Mãezonas, megeras e mulherzinhas

Luz de Luma, yes party!

Vocês acreditam em coincidências? Se eu não acreditava, hoje passei a acreditar quando começou a tocar 'Ferry Cross The Mersey' (Gerry and The Pacemakers) na volta para casa. Essa música é bem antiga, de uma banda muito boa, quase esquecida e que minha mãe adorava cantar. Ela foi tema de um filme que levou seu nome e também virou uma peça teatral, mas para nós, acredito eu, ela se tornou mais popular, quando foi gravada por artistas natos de Liverpool, Paul McCartney, The Christians, Gerry Marsden,  Holly Johnson and Stock Aitken Waterman, por conta do desastre em Hillsborough que matou 96 pessoas pisoteadas e outras tantas ficaram feridas.

"A vida continua dia após dia..." assim começa a música.

O que não é coincidência e sim força genética, foram os meus olhos. Eu os herdei de minha mãe, cor e formato e pelo jeito, outras coisinhas mais... um dia percebi que ela morava dentro de mim e que do outro lado do espelho está o rosto da minha mãe, olhando–me com olhos de espanto!

O espanto foi maior ainda, quando depois de um dia cansativo, comecei a apagar as luzes da casa. Subi as escadas para o meu quarto com a luz apagada, cheguei na saleta e perto da porta que dá para o terraço, não sabendo se lá fora a luz estava acessa ou apagada, já que o vidro é espelhado por causa da película de insulfilm, resolvi conferir no interruptor de energia. Esbarrei na luz de dentro e acendi a luz interna. Que susto! Eu jurava que a minha mãe estava ali na minha frente. Nessa noite fui dormir um tanto quanto impressionada.

Não conheci a minha mãe jovem. Quando ela me teve estava entrando na menopausa, mas ela tinha muitas fotos e que sempre olho.

A expressão "Tal mãe, tal filha" se aplica ao meu caso em muitos sentidos. Mas sei que essa possibilidade, foge para uma geração de filhas e como eu afirmei na postagem anterior, as mães não são as únicas responsáveis pelo caráter dos filhos. Quando falamos em "família", falamos de todos agregados na vida de uma criança, entre eles, os avós, os irmãos mais velhos, primos, tias... a família no sentido amplo da convivência.
Luz de Luma, yes party!
Isso é muito bom para as mães e elas podem tirar o peso das costas e ir à luta, dividindo responsabilidades. Ou não, algumas mães preferem o status de educadoras da prole. Para essas, eu sugiro a leitura do livro "Difficult Mothers: Understanding and Overcoming Their Power", escrito pela psicóloga Terri Apter, da Universidade de Cambridge.

Essas mães megeras precisam entender o corte do cordão umbilical quando a criança nasce. As mães influenciam o caráter dos filhos e padrões de comportamento mas (ufa!) ninguém está condenado. Talvez a dica ao educar, é se lembrar do que foi complicado na relação e não repetir na vida adulta.
Luz de Luma, yes party!
Vejam, não estou dizendo de mães de crianças pequenas, mas de mães de crianças (?) criadas (?) e adultas (?). Quem assistiu ao longa coletivo "Contos de Nova York", vai se lembrar da cena do curta "Édipo Arrasado", de Woody Allen, que ele leva uma bronca da mãe que aparece no céu, entre as nuvens? Allen personalizou aquela voz interior que dá umas cutucadas. É preciso aprender a conviver com essa voz sem ficar intimidada.
Luz de Luma, yes party!
O livro demorou dez anos para ficar finalizado. Na pesquisa, foram identificados cinco tipos de mães: a irritada, a controladora, a narcisista, a invejosa e a indisponível emocionalmente.
Luz de Luma, yes party!
No entanto, as que se enquadram nessas categorias são apenas 20%. Os outros 80% são de mães "normais", ainda que com defeitos. Se identifica?
Luz de Luma, yes party!
Mãe irritada cria filhos que não conseguem se relacionar por muito tempo, preferem fugir a ter atrito - os filhos sempre ficam em estado de alerta para que nada a perturbe. Já a controladora, gera pessoas inseguras que nunca sabem o que querem. Enquanto a narcisista tem filhos com duas grandes características: ou querem ser o centro das atenções, quando a mãe entende que o sucesso do filho faz parte dela, ou não querem se destacar por medo de ferir o ego materno. Filhos de mães invejosas parecem um pouco com esse segundo caso. Os rebentos ficam com medo do sucesso estragar a relação. Por fim, as indisponíveis emocionalmente. Estas, geralmente, deixam isso claro para o filho nos primeiros três anos. Começam já com uma depressão pós-parto e a partir daí não consegue se conectar com a criança. Os filhos viram pessoas tímidas e, como precisam ajudar a mãe desde cedo, ultra independentes.
Luz de Luma, yes party!
Se a sua mãe está entre os 80%, ótimo. Mas se você se encaixou em alguns dos cinco padrões... Vá ao terapeuta resolver isso logo! Parece que "Tal mãe, tal filha (o)" vai além das aparências...

