º ano, (admissão para o ginásio) e a classe era mixta. Mas no Ginásio, as meninas estudavam no período da tarde e os meninos no da manhã. Depois fiz os 3 anos de Científico no Colégio Rio Branco.
    Obrigada pela visita!
    Beijos.

    PS: Hoje é que descobri que posso comentar aqui, que acho melhor.

    ResponderEliminar
  12. Natal só tem sentido quando há caridade.
    Eu nunca deixei de dar presentes pros meus afilhados. Do humide ao meu sobrinho.
    Mas um dia quero fazer um aniversário, meu, na rua. Quero fazer um lanche onde os convidados sejam aqueles que estiverem por lá.
    Ainda vou fazer isto, antes de morrer.,
    Com carinho Monica
    Ainda estou sem internet e de carona. Socorro!

    ResponderEliminar
  13. Oi Luma,

    Também já ouvi que $40 biliões resolveriam o problema da miséria no mundo (e isto foi um presidente de uma ONG - que trabalha na Swazilândia - que me disse), mas não acredito. E porque é que não acredito? Porque o problema não é a falta de dinheiro para as ajudas, o problema é a corrupção existente no sistema das ajudas.

    Muitas vezes envia-se comida para países menos favorecidos (ou em estado de guerra), essa mesma provisão não chega à população porque as pessoas à frente da distribuição desviam a comida para vendê-la nos mercados (e claro meterem o $ no bolso).

    O mesmo acontece com dinheiros, redes para mosquitos, vacinas, material escolar etc...

    Eu não odeio o natal Cristão. Não sou Cristã, mas tenho Cristãos na minha família que levam muito a sério o seu estatuto religioso e ensinamentos de Jesus (durante o ano inteiro).

    Para ajudar a acabar com a miséria sugiro que comecemos pelo nosso familiar mais pobre, depois o vizinho e por aí adiante.
    Se cada um de nós fizesse isto, haveria menos desgraças no mundo.

    A solução não está nos governos e nos seus biliões, a solução está na responsabilidade e ética individuais (eu sei, é duro encarar..mas é verdade).

    Beijos

    ResponderEliminar
  14. Oi Luma!
    Natalino vem de nascimento né?
    Resta ensinar de quem... as crianças precisam aprender que não é de Papai Noel... e nem delas próprias...
    Gostei do texto.
    Obrigada por sempre me visitar.
    Beijo grande.

    ResponderEliminar
  15. Um texto real, ainda que essa realidade seja tao cruel.
    Infelizmente o Natal, como já destacaram alguns cometaristas, tornou-se simbolo de consumismo.
    Obrigada pela visita. Realmente, parece que voltamos a época da maldita Ditadura.
    Beijos no coração

    ResponderEliminar
  16. Oi Luma,
    Detesto esta época do ano, as pessoas nas ruas ficam como idiotas, no trânsito parecem loucos, parece até que o mundo vai acabar, só pensam em comprar...comprar...comprar!
    Muitos não se lembram do aniversariante.
    Aguardo sua visita mais vezes.
    Beijos

    ResponderEliminar
  17. Ana Tapadas15:13

    Pois...odeio esse Natal dos centros comerciais e o resto magoa profundamente e limita a nossa, dita, humanidade. Bastaria haver homens de boa vontade.
    Beijinho

    ResponderEliminar
  18. Lúcia Soares15:14

    Luma, nunca gostei do Natal como é comemorado atualmente. Bom era ir à missa da meia noite, que hoje é celebrada às 20 h, "por causa da violência".
    Pra mim Natal nunca foi tempo de presentear, mas de celebrar. Sou uma ET quando falo nisso...

