Vem aí uma nova geração de crianças maluquetes

Luz de Luma, Yes party!O espetáculo é familiar a qualquer brasileiro que vive numa grande cidade: nas ruas mais sombrias dos subúrbios ou mesmo no centro, garotos sentados no meio-fio, com o rosto enfiado num saco, cheirando cola à luz do dia. A cola de sapateiro produz um barato parecido com o do Valium. É fácil de ser comprada e provoca dependência por pouco tempo de uso. Se o garoto ficar sem, vem a fissura e todos nós sabemos o que fará para renovar o estoque. Aquele seu antigo relógio, por sinal, deve ter sido cheirado por uma turma inteira, não faz muito tempo. Mas, enfim, você passa de carro, com os vidros fechados, presencia a cena e sente-se subitamente feliz ao imaginar seus filhos em casa, vendo TV, brincando com o vídeo-game ou dedicando-se a alguma outra asneira, mas a salvo de tais tentações.
Não faz muito tempo Do, comentou em seu blogue sobre um rapaz que estava cheirando cola nas ruas, um rapaz bonito e bem vestido, possivelmente os pais pensavam que ele pudesse estar em um lugar seguro. Estudando, trabalhando, passeando, conversando com amigos...não importa. Os pais sempre são os últimos a tomarem conhecimento dos conflitos por que passam os seus filhos. Você pode achar que seu filho lhe conta tudo, mas a droga faz esconder tudo.

Algo do gênero pode estar acontecendo debaixo das usas ingênuas barbas. Ouro dia, um importante telejornal mostrou em horário nobre o que muitos jovens brasileiros fazem em casa enquanto seus pais estão fora: Cheiram éter, esmalte, acetona, tinta, aguarrás, benzina, gasolina, liquid paper, fluído de isqueiro etc. Tudo isso dá um barato equivalente ao da cola de sapateiro e os moleques não precisam sair para comprar. É só abrir um armário.

Luz de Luma, Yes party!Alguém que assistia comigo ao telejornal, fez tsc, tsc: “Mas como passam uma matéria dessas num horário em que milhões de crianças vêem televisão? Agora que sabem disso, muitas vão querer experimentar”

Tive que tranqüiliza-la: “Isso não é novidade para elas. A matéria se dirige aos pais, que são uns patetas e não enxergam um palmo diante do nariz. Muito menos do nariz do filho”

Fala-se muito em maconha, cocaína, crack, tanta droga que já nem sei mais e com razão. Há uma enorme quantidade de brasileiros empenhados em envelhecer o mais depressa possível e, se possível, nem chegar ao fim dos seus dias, pelo uso dessas porcarias.

Estatisticamente, as drogas mais consumidas por elas são, em primeiro lugar, disparado, o álcool; e em segundo, os inalantes. Álcool e inalantes são legais, no sentido de que podem ser comprados legalmente, e seu uso não diminui nem um pouco por causa disso. O que explica, aliás, o que motiva os defensores da legalização da maconha, pois de todas essas drogas a maconha é a que menos consequência traz para a saúde como um todo. 

Luz de Luma, Yes party!Mas, agora, outro tipo de droga, corrrendo por fora, periga chegar em terceiro lugar: os antidepressivos. Cada vez mais crianças tratam seus “medos” com prozac, rivotril e drogas do gênero.

Pelo jeito, como o mercado adulto está saturado, os fabricantes estão se voltando para os jovens, com a indispensável cumplicidade dos psiquiatras. Ninguém sabe direito o efeito dos antidepressivos sobre um organismo em formação, mas sabe-se muito bem o que eles fazem com um organismos já formados: tornam as pessoas incapazes de funcionar sem eles. Se vier toda uma nova de geração de crianças maluquetes, você já sabe a quem culpar.

Mas se você cuida bem das crianças que vivem ao seu redor, então, aproveite o seu senso crítico e se divirta com a desgraça alheia.

Republicando: Esse texto foi originalmente escrito e publicado em 25/01/06 às 00:47, horário de Brasilia.

