Minh'alma Sonâmbula

Suit alla Deriva

Lá está ela
Bruma de linho
deitada sobre a natureza
coroada com névoa e aura
Luz nela adormecida
Tem a cor da manhã
Em seu descanso eterno

E eu aqui descalça
Em minh'alma sonâmbula

Ficarei ausente das comemorações do Dia das Mães. É alegria de muitos, mas tristeza para mim. Quem é mãe e passar por aqui, ficam os meus votos de um feliz dia e que o seu amor possa ser eternizado através de seus filhos e deles para outras gerações. Ensinar a amar é a ação mais preciosa das mães. É através do olhar da mãe que o filho enxerga o mundo...


Aproveitando essa vibe melancólica, vou desabafar um pouquinho... Mas não quero que entenda como algo tempestuoso ou mesmo permanente. Talvez eu tenha tentado dizer nas três últimas postagens e o tenha feito de modo indireto.

Na vida é assim, as pessoas passam... E diz Manuel Bandeira que "Em cima daquele morro, passa boi, passa boiada". Passa todo tipo de bicho, não importando se aqui se faz o bem ou o mal.

Estou sempre reconhecendo em escritos pessoas que fizeram o bem para a humanidade e tenho impressão que o mal é mais notório. Afinal, provocar raiva, indignação e até mesmo matar, as reações geradas são mais energéticas.

- Será que a humanidade realmente mudou por causa das ações de pessoas boas ou foi apenas por sua própria necessidade?

Difícil é encontrar um ser humano que tenha ações em prol do senso comum. Na maioria das vezes, ele visa apenas a sua satisfação ou da sua prole. As pessoas bondosas poderão ser lembradas da primeira a terceira geração dos seus descendentes, mas não mais. A não ser que seja um vulto histórico, mas não é disso que estou falando. Falo de pessoas comuns.

Noutro dia estava vendo o site de parentesco. Que adianta saber quem foi quem em uma família? Eu sei até quem foi o patriarca da minha família que chegou ao Brasil, mas o que isso muda a minha realidade? Tudo o que ele fez nada vale hoje.

O ser humano se ilude muito com coisas que nada farão diferença em sua vida. Tudo o que faço hoje, o que valerá senão para mim ou quem estiver comigo no exato momento? Até minhas palavras um dia estarão mortas e as desse blogue serão as primeiras deletadas. Daqui algum tempo, o que ficará na memória das pessoas? Nada. As pessoas esquecem fatos de suas vidas. Se lembrarão de fatos da minha vida?

Noutro dia faleceu uma amiga. Bem no meio do evento do Bookcrossing Blogueiro... E também outra, a que me inspirou a criar o tal evento... Que importava alguém saber que fiquei muito mal? Eu preferi não dizer para não atrapalhar toda a engrenagem...

Eu sei que o meu "estado", muda na vida de cada uma das pessoas que se importam de verdade comigo,  É disso que falo, afinal... O que importa é agora. Mas se nada contasse, apenas eu estaria nesse estado de luto. Mas o falar, mesmo que tardio, ajuda a desfacelar os íons que se agregaram nessa conjugação.

O estar triste é um estado passageiro que importa somente à quem está triste. As pessoas podem torcer para que o estado melhore, mas no fim, a intuição aponta que não adianta as pessoas se importarem, quem está triste é que tem de reagir.

A qualidade que mais admiro nas pessoas é a humildade, ela sim faz grande diferença na vida das pessoas. Não querer ser mais que os outros é um dos caminhos para não perder o precioso tempo que temos aqui nessa vida. Essa qualidade faz as pessoas sinceras, sem máscaras ou hipócritas.

"A prepotência te faz forte por um dia; a humildade, para sempre".

Não vestir um personagem torna o evoluir da vida muito mais fácil. Eu não me importo com o que as pessoas más ou preconceituosas pensam - O ruim delas serem assim é que, por causa delas o mundo não evolui.

