As histórias que a pressa não conta

Quando penso no brincar das crianças no jardim e na velocidade das mudanças... Principalmente na palavra-chave que define o 'nosso tempo' - velocidade - que está para além do avanço tecnológico... Penso em muitas outras coisas...

A tecnologia sempre revolucionou a vida da humanidade, acentuadamente desde a Revolução Industrial e nos últimos cem anos, as mudanças tecnológicas ganharam tal velocidade que se tornaram a palavra-chave para o entendimento - ou ao menos para a aceitação - de um tempo em que o homem chegou a caminhar na lua mas não foi capaz, por exemplo, de deixar para trás questões tão antigas como a convivência entre raças e religiões.

Um exemplo de que podemos parar no tempo sem perceber: Iniciamos o século passado praticamente com uma guerra mundial deflagrada nos Balcãs e terminamos este mesmo século com uma guerra nesta mesma região, conflito que envolveu as principais potências do planeta.

A veloz tecnologia perfeitamente simbolizada pela internet que transformou em realidade os sonhos mais fantásticos, resolveu muitos problemas e criou outros, mas ao mesmo tempo, pode estar a ponto de resolvê-los. A voracidade da devastação ecológica, por exemplo, uma das facetas mais perversas do avanço tecnológico, provavelmente cutucou o vírus da Aids na selva africana, alastrando-o pelo mundo, assim como anda cutucando outros vírus... Contudo, o progresso da medicina, uma das facetas mais humanas do avanço tecnológico, já permite antever a cura da Aids, mas não chega perto da Doença de Chagas. Como poderemos entender esse paradoxo, estando nós vivendo esse tempo?

Como se vê, os historiadores do futuro irão debruçar os olhos no passado, como os historiadores do presente fazem com um passado mais longínquo ainda e, a história da humanidade perderá uma parcela da sua história, a cada perecer de um ser pensante, se este não registra seus conhecimentos ou divide seus conhecimentos cotidianamente. Penso em quantas pessoas morreram, detendo conhecimentos ainda não desvendados por outros e que faria uma grande diferença para a sociedade mundial...

Mas agora, vamos conduzir o leitor a uma viagem 'legal'? Se possível torná-la inesquecível, com dignidade da nobre tarefa de compensar o espírito de um tempo tão curto, em que o leitor nem sempre está à nossa disposição e passa os olhos rapidamente pelo texto? Por isso ao escrever é preciso usar sempre de uma linguagem mais popular, que seja para a compreensão de todos e vamos contextualizando os fatos para que facilmente tenhamos a oportunidade coletiva do "Pensar".

Estou sempre evitando falar de temas indigestos, porém não se pode perder de vista que estamos usando os blogues como uma ferramenta pioneira na transmissão do pensamento, diferentemente dos jornais que passam apenas a informação e o leitor, invariavelmente repousa os olhos, vez ou outra nas "Manchetes" - A informação se dilui nas mentes e dependendo da carga, pouco é assimilado. Nos blogues, onde o "Comentar" levam as pessoas a forçarem o raciocínio um pouco mais - ou assim deveria ser - para que formule a escrita sobre a "ideia" do que está lendo; Desse modo, passa o comentarista, a participar como a segunda 'voz' de um texto, quando é do seu interesse, acrescentando seu pensamento, sua opinião e assim, enriquecendo o ambiente virtual.

Há várias maneiras de se ler e interpretar os blogues, o ambiente virtual, o nosso ambiente real, a vida e o tempo que isto nos custa - Vamos observando o desenvolvimento do caudaloso mundo das ações e informações. Não existe assunto sem interesse - pois que em algum lugar neste universo, alguém estará pensando como você! A blogosfera anda saturada de gente repetitiva - essas que leem as notícias nos jornalões e, num copia e cola, cola no blogue, não se prestando a formar sua própria opinião sobre aquele assunto que "colou". Não queremos isto! - Que os blogues sirvam para a reflexão!

