A Angústia de viver no limite [update]


Self-portrait on the Borderline Between Mexico and the United States, 1932, Oil on metal, 12 1/2" x 13 3/4", Collection of Mr. and Mrs. Manuel Reyero

Você conhece alguém assim...volúvel?

Embora não seja uma doença mental, trata-se de um estado fronteiriço, com uma incidência quase tão grande quanto a da esquizofrenia: apenas um pouco menos de 3% da população.

Essa angústia tem um nome “Borderline”. Esse termo não pode ser confundido com “limítrofe”, mas as duas palavras têm sentido e conotação diferentes. Limítrofe é a criança que apresenta determinadas dificuldades na esfera intelectual. Já o borderline se manifesta a partir da adolescência e se atém a uma área comportamental.

Não é bem uma doença, é mais uma forma de ser. O comportamento de um borderline é aparentemente normal, mas percebe-se que alguma coisa não bate bem. É alguém com sérios problemas em todos os aspectos da vida, chegando a apresentar episódios psicóticos de curta duração.

Ansiedade, depressão, angústia e sensação de vazio são sentimentos bastante conhecidos para o borderline, que apresenta, muitas vezes, comportamentos mutilantes e até auto-destrutivos, com em casos extremos, tentativas de suicídio.

Alguns se cortam, outros ingerem ou injetam no corpo as mais absurdas substâncias, com conseqüências desastrosas. O abuso de remédios e os distúrbios alimentares também são freqüentes. Muitos se tornam alcoólatras ou dependentes químicos.

O borderleine facilmente se apaixona e desapaixona. É capaz de se comprometer intensamente com alguém e substituí-lo em um piscar de olhos. Assim, as suas relações afetivas são caóticas e superficiais. Ele tende a manipular os outros e a depender deles, mas geralmente se envolve pouco em seus relacionamentos.

Outra característica é a instabilidade emocional: o humor oscila e, em horas, ele passa de depressão à euforia. Mas sempre acha que tem razão e não consegue lidar com o meio-termo. Para eles, os outros são absolutamente bons ou maus. Com um agravante: seus critérios de julgamento podem mudar por completo de um momento para o outro.

Contraditório e impulsivo, ele pode acordar ótimo e, de repente, ficar péssimo. No trabalho, pode manter uma performance durante algum tempo, mas isso não costuma durar. Por isso, ele troca muito de emprego. Sente-se externamente perseguido e não se adapta às regras. Alguns podem obter um notável sucesso profissional durante algum período. Mas não conseguem manter esse padrão: seu desempenho médio nunca é muito expressivo, pelo contrário.

Até para um terapeuta experiente, muitas vezes não é fácil diagnosticar o transtorno borderline. A observação de pelos menos cinco sintomas pode sugerir a existência do transtorno.

Veja alguns dos sintomas previstos no Diagnostic and statistical manual of mental disorders (DSM-IV):

- Esforços desesperados para evitar o abandono, seja ele real ou imaginário;
- Relacionamentos intensos e instáveis, com extremos de idealização e desvalorização;
- Transtornos de identidade e da consciência do eu;
- Impulsividade em pelo menos duas áreas, com gastos, sexo ou abuso de substâncias químicas:
- Condutas suicidas ou automutilantes:
- Ansiedade, irritabilidade, mudanças súbitas de humor;
- Sentimentos crônicos de vazio;
- Cenas de indignação excessiva, inapropriada e descontrolada;
- Idéias paranóicas, manias de perseguição.

Conviver com um borderline não é fácil. Muitas vezes, porém, o problema passa despercebido durante anos e até durante a vida toda. Apesar das esquisitices, alguns dissimulam as dificuldades e angústias, mantendo uma fachada social.

A causa explícita do distúrbio é desconhecida, mas como ele só começa a se manifestar a partir da adolescência, supõe-se que seja forçado ao longo da vida, a partir de relações familiares intensamente patológicas e conflitantes. O quadro muitas vezes está associado a perdas importantes e a situações de abuso sexual ou físico.

