Tempo de delicadeza

No post anterior, o Jens lembrou-me de Rimbaud e sua célebre poesia "Da mais alta torre" com destaque "Por delicadeza Perdi minha vida". Como uma escolha certa sempre leva à outra:
Luz de Luma, Yes party!

"Sei que as pessoas estão pulando na jugular uma das outras.

Sei que viver está cada vez mais dificultoso.

Mas talvez por isso mesmo ou, talvez, devido a esse mês azulzinho, a esse outono fora e dentro de mim, o fato é que o tema da delicadeza começou a se infiltrar, digamos, delicadamente nesta crônica, varando os tiroteios, os seqüestros, as palavras ásperas e os gestos grosseiros que ocorrem nas esquinas da televisão e do cinema com a vida.

Talvez devesse lançar um manifesto pela delicadeza.

Drummond dizia:

"Sejamos pornográficos, docemente pornográficos". Parece que aceitaram exageradamente seu convite, e a coisa acabou em "grosseiramente pornográficos". Por isso, é necessário reverter poeticamente a situação e com Vinícius de Morais ou Rubem Braga dizer em tom de elegia ipanemense:

Meus amigos, meus irmãos, sejamos delicados, urgentemente delicados. Com a delicadeza de São Francisco, se pudermos. Com a delicadeza rija de Gandhi, se quisermos.

Já a delicadeza guerrilheira de Guevara era, convenhamos, discutível. Mas mesmo ele, que andou fuzilando pessoas por aí, também andou dizendo: "Endurecer, sem jamais perder a ternura".

Essa é a contradição do ser humano. Vejam o nosso sedutor e exemplar Vinícius, que há 20 anos nos deixou, delicadamente. Era um profissional da delicadeza. Naquela sua pungente "Elegia ao primeiro amigo" nos dizia:

"Mato com delicadeza. Faço chorar delicadamente. E me deleito. Inventei o carinho dos pés; minha alma áspera de menino de ilha pousa com delicadeza sobre um corpo de adúltera.

Na verdade, sou um homem de muitas mulheres, e com todas delicado e atento. Se me entediam, abandono-as delicadamente, despreendendo-me delas com uma doçura de água.

Se as quero, sou delicadíssimo; tudo em mim. Deprende esse fluido que as envolve de maneira irremissível. Sou um meigo energúmeno. Até hoje só bati numa mulher. Mas com singular delicadeza. Não sou bom. Nem mau: sou delicado. Preciso ser delicado porque dentro de mim mora um ser feroz e fraticida como um lobo"

Esta aí: porque somos ferozes precisamos ser delicados. Os que não puderem ser puramente delicados, que o sejam ferozmente delicados.

Houve um tempo em que se era delicado. E houve um tempo em que, citando poetas, até se citava Rimbaud. Esse Rimbaud que Paulo Hecker Filho acabou de retraduzir no livro Só poema bom e o Leandro Konder reinventou numa moderna trama policial em "A morte de Rimbaud".

Pois aquele Rimbaud, que aos 17 anos já tinha feito sua obra poética, é quem disse um dia: "Por delicadeza, eu perdi minha vida."

Intrigante isso.

Há pessoas que perdem lugar na fila, por delicadeza. Outras, até o emprego. Há as que perdem o amor por amorosa delicadeza. Sim, há casos de pessoas que até perderam a vida, por pura delicadeza. Não é certamente o caso de Rimbaud, que se meteu em crimes e contrabandos na África. O que ele perdeu foi a poesia. E isso é igualmente grave.

Confesso que buscando programas de televisão para escapar da opressão cotidiana, volta e meia acabo dando em filmes ingleses do século passado. Mais que as verdes paisagens, que o elegante guarda-roupa, fico ali é escutando palavras educadíssimas e gestos elegantemente nobres. Não é que entre as personagens não haja as pérfidas, as perversas. Mas os ingleses têm uma maneira tão suave, tão fina de serem cruéis, que parece um privilégio sofrer nas mãos deles.

Tudo é questão de estilo.

Aquele detestável Bukovski, sendo abominável, no entanto, num poema delicado dizia que gostava dos gatos, porque os gatos tinham estilo. É isso. É necessário, com certa presteza, recuperar o estilo felino da delicadeza.

A delicadeza não é só uma categoria ética. Alguém deveria lançar um manifesto apregoando que a delicadeza é uma categoria estética.

Ah, quem nos dera a delicadeza pueril de algumas árias de Mozart. A delicadeza luminosa dos quadros dos pintores flamengos, de um Vermeer, por exemplo. A delicadeza repousante das garrafas nas naturezas mortas de Morandi. Na verdade, carecemos da delicadeza dos adágios.

Vivemos numa época em que nos filmes americanos os amantes se amam violentamente, e em vez de sussurrarem "I love you" arremetem um virótico "Fuck you".

Sei que alguém vai dizer que com delicadeza não se tira um MST - com sua foice e fúria - dos prédios ocupados. Mas quem poderá negar que o poder tem sido igualmente indelicado com os pobres deste país há 500 anos?

