Parece que foi ontem...

Luz de Luma, yes party!

"Coisas que não tem nada em comum. O verão e o inverno. O preto e o branco. A pessoa amada e a odiada. Ainda que se trate da mesma pessoa, quando é querida ou não, parece completamente diferente" (Sei Shômagon, em "O Livro do travesseiro")

Os valores da vida social não surgem no céu como os raios e trovões. Autonomia, capacidade de convivência, diálogo, dignidade, igualdade de direito, justiça, participação social, respeito mútuo, solidariedade e tolerância são construídos primeiro na vida familiar, para depois ampliar com a convivência humana, seja na escola, no trabalho e mesmo no lazer. É preciso conviver cada um desses valores, para conhecê-los e compreendê-los para colocá-los em prática. Isso não é demodê. Isso é atualidade!

A ética é investigatória; ela quer saber os motivos do comportamento humano. O que te move são os valores que você acumulou e esses mesmos valores, disciplinam, orientam ou distorcem o seu caráter. Você não escolhe o caminho que quer seguir. Seu caminho é traçado a medida que você descobre a finalidade que quer dar à sua vida.

Parece que foi ontem que papai e mamãe lhe dizia: "Não pode". Papai e mamãe não lhe dizia "Pode"? Tudo o que "pode", está dentro do limite do "não pode". Esse "pode" e "não pode", está dentro de você. Saiba ir, mas saiba também quando regressar. O que parece certo, pode não ser. Ainda bem que temos os nossos valores!

79 comentários :

  1. Tudo começa em casa, inclusive os primeiros valores. Um ser que não é bem criado dificilmente terá uma conduta admirável ou um valor inestimável. Excelente texto. Bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Sérgio!!
      A criança aprende primeiro pela observação e vai absorvendo tudo o que vê. Por volta dos 5 anos, sua personalidade estará formada e os valores são incutidos pela coerência das palavras com as ações dos pais. Ter filho não é para qualquer um!
      Beijus,

      Eliminar
  2. Luma
    Perfeito, perfeito.
    E esse parece que foi ontem veio acalhar com essa nostalgia que nos acomete em épocas assim, materialismo, a parte. Lembrei da minha mãezinha e muito. Principalmente pela certeza de não poder AINDA passar o dia das mães com ela em Salvador.
    Mas a certeza de que quando estivermos juntas existem infinitas possibilidades de transforma qualquer dia com ela no melhor dia das mães da minha vida. É fascinante e acalentadora.
    E chacoalhou dentro de mim sua frase.
    Parece que foi ontem que nada me tira de perto dos braços da minha vida.
    Mas vida que segue não é ?? kkkkk

    Amei o post
    Bjs
    Debby :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É Debby!! Eu escrevi na lembrança, na nostalgia... minha mãe se foi, mas ela ficou em mim. O mesmo aconteceu com meu pai. Ambos se foram, mas estão perpetuados nos filhos. Acho que ser família é manter os mesmos valores em sincronia.
      Você pode não estar presente fisicamente, mas ela sabe todos os bons motivos que tem para não estar e isso é que importa: compreensão e acolhimento.
      Beijus,

      Eliminar
  3. A nossa família que nos cria e a base de tudo, sempre digo isso, inclusiva da nossa capacidade de se sentir bem no mundo.

    Beijocas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isso mesmo!! A família tanto constrói, como destrói a nossa auto-estima!!
      Beijus,

      Eliminar
  4. Olá Luma.
    Bem verdade. Temos mesmo de saber incutir valores aos nossos filhos e ter limites para as coisas. Agradeço muito aos meus pais todos os nãos que eles me disseram. Hoje compreendo.
    beijinhos grandes.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Dizer "não" muitas vezes é igual a dizer "eu te amo".
      Beijus,

      Eliminar
  5. Bom dia Luma linda!
    Limite é o que falta a todos os seres, quero dizer a quase todos, pois querem viver de forma desenfreada sem valores, passando por cima de tudo e todos.
    Também acho que resgatar os valores está atualíssimo.
    Pais precisam e devem dizer não, isso é orientação.
    Xeros

