Dia D Drummont - Convite para todos!



"Quando eu nasci, um anjo torto desses que vivem na sombra disse:
Vai Carlos! Ser gauche na vida"

Carlos Drummond de Andrade nasceu em Itabira do Mato Dentro, Minas Gerais, região rica em ferro.

"Alguns anos vivi em Itabira.
Principalmente nasci em Itabira.
Por isso sou triste, orgulhoso: de ferro.
Noventa por cento de ferro nas calçadas.
Oitenta porcento de ferro nas almas
(...)"

O ano de 1902 foi generoso com a poesia. Dois poetas que muitos elegem os maiores da língua portuguesa depois de Camões marcaram época: No Brasil, Carlos Drummond de Andrade provocou escândalo com "No meio do Caminho", publicado na "Revista de Antropologia" em São Paulo. Em Portugal, Fernando Pessoa escreveu o metafísico "Tabacaria". Ambos os poemas são marcos do Modernismo.

O modernismo chocante de "No meio do Caminho" era a repetição do verso "No meio do caminho tinha uma pedra", nesta ordem ou na inversa, em oito dos dez versos.

Antônio Cândido, em seu livro "Vários Escritos", ao analisar o poema, explica "...a sociedade oferece obstáculos que impedem a plenitude dos atos e dos sentimentos"

"Lutar com palavras é a luta mais vã. Entanto lutamos mal rompe as manhãs"

Dia D DrummondCarlos Drummond de Andrade quando estudava no Colégio Anchieta em Friburgo foi expulso, devido a um incidente com um professor de Portugués, especificado como: "insubordinação mental". Você sabe o que é isso? (rs*)

"As guerras, as fomes, as discussões dentro dos edifícios provam apenas que a vida prossegue e nem todos se libertaram ainda"

Em 1930, Carlos Drummond de Andrade, publicou com recursos próprios seu livro de estréia, "Alguma Poesia", que já antecipava o jeito sóbrio - mineiro, segundo alguns - de temperar com auto-ironia as mais densas sondagens da alma.

"Eu faço uma canção que faça acordar os homens e adormecer as crianças"

Nos 50 anos seguintes, lançou "Brejo das Almas", "Sentimento do Mundo" e "A Rosa do Povo" entre outras obras. Morreu em 17 de Agosto de 1987.

"Chegou um tempo que não adianta morrer.
Chegou um tempo que a vida é uma ordem.
A vida apenas, sem mistificação"

Em várias passagens, é interessante notar que Carlos Drummond de Andrade insiste em mostrar a impossibilidade de o homem, sozinho, realizar alguma coisa.

"porque não podes, sozinho, dinamitar a ilha de Manhattan"
(Elegia 1938)
"Sozinho no mundo, qual bicho do mato"
(José)
"Ò solidão do boi no campo,
Ó solidão do homem na rua"
(O Boi)
Ele estava certo com todas as "coisas"
"Fácil é sonhar todas as noites.
Difícil é lutar por um sonho.
Eterno, é tudo aquilo que dura uma fração de segundo,
mas com tamanha intensidade, que se petrifica,
e nenhuma força jamais o resgata."
(trecho de Reverência ao destino)

Dia D Drummond

Hoje é comemorado 109 anos do poeta e inspirado no Bloomsday que homenageia James Joyce na Irlanda, várias instituições brasileiras com o apoio do Instituto Moreira Salles, se reuniram para lançar o Dia D Drummond com intensa programação em várias capitais do país.

*Acompanhe o #DiadDrummond pelo twitter e facebook
*Para baixar 37 poemas de Carlos Drummond de Andrade em MP3
*Imagem inicial tirada do blogue Alguma Poesia - Drummond em pose que virou estátua em Copacabana. A segunda imagem tirada do Facebook.
*Este texto é uma republicação com atualização para participação no Dia D Drummond, publicado originalmente em 31.10.2006

“Trabalhas sem alegria para um mundo caduco,
onde as formas e as ações não encerram nenhum exemplo.
Praticas laboriosamente os gestos universais,
sentes calor e frio, falta de dinheiro, fome e desejo sexual.
(...)
Amas a noite pelo poder de aniquilamento que encerra
e sabes que, dormindo, os problemas de dispensam de morrer.
Mas o terrível despertar prova a existência da Grande Máquina
e te repõe, pequenino, em face de indecifráveis palmeiras” – Elegia 1938.

Vamos poetar, que tudo melhora!
Salve Carlos Drummond de Andrade!!

13 comentários :

  1. Um post MARAVILHOSO e tão engradecedor e gratificante. Parabéns e falar de Drummond é falar de Drummond.

    A D O R E I!