A minh'alma sonâmbula deve ser antiga e por isso que mesmo na tristeza consigo enxergar toda a beleza da vida. 

Assine para receber os textos do "Luz de Luma" em seu e-mail ou acompanhe pelo Facebook

49 comentários :

  1. Bom dia Luma ♡
    Essas datas fixas para comemorar mães, pais, crianças, etc......servem para muitas coisas menos para demonstrar amor , pois isso, ao meu ver, deve ser espontâneo.
    Abraço te com carinho por sua tristeza e sopro um beijo nesse seu coração de mãe.

    ResponderEliminar
  2. Oi Luma, sua alma é feliz além das tristeza também pelos momentos que conviveu, aprendeu e cresceu com sua mãe...acho que os pais de certa forma vivem em nós.
    Fiquei lembrando do meu avô paterno, sei tão pouco dele, lembro menos ainda...Caladinho, sempre mexendo com os apetrechos de pescaria e eu ao lado tentado puxar conversa...Hoje temos tanta informação registrada no virtual, mas concordo com você, acho que se diluirão. Até mesmo os grandes artistas e inventores passaram e são apenas citações...A vida é hoje, já foi dito, "Assim caminha a humanidade".
    Beijos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade, Dalva! Já reconheci a minha mãe em mim e já falei com ela através do espelho...
      Mas como a Astrid bem passou, a espontaneidade tem que estar presente na demonstração dos sentimentos.

      Eliminar
  3. É Luma, eu teria uns oitenta e poucos se não soubesse...
    Beijo, encantada com a tristeza e beleza dessa partilhar.

    ResponderEliminar
  4. Luma eu discordo de você. As pessoas morrem, de fato, mas elas mudam e contribuem anonimamente para a vida de outras pessoas e do mundo. Somos uma rede e a personalidade de cada indivíduo é feita das coisas que ele viveu, das pessoas que ele conheceu e dos livros que leu, aliás acho que o melhor jeito de se eternizar é escrevendo um livro, mas se não der, é só passar adiante o que vc tem de bom. Quando virarmos memória e depois quando formos esquecidos o melhor de nós terá sido repassado para as novas gerações através dos nossos alunos e dos alunos deles. Tipo Jesus, ele repassou sua doutrina pros discípulos e eles repassaram para o mundo (só que ele teve seu nome escrito na história). Depois dessa dose de romantismo e idealismo espero que você se sinta melhor. Grande abraço!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Como não concordar? Você falou algo complementar ao que escrevi, mesmo que pense que está discordando.
      Quando escrevo em viver o agora e remeto a humildade, penso que os ensinamentos que temos, não devem ficar trancafiados em nosso cérebro. Temos que repassá-los, pois senão eles também virarão pó. O slogan do ato do dia 05 "Somos todos professores" é muito mais abrangente e não se referi apenas aos professores. Quando repassamos nossos conhecimentos estamos professorando.

      Eliminar
  5. Uma bjoka com muito carinho!!

    obs. quem dera se Deus eternizasse aqueles que amamos....

    ResponderEliminar
  6. Oi Luma querida,
    Senti daqui sua melancolia e tristeza por esses acontecimentos. A perda de entes queridos sempre nos abala e faz com que coloquemos a vida em xeque. Acredito que deva passar esses dias reclusa. Mergulhe fundo e depois retorne. Leve, alegre, em paz. O importante é não se deixar contaminar por essa energia negativa que paira no ar e por toda parte.
    Beijo n'alma

    ResponderEliminar
  7. Saudações sinceras e sentidas Luma,
    Seus textos e reflexões são sempre de grande valia e muito aprendizado também.Há determinados períodos e momentos em que nos sentimos mais sensíveis ou suscetíveis às emoções e verbalizá-las é também algo muito bom,você sabe disso! Grandes gênios,artistas em geral,produziram e produzem seus melhores trabalhos em dias de melancolia e tristeza...Quanto saber ou não a própria origem genealógica, é algo muito pessoal,há quem busque e há quem não se interesse.Meu carinho e respeito a você pelo que leio aqui!