Lembrando que dar carinho é diferente de mimar. E ao contrário do que diz a música, carinho demais, não faz arrepender!

Para quem sabe ser mãe, para quem tem mãe, para quem tem instinto materno, parabéns!!

Indicação de leitura: Inteligência Doméstica
As ilustrações desse post são de Clifford Harper

105 comentários :

  1. Luminha, você tem uma mente brilhante e sempre me faz pensar por onde anda as suas ideias. Cada dia surpreendo mais. Esse texto e o anterior casam muito bem com a data. Mãe é uma palavra que de imediato agregamos muitos valores tidos no passado, atualmente não mais! As mães estão a desejar quando valorizam mais a vida fora de casa. Elas passam muito tempo na rua e não é trabalhando. Existem exceções, porém cada vez mais raras.
    Muito bom refletir, principalmente quando é o nosso ego que é colocado à prova.
    Feliz dia das mães!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não quero que nenhuma mãe se sinta ofendida com o meu texto, mas vim refletindo depois que ouvi a música nas diferenças que mutas vezes geram atritos e que podemos reverter para o enriquecimento das relações familiares.
      As mães carregam um sentimento de culpa inexplicável, principalmente as que trabalham fora, mas as que são fúteis e possuem outras pessoas para dar amparo emocional as crianças, se safam da responsabilidade. Tudo tem que ser equilibrado e as que se sentem usadas como babás de suas próprias crias, deveriam chamar a participar os seus digníssimos maridos.
      Esses comportamentos acima, não aparecem do nada e é preciso refletir para não comprometer a vida da criança. Não criamos filhos para entretenimento ou para ter a quem amar, como bibelô ou dar satisfação social da nossa fertilidade. Enfim... cada um sabe do por quê teve filho.
      Feliz dia!!
      Beijus,

      Eliminar
  2. Acho que sou uma mãe bem normal, pelo menos a minha mãe estava nos 80%, risos...
    Feliz Dia das Mães!
    bjs
    Jussara

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Jussara!!
      Eu ainda não sei se sou normal, a minha mãe acho que sim... Nada melhor que um terapeuta para analisar o nosso comportamento. Mas uma coisa aprendi nesses anos todos, nunca diga "Filho meu jamais faria isso", como também não apontar erros nas relações, quando sabemos apenas o superficial.
      Feliz dia para você também!!
      Beijus,

      Eliminar
  3. FELIZ DIA DAS MÃES
    Eu só vim lhe desejar um dia lindo.
    Com flores pelos caminhos que você percorrer.
    Com gente feliz ao seu redor.
    Com chuvas de sorrisos e de olhares que vem da alma.
    Não importa se grandes notícias não virão hoje.
    Que também não venham as más.
    Que seu dia seja de paz.
    Que você esteja em paz.
    E que você olhe os problemas de cima, e as pessoas que você convive, com olho no olho.
    Que as palavras do dia sejam ‘leveza’, ‘doçura’, ‘calmaria’, ‘tranquilidade’.
    E que suas próximas horas sejam carregadas de pensamentos positivos e muita paz no coração.
    Só vim te desejar um ótimo dia.
    Colorido e florido.


    COM CARINHO
    ANA

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Ana!!
      Faço dos seus desejos, os meus desejos para você! :)
      Beijus,

      Eliminar
  4. Como gostei deste seu texto Luma. Sempre curto sua escrita, mas este que envolve a mãe, ou as mães, está especial. Vejo os olhos da minha mãe me olhando no espelho. Acredito que sou um mix de todas as qualidades que mencionou...mas bacana no final das contas.
    Tenho certeza que ficarei pensando ainda, algum tempo sobre o que li aqui....
    Feliz dia das Mães para todas!
    Beijão
    Astrid Annabelle

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sei que é, Astrid! :) Quando soube da pesquisa e fui me aprofundar em outros textos críticos sobre a mesma, analisei bem como foi a minha relação com minha mãe. Acho que assim distantes, focamos mais sem nos contaminar com o emocional! :) Beijus,

      Eliminar
  5. Bom dia Luma

    Mãe,
    Você merece atenção, carinho, cuidado e muito amor. Hoje mais um motivo para celebrar, agradecer e te homenagear. Parabéns pelo teu dia! Um feliz dia das mães recheado de amor, abraços e muitos beijinhos.
    Deixei um mimo pra lhe homenagear na postagem de hoje do gracita mensagens. http://gracitamensagens.blogspot.com.br/2013/05/colo-de-mae.html
    Beijos com meu carinho e minha amizade
    Gracita

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gracita, obrigada pelos votos e pelo mimo!! Adorei!!
      Beijus,

