Uma serpente com a boca cheia de colgate

luzdeluma

1.
Tomo café
vou ao banheiro
me olho no espelho
tomo mais café

Vou ao banheiro
me olho no espelho
escovo os dentes

meto colgate
na boca
diariamente

tomo café
tomo mais café
me olho no espelho
34 quase 35

é uma senhora
bonjour madame
é uma serpente
sssss ssss
com a boca cheia
de colgate

2.
34 quase 35

molares obturados
sisos removidos

é uma amiga minha
é a filha da minha mãe
é a mulher maravilha
do carnaval de 79

3.
me olho no espelho
da andrade neves
da general osório
da garturk street
da johanitterstrasse
da barão de tatuí
de potptahof-zuid

bu
buu
buuu

é uma serpente
com a boca cheia
completamente

respeitável público
em dúvida
não atrapalhe

4.
não diz coisa com
coisa nem escreve nada
que preste
não alivia as massas
nem seduz as cobras

se reduz a isso

a palhaça
toca fagote
com a boca cheia de colgate

A ironia é um estado de coisas ou um evento que parece deliberadamente ao contrário do que se espera e muitas vezes é divertido como resultado ou não.

Enquanto muitos se preocupam com as minúcias do dia a dia e por quê tanto colgate e café, idade e lugares, remeto aquilo que não nos deixa dar o primeiro sorriso do dia; O que estará por detrás da preocupação excessiva com coisas que não nos levarão a lugar algum? Algo que não nos deixa parar para pensar, já que é muito mais fácil analisar a parte externa das coisas...

Vemos os dentes, pedaço da língua, a pele, os olhos, as unhas... já se imaginou do avesso? O que os nossos movimentos repetidos, manias, o que lemos, por onde andamos, o que consumimos com os nossos cinco sentidos, fazem ao nosso coração, por exemplo?

Dependendo de como você se comporta, será o modo com que vai morrer. Mas calma! A maioria das pessoas morrem na cama e por alguma ironia do destino, quem não faz parte do grupo que morre na cama, vai morrer sentado no banheiro. Isto porque há alguns eventos terminais, como um enorme ataque cardíaco ou coágulo no pulmão, onde a sensação corporal é como se você quisesse defecar.

Além disso, muitas pessoas morrem em ocasiões especiais. As pessoas tendem a pendurar para um aniversário ou Natal. Eu não estou dizendo que a morte é psicologicamente motivada, mas há uma sensação de que as pessoas se mantêm vivas para esses eventos e para estar entre seus entes queridos. Por isso a taxa de mortalidade aumenta em aniversários e durante as festas religiosas.

Uma boa morte é como um bom parto - é um evento bonito, não de todo indigno, só não cabem sorrisos e colgate.

luzdeluma

Não se preocupe em acordar dentro do caixão e ver a escuridão. Para garantir que isso não aconteça com você, diga desde já para sua família para que seja feito um exame post mortem com inclusão de autópsia.

O exame interno começa com uma incisão do esterno ao osso púbico, atravessando a pele, gordura e músculos para expor a caixa torácica. Depois é cortar um pouco mais para ter acesso aos órgãos superiores.

São removidos os órgãos que trabalham em três blocos. O bloco torácico contém a garganta, língua, pulmões, coração e aorta. No segundo bloco, contém o fígado, estômago e pâncreas. O bloco final inclui os rins, o restante da aorta, intestinos, bexiga e órgãos reprodutores.

A incisão não percorre todo o caminho até o queixo para não ficar visível para os parentes quando olham o corpo. Assim, para retirar a língua e traqueia, trabalha-se sob a pele do peito. A pele até o queixo é solta com uma lâmina que corta em torno da língua, através dos vasos e puxando-a para baixo sob a mandíbula.

Depois de ter removido todos os órgãos é feita uma análise mais detalhada, incluindo o peso desses órgãos, presença de coágulos ou depósitos de gordura. Quando é cortado os pulmões, observa-se se há presença de fluídos onde não deveriam ter, se existem tumores ou evidências de exposição ao amianto. Se teve lesões no fígado por ingestão alcoólica; neste caso ele estará encolhido e cheio de cicatrizes.

Utilizando um bisturi, será feita uma incisão na parte de trás da cabeça e levantado o couro cabeludo para revelar o crânio. Uma serra de mão é usada para cortar o crânio e tirar o cérebro para exame.