    ResponderEliminar
  8. Oi Luma em primeiro lugar obrigada pela indicação do livro e do blog sobre origami, com certeza vou dar uma olhada lá. Quanto ao seu texto, sei bem do que vc está falando e é triste ver que o mundo não se importa em ter um passado e tudo é esquecido. Tenho uma frase da bíblia que resume bem isso. "Ilusão ilusão, é tudo ilusão." Abraços e um fim de semana cheio de paz.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito bem posto, Juliana. A vaidade é uma muralha dentro das relações. Tudo será ilusão enquanto o homem analisar o mundo através do seu ego.

      Eliminar
  9. O seu texto tocou-me. Os momentos tristes fazem parte da vida e faz bem verbalizá-los ou escrevê-los.
    Desejo-lhe o melhor.
    O Dia da Mãe tem para mim um sabor agridoce: sou mãe mas já não tenho a minha...
    Desejo-lhe tudo de bom, Luma.
    Um beijo grande

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sabor agridoce. É isso!!
      Num mundo de aparências onde o sorriso é valorizado, falar de tristeza é dar um chute na popularidade (rs*). Quero ao meu redor pessoas sinceras!

      Eliminar
  10. Oi Luma, sempre que leio teus textos me boto a refletir. Lamento pela perda das tuas amigas, mas pense nas boas lembranças que o convívio com elas te proporcionou, bem como as alegrias que você deu a elas. O que vale na vida é isso, as boas e sinceras amizades, o amor da família e como você mesma citou, a humildade que pode fazer de todos nós seres melhores.
    Falando de pinturas, o criado mudo tinha uma patina creme. Eu dei uma leve lixada porque eu fazia patina com tinta bem grossa para dar textura, então lixei e passei a tinta por cima. De parede sim porque mesmo as tintas que compramos "próprias" para artesanato é a mesma tinta de parede que os "fabricantes" compram em latas de 18L, por R$100,00, dividem em 360 frasquinhos de 50ml vendendo cada um a R$ 4,00 faturando um total de R$ 1.440,00. Guarde as tintas de parede que elas valem muito quando subdivididas. É investimento rsrsrsrsrsrs. Bjs
    Joana

    ResponderEliminar
  11. Olá Luma,
    Percebi mesmo sua vibe melancólica. Sinto muito. Sinto muito pelas suas perdas. Quanto às outras colocações, eu também tenho me feito os mesmos questionamentos e me percebo um tanto pessimista nos últimos tempos... Mas vou discordar de você am alguns pontos, no que tange as questões da família e a influência de um indivíduo aparentemente anônimo na sua ancestralidade. Você já ouviu falar de uma técnica terapêutica chamada Constelações Familiares? Ela foi criada por um padre alemão (que hoje não é mais padre) chamado Bert Hellinger. Parte do pressuposto de que a família tem um inconsciente, e que todo mundo tudo sobre todo mundo naquela família, embora sem estar consciente disso. Somos afetados e afetamos este campo energético em até sete gerações, e em até quatro de forma direta. Assim, podemos repetir coisas mal resolvidas de um avô, de uma tia distante... Tudo o que não foi resolvido, aparecerá de novo, assim como indivíduos que conseguiram dar saltos significativos também influenciam positivamente as geraçoes futuras, que não pecisarão mais carregar aquele fardo ou repetir o mesmo padrão. Assim, muitas vezes lidamos com problemas maiores do que nós, que estão fora do nosso escopo de escolha, sem saber... É necessário voltar lá atrás, então e tentar desembaraçar os emaranhados e bloqueios criados pelo "amor cego" como se diz nesta terapia. Vale a pena pesquisar e conhecer mais a fundo. Você ficaria abismada em descobrir o quanto muitas destas questões influenciam suas decisões e escolhas hoje. O trabalho em si é explicado, em parte, pela teoria de Rupert Sheldrake dos campos morfogênicos, mas não se baseou nisso, na verdade essa teoria veio depis. Se tiver interesse posso indicar algumas fontes. DEsejo luz e bênçãos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "A família é um microcosmo. Ao saber como curar a família, eu sei como curar o mundo " Virginia Satir.
      Eu me referi aos feitos não reconhecidos através das gerações e não no que isso mudará a sua vida perante o outro. Individualmente os valores famíliares são transmitidos através das gerações, mesmo que involuntariamente através de um "gene" e dentro da terapia familiar, o "perdoar pais" é fundamental para o indivíduo passar a se entender como pessoa única e entender que as pessoas são únicas. Já li algumas coisas sobre a "reconstrução da família" (constelações sistêmicas), mas nunca me aprofundei. Vou gostar das sugestões! Obrigada por ter deixado sua energia comigo! "Paz dentro, paz entre, paz dentre"