Assine para receber os textos desse blogue em seu e-mail ou acompanhar pelo Facebook

37 comentários :

  1. Atualissimo este post em Luma.
    Filhos nao contam tudo para os pais - mas eles sempre acham que estão no controle. Até vir uma prisão por porte de entorpecentes, etc.
    Duro e muito triste. Eu já fico maluca em pensar em ter um filho ponderando estas coisas.
    Por outro lado, pais educados tem filhos educados, e eu espero mesmo fazer parte desse time. Poque ja vi muitos pais que na hora da primeira birra do pimpolho, aceitam tudo para nao "criar atrito" ou deixar o filho traumatizado.
    Bjos

    ResponderEliminar
  2. Luma, já passei da fase de preocupação com filhos crianças e adolescente, permanece agora e para todo o sempre a preocupação com filhos adultos. "No meu tempo" de mãe de filhos adolescentes, sempre tive essa consciência : filho esconde informações dos pais. Dito e feito. Se você pai e mãe não tiver coragem suficiente e precisa de mta coragem, enfrentar o medo terrível de "encontrar" alguma coisa, e principalmente encarar o preconceito de que terapia é coisa para criança problema, estará correndo um sério risco de ter muitos problemas com seus filhos.

    ResponderEliminar
  3. Um texto de 2006?
    Parece que passou ontem no jornal...
    Tenho medo da fome famigerada da indústria farmacêutica e ela encontrou um filão perfeito - adolescentes e jovens. Nunca antes nos deparamos com tantas síndromes.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  4. Tudo isso que li acima é fruto da falta de amor... mas até todos sabem. Mas, na prática a falta de tempo para cuidar dos filhos dá nisso... a justificativa social aceita é que os pais "precisam " trabalhar. Será que vale a pena?
    Beijos Luma...sempre com temas excelentes que estão acima do tempo linear.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Corrigindo: mas até AÍ ...todos sabem....

      Eliminar
  5. Puxa, que atual e lindo! Verdades puras nele! Temos que tentar educar com amor e saber deles sempre e mesmo assim, uma ovelhinha pode se desgarrar do rebanho...bjs,chica

    ResponderEliminar
  6. E eu nao sei? Fui daquelas que não contou...Perigo danado. E os pais, realmente sem noção. Pelo menos dá um pouco mais de experiencia de vida. Outro dia, um deusnosacuda, a filha de uns , 14 anos, em coma alcoolica. Tá, depois do hospital, terapia pelamordedeus. Filho de rico ainda pode se dar a esse luxo. Então se dê, que não é luxo não. Quem está tomando ritalina e outras, de canudinho são as crianças das classes menos abastadas, Que se tem qualquer problema mais frequente na escola: pode ser brincalhão, pode ser desatento, pode nao estar entendendo nada por que sem algum problema de ouvido mais sofisticado, que ninguém quer saber. Refere a um psiquiatra, começa na droga. E vai até pra classe especial. Tomara que a especial seja melhor. Senão vai ficar só na nova cola. ( Perdi a ginastica, snif, Agora esperando o rodizio passar.) Bjosss

    ResponderEliminar
  7. Luma, a gente vê muitos pais que se esforçam, que dão duro, que mantem a presença, que são acolhedores, e os filhos cometem essas "gafes"...
    E a gente se pergunta: o por quê?
    De qualquer forma, eu penso que o mundo moderno está cada vez mais atrapalhando nossas crianças e as deixando maluquetes.

    Com minha ignorância e falando de forma leiga, acho que para melhorar isso tudo ou acabar com as drogas (até antidepressivos) é preciso uma vida mais voltada para a ausência da tecnologia, das permissividades, da ausência dos pais que muitas vezes precisam se ausentar...

    Não tem jeito... acho que éramos mais felizes quando subiamos em arvores, brincavamos com minhocas e faziamos comidinhas de terra... e claro, puxando a sardinha pro meu lado, quando soltavamos bolhinhas de sabão com canudo de mamão...

    É o que penso... a vontade é de correr de tudo isso aqui e virar maluquetes mas com uma outra vida... natureza, familia, e amor!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. * a gente se pergunta por quê

      Beijos mil! Desejo boa semana a vocês.. Fique com Deus

      Eliminar
  8. Luma,
    Como não tenho filhos nunca imagino que essas coisas de drogas dentro de casa seja algo tão comum. Fico pensando como que pais com filhos pequenos e adolescentes tentem sugar toda essas informações sobre drogas e fiquem tão atentos aos filhos. Porque é mesmo, os pais são os últimos a verem e saberem de algo sobre os filhos. :(
    Beijos
    Adriana

    ResponderEliminar
  9. Luma, eu não tive problemas com meus filhos, graças a Deus. Desde pequenos eu aconselhava e mostrava o perigo, dizia que era como se eles estivessem na beira de um abismo e caberia a eles se atirarem ou não. Nenhum se atirou. Mas tenho uma amiga que teve problemas com drogas com o filho por muitos anos e acompanhei o sofrimento de todos ao redor. Hoje, depois de muito tempo, ele encontrou o caminho certo na religião.
    Está a cada dia mais difícil criar os filhos.
    Bjim, cosquirídia

    ResponderEliminar
  10. Preocupante...Desagregação familiar e falta de Deus causa tudo isto...