Penso nos grandes delicados da história. Deveriam começar a fazer filmes, encenar peças sobre os memoráveis delicados. Vejam o Marechal Rondon. Militar e, no entanto, como se fora um místico oriental, cunhou aquela expressão que pautou seu contato com os índios brasileiros: "Morrer se preciso for, matar nunca".

A historiadora Denise Bernuzzi de Sant'Anna anda fazendo entre nós o elogio da lentidão, denunciando a ferocidade da cultura da velocidade. É bom pensar nisso. Pela pressa de viver as pessoas estão esquecendo de viver. Estão todos apressadíssimos indo a lugar nenhum.

Curioso. A delicadeza tem a ver com a lentidão. A violência tem a ver com a velocidade. E outro dia topei com um livro, A descoberta da lentidão, no qual Sten Nadolny faz a biografia do navegador John Franklin, que vivia pesquisando o Pólo Norte. Era lento em aprender as coisas na escola, mas quando aprendia algo o fazia com mais profundidade que os demais.

Sei que vão dizer: "A burocracia, o trânsito, os salários, a polícia, as injustiças, a corrupção e o governo não nos deixam ser delicados."

- E eu não sei?

Mas de novo vos digo: sejamos delicados. E, se necessário for, cruelmente delicados.

(Affonso Romano de Sant'Anna)

O post "Tempo de delicadeza" apareceu primeiro em "Luz de Luma, yes party!".

100 comentários :

  1. Oi Luma
    Perfeito o teu texto,lindo e só me trouxe uma frase na cabeça:
    Gentileza gera gentileza
    E nesse mundo de hoje é praticamente um ato insano e extinto ser gentil, mas a esperança é a ultima que sempre morre em meu mundo

    Ameiiii
    Bjs
    Debby :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Debby!
      O texto é do Affonso Romano de Sant'Anna e eu o trouxe na sequência do texto anterior em que o Jens citou Rimbaud e sua célebre poesia. Um poeta que todos deveriam conhecer! Se não todos, pelo menos os poetas!
      :)
      Beijus,

      Eliminar
  2. A delicadeza é uma das virtudes das mais raras, procuro por ela desde que me entendo por gente! Lembro de uma vez ter dito a minha mãe quando adolescente: não quero saia jens, quero roupas delicadas!!!! Hoje quero palavras delicadas, gestos delicados, desejos delicados, conquistas delicadas... Mas parece que o mundo não quer pessoas delicadas, exige dureza Luma, vivemos dias de grosseria, de aperto, de medo, é melhor usar saia jens do que aquele vestido de renda tão lindo que rasgaria no primeiro solavanco do ônibus... uma pena...

    Adorei o texto em cada linha, a forma como me fez pensar, a forma como me identifiquei com o olhar do autor... Obrigada por compartilhar!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Pandora!
      Eu tenho escutado a vida toda sobre elegância e delicadeza, de como o mundo se torna melhor quando as pessoas respeitam as outras.
      Não sei se o mundo exige tanta dureza. A gentileza quebra qualquer gelo, basta insistir. Os truculentos precisam ver o outro lado da vida! :)
      Adorei o seu comentário, Jaci!!
      Beijus,

      Eliminar
  3. Como já disse a leitora Debby, nesse mundo a esperança é a última que morre.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Humberto!
      Sem ela, a vida fica amarga!!
      :D
      Beijus,

      Eliminar
  4. Luma:
    O melhor post que li desde que entrei na blogosfera.
    Meus aplausos e PARABÉNS!
    Assim como sou defensora ferozmente (rsrsrsrs) delicada dos animais, também defendo e pratico a gentileza no meu dia-a-dia.
    Aliás meu lema é gentileza gera bem-estar, dá leveza a alma e me deixa satisfeita em ter a convicção que minha parte, eu estou fazendo.
    Bjs.:
    Sil
    http://meusdevaneiosescritos.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Silvana!
      Obrigada, mas os méritos são do Affonso Romano de Sant'Anna e do Jens que fez-me lembrar desse texto.
      Vamos fazer cada um a nossa parte!
      Não deixemos que os selvagens infestem o mundo!
      Beijus,

      Eliminar
    2. Luma:
      Eu já tinha visto que a autoria do texto não é sua, mas mesmo assim você continua merecendo meus aplausos, por ter compartilhado essa pérola.
      Inclusive eu fiz um post a respeito do seu blog lá no meu, convidando meus amigos pra virem conhecer e visitar seu blog.
      Se quiser conferir, deixo aqui o link =
      http://meusdevaneiosescritos.blogspot.com.br/2013/10/conteudo-nota-10.html
      Boa semana.
      Bjs.:
      Sil

      Eliminar
    3. Oi, Silvana!!
      Que delícia abrir o bloguinho e ter uma boa notícia!!
      Vou lá ver!!
      Desde já, obrigada!!
      + beijus,

      Eliminar
  5. Luma,

    Que post maravilhoso! Gostoso de ler e refletir.
    Eu carrego essa bandeira comigo. Procuro usar de gentileza e delicadeza em tudo que faço. Muitas vezes, é necessário ser dura, até nas delicadezas. Não sou perfeita, sou humana e erro muito, mas que meus erros sejam delicados.