      Eliminar
    2. Olá Luma, desculpe se interpretei erroneamente suas palavras :-)
      De qualquer forma, segue alguns livros sobre o assunto. A técnica das constelações foi iniciada pela Virgínea Satir, que você citou, embora tivesse o nome inicial de "Escultura Familiar". Virgínea faleceu depois de ter descoberto o "inconsciente familiar" e Bert Hellinger deu prosseguimento a essa linha terapeutica refinando-a e descobrindo outros dados fundamentais. Uma amiga terapeuta me recomendou A FONTE NÃO PRECISA PERGUNTAR PELO CAMINHO (Ed. Atman) e A SIMETRIA OCULTA DO AMOR (Ed. Cultrix), os dois de Hellinger. Mas a melhor forma de conhecer este trabalho ainda é participando de um workshop em grupo, mesmo que seja apenas como ouvinte. É um trabalho maravilho, vale a pena conhecer. Vou enviar pelo face o telefone de uma facilitadora no Rio (suponho que você more no Rio???) Paz e luz no seu caminho! Gratidão :-)

      Eliminar
    3. Obrigada mais uma vez, Eunice! Anotei os títulos e vou procurar. Também vou saber sobre o workshop... Estou como gaivota voando sobre o mar e querendo pescar. Essas oportunidades que me dá serão aproveitadas, pode saber!
      :)

      Eliminar
  12. Nossa, amora, afetuoso abraço em ti...

    ResponderEliminar
  13. olá, amiga, então veja se não é importante continuar a espalhar palavras de amor e de amizade, todo um mundo de positivismo que se não nos torna imortais, pelo menos passa para outras pessoas que absorvem o muito ou pouco que partilhamos, vale sempre a pena... eu acredito que a vida é feita de espaços no espaço e no tempo e que se preenchemos um espaço por muito que pequeno que seja com boas intenções, impedimos que alguém o preenche com maus sentimentos e assim contribuímos para aquilo em que acreditamos no valor do amor, da fraternidade, da partilha...
    obrigada por estes momentos
    beijinhos
    Angela

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A tristeza nos torna mais humanos e só conseguimos superá-la com o amor que as pessoas que nos amam enviam mesmo caladas. Dizem que atitudes dizem mais que palavras e por isso criar esse espaço para também falar, quando as atitudes não podem ser vistas. Obrigada você!

      Eliminar
  14. li dia desses num blog muito legal, e vi e ouvi num video, que quando amamos naturalmente queremos que o outro seja feliz, e que quando o apego se fortalece, ficamos carentes da ausencia que aquele amor que o outro nos fazia sentir, nos faz... ai queremos que o outro nos faça felizes. Em um outro lugar, li que deveriamos pensar na morte ao menos 5 vezes ao dia, para nos colocarmos com os pés no chão e dar valor a cada instante vivido, entregando nosso melhor a ele. Por que nao fazê-lo, então, àlguns momentos de tristeza? Acontece, o importante é seguir vivendo enquanto houver vida, com tudo que escolhermos ter de direito, e com nada que não seja de fato aquilo que nos parece ser vivido.

    bjos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tony, fala com uma pessoa que conversou com a morte várias vezes e por isso, a encara com naturalidade. Não quero deixar nessa vida grandes construções, mas deixar pelo menos bons exemplos para os meus descendentes.

