Mulher da vida


Mulher da Vida, minha Irmã.

De todos os tempos.
De todos os povos.
De todas as latitudes.
Ela vem do fundo imemorial das idades e
carrega a carga pesada dos mais
torpes sinônimos,
apelidos e apodos:
Mulher da zona,
Mulher da rua,
Mulher perdida,
Mulher à-toa.

Mulher da Vida, minha irmã.

Pisadas, espezinhadas, ameaçadas.
Desprotegidas e exploradas.
Ignoradas da Lei, da Justiça e do Direito.
Necessárias fisiologicamente.
Indestrutíveis.
Sobreviventes.
Possuídas e infamadas sempre por
aqueles que um dia as lançaram na vida.
Marcadas. Contaminadas,
Escorchadas. Discriminadas.

Nenhum direito lhes assiste.
Nenhum estatuto ou norma as protege.
Sobrevivem como erva cativa dos caminhos,
pisadas, maltratadas e renascidas.

Flor sombria, sementeira espinhal
gerada nos viveiros da miséria, da
pobreza e do abandono,
enraizada em todos os quadrantes da Terra.

Um dia, numa cidade longínqua, essa
mulher corria perseguida pelos homens que
a tinham maculado. Aflita, ouvindo o
tropel dos perseguidores e o sibilo das pedras,
ela encontrou-se com a Justiça.

A Justiça estendeu sua destra poderosa e
lançou o repto milenar:
“Aquele que estiver sem pecado
atire a primeira pedra”.

As pedras caíram
e os cobradores deram s costas.

O Justo falou então a palavra de eqüidade:
“Ninguém te condenou, mulher...
nem eu te condeno”.

A Justiça pesou a falta pelo peso
do sacrifício e este excedeu àquela.
Vilipendiada, esmagada.
Possuída e enxovalhada,
ela é a muralha que há milênios detém
as urgências brutais do homem para que
na sociedade possam coexistir a inocência,
a castidade e a virtude.

Na fragilidade de sua carne maculada
esbarra a exigência impiedosa do macho.

Sem cobertura de leis
e sem proteção legal,
ela atravessa a vida ultrajada
e imprescindível, pisoteada, explorada,
nem a sociedade a dispensa
nem lhe reconhece direitos
nem lhe dá proteção.
E quem já alcançou o ideal dessa mulher,
que um homem a tome pela mão,
a levante, e diga: minha companheira.

Mulher da Vida, minha irmã.
No fim dos tempos.
No dia da Grande Justiça
do Grande Juiz.
Serás remida e lavada
de toda condenação.

E o juiz da Grande Justiça
a vestirá de branco em
novo batismo de purificação.
Limpará as máculas de sua vida
humilhada e sacrificada
para que a Família Humana
possa subsistir sempre,
estrutura sólida e indestrurível
da sociedade,
de todos os povos,
de todos os tempos.

Mulher da Vida, minha irmã.

Declarou-lhe Jesus: “Em verdade vos digo que publicanos e meretrizes vos precedem no Reino de Deus”.
Evangelho de São Mateus 21, ver.31.
---------------------------------------------------------
Poemas dos becos de Goiás, Global, 1983 - S.Paulo, Brasil
Poesia dedicada, por Cora Coralina, ao Ano Internacional
da Mulher em 1975.


Cora CoralinaQuero homenagear Cora Coralina nesse "Dia Internacional da Mulher". Cora na realidade chamava-se Ana Lins dos Guimarães Peixoto Bretas, foi uma menina que fez até o terceiro ano primário. Moça prendada e casadoira não perdia tempo com manuscritos e escrevia escondido desde os 14 anos. Viveu nessa casa (acima) quase que a sua vida toda e hoje esta casa é sede do Museu Cora Coralina (passeio virtual - entre na casa) tombada pela UNESCO (foto do início do post é do seu quarto).

Aos 21 anos rompeu as convenções e fugiu em um lombo de cavalo com um rapaz, um senhor 22 anos mais velho do que ela. Isso no começo do século e o amado sendo um homem separado.

Na Revolução Constitucionalista de 1932, alistou-se como enfermeira e quando enviuvou foi vendedora de livros de porta em porta, dona de pensão, comerciante de casa de retalhos, para depois montar a "Casa da Borboleta", em Andradina, onde vendia artigos variados para mulheres.

Além de ter que sustentar os filhos sozinha, subiu aos palanques para apregoar o voto na UDN (União Democrática Nacional)

Quando os filhos estavam criados, teve que voltar para sua terra para lutar pela posse da velha casa da ponte, que estava sujeita a usucapião.