    Luma,

    Recebi o livro, e já está aqui na NZ, comigo. Ainda não li tudo, mas já percebi a grandeza do conteúdo. Comentei sobre ele em meu post anterior.

    Você perguntou antes de minha viagem; como seria reabastecido o comedouro dos pássaros. O jardineiro veio uma vez por semana, e reabasteceu quando necessário.

    Com o blog reformado, vou responder as perguntas lá mesmo.

    Beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Lucinha!
      O mundo anda tão bruto que muitos estranham quando são tratados com delicadeza, mas a gente insiste! :)
      Vou procurar pelo post, Lucinha! Achei até que não estava postando ainda por causa do retorno das férias, colocar a vida em ordem... espero que goste e que lhe seja útil!!
      Ah, tem alguém que ficou ajudando... Que ótimo!
      Bom saber que vai responder no bloguito, pois assim procuro pelas respostas quando lá chegar!
      Seja bem-vinda de volta das férias!
      Beijus,

      Eliminar
  6. Gentileza sempre faz bem e dá bons frutos! Tento ser sempre gentil e te digo, encontro cada mal educado que não responde à uma cumprimento,etc... Mas, cada um dá o que tem!! beijos praianos,chica

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade, Chica!
      Quando cheguei no Rio estranhei a falta de delicadeza das pessoas. Principalmente uma falsa intimidade e intromissão da conversa, mas agora compreendi que faz parte da "alegria" do carioca. Enfim, prefiro isso do que cara amarrada :)
      Beijus,

      Eliminar
  7. Eu viajei em simultâneo por entre suas palavras e minhas lembranças Luma querida. Foi incrível perceber o endurecimento da vida lá fora... como artérias entupidas pela gordura de palavras e gestos rudes.... à beira de um colapso mortal está a vida! Concordo com o levantar da bandeira da delicadeza e dos gestos inteiros, profundos e mais lentos. A bandeira da vida delicada, calma e sem pressa. Eu acredito nisso de coração.
    Beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Astrid!
      Espero que a viagem tenha sido boa... rs. Perceber o que acontece lá fora nos faz procurar refúgio em nosso casulo ou então aprender a estar e ao mesmo tempo não estar junto à essas pessoas. O mesmo que dizer para alguém que grita para ela falar mais baixo, porque alto não escutamos.
      Beijus,

      Eliminar
  8. Bom dia!!!
    É lendo e aprendendo não é mesmo, concordo e ser
    gentil , assumir seus erros, e a gentileza gera gentileza
    mas sabemos que cada um oferece o que tem, vamos crer em tempos melhores
    Abraços de um domingo feliz

    └──●► ¸.·*Rita!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Rita!
      É verdade, cada um oferece o que tem. Devemos sentir vergonha quando oferecemos grosseirias.
      Beijus,

      Eliminar
  9. Querida Luma
    Não é por delicadeza que o digo,mas o teu texto é uma pérola.Verdadeiramente bom!
    Concordo plenamente que a calma nos faz mais delicados e devemos procurar ser agradáveis em tudo o que tivermos de fazer.
    Parabéns pelo teu artigo.
    Bom domingo.
    Beijinhos da
    Beatriz

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Beatriz!
      O texto não é meu e ele é verdadeiramente bom, por isso quis trazê-lo para o blogue. Para ter calma é preciso ter paciência. Até acho que vivemos apenas para aprendermos a ter paciência. Reparou que para tudo precisamos desse ingrediente?
      :)
      Beijus,

      Eliminar
  10. Eu acho que o mundo precisa de mais delicadeza sim, mas ultimamente vem ficando cada vez mais complicado ser assim. Acho que por isso venho endurecendo, mas espero que eu consiga manter algum ternura dentro de mim.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Alê!
      Não se deixe contaminar! Quando achar que está tudo perdido: Sorria!
      :)
      Beijus,

      Eliminar
  11. Luma, ler este manifesto à delicadeza, após presenciar uma noite de violência e truculência policial a mando de governantes sobre meus colegas educadores, soa-me como um misto de esperança e desesperança.
    Um bom domingo, querida.
    Beijo, menina

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Denise!
      Chorei quando vi a notícia na tv! Não sei para onde estamos caminhando e também não sei o que esse governo não se move!
      Beijus,

      Eliminar
  12. Leitura sutil e deliciosa, Luma. \

    No dia a dia, lamentavelmente nos deparamos com pessoas que não sabem usar um verbo no imperativo acompanhado da expressão 'por favor'. Pessoas que preferem se imiscuir no mundo alheio, no lugar de viver suas vidas. Pessoas que não sabem tratar o interlocutor com a fineza de um pequeno cumprimento, de um simples 'bom dia'.