      Eliminar
  15. Olá Luma,

    Gostaríamos de te convidar para o próximo “desafios do Farol”, evento desta vez diferente dos anteriores e que se inicia hoje, dia 8 de Maio, no nosso Farol.
    Seria um prazer para nós poder contar com a tua presença e participação nesta iniciativa que, à semelhança das anteriores, promete ser animada e ao mesmo tempo contribuir para que nos aproximemos e fortaleçamos os nossos laços de Amizade.
    Beijinhos e abraços dos amigos,

    Argos, Tétis e Poseidón

    ResponderEliminar
  16. Oi, Luma!
    E nesses momentos é necessário ficar só!
    Nada que alguém possa dizer fará diferença. A melhor coisa, é que isso passa!
    O melhor jeito de curar a dor, é curti-la sem analgésicos, é acariciar a cicatriz, olhar para frente, respirar fundo e seguir triunfante!
    Feliz Dia das Mães!
    Beijão!

    ResponderEliminar
  17. Olá meu Ånjo ! Saudades de você! Desejo muitas felicidades,
    nesta data tão especial que é o dia das mães, quero me unir em sua oração,
    para juntos emanarmos o perfume suave de Deus aos corações,
    para assim acalentarmos aqueles que se sentem sozinhos e desesperançados.
    Vamos juntos cada vez mais espalhar este amor do céu!
    Esse amor que a cada dia tem desaparecido de muitos corações ,
    que o sofrimento fez muitas pessoas de coração
    amargos ,e sem esperança.
    Uma abençoado dia das mães a você a mim .
    As mães do mundo inteiro todo meu carinho.
    Um beijão no coração e fica com Deus .
    Um Domingo especial afinal mãe são anjos
    em nossas vidas quer esteja aqui ou morando no céus.
    Evanir**

    ResponderEliminar
  18. Querida amiga

    Há tantos caminhos
    para comentar neste texto...
    As mães e seus encantos...
    O destino e o sentido do humano...
    O sonambulismo da alma...

    Mais que mensagens ou palavras,
    para mim,
    foi como uma espécie de desabafo...

    ___________________________________


    Gostaria de convidá-la a visitar o meu outro blog
    www.semvoceeunaoseria.blogspot.com.br

    Nele estou publicando textos inspirados em músicas.
    Projeto de um livro para acordar sentimentos.

    Se puder, escute a música, leia o poema
    e deixe sua valiosa opinião.
    Amigos sabem ler nossas entrelinhas,
    e muitas vezes nos veem melhor do que
    realmente somos.

    Aluísio Cavalcante Jr.

    ResponderEliminar
  19. Lindo e tocante texto Luma! Me emocionou!
    Te desejo sinceramente um lindo fim de semana!!!

    Beijos e beijos mil ♥

    http://simplesmentelilly.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  20. Luma, ás vezes tb me pergunto onde está o bem nesse mundo.Dizem que ele é maioria, mas que não dá Ibope porque as pessoas gostam de desgraças. Não sei, mas quero acreditar nele e é justamente nas horas de melancolia que me apego a coisas boas que existem no mundo. Esse mundo é transitório. Vamos morrer todos ,mas enquanto estivermos aqui quero ser o melhor que puder e procurar aprender o máximo possivel de tudo. É uma intuição de que preciso fazer isso apesar de muitas vezes querer voar pra longe e não voltar mais.Falo de mim na tentativa de que nossa empatia funcione e vc saiba que não está sozinha em seus sentimentos. bjs,

    ResponderEliminar
  21. Lindas imagens e incrível post... um convite à relfexão...