Aprendeu a datilograr aos 70 anos, publicou o primeiro livro - Poemas dos Becos de Goiás e Estórias Mais - aos 75.

Fui apresentada a Cora Coralina com seu livro: "Meu livro de cordel". Estudava o assunto e não imaginava a sua enorme capacidade de fazer poemas em "cantoria", seguindo toda a tradição trovadoresca antes reservada aos seresteiros de sua terra. Ela nunca seguiu a forma rígida de se fazer trovas, mas segue as rimas num ritmo regular e espontâneo.

Cora, tanto sua poesia quanto seus contos são simples.
Tão simples, que uma vez perguntada:

"Cora quem é você?"
Assim respondeu:

"Sendo eu mais doméstica
do que intelectual,
Sou mais doceira e cozinheira
do que escritora, sendo a culinária
a mais nobre de todas as Artes:
objetiva, concreta, jamais abstrata
a que está ligada à vida e
à saúde humana".

Mulher é isso; Simples e complexa.

Cora Coralina nasceu, em 20 de agosto de 1889 e faleceu, em 10 de abril de 1985, aos 96 anos. Demorou 75 anos para realizar o seu sonho de ver um livro seu ser publicado. Morreu na casa que nasceu, na cidade de Goias, antiga cidade histórica de Goiás Velho.

Avante Mulherada! 
Nunca é tarde para realizar um sonho.
Tenham excelente
"Dia Internacional da Mulher"

Assine para receber os textos do "Luz de Luma" em seu e-mail ou acompanhe pelo Facebook

46 comentários :

  1. Verdade incontestável: nunca é tarde para se realizar um sonho.
    Não gosto de datas comemorativas mas gosto de ler sobre elas, afinal todos os dias devemos ser homenageadas, eu acho. rs
    Beijo, Luma.

    ResponderEliminar
  2. Maravilhosa Cora e tu a escolheste muito bem para homenagear nesse nosso dia! Gosto muito dela e sua história! beijos, feliz nosso dia! chica

    ResponderEliminar
  3. Que linda e tocante a homenagem que você faz através das palavras do Homem Justo e de Cora com sua casinha à beira do rio!
    O simples e o complexo cabendo na alma da mulher!
    Beijo Luma.

    ResponderEliminar
  4. Gosto MUITO de Cora Coralina. Uma mulher simples e com uma sensibilidade imensa. Uma mulher inteligente e terna. Bonita homenagem Luma querida. Feliz Dia Internacional da Mulher para ti.

    ResponderEliminar
  5. Linda escolha, como a Lúcia, tb prefiro conhecer mais a história, me curvando à simplicidade, admirando a obra que revela a autora - Cora, inigualável!
    Um abraço todos os dias pela mulher que és, Luma!

    ResponderEliminar
  6. Que lindo, Luma!
    A vida é assim mesmo, somos julgadas e condenadas se motivo, mas acho que esse julgamento primeiramente somos nós mesmas que fazemos.
    Um ótimo dia da mulher pra vc, menina!

    ResponderEliminar
  7. Adorei conhecer a história de Cora, mulher guerreira e de vanguarda em uma época abafada, reprimida e perseguida. Sua resposta sobre quem era ela, foi genial. Bjs

    ResponderEliminar
  8. Cora Coralina, simples e grande mulher!
    Sempre é tempo de viver os nossos sonhos!!
    Bonito post e bem oportuno, Luma!...
    Um abraço GRANDÃO neste domingo/08/MARÇO...

    ResponderEliminar
  9. Linda e merecida homenagem a Cora Coralina e a nós mulheres negras, brancas, pardas, índias, de todos os credos, profissões, regiões e diferentes culturas. Também não me atenho a datas comemorativas, mas esse dia (em especial) serve para lembrarmos as lutas do passado, presente e as que virão.
    Sintam-se abraçadas.

    ResponderEliminar
  10. Oi Linda
    Nos versos de Cora Coralina a exaltação à mulher tão sofrida e discriminada.
    Quem de nós nunca passou por uma situação preconceituosa. Motivos... os mais ínfimos e passionais.
    Parabéns Luma, não apenas pelo dia 08 de março mas pelos outros 364 dias em que mostra a tua fibra por serdes essencialmente MULHER
    Beijos no coração

    ResponderEliminar
  11. Amiga,
    que merecida homenagem!!!
    Cora foi uma Grande poeta, simples como as emoções da vida,
    não complicava as palavras !
    parabéns amiga querida pelo Dia da MULHER!!!!
    Amo seu blog,querida!
    bjus coração!
    http://www.elianedelacerda.com

    ResponderEliminar
  12. Oi Luma, quantas Mulheres contaram histórias até o presente dia que "comemoramos"...
    Linda escolha, Cora Coralina é um grande exemplo dessas Mulheres...
    Beijos!

