Casamento, um arrendo de interesses

"De tanto fazer tudo parecer perfeito você pode ficar louco ou para todos os efeitos suspeito de ser verbo sem sujeito" (Paulo Leminski)
Faça com amor... é mais gostoso!
Somente hoje lembrei que Maio é considerado o mês das noivas. Na verdade, não sei se essa tradição se mantém, porém sei de uma outra tradição instituída pelo consumismo: As festas faraô"micas" (faraônicas). Fico bastante escandalizada com essas festas, como também com as de aniversários de crianças e para piorar, velórios em grande "estilo". Acho tudo isso o cúmulo da falta de noção, pois na maioria das vezes, as pessoas se endividam, vendem imóveis... 

Cada um administra sua vida e seu dinheiro como bem quer.

A Lidiane Vasconcelos fez uma postagem intitulada: Casamento: os conselhos mais inteligentes. Já leu?

Dei o meu pitaco descompromissadamente em uma troca de mensagens e ela achou que estava de bom tamanho:

“Encontrar um bom conselho é sempre difícil. Pois o que é bom ou ruim para mim pode não ser para o outro. Mas dentro da escolha que fizemos de “viver para sempre” quando nos casamos e, assim como qualquer investimento futuro, devemos olhar os riscos desse projeto de vida não dar certo por motivos muitas vezes bobo. As pessoas são muito orgulhosas e por causa das informações erradas que temos, coisas pequenas se tornam motivos de grandes desavenças quando existe a convivência diária. Contar aqueles 5 minutos antes de dizer qualquer coisa que magoa é sempre muito mais que válido. Quantos casamentos são arruinados por causa de pequenas questões mal resolvidas? Não deixar que uma pequena mágoa se instale é muito importante para que ela não vire aquela bolinha de neve rolando pelo penhasco. Um conselho antigo seguido à risca é o de nunca irem dormir brigados. O dia seguinte pode até não começar bem, mas é horrível começar o dia sem um “bom dia” dado pela pessoa que você escolheu passar o resto de sua vida.” 

Conselho serve para quem dá e nem sempre para quem recebe. Quer mais conselhos? Veja no blogue da Lidiane

Acha que estou no caminho certo? :) Se não quiser responder, vamos tomar um chá e aprender a fazer xícaras bonitinhas como a da imagem.

Assine para receber os textos do "Luz de Luma" em seu e-mail ou acompanhe pelo Facebook

63 comentários :

  1. Oi Luma
    Adorei esse post. Acredito que de um tempo para cá as pessoas estão casando "oficialmente" muito pouco. Comparada a quantidade de pessoas que decidem "juntas as escovas de dente" .
    O mundo hoje anda querendo ficar tão às avessas que eu algumas vezes me sinto um completo peixe fora do aquário.
    em contrapartida o numero de casamentos que estão sendo desfeitos é muito grande.
    mas adorei esse lance do conselho.
    O casamento de hoje com toda essa falta de pudor e romantismo eu acho que alguns casais encaram o outro como a tábua de salvação. A companhia que não vai substituir nunca o parceiro que partiu mas que provavelmente vai tapar alguns vazios deixados.
    eu ainda acredito que a falta de amor ainda é a resposta para muitas perguntas

    ResponderEliminar
  2. Luma, adorei os pitacos e infelizmente tenho visto cada vez mais casamentos e festas "pra fora", gastando o que tem e não tem e sem pensar no verdadeiro sentido, o " de dentro".. Pena, mas cada uma, cada qual,rs

    Adorei as xícaras! bjs, linda semana! chica

    ResponderEliminar
  3. Luma, bonita, muito obrigada por fazer uma chamada por aqui para o post lá no TMulher. Muito gentil de sua parte. =)

    Em tempo: eu não sabia que já existia "velório em alto estilo". Até isso, meu Pai?! Eu, hein! =(

    Beijos
    Lidi

    ResponderEliminar
  4. Bom dia Luma, não existe casamento como antigamente. Casamento de hoje em dia, é mais por interesse de uma das ambas partes, ou das duas partes

    Tenho uma amiga que para casamento dela, foi um reality, onde todos os dias no face, ou melhor os 15 dias restantes que restavam para o grande dia.
    Ela colocava, tudo no face,até nos enjoava de olhar as bobeiras colocadas.
    Na hora de entrar na igreja ela fez uma selfie e com a legenda abaixo
    - Daqui a pouco, me enforco, mas se não der certo, afrouxo a corda!!
    Casando já pensando na separação.
    A mídia não faz tanto alarde como antigamente no mês das noivas-maio.
    Vendo que tudo não passa de balela.
    Beijos, ótima semana

    ResponderEliminar
  5. Oi Luma, minha filha trabalha como Organizadora e decoradora de eventos, uma área que precisa, como tudo de paixão. O ritual do casamento é ainda muito valorizado e encarado, principalmente, para as mulheres, um dia especial. Hoje, há um campo de trabalho que investe nisto, mas os projetos são realizados de acordo com o orçamento. Este é um momento em que os casais já estabelecem um padrão de relação, aqui fala a terapeuta, rs,rs, Portanto este evento tem vários ângulos para se focar. Mas em tudo, hoje, vivenciamos um exagero.

