Da sua vida cuida você quando você tem peito

“Peitos foram feitos para amamentar. Mulheres são como vacas, no bom sentido. Não existe leite fraco”.

Assim escreveu Glorinha em seu livro "Na esquina do tempo, nº 50". Saudades eternas da amiga que partiu, mas que antes de ir deixou registrados em seu livro, relatos da sua generosa vida. Ela foi uma mãe que afagava e ao mesmo tempo era firme. Não estava nem aí para a opinião alheia.

Segue escrevendo: "Já viram vacas terem leite A, B ou C? Se fosse assim, não existiriam bebês gordinhos de mães pobres e mal alimentadas. O que dá leite é dar de mamar, alimentar-se corretamente, beber bastante líquidos e, principalmente, desejar amamentar.

Na época em que foi mãe havia um movimento de volta à amamentação, uma mentalidade saudável de que fazia bem à mãe e ao bebê. Foi uma espécie de resgate, de volta às origens, pois há algumas décadas atrás, havia ficado démodé dar o peito, como se isso fosse uma questão de modismo. Surgiram, nessa fase, nos anos 80, vários grupos de apoio ao aleitamento materno.

Mas mesmo assim, ainda havia as que à menor dorzinha no seio, à menor rachadura no bico, paravam. Ou as que diziam não ter leite. Ou as que não queriam amamentar para não ficar com seios feios. Pois na cabeça dessas, ou de seus companheiros, talvez, amamentar fazia os seios ficarem caídos e flácidos.

Ela teve apoio incondicional do marido. Ele acordava à noite para trazer os bebês para que ela desse de mamar e sempre a ajudou muito com as crianças.

A grande verdade é que algumas mulheres se deixam influenciar por palpites de mãe ou sogra, são presas fáceis dos palpites alheios, ainda mais quando se tem a inexperiência do primeiro filho. Mas há também as que no fundo não querem passar noites em claro dando de mamar. Amamentar requer tempo, paciência, disposição e, principalmente doação. Preconceitos contra a amamentação hoje em dia são raros, mas em tempos de peitos de borracha e culto ao corpo e à estética, muitas optam pelos seios em vez de optarem pelos filhos.

Se fosse por sua mãe, Dafne teria enlouquecido nos primeiros dias de seu primeiro filho. E desistido de amamentar nas primeiras mamadas.

A criança chorava, a mãe lhe dizia:
- “Bota no peito, é fome”.
A criança ficava com soluços, ela dizia:
- “Dá o peito, que passa”.
E dá-lhe do bebê ter cólica, pois quanto mais mamava, mais ar engolia, mais cólicas tinha e a mãe a lhe atormentar:
- “Seu leite é fraco, essa criança está com fome”.

E tome-lhe de peito, choro e noites e mais noites em claro e o bebê gritando de dor... e a pobre Dafne, chorando também, achando que tinha pouco leite ou que seu leite era fraco. Mas não desistiu. Mais uma vez persistiu.

Pensando bem, sua vida era isso, persistência.
E o que é a vida senão persistir, insistir, aprender com os erros, acertar de vez em quando? Luta, lutar. Contra os moinhos de vento. Contra as incertezas. Até contra as certezas. Contra a mãe. Contra si própria. Contra crenças. Contra pré conceitos e conceitos estabelecidos.
Mudar o ponto de vista. Mudar o ângulo.
Mudar. Mudar. Mudar."

Coincidências não existem! Na noite que passou sonhei com Glorinha e por isso hoje ela está aqui presente, participando da Blogagem Coletiva "Por que sou ativista da amamentação" com um trecho do seu livro.

