Esse mundo de meu bem escafedeu-se

"...Mas se é espantoso pensar como tanta coisa sumiu, tantos guarda-roupas e camas e mucamas tantas e tantas saias, anáguas, sapatos dos mais variados modelos arrastados pelo ar junto com as nuvens, a isso responde a manhã que com suas muitas e azuis velocidades segue em frente alegre e sem memória..." Ferreira Gullar, Poema Sujo - fragmento de "Velocidades".
A seguir, transcrevo um texto que escrevi ainda criança, entrando na pré-adolescência. Não reparem a imaturidade do texto, eu tinha uma visão egoísta do que seria paz. Criava o meu mundo particular. Em contraponto, penso que, se os grandes líderes das nações, se lembrassem que um dia foram crianças, cheias de esperanças e amor pelas pessoas, as guerras seriam apenas lembranças amargas de um tempo ruim... 

A Casa Branca


a casa branca
A casa branca tem as janelas de madeira também de cores brancas, que são encaixadas em molduras que terminam em cima com um bonito desenho geométrico.

A fachada é de beleza antiga. É assim que eu a conheço desde que nasci.


Tem dois andares e duas portas: uma para o primeiro andar e a outra um pouco longe do chão, com escadinhas.

a casa branca
Se parece com uma moça acanhada que olha a vida deixando o tempo passar.

A casa Branca olha para a praça logo à sua frente e pensa ser a praça o seu jardim da frente. Não presta atenção aquela rua estreita que os separa.


Gosto de sentar ali defronte para ela e pensar nas pessoas que passam. Apanho sol e observo a minha casa. Eu amo a minha casa. Também me contento em ficar contemplando aquela casa branca que tanto amo.

a casa branca
Sonhei um dia que ela estava pegando fogo. Se fosse vermelha, amaria ela do mesmo modo, porque gosto de tudo que está dentro dela. Não me importo com sua aparência, mas se está bonita, melhor ainda!

Gente entrou, gente saiu e gente olhou pela janela. Eu subi várias vezes em seu telhado. Segurei na antena e vi o "mundo perdido" - Aquele que minha mãe sempre diz "Esse mundo tá perdido!"

Já me perdi admirando os seus pormenores e o que da sua fachada me pudesse revelar. Estudei as cortinas com desenhos recortados pelas bordadeiras. As cortinas balançam com o vento e me senti lá dentro, em seu interior. Fui percorrida por uma agradável sensação de que sou feliz.

Daqui onde estou sentada no banco da praça, ouço o movimento das águas no lago, consigo sentir paz também. A paz é branca como a minha casa.

*As crianças foram fotografadas por Heide Benser

“Trouxe o canto
Não é claro, mãe
Mas tem os pássaros certos
Para seguir a queda dos dias
Entre o meu tempo e o teu.”
Ana Paula Ribeiro Tavares

Assine para receber os textos do "Luz de Luma" em seu e-mail ou acompanhe pelo Facebook

62 comentários :

  1. Lindo escrito, já aí se encontrava a habilidade na escrita. O olhar da criança que vê o mundo em sua simplicidade e pureza.
    bjs

    ResponderEliminar
  2. Lindo!

    A maturidade acrescenta muito, mas tira um pouco desse olhar terno de paz, mas sempre haverá os que conseguem retornar.

    Abraços.

    ResponderEliminar
  3. Oi Luma! Sua sensibilidade é antiga e dá gosto de ler. Sua mãe tem razão, "esse mundo tá perdido", poucos são iluminados. Eu tenho andado em choque com a falta de humanidade. Beijo! Renata

    ResponderEliminar
  4. Desde cedo escrevias bem assim! Adorei te ler e ver tua casa branca e paz! bjs,chica

    ResponderEliminar
  5. que coisa gostosa, essa simplicidade é bom , na correria do dia a dia faz bem ao coração .
    beijooo!

    ResponderEliminar
  6. Muito legal, Luma... Pensamentos, sentimentos e talentos na escrita desde cedo!!
    Haja PAZ nos corações!

    Bom fim de semana... Beijos

    ResponderEliminar
  7. Vc brinca lindamente com as palavras desde cedo, Luma. O texto revela o olhar inocente, mas já atento. Coisa boa conhecer vc um pouco mais, sob o olhar primaveril da vida... gostei imenso!
    Um abraço terno, querida!

    ResponderEliminar
  8. Oi Luma,
    Me senti flutuando pela casa branca num tour sendo guiada pela pré-adolescente Luma que serviu genialmente de cicerone.
    Pena que a Paz não é comercializada, como queria o Olivetto, em supermercados. Era ótimo ingrediente a ser ingerido logo pela manhã, e ao longo do dia com um bocadinho de açúcar.
    Um fim de semana recheado da Cultura da Paz por ai!
    Bjks.