    ResponderEliminar
  6. Olá, Luma, como vai? Primeiro desculpe minha ausência, minha vida estava um caos em termos de tempo e como descobri que não sou uma super mulher, kkkk, fui obrigada a abrir mão de algumas coisas para poder fazer outras que gosto, como visitar os blogs. Como sabe até minha participação no Book Crossing ficou em segundo plano, mas ainda irei fazê-la, visto que o livro está separado e o importante é o desapego.
    Sabe, eu até havia escrito um post sobre o mês das noivas, mas acabei não vendo nele o sentido que gostaria e não publiquei, ficou num rascunho... quem sabe uma abordagem futura sob outra perspectiva.
    Esses dias vi na tv um casal que havia levado um calote na decoração do casamento cujo valor era 50 mil reais!!!! Pela decoração de um casamento!!!! E parecia ser um casal simples. Admito que jovem sonhei com um casamento pomposo (não a tanto), mas o tempo passa e vamos percebendo o quanto muito mais que a festa, a relação precisa de investimento e cuidado diário. Já casei, já separei, aprendi muitas coisas e sobretudo, que amor e paciência fazem milagres, que tolerância, apoio e empatia são a base da relação, desde que sejam mútuos, porque quando acontece somente por uma via, o outro lado sente-se ignorado e solitário.
    Penso que também estou no caminho certo porque me importo demais com o homem que eu amo e quero fazê-lo muito feliz, e sei que a recíproca é verdadeira.
    Gosto muito de ver sinais de sorriso entre os escritos, sinal de que seu coração está em paz! :)
    Abraços!

    ResponderEliminar
  7. Certinha Luma!
    O caminho certo, é o caminho do coração, e sei que vc anda por ele...
    Amei a ideia da xícara! Já o conselho, não sou boa para dá e nem para ouvir kkkk (Bia rebelde).
    Por acaso, ontem eu e Júlio fizemos onze anos que nos conhecemos na beira do rio Tocantins, nas festividades do divino Espírito Santo, somos casados de coração, penso ainda em fazer um ritual de celebração de vida a dois, seria numa aldeia Apinajé, vestida de branco e azul, pés no chão, decoração seria a natureza, e o prato principal seria peixe muqueado. E o principal: Rodeada de bons amigos, quem sabe um dia...
    Domingo e uma semana luz para vcs!
    Bjosssss.






    ResponderEliminar
  8. Luma, eu quero ambos responder e aprender fazer xícaras fofas apesar do meu desprovimento de talento artístico.
    Acho que está no caminho certo, a sabedoria popular,a sabedoria dos grandes sábios como o Dalai Lama, só para citar um, diz o mesmo - tenha sempre diálogo, franco, transparente, exponha-se para que uma ninharia não se torne tempestade e sempre, sempre converse muito.
    Sobre as festas: enviaram-me um link esses dias sobre as festas do pijama, aquela farra, bagunça com colchões espalhados pelo chão e cachorro-quente caseiro e tagarelices até a madrugada, pois é ,até a inocente festa do pijama foi transformada em evento a um custo de trinta a cinquenta mil reais com cabanas montadas especialmente pelas empresas.
    Outro fato, ouvi de um padre, que anda desiludido com as ideias faraônicas de casamento: ele fora convidado para celebrar um casamento surfista dentro do mar, mas para isso o noivo se propôs a ensiná-lo ficar em pé em uma prancha. Não rolou. o padre respondeu que não teve autorização do Espírito Santo!
    Beijo!

    ResponderEliminar
  9. Sempre achei essas festas absurdas uma demonstração inútil para a sociedade de que é feliz!
    Acredito naqueles que caminham juntos, mas sabemos que há obstáculos a serem superados, não é fácil a vida a dois, pois são duas pessoas diferentes vivendo e convivendo num mesmo ambiente!
    O importante é que haja Amor!
    Bjus e lindo domingo,amiga!
    http://www.elianedelacerda.com

    ResponderEliminar
  10. Oi Luma
    Prefiro aprender a fazer xícaras
    Não sou a pessoa mais indicada para dar pitacos quando o assunto é casamento
    Tenho as minhas convicções e com certeza elas não estão de acordo com o que pensam o senso comum.
    Vou praticar porque talento para as artes não é o meu forte
    Beijos querida e um lindo domingo

    ResponderEliminar
  11. Oi, Luma.
    De pleno acordo.
    Tem gente que gasta dezenas de milhares de reais numa "recepção" e depois vai morar de aluguel ou se endivida para mobiliar a nova casa. Já os velórios, então, nem se fala.
    Quanto ao "viver para sempre", já bem dizia Vinicius: "QUE NÃO SEJA IMORTAL, POSTO QUE É CHAMA, MAS QUE SEJA INFINITO ENQUANTO DURE".
    Beijo grande e uma ótima semana para todos.