Fonte da imagem acima: GEMAS

Se você ainda pensa que amamentar é ato diferente de todos os outros quando se quer o melhor para um filho, mude esse pensamento. Não à toa que a frase tema da Semana Mundial de Aleitamento Materno (SMAM) do ano passado (2012) foi “Amamentar hoje é pensar no futuro” e agora em 2013: "Tão importante quanto amamentar seu bebê é ter alguém que escute você". Então, deixe que falem, que deem seus pitacos, se você decidiu amamentar seu filho. Mas se você tem leite materno suficiente, não tem problemas de saúde e escolheu dar leite de vaca para seu filho; você é uma vaca, no pior sentido.
Quer participar da Blogagem Coletiva? Ainda dá tempo!
Clique na imagem para mais informações
Lista de participantes
Facebook

Agradeço a Ceila Santos pela parceria e todos participantes da Blogagem Coletiva "Por que sou ativista da Amamentação" que disponibilizaram espaço em seus blogues/sites com informações para aqueles que procuram por ajuda; pelo tempo que dispensaram ao escrever seus textos e pela interação, comentando e trocando ideias, dando sugestões e enriquecendo o tema.

Agradecimentos especiais para Fernandha Zechinatto que participou da blogagem publicando seu texto aqui no "Luz".

Ainda não sabemos se teremos uma 3ª Edição, mas se continuarmos no mesmo ritmo, ano que vem será mais uma grande festa!!

68 comentários :

  1. Comigo tbm foi assim, tudo era pra curar no peito. E como o moleque chorava!!! Jesus!!!
    Mas sobrevivemos e foi a melhor coisa que eu fiz.
    Adorei participar.

    Um bjo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Paty!
      Curamos tantas dores com a maternidade, não é mesmo? Tantas fatos diminuem de importância e outros que antes não tinham importância alguma, passam a significar tanto! É a última chance para se tornar verdadeiramente responsável... rs.
      Obrigada por participar!!
      Beijus,

      Eliminar
  2. Que texto bom, e que tema tão importante para as mãesné? Muita gente mais preocupada com a flacidez dos seios do que qualquer outra coisa...
    Bjos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Grazi!!
      Que bom que gostou... Não é a amamentação que faz os seios caírem. Como dizia a minha mãe, o tempo se encarrega de nos fazer aceitar todos os nossos defeitos e reconhecê-los como qualidade. Afinal, um dia quem nunca teve peito caído, vai tê-los, se igualando aquelas mulheres que mesmo nova tinham seus peitos caidinhos. Se para nós mulheres caem os seios, o que cai no homem? Não, não responda!! Só pense! Acho que para os homens é bem pior! (rs*)
      Beijus,

      Eliminar
  3. Incrível, Luma, parece mentira que a Glorinha se foi!
    Hoje em dia ainda tem mulheres que não querem amamentar para não ficarem com os seios flácidos, de qualquer jeito a gravidade vai trabalhar, mais cedo ou mais tarde e os prejudicados serão os filhos. Digo que ainda tem mulheres assim, pq há pouco tempo ouvi de uma moça. Espero que até ela ser mãe mude de ideia.
    É sempre bom participar das tuas blogagens, Luma, mesmo com a dificuldade que às vezes tenho. Tu és sempre sucesso.
    Bjim, cosquirídia.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Rosamaria!
      Sempre releio o que a Glorinha nos deixou ou assisto os vídeos e talvez por isso, ela se mantém bem viva para mim. Parece mentira mesmo que ela se foi! Tão nova e tão cheia de energia!
      Compartilho das suas impressões e se a mulher só pensa nos peitos e não na semente que Deus plantou para ela, sinal de que um dia a sua superficialidade será cobrada. A Elianne Diz nossa maravilhosa psicanalista, escreveu um texto maravilhoso sobre os benefícios da amamentação sob o ponto de vista emocional e formação do caráter, personalidade... vale a pena ler!
      Obrigada por participar!! Mesmo sem tempo, escreveu um texto muito bom!!
      Beijus,