    ResponderEliminar
  9. Que amor Luma.. quanta sensibilidade, quanto carisma nesse texto... Imagine a adolescente sentada e vendo as cortinas balançando... Muito singelo...
    E sua vocação para escrever ficou, ainda com sensibilidade porém com muita maturidade...

    Mas é uma delicia ver essas palavras ternas e ingênuas...

    Foi bom ter reparado! :)

    Gostei da comparação do mundo perdido da mãe...

    Parabéns pelo texto... Não deixe morrer nunca a sensibilidade.. ela é linda de se ver..

    Viva a casa branca e sua cortina que faz sonhar...

    Beijos e feliz sábado!

    ResponderEliminar
  10. Intrinsecamente uma poetisa! :-)

    ResponderEliminar
  11. Oi Luma,
    Desde criança sua intimidade com as palavras é formidável...
    'A paz é branca como a minha casa', esta é uma definição poética e delicada que só uma criança consegue ter.
    O texto é sensivelmente belo.
    Bjs \o/

    ResponderEliminar
  12. Luma!!! Ao final estava arrepiada e emocionada, que encanto de texto! Confirma a visão que sempre tive de ti, a de uma pessoa que teve uma infância cercada de amor e segurança. A paz á branca. Paz é o que encontramos naquilo que chama-se lar, o que nem sempre existe em uma casa. O lar é a casa do coração. Um abraço!

    ResponderEliminar
  13. Pois é LUMA, depois você cresceu e descobriu a existência de uma outra Casa Branca da qual você não se sentiria tão à vontade,quanto ficava na sua,sentada ali defronte para ela,pensando nas pessoas que passavam.

    Nesta outra Casa Branca Luma,se passasse uma mãe africana,levando no colo uma criança, ambas com irremediáveis distrofias pluricarenciais nutritivas, com os ossos espetando a pele e os olhos pulando das órbitas,tentando entrar naquela porta,seria barrada e repatriada para o inferno da qual ambos vieram.

    Naquela outra Casa Branca,se ficasse admirando as pessoas que passavam, lembraria da frase sábia de sua mãe:" Esse mundo tá perdido!"

    Verdade Luma,escafedeu-se e ninguém mais liga em pensar,refletir e lutar por tanta coisa que tem sumido, além de tantos guarda-roupas e camas e mucamas,tantas saias e anáguas...

    Sumiu também grande fatia da solidariedade humana.

    Sumiu também a motivação de vermos que, todos os seres humanos merecem respeito e apareceria para você e bem claro que é exatamente dentro daquela Casa Branca que, estrategistas e industriais das guerras militares, investem bilhões de dólares em armas que matam com uma precisão cirúrgica,àqueles que pensam diferente dos moradores daquela Casa!

    Luma,o mundo ficou muito mais sujo,com ou sem poema,com ou sem sua visão-menina encantada com aquela sua linda e inesquecível Casa Branca e com absoluta certeza,a paz não é mais branca como você supunha.

    Tudo mudou muito Luma,e a cor preferida dos pacifistas,moradores daquela outra Casa Branca é o vermelho,do sangue de tantos inocentes!

    Desculpe se trouxe para as recordações de sua linda Casa Branca,uma reflexão pouco poética como prefeririam você menina e Ferreira Gullar.

    Você cresceu Luma!

    Quer que eu minta?

    Um abração carioca e obrigado por esta postagem riquíssima de conteúdos latentes e manifestos.

    ResponderEliminar
  14. Já escrevias tão bem nessa tua fase da pré adolescência.
    Adorei o texto e a visão que tinhas da casa branca.
    Luma, tem um bom fim de semana.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  15. Já tão aprumadinha na forma de estar e de pensar!
    Também adorei a casa branca...
    bjs

    ResponderEliminar
  16. Oi Luma!
    A pessoa já nasce com dom e você não negou isto. Já escrevia maravilhosamente bem. Um encanto... e pena que agora tudo mudou. O mundo está perdido mesmo.

    Beijos

    ResponderEliminar
  17. Luma,
    Tambem concordo com vc, as pessoas quando crescem se esquecem que um dia foram crianças e que eram puros e sem maldade Podiam pensar como antes, não teriamos guerras mesmo.
    Adorei o texto, fofo!!
    Beijos
    Adriana

    ResponderEliminar
  18. Pode ser imaturo, com você diz, mas o texto é lindo! E lindo esse apego a imagens do passado, principalmente da infância. Também não esqueço a minha casa da infância, que tinha um gato (o nosso gato) que namorava no telhado... Abraços.

