Um lugar para viver ou morrer - Flores Raras

Flores Raras e outras banalidades


Micuçu olhava o mar
E o céu, liso como um muro.
Viu um navio se afastando,
Virando um pontinho escuro,

Feito uma mosca, um mosquito,
Até desaparecer
Por detrás do horizonte
E pensou: "Eu vou morrer".
(...)
Urubu voou bem baixo,
Micuçu gritou: "Péra aí",
Acenando com o braço,
"Que eu ainda não morri!"

O poema acima é um trecho de "O ladrão da Babilônia", publicado no The New York em 1965, escrito por Elisabeth Bishop sob o impacto da poesia de João Cabral de Melo Neto, que antecipou a atual realidade brasileira: exclusão e violência em nossas metrópoles.

Micuçu, um ladrão que morre com um tiro no ouvido numa apologia à liberdade - o nome dado ao morro "Babilônia" seria inventado?

O Brasil teve um impacto muito grande na vida de Elisabeth, uma verdadeira relação de amor e ódio, para ela que escrever era um ato muito difícil. Deixou menos de 100 poemas, um número suficiente para lhe garantir um Pulitzer e para se colocar na linha de frente da poesia americana contemporânea.

Complicada e perfeitinha...é daquelas poetisas que menos é mais. Não aceitava o seu papel de poeta, não falava de seu trabalho, não se relacionava com intelectuais. Rejeitava os ornamentos, fez uma poesia direta e depurada, vendo com olhos duros o lirismo que estava a sua frente.

O poema "The Burglar of Babylon", foi escrito quando ainda morava no Rio, junto à sua companheira Lota. Enquanto esta lutava pelo Aterro do Flamengo, sendo derrotada e levada ao suicídio... Elizabeth olhava o morro da Babilônia através de binóculos; Alcoolizada, asmática e solitária, olhava Micuçu, olhava a cena da caçada que resultou na morte do bandido, enquanto ouvia a canção que tanto gostava: Não Identificado de Caetano Veloso, com Gal Costa.

Elizabeth Bishop e Maria Carlota Costallat Macedo Soares (Lota), dois gênios, uma poetisa e a outra, uma carioca apaixonada, modernista e criadora do Aterro do Flamengo que se conheceram em Nova York, numa viagem que começou e terminou em uma história comum - a paixão pelo Brasil, grande mediadora da relação dessas mulheres.

A arte da perda é fácil ter;
por tanta coisa cheia de intenção
de ser perdida não dá pra sofrer.

Perca algo todo dia. Perder
chaves aceite, junto com a aflição.
A arte da perda é fácil ter.

Treine perder muito sem se deter:
lugares, e nomes, a comichão
de viajar. Nada fará sofrer.

Perdi jóias da mamãe. E dizer
que perdi casas que amei de paixão.
A arte da perda é fácil ter.

Perdi duas cidades. E o prazer
de um continente na palma da mão.
Sinto falta mas não dá pra sofrer.

- Até perder você (a voz, o ser
que eu amo) não devia mentir. Não,
a arte da perda se pode ter
embora pareça (diga!) sofrer.
(Poema "uma arte")

Ouça o poema na voz da atriz Blythe Danner - Os lugares mostrados no vídeo são de onde Elisabeth viveu no Brasil e faz parte do programa One Art. Para assistir o programa na íntegra, faça a inscrição gratuita no site.

No Livro Poemas do Brasil, uma tradução de Paulo Britto, estão reunidos os poemas que registram o impacto do país na vida da poetisa. O livro pode trazer momentos não muito lisonjeiros para nós brasileiros, porém encerram poemas de imenso valor literário.

Elisabeth não economiza nas tintas - Gosta, mas não quer se deslumbrar e sim entender "O que tem de flora e fauna aqui parece um sonho". Mas se não gosta, não gosta mesmo e assume o tom crítico "Aqui há um excesso de cascatas; os rios amontoados e correm depressa demais em direção ao mar" - muita coisa se lê nas entrelinhas, atirando palavras na terra ou no sabiá.

Eu preciso de música que flua
nas pontas finas, frágeis dos meus dedos,
nos meus lábios amargos de segredos,
com melodia líquida e nua.
Ah, a antiga ginga sã e crua
de uma canção que aos mortos dê guarida,
água que me cai sobre a testa erguida,
o corpo febril, um brilho de Lua!