      Eliminar
  4. Luma, amiga, chorei... Sabe o que vivo dizendo p/ o meu marido? Que como é enriquecedor termos blogs como o seu para visitarmos e sairmos diferentes à cada visita - mais informadas, tocadas, deslumbradas, enfim... Agradeço mto à Deus por ter encontrado vc, amiga, e esse seu MARAVILHOSO Luz de Luma, yes party!
    Post maravilhoso!!! Especialmente, suas palavras, no final!
    Bjs dessa sua nova amiga que já tem um carinho e uma admiração enormes por vc!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Wow!! Me senti privilegiada por provocar um sentimento tão bom em você com relação aos blogues! :) E também por você ter gostado do "luz"! Me deixou saltitante de felicidade - sim, os blogues nos propiciam conhecer novas pessoas e quando encontramos reciprocidade, melhor ainda!! Obrigada pelas palavras; elas funcionam como incentivo para continuar!! Beijus,

      Eliminar
  5. Amamentei meus 3 filhos por pouco tempo, menos de 2 meses. Desinformação, insegurança, apoio dos pediatras, que logo receitavam o leite em pó. Mas nunca tive crise de consciência, meus filhos foram crianças saudáveis, fortes, dentes lindos.
    Sou a favor da amamentação no peito, muito mais fácil, mais prática, sem perigo do leite azedar, mais higiênico, a embalagem é mais bonita e vários etc.
    O perigo é achar que a mãe que não amamenta no peito é menos mãe. Ama menos o filho. Aí, não, né?
    Acho que é preciso uma conscientização, principalmente nessa fase do mundo, como vc disse, onde o culto ao corpo desviou o foco das mulheres.
    Minhas filhas e minha nora foram ótimas "leiteiras", felizmente.
    Beijo, Luma.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Lúcia!
      Pelo trecho do livro da Glorinha, você pode perceber que houve uma retomada, uma volta na prática da amamentação após uma certa época. Acho que no passado, as mulheres achavam normal a substituição por leite de vaca, afinal, uma vaca daquele tamanho deveria produzir leite melhor. Então por qualquer motivo, os pediatras recomendavam o leite em pó. Não era culpa das mães, mas atualmente existem pediatras mais conscientes do valor do leite materno. Estamos todos aprendendo juntos!
      Existe uma certa confusão sobre amar e amamentar. Não existe correlação sobre isso. Não se ama menos o filho por que se dá leite de vaca, mas como escrevi, se a mãe sabe dos benefícios, tem leite e ainda assim "não quer", aí sim eu acho que seja uma prova de desamor - é opinião pessoal. A questão é apenas de consciência. Se temos noção do prejuízo, principalmente em crianças que já apresentam problemas de saúde, a culpa vem. Do contrário, a falta de consciência não gera culpa. Você está corretíssima!
      Beijus,

      Eliminar
  6. Oi Luma
    Parabéns por mais este excelente texto e pela ideia de juntar-se a saudosa Glorinha, que tantas BC realizou.
    Não estou participando, mas divulgando por considerar a importância da temática.
    bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Norma! Acho que a Glorinha sentiu vontade de participar dessa coletiva. Ah, eu tive um clique enquanto sonhava e quando acordei, corri para o livro. São coisas assim que deixam o nosso coração pleno pois confirmamos a presença de alguém querido. Beijus,

      Eliminar
  7. No leite materno tem tudo o que a criança precisa nos primeiros meses de vida... linda campanha, Luma! parabéns pela divulgação. beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Barbie!! Sabendo disso, sei que você já pensará em dá-lo ao seu filho quando o tiver! :) Beijus,

      Eliminar
  8. Que surpresa a minha quando vi lá pelo Face a chamada do seu post e o nome da Glorinha. Vim conferir e acabei me lembrando de quando ela escreveu sobre este assunto e comentou comigo. Ela foi sim uma mãe dedicada e amorosa. Uma pena sua partida tão prematura deste mundo, principalmente agora que seria avó pela primeira vez.
    Fomos de uma mesma geração, onde o incentivo à amamentação era feito pelos pediatras em cada consulta do pré-natal.
    Você sonhou com ela e fez uma linda homenagem por aqui, adorei!
    beijinhos cariocas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Beth!!
      Pois pensei que você ia gostar quando estava digitando :) Que benção um netinho para a Glorinha! Lá no céu, ela estará zelando por ele!
      Beijus cabofrienses!!