    Este mundo precisa mesmo ser reinventado...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Carlos!
      Algumas pessoas tem vergonha de dizer "por favor", como se isso as rebaixasse.
      Sabe as plaquinhas que antigamente eram colocadas nos estabelecimentos comerciais: "Não vendemos fiado"?
      Poderiam ser criadas similares a essa: "Diga bom dia ao chegar e se quer alguma coisa, diga por favor"
      :)
      Mas acho que é pedir demais e alimentar a mau-humor do outro!
      Beijus,

      Eliminar
  13. Que postagem atual! Pelo menos para mim. Luma, conheço gente instruidíssima mas sem a menor delicadeza ou "touché" (en française). É amargo constatar a ausência de qualquer cuidado ao tratar o próximo em pessoas que, muitas vezes, poderiam fazer parte da nossa rotina. Digo 'poderiam' porque meu empenho em ser cada vez mais delicada, faz com que minha tolerância aos brutos seja limitada. Afasto-me destas pessoas tóxicas. Sutilezas, por favor... Beijos, Paula

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Paula!
      Tenho também o costume de me afastar de pessoas sem educação. Realmente isso não faz bem para mim. Se alguém é indelicado, costumo ignorar. Mas se persistir acabo virando o bicho :D O ser humano diferentemente dos animais deveriam saber se comportar e evocando o francês tão bem usado por você, um pouco de "savoir faire" faz bem em qualquer tipo de relação.
      Beijus,

      Eliminar
  14. É verdade que por delicadeza muitas pessoas perderam o emprego, amizades e muito mais. Impressionante isso!! Mas claro que ainda existe muita delicadeza no mundo e ficamos felizes quando a encontramos.

    Muitas empresas por exemplo, só se preocupam em cumprir a lei e tratam o cliente como inimigo. Não há gentileza. Triste.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Bruxinha!
      Também não quero pensar que o mundo esteja totalmente contaminado, pois encontro muitas pessoas com o coração fértil e cheio de riqueza!
      :)
      Beijus,

      Eliminar
  15. Oi Luma,
    Bom domingo.
    Lindo!
    Postei e indiquei no FeedTurbo.
    Beijão.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Beth!
      Ainda não arrumei um tempo para ir lá no feedturbo... me aguarde!
      Beijus,

      Eliminar
  16. Por aí se pode ter uma medida da importância do professor, da delicadeza que é ensinar uma pessoa.
    Jô Soares

    Delicadeza nas palavras gera confiança.
    Delicadeza no pensamento gera profundidade.
    Delicadeza no doar-se gera amor.
    Lao-Tsé
    .............

    Amei este teu post e subscrevo inteiramente e ainda hoje trabalho sempre em ser professora e aluna, porque a delicadeza é um aprendizado constante da ou na vida e só não o é quem de facto não aprende nada com a vida.
    Mas há pessoas más que usam a delicadeza para caçar as suas vitimas...a outra face negra do ser humano e gerir, decifrar...por vezes só depois de se pagar com a vida.

    Sou muito frontal, por vezes sou indelicada, caio na real e na hora peço desculpa, que deveria ser evitada, mas ninguém é perfeito.

    Hoje decorre eleições em Portugal, um país à beira de um ataque de nervos...e cumpri o meu dever de cidadania e DELICADAMENTE:):):):):) pois o voto é secreto:):):)

    Quanto aos brutos e brutas, parvos e parvas, corruptos e corruptas, todos que me ofendem, a minha delicadeza traduz-se no "silêncio" e na hora certa e no local certo levam com a resposta delicada, por vezes emolduradas com gestos e acreditas que a atitude deles ou delas muda na hora?

    Com os políticos a história é outra...e neste carnaval das campanhas...passavam por mim, jamais parei ou aceitei os brindes distribuidos e tratei-os como meros cidadãos e jamais...dar beijinhos, abraços a tal delicadeza falsa provocada pela ou simplesmente para a caixinha mágica da tv.

    Delicadeza é como o pão-de-ló...se coze demais fica duro...se coze menos fica cruo e para atingir o ponto de equílibrio é ir espetando "a batuta" até estar no ponto, mas com atenção... não vá o vento fazê-lo encolher na forma:)

    Aplicar isto no nosso dia-a-dia é a melhor arte de viver!