      Eliminar
  6. Luma eu nunca consegui uma relação muito intensa com minha mãe. Lembro que em menina, muitas vezes agia propositadamente contra o que ela queria. Também lembro de que muitas vezes dizia que ela não era minha mãe, e que se um dia fosse mãe nunca seria como ela. Contrariamente à relação que sempre tive com meu pai que eu amava e admirava como um herói. Nos longos 27 anos de sofrimento que ela levou acamada, sempre a tratei o melhor que pude e sabia e tenho a certeza que ela percebeu o meu amor. Hoje tenho saudades dela. Mas não posso mentir. Doi-me muito mais a ausência do meu pai.
    Um abraço e um feliz dia da mãe que em Portugal se festejou no domingo passado.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Elvira!!
      Acho que todos os filhos em algum momento se revoltam por almejarem pais diferentes para si. Talvez a privação do carinho por conta da ocupação que os pais exercem, ainda mais quando apenas pai e mãe sentem o peso da responsabilidade na criação dos filhos.
      O popular sempre diz que as filhas sempre são mais apegadas ao pai, mas vê como são os desígnios de Deus... você foi a cuidadora da sua mãe e todas as palavras que um dia disse à ela, foram revertidas em ações de cuidado.
      Obrigada pelo carinho!!
      Beijus,

      Eliminar
  7. Eu acho que preciso ir ao terapeuta! (rs). Minha mãe, é mãe de 3. Eu, e mais dois gêm. Nascemos com pouca diferença de idade, ela precisou da ajuda da minha avó materna (mais perto no momento) para nos criar. O que mais me lembro da minha infância é minha mãe estar ausente de mim, sempre às voltas com minha avó na cozinha, ou atrás dos meus irmãos. Foi bom, pois desde cedo eu me acostumei a ser muito independente. Por outro lado, hoje sinto que faltou alguma coisa. Porém, já passou essa fase. Atualmente, estou bem mais envolvida com a minha mãe. Feliz Dia!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Todos nós, Claudynha!! :) A imaginação infantil vai longe e muitas vezes lembram apenas do que foi filtrado e no caso das suas lembranças, pode não serem reais. Na sua lembrança infantil, você desejava que a sua mãe passasse mais tempo com você e a sua carência se lembra apenas do tempo que ela gastava com seus irmãos e avó. Isso não é prova que sua mãe gostasse menos de você... Curta bastante os momentos com sua mãe!! Beijus,

      Eliminar
  8. Oi Luma Parabéns pelo seu dia. Minha mãe é uma super amiga, tudo meu é com ela, segredos, tristezas, e alegria.
    É uma pessoa forte, determinada, batalhadora, sempre alegre e sorridente. Fiz\ uma homenagem na Literatura com uma música linda que ouvi em uma homenagem na instituiçao ao qual trabalho, que achei linda.
    Beijos a todas as mães,

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sortuda você, Rute!! Foi e é muito amada e por isso tem muito amor para dar!! Logo mais vou lá ouvir a música!!
      Beijus,

      Eliminar
  9. Também gosto muuuito dessa música! Como diz um amigo meu, psicólogo, "excesso de amor, qualquer psicólogo de m#&*@ conserta em 3 tempos, já a falta dele sai muito mais caro e dá um trabalhão. Minha mãe tá lá nos 80%. Feliz dia das mães. O meu está sendo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Lili!! Seu amigo está corretíssimo!! As mães podem pecar pela falta, mas nunca pelo excesso :) Beijus,

      Eliminar
  10. Me esforcei bastante,aqui comprovo, pra não estar dentre os tais 20%, já que minha mãe se encontrava nesta difícil categoria.
    "Se chorei ou se sorri( e tudo o mais que entre isto implica)o importante é que como mãe eu vivi(agora ainda mais,sendo avó)"__ com a pedida permissão do compositor da canção citada, rsrsrss
    Hoje é data marcada, mas cada dia reflete o nosso ser Mãe!
    Um dia de muitos e grandes sorrisos pra ti, Luma.
    Bjos,
    Calu

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Calu!! Muita coisa você aprendeu com a sua mãe e por isso amadureceu mais rápido e pode encontrar suporte para educar seus próprios filhos. Superação!!
      Muitos sorrisos para você também!!
      Beijus,

      Eliminar
  11. Luma, a arte de ser mãe é sempre imperfeita e cheia de borrões, mas ainda assim é arte é dom. Eu sou daquele tipo bem antigo, mãezona, tipo heroína que arrasta a língua no chão pelos filhos.No bom sentido, dentro do limite e da razão, é claro! Meu grande abraço!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Uma mãe carinhosa e que pensa na prole, pois assim deve de ser!! Beijus,

      Eliminar
  12. Oi, Luminha,

    Mãe é criatura fundamental e a forma como ela se relaciona com os filhos - para o bem ou para o mal é o que faz o mundo ser como é, rsrs. Em minha vida eu já tomei conhecimento de pelo menos três crimes cometidos por filhos de mães indisponíveis emocionalmente. Um deles teve grande repercussão aqui no Brasil, porque o cara era uma figura de destaque, no jornalismo. Acho que os rudimentos sobre a maternidade (e o casamento)deveriam ser ensinados nas escolas. Estas coisas são sérias e a vida já provou sobejamente que só o "amor" - impulso que leva as pessoas a se unirem e também a terem filhos - não é suficiente.