    ResponderEliminar
  12. Sim Luma, você está no caminho certo!
    Adorei o texto. compartilho de suas idéias.
    Estou há 28 anos com meu marido e posso dizer que em todo esse tempo nunca deixamos de dar atenção às pequenas delicadezas do cotidiano, isso dá vida ao relacionamento.
    Bjs e ótima semana!

    ResponderEliminar
  13. As relações têm que ser alimentadas, claro!
    Estou casada há 12 anos e recomendo. Cada um faz a festa que quiser. A minha foi simples, mas tão feliz.
    Bjs e boa semana

    ResponderEliminar
  14. Bem, eu pessoalmente jamais faria uma festa nababesca, gastando os tubos, para depois ainda saírem falando, sem contar o fato que hoje estamos apaixonados e amanhã não mais. Não questiono a durabilidade da paixão e nem do amor, questiono o dinheiro mal empregado para mostrar aos outros uma felicidade que não precisava ser mostrada desta forma com festanças mil, pois quem está e é feliz transparece gratuitamente sem precisar recorrer a grandes somas de dinheiro.

    ResponderEliminar
  15. Como a Debby escreveu no primeiro comentario, muitos relacionamentos estão com o conceito de "tábua de salvação" mais expostos do que outrora; não que os relacionamentos não pudessem ser desta forma antigamente, apenas a resiliencia era maior e o "pacote social" impunha outras posturas... e ao contrario de outros comentários, digo: se o casamento não for por interesse [de ver a felicidade do outro e encontrar naquela pessoa alguém que complete sua vida], vai ser pelo que? :)... o evento, a festa, é apenas uma festa. Falo isso pra Carol desde que decidimos casar. Foi assim que absorvi o fator custo, que alto ou baixo, não importa mais. Foi um projeto ao qual nos dispusemos e cumprimos [o da festa], pois o da construção de uma vida em dois vai seguindo com todos os seus percalços e alegrias... o faraonismo das festas é um reflexo da celebrização, do exagero, do precisar aparecer, do querer marcar uma coisa como se o evento trouxesse em si todo o necessário para que uma vida dê certo. Que estas pessoas aprendam vivendo e encontrem o que lhes é melhor de fato... ah, que bom que a recuperação fora a contento. beijo!

    ResponderEliminar
  16. Oi, Luma!
    Aqui no interior, maio ainda é o mês das noivas. As tais festas "sem noção" também já chegaram por aqui... Doze mil reais só na banda musical!!!
    Ai, que saudade daqueles casórios no mato, servindo-se "pãozin" com carne moída temperado a "arrasta pé" na tulha!
    Tudo era tão mais vívido, mais caloroso! E nesse compromisso de "casar cedo para lutar cedo", os casamentos davam certo.
    Hoje, querem tudo tão perfeito, casam "prá ser feliz", e no primeiro entrave...

    ResponderEliminar
  17. Luma muito sucinto e sensato seu post. Parabéns. Também não concordo com certas pomposidades de algumas festas, mas... Cada qual é cada qual. Quanto ao casamento existe uma regra simples para ele durar para sempre: Basta o homem entender que no relacionamento existe uma pessoa que está sempre certa e a outra é o marido. Rsrsrs

    ResponderEliminar
  18. É tudo bem verdadeiro o que escreves neste post Luma!
    As pessoas não se preocupam com as datas, porém com o que elas podem fazem nessas datas para "aparecerem" mais que os outros!
    Òtimo post!!!
    Beijos e beijos

    http://simplesmentelilly.blogspot.com.br/2015/05/florais-de-bach.html

    ResponderEliminar
  19. Luma, realmente dormir brigados é um pecado, né? No começo do casamento e até mais dos 17 anos de casados, segui à risca. Depois, fomos ficando menos tolerantes e já não praticamos mais, mas ainda há o "bom dia", mesmo que meio engasgado...rs
    Sou totalmente contra gastar o que não se tem para fazer qualquer coisa que seja. Amiga minha vendeu um apartamento para casar a filha...Acho quase criminoso. rs Enfim, é isso, cada um que gaste seu dinheiro como quiser.
    Boa semana!

    ResponderEliminar
  20. O casamento é uma sociedade que requer avalista rsrs. Trabalho com terapia de casais e posso afirmar que aquele dito popular é bem verdade: antes dele é meu bem pra cá, meu bem pra lá e depois meus bens pra cá! Quanto as festas faraônicas penso que cada um gaste seu dimdim como bem quiser. Euzinha tô fora: bodas, festa de 15, de formatura foi tudo investido em viagens...afinal, viajar é o único investimento que você gasta e fica mais rico!!!
    Beijuus Luma e uma semana abençoada!