      Eliminar
  9. Bom dia minha querida Luma!
    Concordo com a Beth! Linda homenagem para um pessoa tão especial como foi a Glorinha e que adorava uma BC. Hoje temos muitos amigos e amigas virtuais fruto dessa época.
    Parabéns por mais esta reunião e por mais uma bela interação da blogosfera!
    E vamos continuar ....
    Beijo grande

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Astrid!
      Verdade! Depois que conheci a Glorinha, vi que ela tinha muito em comum com a Beth e apresentei-as.
      Obrigada pela presença carinhosa! Também por ter ajudado a divulgar e participação ativa!!
      Beijus,

      Eliminar
  10. Até completar seis meses de idade a mimnha filha mais nova só se alimentou no peito, nem água bebeu.
    Manoel Carlos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Manoel! Assim reza a cartilha e depois a amamentação continua, mas com adição de outros alimentos, até para o paladar e mastigação desenvolver. Antes de completar os seis meses, o estomago ainda está amadurecendo. Beijus,

      Eliminar
  11. Um texto muito interessante muito interessante muito embora por contingências da vida, o assunto me tenha passado ao lado.
    Um abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Elvira!!
      Bem sei queridona!!
      Um abraço apertado!!
      Beijus,

      Eliminar
  12. Muito emocionante este post, inclusive com a participação da Glorinha. Criativa a forma de incluir uma pessoa que ja se foi. Te felicito por isso também. Adorei o leite tipo B e C. Tem gente que é mae tipo B e C... E realmente, dificil mesmo ser tipo A. O aleitamente já é uma força boa, para começar. Depois tem mais, amamentar a criança, vai muito alem do amamentar...
    A mãe que tem leite o suficiente e não amamenta, estar desperdiçando saúde e amor. Não sei se é uma vaca. Mas com toda certeza tem uma enorme dificuldade de lidar com a maternagem, com o proprio corpo, e muitas vezes precisa de cuidados...de mãe. Quem não tem mãe precisa aprender a ser mãe por conta própria. Isso é dificil de engolir, eu sei. Mas ja vi alguns exemplos dessa realidade. Não da para amamentar essas pessoas, mas escuta-las, sim. Parabens pelo post, completo, repleto de reflexões. Beijos,
    Cam

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Cam!
      Você sabe como fico com o pé atrás em citar pessoas que já se foram, mas eu entendi como um pedido.
      Hahahaha mães tipo a, b e c... essa é boa! Não sei como classificar uma mãe que disperdiça saúde e amor. Sei também que muitas que assim forem, ao ler esse texto irão me desclassificar. Mas todos nós temos o direito de pensar e agir como queremos, oras! Mas derramar leite é mesmo burrice!
      Aprender a ser mãe por conta própria é bem difícil! Eu não tive mãe ou irmã perto que pudesse me apoiar quando tive meu filho. Fiz tudo sozinha e quis fazer direito. Acho que quando não temos apoio ou com quem dividir a responsabilidade, somos mais retos nas atitudes.
      Beijus,

      Eliminar
  13. Olá, adorei o seu blog, ao ler alguns posts, vi que você é uma pessoa esforçada que só quer falar e ser ouvida na blogosfera, assim como eu. Posso dizer que gostei muito do que li, vc tem um potencial enorme e sei que será um grande blog de fácil entendimento e conteúdo gostoso de ler. Sou Luciana Shirley do blog http://coisasecoisasdalu.blogspot.com.br/ se desejar me visite e siga, mas só se gostar, eu vou retribuir seguindo também o seu.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Luciana!!
      Seja bem-vinda!
      Obrigada pelo convite e logo vou lá!!