Um bis para as Blogagens Coletivas - mesmo que essas sejam criticadas por muitos - outros a admiram pela capacidade de acrescentar visões pessoais. Aos blogueiros que não se animam a manifestar suas visões pessoais e apenas copiam textos, mesmo os textos "informativos".. Sinto muito, mas você não está cumprindo o seu papel de blogueiro! Vamos tentar acrescentar informação além daquela que esteja disponível na internet? Queremos a informação que está dentro da cachola de cada um! Vamos estabelecer o diálogo, falar da realidade, do mundo fictício, relatar fatos históricos e as nossas versões artísticas da vida.

No período em que fiquei velando pela minha mãe, quando ela estava em coma, antes de falecer, fiz algumas reflexões diante de um livro - E eu não estava lendo um livro bom - eu lia "Noite na Taberna" de Álvares de Azevedo e, neste livro constam temas relacionados a morte, profanação de túmulos, violência contra a vida, temas macabros, num romantismo influenciado e negativo... Ok, a primeira vista não gostei do livro e depois entendi o porquê tornou-se obra de referência na literatura brasileira. O saldo foi bom e se pensei que ele iria atrapalhar minhas ideias - porque o ambiente real onde me encontrava também oprimia - o livro caiu do céu! Isto prova que cada um reage de maneira diferente quando recebe a informação. Os temas podem ser pequenos na aparência, mas se ajudam o olhar para dentro de nós, se tornam grandes.

Desse modo, não existem blogues pequenos, se esses nos fazem engrandecer o nosso interior, seja com sentimentos ou informações reflexivas. Até a notícia tem que ser pensada para existir em nós.

Minhas postagens refletem o meu estilo de vida e das convivências que tenho com pessoas de diversas idades, as mais velhas e as que ainda estão descobrindo a vida. Porém, em respeito aos meus amigos especialistas em blogues, deixo de tratar temas que é da "especialidade" deles, por acreditar na ética também dentro da blogosfera - Nesse quesito, contribuo de outras formas além das postagens.

Os assuntos são abordados sem predeterminação, porque eles se modificam, por choque ou pela continuidade dos acontecimentos, numa cultura de "rádio-relógio", que é "inútil" se assim quiser o leitor! Por isso, alguns temas que começo a escrever num repente, nesse mesmo repente e em uma outra oportunidade, que pode ser a anterior ao ligue para publicar, vão para a lixeira.

A História continua a acontecer e, no momento que estou aqui finalizando esse texto, algumas incógnitas passam pelas mentes mais poderosas desse planeta e eu não vou saber delas, se essas mentes não se manifestarem. Portanto, essas mentes ainda não possuem valor para mim. Quem de nós pode dizer, a essa altura dos acontecimentos, qual será o tema merecedor do artigo do ano? A nova guerra nos Balcãs, talvez? Ninguém sabe. Mas eu sei até onde posso ir dentro do espaço do meu tempo, pois apesar da aparente vitalidade do pensamento, esses devem morrer - as palavras não! Um pensamento não registrado, está fadado à morte.

E o riso das crianças no jardim ecoa no tempo e torna-se um riso zombeteiro que despreza a nossa escravização ao tempo. Zombam "o triste perder tempo" do historiador, escritor, poeta... dos homens.

Por falar em perder tempo, você tem certeza que irá reler todos esses livros que estão enclausurados em sua estante?
"A única forma de chegar ao impossível, é acreditar que é possível"
Uma aventura para todos nós!
Participe da página do evento no facebook!
Não esqueça de levar banner para o seu blogue para ajudar na divulgação!
É a blogosfera incentivando a leitura!

Assine para receber os textos do "Luz de Luma" em seu e-mail ou acompanhe pelo Facebook

42 comentários :

  1. Uma boa reflexão Luma! Gostei desses parágrafos que "exigem" mais disciplina da porte dos blogueiros, que partilhem suas próprias experiências e sensações, que não fiquem pelo copiar/colar!
    abraços
    feliz início de semana
    Angela

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A alma do blogueiro está no que ele escreve. Se ele não quer se mostrar, que não copie. Apesar de que em alguns momentos, um trecho de um livro ou um poema, podem traduzir tudo o que sentimos. Faço gosto de colar aqui ou em blogues dos amigos, poemas ou enxertos que falam do que estou pensando. Mas sempre acompanhado de uma sinalização do motivo de tal citação.