    Um beijo, boa noite e boa semana!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Perfeito, Marly!! Não podemos culpar as mães pelos males que existem no mundo, mas ela tem sim a sua carga de responsabilidade ao criar um filho. Para deixar que ele alce voo, precisa de preparo! Algumas mães praticamente lançam seus filhos ao mundo como se tivessem se livrando de uma grande carga!
      Feliz dia das mães!!
      Beijus,

      Eliminar
  13. Olá Luma, postagem muito rica. Parabéns!
    Sou e sempre fui uma mãe normal, daquelas que erram e acertam... que vivem e deixam viver...

    Abração
    Jan

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isso é bom demais!! :)
      Beijus,

      Eliminar
  14. sempre arrasando nas postagens, Luma.
    E minha mãe está nos 80%, graças a Deus.

    Beijosssssssssssssssss
    ┌──»ʍi૮ђα ツ

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Graças a Deus... rs. Obrigada, Mi!!
      Beijus,

      Eliminar
  15. Cada vez reconheço mais minha mãe em minhas atitudes. Todas as coisas que eu detestava que ela fizesse, hoje eu faço com minhas filhas.
    É batido, mas o "Você entenderá quando for mãe" é mais cerdadeiro do que nunca.
    Feliz Dia das Mães! ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mãe é tudo igual, Herika!! Só muda o lugar...rs.
      Dizem também que nós viramos amigas de nossas mães quando temos nossos próprios filhos :)
      Beijus,

      Eliminar
  16. Amei teu post, Luma! Acho que estou nos 80%, mas uma coisa é certa, tenho tanto da minha mãe que às vezes meu marido me chama pelo nome dela, por eu ter feito alguma coisa igual, ou um gesto, sei lá.
    Que tenhas tido um dia perfeito de mãe, cosquirídia.
    Bjim

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Rosa!!
      Nossa, ser chamada pelo nome da mãe, é sinal de que é mesmo parecida!! Estou ficando a cópia de minha mãe, o que acho muito bom! Sempre achei a minha mãe bonita :) Um dia lindo pra você também!! Beijus,

      Eliminar
  17. Texto de excelência!!!!Parabéns sempre amiga por tanta riqueza literária.Grande beijo na alma!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Zilda!! ESpero que esteja à altura dos leitores do "Luz". Um carinho é sempre bom!! :) Beijus,

      Eliminar
  18. Jesus! Sou controladora! Vejo minha filha tao dependente de mim e super protejo-a. Preciso rever meus conceitos e atitudes. Beijo, menina

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É o que estou fazendo também, Denise!! Acho que o controle e ansiedade quando juntos não fazem bem. Muitas vezes não espero que façam e vou logo fazendo. Há de ter uma certa paciência e amar o que fizeram, mesmo que não tenha ficado perfeito. Como dizem, a prática faz o monge. Se queremos os filhos prontos, eles tem que exercitar o que ensinamos. Beijus,

      Eliminar
  19. Eu sou aquele tipo de mãe bacana e águia ao mesmo tempo,deixo meus filhos se sentirem livre,mais meus olhos sempre estão focados neles,e andem em volta das minhas asas,amiga eu falei sobre selinho?nossa então estou ficando louca,pois não passo selo e nunca dei selinho pra ninguém acredita?sempre agradeço deixando o link do Blog lá,amiga me perdoe,mais eu falhei ,deve ser essa correria que envolve a Blogosfera né?bjs
    http://www.simonebastos2007.com/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Simony!!
      Gostei da figura de mãe águia!
      Vou procurar pelo outro comentário, para também ver se não fiz confusão. Mas acho que não, heim? :)
      Sem perdão!! Agora vai ter que vir todo dia aqui!! (rs*)
      Beijus,

      Eliminar
  20. Um texto bem reflexivo. Parabéns.
    Obs. Preciso saber o dia da sua participação na Série (hoje, 14 ou 15) Aguardo.
    bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Luma, bom dia!
      Obrigada a dica no meu blog ;)
      Quanto ao seu texto: ainda esta cedo para identificar qual tipo de mãe eu sou (meu filho tem só 8 meses) acho que sou um projeto de mãe ainda , tento fazer o possível pra atender as necessidades do meu filho, estou aprendendo ainda,estou preocupadíssima com a educação dele.
      Narcisista , inveja e indisponível emocionalmente, eu definitivamente não sou.
      Agora , tenho que tomar cuidado , por ser um tiquinho irritada, e (bastante) controladora...
      Mas, vou tentar melhorar isso...