    ResponderEliminar
  19. Ah, Luma isso é tão tão triste, sabe? Estou concentrada , bem focada mesmo , em criar meu filho para vivenciar o natal em sua essência. E que Deus nos ajude.

    beijos

    ResponderEliminar
  20. Fatyly15:15

    Sou católica mas há muito que deixei de ser praticante no que toca aos rituais religiosos, como missas, procissões etc. Sou praticante por sempre que posso e ao longo do ano faço algo em prol do meu semelhante.
    Alguma vez eu poderia fazer o quer que fosse sobre a ganância a quem entregaram Angola, na figura do Presidente Eduardo dos Santos, após a morte de Agostinho Neto? Sabendo eu que se encheu, continuou a lutar contra o Savimbi e este era o bode expiatório da sangria desenfreada de toda a riqueza de Angola? Certo ou errado a zona controlada por Savimbi tinham casa, trabalho, produziam alimentos e não havia fome. A zona de Eduardo dos Santos catavam nos caixotes do lixo, as ONG mandavam camiões de alimentos que eram intercetados pelos do Eduardo e vendidos na candonga. Luanda programa para 400.000 mil habitantes viviam 5 milhões e milhares sem nada para comer e o Presidente, governo e familia viviam à grande e francesa e eram quem gamava mais. Hoje está um pouco diferente por mil motivos e o povo já aprendeu um pouco mais. E no Ruanda, no Zimbabué...cujos presidentes ainda gozam com quem lhes dão ajuda? Ainda não se passou o Natal e agora é a euforia do Mundial de futebol de 2010 na África do Sul, um continente com milhares de desgraçados...mas alguém se preocupa com isso? Nada como manter um poco inculto para comer e calar! Que poderei fazer por eles? Nada versus Nada.
    O Natal será sempre o nascimento de Cristo e para quem não professa? e para quem não acredita?Falar em Cristo, bonzinho, que deviam ir aprender o catecismo, ir à missa de barriga vazia?

    Adoro a noite de Natal por juntar as familias.
    Adoro o Natal que pelo menos uma vez no ano há festa nos hospitais, há festa nas tendas para os sem abrigo, há um presente para todos eles e isso não é bom?
    E a magia das crianças sobre o Pai Natal? e enfeitar a árvore e fazer o presépio...coisas maravilhosas que toda a criança deveria ter.
    Agora megas árvores nas cidades, todas metálicas para que servem? apenas para os pardais se aquecerem durante a noite e depois a luz que se gastou é paga por todos nós.
    Prendas? porque não? mas façam o que eu faço, todos os meses compro uma, outras são feitas por mim, aproveito as promoções e vai para o meu baú. Se morrer sabem que lá estão e se estiver viva darei eu. Chego a este mês qual compras qual quê...vejo os enfeites, as bolas, as gargalhadas das crianças, mas longe de multidões.
    Não, o Natal, para mim é a reunião familiar onde se esquece as guerras existentes em todas, é fazer um jantar normalíssimo e convivermos e depois o factor surpresa da troquinha de prendas.
    Agora partiipar em megas organizações mundiais que nunca se sabe para onde vai e como é aplicado o dinheiro, prefiro dar á nossa AMI o que me dão ou que eventualmente tenha como roupa, calçado e ao Banco Alimentar Português nos peditórios à entrada dos super mercados onde sei que o arroz, ou um pacote de cereais não será deitado fora ou apodrecido em contentores à espera de despacho

    ResponderEliminar
  21. anunciação15:16

    Apesar dos males provocados pelo ser humano,continuo crendo no Salvador e acho sim importante uma data para marcar;a data não faz os maus ficarem bons,mas os bons terem um dia pelo menos no ano pra lembrar e fazer algo pelo outro,dentro de suas possibilidades,inclusive familiares.Como já disse,os maus e cegos de espírito continuarão com seu jeito de ser;os bons teem a oportunidade de simbolicamente,se dar,dando algo,que não precisa ser caro,supérfluo.E se alegrar pq um dia,não necessariamente no 25 de dezembro,uma pessoa excepcional nasceu e em sua vida pública se comportou com bondade,deu exemplo de tolerância,amor ao menor e desaprovação aos aproveitadores.

    ResponderEliminar
  22. Dalva15:18

    Não é só o Natal que está desfigurado, não. Somos nós, cristãos, que também desfiguramos a face de Cristo que deveríamos mostrar ao mundo. Sim, porque se formos mesmo sinceros, admitims que nos preocupamos tanto com as luzes, os presentes, a ceia... que esquecemos que Natal significa Deus vindo fazer sua morada no meio de nós, para nos ensinar a sermos mais humanos, mais fraternos.