    Beijão

    ResponderEliminar
  11. De 2006, mas atualizadíssimo.
    Pais sempre precisaram ficar de olhos realmente abertos, mas parece que a maioria faz questão de fechá-los.
    Me preocupo com as crianças de modo geral.
    Estou na fase aqui com um adolescente e um pré, mas há momentos que penso que vou pirar por causa dessas malditas drogas.
    É difícil, mas a gente consegue.
    Xeros

    ResponderEliminar
  12. Temos mesmo que cuidar desse tipo de divulgação, pois, o medo de se aproximar dos filhos está dando mais medo que outra coisa.
    A consciência humana só lembre de punir e não de prevenir, e a prevenção realmente começa em casa. Isso temos que admitir, apesar da arrogância adquirida pelos jovens adolescentes (se acham poderosos) temos que sentar e chamar para a responsabilizar de que estão chegando a fase adulta.
    Bravo pela matéria.
    Abraço

    ResponderEliminar
  13. "Essa geração não quer "sonhar"... (sonhar no sentido de realizar-se como pessoa não no sentindo de viajar num mundo surreal) na realiade as crianças de hoje são filhos de "chocadeira", apenas mais um ovo posto no ninho da vida... como tudo feito sem planejamento com muitas facilidade para as coisas do mal. (Drogas e remêdios, onde os laborátórios capitalistas exigem o consumo). A maiora dos jovens andam perdidos, sem herois, sem ideais, sem religião, e sem uma boa educação, São criados para o consumo, para obedecerem leis ou se rebelarem contra elas. Por trás de tudo isso existe sempre alguém lucrando... será que não sabemos ou fingimos não saber. Um belo texto Luma, mas não nos esqueçamos que esse mundo "bizarro" foi criado pelo poder das drogas e do capitalismo selvagem e fazem parte de seu próprio genocidio, como forma de sobrevivência do sistema.

    ResponderEliminar
  14. Ler uma coisa dessas dá um tapa com luva de pelica na nossa cara. Pra acordar e ver que o perigo está mais perto do que pensamos...


    beiJUs
    http://feiffercereja.blogspot.com.br/2013/03/boicote-aos-ovos-de-pascoa-absurdamente.html

    ResponderEliminar
  15. Oi Luma,
    Parece que a depressão e a ansiedade estão chegando cada vez mais cedo na vida de crianças e adolescentes, então os antidepressivos viraram bala...
    Alguns efeitos colaterais iniciais podem até ser contornados, mas a logo prazo, a história é outra.
    P.S.: De fato esse texto parece ter sido escrito ontem e não há 8 anos.
    Bjs!

    ResponderEliminar
  16. O final da vida desses dependentes de drogas,pode ser previsto com mais de 70% de acerto. Nesse domingo que passou (9) , uma jovem amiga de infância dos meus filhos, (36 anos) foi encontrada morta na piscina da chácara dos avós. Namorou um viciado em cocaína. O pai dela suicidou-se há 4 anos! Desculpa da família "depressão". A vida hoje, parece ter atingido o mais baixo patamar de valorização! A capacidade de nos indignarmos, reagirmos e mudarmos essa dura realidade, parece inatingível! Que Deus nos ajude! Beijos, Luma!

    ResponderEliminar
  17. Amiga, a realidade que reporta é menos visível aqui, o que não significa que não exista. Que é imensamente assustadora, é.
    Gostei muito do seu texto, principalmente da sua vertente profilática, pois mais vale prevenir ...

    Muito obrigada pelo comentário carinhoso, pela sua companhia, pelo precioso tempo que me oferece.
    Muito obrigada mesmo.