É fundamental que o borderline seja cientificado de sua condição, assim que esta for diagnosticada, pois isso facilita a terapia. Como ele é muito racionalista, costuma reagir e não aceitar. Mas os sintomas são contundentes, ele não tem como negar!

Mesmo assim, não é fácil mantê-lo em tratamento. Além de vulnerável a modismos, o borderline costuma mudar de terapeuta. Na verdade, ele tende a manter com o médico o padrão de conduta que adota na vida, idealizando-o num determinado momento e passando a detestá-lo em outro. Desfia constantemente o terapeuta, sabotando as consultas ou fazendo exigências e pressões; sempre com desculpas e explicações absolutamente viáveis.

Para driblar essas dificuldades, o terapeuta precisa lançar mão de limites muito rigorosos, numa queda de braço permanente. Podem ser necessários medicamentos antidepressivos o ansiolíticos, mas a prescrição exige cuidado, para evitar abuso dessas substâncias e muitos especialistas afirmam que o borderline só responde parcialmente ao tratamente, mas podendo ser estabilizado, o que é uma grande coisa.

...borderline, fells like i'm going to lose my mind...

Borderline não é somente uma música da Madonna

Update - 08:00am - Agora pela manhã fiz uma boa ação e quero convidar a todos para fazê-lo; basta um voto.
A Karine e o Marquinhos, um casal que se formou na blogosfera, querem casar e para concretizar esse sonho, concorrem a um apartamento. Acessem um dos dois blogues e vejam como dar 5 estrelas para o vídeo que concorre na promoção "Meu primeiro Apê" - Ou acessem o link direto - não esqueçam de sinalizar 5 estrelas.

Aproveitando o clima romântico, quero parabenizar Ru Correa e Daniel Scardua, mais um casal formado na blogosfera e que agora serão papais. Juízo!!

Beijus,
Luma

Comente aqui também
!

26 comentários :

  1. Luma, eu sou borderline! Estou abismado com essa descrição. Vou até colocar no blog. Tem o telefone do terapeuta?
    ;-)

    ResponderEliminar
  2. Passando para desejar boa semana!

    ResponderEliminar
  3. Oi Luma!

    Acho que deve ser facilmente confundido com Transtorno Bipolar (antigo PMD) não concorda ? Seja qual for, deve ser uma barra a convivência.


    beijo grande,

    ResponderEliminar
  4. Passando para desejar que tenha uma excelente Quarta Feira.Já já vou lá visitar o blog dos teus amigos.

    ResponderEliminar
  5. borderline, bipolaridade, depressão...tantos nomes, tantos remédios, tantas opiniões...no fim das contas, sempre se está só. é impossível transferir uma dor...


    enfim...

    bjs, bom dia!

    ResponderEliminar
  6. Luma, querida, sou sua fã. Meu sonho é ter textos teus no Nossa Via...
    Beijos
    Sam

    ResponderEliminar
  7. Concordo com uma da opniões anteriores de que é impossível tranferir uma dor, e estar nesse estado de dor interior é muito cmplicado, mas creio que com esforço e ajuda tudo pode melhorar...
    Adorei o texto, muito esclarecedor mesmo,existem pessoas que assumem essa postura de comportamento e nem mesmo se dão conta. Sua visita é sempre bem vinda, gosto muito de seus comentáriso em meu blog.
    Abraço pro cê.
    Glaucia

    ResponderEliminar
  8. Na verdade, Luma, de perto ninguém é normal.
    Beijo, guria!

    Re

    ResponderEliminar
  9. É isto mesmo. "De perto ninguém é normal" Com a ajuda de uma terapia tem grandes chances de melhorar o convívio consigo mesmo e com o mundo.
    Concorda?
    Beijos

    ResponderEliminar
  10. Neste mundo "civilizado" , com guerras ao milímetro e ao segundo ... não há dinheiro para investigar doenças !
    A pólvora faz muito mais barulho!


    Aqui ficou o meu voto, no meu e-mail!

    Parabéns!
    Seu voto foi validado com sucesso.
    [Fechar]

    ResponderEliminar
  11. Luma
    Passando para uma visita e vmos la ajudar o casal a ganhar o seu apê.