    Bjs.

    ResponderEliminar
  23. Neiva15:18

    Luma,

    Não fui educada dentro da igreja católica e o rito natalino não faz parte de meus costumes, embora, lógico, seja difícil escapar do "espírito" da data.

    Acho bonito quando as famílias se reunem e mesmo que por uma única noite todos estejam em paz e união e é o que vejo de válido neste dia.

    Ocorrem alguns eventos bonitos também, como os corais líricos, e bobona como sou, desfaço-me em lágrimas ao ver as criancinhas cantando em coro. hehehe

    Em alguns países que tem neve a decoração natalina é um espetáculo, arte mesmo e vale a pena ver.

    A troca de presentes acho meio sem sentido. Estou duranga este ano e sem poder esbanjar. Então, fica ainda mais sem sentido ainda e a parentada que me desculpe.

    Todos os dias nego esmola a varios pedintes na lav. Ontem a noite para abrir a porta do prédio aqui em casa, tive que pular (literalmente) por cima de um mendigo que adormeceu na soleira e fedia demais!!!

    Vejo muita pobreza no dia-a-dia e trabalho como uma mula para pagar as contas e sobreviver, para embarcar nesta de torrar um monte neste dia.

    Jesus não precisa de uma data para ser lembrado. Eu lembro-me dele todos os dias, ao menos. :DDD

    Beijos

    ResponderEliminar
  24. Lunna15:22

    Luma, eu nunca acreditei em Cristo, mesmo quando ouvia aquelas histórias de infância sobre ele. Sempre foi tudo muito fantasioso pra mim acerca desse homem. Era como ouvir uma lenda mal contada.
    Lembro a primeira vez que vi um presépio na minha frente e perguntei ao padre da paróquia "por que os símbolos de vocês vem de outras culturas? Por que não criaram suas próprias histórias?" E o padre me disse que eu não era bem vinda lá. hahaha Fiquei dias sem dormir (brincadeira).
    Olha que eu nasci em um país cujo cristianismo ainda é muito forte, mas os argumentos são falhos, a história, então seria fatal que em dado momento se perdesse.
    Claro, por favor, entenda que essa é a minha opinião a respeito, mas é que se você acompanhar a história cristã, ela cresce ao redor da questão financeira: os impostos e tudo mais, então a sequencia natural se vê por aí: ruas, lojas, pessoas.
    Eu me isolo disso tudo porque minha celebração não está em nada disso, só me incomoda mesmo é que recebo centenas de telefonemas de pessoas que não vejo há anos para lembrar do tal amor que pode ser medido pelo tamanho do presente. aff
    Eu ainda sigo desejando dormir no dia 01 de dezembro para acordar só em janeiro. Beijos carissima

    ResponderEliminar
  25. E pra comepletar dizem que o "bom velhinho" que substitui totalmente Cristo ou qualquer imagem critã noimaginario infantil e no imaginario em geral, foi criado pela Coca-Cola, todo de vermelhinho e branco, legal né? Coca-Cola, a corrosiva, imperialista, desgraçada, mas gostosinha, Coca-Cola. Jingle bells, la em Atlanta, nas oficinas de "papai noel"....
    Beijos queridona, adorei o russo vestindo as calças, valeu.
    Cam
    ( mas eu estava numa aula na net que voe devia assisitr, por que vai adorar. Ta certo que eu faço propaganda mesmo. Mas sao as cabeças vivas mais inteligentes e ainda disponieis que eu conheço no Brasil....Toda quarta- as 15 pras 10 por ai, pelo Skype-Rubens MOlina)

    ResponderEliminar
  26. Rebeca15:26

    E assim os valores são deturpados com o tempo.... existem certas coisas que não precisam de Natal, nem de Papai Noel, só precisam do mesmo tempo, dentro de nós, pra árvore do AMOR voltar a florir.

    Deus é amor!