    Beijo da Nina











    ResponderEliminar
  18. Um texto que de tão real...até dói.
    Nunca, mas nunca mesmo "me divirto com a desgraça alheia" porque "no melhor pano cai a nódoa e ou todos temos telhados de vidro".
    Fez ontem 36 anos que o meu irmão João morreu. Os meus pais, principalmente o me pai que tanto criticava os filhos dos outros...só deu que o meu irmão fumava liamba (a droga da época e ainda em Angola) quando o levei ao grupo que se juntava na praia da Ilha do Sol...e além de trazer o meu irmão em estado critico, trouxe o meu pai que perdeu a fala.
    Excelente mecânico, excelente filho...mas não deixava de se drogar e fazer das suas à revelia dos pais. Só comigo é que falava e ouvia-me e vezes sem conta, por informações clandestinas que me davam - olha hoje vai haver rusga, etc, etc) ia buscá-lo ao "grupelho" porque a PIDE (política de Salazar) se os apanhasse limpava-os a todos! Conseguiram abolir as drogas? Jamais!
    Fui obrigada a deixar a minha terra e nunca mais o vi.
    Obrigado a integrar a tropa após a independência, surgiu uma lei: quem fosse apanhado drogado ou a traficar era morto. Deixou por completo. Passados 4 anos e ainda militar morreu estupidamente num acidente de moto.
    Com toda esta escola de vida o meu pai passou a ser menos critico, a ver que é um flagelo sobretudo para as famílias, que por mais avisos os filhos ou os filhos dos outros não nos ouvem...e portanto há que saber é dar as ferramentas desde pequeno - mostrando, desligar a tv e falar, debater - porque quando pomos os filhos no mundo passam a ser de toda a sociedade, sociedade com tudo de bom e mau e no meu entender os que fazem o que relatas está na sua génese e quando se apercebem não conseguem sair. Posso ser cruel, mas a culpa é dos próprios e jamais das famílias directas...porque uns têm tudo(até demais) e entram e outros sem nada, entram à mesma!
    Tenho aqui no prédio dois jovens trintões (andei com eles ao colo) que por volta dos seus 10/12 anos entraram na cavalgada do mundo das drogas e destroçaram a sua família, mas mãe que é mãe...defende o seu filho e dá tudo o que pode e até o que não pode e sou testemunha disso, embora a sociedade tenha sempre remédio para os problemas dos filhos dos outros...mas quando acontece com os próprios...pois!!!!

    Havia um psiquiatra meu amigo que me dizia muitas vezes: o meu filho é tudo BOM, mas juntos são TODOS uma cambada de macacos.

    Luma não é fácil, mas apenas e tão só culpo os telejornais com notícias bombásticas, mas culpo os pais que poderiam gravar e ouvir quando adormecerem...porque "ser curioso" faz parte do crescimento dos jovens! E quando ficam sozinhos? Pois é...hoje um pivete de 6 anos já tem telemóvel, já tem isto e mais aquilo...e não há na cabeça dos pais um limite para tudo ou é apenas e tão só porque o menino quer porque o amigo tem?

    Para mim...a prevenção seria a melhor via...mas pelo menos por cá...falham em todas as frentes, como falham os centros de acolhimento de jovens em risco, os de apoio à vitima por violência doméstica etc, etc. e é nisso e ou contra isso que devemos ser mais combativos e não meter a cabeça na areia.

    Ficaria aqui por mais tempo...mas há que dar ESPAÇO às crianças...há que saber dizer NÃO... há que IMPÕR REGRAS... há que os INFORMAR...e se fizermos tudo, podemos não impedir de...mas ficamos de consciência TRANQUILA!

    A geração dos 60 o que foi? Alcool, drogas e rock-and-roll e dessa geração foram todos "maluquetes"?

    Beijos sempre atentos a TUDO E A TODOS

    ResponderEliminar
  19. É difícil se divertir com a desgraça alheia Luma e é muito preocupante o destino de cada criança nesse País.
    Lamentável .
    Um texto esclarecedor que todo pai devia ler!
    um abraço Luma

    ResponderEliminar
  20. Liquid Paper? Sério?
    Cheirar Liquid Paper deve ser muito ridículo.
    Acho que a minha mãe está certa, em casa os armários nunca ficaram trancados. Quer beber? Bebe. Pode encher a cara.
    Ninguém nunca precisou fazer nada escondido aqui em casa. Aliás, eu nem sei que efeito tem esse tal de Valium.
    Bjs.