    ResponderEliminar
  21. Claro que está, Luma. Sua postagem é bem interessante e eu particularmente nunca faria essas festas imensas. E muitas vezes serve mais para mostrar para os outros mesmo e a própria pessoa nem aproveita. E vc tem total razão quando diz que conselho é bom pra quem dá, mas nem sempre bom pra quem recebe. Bjs e boa semana.

    ResponderEliminar
  22. Nossa Luma, seu blog é super interessante, eu me casei em Abril do
    ano passado e só teve festa por que meu marido assim o quis, mas eu também havia me esquecido que Maio é o mê$ das noivas, post super válido, antes de me casar eu sempre ouvia o jargão: Casamento não é casaca pra você por e tirar depois.

    Bjo
    www.nagiladomingos.com

    ResponderEliminar
  23. Tem muita gente precisando de dicas boas assim, Luma.

    Mas em um casamento, as vezes existe a possibilidade de que pequenas desavenças sejam apenas pretexto para desejos de ruínas maiores. O que está fadado a dar errado tem uma sucessão de motivos e razões para tal. Desde o fim até o começo.

    Boa semana

    ResponderEliminar
  24. Bom dia Luma!!!

    Quando me casei, estávamos isentos de qualquer luxo. Não queria sacrificar meu pai que não tinha tanto dinheiro para grandes festas. Meu marido ainda não tinha emprego fixo, nós dois não queríamos formalidade e éramos (somos) mais simples... Resultado: Nosso casamento não teve convite, foi tudo boca a boca, não teve festa, nem grandes vestidos ou ternos. Aliás, meu marido não gostava de terno e casou-se sem....Meu vestido também não foi branco... Não queria nada tradicional. Eramos o do contra..rs....
    Casei-me numa igreja que escolhi, de madeira, simples, a primeira igreja da minha cidade. Escolhi não o padre, mas um celebrante cheio de sabedoria da palavra de Deus que eu acompanhava desde criança nas missas...

    Não tivemos filmagem, pois a igreja não era apropriada para muitos equipamentos ligados.. e quem gosta de ver filmagem de casamento?
    Queria fotos, pois amo fotografias. Pois estas eu pego e vejo...Queria violão e voz que sempre fui fã e escolhi também o músico que via sempre tocando nos bares da vida...

    Distribuí um bombom no final da igreja. Para o almoço, convidei quem queria ir para o shopping almoçar conosco e minha familia. Foi de fato quem estava com interesse real de compartilhar aquele momento simples..

    Muita gente não foi, muita gente não entendeu certas coisas, pois todo mundo esta´acostumado com grandes festas, mas fiquei tão feliz em minha simplicidade. Por não ter exigido o terno do meu marido, por não ter apertado meu pai com festas...

    Mas o crucial mesmo foi o curso de noivos que fiz. O padre orientou muito bem os noivos e teve ouvidos quem quis. Ele disse para que não nos preocupássemos com grandes festas, pois ele conhecia casais que ele mesmo celebrou o casamento que nem tinham acabado de pagar a festança e já haviam se separado...

    Compensou amigos que viajaram 7 hs para nos ver casar, outra de MS que viajou 28hs e nos conhecemos naquele momento. Era uma amiga virtual. Isso ficará guardado para sempre...

    Quanto as festas de aniversários ainda me assusto com elas. Não consigo curtir.. É muito doce, muito barulho, muito tudo... Maria tem 8 anos e ainda não conseguimos "tal proeza"... Ela pede? Sim? Porque criança quer o que vê.. se deslumbra... Mas olhamos nossas condições financeiras, emocionais e de vida e vamos explicando certas coisas.

    Nunca a deixamos sem uma celebração da vida...Um bolo com fotografias e balões ela tem todo ano... Bom... Pode acontecer de um dia fazermos? Sim pode, mas espero sinceramente que tenhamos bom senso quando essa hora chegar..

    Luma.. a realidade do casamento e da criação dos filhos, vai muito além de qualquer festa... a festa da paciência, da tolerância, da entrega, da doação, do ceder quando preciso, da humildade, essa sim deve ser vivida todos os dias com muita celebração! E ganha um brigadeiro quem conseguir trilhá-la sem perfeição, mas com muita honestidade e amor! ♥

    Beijos e uma linda semana de paz...

    Teresinha!

    ** olha a gente dialogando por aqui ;)

    ResponderEliminar
  25. Oi Luma!

    Estou vivendo a contradição! Faço lembranças para festas cheias de frufrus e adoro coisas simples! Acredito que cada um faz o que gosta e o que pode $$$.

    E estou nessa de planejar o futuro ao lado de uma pessoa, e cheguei a conclusão que festas grandes e cheias de regras e coisas, só serve para os convidados. Os noivos nunca comem, dançam pouco e ficam naquela neura de fazer tudo perfeito. Convidar muitas pessoas, além de gastar um dinheiro absurdo, sempre tem aqueles que falarão mal, você acaba convidando pessoas que nem fazem parte da sua vida, ou torcem pela sua felicidade. Então já decidimos que a festa será pequena, simples, com pessoas que realmente amamos e esta do nosso lado em todos os momentos. A briga com nossos pais será grande kkkkk.