    Bjs

    ResponderEliminar
  12. Hoje em dia estão sempre a aparecer nomes novos para doenças do foro psiquiatrico... infelizmente a tristeza parece global...
    Deixei-te uma pequena lembrança no meu blog.
    Beijosssssssssssssss

    ResponderEliminar
  13. Oi, Luma!!!
    Muito obrigada pela homenagem no seu post!!
    Adorei, viu?
    Ficamos muito felizes com as palavras dos nossos amigos blogueiros, já que, como você mesma disse, tudo começou aqui no blogosfera e agora está dando frutos!
    Nós somos um casal hiper feliz a espera do primeiro herdeiro!! hehehehehhehehehe...
    Será que meu bebê vai gostar de blogues?????
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Beijos, querida!
    Você mora num cantinho muito especial do meu coração, viu?
    Fique com Deus!
    Tá mais!!!

    ResponderEliminar
  14. Um pouco de mim...meu terapeuta...eu mesmo.
    De médico e louco..todos temos um pouco. Beijo genial...quer dizer legal..ou melhor...sei lá...fui!!Esqueci..parabéns..eu não conhecia o tema...on de line...não borderline.

    ResponderEliminar
  15. Luma, belo post. Muito útil.
    Vc é da área?
    Bjsssss

    ResponderEliminar
  16. Oi Luma,
    Pior é que tem tanto borderline por ai não é? Já fiquei pensando se Angelina Jolie nao seria border. Ela teve uma infancia conturbada de automutilação, conta que tinha uma vida sexual bem de arromba, e diz o livro que quando se casam é um obm sinal, aquilo da uma especie de frame para quem nao sente o proprio contorno. Enfim... sei la. Acho tao interessantes essas coisas todas. Beijos querida e felicidades ai no blog lindo e na vida,
    Cam

    ResponderEliminar
  17. Luma, eu quero citar o post mas não acho o permalink!! Eu sou meia cegueta, mas não acho mesmo! help

    ResponderEliminar
  18. Ás vezes sinto que sou um tanto quanto volúvel: ansiedade, depressão, angústia e sensação de vazio são sentimentos que estão sempre do meu lado. Será que sou "Bordeline"? Sempre tenho dificuldades em relacionamentos.

    ResponderEliminar
  19. Oi, gostei do teu blog. Se puder me visite, http://sindromemm.blogspot.com

    ResponderEliminar
  20. Que tipo de transtorno é esse? Se tiver algum psicílogo aí, ou alguem que entenda do assunto?
    Será que a mãe do meu filho é borderline?

    Ela é chata, acorda de mau humor, passa um tempo já está bem humorada, ciumenta e possessiva, ela não que nem que eu saia pra trabalhar, grita muito, é escandalosa, vive rodeada de amigos e amigas, se veste com roupas vulgares e chamativas, quer ser o centro da atençãoes, é mentirosa, tem mania de furtar objetos, não suporta ficar sozinha, gasta dinheiro atoa, fica devendo pra todo mundo... Já me traiu várias vezes..

    Além disso por qualquer coisinha ela começa a gritar e chegou a me agredir, quando conhece um novo amigo(a, é a melhor pessoa do mundo, dias depois ela passa a odiar a pessoa,. Não se importa com meus sentimentos, as vezes diz que me ama, as vezes me odeia, tudo o que ela faz de errado põe a culpa em mim... Não consegue trabalhar em nada, nem o serviço doméstico ela faz... As vezes chora, as vezes ri, faz coisas estranhas, exije sexo todos os dias..

    Estou separado dela há 4 meses, por traição e abandono de lar, entrei na justiça para ficar com a guarda do meu filho, pois ela não tem paciência com o menino, ela tenta voltar comigo, mas eu não aceito devido as traições, ela é muito bonita, sempre tem um monte de homens atrás dela, parece que ela gosta disso e não tem a mínima vergonha... Dia desses ela me agrediu a mordidas por ciúmes.. É muito escandalosa..