      Eliminar
  2. Procuro deixar nos meus blogues memórias da minha vida. Tempos que eu vivi, em personagens, ou imagens que personificam a época. Ou então solto a imaginação e vou por aí. Quanto aos livros ainda estou decidindo. Na verdade como já disse já não tenho muitos, e a maioria dos que tenho quero deixar para a neta. Já participei por duas vezes, mas já dei uma série deles às minhas duas sobrinhas, e à afilhada. Também dei uma colecção inteira para uma instituição de jovens. Tinha comprado para o Pedro, mas infelizmente ele nunca se interessou por livros.
    Até à data ainda decido pelo sim ou não. Se decidir farei um post como das outras vezes.
    Um abraço e uma boa semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá caríssima Luma! Ainda tenho muito a aprender e ter paciência para esta disciplina comentada. Sou muito agitado, mas, com a Bruxa, estou tentando me organizar melhor. Daí as histórias da minha história. Obrigado por me acompanhar e, espero aprender e muito contigo. Abração e boa semana!

      Eliminar
    2. Elvira, tem um dos blogues mais autênticos que conheço. Tudo ali é seu! :)

      Eliminar
    3. Tio Silão, eu aprendo todos os dias alguma coisa na blogosfera. Vamos juntos nessa empreitada em prol do pensamento coletivo!

      Eliminar
  3. Luma,
    acho legal falarmos de nós mesmo no nosso blog,
    mas nossos textos, poemas,contos , sempre levam um pouco de nós mesmo para os leitores, muitas vezes escondido através dos personagens!
    bjus
    http://www.elianedelacerda.com

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estamos nas entrelinhas que só lê quem nos acompanha a cada nova postagem. Ser seguidor é saber ler e entender o que cada postador diz.

      Eliminar
  4. Belo post, Luma! Concordo inteiramente, sobre a importância e essa característica muito pessoal e reflexiva dos blogs... e também sobre Álvares de Azevedo: não é, exatamente, uma leitura otimista ou recreativa; mas tem conteúdo! Boa semana.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Álvares de Azevedo foi um incompreendido. Essa moçada que gosta de ler livros de vampiros, sabem nada!! Pena que ele deixou uma obra pequena. "Noite na Taberna" tornou-se especial pra mim!

      Eliminar
  5. Luma, que belo post...
    Nossa, que é que te deu de ler Álvares de Azevedo num momento tão crítico da sua vida? Que livro pesado!
    Eu estou num processo de liberar muitas coisas, entre elas vários livros foram doados para bibliotecas e orfanatos. É uma ótima sensação, sentir que a vida fica mais leve.
    Bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Realmente... Não me lembro como esse livro chegou em minhas mãos, mas era o que tinha na hora. Eu estava em um hospital convento, cercada de religiosos que andavam silenciosamente, santos em oratórios e cruzes pelos quartos e corredores. Olhava tudo aquilo e a minha mãe ali inerte. Sabia que ela não iria se recuperar e passei os dias velando seu sono, dia e noite eu não dormia. Mergulhar nesse livro me fez cair na real: a morte é a coisa mais normal para acontecer, é o destino que se mostra apenas para os vivos.
      As coisas têm tempo de validade.

      Eliminar
  6. Luma, todos os altos e baixos com meu blog, a vontade que já me ocorreu de encerrar tudo, mas nào conseguia porque havia algo em mim que pedia para ser escrito, me levaram a uma importante reflexão permeada por um comentário teu deixado em um outro blog que visitamos em comum. Essa é uma importante rede social que permite a escrita, a expressão das ideias, questionamentos, trocas.
    Há blogs que me acrescentam, ensinam, outros alimentam sentimentos; nenhum indiferente. Por ora, ainda quero blogar e partilhar e trocar!
    beijo

    ResponderEliminar
  7. Luma, fiquei lisonjeada por você ter me indicado como especialista para responder a uma questão no blog da Clara. Obrigada pela lembrança! Tão bom ser especialista a respeito daquilo de que gostamos, não é mesmo? Mas acabei deixando lá registrado que concordava com sua interpretação. Que a imagem do filho é usada para valorizar a questão dos sonhos. Ainda mais que Florbela queria muito ser mãe e sofreu vários abortos espontâneos :/
    Muito apropriado este seu post. De fato o que faz a diferença num blog e nos faz voltar a ele é a alma de quem está por traz e ali revela "o quer tem na cachola". Muito bom!
    Abraço, linda semana!