    ResponderEliminar
  13. Beijo ai para você grande mulher. Um grande abraço Raquel

    ResponderEliminar
  14. Olá Luma,

    Linda e justíssima homenagem à Mulher, utilizando a vida e a obra de Cora Coralina como escolha. Adorei saber mais de magnífica Mulher e ficou comigo a vontade de explorar mais e melhor aquilo que nos legou.

    Muito gostaría que passases pelo Farol e trouxesses para aqui o selinho que elaborei para comemorarmos o nosso dia (pena que de 365/366 dias apenas um deles seja o da Mulher!...)

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  15. Uma das minhas autoras preferidas de sempre! Li e reli seu texto,riquíssimo de informação,conhecimento,um forte abraço neste dia!

    ResponderEliminar
  16. Ai,Luma, esta página está de tamborilar o coração e anuviar os olhos tamanha beleza, tamanha pujança, tamanha delicadeza; a doce e forte Cora, linda,linda em cada gesto em cada verso.Espelho admirável!

    Tive o privilégio de trocar dois dedinhos de prosa com ela, simpatia e doçura irradiada em cada cômodo da casa da ponte...saudades, que tua carinhosa e detalhada descrição me trouxe.

    Que somente homenagens assim se espraiam pelos dias das Mulheres de todo o mundo.

    Tamojunto, Lumita!
    Bjkas,
    Calu

    ResponderEliminar
  17. Oi Luma!
    A Cora entrou em nossos corações p/sempre. Foi uma mulher muito abençoada em sua sabedoria.
    Parabéns pela linda homenagem!
    Parabéns tb pelo dia de hoje (Dia Internacional da Mulher) e pelos outros 364 dias ( Dias das mulheres poderosas kkk).
    Bjssss querida e uma semana iluminada p/vcs

    ResponderEliminar
  18. Fascinante!
    Os poemas que li de Cora foram aleatórios, vistos na internet, e lembro q sempre gostei de todos que tive a oportunidade de ler.
    Ao ler a história de vida dela fiquei fascinada. Obrigada por compartilhar tamanho encanto conosco, Luma.
    Agora quero ir na casa museu.

    Que todos os dias a gente receba o que merece: RESPEITO!
    FELIZ DIA INTERNACIONAL DA MULHER! ❀ ✿ ❁ ✾

    Beijossssssss
    ┌──»ʍi૮ђα ツ

    ResponderEliminar
  19. Que linda homenagem. Amei.

    Ser mulher é ter todos os sentidos à flor da pele. É fazer nascer a esperança em qualquer palavra, em qualquer espaço, em qualquer recanto. Até nos mais difíceis. Ser mulher é ter do mundo a dádiva da vida. É encantar qualquer chão. É amor! É chama! É fogo! Ser mulher é ser maior.
    Parabens.
    Beijos

    ResponderEliminar
  20. Oi Luma! Gosto muito dos escritos de Cora Coralina e agora muito mais,que mulher corajosa!O texto sobre a mulher da vida é pra pensar,tem uma verdade muito grande aí...E parabéns pra nós mulheres!

    ResponderEliminar
  21. Luma,
    Inicia postagem com um poema que é um hino à mulher usada, desdenhada e maltratada - estranho mundo o nosso.
    E culmina numa homenagem belíssima a Cora Coralina - que eu admito que não conhecia nada disso de sua vida, que você aqui nos coloca.
    Esta semana é a segunda vez que aprendo com os blogues ;) bem bom

    um bjn amg

    ResponderEliminar
  22. Conheci o poeta na internet e foi uma revelação literária. Trouxe-me a alma numa análise profunda da vida.
    Excelente postagem.

    Beijinho

    ResponderEliminar
  23. Luma, admiro Cora e me identifico muito com ela pelas coisas da terra... E agora vi outra coisa, não conheci sua arrara de roupas, a minha é maior pouca coisa rsrsrsrsrs. Roupas de frio e social ficam numa mala que raramento uso e os excessos sempre doou.
    Os poemas dela sempre marcam em dizer o essencial na simplicidade da alma honesta. Adoroooooooo.
    Uma ótima semana para vc!
    Bjusssssssss.