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bandido é tudo igual, pode ser de colarinho branco ou de pé sujo! Eu os colocaria na mesma cela, sem essa de previlégios porque tem um diploma. O diplomado, por ser diplomado considero agravante... rs.
      Beijus,

      Eliminar
  6. Muito legal,Luma! E ninguém vai adiante sem valores bem posicionados e mantidos. beijos,chica

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim. a casa cai quando nos damos conta que não temos base para seguir a vida... :( Beijus,

      Eliminar
  7. Nada a acrescentar. É bem assim Luma. Para isto existe o ninho.
    E a foto está uma delícia. Foto de uma criança experimentando o pode e/ou não pode...
    Beijão
    Astrid Annabelle

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esses pezinhos... sim, estão em um galho como um passarinho querendo saltar do ninho... que sensibilidade Astrid!! É por isso que eu te amo!! :) Beijus,

      Eliminar
  8. Os primeiros anos com a família moldam o nosso caráter, creio eu. A escola é complemento, mas a base é a família. bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Creia nisso, Claudya. Nossa personalidade se forma mais ou menos por volta dos 5 anos. E como a Astrid tão bem comentou acima, a família é o ninho. Beijus,

      Eliminar
  9. Um texto sucinto, mas que disse tudo.
    Luma, quando a moça aquela veste a calça (em Downton Abbey), o episódio termina. Ah, odeio qdo isso acontece. Bjs.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Patty!!
      Estou pensando seriamente em comprar o seriado... ah, mas no capítulo seguinte, nada?
      Beijus,

      Eliminar


  10. Valores vem da educação, vem de casa.
    Acredito sim que a vida vai nos colocando nos caminhos no qual precisamos passar.
    Feliz dia das mães, beijo Lisette.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Lisette, tem muitos pais confundindo dizer "não" com dar educação. O "não" apenas reforça aquilo que a criança presenciou observando. Se o pai diz "não" e a criança não acata, é sinal que o pai não está dando exemplo. Beijus,

      Eliminar
  11. Acredito sempre que os valores das famílias é que formam o cidadão e agora ? com tantas famílias desestruturadas , sem valores reais para transmitir , quem esta ditando o que pode ? o que não pode ? Acho que fiquei velha ...rsss

    bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. As crianças sempre procuram uma figura para se espelharem e pode ser um tio, ou um amigo da família, uma professora... então, se queremos filhos saudáveis mentalmente, temos que tomar cuidado também com as nossas companhias. Não está fácil criar filho, mas acho que nunca foi fácil! O mundo sempre foi violento, só que agora está escancarado! Lógico que vejo dificuldades para dar ao mundo um rebento, mas o que fazer?
      Falta assistentes sociais sérios que tenham um olhar mais crítico e menos complacente. Famílias se separam e dificilmente recebem a visita de um assistente, esses só aparecem em casas de pessoas que acataram filhos do coração. Não entendo. Deveriam visitar todos os lares!
      Beijus,

      Eliminar
  12. Luma, tem dias em que queria tanto alguém que me dissesse pra ir pra tal caminho, pra investir em tal coisa, pra deixar pra lá tal pessoa... mas a decisão é sempre nossa e o medo de errar é medonho... qto mais amadurecemos mais temos a certeza de que não podemos errar nessa fase da vida. Mas é impossível viver e não errar. Tanto o acertar qto o errar estão presentes em tudo. Só não pode o medo ser superior à fé e à coragem. Aí a vida fica estagnada.