A melodia pode enfeitiçar:
magia calma, respiração pura,
um coração que afunda no abandono
da mansa, escura imensidão do mar
e flutua pra sempre na verdura,
amparado no ritmo e no sono.
(Poema "Soneto")

Para quem curte uma belíssima voz e os poemas de Bishop, sugiro ouvir Luciana Souza "The poems of Elizabeth Bishop and other songs", 13 composições da própria cantora, com Chris Cheek no sax; Bruce Barth no piano; John Lockwood no baixo; Marlon Browden na bateria e percussão.

Está feito, li o livro e espero a estréia do filme "Flores Raras". A escolha do vinho é com vocês!

"A maioria das verdades fundamentais da vida parecem absurdas da primeira vez que as ouvimos"

52 comentários :

  1. Luminha, são quatro da manhã e não consigo dormir. Já fiz tantas orações e nada de sono. Vim ver teu blog, e encontro essa poesia que fala do que me tribula o peito:a perda da voz em meu ouvido daquele que eu amo tanto. Mas, ainda persevera em mim a vontade de lutar por esse amor que me consome inteira. Acho que sou ou estou meio maluca. Beijo grande.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caramba... Aquiete-se!! Não brigue contra a insônia. Não está maluca, é que a noite tudo toma grandes proporções. Não à toa que os antigos diziam que pela manhã os problemas parecem ser menores. Um chá e uma boa leitura podem ajudar a ocupar a mente com outros pensamentos. Melhoras!! Beijus,

      Eliminar
  2. Há músicas que soam como poesias e poesias que se torna maravilhosas canções.Vemos isto nesta postagem.Abraço afetuoso dizendo também que embora ainda não tenha registrado no meu blog me desapeguei recentemente de um livro e foi algo muito,muito especial também!
    Bom dia Luma!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. *Corrijo-que se tornam...

      Eliminar
    2. Boas notícias, Bergilde!!
      Fico orgulhosa quando vejo mais e mais blogueiros adotando a prática do BookCrossing. O que um livro nos provoca de bom, também pode provocar em outras pessoas. Nenhum livro merece ficar trancado em uma estante!
      Elizabeth Bishop tem um poema entitulado "Eu estou precisando de Música" e se me lembro, algo assim:
      Há uma mágica feita pela melodia
      Um feitiço de descanso e sossego
      Coração, que afunda através de cores desbotadas
      Para o silêncio subaquático do mar
      continua...
      Beijus,

      Eliminar
  3. Olá Luma..:)
    Humm...efeito impactante da poesia visionária de João Cabral de Melo Neto: "Exclusão e Violência", males das grandes metrópoles da atualidade..:)
    Sabemos "as causas e razões" desses males, certo? ou será que não sabemos?..:)
    Questões políticas, sociais, econômicas e etcs.. estão envolvidas para solucionar os males da exclusão e a violência..:) porém, há "vultures" que sobrevivem também através delas..:)
    Elisabeth Bishop x Paixão pelo Brasil, isso, soa bem legal.. :)
    Visitarei com mais calma, os links indicados, ok?
    Ah..sobre aquela questão deixada no "comments", se herdamos um "pedacinho da alma" da progenitora; a ciência não prova nada disto, mas, quem sabe, no futuro não tão distante será desvendado esse mistério..:))
    Sobre o post de "gadjets" que nos auxiliam nos serviços do dia a dia, não sou contra, porém, o bom senso devereria ajudar a não criarmos tantas "sucatas"..:)
    Sobre o post de "sonhos de algodão doce", ainda bem que eram doces os sonhos de algodão doce, já deve ter percebido que estão se tornando "sonhos de algodão de aparências", ou seja, só visual neh..:)
    Ótemo e ótima semana!!
    A big Hug and Tchauzinho
    Música:
    01 - Project D.M.MU - Something you can do - Utraman Cosmos ending theme sub.Eng.Spanish
    02 - Sweet Cotton Flower - Algodão Doce

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Elena!!
      Elizabeth costumava dizer que os poetas brasileiros davam-lhe cãimbras na língua :) João Cabral lhe fez um poeminha:

      “Quem falar como ela falou
      Levará a lente especial:
      Não agranda e nem diminui,
      Essa lente filtra o essencial.”