    Beijos

    ResponderEliminar
  2. bela homenangem, sem pedras no caminho e assim ganhamos e não perdemos nossos dias, pois
    uma flor nasce aqui, virtual, mas
    é uma flor.
    b
    delamancha

    ResponderEliminar
  3. Grande homem que deixou uma obra enorme.
    Gostei de "o" ouvir.
    Deixo uma frase sua que há muitos, muitos anos me marcou:
    "O suor é um óleo suave, as mãos dos sobreviventes se enlaçam, os corpos hirtos adquirem uma fluidez, uma inocência, um perdão simples e macio..."

    Uma boa semana.

    ResponderEliminar
  4. Luma, também me empolguei com o Dia Drummond's. Na Irlanda, fomos para as ruas aqui não vi nada assim, apenas em websfera?
    Abraços,

    ResponderEliminar
  5. Acabei de twittar raivosamente http://twitter.com/#!/Lalinne/status/131160515065020416 - Leio um monte de bobagens no twitter e promover a cultura, nada!

    ResponderEliminar
  6. Oi Luma,
    Parabéns pela homenagem ao Drummond. Seu blog realmente é diferenciado, pois enquanto a maioria dos blog celebrava o Hallowen, vc deixou de lado esta festa estadunidense e nos trouxe o nosso poeta.
    Beijos 1000 e uma 3ª-feira maravilhosa para vc.

    www.gosto-disto.com

    ResponderEliminar
  7. OOOOOOOOHN poeta que os faz falta, vamos poetar para esquecer a saudade que fica
    Beijos saltiantes
    Bom feriado

    ResponderEliminar
  8. Drummond é realmente fantástico... e o post ficou ótimo! :) Bom resto de semana, Luma.

    ResponderEliminar
  9. Luma:
    Ah, Drummond é um dos meus poetas favoritos.
    E seu post disse tudo.
    Vamos ler poesias. Elas enfeitam o seu dia, seu trabalho, seus sentimentos. Te faz experimentar o outro lado da Linha...
    Aquela que você não pode pegar mas pode sentir: o horizonte.
    Costumo ter ao lado da cama, um livro de poemas. Hoje, Drummond.
    Obrigada pelas citações, fotos.
    Valeu.

    Beijos.
    Anny

    ResponderEliminar
  10. Drummond é sempre lindo e fizeste uma bela homenagem...

    O Kiko tá indo bem na recuperação e está impressionado com a força da blogosfera e com o que chegou de mensagens, carinhos força dos amigos ditos virtuais mas que estão tão perto de nós.Isso é legal!

    beijos então da chica e kiko,rsrs

    ResponderEliminar
  11. Adoro ele. Amo o trecho de referência ao destino!

    Luma, o blogue está lindo. A disposição dos elementos está bem agradável e o visual suave e delicado.

    Carrega bem fácil na minha conexão "velocidade de carroça"

    Beijos!

    ResponderEliminar
  12. Olá só passei para conhecer o blog. abraços até mais
    http://amoracherry.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  13. Sabe que quando eu era adolescente uma professora de português comentou que todos os poemas de amor de Drummond foram escritos não para esposa, mas para a amante e eu fiquei me sentido corna por isso e deixei de ler ele por uns bons anos?!?!? Eu fui uma adolescente moralista muito ridicula rsrsrs

    Drummond é perfeito... É lindo falando de amor, é lindo olhando para o social, é lindo falando de qualquer coisa... Ele e Fernando Pessoa são seres que transcenderam a existencia e se tornaram eternos em sua obra!!! Todos os dias devem ser dia D.

    ResponderEliminar

Tenha identidade, não seja anônimo na web. Crie sua identidade virtual.

...bisbilhotaram em quietude, sem solidão

PlagSpotter - duplicate content checker tool
Licença Creative Commonsget click

Algumas coisas não têm preço


finalista the weblog awards 2005finalista the weblog awards 2006
finalista the weblog awards 2007weblogawards 2008
Verificar conteúdo duplicado

Me leve com você...

Leia o luz no seu celular

Copyright  © 2014 Luz de Luma, yes party! Todos os direitos reservados. Imagens de modelo por Luma Rosa. Publicações licenciadas por Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial- Vedada a criação de obras derivadas 2.5 Brasil License . Cópia somente com autorização.

Tem sempre alguém que não cita a fonte... fingindo ter aquilo que não é seu.

Leia mais para produzir mais!

Atenção com o que levar daqui. Preserve os direitos autorais do editor