    ResponderEliminar
  19. Já escrevia bem desde cedo... beijinhos

    ResponderEliminar
  20. Que linda forma poética de escrever você já tinha com tão tenra idade!
    A impressão que temos atualmente é que está tudo sumindo, até mesmo as crianças, inocentes, sendo mortas em guerras sujas, em pleno século XXI.
    um abraço carioca

    ResponderEliminar
  21. Oi querida,
    Que jeitinho lindo sua escrita, eu na sua idade nem pensava em escrever, queria só brincar e ir à escola na "marra". Vivia só com livros de matemática na mão. Era péssima em português. Depois comecei a ler e melhorei um pouquinho.
    Você já nasceu com o dom de escrever o que lhe trouxe essa facilidade e beleza de escrita.
    Parabéns
    Você é um gênio( Hoje tem fantasma no meu blog.kkk)

    ResponderEliminar
  22. Lindo texto, eu também sou muito apegada às imagens da minha infância, gostaria que o mundo de hj (sexXXI) fosse melhor para todos, com menos violência, vingança, falta de Amor!
    bjus
    http://www.elianedelacerda.com

    ResponderEliminar
  23. Adoro Ferreira Gular sempre.

    Belos seus escritos
    de ainda criança.
    Passa no Espelhando que
    completa 4 anos no ar.

    Lindo domingo.
    Bjins
    CatiahoAlc./ReflexodAlma

    ResponderEliminar
  24. Escrevendo bem desde tenra idade. Retratar aquilo que temos e queremos, mas as coisas mudam tanto!
    Acredita que outro dia fui procurar uma anágua, porque comprei uma peça super fina e sem o devido forro e suei pra encontrar e mais, morria de vergonha de perguntar nas lojas, se tinha ou não! As coisas mudaram mesmo! Obrigada pelas palavras de incentivo lá. Procurando levar adiante.

    ResponderEliminar
  25. Teu terno olhar é nato, Luma, e já na meninice despertava translúcido por cada detalhe, cada passagem, coisas caras ao coração duma menina sensível que transbordava nas palavras suas tenras percepções da casa branca tão querida, interiores e exteriores.
    Dulcíssimas lembranças duma paz tão significativa.
    Tomara que "Ela" alcance o mundo todo.
    Bjos saudosos.
    Calu

    ResponderEliminar
  26. Luma, minha querida!
    Eu bem sabia que tudo isso que vem de vc e dança extraordinariamente pelo meu monitor não poderia ter aparecido assim, do nada!
    Não vem de um hj, de um de repente... é mto mais profundo e nato... puxa vida!

    É, vc tem razão: se os líderes se lembrassem, quem sabe assim repensariam seus atos, não é msm?
    Mas quer saber de uma coisa?
    Se cada um deles pudessem receber o texto dessa menina incrível que vc foi ( e hj é uma mulher maravilhosa!), certamente, tbm, repensariam os seus atos!!!

    Bjs e que vc tenha uma semana abençoada! Maravilhosa - tal qual vc é!!!

    ResponderEliminar
  27. Ai Luma,vc já era genial! Uma beleza de texto com riqueza de detalhes e a crítica certa aos que se negam a enxergar a paz debaixo de seus narizes. Bjs e ótima semana pra vc,

    ResponderEliminar
  28. Gostei de teu texto Luma, acho que todos desejamos a paz, ela rima com a cor branca, com nossa casa onde estamos em paz e tranquilo, e com a natureza que sempre me devolve aquela paz interior quando por alguma razão eu a perco...

    ResponderEliminar
  29. Escrevendo bem desde sempre, né.
    Amei a metáfora da casa com a paz, e não achei imaturo, pelo contrário, achei sincero, doce e sutil. Bonito.

    http://www.novaperspectiva.com/

    ResponderEliminar
  30. Oi, Luma!
    Um texto literário, sem dúvida, e belíssimo! Estava nas veias, hein?
    As crianças realmente sentem algo profundo com seu lar, seja ele como for. É a paz em ser cuidado por uma família, é pertencimento. Revela o quanto uma criança necessita estar inserida num contexto familiar saudável, mesmo que a casa branca não tenha assim tanto charme...

    Bjs

    ResponderEliminar
  31. Vamos deixar o planeta branco....
    Lindo, beijo Lisette.

    ResponderEliminar
  32. Gostei da Casa branca que traz a paz branca...

    Só para esclarecer, a Bela não é a ex do Bêbado. Ela apenas lembrou ele da que morreu. rsss

    Já foi publicado a última parte.