    ResponderEliminar
  24. Obrigada, Luma!
    Indo dormir me sentindo homenageada, amora! Que doçura...ai,ai...

    ResponderEliminar
  25. Oi Luma!

    Cora é exemplo presente - um presente literalmente. Testemunho vivido de que não podemos jamais desistir - viver é preciso. Lindo post, obrigada po dividir.

    Feliz "nosso dia" querida, boa semana!

    ResponderEliminar
  26. Luma,
    Amo Cora Coralina! Vc escolheu uma pessoa simples e sabia para comemorar o dia de hoje!
    Excelente post!
    Não sei se a vida é curta ou longa para nós, mas sei que nada do que vivemos tem sentido, se não tocarmos o coração das pessoas.
    Cora Coralina
    Bjs e uma linda noite!!!

    ResponderEliminar
  27. Que linda homenagem, Luma. Aliás, uma homenagem dupla. Tanto Cora quanto todas as mulheres merecem. Que texto maravilhoso o escolhido por vc. E ela era uma pessoa ímpar mesmo. Bjs e boa semana!

    ResponderEliminar
  28. Oi Luma,

    Bom dia!
    Bela homenagem.

    Tive o prazer de passar um fim de semana em Goiás Velho, e pude desfrutar de toda esta atmosfera que envolve a cidade de Cora.

    É claro que ainda hoje a cidade é um feudo dos conservadores coronéis ruralistas... Então, dá para entender perfeitamente a aproximação dela com a UDN.
    A Cora poetisa tem toda a minha admiração, é claro.

    Confesso que fiquei mais de duas horas dentro da casa, que é pequena para os padrões de hoje, e depois admirei o rio que passa ao lado, e vi as pedrinhas que a inspirou a escrever o poema “Aninha e suas Pedrinhas”.

    Enfim, Cora é única. Cora, é Cora!
    Beijo.

    Ah, obrigada pelo comentário lá no Travessia.
    Valeu!

    ResponderEliminar
  29. Oi Luma, bom dia!!!
    Escolha perfeita pela Cora para representar a todas nós mulheres, sinto-me honrada!
    Muito aprendi com o seu post! Parabéns!!!
    Muito obrigada pelo comentário deixado em virtude do aniversário do meu blog! Analisando a minha vida, de lá pra cá foi um progresso e tanto, rsrs. Obrigada por acompanhar o Vivendo, é uma honra!
    Grande beijo e boa semana! =)

    Vivendo e Aprendendo
    Fotos e Prosas

    ResponderEliminar
  30. Luma depois de uma prolongada ausência onde o redemoinho veio não deixando pedra sobre pedra, mas ao mesmo tempo sendo uma excelente arma para esmerilhar um bocadinho esta minha alma tão imperfeita, eu estou tentando arrumar um tempinho para aqui retornar devagarinho, pois tempo para mim ainda não tenho, quero de agradecer esta maravilhosa postagem, com um poema tão humano, tão perfeito que nos faz sentir o sentimento da grande poetisa ao cria-lo, não digo uma grande mulher, mas sim, um grande ser humano, digna de assim ser chamada, beijos e milhões de aplausos, Luconi

    ResponderEliminar
  31. Luma, mandou muito bem na escolha! Adorei saber mais um pouco da Cora. Que mulher à frente de seu tempo. Que mulher guerreira e vencedora! Ela foi, é e sempre será um grande nome a ser lembrado!

    Um abraço.
    Ótima semana.


    Blog || FanPage

    ResponderEliminar
  32. Que vida inspiradora! Eu já tinha lido esse nome em citações, mas o nome pareceu-me tão fictício que nem pensei que realmente se associasse a alguém. Obrigada :)
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  33. Luma, quantas mulheres julgadas por sua condição na vida, querem apenas ser felizes.. .E quem somos nós para atirar a primeira pedra...quem?

    Ouvimos o nome Cora Coralina, compartilhamos poemas dela, ou supostamente dela e não nos damos conta, nem conhecemos a grande mulher que foi..

    Passeando por sua casa, sua vida simples, deu vontade de estar ali, de ter um quintal como aquele, de ter vivido perto dela....

    Uma beleza imensa em toda a simplicidade de Cora Coralina!

    Emocionante!

    Um beijo Luma!

    ResponderEliminar
  34. Merecida homenagem, Luma; a Cora, realmente, merece todo o reconhecimento. Não só ela, aliás, mas todas as mulheres; cada uma é especial, a seu modo. Belo post, boa semana!