    ResponderEliminar
  22. Oi Luma
    Lendo a exposição das suas dores pela perda de suas amigas creio não haver palavras que possa minorar sua dor.
    É uma dor íntima e particular e essa tristeza que nestes dias veio acolher o seu coração e só tu poderá acariciá- até que ela se evapore deixando em seu lugar a saudade
    Mesmo não tendo meios para te ajudar a vencer estes dias nebulosos deixo o meu carinho e meu conforto num forte abraço minha amiga

    ResponderEliminar
  23. Na vida estamos somente de passagem. Depois disso é especulações e crença, vai de cada um.
    Mas deixamos um pedaço de nós em quem fica. Seja lembranças ou em ensinamentos, deixamos algo além de genetica.
    A história narra heranças deixada por pessoas de outras gerações que deixaram isso.
    Por mais que afirmamos que não, a morte sempre mexe conosco, e refletimos estas questões quando vemos próximos partirem desta vida.
    E nós que ficamos refletimos, refletimos, refletimos,... e nada muda no ciclo vida e morte.

    ResponderEliminar
  24. Luma, ter essa grandeza de espírito perante a adversidade é uma grande conquista interior.
    A vida é efémera, como efémeras são as nossas acções, mas se pudermos mudar para melhor a vida das pessoas que nos rodeiam acho que ela já valeu a pena.

    Um beijinho solidário

    ResponderEliminar
  25. Olha, Luma, esta foi a primeira postagem que li, quando cheguei aqui, hoje. mas aí, fui descendo, lendo, às vezes comentando... voltei aqui, tornei a ler e até li alguns comentários. É que muita coisa do que você põe na mesa com sua escrita, eu também tenho em mim, me questionando e não é de hoje, e vai continuar pela vida for :(
    Primeiro, desejo de coração, que você se "regenere" das suas perdas, o melhor que puder, para seguir em frente, porque nunca volta a ser como antes. A cada perda que tenho, é uma metamorfose que se processa em mim, e a pessoa que resulta daí, surge com uma nuvem a mais. Por isso, talvez, eu precise tanto do sol, para contrariar ;)

    Em relação à marca que as pessoas deixam, infelizmente tenho que concordar com você, que raras são as que deixam sua marca. Muitas, por falhas suas, mas, essencialmente, por falhas dos que lhes seguem, porque na sociedade em que vivemos, não se valoriza os antepassados e seus feitos - a cultura familiar. Gosto de contar às gerações que não conheceram os avós e bisavós, coisas que diziam, que faziam, coisas boas, ou nem tanto, mas importantes para alimentar a cultura familiar e não deixar cair no esquecimento partes que são importantes das nossas vidas. Porque há pessoas, mesmo anónimas para a sociedade, que tiveram vidas importantes e merecem que se fale delas e que não fiquem perdidas.
    Quanto ao dia da mãe, olha, Luma, eu tenho uma nuvem bem grande na minha alma. Tenho duas filhas, uma complicada demais da conta, que nem é bom falar.
    Mas a outra luta sempre ao meu lado e faz o maior esforço para me compensar - sabemos bem que uma "alegria" nunca compensa uma "tristeza", mas: 1º eu não tenho o direito de não valorizar e retribuir a quem dá amor ( a postagem sobre esse tema, tão boa)
    2º uma parte de mim vive verdadeira alegria por dar amor e saber-se amada.
    resumindo: vivi o meu dia da mãe (quase) em pleno e até consegui ser feliz - aqui em Portugal já foi na semana passada (1ºdomingo de maio).
    E é assim, minha querida, que levo a vida.
    Tentando ver a luz do sol por entre as nuvens ;)

    bjn amg

    ResponderEliminar
  26. Oi Luma!
    Escrever sobre essa dor, entre outras coisas já é uma reação a sua tristeza vigente, não cura, mas faz bem.
    A certa altura da leitura deu vontade de dar-te um grande abraço...
    Falamos de morte no cafofo, para tentar banaliza-la para o nosso pequeno Izaias, por ser filho temporão, e o maridão já ter uma doença crônica, nunca saberemos sobre o amanhã, este é um dos motivos de vivermos tudo intensamente no agora!
    A sua amiga empreendeu uma grande causa, que só cresceu, morreu a matéria, os bons sentimentos não, eles são sementes num vasto campo...
    Para vc mãezona um domingo especial!
    Bjossss da turma Jubiartiana!