      Eliminar
  14. Muito bom,Luma.Emocionei ao reler o texto da Glorinha.Bela homenagem à ela, lutadora! beijos,chica

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Chica!!
      Eu até vejo a Glorinha lendo... você assistiu ao vídeo que postei? - está linkado. Uma pessoa lutadora e adorável! Beijus,

      Eliminar
  15. Concordo plenamente , não existe leite fraco ...até nos dias de hoje ainda se vê muitas mães falarem isso.
    Eu fui mãe mto jovem aos 17 anos e me arrependo de ter escutado a minha mãe e não ter amamentado meus filhos, apenas algunas dias porque ela e minha avó diziam que eu tinha o leite fraco e nao sustentava....e assim foram criados com mamadeiras.
    só fui ter noção qdo tive a filha e já estava mais madura , aí tive a chance de amamentar!

    bela homenagem a Glorinha! bjss


    vou sumir por dias minha cirurgia dos olhos sai amanhã.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Lena!
      Alguns mitos precisam ser derrubados! Esse do leite fraco é apenas um de muitos outros. Talvez um dia eu os relacione!
      Que pena, mas como não atender as pessoas que imaginamos são mais experientes?
      Boa cirurgia!! Beijus,

      Eliminar
  16. Luma, essa frase "se vc deu leite de vaca pro seu filho, então vc é uma vaca". Menina, isso vai incomodar muita gente.
    Qdo tive meus filhos não escutei ninguém. Mesmo sendo inexperiente, segui os conselhos do médico. Mas eram muitos conselhos mesmo!
    Resultado: filhos saudáveis, carinhosos, felizes... não sei se tem a ver com a amamentação.
    Não fui amamentada por esse motivo, que minha mãe não queria ter os seios caídos. Ouvi por acaso e fiquei chocada, mas.... cada um é cada um.

    Um post excelente, como sempre!

    Beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Clara!
      A frase lida dentro do contexto não vai gerar polêmica, mas do jeito destacado que a expôs, talvez... mas tudo bem! Se essas mães fazem o que querem, também podemos dizer o que queremos. Não é assim?
      Nossa, que choque!! Talvez fosse bom você ler o texto que a Elianne Abreu Diz escreveu sobre os benefícios psicológicos da amamentação. Correndo atrás da nossa história passada, podemos entender as lacunas que sentimos.
      Beijus,

      Eliminar
  17. Luma,

    Eu era a propria vaquinha Mococa! Os peitos enoRmes e com leite para 100 bezerros famintos. Eu chegava a ter vergonha de ser fotografada, por isso, mal tenho lembranças impressas daquele saudoso tempo. Amamentar é uma forma de amar.

    Beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que linda vaquinha Mococa!! :) Eu gostaria de ver! Beijus,

      Eliminar
  18. Ah que delícia sentir a presença da querida Glorinha... que saudade! Amei o post, o vídeo não consegui ver porque a minha conexão está com preguiça de enfrentar o vento que está rolando por aqui, mas depois eu volto para ver.
    Claro que a amamentação é importante, mas só acho necessário também falar que não é um mundo cor de rosa para todas as mulheres. Algumas sentem uma dor enorme ou até têm inflamações. Comigo aconteceu isso. Minha mãe não conseguiu me dar de mamar porque teve uma séria inflamação e os médicos pediram para ela parar, pois iria me prejudicar, pois eu iria tomar sangue ao invés de leite. Ela quase perdeu o bico, estou achando que eu uma faminta feroz... rsrsrsrs Mas estamos falando de a long time ago? Sim, estamos, quase 40 anos hoje os tempos são outros... é verdade. Mas recentemente tive uma amiga que teve também uma inflamação violenta no peito tendo que ficar internada e tudo. De jeito nenhum quero desanimar a amamentação que tem como resultado só fatores positivos, mas acho fundamental falar que cada mulher é uma mulher e cada peito é um peito.
    Beijo, beijoooo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, She!
      Nas postagens dos participantes da blogagem, foi falado também sobre as dores e problemas relacionados à amamentação. Talvez eu tivesse feito um resumo de cada post que li se esse blogue fosse um blogue destinado às mães, mas não quero sacrificar os leitores do luz!
      Não sei o que deve ter acontecido com a sua mãe, mas em uma das postagens, a mãe fala de alguns remédios que podem ser tomados e que não afeta a saúde do bebê.
      She, são raros os casos em que a mulher não pode amamentar. Se ela não tiver persistência, não tiver vontade, qualquer coisa será motivo para parar. Afinal, a natureza sempre age para proteger os mais fracos.
      Beijus,