    Você deixou um poema lindo lá no blog... lindo. Então vou retribuir a delicadeza com um trecho, de Viviane Mosé, que adoro:

    "Temos varanda no plural. E jardins.
    E dois desejos que nem sempre se beijam.
    Às vezes gritam um com o outro
    Mas tudo nesta casa vira eu te amo.
    Eu amo agora como nem sabia que seria capaz."

    Beijo imenso, menina que adoro.

    Rebeca


    -

    ResponderEliminar
  27. Beth Q.15:26

    Ihh, Luma, percebi que a maioria tem o mesmo sentimento com relação a toda esta loucura que ser forma para celerar esta data!
    Meu pensamento já expus noutro dia lá num post e sigo pensando assim que Natal só é bom mesmo para reunir a família e trocar boas energias de amor e compreensão.
    beijocas cariocas

    ResponderEliminar
  28. Rebeca15:27

    Néctar da Flor e Eu Hoje! querem presentear os amigos.

    Serão sorteados:

    6 pacotes com curso de inglês Quick English + boné + camisa + meia + chaveiro + pochete, tudo com a bandeira do Canadá.


    6 Layouts feitos pela Lelinha, da Fábrica de Layouts [Os modelos são mais simples, 2 colunas, com o topo decorado (de acordo com o tema/clima do blog de cada uma das vencedoras, ou seja, apesar do modelo ser mais simples, será exclusivo) e um background (fundo) colorido. No topo conterá uma referência ao blog Néctar da Flor e site Eu Hoje! , pequena do ladinho que mais for conveniente.]

    1 tela 25x 25 da Artista Plástica ADiniz

    [surpresa]

    Por que Canadá? Porque uma parte da Equipe trabalha de lá, fazendo o humor porreta pras bandas da Alegria melhorar. O site Eu Hoje! já está fazendo parte dos melhores blogs do Brasil, então não fique sem essa animação e atualize seu humor todos os dias, mostrando para quem acessa o seu estado de espírito.

    Como faz para participar? Leiam as regras abaixo e sigam as
    instruções corretamente.

    ATENÇÃO: Só será validado o blog que fizer todas as instruções corretamente.

    1 - Se cadastrar no pacote gratuito do EuHoje!
    2 - Deixar um comentário no Néctar da Flor avisando que se cadastrou e que está participando da promoção.
    3 - Colocar o humor no seu blog.
    4 - Postar sobre a promoção no próprio blog
    5 - Quem já for cadastrado no Eu Hoje! só informa o nome do blog e retorne para o item 4.

    O sorteio será realizado pelo RANDOM e filmado. Os 6 primeiros ganharão os livros e depois mais 6 serão sorteados para ganhar o layout, onde o 13º ganhador levará a tela.

    Mostrem que a emoção realmente vale a pena!

    Corra lá e faça já a sua inscrição!



    Clica aqui: http://www.euhoje.com/



    Beijos jogados no ar, sempre!



    -

    ResponderEliminar
  29. Elena15:27

    Olá, Luma..

    Natal é tempo de confraternização das famílias; data em que comemoramos o nascimento do Cristo, e como toda festa familiar presenteamos os entes queridos, cada um de acordo com seu poder aquisitivo..
    Se as crianças de hoje em dia vão lembrar do Cristo ou não vai depender muito das orientações recebidas pela família..
    E nem toda família é cristão, mas, em respeito à festividade, a data é também comemorda
    Cada ser é responsável pela família que irá ou não construir no futuro..
    A Uganda teve o Idi Amim Dada que conseguiu esculhambar bem o país, os que vieram depois também não estão resolvendo quase nada, caiu no círculo vicioso..
    E nesta época de festa, muitas famílias trabalham para ganhar as suas sobrevivências..

    Estou de férias!
    Boas Festas!!
    Tchauzinho

    ResponderEliminar
  30. Maria Augusta15:28

    Luma, estes problemas que você descreve de pobreza e miséria não tem a ver somente com a época de Natal, estão presentes o ano todo. Realmente se tem dinheiro para salvar os bancos mas não para acabar com a fome no mundo, é a natureza humana que é assim, infelizmente. Mas em menor escala nós mesmos o somos, por exemplo, porque comprar aquela sandália "do ano" se temos outras e não dar o dinheiro àquele mendigo que está ali na rua para que ele compre algo para comer?
    A festa de Natal virou a festa do Papai Noel, é verdade, mas não deixa de ser uma ocasião para reunir a família e pensar em cada um mesmo que seja na hora de comprar um presente. E nos reunirmos e pensarmos uns nos outros tem a ver com o espírito cristão.
    Um grande beijo.