    Bom dia, menina!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não adianta, Clara! Poderá aparecer enes pessoas dizendo que você não pode fazer aqui, porque vai se dar mal, mas para quem pensa mais com o coração do que com a razão, sempre seguirá suas próprias decisões. Mas dizem que precisamos bater a cabeça para aprender... rs. Beijus,

      Eliminar
  13. Luma trabalhando em um colégio sei bem o quanto esse "pode" e "não pode" fazem falta no dia de hoje. Os pais estão evitando o papel de pais. Querem ser apenas amiguinhos dos filhos e isso estraga a educação deles. O papel dos pais é árduo, penoso, sofrido mesmo mas ´necessário para a boa formação deles. Hoje, os jovens crescem sem valores dentro de casa e na rua, na escola, no convívio social querem fazer o que bem der na telha deles.Não sabem o que é respeitar o seu próximo, não dão valor aos sentimentos alheios e acaba dando numa juventude frágil, doente e que serão o futuro amanhã. Isso, confesso, me dá medo! E aí, não há escola que dê jeito! Excelente texto! Bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tenho uma teoria sobre essa questão, Roseli. E se alguém tem culpa é o EStado. Ele age de forma a colocar as famílias contra a Escola e vice-versa. Já imaginou se essas duas forças se unissem contra o Estado? E ele faz isso para se safar das responsabilidades!
      Também acho que não devemos pensar em futuro. O futuro é hoje!!
      Beijus,

      Eliminar
  14. Creio que tivemos sorte de ter esses valores hoje em dia acho que os jovens só escutam e não ouvem.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho complicado generalizar, mas por praticidade é assim que tem de ser. Não acredito no que a mídia faz com os jovens. Não existe só bandido, existem pessoas que sonham com um futuro dígno. Acho que estamos nesse pé, porque mexemos com a dignidade humana. O ser quando se sente por baixo, seus piores instintos afloram. Beijus,

      Eliminar
  15. Luma, boa tarde querida!
    Que riqueza de texto, que riqueza de valores, que riqueza de palavras!!
    O primeiro parágrafo está sublime!
    Os valores da vida se aprendem na convivência familiar, os valores íntegros e não maculados nos são passados e por sorte: agregados...
    Aqueles que não aprendem ou não escutam ficam à margem...

    Gostei muito do seu foco Luma, deu uma nostalgia, uma vontade de voltar a ser criança para repetir tudo o que recebi de mais ouro do papai e da mamãe...

    Beijos e uma ótima semana!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada você, Adriana!
      Quem educa sabe o quao repetitivos precisam ser! Quem ama não se cansa! E se a criança não ouve, é porque tem algum problema familiar que ela está detectando antes dos pais. Muitas vezes, são os filhos que educam os pais.
      Verdade, Adriana!! Mesmo que iludidos, quando crianças tínhamos a sensação de proteção.
      Beijus,

      Eliminar
  16. Colocar em prática, resgatar valores, precisamos tanto.
    Gostei da citação do livro do travesseiro, você leu?
    Beijo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Li sim, Ana Paula!!
      Esse livro é um clássico da literatura chinesa. Fala de uma mulher da alta sociedade que mantém um diário e nele critica o seu dia a dia que era fútil mas ao mesmo tempo cheio de sabedoria, pois Sei Shômagon era bem sábia...rs. Se você ler o livro, vai gostar!!
      Beijus,

      Eliminar
  17. Sim, nosso primeiro grupo de referência é a família. Depois vem o contato com o grupo escolar e as relações com outros grupos... O primeiro grupo de referência é a base para nossa relação com outras pessoas e a construção dos nossos gostos, identidade. Porém penso que podemos escolher um caminho a seguir. O que fazemos depois dessa escolha é que vai traçar nosso crescimento enquanto pessoa e enquanto ser profissional.

    beijos, Luma!