    E gastar um dinheiro que não temos, significa dívidas e começar uma nova fase assim é complicado!

    Beijos

    ResponderEliminar
  26. Como sempre, temos de todos os tipos: muitos gastam para ostentar, outros gastam para celebrar e outros preferem ser mais realistas. Particularmente, sou a favor da última parte - não fiz festa primeiro por achar muito caro pra minha realidade e vivemos muito bem sem isso. Realmente o se envolver, o compartilhar, o estar junto vai além do dia do "sim" - fora de todo o conto de fadas, a vida é bem dura às vezes, então o sábio conselho de não dormir brigado é algo bem útil.
    Adorei a caneca ;-)

    Abração e ótima semana.

    ResponderEliminar
  27. Sim, estas no caminho certo, Luma querida
    Os aniversários e casamentos estão beirando a cafonice...rs
    Gostei dos pitacos
    Uma linda semana para ti.
    Beijinhos Mil de
    Verena e Bichinhos

    ResponderEliminar
  28. Luma, apesar do meu casamento ter sido de estadão, sem eu o desejar, mas o pai da noiva assim queria. Só mais tarde soube que se empenhara, para o efeito, porque se tivesse sabido a tempo, isso não aconteceria. Afinal ele não aconteceria. Não são as grandes festas de casamento que estabelecem a felicidade do casal.
    A minha ausência se deve a ter viajado para o Brasil, viagem maravilhosa!
    beijos

    ResponderEliminar
  29. Concordo, não é justo para nenhum dos dois. Se o casamento não serve para as pessoas se apoiarem mutuamente, então não faz sentido!
    Beijinhos, boa semana!

    ResponderEliminar
  30. Você está no caminho certo, Luma. Casamento pra mim é meio escravidão, meio libertação. Tenho um lado independente e tenho outro carente. Como conciliá-los? Não sei, e já casei duas vezes. Mexer com sentimentos nunca foi coisa fácil pra ninguém.
    Semana de muita luz, luminosa amiga! Bjssss

    ResponderEliminar
  31. Caminho certo, sim, Luma. Não faz muito tempo, publiquei um post sobre relacionamentos... nada, acredito, é mais temível que a rotina! Fiquei feliz, ao ler em um comentário seu que o Marconi está na Globo; ele tem um texto realmente muito bom! Boa semana, amiga.

    ResponderEliminar
  32. Luma,

    Embora ache bonito, não casei na igreja. E se um dia casar novamente (será?!), continuo não sonhando com ostentação. Não curto nada exagerado, seja o que for. Hoje em dia estou som um passarinho querendo voar. Ao meu lado venha para caminhada ao ar livre; entre ir caminhar e almoçar ou cinema em shopping, prefiro ir sozinha caminhar e olhar para o ceu.

    bjs

    ResponderEliminar
  33. Olá querida Luma, boa tarde!
    Casamento em grande "estilo" eu já vi muitos mas velório pra mim é novidade, rsrs. O mundo tá muito mudado infelizmente muitas coisas são por interesse, inclusive muitos casamentos.
    Realmente tudo feito com amor é mais gostoso e prazeroso!

    Bjs, ótima semana! ♥

    ResponderEliminar
  34. Oi Luma, o casamento é uma benção de Deus, mais tem pessoas que faz do casamento uma coisa sem interesse,as pessoas tem que dar mais valor ao casamento Luma beijos.
    http://www.lucimarestreladamanha.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  35. Luma querida, para mim (que resolvi casar depois dos 40, mesmo depois de jurar pra mim mesma que não o faria nem morta hihihihi), casamento ocidental, pré e pós era cristã, é tudo igual! Desculpe a radicalidade, mas pra mim só mudam as roupas, os enfeites e... os interesses. O bom é que hoje em dia, a maioria das pessoas escolhe com quem se casa (no Ocidente!) e ai tem de arcar com sua escolha e consequências para o tal dia D.
    Eu casei numa cerimônia toda inventada por mim e meu marido, com muito "faça você mesma", pouca grana (pouquíssima eu diria) e a ajuda dos amigos, mas mesmo assim acho que gastei demais e muito mais do que devia rsrsrs.
    Hoje, pensando com uma outra consciência (numa busca diária e árdua pelo minimalismo), e vivendo com o homem maravilhoso com quem vivo, talvez não tivesse feito tanta coisa como fiz (que nem foi tanto assim, mas...), mas posso garantir que foi um dia espetacular. Adorei cada minuto dele, até mesmo os difíceis.
    Beijos

    ResponderEliminar
  36. Olá Luma, quanto tempo!
    É muito bom retornar ao convívio dos blogs e dos amigos!
    Estou me sentindo renovada!