    Beijões delicados mas nada falseados


    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Fatyly!
      Seu comentário foi providencial e complementou o comentário da Denise Rangel. Não sei se sabe, mas essa semana, professores foram vítimas da violência policial no Rio de Janeiro. Estamos vivendo tempos muitos difíceis, num total abandono do governo federal que deixa a educação, saúde e outras necessidades básicas do cidadão, à mercê da bandidagem a que está acostumado. A nossa presidenta é a imagem da grosseria, uma mulher mandona e estúpida!
      Reconhecer o erro e desculpar-se é demonstração de grande inteligência!
      Com os políticos temos que ficar na maciota, como dizemos aqui. Espero que o resultado seja bom para Portugal!
      :)
      Beijus,

      Eliminar
  17. Delicadeza e lentidão, combinação necessária nos tempos em que vivemos.
    Se não tivermos tanta pressa no mercado podemos delicadamente ceder nosso lugar na fila, ou tantas outras possibilidades.
    Beijo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Ana Paula!
      Temos que ter um carinho especial com as pessoas idosas!
      Beijus,

      Eliminar
  18. Todas as coisas precisam de ter a sua delicadeza.
    Mas também podem ser saudavelmente pornográficas...
    Enfim, não é das calmas águas que o mundo pula e avança...
    Excelente post. Como sempre, aliás.
    Luma, tem um bom resto de domingo e uma boa semana.
    Beijo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Nilson!
      A pornografia sutil é bela, ao contrário da vulgar. Mas há gosto para tudo, não para os querem delicadeza :) Para onde o mundo caminha? Temo por esse "avanço".
      Beijus,

      Eliminar
  19. A humanidade é de uma delicadeza singular. Compreende-la é a arte que complicamos no dia-a-dia e nas supostas indelicadezas que os outros nos fazem. Olhamos dentro de nós, e quando nos enxergamos delicados em essencia, veremos o mesmo no outro... será que é nos outros mesmo que falta? Ou tem sobrado e estamos cegos em nossas virtudes e virtuosidades?

    beijos :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade, Tony! Tudo que tem mãos divinas, tem delicadeza.
      Se falta no outro é porque faltou em mais alguém. Não se dá aquilo que não se recebeu. Precisamos provocar a delicadeza com delicadeza!
      Beijus,

      Eliminar
  20. Oi, Luma...
    Quanta delicadeza!
    E há todo tipo de adjetivos para acompanhá-la: a delicada primavera, colocando a Terra numa gravidez cíclica.
    Aquela de Gandhi, até mais discutível que a de Guevara. As delicadas contradições que ferem qual a violência exposta.
    A pungente delicadeza da classe estudantil, despertando o gigante...
    A adelgaçante delicadeza da suçuarana, que comeu uma garotinha na zona rural.
    Sim, as onças delicadas estão próximas, espreitando. Há humanos demais, num indelicado desequilíbrio ecológico. Homem vira bicho, por território.

    Até mais.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ui! Fiquei assustada!! Que tragédia!
      O bicho homem com sua total falta de respeito com o território alheio, essa foi a resposta!
      Cristina, seu comentário levou a uma reflexão para além post, para uma dimensão muito maior do que o nosso próprio "eu". Temos que ter uma visão maior do que o nosso pequeno universo enxerga.
      Beijus,

      Eliminar
  21. Minha querida

    Hoje passando para dizer que estou a ser entrevistada no RECANTO DOS AUTORES, será um prazer a tua visita. Deixo o Link:

    http://recantodosautores.blogspot.pt/

    Um beijinho com carinho
    Sonhadora

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Rosamaria!
      Obrigada pelo convite, vou lá!!
      Beijus,

      Eliminar
  22. pior q é verdade, querida Luma, por delicadeza acabamos perdendo mta coisa.
    hay q endurecer, pero sin perder la ternura!!!

    Beijosssssssssssssssss
    ┌──»ʍi૮ђα ツ

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Micha!
      Não deveria ser assim, não é mesmo?
      :)
      Beijus,

      Eliminar
  23. Luma, de toda a delicadeza ímpar do seu texto que degustei pedaço por pedaço, só discordo um pouquinho no que tange ao pornográfico, que deixa de sê-lo quando vem coberto de delicadezas e permeado por sentimento sincero e mútuo.
    No mais, a perfeição existe tanto em suas palavras quanto dos autores que trouxe até aqui.
    Deixou-me um pouco triste pensar junto contigo que, aquele que escolhe a delicadeza do ceder, de dar espaço para o outro, acaba em muitos casos perdendo...encontrei aqui um dilema próprio. Não seria delicado que fosse o contrário?
    Ainda tenho esperança de que será. Ou abraçarei sua tática de me resguardar em filmes do século passado.
    Adorei demais, Luma...um abraço!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Bia!
      Como assim? O texto condiz com o que pensa: "Sejamos pornográficos, docemente pornográficos". E ainda completa "Parece que aceitaram exageradamente seu convite, e a coisa acabou em "grosseiramente pornográficos". A crítica é pela banalização da pornografia.
      Acho que todos nós ganhamos com a adoção da delicadeza. Não temos que ter medo de "perder".
      :)
      Beijus,

      Eliminar
  24. Bom dia Luma,
    belíssimo e interessante o texto de Affonso Romano de Sant'Anna.
    As relações humanas,estão cada vez mais ásperas,
    sejamos cuidadosamente delicados!
    Bjs \o/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Clau!
      Também gostei bastante e por isso trouxe para o luz!
      Beijus,

      Eliminar
  25. Maravilhosa escolha, Luma! A delicadeza é cada vez mais desprezada... e mais necessária! Boa semana, amiga.