    Ótima semana!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas é lógico, Edilma!! Os filhos querem liberdade e os pais, por amor devem deixá-los soltos para suas próprias experiências. A função dos pais acaba quando o filho escolhe seu caminho, depois disso, existe o apoio, acolhimento, enfim, amor! Depois da aceitação de ambas as partes, acontecerá a boa convivência!!
      Beijus,

      Eliminar
  18. Olá, Luma..:)



    A dualidade, sem dúvida, faz parte de um ser ou indivíduo...:)
    Nem sempre somos anjinhos neh, mas, temos o livre arbítrio de escolher, qual caminho trilhar..:))
    Ótemo e ótima semana!
    A big Hug and Tchauzinho
    Música:
    01 - Danilo Caymmi - O Bem e o Mal
    02 - The case against "good" and "bad" - Marlee Neel
    01 - The Good and Bad Products of the Consciousness/Mind Factory: DAY 342

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Luma..:)
      Vou deixar o link correto de "The case against "good" and "bad" de Marlee Neel, ok?
      1.-02 - The case against "good" and "bad" - Marlee Neel
      Ótemo e ótima semana!
      A big Hug and Tchauzinho

      Eliminar
    2. Sim, Elena!
      É a questão de dar a vara para pescar e os filhos escolhem se querem pescar ou não! :)
      Amo essa música do Danilo Caymmi. Teve uma época que eu escutava muito Barbara Streisand. Que bom que você a trouxe de volta, mesmo que tenha sido sem querer!!
      Ah, Marlee Neel foi perfeita em suas colocações! Tem sempre um juri para apontar e dizer o que devemos ou não fazer e analisar o comportamento. Parece que o mundo está dividido entre pesssoas boas e as endiabradas, possuídas por algum ser estranho. Mas é o lance, para toda ação, existe uma reação! O que complementa o outro vídeo, a briga eterna do inconsciente com o consciente!
      Beijus,

      Eliminar
  19. Poder e querer saber porque se pode ou não pode , eis a quetão. "Nao pode, bebé"! -E porque não pode?
    Será que a pergunta tem resposta?
    Ainda bem sim Luma querida, que os valores são-nos transmitidos, mas nós os filtramos!
    Um ótimo fim de semana
    Beijinhos Grandesss!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Manuela!!
      Acho que depois de uma idade, as crianças começam a perguntar porque não podem, mas antes disso o exemplo diz tudo!!
      Beijus,

      Eliminar
  20. Oi Luma!Os pais dão as diretrizes da vida e, depois continuamos de acordo com nossa consciencia.Essa é uma boa educação!Excelente texto pra refletir!Bjs,

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também penso assim! Mas tenho visto muitos pais negligentes. Ou melhor, familiares negligentes, pois nem sempre a criança é educada pelos pais. Beijus,

      Eliminar
  21. Raulzito já cantava: "não tem certo, nem errado, todo mundo tem razão, mas o ponto de vista é que o ponto da questão". Certíssimo.

    Beijosssssssssssssssss
    ┌──»ʍi૮ђα ツ

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Para um adulto sim, Micha!! A criança nem sempre sabe o que é certo ou o que é errado. Beijus,

      Eliminar
  22. Ótima reflexão, Luma! Crescemos cerceados pelo "pode", "não pode". a imaturidade nos faz querer testar nossos limites justamente para construir nossa maturidade. Aos poucos vamos testando, obtendo sucessos ou fracassando, e aprendendo quais são os limites que nos lapidam e nos colocam em uma posição de respeito ao próximo.
    Até porque algumas coisas mudam, nossos pais muitas vezes querem nos proteger de tudo e só vivendo e buscando aprender com nossas experiências podemos construir nossa identidade. É sábio quem sempre recorda as lições que aprendeu e procura compreender o que se aplica à sua realidade.
    Um abraço!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Verdade, Bia! Vemos pessoas imaturas querendo entrar para o mundo adulto e associam o sexo e drogas como portas de entrada para esse mundo, justamente quando os pais não tem limites - pois eles mesmos vivem uma vida não exemplar. O arrependimento pode ser encarado como aprendizado, afinal, com ele enxergamos a nossa essência e o que realmente satisfaz o nosso próprio querer.
      Existe a necessidade dos pais deixarem seus filhos andarem com as suas próprias pernas, mas se há confiança nas relações, isso fica mais fácil.
      Estamos aprendendo a viver... sempre!!
      Beijus,

      Eliminar
  23. Oi, Luminha,

    Ainda bem que temos os nossos valores! rsrs. Acho que em nossos dias muita gente confunde valores com costumes, práticas sociais.
    Por isso mesmo essas pessoas combatem os valores, sem perceberem que sem eles há um retorno à barbárie; a vida fica impossível. Não concordo com a idéia de que "não existe um certo e um errado, tudo é relativamente certo ou errado". Esta idéia invalida a sabedoria acumulada, que tem custado muito à humanidade. Há valores que não são relativos, rsrs.