Muitas coisas boas podem vir de uma autópsia. Pode ser encontrado algo que seja relevante para as gerações seguintes. Se não for encontrada a causa da morte ao olhar os órgãos a olho nu, será analisado fluídos e amostra de tecidos em microscópios e submetidos a análise toxicológica.

luzdeluma

Depois de terminada a autópsia, tudo é colocado de volta no corpo e as incisões são costuradas. Não é possível recolocar os órgãos nas posições que ocupavam anteriormente em vida, mas o corpo é reconstruído, tanto quanto possível. Ele é limpo para remover vestígios de líquido ou sangue. O cabelo é lavado. É completado o atestado de causa da morte e a documentação do corpo que poderá ser liberado para cremação ou sepultamento.

Você já pensou em ser um doador de órgãos e tecidos? Esse gesto valerá muitos sorrisos colgate!

49 comentários :

  1. Macabro, com humor. Só você mesmo, hehe.
    Ah, sou doadora de órgãos.
    beijo, menina

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também sou doadora. Podemos fazer o bem para alguém depois que partirmos dessa vida, não é mesmo?

      Eliminar
  2. Bom dia Luma querida.
    Hoje o dia promete! Uma serpente com a boca cheia de colgate me atrai até aqui...você sabe que a minha paixão é lidar com a dinâmica do invisível...
    Adorei seu bom humor...realmente...
    Beijão.
    Astrid Annabelle

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Promete nada, Astrid!! O povo foge de assuntos que vão além dos dois passos da cadeira. Morrer, então?
      A vida seria muito mais simples se as pessoas compreendessem a própria evolução que a humanidade passa. Estou lendo o livro que o António libertou no BookCrossing "Como Aproveitar a sua encarnação" de Mauro Kwitko e estou adorando.
      Nessa vida não podemos levar nada muito à sério. Muito menos a morte. Beijus,

      Eliminar
  3. Oi Luma:)

    Nem sei o que escrever... Adorei o poema da serpente com a boca cheia de colgate mas a outra parte não me fascina de todo. Só de pensar que um dia o meu corpo poderá ser todo retalhado...até arrepia):):):)

    *Quanto às suas questões:
    - Gambas são camarões pequenos e sem casca
    - Piripiri é um tempero feito com óleo e malagueta (muito comum aqui em Portugal)
    - Varinha-mágica é um mini-electrodoméstico que tritura os alimentos. É o que utilizamos para triturar a sopa e torna-la em creme de legumes, aí não sei como se chama:)

    Boa semana!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas quando ele for retalhado, você não mais estará nele. Ali só estará uma carcaça e você estará em um lugar bem melhor. Não se prenda muito ao físico. Quem assim o faz tanto não tem muito bem viver como não terá uma boa morte.
      Obrigada pelas explicações!! Beijus,

      Eliminar
  4. Luma, achei seu post Maravilhoso! Sabe, na semana de Finados fiz um post sobre a pós-morte, sobre cemitérios, mas no sentido de que se deve valorizar a vida e assim, perdurar uma boa imagem depois...e percebi que o texto não foi bem recebido ou interpretado, o que me fez retirá-lo do ar. Cheguei à conclusão de que falar de morte é um tabu. Muitas pessoas não aceitam a ideia de morte, embora inevitável, e portanto evitam falar sobre ela. e claro, preferi respeitar essa posição dos leitores.
    Seu post foi extremamente esclarecedor, gostei demais. E que saibamos aproveitar bem a vida para que a morte seja uma passagem tranquila.
    Um abraço!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bia, realmente as pessoas não enfrentam a morte e por isso tanto medo de morrer. Mas que eu saiba, o corpo é apenas um veículo. A minha intenção ao escrever esse texto, foi alertar as pessoas que, depois que elas morrem seus órgãos não servirão mais para nada e, por que não doá-los?
      A consciência chega para todos nós, a partir do momento que perdenmos nossos entes queridos ou que exista uma doença, nossa ou de alguém querido. O transplante é em muitas vezes, a única salvação. Por que não ajudar, se o nosso corpo será comido por vermes depois de enterrado?
      Se existe reencarnação ou outra vida, certamente não teremos o mesmo corpo. Enfim, cada um lida com sua própria vida como queiram, mas o destino do corpo, será sempre o mesmo.
      Obrigada pelo apoio moral (rs*)
      Beijus,