    ResponderEliminar
  21. Faz algum tempo que escrevi um texto sobre este assunto, em que abordo a minha preocupação de pai; uma vizinha me encontrou na esquina, disse ter lido o texto, e me pediu: se você souber algo de meu filho me conte.

    Algum tempo depois, me perguntou, se eu sabia que o filho dela estava agindo e sendo homossexual. Eu respondi: sim! Sabia. Muitos sabem. E ela indagou assim: mas porque você não me avisou? Era pra você me avisar.

    Então disse-lhe: você pediu para eu avisar se eu soubesse de uso de drogas, homossexualidade, não é uma droga! Não neste sentido!

    Confundir uma coisa com outra assim, só mesmo... deixa pra lá!

    ResponderEliminar
  22. Foi no chão da escola que me deparei pela primeira vez com esta realidade ao perceber que uns dois alunos pediam sempre para usar o álcool na limpeza do quadro e se demoravam demais na tarefa.Fui sutilmente assumindo a função e alertei a coordenação que chamou a mãe para conversar.Não acredito que tenha surtido muito efeito diante da realidade daquelas crianças que passavam parte do dia por sua própria conta e risco.Realidade brasileira cada vez mais nua e crua.
    Assusta, mas alerta saber-se sobre a quantidade lícita de entorpecentes, porque ocorre conforme vc declarou, a completa ignorância dos pais acerca de muitas delas e se estão sendo usadas para esse fim.
    Este admirável mundo novo é pra lá de assustador.Não dá para fazermos como avestruzes.
    "...É preciso estar atento e forte..."
    Bjos,
    Calu

    ResponderEliminar
  23. Querida Luma
    Acho absolutamente impossivel que alguem consiga divertir-se com a desgraça alheia...Ou nao estarei certa?!...
    A televisao ,que tanto ensina, tambem da ideias muito«malucas», capazes de transformar pessoas em «maluquetes». Pode ate estar com a convicçao de que ajuda os pais ,mas na verdade, ao mesmo tempo que o faz, prejudica os filhos.
    Vivemos uns tempos muito conturbados, em que certas geraçoes, mal informadas,mas com dinheiro, «tudo» proporcionam aos filhos, sem se preocuparem com as consequencias nefastas, porque nem eles proprios tem consciencia das mesmas.
    Que tristeza vermos geraçoes «desperdiçadas»...
    Parabens pela actualidade do seu texto e pelo seu alcance.
    Beijinhos
    Beatriz

    ResponderEliminar
  24. Oi querida Luma,
    hoje ao receber um comentário da Adri me deu saudade de visitar vocês.
    Espero que esteja tudo ótimo de saúde aí em sua casa. Nós vamos ótimas.
    No ano novo passei por cá mas os comentários estavam sendo direcionados para o facebook, salvo o erro, e acabei não deixando carinho porque não tenho facebook.
    Li sua matéria sobre "cheirar cola". Por aqui isso não é comum, não. Mas se calhar sou apenas eu que estou desatualizada. Creio que aqui, o hábito é fumar chamon ou então tomar umas pastilhas que nem sei do que são.
    Os pais têm de estar sempre alerta, concordo!
    Beijos.
    Rute

    ResponderEliminar
  25. Luma, é lamentável o que presenciamos nesses dias... Um problemão e vejo mesmo como consequencia familiar! Falta de amor, atenção, estrutura emocional e de princípios sólidos/firmes... Um problema complexo e muito real! A sociedade precisa de altos investimentos na educação, cultura e economia.

    Texto muito bom! Bjs

    ResponderEliminar
  26. Putz, cheirar liquid paper pra mim é novidade. Acho que concordo com a pessoa que mt criança acabou de aprender isso na tv, pois tanto a arte imita a vida quanto a vida imita a arte. Basta a Carolina Dieckman usar uma pulseirinha sei lá com pingente de bArata na novela para na semana seguinte milhoes de pessoas estarem usando tb. E criança então é bem mais sensível e aberta a novidades. É preciso ter cuidado com o que elas assistem.

    ResponderEliminar
  27. Um texto bem atual e necessário, As drogas vem causando muitos transtornos. Uma tristeza!...
    Beijos.