      Eliminar
    2. Estou me organizando, Norma! Vamos ver até o dia 15...
      Beijus,

      Eliminar
    3. Oi, Joy!!
      Não precisa agradecer...
      Ainda não dá mesmo, ainda mais nessa fase de vida do seu bebê em que ele descobre que é um ser à parte da mãe. Muitos se apegam mais, ficam com medo dessa constatação e querem apenas o colo da mãe. Alguns que antes eram bem dados, passam a chorar e ficar irritados quando alguém chama para ir no colo. Vai ver!
      Curta bastante essa fase. Tenho certeza que será uma mãe normal :)
      Beijus,

      Eliminar
  21. Voce sempre dizendo coisas certas nas horas certas,
    Feliz dia das maes porque ele é todo dia.
    Beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Bandys!!
      Espero que sim!
      Obrigada e sinta-se abraçada por mim!
      Beijus,

      Eliminar
  22. Para mim, cuja profissão foi Educação este seu post teve muito interesse.

    Só que eu não creio nem coincidências nem acasos, rrss

    Boa semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, São!
      Basicamente não acredito, mas em algumas situações, não tem como negar que alguns fatos desencadeiam outros, ou nos aproveitamos disso para o nosso inconsciente resgatar acontecimentos passados que nos fazem pensar e refletir o presente. Beijus,

      Eliminar
  23. Belo e consistente texto.Nem sempre é fácil a missão de mãe.O segredo é ter leveza na alma e amor no coração.Amei.
    Bjs Eloah
    Ah! acho que me encaixo nas 80% normais.Será?Dúvidas...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Eloah!!
      Praticar esse "segredo" no dia a dia precisará de bastante exercício, pois nem sempre a leveza acontece, apesar do amor latente!
      Acho que se encaixa sim!! É muito amorosa e sinto que é uma mulher emocionalmente estável.
      Beijus,

      Eliminar
  24. Sabes que gostei mesmo desta tua reflexão Luma?
    Vê-se filhas culpabilizar a miúde a mãe pela imposição de regras a que não podiam fugir. Ma há sempre uma fuga...só que nem todas têm essa capacidade!
    O importante é saber gerir o agora...
    um grande abraço, Yes!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Manu!
      Está certa em sua afirmativa. Mais fácil culpar do que aceitar os próprios erros :) O passado morreu, o importante é o presente!! Beijus,

      Eliminar
  25. Gostei muito da reflexão que este post propõe. E principalmente o seu comentário falando de equilíbrio. Algo tão difícil nos dias atuais.
    beijo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Ana Paula!!
      Que bom que gostou! O equilíbrio vem mesmo da divisão de responsabilidades. A mãe, quanto mais responsabilidade ela tem, mais ela se sente culpada. É uma sensação de não estar dando conta do recado. Beijus,

      Eliminar
  26. Oi Luma!Arrasou com esse texto!Ainda bem que me sinto como a maioria das mães falíveis e normais!...rss...lembrei da cena do Woody Allen e é muito divertida mesmo aquela mãe fazendo o coitado pagar mico em publico!...rss...muito a refletir nesse excelente post!bjs e boa semana....ah! já mandei as perguntas pra vc!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Anne!!
      Acho que o pior erro de uma mãe, ou melhor, de uma mulher, é querer ser a melhor! A maternidade, assim como todo o processo anterior foi normal, deve seguir seu curso com naturalidade. E pagar mico é tudo de bom!! :) Beijus,

      Eliminar
  27. OI LUMA!
    MUITO BOM TEU TEXTO.
    ACHO QUE A GRANDE MAIORIA DAS MÃES SÃO BEM INTENCIONADAS, COM RELAÇÃO A FILHOS MAS ERRAR, É DO SER HUMANO, ENTÃO SOMOS NORMAIS, AMAMOS MUITO E ERRAMOS TAMBÉM.
    ABRÇS
    http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, Zilane!! Como bem disse, a maioria que se enquadra nos 80%. O que preocupa são os 20%... rs. Beijus,

      Eliminar
  28. Ótimo post, como sempre, Luma!
    Certamente o dia das Mães foi muito alegre em sua família. Parabéns para você e para sua mãe.
    Achei muito bonita a sua história de ver a sua mãe em sua imagem refletida ao acender a luz. Essa revelação pode ser o começo de um belo conto.
    Beijos e ótima semana.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Sônia!!
      Infelizmente a minha mamã já não está mais fisicamente comigo e por isso o susto ao ver a imagem refletida, tanto no vidro da porta quanto no espelho.
      Um conto... ainda não tinha pensado sobre isso :)
      Beijus,

      Eliminar
  29. Olá Luma!
    Que bela homenagem do Dia das Mães....adorei também as imagens escolhidas!
    Olha eu já vi cada cosplay de CDZ de outros personagens que chega a ser inacreditável de tão perfeito! Aos poucos vou postando no face!
    bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Tsu!!
      Me divirto muito indo ao seu blogue e olhando os Cosplay. Por aqui onde moro, não vejo essas coisas. O pessoal é mais ligado em eventos locais. Você poderia fazer uma postagem contando a origem dos cosplay, que tal!!
      Obrigada pelo carinho!!
      Beijus,