    Um beijo e boa noite!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Marly!
      Está corretíssima!! TAmbém acho que são os nossos valores que nos limitam a não passar do limite :) para a nossa própria sanidade e para manter uma certa ordem social.
      Sim, o certo para mim, pode não ser certo para você e por isso os valores são relativos. Mas alguns valores são comuns e esses não se discute!
      Beijus,

      Eliminar
  24. Luma, é verdade, o primeiro contato com os valores tem de ser experimentado em casa - lugar bem mais seguro para erros que a "vida lá fora". Meus pais foram muito bem neste quesito, sempre soubemos o que se deve e o que não se deve fazer, e como fazer, mas às vezes acho que o problema - dos outros, não o nosso - é que quem segue uma vida ditada pelos valores vai ficando cada vez mais para trás em uma sociedade que não anda ligando muito pra isso. É uma pena.

    Beijos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Em casa, sempre! Como haveria de ser diferente? Pelo menos em casa, pressupõe-se que estamos cercados de pessoas que nos amam e que apontaram nossos erros sem maldade.
      Como disse acima, existem os nossos valores, os valores da família e os valores sociais. Quem sabe circular entre esses valores, sem fazer chocar esses valores, viverá em harmonia.
      De certa forma, os filhos depois de crescidos, tomam seus proprios caminhos e valores. Cabe aos pais respeitar suas escolhas. Mas quando as escolhas chocam com os valores familiares, a tendência é a existência do conflito. É preciso conversação e muita "discussão". Se não houver consenso, das duas apenas uma, rejeição ou aceitação.
      Beijus,

      Eliminar
  25. Olá Luma... Me parece difícil deixar este pode e não pode, para olhar o horizonte e decidir sozinha... Mas na hora que são os filhos que começam a sair do ninho, ou seja, nós somos os detentores do pode ou não pode e isso começa a fugir de nosso controle, a coisa fica mais complicada... Gostei da reflexão. Estes pezinhos quase me mataram de saudade dos meus 'bebês' quando eram bbs...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esses pézinhos me pertencem, viu? :) Apesar de crescidos agora... rs. Esse deixar o ninho é mais complicado para os pais do que para os filhos. Para eles é apenas consequência e para nós, devemos confiar e lógico, observar e aconselhar... aqui pode entrar os valores tardios, quando antes não houve comunicação. Para não haver choque é preciso conversar desde a tenra idade! Assim se constrói a confiança! A falta de comunicação é o pior erro educacional!
      Beijus,

      Eliminar
  26. Oi, Luma. Bonito texto. Dá o que pensar. Acredito que a base do que o indivíduo será na vida lhe é dada pela família. É importante o "pode" e o "não pode" na hora certa, desde pequenino. Pena que a família vem sendo desacreditada cada vez mais.
    Abração.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A educação como um todo, não é mesmo J.F.? Mas como a sociedade é cíclica, acredito que a aproximação entre pais e filhos deve aproveitar esses ciclos. A falta de controle nem sempre é nossa e penso que no passado, os nossos antepassados pensaram igual! Beijus,

      Eliminar
  27. Luma, acabei de escrever um post sobre algo afim. No meu fazer diário, estes limites que deveriam vir de casa, simplesmente, não vêm. E é preciso estratégias eficientes para contornar esta deficiência.
    beijo, menina

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Denise!
      Quando escrevo um texto questionando o comportamento, sempre penso em meus amigos educadores e psicólogos, aguardando os pitacos! Afinal, não sou profissional da área, mas ferrenha observadora da raça humana!! :) Beijus,