    ResponderEliminar
  27. Oi Luma! Ainda bem que o tempo passa e leva a tristeza que não insiste em ficar. Não sei se a sua melancolia já passou, mas estou certa da sua capacidade de superação, dada a sua inteligência. Hoje estou triste, muito triste. Mas amanhã é outro dia, e certamente estarei noutra condição. Porém, sempre humana. É o que se espera que sejamos, humanos. Beijo! Renata

    ResponderEliminar
  28. Oi Luma, parabéns pelo post!
    As perdas realmente são insubstituíveis, mas devemos minimizar pelo menos um pouco esse sentimento, para que possamos continuar a vida olhando o lado bom que ela também nos oferece.
    Bjsssss querida e uma semana muito iluminada p/vcs

    ResponderEliminar
  29. Boa tarde Luma
    Eu descordo em parte contigo , tudo que meu avó que era italiano fez , influenciou e muito o futuro dos netos , era um homen energico e sempre procurava fazer o que era certo, muitas das coisas que ele fez não farão mais o mesma eficácia hoje , mas ele me deixou muitas liçoes de carater, que hoje não vajo em lugar algum,hoje as pessoas falam que vão te ligar ou te passar uma receita por mínima que seja e já nem lembram mais do que prometeram,a melancolia em mim se instala quando vejo esta triste realidade.O ama~ha a Deus pertence , estamos em tempos muito dificeis.
    beijinhos


    http://eueminhasplantinhas.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  30. Oi Luma,
    Infelizmente o ser humano não está preparado para perdas. Mas espero que essa tristeza logo passe do seu coração.
    Feliz dia das mães pra vc.
    Big Beijos
    Lulu on the Sky

    ResponderEliminar
  31. Oi, Luminha,

    Ensinar a amar é coisa maravilhosa e - sem dúvida - uma das mais nobres atribuições das mães (que, nem todas e por várias razões,cumprem, infelizmente). Quanto à - digamos - 'insignificância' das vidas humanas (de modo geral) isso é muito relativo, desde que se entenda que o propósito de cada vida é restabelecer a centelha sagrada, de que foi dotada, coisa que é independente dos valores vigentes no mundo. Sendo assim, ainda que uma vida seja significativa apenas para outra vida, esta vida é mais do que justificada. E, por outro lado, o todo está associado às partes, assim como o maior ao menor, e é por isso que toda vida humana é intrinsecamente valiosa, mesmo que toda a memória dela se apague, rsrs.

    Um beijo e - desde já - boa semana

    ResponderEliminar
  32. Querida Luma , há sempre uma vez primeira . E está foi a primeira vez quente vejo no ocaso da tristeza . Sim porque a tristeza tem vários graus, até chegar a insuportável depressãoz. Não tivesse sido a tristeza a fiel companheira de sempre- vá se lá saber porque - não te compreenderia tão bem.
    Primeiro pelas perdas que tiveste. Depois a eterna pergunta interior " para que vale?
    " . Como dizes só os grandes vultos permanecem e são lembrados em dias especiais . Façamos a sementeira no coração de quem amamos . Aí as flores tem autêntico perfume.
    Um terno e amigo abraço da sempre igual
    M . Barroso

    ResponderEliminar
  33. Luma,também evitei ler postagens nesse período porque cada uma delas, pela referência às mães, faria sangrar minha ferida que ainda não cicatrizou. Lamento as suas perdas e entendo sua melancolia. Quem na tristeza não perde a visão terá sempre inteiro o coração. Bjs.

    ResponderEliminar
  34. Oi minha flor!!

    É bom poder se expressar e desabafar tudo que está nos incomodando e nos deixando triste. Mas sei que é mesmo passageiro entre aspas, pois a tristeza da perda fica para sempre guardada em nossos corações.