    ResponderEliminar
  8. Luma...como sempre um belo texto e uma escolha excelente!
    Um blog tem de ter um pouco de nós...se não...não faz sentido a sua existência!
    O seu tem muito de si pois escreve fazendo abordagens...quase sempre pertinentes!
    Por aqui...nunca será...perder tempo...mas sim passar o tempo com excelentes leituras!
    Bj amigo

    ResponderEliminar
  9. Oi Luma, a tecnologia avança tanto que dá medo vivenciá-la e entendê-la certas horas e com ela avança a quantidade de blogs que nascem todos os dias.
    Cada um aborda um tema, ou os repetem, mas à sua maneira. Quem copia e cola apenas reproduz não cria... Particularmente não gosto e nem acho certo. Mesmo que seja uma escrita simples, um tema repetitivo, a opinião de cada um, a experiencia deve ser passada de forma no mínimo bem escrita e entendível.

    Tenho pavor, confesso, quando vejo: compartilho esse texto na íntegra. Aprendi com ferramentas de blogs que precisamos ser originais e que copiar e colar é falta de ética e em determinadas situações, crime.

    Comecei a escrever em blogs, textos bacanas, originais e diferentes do assunto de hoje, em 2000 mais ou menos. Quando percebi um texto meu copiado e colado e ainda sem autoria, avisei e mais pra frente fechei o blog. Está trancado.

    Ser original é tão bom! Mostramos nosso jeito, nosso refinamento ou nossa simplicidade e cada um ocupa seu lugar ao sol da sua maneira...

    Um beijo grande no coração!

    ResponderEliminar
  10. Ótima reflexão Luma!
    Gosto sempre de todos os teus post, e muitas vezes me encontro aqui refletindo sobre seus assuntos, enquanto comento...
    Aliás de leio, desde que tinha o meu outro blog, então já tem mais de três anos isso, e espero que estejamos por aqui por muitos mais!
    Beijos e beijos, e tenhas uma ótima semana!!!

    http://simplesmentelilly.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  11. Que texto fantástico, Luma!
    Acho que a questão do tempo (ou da falta dele rs) reflete tanto em quem produz quanto em quem lê. Muitas vezes os leitores querem informações resumidas e "mastigadas". O que desmotiva quem escreve...
    Mas eu já aprendi uma coisa, escrever com qualidade sem se preocupar muito com números e estatísticas e aproveitar o tempo em frente ao computador de forma produtiva...
    Ah! já vou correr pra minha estante pra libertar um livro enlausurado nela!
    Beijo
    www.leticiatomsik.com

    ResponderEliminar
  12. Por vezes fico achando que sou uma dessas pessoas sem noção da blogosfera , porque realmente, já gastei 7 anos de minha vida escrevendo no blogue coisas que, nem sempre, são importantes, úteis para os outros ou até mesmo interessantes mas, sou fiel a minha vontade !
    Cheguei a conclusão que não escrevo para os outros, embora devesse ...
    mas, assim sendo, posso dizer que sou livre de 'copiar-colar' , já que tento agradar é a mim.
    beijo e ótima semana ;)

    ResponderEliminar
  13. Luma, Luma... Estás a cutucar o os meus neurônios rsrsrsrs. Fiquei assustada com a morte dos meus pensamentos, penso muitoooooo e claro registro quase nada, os sonhos ficam por mais tempo, e já realizei muitoooosss e tenho alguns na fila de espera, esses não morrem.
    Tenho muito prazer em falar que o meu modesto bloguito é cem por cento autoral, até nas imagens, mas confesso que me espanta ver blogues de grande sucesso que só copia, e vejo excelentes blogues autorais com poucos seguidores, isto também ocorre muito no Facebook, numa grandeza absurda! As vezes compartilho algo que acho legal com conteúdo, e cito a origem.
    Estou escrevendo e olhando o rio, chovendo fino, vez em quando vem uma brisa e balança os sinos dos ventos, as vezes parece mesmo mágico estar tão longe de tudo, e ao tempo perto através da tecnologia.
    Seu artigo deveria ir para algum jornal escrito ou para um livro... Ano que vem farei cinquentinha, não deixa eu desencarnar sem pegar um autógrafo seu!
    Sonhe com os anjos sapecas!
    Boa noite... Bjossssss

    ResponderEliminar
  14. Luma!
    Reflexão oportuna a respeito da tecnologia, blogosfera, tempo e expressões...