    Eu vivi com ela 8 anos, a mãe dela me disse que ela tentou suicídio uma vez com 17 anos, é filha de pais separados e a família dela inteira é meio esquisita... Enquanto eu vivi com ela, nunca tentou se matar, mas sempre ameaçava, ela não se auto-mutila, mas tem o costume de fingir que está doente, exagera nos sintomas... Ela é fria e cauculista, muito estranha mesmo...

    Por qualquer coisinha ela se ofende e parte pra ignorância, é impulsiva... Erra e não aprende com os erros.

    Ela nunca quis ir ao psicólogo e diz que eu é que sou louco, ela não... Qual será o seu transtorno?

    Meu nome é João.

    ResponderEliminar
  21. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  22. Estou no fim da linha. Nao suporto mais. vai para 20 anos este casamento infernal. Casei me com um border...ele esta acabando com a minha vida e a dos nossos filhos...sento e espero o fim...nao tem mais o que se possa fazer.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Rose, as pessoas fazem com a gente aquilo que a gente permite, e por outro lado, sempre temos que arcar com as consequencias dos nossos atos mal pensados. Nao se dê por vencida e procure um jeito de livrar vc e seus filhos desta situaçao. Quando compreendemos exatamente com o quê estamos lidando, o caminho para a soluçao se torna mais facil.

      Eliminar
  23. Anónimo00:33

    Venha fazer parte de nosso grupo - Transtorno da Personalidade Borderline - conheça mais sobre o tema, vamos trocar informações e experiências com grandes profissionais da área bem como pacientes. O grupo já com mais de 200 membros e é hoje o maior grupo sobre o tema do facebook, tem funcionado todos os dias com grandes participações e comentários. Venha vamos ajudar e ser ajudados.

    SE VOCÊ É PACIENTE - SINTA-SE ACOLHIDO!
    SE VOCÊ É UM PROFISSIONAL DA ÁREA - APRENDA E TROQUE EXPERÊNCIAS!
    SE VOCÊ APENAS SE INTERESSA PELO TEMA - CONHEÇA MAIS!



    O link do grupo no facebook é:
    http://www.facebook.com/groups/274357359264475

    ResponderEliminar
  24. A mente humana é vasta...,já é difícil uma convivência harmoniosa com um ser mau humorado,nossa com todos esse sintomas então!
    E pelo quadro apresentado o ser ainda dificulta o tratamento...como efetivamente ajudar?

    ResponderEliminar
  25. Anónimo16:38

    Olá! Venho lhe convidar para o grupo sobre o Transtorno da Personalidade Borderline que criei no facebook. O grupo é hoje o maior sobre o tema em língua portuguesa e conta com a participação não só de pessoas com o TPL como também de ótimos profissionais da área. A troca de experiências e relatos é tem sido excelente.

    Se você é um profissional da área - venha trocar experiências e conhecimento!
    Se você é borderline - sinta-se acolhido!
    Se você se interessa pelo tema - venha conhecer mais!

    °°° VAMOS AJUDAR E SERMOS AJUDADOS °°°

    O link do grupo é:
    http://www.facebook.com/groups/transtornodapersonalidadeborderline/

    ResponderEliminar

Tenha identidade, não seja anônimo na web. Crie sua identidade virtual.

...bisbilhotaram em quietude, sem solidão

PlagSpotter - duplicate content checker tool
Licença Creative Commonsget click

Algumas coisas não têm preço


finalista the weblog awards 2005finalista the weblog awards 2006
finalista the weblog awards 2007weblogawards 2008
Verificar conteúdo duplicado

Me leve com você...

Leia o luz no seu celular

Copyright  © 2014 Luz de Luma, yes party! Todos os direitos reservados. Imagens de modelo por Luma Rosa. Publicações licenciadas por Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial- Vedada a criação de obras derivadas 2.5 Brasil License . Cópia somente com autorização.

Tem sempre alguém que não cita a fonte... fingindo ter aquilo que não é seu.

Leia mais para produzir mais!

Atenção com o que levar daqui. Preserve os direitos autorais do editor