      Eliminar
  28. Maravilhosa reflexão Luma.
    Mais do que palavras precisamos de exemplos das famílias. temos que resgatar valores mostrando para nossos filhos o quanto é importante um não na hora certa.
    Uma linda sexta feira. Beijos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, Verinha!! Se as crianças não tiverem exemplos, as palavras se tornam vazias!! Lindo dia para você também!! Beijus,

      Eliminar
  29. Feliz dia das mães, beijo Lisette.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Feliz domingo, Lisette!!
      Beijus,

      Eliminar
  30. Oi Luma:
    Você escreveu um excelente post.
    Nossos pais (família) são os primeiros a nos orientar.
    A escola, cabe apenas educar.
    E o resto, depende somente da gente, da nossa consciência e caráter.
    Fiquei contente em saber que meu aviso, foi útil pra você.
    E o resultado, é que indiquei seu blog para receber um selinho, ok.
    Passe no meu blog e confere o post.
    Bjs.:
    Sil
    http://meusdevaneiosescritos.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Silvana!!
      Somente pais negligentes acha que a escola vai educar. Na escola temos orientadores educacionais, mas não são eles que passam os valores familiares. A escola contribui com os valores sociais, mas não podem ter a responsabilidade total na formação do ser humano. Beijus,

      Eliminar
  31. Concordo com voce. O ser humano so é um EU, a partir do reconhecimento do outro. Isso é tão bacana. Alguem tem que contorna-lo- mamae e papai e depois mandar para a vida- a escola. Adoraria que cada escola tivesse pelo menos um psicologo. E que a interação com oa pais fosse maior. Assim como a participaçao dos pais na comunidade escolar. Esse mundo ideal nao é tão dificil assim. Dificil mesmo é ter um Brasil totalmente alfabetizado. Que coisa ne? Bjos e bom fim de semana!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Camille!!
      As escolas possuem psicólogos, mas não acho que o trabalho está sendo efetivo, principalmente pela falta de interação entre escola e família. Os pais não querem participar, são preguiçosos! Em todos os eventos escolares em que a família é convidada a participar, os pais fogem das consequências do ato de terem assumido a responsabilidade de gerar um criança. Lastimemos!! :( Beijus,

      Eliminar
  32. Querida Luma
    Adorei esses pezinhos.Tudo o que é pequenino, tem graça.
    O seu texto é uma ótima reflexão.A nossa liberdade acaba onde começa a do outro, ou, pelo menos, assim deveria ser.
    Como diz um autor de quem eu gosto muito-J.S.Nobre«É preciso que cada um vença as naturais dificuldades, faça um esforço maior e consiga ter aquela superioridade necessária para não só suportar mas compreender as diferenças alheias e conviver com elas.»
    Bom fim de semana
    Beijinhos da
    Beatriz

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ah, esse pézinho era do menininho aqui em casa que gostava de subir em árvores. A mãe não podia estar por perto, senão chovia o "não pode". Quantas vezes fazemos "vista grossa", não é mesmo?
      Por você estou conhecendo J.S.Nobre e para mim, ele já é um sábio. Belas palavras!!
      Beijus,

      Eliminar
  33. Oi Luma.
    Oportuna a meditação sobre a importância crucial dos valores sociais para o convívio civilizado, considerando que os mesmos parecem estar em queda livre em vários segmentos da nossa sociedade. Como você bem observou tudo começa com a família; educar para a vida em sociedade é, entre outras ações, sobretudo saber dizer não, promover o respeito ao outro e delimitar a fronteira do certo e do errado. Parece simples, mas não é.
    Beijo pra você, bom findi.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Verdade, Jens! Mas não é porque eles estão em decadência que vamos entregar os pontos, não é mesmo?
      Não é simples, principalmente impor respeito, já que de antemão, essa sociedade desrespeitosa, nos tira o que nos é de direito para mantermos nossa dignidade!
      Beijus,

      Eliminar
  34. Luma Linda, adorei os 'pode'/'não pode'...é justamente aí que moram liberdade e responsabilidade :-)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim! E quando alçamos voo, os nossos valores nos dita para onde irmos! Beijus,

      Eliminar
  35. Entro sabendo de antemão que estarei aqui com prazer. Mas saio sempre surpreendida pela riqueza da postagem.