    Há muitas ofertas e informações... As pessoas não querem pensar tanto nem ler, gostam de tudo "abreviado" e vejo que são poucas as que refletem hoje em dia... Mas, ser blogueiro é um desafio e tanto... E o que dizer da leitura?! Ler é um aprendizado constante e nos leva a interpretar a vida e os assuntos de uma maneira rica, consistente!

    Enfim, aproveitar bem o tempo sem pressa!
    Beijos

    ResponderEliminar
  15. Suas postagens sempre nos fazem refletir, isto é muito bom.
    Creio que devemos colocar aquilo que acreditamos que vai ajudar alguém de alguma forma, seja algo escrito por nós ou mesmo alguma mensagem de outro autor que gostamos e acreditamos que possa ser bom para quem vai ler.
    Ler o que você posta é ter a certeza que você se preocupa sempre em dar o melhor para quem vem até aqui.
    Beijos, Élys.

    ResponderEliminar
  16. Você se coloca bem, o que torna prazerosa a leitura do que escreve. Creio que temas abordados em postagens não devem ter o condão, tão somente, de noticiar algo, pois todas as informações sobre o que acontece nos chegam através de jornais e da internet. Em meu entendimento, a maioria deles merece uma avaliação pessoal. É ela que vai provocar posicionamentos outros, enriquecedores. Não somos donos da verdade e podemos até mudar nossas antigas convicções, caso nos apresentem fundamentos relevantes a ser considerados. Já observei que, em matérias polêmicas, ninguém quer deixar comentário, fato que me incomoda. O silêncio não é belo quando se discute interesses da sociedade. E o blog é um ótimo espaço para isso. Bjs.

    ResponderEliminar
  17. Olá, Luma,
    Acho impressionante essa maneira que você tem para dar uma guinada ao texto, que inicia pelas crianças no jardim, passa pela revolução tecnológica e tantos outros temas, eles também imperiosos, e vai culminar na definição e na dignidade - posso chamar assim? - de quem escreve, tomando as rédeas dum blog. Tudo isto duma maneira encantadora e frontal: disse tudo, mas, decerto, se tornasse a pegar no texto, ainda havia aí nessa sua mente fervilhante, mais o que acrescentar: amo.

    Eu podia pegar em tantas "deixas" suas, que sua postagem é prolífera e nos dá a liberdade de desenvolver daí, nosso próprio raciocínio, mas, no meio de tanta coisa importante aqui, ficou-me principalmente sua chamada de atenção, para o Homem que alcançou a lua e não conseguiu acabar com as questões raciais e religiosas: tão inteligente e capaz e tão estúpido é o Homem.
    E a mim, atormenta demais, saber que tantos já morreram a lutar por essa causa perdida e nós também iremos passar e tudo vai continuar na mesma, por mais que tentemos, a nível pessoal, que também é causa importante e justa, tentar contrariar esse facto.
    Outra frase sua que amei, pela sua verdade: "um pensamento não registrado, está fadado à morte".
    Mas, como você tão bem assinala: que seja um pensamento genuíno, uma ideia desenvolvida a partir da sua própria organização e trabalho, não um matreiro "past-copy" desprovido de alma.

    Um bjo gde

    ResponderEliminar
  18. Oi Luma
    Um texto que nos faz refletir a respeito do porque temos um blogue....
    São várias as modalidades e interesses e cada um a seu jeito ,mas o importante é que os temas os poemas, as fotografias, possam servir de estímulo para novas leituras ,novas descobertas.
    Não sou boa nisso de escrever ,de formular ideias e venho aprendendo aos pouquinhos_ seu bogue é um bom aprendizado.
    Grande abraço,Luma

    ResponderEliminar
  19. Olá minha querida!
    "A única forma de chegar ao impossível, é acreditar que é possível"
    Bela postagem amiga, ótima para refletirmos!
    Blogar não é fácil, exige criatividade, determinação, transparência e gostar do que faz.
    Eu não sou muito de escrever como vc, mas quando faço uma receita me dedico bastante e faço com muito carinho pata postar no blog.
    Você tem o dom da escrita, admiro muito, pessoas assim.
    Eu gosto de ler mas não sou de escrever, rsrs.