      Logo depois que ela escreveu sobre o governo de Carlos Lacerda:

      “Você não sabia? Deu no jornal:
      pra resolver o problema social,
      estão jogando os mendigos num canal.
      E não são só pedintes os lançados
      no rio da Guarda: idiotas, aleijados,
      vagabundos, alcoólatras, drogados.
      Se fazem isso com gente, os estúpidos,
      com pernetas ou bípedes, sem escrúpulos,
      o que não fariam com um quadrúpede?”

      A paixão pelo Brasil durou um pouco mais do que o seu amor por Lota.

      Herdamos do nossos pais mas o convívio maior com as mães, nos fazem parecidas com elas.
      Ao produzir seus gadgets, as empresas deveriam destinar um lugar de descarte. Algumas já o fazem mas a população pouco procura saber sobre isso. As pilhas podem contaminar os lençóis freáticos, por exemplo. Somos os nossos maiores agressores.
      Adorei o vídeo com a flor de algodão. Muito criativo e parece que na lateral do carrinho, tem a imagem para escolhermos qual queremos. Pena que aqui no Brasil não se vê mais vendedores de algodão pelas ruas. Aqui na cidade que moro, não tem mais.
      Ultraman? Nossa... depois dele teve ainda Winspector, Solbrain, Jaspion, Jiraiya, Black Kamen Rider, Changeman, Lion Man, Jiban... Ainda não tinha ouvido a música tema :)
      Beijus,

      Eliminar
  4. Já ouvi falar sobre a história dessas duas, de um filme que fizeram. Mas não conhecia as letras das poesias dela. Adorei. Bem impactantes mesmo. Adoro conhecer coisas novas, que não sabia, que não conhecia.
    Beijos
    Adriana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Adriana!!
      Você deve ter visto um documentário que foi produzido por uma estudante de cinema que postou no youtube. O Filme está para estreiar...
      Elizabeth produziu poucas poesias ou melhor, foram poucas publicadas, no total de quase 100, mesmo assim, todas marcantes! Vale a pena ler algum livro de poesia reunida.
      Beijus,

      Eliminar
  5. Bravo, bravo Luma!
    O trecho do poema que intitula o post é muito bonito e angustiante também!
    É sempre muito bom conhecer fontes e autores novos!
    Não costumo ler muitos livros de poemas, apenas me concentro em poemas de autores clássicos, destes que costumamos falar com mais frequência... (sou franca mesmo) rsrs

    Ainda não conhecia as poesias destas magníficas autoras. Mas ambas me encantaram!
    É muita cultura que encontramos por aqui não é?

    Sinta-se abraçada querida, hoje, 22 de maio, é o dia do abraço!!
    Tenha uma ótima semana! :)))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Adriana!!
      Senti-me abraçada, obrigada!! Sinta-se abraçada também!!
      Que bom que gostou do texto!! Não é toda poesia que também gosto, preciso sentir a poesia na alma, preciso ser tocada... nem sempre conseguem, não é mesmo?
      Beijus,

      Eliminar
  6. Querida Luma
    Não conhecia o trabalho de Elisabeth Bishop, mas as tuas descrições e os poemas me fizeram admirá-la!
    Encantei-me pelo poema "uma arte"! Também perdi duas cidades e o prazer de um continente e fiz para não sofrer por amor!
    Adoraria ler o livro e ver o filme, ainda mais em boa companhia:)
    Um grande abraço
    Léia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Léia!!
      Quem ama sempre sofre! Pode ser clichê, mas é a pura realidade! Ainda mais quando temos mais de um amor! Dois países, duas famílias... a arte de amar é a arte de bem viver!!
      Beijus,

      Eliminar
  7. Oi Luma, me identifiquei imediatamente com ela e com seu gosto musical. Que pena o alcoolismo... Certamente é uma leitura a colocar em minha lista de desejos... Ando a mil, com outras de trabalho, mas assim que me libertar disso, ah, eu vou poder escolher...
    Beijo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Claudinha!! A música sempre anda junta com a poesia. Afinal, a música nada mais é do que a poesia cantada!! :) Uma pena o alcoolismo, mas pelo que percebemos, muitos autores demonizam seus pensamentos e precisam de uma companhia para a escrita solitária. Não estou justificando, mas a bebida dá a falsa impressao de estar acompanhado. Estou aguardando... beijus,