    ResponderEliminar
  35. Oi, Luminha,

    Post super bacana, parabéns! Sou fã da Cora Coralina e tenho obras dela, inclusive um livro de culinária. Sabe que um dos grandes arrependimentos que tenho na vida foi o de não ter peitado o meu pai, numa ocasião em que eu pretendia ir conhecer a poeta e ele proibiu? Eu havia declarado a dois amigos que me juntaria a eles, na viagem que fariam à casa dela, em Goiás Velho. Na última hora, acatei a proibição de meu pai. Eles foram e estiveram com ela e eu perdi a oportunidade!

    Um beijo!

    ResponderEliminar
  36. Oi Luma! O início da sua postagem me lembrou a canção de Chico Buarque: Geni e o Zepelim. E com Cora Coralina, você fecha o post com chave de ouro! Mulher criativa, afetiva e de uma percepção crítica brilhante, iluminada. Beijo! Renata

    ResponderEliminar
  37. Como sempre tudo que escreves é tão lindo e cheio de vida amiga Luma!!! Que linda homenagem, que cheguei a me emocionar aqui...
    Parabéns pelo post!!!
    Bjus mil
    E tenhas uma linda semana!!!

    http://simplesmentelilly.blogspot.com.br

    ResponderEliminar
  38. Mudando um pouquinho de assunto, te dei um selinho de presente, confere no blog:
    http://procurandoamigosvirtuais.blogspot.com.br/2015/03/selos-tags-e-memes-selo-blog-fofo.html

    ResponderEliminar
  39. Olá Luma,
    Amo a poesia da Cora Coralina. Consegue dizer coisas sérias com simples versos.
    Big Beijos
    Lulu on the Sky

    ResponderEliminar
  40. Que postagem linda e gostosa de ler, rica em ilustração da alma humana e do comportamento dos que se julgam além de Deus,a cima das leis.
    Mulher é isso, é mais do que as tarjas postas.
    Em Cora se perpetua a força da simplicidade, a vontade do querer e ser.
    Homenagem linda Luma que vem de grandes mulheres. Você e Cora.
    Uma semana que espero esteja boa e bela.
    Carinhoso abraço mineiro de flor.
    Bju

    ResponderEliminar
  41. Olá, boa noite!
    Já que nada sei desse objecto de que me fala , digo-lhe que vai haver um eclipse de Sol.
    Infelizmente não será visto por vocês (à hora do eclipse é de noite no Brasil).
    Por cá, será visto como parcial. Mas vale a pena estar atenta a blogs daí que devem mostrar filme do evento.
    Os meus cumprimentos!

    ResponderEliminar
  42. Luma,

    Um grande exemplo de mulher.
    Nunca é tarde pra realizar um sonho. Creio nisso, e vou chegar lá.
    O post mais lindo que já li, sobre a grandeza de uma mulher.
    Abraços

    ResponderEliminar
  43. Olá querida Luma!
    Cora Coralina, mulher sábia, admirável, simples e grande poetisa.
    Linda postagem, você sempre tem ótimas escolhas!
    Parabéns!

    Bjs, sucessos sempre! ♥

    ResponderEliminar
  44. Obg pela partilha. Adorei ler, Luma!
    (Ando atrasada nas visitas devido a compromissos literários, mas sempre volto...)
    Bjuzz :)

    ResponderEliminar
  45. Uma frase de Cora é o suficiente para mergulhar fundo em um oceano de emoções. Amo. Linda homenagem. Beijos.

    ResponderEliminar
  46. Querida Luma
    Não há dúvida de que querer é poder!
    Com o seu Post,mostrou-nos um belo exemplo.
    Obrigada.
    Um beijinho
    Beatriz

    ResponderEliminar

Tenha identidade, não seja anônimo na web. Crie sua identidade virtual.

...bisbilhotaram em quietude, sem solidão

PlagSpotter - duplicate content checker tool
Licença Creative Commonsget click

Algumas coisas não têm preço


finalista the weblog awards 2005finalista the weblog awards 2006
finalista the weblog awards 2007weblogawards 2008
Verificar conteúdo duplicado

Me leve com você...

Leia o luz no seu celular

Copyright  © 2014 Luz de Luma, yes party! Todos os direitos reservados. Imagens de modelo por Luma Rosa. Publicações licenciadas por Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial- Vedada a criação de obras derivadas 2.5 Brasil License . Cópia somente com autorização.

Tem sempre alguém que não cita a fonte... fingindo ter aquilo que não é seu.

Leia mais para produzir mais!

Atenção com o que levar daqui. Preserve os direitos autorais do editor