      Eliminar
  5. Noooooooossa! Imaginei toda a cena e concordo contigo. Aqui em casa todos sabem que sou doadora,Porém vamos ver o que vão poder aproveitar,rs... Pretendo poder fazer muitos sorrisos com colgates em outras bocas...
    Adorei essa serpente...Muito legal te ler! beijos,chica

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ah, Chica... se puder leia o texto do António Rosa, sobre as previsões espirituais para o ano de 2013 - você pode até não entender nada sobre o que ele diz na primeira parte, mas a essência do conceito de irradiar amor e ser gentil com as pessoas que devemos colocar em prática, deixando todas as misérias e mágoas que existem em nossa alma, para que as mudanças sejam boas. Devemos pensar além do nosso próprio umbigo e ter a consciência de que todas as pessoas fazem parte de um único sistema e por isso a necessidade e todos evoluírem juntos. Deixar um pouco de si para alguém é prova de amor, é querer o bem comum. Beijus,

      Eliminar
    2. Chica, cara amiga,

      Você é muito corajosa tendo-se oferecido como doadora. Só esse gesto será suficiente para todas a sua família sentir enorme orgulho na sua pessoa.

      Também farei muitos sorrisos com colgate. Adorei o post da Luma.

      Beijinho.

      Eliminar
    3. Luma Rosa, minha amiga,

      Você é um exemplo radioso para todos nós. A sua Luz é imensa e é um enorme aconchego a quem se chega a esta sua casa.

      Muito agradecido por me citar e acredito que muitas pessoas irão seguir o seu conselho.

      Vamos irradiar muito amor e sejamos simpáticos uns com os outros.

      Eliminar
    4. António, eu que tenho que lhe agradecer pela amizade, por me ensinar tanto e por ser uma pessoa tão generosa com todos!! :)

      Eliminar
  6. Luma,

    Deixei para este espaço para lhe dizer que adorei o seu post. Além de belo é brilhante e corresponde a uma modernidade que sempre senti em si.

    Muito obrigado por aprender tanto consigo.

    Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada mais uma vez, António!! A gente tenta caminhar com passos alinhados ao novo tempo. Estou tentanto... Beijus,

      Eliminar
  7. Querida Luma, sou eu! rsss

    De hoje em diante, ao escovar os dentes, posso me engasgar. Vou lembrar do poeminha e vou rir! E odeio engolir pasta de dentes!
    Voce será a culpada e nem vai estar presente para bater nas minhas costas! Não morrerei disso. Nem mesmo em datas festivas, porque nao tenho comemorado nada por muito tempo. Não curto. Fico melancolica, mas tambem nao vou morrer disso! Alias, .... sou Fada, né?! Já tenho uns 300 anos e ainda não morri!

    Aiiiii guria, hoje tá tragica, heim?! mesmo assim, obrigada pela dica para os familiares terem certeza que estou mortinha da Silva. Mas... quero ser cremada. Imagine só, acordar e me ver presa no escuro e apertada no caixão: Claustrofobia!

    Ops... para ter certeza que tá morta, mata-se?!?! retalha tudo!

    Ahhh mas descoberta cientifica que colabore com o futuro de minha geração, ohhhh ... Unaitedi Isteidis ofe Âmérika?!?!

    Sim, posso doar. Saber que alguem pode viver a ser feliz, será algo muito bom para meu espírito.


    BEIJOS

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sissym, a constância da vida é que nos leva a tirar as conclusões antes mesmo dos cientistas, porém, o que está no post não é aleatório, são fatos! E entrevistei um agente de saúde especializado em autópsia para garantir a exatidão das informações.
      Não quero que engasgue com pasta de dentes, como também não quero que tenha nenhuma surpresa ruim em sua vida. Acontece que só pensamos em ajudar, quando necessitamos de ajuda. Eu já doei um rim em vida e depois que morrer, nada mais precisarei... isso não é ser trágica, é saber lidar com a realidade. Muita gente precisando enxergar, de andar, de comer, de realizar necessidades básicas... ou melhor, tudo o que fazemos tão fácil e que não damos valor até perder.
      Doar será bom para o seu espírito e para muitas pessoas.
      Beijus,

      Eliminar
    2. Querida Luma, voce tem toda a razão.