      Eliminar
  8. Já ouvira falar de Elisabeth Bishop, mas vc me despertou o desejo de aprofubdar. Adorei seu texto, ver e ouvir Caetano e ler os belos poemas.
    bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu entendo, Norma!! Vivemos o aqui e agora! Somente quando outra pessoa nos evoca uma lembrança, lembramos de todo o resto. Caetano é sempre bom!! Beijus,

      Eliminar
  9. Luma_maaada!
    Sempre a-do-ro qdo vc me visita, fico "me achando"rsrs. Fui conhecer Bishop há pouco tempo (uns dois anos acho)assistindo a peça Um porto para E.B. com a Regina Braga. O monólogo trata de seu caso amoroso com a paisagista Lota M.Soares aqui no Brasil.Hoje venho tb para pedir sua ajuda num projeto - PREMAMETTA _ bacanérrimo, seja divulgando aqui ou de outra maneira. Dê uma lida aqui
    Desde já, em nome da Ieda e no meu somos gratidão!
    Beijuuss e obriagada

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Regina!
      Seu blogue é sempre agradável e é uma mulher inteligente, sensível... camuflada em um converse cotidiano, chama a um questionamento maior. A sua forma de comunicação não assusta, pois é espontânea e o mesma resposta provoca em nós. Gosto muito do seu blogue!!
      Eu li sobre a Ieda Dias em um outro blogue, fiquei sabendo da sua disposição em trabalhar no "Prema Metta". Depois andei pesquisando e cai na reportagem da revista "Veja". Soube do projeto e fiquei a par da importância que é resgatar essas crianças. Faço algumas contribuições aqui no Brasil e sou voluntária em uma instituição específica. Acredito que ajudar perto, me faz mais feliz do que ajudar longe. Será que me entende?
      Mas fico grata pelo convite e reafirmo a minha admiração pela Ieda!!
      Não podemos salvar o mundo, tanto de lá, quanto o de cá... mas também acredito na união de forças. Uma força que vibra aqui e outra que vibra acolá, faz o mundo todo vibrar!!
      Beijus,

      Eliminar
  10. Gostei do post...não conhecia a autora...estou tentando voltar a ativa por aqui...bj e fk c Deus.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nana, tanta saudade de você... da última vez que acessei seu link, sue blogue tinha escafedido!!
      Vou lá ver o que aconteceu!!
      Beijus,

      Eliminar
    2. Não sei o que está acontecendo, mas o seu perfil está indicando que o seu blogue está fechado ao público. Que pena!!

      Eliminar
  11. Boa noite Luma..
    Menina,li no post e fiquei de queixo caído.
    E lendo os comentários eu fiquei ainda mais admirada..
    Que gostoso conhecer um pouco mais sobre as autoras, sobre essa história...
    Confesso que sou um pouco como "Peixe fora d'água" mas amo entrar aqui e encontrar tantas informações maravilhosas com a qual você sempre nos presenteia..

    Um beijo minha linda.. e uma noite super linda..

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Sheila!!
      Que bom que gostou!! Acho que a primeira vista pode se sentir fora d'água, mas agora depois que leu, já pode formular os seus próprios pensamentos. Quando um assunto é novo pra mim e se é do meu interesse, sempre procuro por mais informações.
      Se assistir o filme, acho que vai gostar mais ainda da autora!! Seu lado humano é muito dígno!!
      Beijus,

      Eliminar
  12. Uma pessoa tão talentosa e,pelo jeito,entregue à bebida. Um dia quem sabe a gente possa entender isto.
    Beijão,LUMA!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, DO!!
      Muito bom te ver por aqui!!
      Li em algum lugar que estão desenvolvendo uma vacina para o alcoolismo. O lucro virou prejuízo, então!
      Beijus,

      Eliminar
  13. Oi Luma
    Que belo post. Quero que saiba que te admiro muito, pois vc é um orgulho para os blogueiros, vc sempre faz seus posts com muito empenho e elaboração, este por exemplo foi uma aula kkkk. E a cantora Luciana Souza é a filha do Jair Rodrigues né?! Já pensou se fosse eu, estaria rica kkkkkkkk.
    Bjos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Lu!!
      Obrigada pelo carinho!!
      Ambas Lucianas, são pessoas riquíssimas!! :)
      Beijus,