    Quanto ao projeto BookCrossing Blogueiro, eu posso liberar alguns gibis
    da Turma da Mônica que tenho aqui em casa ou tem que ser outro tipo de
    livro?
    É pra enviar a foto para o seu e-mail? Estou meio perdida será a minha primeira participação.

    Bjs, ótima semana! ♥

    ResponderEliminar
  20. Gosto destas reflexões sem dor e que buscam acordar nas pessoas o uso desta massa as vezes esquecida por um motivo ou outro. Outro dia li num blog sobre a relação tempo e espaço ali bem enredada. Há uma velocidade que vai além da percepção das pessoas e as informações tropeçam e se perdem nos objetivos.
    Gostei de ver como voce entrou no meu poema e ainda generosamente informou uma curiosidade sobre a origem do fado. Voce é mesmo uma antenada a serviço da melhor e perfeita blogosfera, onde podemos fazer a diferença acordando pensamentos, provocando reflexões dentro da melhor definição de compartilhamento.
    Muito bom ter voce para ler em suas elaboradas postagens.
    Carinhoso abraço sempre com minha admiração.
    Beijos de paz amiga.

    ResponderEliminar
  21. Oi Luma e foi graças a uma blogagem coletiva que conheci você e várias blogueiras. Por falar nisso, amanhã participarei de mais uma.
    Blog de cara nova.
    big beijos

    ResponderEliminar
  22. Oi Luma, respondendo sua pergunta referente as frutas ( da postagem da Literatura)
    Heitor não gosta de fruta nenhuma a não ser bananas. Estamos inventando de tudo, principalmente eu como tia, que invento frutas com carinhas, carrinho.Conto histórinhas de frutas e nada. Mas não vamos desistir.

    Amei sua postagem Luna, acredito que cada blogueiro que tenha um blog , querem fazer a diferença e mostrar algo a mais que o outro blog não mostrou.
    Mas infelizmente tem blogueiros que tem preguiça de pensar e expor suas idéias e copiam, ou simplesmente não colocam a fonte de onde tirou informação. Não estou aqui julgando, pelo contrário, temos liberdade de escrita
    Mas algo a se pensar.
    Beijos

    ResponderEliminar
  23. Luma, para quem gostar mesmo de literatura, esta tua reflexão, como outras, é obrigatória ler, atentamente, por ser muito reflexiva.
    Falas em jornais, mas destas reflexões não encontramos neles. De modo que os verdadeiros blogueiros, completam stafes de jornalistas, numa missão de cariz livre. É preciso ver a importância que estes, já tomaram nos meios informativos e literários.
    Depois os comentadores, bastantes são peças importantes no meio, porque nos permitem ir tomando consciência do valor do nosso "trabalho". Naturalmente, excluo os que escrevem um texto, a servir de cópia, destinada a servir para comentários a todos os post's do dia.
    abraços

    ResponderEliminar
  24. Bom dia Luma.
    Lhe conheço a pouco tempo, mas foi o bastante para perceber que ler cada postagem que comenta, acrescentando sempre algo valioso, a sua opinião. Muitos apenas entram no blog, sem nem ler comenta por muitos motivos, troca de comentários etc. Interagir com você é gratificante. Desculpa fugir um pouco do assunto abordado. Agora se tratando da postagem, certíssima para mim blocar é expressar seja de que assunto for a nossa opinião. Gosto muito de ler as suas postagem, sempre nós acrescentando algo e muito bem escrito. No meu caso o meu blog começou por um pouco de revolta na medicina por ela desconhecer a doença que sou portadora levando muitos pacientes a óbito e pensei vou divulgar o máximo possível, não sei quem foi mais beneficiada eu o os meus leitores portadores dessa doença, pois ate hoje tenho contato com alguns pacientes com a mesma patologia e nos ajudamos mutualmente. Fora as amizades que construí dia a dia e crescimentos tanto cultural como espiritual que adquirimos lendo sobre assunto variados, hoje o meu espaço se tornou um diário virtual com postagem que muitas vezes não traz benefícios a quem ler, ate entendiante para muitos, mas me beneficiar grandemente em colocar para fora as minhas angustias. Seu texto me fez refletir porque postamos rsrs, desculpa porque escrevi demais. Um feliz dia. Abraços.