    ResponderEliminar
  31. Luma, estou de volta! rss! fui passar uns dias na bahia e voltei.
    Mas eu concordo plenamente com tudo que está escrito. o natal está a cada ano cada vez mais e mais hipócrita, a figura do papai noel me causa nojo,e o aniversariante foi completamente esquecido.cadê Jesus de nazaré nesse oba oba todo?Morreu de novo sulfocado poe enfeites de natal?ou esmagado pelo saco do papai noel?o natal é uma festa do consumo, nada mais.A essênci e sentido real desta festa perdeu-se há muiiito.
    Bjsss! adorei o post!

    ResponderEliminar
  32. Lindo post, real verdadeiro, aquele velho dedo na ferida, mas que muitos não mais se importam...
    Olha amiga, obrigada por me esclarecer a história do robozinho google, porque eu já estava ficando nervosa, ele entra todo santo dia e várias vezes por dia, é mole?!
    Um cheiro.

    ResponderEliminar
  33. Jens15:29

    Oi Luma.
    Uma das coisas que gosto aqui no Luz é a iconoclastia. Quando a gente menos espera você publica um texto incômodo, contra a corrente, que nos obriga a pensar um pouco além da obviedade politicamente correta. É o caso deste post, que me estimulou a refletir um pouco além da ausência de solidariedade durante o período natalino. Acho que o farisaísmo que envolve o “espírito de Natal” ressalta um fenômeno mais abrangente, que é fim da compaixão diante dos infortúnios de nossos semelhantes, o esgotamento da capacidade de transformar a indignação social em manifestações concretas capazes de interferir e transformar a realidade. Nos estarrecemos com a exibição do espetáculo da fome e, cidadãos exemplares, nos dispomos a assinar quantos abaixo-assinados forem requeridos às autoridades competentes. Cumprido o dever humanitário, vamos à ceia, aos brindes e à praia. Uma assinatura virtual é suficiente para saciar a nossa fome de justiça. Já a fome das pessoas reais...
    Constato o fato, mas não me eximo do ato. Ajo da mesma forma, é mais cômodo, não tenho mais idade pra passeatas... De resto, é um comportamento natural. Caberia às novas gerações manter acesas as tochas que empunhamos na nossa juventude incendiária. No entanto – e isto preocupa – não é o que ocorre. Aparentemente, a garotada está satisfeita. Há manifestações pontuais aqui e ali, mas não se percebe aquela vontade de mudar o mundo, de transformar as edificações sociais que a nossa geração ergueu. Acabou a utopia. Não existe mais o desejo de acabar com a fome e a miséria do próximo. Falo da juventude porque até então foi ela, com o exagero e o radicalismo de ideais fraternos, que provocou mudanças na sociedade. Logo depois do golpe de 64, Vinicius escreveu que somente o movimento estudantil poderia gerar algo de novo e bom para o país (além de Chico Buarque de Hollanda, é claro). E hoje? Os jovens envelheceram. Talvez seja o caso de nós rejuvenecermos.

    Um beijo pra você.