    Bjs

    ResponderEliminar
  33. OI LUMA!
    EM TUA VISÃO INOCENTE DE CRIANÇA, TINHAS UMA PERCEPÇÃO AMPLA DO MUNDO, NO QUAL NÃO SÓ TE INSERIA COMO DELE INTEGRANTE, MAS, COMO ALGUÉM QUE O VISUALIZAVA EM SUA AMPLITUDE, DE FORA PARA DENTRO.
    JÁ TINHAS O DOM DA ESCRITA, VÊ-SE.
    ABRÇS
    http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  34. Oi Luma! :)

    Eu costumo dizer que ver a beleza dos cães requer talento, ainda mas quando voce esta no universo da criação dos cães de raça, voce tem que ter talento mesmo!
    É assim que é, cada pessoa tem seu talento na vida e, para isso que nascemos. Voce tem seu talento e, por sorte, sabe como expressá-lo.
    Beijos e boa semana !

    ResponderEliminar
  35. Emudeci com tanta delicaza...
    Não, não escafedeu-se.
    Sofreu maravilhosas mutações.
    Beijão Luma.

    ResponderEliminar
  36. Bom dia, Luma!
    Vc já tinha o dom da escrita desde cedo.
    E a pureza na visão acredito que devia nos acompanhar a vida toda. Toda guerra é idiota, pura busca de poder. As crianças, em sua pureza não fazem distinção, não acumulam, precisam de "muito pouco" para serem feliz.
    As fotos estão lindas, transmitem paz.
    Abração e ótima semana.

    ResponderEliminar
  37. Lindo texto Luma.Vc escreve daquele jeito que nos faz querer saber o fim da história. Lembrei da minha mãe que também dizia que o mundo estava perdido. Imagine se ela visse o mundo agora. Beijos
    Joana

    ResponderEliminar
  38. É maravilhoso ler seus textos. Fico aqui silenciosamente a lê-los e muita
    vez a sorrir com o que leio.
    Desejo que se encontre bem.
    Bj.
    Irene Albes

    ResponderEliminar
  39. Eu não te elogio a toa. Ficaria aqui horas e horas lendo a casa branca se houvessem mais páginas. Lindo demais! tens a escrita na alma! Meu abraço enorme!

    ResponderEliminar
  40. Desde criança já desapontava um escritora.
    beijinhos e boa semana.
    http://eueminhasplantinhas.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  41. Luma, o texto é lindo, a paz é branca e a casa é a paz. Não achei tão imaturo assim, nem egoista. talvez por ser eu ainda imatura e cultivar o egoismo dos olhos de ver. O fato é que gostei muito. Beijos.
    Parabéns pelo prêmio da Denise! Beijos!

    ResponderEliminar
  42. Paz não vende armamento e não gira a economia, né? Para estas pessoas, paz é só um escudo para um comercio "moralmente alternativo", mas extremamente rentável. Mas também não deixa de ser um "conceito egoísta" como seus olhos alcançavam à epoca [utilizando o pressuposto de que o que um imagina do que significa paz seja maior e/ou melhor do que outro pensa acerca do mesmo tema]... o texto é bacana :)... beijo!

    ResponderEliminar
  43. Branco me remete a cor da paz.
    Como você é uma de nossas leitoras, convido para responder a nossa nova pesquisa de público e ajudar nas melhorias do blog. Conto com sua participação.
    Big Beijos

    ResponderEliminar
  44. Oi, Luminha,

    Que texto mais fofo! E já era tão compreensível e correto que eu nem diria que foi escrito por uma criança, caso você não tivesse dito, rsrs. Eu também acho que a paz é branca.

    Um beijo e boa semana

    ResponderEliminar
  45. Que sua semana seja abençoada
    e repleta de realização.
    Um caminho florido para você caminhar
    em paz é tudo que desejo para você.
    Tenho estado um pouco ausente mais
    nada fará com que eu esqueça seu carinho.
    Um abraço com muito carinho.
    Evanir.

    ResponderEliminar
  46. Texto maravilhoso no meu ponto de vista a casa branca significa a paz que existe dentro de você, semana abençoada para você e família.
    Blog: http://arrasandonobatomvermelho.blogspot.com.br
    Canal de youtube: http://www.youtube.com/NekitaReis

    ResponderEliminar
  47. Luma!
    Grata pela preciosa visita!
    Amei teu texto. Já demonstrava o teu talento, viu?
    Eu tenho guardado alguma coisa que escrevi quando pequena. Inclusive, olha só a pretensão, letras de músicas. kkkkk
    Um beijo com carinho!!!!