    ResponderEliminar
  25. Oi Luma! Meu blog está parado,mas sempre que posso visito as amigas! Seu texto reflete bem seu jeito de ser: está sempre em movimento e nos faz pensar coisas que não sabíamos ser capazes, porisso gosto tanto de seu blog! bjs,

    ResponderEliminar
  26. "Um pensamento não registrado está fadado à morte". Isso acontece sempre comigo. Sou muito esquecido e uma ideia que tive acaba esquecida quando mudo o pensamento pra outro tema.
    Também acho que um blog deve expressar a opinião do autor e não apenas compartilhar o que já está difundido pela internet.
    Como você disse, o blog deve servir para reflexão.
    Chega de coisas repetitivas!
    Abraços.
    Diego,
    http://diegomorais18.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  27. Luma eu penso que como blogueiro descortinamos nossa vida dentro do nosso olhar, nos nossos anseios e possamos passar para o outro esse mundinho nosso que vive os que somados a outros tantos mundos se tornam tão preciosos.
    Eu adoro ler cada prnsamento expressso no blog e seu mundo.
    Bjos Lu assim que for possível eu vou deixar os livros e fotografar para o bookcrossing aqui no MS.
    Www.inquietacoes.com.br

    ResponderEliminar
  28. Oi Luma!
    Estou numa pausa do trabalho e aproveitei para vir ler os amigos! :)

    Luma sempre me parece quando venho aqui que escreve coisas que complementam as ideias que tenho durante o dia.

    Tenho tantas coisas para contar, mas a distância ( forçada por causa do trabalho ) da Internet faz com que a maioria do que tenho para contar no blog fique apenas no pensamento.

    Notei que gosto muito mais de ler sobre as impressões do cotidiano das pessoas e de escrever sobre as minhas. Antes eu tinha que ter uma opinião formada sobre tudo. Hoje deixo-me livre sem ter aquela necessidade de concluir opiniões sobre as coisas.

    Tal como você, gosto de ler coisas novas, do tipo originais e sem cópias. Uma das coisas que mais me fizeram deixar de frequentar o Facebook é porque, por lá, é incrível o número de opiniões formadas ( copiadas e coladas ) sobre tudo. Me parece que todo lixo virtual está sendo depositado ali. A gente tentando catar uma coisa boa de ler naquela rede social sai necessariamente, impregnada das postagens sem noção que a maioria dos contatos publica.

    Beijos!

    ResponderEliminar
  29. Amiga Luma, penso que o blogue reflecte exactamente o que somos.
    Se somos interessados e queremos aprender, discutir e opinar sobre diversos temas o blogue mostra essa nossa característica-
    Se somos mais observadores e introvertidos o blogue também o mostra.
    Portanto há para todos os gostos e por isso é que seguimos e comentamos quem está na nossa linha de pensamento.

    beijinho

    ResponderEliminar
  30. Oi Luma!

    Como sempre, post para pensar . Gosto disso. Passei para avisar que já postei a minha participação no BookCrossing Blogueiro. Beijo grande querida, boa semana cheia de feriados. Take care!

    http://bluemoon-tina.blogspot.com/2015/04/bookcrossing-blogueiro-10-edicao.html

    ResponderEliminar
  31. Há muitas histórias e História nos blogues e em livros de pequenas edições..
    Gosto de visitar blogues diversificados, pois só assim (nos) enriquecemos.
    E, como sempre, gostei imenso da postagem...
    Ah e sim, os comentários acrescentam a postagem!
    Bjuzz :)