      Eliminar
  19. Adorei, mais uma vez, ler Luma!
    Excelente e meus parabéns!
    Beijo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Maria Gloria!!
      :)
      Beijus,

      Eliminar
  20. Amiga,

    Indiquei seu blog a um selinho.
    Espero que goste!

    Deus abençoe!
    Bjs!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Karin!!
      Daqui a pouco vou lá pegar meu selinho!!
      Obrigada!!
      Beijus,

      Eliminar
  21. Uma grata e bem-vinda interação nesta BC intensa, a da cara escritora e amiga Glorinha, lembrança rica de emoção.
    Creio que a maioria de nós passou e passa por estas dúvidas e enxurradas de palpites que nos atordoam.Tudo é novo, tudo é desconhecido.O que importa é seguir-se firme nos propósitos.
    Gostei demais em ter participado.
    Bjos,
    Calu

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Calu!!
      Um mundo novo se descortina para a futura mamãe. A insegurança se instala quando ela não tem informações seguras e quando as tem, ainda luta contra as informações erradas de pessoas de boa-fé. Se ela rejeita as informações, acaba crucificada. Foram tantos textos bacanas que difícil foi eleger o que mais me tocou. Obrigada por ter participado!!
      Beijus,

      Eliminar
  22. Pois então!
    É activista dum nobre empreendimento!
    Beijinho para si!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Certamente, Vieira Calado!!
      Venha ser ativista com a gente!!
      Beijus,

      Eliminar
  23. Olá Luma..:)
    Dando uma passadinha aqui para dar "Oizinho"..:)
    Volto mais tarde para ler o textos tah..
    Ótemo e ótima semana!!
    A big Hug and Tchauzinho


    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caramba! Ultimamente tenho pensado muito em você... sentindo falta das nossas notas musicais, dos filmes, dos documentários... Beijus,

      Eliminar
  24. Oi Luma!Pois é,existem muitos mitos e inverdades sôbre a amamentação que precisam ser esclarecidos de uma vez por todas!Muito bom teu post!E sôbre meu apê,não sou de receber muitas visitas aí vou me virar só com um banheiro mesmo e este fica bem perto da entrada e meu sofá vira cama,perfeito né?Bjo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Ane!
      Você como profissional da saúde bem sabe dos mitos e inverdades, mas vamos em frente tentando corrigir os erros que persistem por tantos e tantos anos.
      Ah, que bom que deu um jeito na arrumação do ap. A sua arquiteta deve ter dado ideias maravilhosas!
      Beijus,

      Eliminar
  25. Olá amiga Luma, muito bom, olha eu amamentei meu filho até os 2 anos, acredita? Não me arrependo, hoje ele está com 15 anos, sinto tenho ele e sinto falta daqueles momentos, já não tenho mais bebê, mas amiga sabe o que me ensinaram durante a gravidez eu fiz e deu certo? Sempre na hora do banho massagear o peito com um pente, bem de leve, e eu fiz até nos dias do nascimento do meu filho, não sei como mas deu certo , não tive dificuldade, o leite veio logo, forte abraço e fica aí um pouquinho de minha experiência, beijão querida.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Cristina!!
      Lógico que acredito!! Também acredito na saudade que sente e que ele seja um adolescente muito amoroso. A água quentinha do banho ajuda a massagear os seios e eu sabia que as buchas vegetais eram boas, mas não sabia do pente. Novidade pra mim!!
      Amoreco, estive longe da nossa comunidade por causa da última blogagem, mas logo irei no cafofo!!
      Beijus,

      Eliminar
  26. Parabéns pela campanha, Luma.