    Sim, concordo com você!
    Hoje os casamentos estão fazendo o estilo "ostentação".
    Parece que é um conto de fadas, tudo muito bonito, muito caro .. um desfile...
    Mas e o valor real do casamento, onde as mágoas diárias não podem superar a união tão valorosa?
    Afinal, mesmo sendo um contrato para o direito civil, o casamento é uma relação de afeto e cumplicidade entre duas pessoas que querem construir uma família, uma vida nova. Precisa de muiot carinho, de muito amor!
    Ah, adorei conhecer o blog da Lidiane! Gostei mesmo! :)))

    Seu post está excelente, como lhe é peculiar!
    Eu estava com saudades!
    Beijos e uma semana maravilhosa!

    ResponderEliminar
  37. Oi Luma, acho essas festa eventos de uma breguice sem tamanho, além de desperdício de recursos.O que mais me impressiona não é nem o fato do “felizes para sempre” estar quase que em extinção, mas a coragem que as pessoas têm de, quando não conseguirem fazer as coisas darem certo e enfrentarem dificuldades juntas, se consolarem com o simples “Não era pra ser…”. Porque afinal, a culpa toda é do destino. Excelente post amiga. bjs y

    ResponderEliminar
  38. Eu e meu marido temos esse compromisso de nunca dormir brigados...é bom pra não deixar que pequenas coisas se acumularem e se tornarem grandes!
    Beijo
    www.leticiatomsik.com

    ResponderEliminar
  39. Acho um despropósito essa ostentação. Prefiro mil vezes a simplicidade de uma festa intima.
    Aqui, em plena crise económica, a mania das grandes festancas tende a desvanecer.
    Beijo

    ResponderEliminar
  40. Luma, amei seu pitaco rs
    Concordo com você... atualmente parece que as pessoas querem mais mostrar o seu amor do que vivê-los. Faz grandes festas, e esquece q festa que é necessária no dia a dia e os cuidados que devemos ter com as relações durante a vida de casado. Os 5 minutinhos calado é essencial kkk

    Beijos

    Flavinha

    ResponderEliminar
  41. Oi Luma! Esse lance de festas/eventos tem o lado bom de gerar empregos, meio artesanal...a ecônomia gira bem nesse ramo. Será que as pessoas necessitam de um conto de fadas ou precisam mostrar o conto de fadas? Como vc mesma disse, cada um gasta o que tem como quer e sente prazer.

    Interessantes os depoimentos, as dicas. A minha dica seria aquela da Rita Lee, vivam em casas separadas, pode ser ao lado, mas separadas. Essa é uma dica prática, mas nas relações mesmo penso que o cuidado maior seria não se deixar perder um do outro, não deixar o outro se sentindo sozinho estando juntos. Os problemas de um casamento deveriam ser resolvidos e não "empurrados pela barriga". Fico imaginando os jovens casais em tempos de whatsaap... redes sociais....Loucura total!
    Beijos!

    ResponderEliminar
  42. Bom dia Luma
    Casamento não é um mar de rosas , sempre tem os espinhos , é muito deficil
    não dizer ou ouvir algo que te magoe ou magoe outrem, é uma instituição que só dá certo se realmente ouver amor, e depois o perdão e deixar pra lá, se não a coisa fica feia.
    beijinhos


    http://eueminhasplantinhas.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  43. Tanto a dizer
    Disse até, outro dia por lá, algo no tema, vou procurar e de novo resenhar
    Um puxadinho do seu post, puxado do da Lidiane, pra fazer alarde, chamar pra o solo esse descolar coletivo e viral, de festas, pessoas, excessos ocos, muitos até loucos

    1. Festas infantis para crianças de 1 ano
    Acho que devia ter uma portaria que determinasse fosse caseira a primeira, com os móveis da sala nas fotos, respeito ao nivel de processamento de informações, sons e td mais do(a) dono(a) da festa

    Bobo, feio, tosco, desperdício, até pecado a modinha fotos de destruir bolos
    Sem naturalidade
    Reprovo, assim, sem meias palavras

    Um bolo e uma festa e presentes a cada um mês, cansativo, over, sem o simbolismo da primeira festa, sem o preparo, o encanto, tudo muito

    2. Gincana na escola de meu filho
    Equipes dentro da equipe, setores, estratégias além da diversão e competição sadia]
    Muitos não viram as provas, não acompanharam os resultados, não se sujaram, só sabiam de suas partes, tarefas
    Uma grande corporação, não diversão
    Zero de envolvimento e zero também de trabalho em equipe

    3. Casar na Igreja
    Toda igreja, até um padre num campo diante de uma mesa com objetos e símbolos religiosos, são um templo, seja qual for a Religião
    E exige ao meu ver e assim devia ser, modos, limites, regras, tipo sem permissão dançar uma rumba, funk, pagode, gritos, performances no altar e afins sem fim