    ResponderEliminar
  26. Olá, Luma.
    Excelente texto; creio que, nestes dias megaatarefados de hoje me dia, temos de ser delicados nem que seja de pirraça, mesmo.
    Me fez lembrar das comédias sessentistas que passavam na tv na Sessão da Tarde das décadas 70/80, onde o humor era bastante delicado e inteligente (atualmente, comédia é praticamente sinônimo de filme apelativo e ruim).
    Lembrei também de uma frase de um texto de S. J. Gould, em que ele fala que um gesto de violência faz com que esqueçamos de dez mil atos de gentileza.
    Ou seja, a delicadeza é necessária sempre.
    Abraço. Luma.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Jacques!
      Gostei da sua posição! Devemos ser mesmo delicados por pirraça e não deixar que a correria dos dias torne a nossa vida de má qualidade.
      Beijus,

      Eliminar
  27. Querida que beleza de texto.A delicadeza perdeu, infelizmente o seu lugar de honra, o que restou até causa espanto.A delicadeza passa pelo respeito que devemos ao outro.Bela escolha.Adoro os textos de Afonso Romano Sant'Anna.
    Tenha uma linda semana e que a delicadeza esteja em tua volta.Bjs Eloah

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Eloah!
      Que bom que gostou!!
      Não podemos confundir delicadeza com afetação. Não acho que tenha perdido lugar, todos nós queremos ser bem tratados e porque não fazer o mesmo?
      Obrigada!! Desejo o mesmo para você!
      Beijus,

      Eliminar
  28. Oi Luma! A delicadeza e a gentileza parece que caíram em desuso! É como diz o texto: as pessoas estão muito apressadas, sem tempo para essas coisas! O tempo não sobra para ser cortês, delicado e gentil! Infelizmente! Quanto ao fogão, o técnico que veio aqui disse que o melhor, top de linha é o Müller, marca bem comum no sul e que, por aqui, só vende pela internet. Eu tenho uma centrífuga de roupas dessa marca e é ótima mesmo. Quando tiver que comprar outro fogão não vou ter dúvidas! Bjks Tetê

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Tetê!
      Podemos reverter essa realidade. Sempre há esperança!!
      Nunca soube nada dessa marca. Vou procurar saber se temos revendedores aqui na região. Obrigada!!
      Beijus,

      Eliminar
  29. Lembrei de um episódio que a palestrante do workshop, do qual participei neste fim de semana, sobre parto humanizado, domiciliar. Ela contou a história de uma paciente, grávida, psicóloga, dona de extrema delicadeza, a voz doce. Na hora do parto, de dores intensas, a doula quis tocar-lhe a barriga e ela gritou:'sai daqui, me deixem só, eu estou parindo, quero ficar a sós com o meu bebê!' Viu? não acho que ela tenha perdido a delicadeza, acho que a vida nunca tinha lhe colocado em situação de total vulnerabilidade. Estava morrendo uma mulher delicada, tão somente, e nascendo uma mãe, ferozmente delicada, eu espero.

    bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Lia!
      Nossa, foi inesperado! Mas foi ocasionado por uma situação de estresse extremo. Em geral agimos ao contrário do que acostumamos ser para extravassar esse estresse. Ela rompeu uma barreira e agora terá que assumir a maior responsabilidade de sua vida. Não é fácil ou natural para algumas pessoas.
      É isso mesmo, Lia!
      Beijus,

      Eliminar
  30. A vida com delicadeza e gentileza fica mais suave.
    Big Beijos

    ResponderEliminar
  31. P.M.Forni é prof. de literatura na Universidade Johns Hopkins (Baltimore/USA) e há mais de uma década defende, delicada mas obstinadamente, a causa da gentileza. Entre várias coisas que ele diz deixo uma: " Achar que gentileza é algo supérfluo é miopia. Gentileza é qualidade de vida. Por um motivo simples: a vida é feita de relacionamentos. Vive melhor quem tem competência para se relacionar e faz parte dessa competência tratar o outro com civilidade e respeito."
    Sejamos leves, delicados, gentis. A vida fica bem mais fácil!
    Beijuuss Luma

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Touché!! Gostei do professor Forni! Também acho que gentileza é qualidade de vida e a explicação dele é ótima! Vou procurar ler mais sobre ele!! Obrigada pelo riquíssimo comentário!!
      Beijus,

      Eliminar
  32. Oi amiga, adorei todas as novidades do teu blog, também trago novidades no meu blog para ti contar, confira e depois deixe um comentário para eu poder saber o que achastes,beijokas.
    http://www.titacarre.com
    http://www.agulhaetricot.com
    http://elo7.com.br/titacarre

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Roberta!
      Depois vou lá no seu bloguinho!!
      Beiijus,