    ResponderEliminar
  28. Como dizem, é mais fácil reparar no jardim do vizinho, né!
    Dentro de casa, as pessoas preferem conversar via wi-fi ultimamente. Diálogo? Raridade, infelizmente.
    Bjs, Luma

    P.S.: As músicas japonesas não são tristes como aparentam... hihihi! Tenho muito rock doido e animado por aqui, Luma! Mas entendi o que vc quis dizer!
    ^^

    ResponderEliminar
  29. Luma,infelizmente um retrato fiel da realidade brasileira e no mundo todo! Um tema que me dá muito medo do futuro. bjs,

    ResponderEliminar
  30. Estou bem por dentro desta problemática, Luma. Enquanto professora, também exerci funções de professora tutora. E a verdade é que os jovens/pessoas em geral conhecem bem os danos. Uma tristeza, esta consciência de auto-destruição. O grupo (e outros factores) parecem ser donos e senhores...
    Bjo

    ResponderEliminar
  31. Pura vdd nossa e o pior é que muitos estão desapercebidos affff..gostei de como terminou o post.

    ResponderEliminar
  32. Olá Luma
    Texto importante para a sociedade. Precisamos cuidar dos nossos filhos, ensinando a Palavra de Deus desde a infância, pois aqueles que tem a mente de Cristo são felizes e vencem as tentações. Bjs querida gostei muito do seu blog.

    ResponderEliminar
  33. Luminha, super atual este texto. Cada vez que leio isso dou graças a Deus que filha e sobrinhos nem fumar ( considerado charme na minha época ) fumam.

    Por outro lado lembro ( perdi uma ex-aluna recentemente ) de todos os fatores que levam às drogas.

    Sobre antidepressivos eu ingeri muitos. Não preciso deles agora. O que precisava era conversar. Marido e filha não são de conversa e a conversa faltou para mim. Falava com as paredes e me sufocava cada vez mais.

    Hoje quando preciso conversar corro para a casa dos meus irmãos e alivia um pouco. O ruim é que nem sempre as pessoas compreendem o mundo da forma como compreendemos, aí fica mais difícil.

    Beijos!

    ResponderEliminar
  34. Oieee Lumaaaa, que triste sociedade, o Mundo está feioooo, estamos cercados por drogas e não se ouve falar muito sobre o assunto, sabe eu tive um namorado na juventude, e fiquei desesperada quando descobri que ele usava maconha, ele disse que eu se eu falasse para os pais dele, terminaria comigo, mas minha decisão já estava tomada, e sentei com a mãe dele e contei e para minha surpresa , ela e a família toda sabiam e pior ela disse o seguinte pra mim: ah isto é coisa da idade logo passa! ele é jovem! Enfim, eu não aguentei o tranco sozinha, queria muito ajudar, mas sozinha não dava! Já se passaram 15 anos e ele continua com problemas com drogas, o que eu vejo que as pessoas não levam à sério, acho que as pessoas já se acostumaram com este novo mundo louco, porque ninguém faz nada :( , bora continuar tampando o sol com a peneira que é mais fácil né, eu confesso que tenho muito medo, já que a causa maior das tragédias hoje sempre tem droga envolvida! Parabéns por abordar este assunto! Ah o óleo de cocô da receita, você pode comprar ele ainda sólido e derreter no microondas, tem dele líquido também, e tomar uma colher de sopa dele por dia, ajuda emagrecer hihihi, beijinhos

    ResponderEliminar
  35. Olá Luma ! Texto super importante para nós mães e difícil de falar ,mas é a realidade . E não adianta correr , essas coisas tem em cidades pequenas também . ( Deus ) oração .
    beijos querida
    voutandoasermenina.blogsport.com.br

    ResponderEliminar

Tenha identidade, não seja anônimo na web. Crie sua identidade virtual.

...bisbilhotaram em quietude, sem solidão

PlagSpotter - duplicate content checker tool
Licença Creative Commonsget click

Algumas coisas não têm preço


finalista the weblog awards 2005finalista the weblog awards 2006
finalista the weblog awards 2007weblogawards 2008
Verificar conteúdo duplicado

Me leve com você...

Leia o luz no seu celular

Copyright  © 2014 Luz de Luma, yes party! Todos os direitos reservados. Imagens de modelo por Luma Rosa. Publicações licenciadas por Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial- Vedada a criação de obras derivadas 2.5 Brasil License . Cópia somente com autorização.

Tem sempre alguém que não cita a fonte... fingindo ter aquilo que não é seu.

Leia mais para produzir mais!

Atenção com o que levar daqui. Preserve os direitos autorais do editor