      Eliminar
  30. Oi Luma! Um dos sentimentos mais livres é a afinidade. Tenho muitas afinidades com a minha mãe e vejo muita afinidade entre mim e Laura. Faço terapia há 4 anos, por isso creio que sou uma mãe normal!! Excelente reflexão do seu post. Levo comigo a dica do livro. Obrigada. Beijo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Renata!!
      Dizem que a afinidade é a verdadeira respostas que as almas dão quando encontram complementação. Acho lindo ver 3 gerações em sincronia. Vocês devem ser uma família feliz! Acho ótimo que faça terapia e indico sempre!
      Beijus,

      Eliminar
  31. Olá Luma!!
    Bastante interessante a análise que fez de mães de diferentes tipos. Abraços.Sandra

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que bom que gostou, Sandra!!
      Beijus,

      Eliminar
  32. Excelente post, como sempre!
    Bem, acho que a minha mãe é 'normal', mas com alguns defeitos... rs! Pelo menos não a vejo como nenhuma das 5 em estado de alerta... hahaha!
    Ótima semana!!
    Bjns
    :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hehehehe também acho que a minha mãe era normal :) Mas há de ter um cadinho de insanidade para sermos felizes!! Ótima semana para você também!! Beijus,

      Eliminar
  33. Olá Luma..:)
    As leis de Mendel explicam as características hereditárias que herdamos dos pais.
    O dna é o ponto forte em matéria de identificação das características genéticas..:)
    Hum..mães anormais: a irritada, a controladora, a narcisista, a invejosa, e emocionalmente indisponível..:)
    Futuramente teremos mães do tipo robot você sabe neh..:-), elas não vão ficar estressadas e nem desiquilibradas..:))
    Ótemo e ótima semana!!
    A big Hug and Tchauzinho
    Música:
    01 - Pink Floyd - Mother

    02 - John Lennon - Mother

    03 - A Mother's Hope-Anime

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Elena!!
      As características hereditárias até compreendemos, mas quando as características estão evidenciadas além das aparência, quando você se vê nos gestos e nas condutas de seus pais, mesmo que não tenha convivido tanto com eles, pensamos que a alma também tem a sua carga genética. Que acha?
      Gosto muito dessa música do Pink Floyd. Tanto que o meu filho já a gravou para mim... A música do John Lennon também é bonita, mas eu desenvolvi uma certa antipatia por ele (inexplicável). Talvez tenha a ver com a pergunta que lhe fiz acima :)
      Você sempre me presenteia com animações belíssimas. Mais uma para guardar no coração!!
      Beijus,

      Eliminar
  34. Mãe,parte daquilo que sou com seus defeitos que não necessariamente correspondem aos meus e com qualidades que procuro imitar.A minha soube dar-me asas para voar sem jamais deixar de estar presente na minha vida.
    Luma,seus posts são sempre muito ricos em informação e conteúdo bem elaborado,conseguindo aliar tanto experiências pessoais como gerais.Deixa-nos muito espaço para comentar.Obrigada por isto!
    Abraço carinhoso,

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Bergilde!
      É engraçado constatar que quando estamos educando os nossos filhos, lembramos mais das nossas mães...
      Obrigada, pois é assim que me permito trocar ideias na blogosfera e saber mais dos meus amigos blogueiros :)
      Beijus,

      Eliminar
  35. Amada Luma! Phodástico teu post... e cá pra nós: vai bem de encontro com minha linha de pensamento... A minha mãe sempre diz uma coisa que eu sempre reafirmo: amor de mãe é pior que bomba atômica. Forte, intenso, poderoso... mas - em determinadas situações - pode ser devastador, nzé? Hehehehehe! Bjos, queridona!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Fred!
      Concordo com sua mãe e com você. Não podemos nunca duvidar do amor de mãe, pois nunca sabemos do que ele é capaz!! :)
      Beijus,

      Eliminar
  36. Eu tenho certeza de uma coisa: minha mãe é super exigente. Isso me ensinou que não podemos agradar a todos. Ou foi uma historinha que eu li na infância, é, pode ser. Eu tb sou exigente, os níveis aqui de casa são super elevados. Pobre da próxima geração! Bjs.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Patty!!
      Em geral, quando os pais são muito exigentes, a criança cresce tímida e insegura. Satisfazer os pais não é fácil, até porque eles são os donos da palavra e a criança não sabe nada! Mas a sua mãe, além de exigente, deve ser amorosa e por isso você se desenvolveu positivamente. A próxima geração vai dominar a família!
      Beijus,

      Eliminar
  37. Olá Luma,
    Assim como a minha mãe, acho que sou normal. Tudo na medida certa para colher bons frutos e para ter uma amizade deliciosa. Ah!!! Como éramos (somos) amigas!!! Saudades de quando podia ligar e desenrolar uma história com nossos "causos". Hoje ela está em cima de uma cama...Mas...Tento ser muito amiga das minhas filhas e acho que esse é o caminho.
    Que os querubins nos protejam sempre! Beijos mil