    Sabe, depois de ter amamentado até quando quiseram os meus dois filhos é que fui, muito por acaso, conhecer o argumento de quem não quis amamentar para deixar o pai dar mamadeira e, assim, aproximar-se da criança. Sem dúvida foi o argumento mais difícil de entender pra mim, juro. Tenho muitas palavras rudes para por pra fora diante desse tipo de atitude, mas já discuti tanto sobre isso dentro de alguns grupos que hoje encontro-me cansada. Acho que apertei o famoso botão de nome feio que muita gente fala por aí.

    Vejo amamentação como algo muito natural, quase como único caminho. Fiquei realmente surpresa de conhecer o mundo dos "empecilhos" à amamentação quando deparei-me com ele. Tantos depoimentos, lamúrias e justificativas... Até hoje custa-me entender.

    Bjs,

    Michelle

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Michelle!
      Também fico tentada a dizer coisas para certas mulheres, mas me contenho, afinal, o peito é delas, o filho é delas... mas se a mulher não tem problemas de saúde, por que não amamentar? Para mim esse corpo mole tem nome, só que também não vou dizer aqui (rs*)
      Adoro quando você vem...
      Beijus,

      Eliminar
  27. Luminha, dar o peito ao filho com consciência e carinho é vital. Meu filho, por exemplo, só se salvou de uma grave alergia intestinal porque mamou. Parabéns, amiga!
    Ando sumida e cansada com os afazeres domésticos, não aguento: vou tirar umas boas férias, mas volto, sempre volto. Te adoro, amiga!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Vanuza!!
      Tire um tempinho pra si durante o dia para descansar... cuide-se!!
      Tenho a boa vontade em pensar que muitas mulheres não amamentam porque não tem alguém para lhe aconselhar. No caso de doença, a criança se fragiliza mais ainda quando não é amamentada no peito! Acho até que muita mulher é sortuda por não amamentar e o filho ter saúde, outras amamentam e mesmo assim, os problemas chegam... Além da genética, tem o emocional... A minha vizinha "larga" os filhos e sai com as amigas. Ela tem sorte, tem uma funcionária que é uma verdadeira mãe para as crianças. Literalmente, pois amamentava seu próprio filho e também a da patroa recém-nascido. Enfim... a sorte nem sempre fica do nosso lado a vida toda.
      Te adoro também!!
      Beijus,

      Eliminar
  28. Blogar é um vício msm. E que bom que saudável, né, amiga?
    Obrigada por suas palavras e fico imensamente feliz que tenha gostado da indicação. Aguardarei com carinho.
    É um rosê, amiga, com a fonte em café e chocolate.
    Bjão!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Karin!!
      É um vício bastante saudável! Conhecemos pessoas, conhecimento e mutas alegrias!! :)
      Posso demorar um pouquinho para responder, mas responderei...
      Meus olhos andam me enganando no smartphone (rs*)
      Beijus,

      Eliminar
  29. Oi Luma
    Vc está de parabéns por mais uma vez estar envolvida em uma BC que é por uma justa causa, pode sempre contar comigo, não precisa nem convidar que eu tô dentro kkkk. Foi um super prazer participar desta BC, #tamo junto!
    Bjos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Lu!!
      Obrigada pelo apoio! Você é uma pessoa muito generosa! Te adoro!! #tamo junto!!
      Beijus,

      Eliminar
  30. Muito legal! Realmente não sabia que "leite fraco" era um mito e fui pesquisar mais a respeito. Ainda não sou mãe (acho que vai demorar um pouco ainda), mas tenho várias colegas que já são e vou compartilhar! =)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Fernanda!!
      O tal mito tem atrapalhado a vida de muitas mamães que querem amamentar e não consegue porque sempre existe alguém dando pitacos errados. Além desse, tem outros! Quem sabe eu ainda fale deles?
      Bom fim de semana!!
      Beijus,