    4. O casal não tem dinheiro, só cumprimentos
    Arrecadação de dinheiro sem o pessoal do presente de cada um, feio e feito até por quem não precisa, por ser moda
    Uma lua de mel a sós, sem sogras, amigos, fotos de cada segundo, baladas. O tal a dois, o tal mel, lingeries, declarações e tudo que representa o momento, fora de moda

    5. Festas do pijama
    Tem que ser com o pijaminha lascadinho, a camisola cheirando a baba da noite dormida em casa, ou um novinho vá lá, o lanchinho para antes de dormir, o seu travesseiro com a identidade do convidado cheio de sonhos e histórias dentro, que vai levar mais essa de volta pra casa

    Tem que ter cabana de lençol, a primeira casa própria de quem tem infância sem ostentação, camisa padronizada, pulseira de identificação, buffet contratado e todo um aparato de noite de Natal, Bodas de ouro ou sei lá

    A vida se tornou uma taça o tempo todo cheia que se esvazia a esmo
    Quando deveria e é, uma taça a ser cheia, sempre pelo meio, com modos e prazer sentido a cada gole
    E tenho dito

    ResponderEliminar
  44. Oi Luma,
    A Lidiane caprichou na postagem...
    os depoimentos, gostei de todos,
    podemos tirar proveitos de cada um.
    Porque, a vida a dois não vem com manual de instrução,
    mas é sempre útil e inteligente da nossa parte,
    aprender com os conselhos sensatos.
    Bjs :)

    ResponderEliminar
  45. Eu nunca pensei muito em casamento, noivas e tudo mais ... até porque ... KKKK de qualquer forma, linda postagens e feita com muito amor aparente!

    The Neighbourhoods
    http://theneighbourhoods.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  46. Oi, Luma!
    É como você diz: "Faça com amor...é mais gostoso". Complemento: gosto não se discute!
    Beijos!

    VitorNani & Hang Gliding Paradise

    ResponderEliminar
  47. Sim, sim, sim! Concordo com você, tá no caminho certo.
    Muito bacana a dica das canecas, fácil e fica um presente bem especial.
    Bjs e ótima semana!

    ResponderEliminar
  48. É um caminho tão complexo que não regras e sim vivências.
    Estou casada há 37 anos e não saberia descrever...:)

    Sim quelida já passei há anos do 7mil vidros, perdi as contas e nem tenho mais onde guarda-los, mas é uma paixão de infância e hj tenho 60 anos.
    Este Sadok é um glitter mas como base uma cor igual.
    Ótima 4ª feira para vc!
    Obrigada pela visita
    Beijos Coloridos!!!♥♥♥

    ResponderEliminar
  49. Oi Luma!
    O melhor mesmo é pegar o dinheiro que seria gasto no casamentão, na festança (p/os convidados saírem malhando os salgadinhos, docinhos e outras coisitas mais servidas no tal casamentão), pedir férias no emprego e passar um bom tempo bebendo água de coco com a pessoa amada (é intitulado marido mesmo sem casamento né? kkk) no CARIBE.
    Bjssss

    ResponderEliminar
  50. Amiga..
    Estou casada a 34 anos apesar de nada ser perfeito nessa vida
    sou feliz com a pessoa com quem me casei.
    Hoje com todos os problemas que passei a ter a alguns anos não poderia encontrar uma pessoa tão bondosa...
    Porém nem todos são iguais e vejo o sufoco de muitas amigas.
    Um abraço amiga.
    Beijos.Evanir

    ResponderEliminar
  51. Oi Luminha,
    Penso que numa relação quanto mais simples melhor.
    Seja a festa, a lua de mel e o proprio convivio.
    Não deixar acumular magoa.Não penso que tenha regras ou conselhos
    cada um é cada um e deve procurar a melhor forma de ser feliz.
    Tipo menos é mais.
    beijos querida

    ResponderEliminar
  52. Oi Luma! Sobre o casamento, sei que o meu não deu certo e eu me separei. Sobre as festas infantis, tenho muito prazer em preparar cada detalhe das festinhas da Laura, que fica esfuziante, por exemplo, com um carrinho de sorvete no parque para comemorar o seu aniversário! Todas as festas dela foram simples, mas ela as recebe como festas de arrombas!!! Beijo! Renata

    ResponderEliminar
  53. Conheço casais que fizeram festa de arromba, porém o casamento não durou muito tempo
    Big Beijos
    Lulu on the Sky

    ResponderEliminar
  54. Luma, nunca fui chegada a uma festa de casamento (kkk). Se fui a umas 4, excluindo as de familiares, foi muito. Mando presente e cumprimentos. Só. Não vejo sentido nessa gastança que se observa hoje. Cada um, obviamente, busca aquilo que o deixa realizado, mas o problema é que, na maioria das vezes, são os pais que carregam os ônus.
    É muito difícil, e até temerário, darmos conselhos. Em matéria de casamento, então, nem se fale! Mas as experiências de alguns podem ajudar outros, quando se pretende mantê-lo. Bjs.