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Teresinha!!
      Sinto muito pela sua mãe... entendo a falta que sente!! Que os querubins nos protejam!!
      Beijus,

      Eliminar
  38. LUmaaaaaaaa que maravilha

    Fiquei tentando um bom tempo ver em que perfil eu me encontrava kk mas pelo comportamento, atitude e educação dos meus filhos acho que sou um tanto quanto normal.
    E fiquei feliz com o resultado.
    Mas adorei seu texto
    Parabéns
    Adorei as indicações

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Debby!
      Quando li a pesquisa também fiquei procurando me encaixar! Que bom que não encaixamos, não é mesmo? :)
      Beijus,

      Eliminar
  39. Muito boa sua postagem.
    Interessante sua narração sobre "sua mãe" no reflexo. Também me dizem que sou a minha mãe quando era mais nova.
    Acredito que, principalmente hoje em dia, não é fácil ser mãe. As crianças nascem sabendo de tudo e são extremamente influenciáveis pelos acontecimentos externos e infelizmente, muitas mães com medo de proibir, acabam criando monstrinhos sem regras e limites.
    Educar com responsabilidade e amor é algo raro hoje em dia.

    Que sua semana seja maravilhosa.
    Abração.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Bruxinha!!
      Foi um baita susto, isso sim! Até porque a minha mãe já não está entre nós :)
      Não sei se as crianças sabem de tudo. Acho que os pais já entendem assim e não se colocam no lugar de pais. Criança precisa aprender as regras da casa dos pais, para depois entender as regras do mundo. Alguma coisa a ver com limites... rs.
      Boa semana para você também!!
      Beijus,

      Eliminar
  40. Oi Luma,

    Atrasada para o dias das Mães, rsrs. Quando criança eu achava que a minha mãe era a irritada, e vejo algumas irmas repetindo isso. Mas hoje acho que ela foi normal...muitos acertos, alguns erros, normal!
    Um beijo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Lu!
      Até certo ponto é normal a mãe se irritar. Pense em uma pessoa que tem que ficar o tempo todo repetindo o que falou, porque os rebentos não fizeram aquilo que ela ensinou. Essa repetição cansa os pais, que dirá a mãe que, em geral, é a que passa mais tempo com os filhos.
      Beijus,

      Eliminar
  41. Adorei a postagem! minha mãe é minha amigona!
    beijos ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Priscila!!
      Tô sabendo...
      Sua mãe disse acima :)
      Beijus,

      Eliminar
  42. eu também pareço muito com minha mãe,
    e quanto mais "envelheço, mas essa semelhança se acentua.
    pareço com ela sò fisicamente,e nao caratealmete, graças a deus.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Edna!!
      Em algumas famílias, enquanto as filhas envelhecem, a mãe rejuvenesce... ficam quase que com a mesma idade! Aí sim acontece a compreensão e achamos que estamos a cópia da mãe.
      Beijus,

      Eliminar
  43. Como filha posso falar da minha mãe.
    Ela foi, e é uma mãe que soube dar educação, dignidade, bons modos e nunca nos influenciou com suas opiniões.
    Portanto ela está nos 80%.
    Luma, Luminha, você é uma danada, sempre nos fazendo pensar.
    Mais uma postagem maravilhosa.
    Xeros

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hehehehe não sei se consigo, mas vou tentando... beijus,

      Eliminar
  44. Amiga te indiquei um premio la no blog, da uma olhadinha!!
    http://meubixano.blogspot.com.br/2013/05/premio-los-mejores-blog.html

    Bjsss

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oba!! Vou lá pegar meu prêmio!!
      Obrigada!!
      Beijus,

      Eliminar
  45. Sabe Luma, minha mãe não perdoa eu ter saído cedo de casa para trabalhar e estudar. Hoje ela está muito doente sob minha tutela e da minha irmã, e continua repetindo que nunca dei valor a família. Com certeza não sou uma mãe normalzinha padrão rsrsrsrs

    Tenha uma noite relax!

    Bjoooooo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Bia!!
      Entendo a sua mãe, porque a minha avó era do mesmo jeito! Ela reclamava que a minha mãe tivesse saído de casa para fazer faculdade em outra cidade. Mas porque naquele tempo, a maioria das mulheres só saiam de casa para casar :) Acho que ela quer que você abandone tudo e fique mimando ela. Mãe carente, às vezes sufoca! ;) Beijus,

      Eliminar
  46. Luma, acho que meu comentário foi para o lixo, rsrsr. Postei aqui ontem e ele apareceu para mim...agora sumiu.
    Bjos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada por avisar, Lu!!
      Está estranho isso aqui :( Outra pessoa já reclamou de comentário que sumiu.
      Vou mandar um e-mail para o blogger team.
      Beijus,