      Eliminar
  31. Luma, foi maravilhoso participar mais um ano dessa blogagem coletiva. E espero pela terceira.
    Olha, me deu vontade de re-ler o livro de Glorinha, que como você disse, ela deixou escritos maravilhosos.
    Xeros

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Ana Karla!
      Aconselho a deixar o livro da Glorinha sempre à mão e remexe-lo vez ou outra, perceberá detalhes que na leitura normal não acontece. Parágrafos bastante reflexivos que a Glorinha deve ter pensado muito para repassá-los.
      A terceira edição? Hum... daí não depende somente de mim :) Tenho que sentir a necessidade do coletivo. Você pode expor essa vontade na página do evento e saberemos se a maioria quer ou não.
      Beijus,

      Eliminar
  32. Olá Luma
    Sabe que fiquei radiante com seu post e farei uma campanha aqui na cidade, há muitas adolescentes engravidando e como aqui o povo do hospital não dá muita atenção vou me intrometer um pouquinho e imprimir seu texto e colocar na fabrica e no hospital tenho vários amigos que trabalham lá. Acho que seu texto me motivou a me mexer e fazer alguma coisa, vou sim. Depois te digo o que aconteceu e se puder tiro fotinhos.
    Parabéns por sua colaboração nesta linda campanha pela amamentação, esta linda mesmo.
    Beijinhos e até mais.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Uau!! Que ótimo!! Depois me conta o que aconteceu?
      Obrigada, Verinha! As coisas do blogue ficaram atrasadinhas mas valeu a pena!!
      Beijus,

      Eliminar
  33. Num outro post já falei da minha experiência. Amamentei o quanto pude!

    Admirei o facto de ter postado um texto dessa sua amiga... Parabéns!

    Bjoss :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Odete!
      Precisamos valorizar o trabalho alheio :)
      Beijus,

      Eliminar
  34. Bom dia, amiga.
    Uma grande frustração que tenho é de não ter podido amamentar meu filho, pois, tomava remédios controlados e não podia parar.
    Um dia ele viu uma mãe dando o peito pra amiguinha, chegou em casa e veio procurar o meu. Como nunca ele tinha feito isso, perguntei onde ele tinha visto, ai ele explicou. Chorei tanto... tentei explicar dentro do entendimento dele que a mamãe não tinha leite. Depois de um tempo ele entendeu (acho) mas a minha frustração, ficou. Quem pode amamentar, AMAMENtE!! é antes de tudo um ato de AMOR.
    Bjs
    Lindo post.
    Bjs
    Lúcia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Lúcia!
      Uma pena que não pode amamentar, mas não o fez por capricho. Fez por um motivo maior e não pode se sentir frustrada por isso. Acho que o gesto do seu filho deixou essa marca de frustração, mas as crianças aceitam a realidade com mais facilidade e você tenha certeza que foi prejuizo emocional para o seu filho.
      Beijus,

      Eliminar

Tenha identidade, não seja anônimo na web. Crie sua identidade virtual.

...bisbilhotaram em quietude, sem solidão

PlagSpotter - duplicate content checker tool
Licença Creative Commonsget click

Algumas coisas não têm preço


finalista the weblog awards 2005finalista the weblog awards 2006
finalista the weblog awards 2007weblogawards 2008
Verificar conteúdo duplicado

Me leve com você...

Leia o luz no seu celular

Copyright  © 2014 Luz de Luma, yes party! Todos os direitos reservados. Imagens de modelo por Luma Rosa. Publicações licenciadas por Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial- Vedada a criação de obras derivadas 2.5 Brasil License . Cópia somente com autorização.

Tem sempre alguém que não cita a fonte... fingindo ter aquilo que não é seu.

Leia mais para produzir mais!

Atenção com o que levar daqui. Preserve os direitos autorais do editor