    ResponderEliminar
  55. Luma,
    tua listagem resumiu o essencial dos bons conselhos numa vida partilhada à miúde.São pequenas grandes coisas( positivas ou negativas) que darão a liga na massa, ajudarão a que ela não desande por qualquer deslize.Não é fácil,mas possível.Buscando o equilíbrio com bom senso até que dá pé.
    Bjkas e bom dia pra vc.

    Obs: achei um charme essa xícara.
    Calu

    ResponderEliminar
  56. Oi Luma, muito sensato, eu vejo que parece haver uma competição em quem gasta mais nas festas, enquanto uma pequena parcela realmente se preocupa em agradar a criança que esta fazendo aniversario ou propriamente os noivos, se a pessoa tem grana ainda assim não vejo necessidade de tanta ostentação, aqui em casa brigamos sim, mas graças a DEUS mesmo com vontade de morder a gente sempre se fala kkkk, na chegada na saida, na hora de dormir, podemos ter acabado de quebrar o pau!


    Bjs

    ResponderEliminar
  57. Olá Luma, de passeio ao teu blogue! que conselhos "amorosos"! obrigada pela explicação do poema :) encontrei num livro da escola primária dos meus filhos, assim fala para a infância, mas também os adultos acabam por encontrar as palavras que descrevem a necessidade de liberdade que todos temos.
    abracinhos para ti
    Angela

    ResponderEliminar
  58. Casamento, batizado, nascimento... tudo virou um evento super importante pra postar em todos os lugares e fazer bonito pros convidados.
    Dias desses vi um chá de nascimento. A mãe tem o bebê e ao invés de receber as visitas quando eles bem quiserem visitar, faz um chá, como um aniversário mesmo, com bolo, docinhos, comes e bebes. E aí recebe todos numa tacada só.
    O que eu mentalmente disse: Mas é muita gente ganhando dinheiro fácil e muita gente gastando mais fácil ainda.
    Coisas da vida, da ostentação.... e o mais importante vai ficando pra trás.
    Beijos, menina!

    ResponderEliminar
  59. Verdade as pessoas perderam o parâmetro para tudo, beijo Lisette.

    ResponderEliminar
  60. Oi, Luma.
    O seu conselho sobre casamento me parece bem sensato.
    Acredito que para uma convivência a dois bem resolvida deve haver paciência, cumplicidade, fidelidade e respeito, entre outras coisas.
    Saber resolver pequenos probleminhas é primordial mesmo.
    Abraços.
    Diego || Diego Morais Viana

    ResponderEliminar
  61. Não podia concordar mais! Acho lindas as festas de casamento de acordo com os noivos. quem tem grana fazer festão, ok, se o dinheiro não fizer falta, uma festa de arromba cai até bem. Para quem não tem grana tem tantas opções... Fiz o aniversário de 15 anos da minha filha ano passado, sem muita grana, mas com muito trabalho e ajuda fizemos uma festa linda, dentro do nosso padrão. Como eu acho que tem que ser qualquer festa, dentro do padrão do dono. E quanto ao conselho, demorei a entender a necessidade de mudar minha atitude. Meu marido sempre teve esta filosofia e confesso que muitas vezes fazer as pazes me deixava p... Mas com o tempo entendi a necessidade de dormir em paz, nunca sair sem um beijinho (de filho, de marido, de mãe...), delicadezas que fazem muita diferença. É isso!
    beijo

    ResponderEliminar
  62. Sobre as grandes festas: não acho que seja necessário. Tem de haver bom senso. O que é demais é moléstia - ditado antigo...
    Sobre a questão da duração do casamento: sabemos que a relação é construída a dois, não só por um...
    Bjo, Luma :)

    ResponderEliminar
  63. Querida Luma
    Está sempre certa!
    Belo artigo!
    Bom fim de semana.
    Um beijinho
    Beatriz

    ResponderEliminar

Tenha identidade, não seja anônimo na web. Crie sua identidade virtual.

...bisbilhotaram em quietude, sem solidão

PlagSpotter - duplicate content checker tool
Licença Creative Commonsget click

Algumas coisas não têm preço


finalista the weblog awards 2005finalista the weblog awards 2006
finalista the weblog awards 2007weblogawards 2008
Verificar conteúdo duplicado

Me leve com você...

Leia o luz no seu celular

Copyright  © 2014 Luz de Luma, yes party! Todos os direitos reservados. Imagens de modelo por Luma Rosa. Publicações licenciadas por Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial- Vedada a criação de obras derivadas 2.5 Brasil License . Cópia somente com autorização.

Tem sempre alguém que não cita a fonte... fingindo ter aquilo que não é seu.

Leia mais para produzir mais!

Atenção com o que levar daqui. Preserve os direitos autorais do editor