    Uma temática que me toca em especial porque sou professora/educadora...

    Bjos, querida Luma :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ah, e eu prezo demais as suas opiniões!! :) Beijus,

      Eliminar
  36. Luma, adorei seu blog...
    Ética e valores, são tudo para a construção de uma sociedade melhor, gostei do seu texto!

    Obrigada por comentar meu post e por deixar a informação dos "Los Latinos", já até corrigi ;)

    bjos e bom fim de semana.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada pelo elogio!
      Seja bem-vinda!!
      Depois vou lá!!
      Beijus,

      Eliminar
  37. Luma,
    Acho ótimo você abordar sobre ética e valores. Numa época em que vemos os valores sendo mudados e a ética cada vez mais sendo deixada de lado, temos que ter a consciência de saber discernir o certo do errado sem pisar nas pessoas para progredir na vida.
    Big Beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Devemos condenar a conduta do "levar vantagem". Está certo que os pais tem medo dos filhos passarem por bobos, mas e o caráter? É preciso criar uma corrente para o bem, as pessoas terem mais respeito umas com as outras, para a construção de uma nova sociedade. Já estamos no fundo do poço, precisamos subir agora! Beijus,

      Eliminar
  38. Luma vim conhecer tua casa e simplesmente adorei, esta tua postagem está excelente, devemos sempre lutar pelos valores corretos eles foram totalmente invertidos pela maioria, parabéns mesmo beijos Luconi

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Luconi!!
      Seja bem-vinda!!
      Fazemos o que podemos quando assim queremos :)
      Acho que apesar da maioria, existem as pessoas que não estão satisfeitas com os desvios da nossa sociedade. Não precisamos aceitar o que está sendo imposto!!
      Beijus,

      Eliminar
  39. Oi Luma,

    É isso. Muito além do 'é de pequeno que se torce o pepino', é a questão da observação. De que adianta palavras dizendo: não faça isso, se o exemplo é diferente. Coerência. Exemplo, persistência. A coisa está feia nos dias atuais, a gente vê, lê, fica sabendo de cada coisa que entristece, desencoraja...mas acho que pais, familia tem um papel muito importante, e se ele fizer direitinho, as chances de acerto serão grande. É uma construção lenta, desde cedo, com muita paciencia e amor. E lá na frente se apresentará o fruto de quase tudo que foi ensinado no nucleo familiar. Beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Lu!
      Se nós que somos adultos estamos estarrecidos com o que vemos, imagina as crianças? Por mais que os pais dêem exemplos, elas são persuadidas pelo que vêem na tv, na internet quando os pais não estão por perto. E os pais estão ausentes, nem sempre por escolha! Em alguns países, estão convidadno a família a retornarem ao antigo modelo. Como está, a família não tem futuro! Beijus,

      Eliminar

Tenha identidade, não seja anônimo na web. Crie sua identidade virtual.

...bisbilhotaram em quietude, sem solidão

PlagSpotter - duplicate content checker tool
Licença Creative Commonsget click

Algumas coisas não têm preço


finalista the weblog awards 2005finalista the weblog awards 2006
finalista the weblog awards 2007weblogawards 2008
Verificar conteúdo duplicado

Me leve com você...

Leia o luz no seu celular

Copyright  © 2014 Luz de Luma, yes party! Todos os direitos reservados. Imagens de modelo por Luma Rosa. Publicações licenciadas por Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial- Vedada a criação de obras derivadas 2.5 Brasil License . Cópia somente com autorização.

Tem sempre alguém que não cita a fonte... fingindo ter aquilo que não é seu.

Leia mais para produzir mais!

Atenção com o que levar daqui. Preserve os direitos autorais do editor