    ResponderEliminar
  32. Oi Luma! Fico pensando se as pessoas estão mesmo interessadas em outras histórias, em reflexões...Divulguei 3 vezes o BookCrossing e ninguém se animou...aí aparecem umas tolices sem sentido ou beleza e bombam...Desanimador.
    Blogues tem que ter alma, ter milhares de seguidores, patrocinadores, publicações diárias etc e não ter identidade, para mim não tem a menor graça, nem vou perder meu tempo lendo. Por outro lado sei que não me lerão também pois o pouco que escrevo não interessa a maioria das pessoas...Já tive blog fechado e confesso que algumas vezes penso em trancar novamente, mas aí penso algo assim como vc descreveu neste texto maravilhoso sobre registro dos nossos sentimentos e histórias...E vou ficando...publicando ou deixando para rascunho ideias que vem e vão na mesma intensidade que o tempo passa...

    Quando for entregar os livros infantojuvenis eu registro, sim! Meu filho já está com 22, sempre gostou de ler, mas parou por uns tempos, este ano voltou a ler, fiquei muito feliz!

    Beijos!

    ResponderEliminar
  33. É a trama dos nossos dias formando a historia... a prmieira metade do post me fez lembrar deste site: http://newronio.espm.br/kurz-gesagt-um-canal-do-youtube-que-voce-precisa-conhecer/ | e do braincast que saiu ontem (b9.com.br/podcasts) sobre a atualizacao do jornalismo... a segunda metade me lembrou que blogue é, antes de qql rotulo, um meio de expressão particular. Com ou sem regras, copiado ou singular, é a expressão daquele mundo sobre o mundo ao seu redor, em todos os sentidos do termo... ha nao muito tempo eu até rotulava, mas creio nao ser necessario. Apenas sao, apenas somos :)... bjo!

    ResponderEliminar
  34. Tenho um chalezinho na blogosfera - não ousaria chamar de casa, pois é ainda um espaço tão pequeno. Um ano atrás recebi um convite para escrever sobre 'meu país' e achei que era minha chance de realmente dizer alguma coisa. Então as condições do convite foi mudando e parecia que eu já não podia ser eu. Por não querer virar uma parafraseadora de wiki, desisti. Voltei pro aconchego do meu simples chalezinho Far away. Afinal qual a importa de quantas pessoas te lêem ou quantas reagem as suas palavras? O que importa você poder dizer o que sente e, nesse entremeio, descobrir pessoas tão lindas que tem algo a dizer também... como você. Que bom que nos achamos :-)

    ResponderEliminar
  35. Querida Luma
    Boa reflexão! Porém, penso que muitos blogueiros sofrem de tal solidão que, o que lhes interessa mesmo é comunicar, independentemente da profundidade ou não do que expressam. Abrem-nos o coração, apesar de nem possuirem pesquisa sobre este ou aquele assunto.
    Estou a atravessar uma fase na minha vida em que me sensibilizo muito facilmente com determinadas situações que sei serem vivenciadas,só nem entendo como as pessoas conseguem aguentar tais doses de sofrimento,seja ele físico ou psicológico!
    Admiro profundamente a sua cultura e facilidade de expressão, além de seu extraordinário sentido de oportunidade.
    Obrigada por mais um texto maravilhoso.
    Um beijinho da sua admiradora
    Beatriz

    ResponderEliminar

Tenha identidade, não seja anônimo na web. Crie sua identidade virtual.

...bisbilhotaram em quietude, sem solidão

PlagSpotter - duplicate content checker tool
Licença Creative Commonsget click

Algumas coisas não têm preço


finalista the weblog awards 2005finalista the weblog awards 2006
finalista the weblog awards 2007weblogawards 2008
Verificar conteúdo duplicado

Me leve com você...

Leia o luz no seu celular

Copyright  © 2014 Luz de Luma, yes party! Todos os direitos reservados. Imagens de modelo por Luma Rosa. Publicações licenciadas por Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial- Vedada a criação de obras derivadas 2.5 Brasil License . Cópia somente com autorização.

Tem sempre alguém que não cita a fonte... fingindo ter aquilo que não é seu.

Leia mais para produzir mais!

Atenção com o que levar daqui. Preserve os direitos autorais do editor