      Eliminar
  47. Falar de outro lado do espelho me fez lembrar automaticamente dessa musica aqui: https://www.youtube.com/watch?v=uuZE_IRwLNI | trata de um relacionamento entre casal, mas serve para pais e filhos com perfeição... minha mae está nos outros 80%. Herdei a paciencia transcendental de as vezes dar a outra face a tapa para não perder tempo com bobagens, e a capacidade de manter-me tranquilo diante de situações um tanto quanto incomodas / desesperadoras, um talento que ainda permanecerá sendo lapidado. Dividiu bem a educação com meu pai, que de certa forma fez questão de tomar pra si a responsabilidade de ser "lider em tudo" na família... isso é muito provavel que eu herde parcialmente do meu pai, não tanto por querer ser lider em tudo, mas em deixá-los com duas grandes referencias dentro de casa antes de imaginarem pensar que as melhores estão / estarão fora. Beijos =)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Tony!!
      Perfeito o vídeo!! Acho que seu pai e sua mãe cumpriram o papel deles da melhor maneira. Hoje você é uma pessoa íntegra e desde quando te conheço você é uma pessoa ponderada!
      A minha mãe sempre foi uma figura forte, até porque meu pai faleceu quando eu era muito pequena. Estranho constatar que hoje sinto mais falta dele do que no passado, talvez porque agora nenhum dos dois estão por aqui :)
      Beijus,

      Eliminar
  48. Sei muito bem como é esse "Tal mãe, tal filha", praticamente 90% da minha personalidade vem dela, grande parte da minha vida minha mãe também fez papel de pai, talvez seja o motivo de tanta semelhança ela estar mais presente na minha vida do que qualquer outra pessoa (ou não). Gostei também dessa nota: "Dar carinho é diferente de mimar", pois pais super protetores criam "monstros" e nem sabem kkkk talvez eu tenha exagerado, mas é bem parecido com isso.

    Beijos Luma!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Gabi!
      A minha mãe também fez o papel de pai e será que por isso penso bastante igual a você? A responsabilidade que a minha mãe sentia era com relação ao futuro e não a satisfação presente e por isso ela investiu em educação. Ela sempre dizia que teríamos que saber nos portar em vários ambientes e para saber se comportar, precisaríamos saber conversar e para isso, precisávamos ler e observar muito. Tudo o que ganhei de presente foi por merecimento.
      Esses "monstros" criados pelos pais, são frutos das inseguranças da tal geração "paz e amor" que poderia ser descartada da nossa sociedade. Ainda bem que passou e não foi registrada com nenhum dado evolutivo.
      Beijus,

      Eliminar
  49. Não li os comentários, então me pego perguntando se alguma mãe se disse enquadrada em um dos 5 casos ou se todas são "normais". rs
    Eu sou normal, tinha sérias tendências a ser controladora ou irritada (acho que minha mãe era um pouco das duas), mas me policiei a tempo. Ou eles (os filhos) se posicionaram logo cedo para não aceitarem. O que sei é que não é nem um pouco fácil criar os filhos, sendo nós mesmos cheios de "defeitos" herdados ou adquiridos pela vida afora.
    O que sei, de peito aberto, é que sou uma boa mãe. Não sou exemplo de nada mas sou bem legal!
    Beijo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Lúcia!
      Sim, houve mãe que se enquadrou e houve filha que enquadrou a mãe... Acredito que todas as mães pensam que fazem o melhor para os seus filhos e a maioria faz mesmo! Algumas são sem noção e a resposta que os filhos dão, constuma ser um encarada pela mãe como uma falta de amor dos filhos por elas... essas mães! :) Beijus,

      Eliminar
  50. Oi Luma,

    Adorei este artigo.
    Bem, graças a Deus a minha mãe não está em nenhuma das categorias mencionadas (irritada, controladora, narcisista, invejosa e emocionalmente indisponível). Ela criou-me a mim e ao meu irmão com muito amor, respeito pelas nossas personalidades; e sempre obedecendo ao seu motto pessoal: vive e deixa viver (com disciplina) lol :).

    Bom fim-de-semana e beijosss

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Max!!
      Graças a Deus também tive uma mãe normal!:) As crianças também merecem respeito!! :)
      Beijus,

      Eliminar
    2. Absolutamente :D.

      Beijoos

      Eliminar
  51. muito legal mesmo parabéns.

    ResponderEliminar

Tenha identidade, não seja anônimo na web. Crie sua identidade virtual.

...bisbilhotaram em quietude, sem solidão

PlagSpotter - duplicate content checker tool
Licença Creative Commonsget click

Algumas coisas não têm preço


finalista the weblog awards 2005finalista the weblog awards 2006
finalista the weblog awards 2007weblogawards 2008
Verificar conteúdo duplicado

Me leve com você...

Leia o luz no seu celular

Copyright  © 2014 Luz de Luma, yes party! Todos os direitos reservados. Imagens de modelo por Luma Rosa. Publicações licenciadas por Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial- Vedada a criação de obras derivadas 2.5 Brasil License . Cópia somente com autorização.

Tem sempre alguém que não cita a fonte... fingindo ter aquilo que não é seu.

Leia mais para produzir mais!

Atenção com o que levar daqui. Preserve os direitos autorais do editor