      Eliminar
  14. Querida amiga
    Vim para lhe dizer que não me esqueci de ti, nem deste lindo cantinho, peço desculpas pelo meu silencio, mas tem sido por conta da vida, que em certas vezes nos pede um pouquinho de tempo para ela mesma. Vida que apesar de nos trazeres muitos desafios a desvendar, nos trazes a serenidade de te viver com muita alegria, paz e amor.
    Peço desculpas pelo recadinho montadinho, eu queria muito passar pelo seu cantinho para e ficar por mais tempinho e desfrutar do aroma deste lindo lugar, pode demorar um pouquinho, mas voltarei.
    Tenha uma linda tarde coberta de muita paz e Amor!
    Com carinho
    Abraço amigo
    Querida amiga se poder venha conhecer o meu site. http://www.mariaalicecerqueira.com.br/
    O meu muito Obrigado de todo o meu coração. Que Deus os abençoe!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Maria Alice!!
      O tempo anda escasso para todos nós. Por que será? Não deixemos que o tempo seja nosso inimigo!!
      Beijus,

      Eliminar
  15. Luma, não conhecia a Bishop, em tempos de "oba-oba" por conta de Copa, Olimpíadas e modismo, é interessante conhecer uma voz dissonante que achava que os rios daqui "corriam para o mar depressa demais", rs. Passo também para te deixar um beijo grande! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Adri!!
      O Brasil abunda, literalmente!!
      Por aqui tudo é demais! Muita cor, muito riso, muito ziriguidum, muita água... Rs.
      Feliz por vê-la novamente por aqui!!
      Beijus,

      Eliminar
  16. Olá Luma
    Que delicia ler este post, me senti uma aluna aprendendo um pouco de cultura, é como me vejo quando venho aqui. Uma vez li que Elizabeth Bishop pretendia ficar no Brasil por uma ou duas semanas e acabou ficando vinte anos, esta certa esta informação? Bom ela teve grandes perdas e sua vida foi bem difícil, mas seus poemas fizeram grande sucesso.
    Lindos poemas e musicas muito bom aprender por aqui, parece ser mais humano seu texto. Colocas um pouquinho de sua paixão pelo conhecimento e repassando nos faz muito bem. Obrigada pela visita e lindas palavras, coração agradece.
    Uma sexta feira de paz. Beijinhos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hahahaha Jura, Verinha? Preciso me policiar para não parecer um post didático!! Elizabeth viveu 15 anos no Estado do Rio de Janeiro e o restante do tempo em Ouro Preto.
      Eu que agradeço a sua companhia e espero que da próxima vez não se sinta uma estudante :)
      Beijus,

      Eliminar
  17. Não conhecia essa história, Luma. Bacana saber mais através do seu texto e dessas poesias tão lindas e fortes. Aliás, aprendi bastante com esse post. Beijos e boa sexta!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Sérgio!!
      Lemos nossos poetas e autores preferidos e muitas vezes esquecemos a vida do escritor que nem sempre foi gloriosa!!
      Beijus,

      Eliminar
  18. Luma,

    Apesar de já ter ouvido falar nas duas, não sabia nem um terço dessa história. Como é bom passar aqui e aprender mais e mais.
    Um lindo dia! Beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Lucinha!!
      Também estou aprendendo sempre!! Aqui por exemplo, omiti muitas informações, pois o texto ficaria enorme :)
      Lindo dia para você também!!
      Beijus,

      Eliminar
  19. Querida e sábia Luma
    Hoje aprendi mais um pouco consigo.Não conhecia essa autora. Vivendo e aprendendo.Muito obrigada por partilhar os seus conhecimentos connosco.
    Bom fim de semana.
    Beijinhos da
    Beatriz

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada você, Beatriz!!
      Beijus,

      Eliminar
  20. Mais uma vez você nos lembra para que serve mesmo a poesia, Luma: emocionar, falar de amor, fazer compreender o incompreensível da existência. A poesia é útil. Valeu. :-)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não todas as poesias, mas a maioria! Se não nos enche de dúvidas, nos enche de emoção!! Beijus,