    ResponderEliminar
  34. Jens15:29

    Oi Luma.
    Uma das coisas que gosto aqui no Luz é a iconoclastia. Quando a gente menos espera você publica um texto incômodo, contra a corrente, que nos obriga a pensar um pouco além da obviedade politicamente correta. É o caso deste post, que me estimulou a refletir um pouco além da ausência de solidariedade durante o período natalino. Acho que o farisaísmo que envolve o “espírito de Natal” ressalta um fenômeno mais abrangente, que é fim da compaixão diante dos infortúnios de nossos semelhantes, o esgotamento da capacidade de transformar a indignação social em manifestações concretas capazes de interferir e transformar a realidade. Nos estarrecemos com a exibição do espetáculo da fome e, cidadãos exemplares, nos dispomos a assinar quantos abaixo-assinados forem requeridos às autoridades competentes. Cumprido o dever humanitário, vamos à ceia, aos brindes e à praia. Uma assinatura virtual é suficiente para saciar a nossa fome de justiça. Já a fome das pessoas reais...
    Constato o fato, mas não me eximo do ato. Ajo da mesma forma, é mais cômodo, não tenho mais idade pra passeatas... De resto, é um comportamento natural. Caberia às novas gerações manter acesas as tochas que empunhamos na nossa juventude incendiária. No entanto – e isto preocupa – não é o que ocorre. Aparentemente, a garotada está satisfeita. Há manifestações pontuais aqui e ali, mas não se percebe aquela vontade de mudar o mundo, de transformar as edificações sociais que a nossa geração ergueu. Acabou a utopia. Não existe mais o desejo de acabar com a fome e a miséria do próximo. Falo da juventude porque até então foi ela, com o exagero e o radicalismo de ideais fraternos, que provocou mudanças na sociedade. Logo depois do golpe de 64, Vinicius escreveu que somente o movimento estudantil poderia gerar algo de novo e bom para o país (além de Chico Buarque de Hollanda, é claro). E hoje? Os jovens envelheceram. Talvez seja o caso de nós rejuvenecermos.

    Um beijo pra você.

    ResponderEliminar
  35. Lusinha15:30

    É triste ver o Natal perder seu sentido para as pessoas, ainda mais para mim que acredito no significado do Natal...
    Bjitos!

    ResponderEliminar
  36. Adão Braga15:30

    Eu não gosto de Natal. Mas, também não gosto de carnaval, dias das mães, dia dos pais, dia das noivas, festas juninas... etc, pelo visto, sou eu quem não valoriza e gosta de tudo, e não vou listar os porques não gosto.

    Este comportamento, não é apenas com o Natal, é geral e amplo. Esta semana estavamos conversando sobre educação e criação dos nossos filhos e teve duas frases interessantes:

    - Você deve ser uma mãe mais moderna - disseram a Kátia.
    - Este seu termo, "ser moderna", tem a conotação de ser irresponsável, e isto não sou!

    ResponderEliminar
  37. Daniel Savio15:30

    Natal virou sinonimo de consumo e não de amor (infelizmente)...

    Fique com Deus, menina Luma.
    Um abraço.

    ResponderEliminar
  38. Marco Antonio15:31

    Eu não tenho nada contra o natal, mesmo não comemorando a data. Só acho que as pessoas ligam papai noel e tantos outros símbolos a uma epoca especifica do ano sendo que amor, atenção, fome, crianças abandonadas e tantos outros dilemas não tem datas especificas, estão aí 24 horas por dia, 12 meses por ano. Mas todo mundo resolve ficar solidário no último segundo. Será que o mesmo acontecerá com o nosso planeta??? Grande abraço menina

    ResponderEliminar
  39. Ei Luz, obrigado pela visita de novo,adoro seu blog,e por isto volto sempre,vou postar uma mensagem especial de natal uma e de ano novo,esta convidada e vou dedicar um parágrafo especial aos meus visitantes, e aos meus leitores,em especial,esta convidada,um beijo!

    ResponderEliminar

Tenha identidade, não seja anônimo na web. Crie sua identidade virtual.

...bisbilhotaram em quietude, sem solidão

PlagSpotter - duplicate content checker tool
Licença Creative Commonsget click

Algumas coisas não têm preço


finalista the weblog awards 2005finalista the weblog awards 2006
finalista the weblog awards 2007weblogawards 2008
Verificar conteúdo duplicado

Me leve com você...

Leia o luz no seu celular

Copyright  © 2014 Luz de Luma, yes party! Todos os direitos reservados. Imagens de modelo por Luma Rosa. Publicações licenciadas por Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial- Vedada a criação de obras derivadas 2.5 Brasil License . Cópia somente com autorização.

Tem sempre alguém que não cita a fonte... fingindo ter aquilo que não é seu.

Leia mais para produzir mais!

Atenção com o que levar daqui. Preserve os direitos autorais do editor