      Eliminar
  33. Cheguei aqui através do blog a Sil, e gostei.

    to seguindo.

    bjokas =)

    meusegredosbell.blogspot.com

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Bell!
      Seja bem-vinda!!
      Obrigada por me seguir!
      Logo mais vou lá conhecer o seu blogue também!!
      Beijus,

      Eliminar
  34. Uau!
    Parabéns! Mais um belíssimo texto pra reflexão.
    Gostei da comparação "delicadeza tem a ver com lentidão e violência com velocidade".
    Acredito que embora os fatores externos contribuam para uma vida tão "tresloucada", uma vida que ninguém enxerga nada além de si próprio e a TV está tão banalizada, o ser humano deve com todas as forças, voltar-se para si e recuperar essa delicadeza perdida - o respeito, o amor ao próximo...
    Achei engraçado a parte da delicadeza inglesa que parece ser um privilégio sofrer na mão deles... rs... Já tive a oportunidade de ter contato com esse povo e realmente eles são delicados, mas firmes (certo e errado - não é pq vc é meu amigo que vai furar a fila e se encostar em mim para entrar no cinema... sabe esse tipo de coisa?).
    Adorei, adorei!

    Abração esmagador e ótimo dia.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Márcia!
      Exemplificou super bem! É assim mesmo os ingleses :)
      Se não conseguimos delicadeza no mundo externo, que o nosso mundo seja pleno de delicadezas!!
      Beijus,

      Eliminar
  35. Entre ser ou não ser, vamos tentar ser delicados mantendo a bondade no coração.
    Beijos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Élys!
      Acho que a bondade tem muito a ver com bondade no coração, apesar de existirem os falsos gentis!
      Beijus,

      Eliminar
  36. Penso que o melhor é a delicadeza corresponder a uma verdadeira empatia entre as pessoas.

    Abraço, linda

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não sei, São! Muitas vezes as pessoas são delicadas com estranhos e na intimidade são terríveis!
      :)
      Beijus,

      Eliminar
  37. Preciso ler Rimbaud
    Delicadeza?
    Minha mae dizia que eu o era. Ela dizia eu sou uma mulher rude, fuimcriada em fazenda em meio ao gado, tirandomleite, correndomatras dos bugres. E voce é delicada?
    Luma, sou delicada, lenta talvez. Tivemque correr atras das horas, hj em dia tenho tudo em dia, mas ... Sou delicada. Fujo das grosserias. Mas o mundo é assim. E eu acho que tem q ser assim mesmo o rude e o,delicado. Diferenças.
    Pra poder viver e crescer.
    Bj
    Zizi
    Adorei o,post, seus pensamentos e a forma com que nos leva a refletir.
    Beijo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Zizi!
      Sou delicada e firme no que quero. Com algumas pessoas sou afetuosa e outras sou bem polida. Diferencio as pessoas pela intimidade que tenho com elas.
      Cada um tem o seu jeito e ser delicado é uma opção de vida. Como a Regina citou o professor Forni, ele diz que a delicadeza é qualidade de vida. Estou com ele!!
      Que bom que gostou!!
      Beijus,

      Eliminar
  38. Pessoas delicadas são serenas não lentas necessariamente.E que bom quando deixamos a lentidão tomar conta nesses tempos tão corridos,não é?
    Gosto do Romano e seus devaneios e voce sabe dar o toque que falta num post longo mas super interessante,sempre! Muito bom Luma estamos bem afinadas postei flores que considerei delicadas pela beleza muito especial .
    E obrigada pelo comentário.
    um abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Lis!
      Achou o termo certo! Por eu ser delicada não quer dizer que seja lenta. Ao contrário, tenho muita concentração. A pressa nos faz realizar as tarefas pela metade ou de qualquer jeito. Pessoas apressadas em comentar em vários blogues, não lerão esse texto, por exemplo. Prefiro conviver com gente calma! :)
      Beijus,

      Eliminar
  39. E se não tivermos o cuidado de nos abaixar levamos supetão nessa vida, o desajuste familiar e social nus mantem aquém da realidade. Por isso muitas dos dias ficamos trancados dentro de casa sem poder dar o ar da graça de ser gente educada calma e serena.
    Gostei da micro crônica.
    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Lu!
      Mas não podemos viver isolados! Precisamos de choques de realidade para entender o mundo e escolhermos o que queremos para a nossa vida.
      Beijus,

      Eliminar
  40. O "cruelmente delicado" que faz toda a diferença, nzé? Hehehehe! Aprecio a delicadeza e todos esse "pequenos" sentimentos que ainda nos tornam humanos... hehehe! Ótimo post!!! Beijos, queridona!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Fred! Precisamos mesmo valorizar o melhor que existe em nós!
      Beijus,

      Eliminar
  41. Luma, na minha viagem de ler este teu post eu me encontrei quando disse sobre delicadeza/lentidão X violência/velocidade. É exatamente assim que eu sinto! E o difícil equilíbrio entre estes dois ritmos está em atingir a elegância, que se faz tão necessária neste mundo ai fora!
    Um beijo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Maria Gloria!!
      Queremos elegância e gentilezas em nossos dias, vamos praticá-las e contagir as pessoas ao redor!!
      :)
      Beijus,

      Eliminar
  42. Luminha
    Alguns não nascem com essa característica.
    Penso que tem que ter a vontade e o dom para ser delicado.
    amoroso, gentil etc..