      Eliminar
  21. Adorei o post, e acho que precisaria ler outra vez para assimilar tanta informação. Fiquei pensando se a Lota não era uma senhora que morava em Petropolis e adotou uma porçao de filhos, uma coisa muito bonita. Ou estou confundindo com uma relação de duas mulheres mais recente. Não tenho certeza. A Lota que estou pensando vivia sozinha. Já não mais com a companheira e não me lembro por que. Uma das filhas foi professora no colégio que minha cunhada tinha. Enfim, sei la Lumitcha. Vou pesquisar. Não tinha a minima ideia de que alguem criou o aterro do Flamengo. Essas coisas que a gente não pensa, acha que foi geração espontanea. Mas olha que combinaçao bacana, por que criar o aterro é tb pura poesia, de uma outra forma. É um olhar sobre a vida materializado no espaço. Genial essa dupla. E só voce mesma, para trazer esses temas tão completos como informação. Beijos,
    Cam

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Camille!!
      Acredito que não seja a mesma pessoa. Lota Macedo Soares, morreu por overdose de Valium, em 1967. Sobre a criação do Aterro do Flamengo, como o nome diz, um aterro - você pode encontrar informação na página da prefeitura da cidade do Rio. Sei que ali foram aproveitadas árvores e entulhos do morro de Santo Antônio. Na equipe de Lota, trabalharam paisagista Roberto Burle Marx, o botânico Luiz Emygdio de Mello Filho e os arquitetos Affonso Eduardo Reidy, Sérgio Bernardes e Jorge Moreira. Tudo gente fina!! :)
      Ciao!
      Beijus,

      Eliminar
  22. Oi Luma!Não conhecia as poesias de Elisabeth Bishop,apesar de ser tão famosa.De fato,belas poesias e merecido sucesso!Obrigada por sua presença lá no Recanto.As pessoas estão adorando a entrevista e bombou o número de visitas!Valeu mesmo,Luma!Boa semana pra vc!bjs,

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Anne!!
      Eu deveria ter lido esse comentário antes, ter lido meus e-mails... viu como a sua amiga é enrolada? Ainda não sei como consigo blogar... eu amei participar da entrevista. Você me fez muito feliz!! Beijus,

      Eliminar
  23. O lado quente da interação reside justamente nesta bela roda de informações. Aqui uma belissima apresentação de uma Elizabeth, que eu nao conhecia e que aqui amei. E vou querer pesquisar mais.
    Grato Luma.
    Um carinhoso abraço amiga.
    Beijo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Toninho!
      Que bom que te apresentei um lado da Elizabeth que você não conhecia. Também gosto de pesquisar e viajo nessas pesquisas que muitas vezes tomam outros rumos, sempre enriquecendo!
      Beijus,

      Eliminar
  24. Gostei do blog e do post tbm,já seguindo e curtindo!!!
    Bjus mil ♥

    http://blogluminoso.blogspot.com.br/

    https://www.facebook.com/pages/Blog-Luminoso/289065057863347?ref=tn_tnmn

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Liny!!
      Muito obrigada!
      Depois vou lá conhecer o seu blogue e fan page!
      Seja bem-vinda!!
      Beijus,

      Eliminar
  25. Luma, lembrei de ti na hora, pois conheci a Bishop aqui no seu blog: saiu cartaz e trailer do filme :)
    http://igay.ig.com.br/2013-06-13/filme-lesbico-de-gloria-pires-flores-raras-divulga-poster-e-trailer-oficiais.html
    Beijo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada pelo link! Vou lá ver!!
      :)
      Beijus,

      Eliminar

Tenha identidade, não seja anônimo na web. Crie sua identidade virtual.

...bisbilhotaram em quietude, sem solidão

PlagSpotter - duplicate content checker tool
Licença Creative Commonsget click

Algumas coisas não têm preço


finalista the weblog awards 2005finalista the weblog awards 2006
finalista the weblog awards 2007weblogawards 2008
Verificar conteúdo duplicado

Me leve com você...

Leia o luz no seu celular

Copyright  © 2014 Luz de Luma, yes party! Todos os direitos reservados. Imagens de modelo por Luma Rosa. Publicações licenciadas por Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial- Vedada a criação de obras derivadas 2.5 Brasil License . Cópia somente com autorização.

Tem sempre alguém que não cita a fonte... fingindo ter aquilo que não é seu.

Leia mais para produzir mais!

Atenção com o que levar daqui. Preserve os direitos autorais do editor