    Fique com Deus e sinta-se abraçada! bjs

    ResponderEliminar
  35. Ahhh... já ia esqcendo.....

    Nãi fiz cachecol masculino ainda, por isso não vou poder ajudá-la, mas no you tube vc encontra modelos lindos com as medidas necessárias, ok???

    bjs

    ResponderEliminar
  36. Luma,

    Compreendo sua melancolia. Muitas vezes sou tomada por ela, especialmente em "datas comemorativas". O maior causador de cicatrizes foi certamente meu ex-carrasco. Tudo de ruim que aconteceu comigo, minha familia e filha. Eu li seu texto falando de Rubem Fonseca, mais ao final dele, o pensamento de que devemos ser fortes para enfrentar os desafio e superar. Então, é isso. Aprendi como a vida realmente é, que tudo passa. Mas sabe, a tal palavra saudade é tão grande como o universo e sempre vai ter estrelas para serem vistas brilhando, outras cruzando os ceus.

    Bjs

    ResponderEliminar
  37. Oi Luma!

    Amor, mãe, saudade - chega um tempo em nossas vidas em que essas três palavras viram sinônimo uma da outra, sem esquecer que a Amizade também entra neste rol. É a vida, é da vida. Gosto muito de citar Fernando Sabino nessas horas, pois penso e acredito que "no fim tudo dá certo..." E sem esquecer que passa, pode demorar, mas passa.

    beijo grande querida, fica bem.

    ResponderEliminar
  38. Gostei mesmo muito de ler este teu texto! Li-o devagar, acompanhando a reflexão. E partilho o que escreves. Relevo os últimos parágrafos. É isso mesmo. Mais tarde o que fica de nossas ações? Talvez alguma sementinha que se vai perpetuando nas pessoas que admiraram esta ou aquela particularidade... A nível profissional, talvez seja mais visível, no entanto só se for registado em algum suporte é que permanecerá o testemunho.
    Há ainda algo que quero sublinhar, por ser mesmo assim: qualquer estado, sobretudo o que se relaciona com negatividade, só será ultrapassado se partir de nós; de nada vale o que nos dizem. O sofrimento é sempre um ato solitário, ainda que sintamos solidariedade...
    Bjuzz, Luma

    ResponderEliminar
  39. Querida Luma
    Depois de ler o seu texto, fiquei a pensar: o ser humano deve ter acções em prol do senso comum ou do bom senso? Inclino-me mais para esta última hipótese.
    De facto,deixamos muito pouca lembranças que poderão eternizar-se, a menos que tenhámos publicado algum ou alguns livros de interesse.
    Andava eu muito triste , porque,desde que regressei como Internauta, quase todos os dias lhe deixava um comentário e ainda não tinha recebido nenhuma visita sua. Que hei-de eu fazer? Dependo destes mimos!...Mas lembrei-me de ir ver a sua página inicial e logo entendi a razão da sua ausência. Faço votos, sinceramente, para que o seu familiar se restabeleça o mais rapidamente possível.
    Beijinho
    Beatriz


    ResponderEliminar

Tenha identidade, não seja anônimo na web. Crie sua identidade virtual.

...bisbilhotaram em quietude, sem solidão

PlagSpotter - duplicate content checker tool
Licença Creative Commonsget click

Algumas coisas não têm preço


finalista the weblog awards 2005finalista the weblog awards 2006
finalista the weblog awards 2007weblogawards 2008
Verificar conteúdo duplicado

Me leve com você...

Leia o luz no seu celular

Copyright  © 2014 Luz de Luma, yes party! Todos os direitos reservados. Imagens de modelo por Luma Rosa. Publicações licenciadas por Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial- Vedada a criação de obras derivadas 2.5 Brasil License . Cópia somente com autorização.

Tem sempre alguém que não cita a fonte... fingindo ter aquilo que não é seu.

Leia mais para produzir mais!

Atenção com o que levar daqui. Preserve os direitos autorais do editor