    Beijos (outubro rosa) sempre lembro de vc
    que nunca deixa de falar no assunto

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Bandys!
      Não posso afirmar se as pessoas nascem com essa caracteríscas. Posso afirmar que o meio em que vivem influencia e muito! :)
      Ah, ainda estou pensando no post! Na imagem que coloquei na sidebar, linkei a label com vários posts, para quem quiser pesquisar!
      Obrigada pela lembrança!!
      Beijus,

      Eliminar
  43. Olá Luma, boa tarde! Cheguei até aqui através do blog da amiga Silvana. Parabéns pelo lindo post. Precisamos mesmo falar mais sobre delicadezas e gentilezas, estamos vivendo em um mundo onde esse tipo de coisa caiu em desuso, e isso é muito triste. Vamos ser mais delicados e gentis não custa nada e vale ouro...
    Beijos com carinho e tenha uma doce semana.
    Marilene

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Marlene!!
      Seja bem-vinda ao meu bloguinho!! :)
      Precisamos cutucar para que as pessoas pensem em uma qualidade de vida melhor para elas!
      Uma doce semana para você também!
      Beijus,

      Eliminar
  44. Olá Luma.

    Gostei de ler o teu post. Falas que as perderam a delicadeza, mas acho que perderam também a educação e o sentido do amor. Verdade?

    Beijos,

    Cris Henriques

    http://oqueomeucoracaodiz.blogspot.com

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Cris!!
      Também acho o mesmo! Sabe que estive pensando sobre o humor. Quem o tem, tem também amor! Quem vive mau-humorado, sempre nos remete as pessoas mau-amadas! (rs*)
      Beijus,

      Eliminar
  45. Goste de ler o post, e me vi concordando mentalmente a cada parágrafo com o autor.
    Está faltando muito a delicadeza, a gentileza e bom trato nos dias de hoje.
    Abraços!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Mari!
      É verdade! Vamos adicionar mais delicadeza aos nossos dias! Vamos ser gentis e tratar bem as pessoas. Somos o espelho de tudo o que nos cerca! Beijus,

      Eliminar
  46. Muito bom o post onde fala sobre algo tão importante quanto à delicadeza, algo em falta hoje!!
    Abraços.Sandra

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Sandra!!
      Fico feliz em saber que para você a delicadeza é algo importante! Sinal de que é uma pessoa delicada!!
      Beijus,

      Eliminar
  47. OI LUMA!
    NUM MOMENTO EM QUE GENTILEZA E DELICADEZA SÃO CONSIDERADAS ULTRAPASSADAS, ESTE TEXTO NOS DÁ CONTA QUE SEMPRE VALEM Á PENA E QUE DEVERIAM SER RESGATADAS E POSTAS EM PRÁTICA SEMPRE.
    ABRÇS
    http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Zilani!
      Sinto uma certa frustração pelo humanidade quando penso que as pessoas acham a delicadeza e a gentileza ultrapassadas. Não sei se ser moderno é ser bruto! Acho que o mundo pede mais leveza e alegria!
      Beijus,

      Eliminar
  48. Luma,

    Excelente texto.

    Eu sou de uma natureza gentil e vivo em choque com tanta grosseria no dia-a-dia. As vezes até falo sozinha, escondida, desabafando alguma coisa que tenha me "agredido" aos olhos ou ouvido. Às vezes me prometo mudar, mas a minha essencia já foi lapidada tem anos, não é possível modificar.

    Beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Sissym!
      Você é como todos deveriam ser e se sente ofendida quando é desrespeitada. Não podemos perder as esperanças em um mundo melhor!
      Beijus,

      Eliminar

Tenha identidade, não seja anônimo na web. Crie sua identidade virtual.

...bisbilhotaram em quietude, sem solidão

PlagSpotter - duplicate content checker tool
Licença Creative Commonsget click

Algumas coisas não têm preço


finalista the weblog awards 2005finalista the weblog awards 2006
finalista the weblog awards 2007weblogawards 2008
Verificar conteúdo duplicado

Me leve com você...

Leia o luz no seu celular

Copyright  © 2014 Luz de Luma, yes party! Todos os direitos reservados. Imagens de modelo por Luma Rosa. Publicações licenciadas por Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial- Vedada a criação de obras derivadas 2.5 Brasil License . Cópia somente com autorização.

Tem sempre alguém que não cita a fonte... fingindo ter aquilo que não é seu.

Leia mais para produzir mais!

Atenção com o que levar daqui. Preserve os direitos autorais do editor