    ResponderEliminar
  48. Tá explicado pq escreve tão bem. Vem desde pequena. E a parte mais bonita to texto é justamente o finalzinho, comparando a brancura da casa com a brancura da paz. Muito bom, Luma. bj

    ResponderEliminar
  49. Vc escreve muito bem, desde pequena... um talento maravilhoso! Quem dera eu conseguisse usar as palavras tão bem. Parabéns! Beijos!!

    ResponderEliminar
  50. A visão de uma criança é encantadora.
    Ela habita ainda seu ser?.
    Belo texto. Bj

    ResponderEliminar
  51. Oi Luma, muito boa colocação e paralelo sobre o ontem visto da janela do hoje.
    Se você pensar em tudo que escafedeu-se... É um alento para nossos corações lembrar que um dia também simples e puros não é mesmo? Adorei sua visita viu?! bjs no coração yvone

    ResponderEliminar
  52. Seu talento para a escrita começou bem cedo.

    Que pena ser outra a Casa Branca que se tornou dona do mundo e tudo sujeita , pela força, aos seus interesses.

    beijinhos, minha linda

    ResponderEliminar
  53. Luma, o talento da escrita, o dom das palavras lhe persegue desde a mais tenra infância! rsrs

    Fiquei encantada com a maturidade, como você desenvolveu bem o tema e tudo sob o olhar atento e pueril!
    Lindo e delicado: delicadeza vem de berço, com certeza!!

    Beijos e maravilhosa semana!! ♥

    ResponderEliminar
  54. Palavras gentis podem ser curtas e fáceis de falar, mas seus ecos são verdadeiramente infinitos.
    (Madre Tereza de Calcutá)
    Obrigada pela visita carinhosa!!!
    Beijos Marie.

    ResponderEliminar
  55. não achei que o texto passava uma visão egoísta de paz. está muito bem escrito para uma criança. eu gostei da simplicidade. a comparação da casa com a menina, e da paz com a cor branca da casa.

    ResponderEliminar
  56. Uma criança pode escrever assim? Achei incrível esse texto. Não achei que tenha egoísmo em relação a paz, só era seu modo de pensar.
    Beijos
    Dezesseis de Volta | Fan Page

    ResponderEliminar
  57. Minha querida, olá!

    Tem uma PREMIAÇÃO ESPECIAL guardadinha pra vc lá no Meu Doce Lar!
    Espero que goste!

    http://meudocelarbykarinfilgueira.blogspot.com.br/2014/08/premiacao-carinhosa-meu-novo.html

    Bjs!
    Deus abençoe!

    ResponderEliminar
  58. Creio que todos temos o desejo de paz como algo natural, que nasce com a gente. Infelizmente, muitas vezes somos preparados para odiar, para achar que o homem negro é inferior ao homem branco, que matar 400 crianças palestinas é certo, que homossexuais devem ser aniquilados. E assim caminha a humanidade. Claro, muitos não se deixam envenenar. Felizmente! Parabéns pela criança que ainda habita em seu íntimo.

    Abraços,

    Flavio

    ResponderEliminar
  59. Não acho imaturo, mas puro e inocente.. parabéns!
    Bj e fk c Deus.
    Nana
    procurandoamigosvirtuais.blogspot.com.br

    ResponderEliminar
  60. Querida Luma
    A sua habilidade para a escrita já vem desde a adolescência! Muitos parabéns.Um texto maravilhoso!
    Paz era a tranquilidade em que vivíamos(e ainda vivemos).Pense naqueles que estão em casa e,de repente,ela fica desfeita por um míssil ou algo parecido!E o pior não é a destruição da casa...é a das VIDAS.
    Um abraço
    Beatriz

    ResponderEliminar
  61. Uau Luma, que texto lindo! Desde pequena você já era muito habilidosa com as palavras!!!
    bjssss

    ResponderEliminar

Tenha identidade, não seja anônimo na web. Crie sua identidade virtual.

...bisbilhotaram em quietude, sem solidão

PlagSpotter - duplicate content checker tool
Licença Creative Commonsget click

Algumas coisas não têm preço


finalista the weblog awards 2005finalista the weblog awards 2006
finalista the weblog awards 2007weblogawards 2008
Verificar conteúdo duplicado

Me leve com você...

Leia o luz no seu celular

Copyright  © 2014 Luz de Luma, yes party! Todos os direitos reservados. Imagens de modelo por Luma Rosa. Publicações licenciadas por Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial- Vedada a criação de obras derivadas 2.5 Brasil License . Cópia somente com autorização.

Tem sempre alguém que não cita a fonte... fingindo ter aquilo que não é seu.

Leia mais para produzir mais!

Atenção com o que levar daqui. Preserve os direitos autorais do editor