      Beijos e otimo dia!

      Eliminar
  8. Hahaha Mas eu ameeeeeeeeeeeeeeeei tudo isso e a forma que vc começou o post foi fantástica, no fundo somos todos iguais... ;)
    Beijo, beijo
    She

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, por dentro somos todos iguais e temos as mesmas necessidades. Por que não ajudar, se podemos? Beijus,

      Eliminar
  9. Luma,

    adorei seguir o colear da serpente com a boca cheia de colgate! Mais ainda ao ver o poema ligado diretamente ao texto onde se explica que, para ter certeza de ter morrido de verdade, basta deixar claro que se quer um exame post mortem com autópsia... assim, se não tiver sido dessa vez, acaba sendo do mesmo jeito... hehehe.
    Sou doador de primeira hora; de quando começaram a incentivar a doação de olhos e em que recebíamos uma carteirinha de doador. Mais tarde começaram a incentivar a doação dos demais órgãos e eu, sempre segui o curso do rio. Afinal, melhor alimentar o sorriso colgate de outra pessoa do que alimentar vermes, nénão?

    Beijo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Zeca, você é uma pessoa esclarecida! Já ouvi absurdos de gente que acha que no juízo final, ao vir faltando algo na caixinha, não irá viver novamente. Tantos absurdos...

      Eliminar
  10. amei..super verdadeiro, e a idade é apenar um número, o q importa é como está a cabeça...mas só pra lembrar, tb estou no 34 quase 35 hahahahahahahha

    Beijossssssss
    ┌──»ʍi૮ђα ツ

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Verdade, Micha!! Tantas pessoas com 20 anos com a mente envelhecida, cheia de bobagens e conceitos tolos... Imaginei que quem estivesse com 34 para 35 iria se manifestar!! (rs*) Beijus,

      Eliminar
  11. Passei amiga li o texto até à autópsi, não consegui ler mais, me desculpe.
    Quanto à pergunta com tantas doenças que poderia eu doar?
    Um abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Talvez a córnea?
      Elvira, vemos coisas piores na tela da tv.
      Beijus,

      Eliminar
  12. Não conhecia este seu lado irônico, Luma... Gostei! hehee
    beijos e linda noite.

    ResponderEliminar
  13. Nossa Lumaaaa adorei o texto...
    soy doadora de orgãos..
    Besote querida...

    ResponderEliminar
  14. Alias Fuerte! hehehehhe

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cuando es fuerte? (rs *) i no lo hice!

      Eliminar
  15. Então... eu confesso que vou ter que voltar e reler o texto que, de primeira, a 00:01 eu não me sinto apta a comentar sem ter que fingir que entendi 100%

    é, eu já fui melhor nisso :)

    Mas eu volto

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caramba, Lu!! Tu é patife, heim? (rs*) Vai ser tudo indolor...

      Eliminar
  16. Confesso que sou doadora do
    meu tempo e da minha alegria em vida.
    Tenho um irmã que é doadora de tudo,mas eu ainda não !!
    Vou ver se dou mais esse passo em busca se ser feliz.

    Beijos querida Luma

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bandys, pode parecer uma ideia distante, mas para quem está encarando o sofrimento de perto, sua ação poderá trazer mais alegria quando você não tiver mais tempo por aqui. Beijus,

      Eliminar
  17. Luma querida
    Como você escreve bem!
    Achei teu texto forte, me causou impacto, mas é só assim que a gente pára pra pensar nesse tipo de importância!
    Não sou doadora, mas hoje mesmo vou perguntar ao meu marido como é isso aqui na Itália.
    Um grande abraço
    Léia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Léia, o jeito que escrevi foi proposital. Depois que morremos, o nosso corpo pertencerá a terra e antes que vire adubo, porque não darmos mais tempo de vida para alguém?
      Já disse que você é um docinho e vou repetir sempre!!
      Beijus,

      Eliminar
  18. Que loucura , nunca pensei assim...ainda não sou doadora!
    bjsss

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Lena, somos como livros com folhas soltas que um dia lançaremos ao vento! Mas se tiver alguém que pegue uma dessas folhas e faça uma boa leitura, por que não? Beijus,

      Eliminar
  19. Olá Luma,
    Essa sua postagem me fez pensar na música do Raul Seixas. Ouro de tolo.
    Doar é preciso.
    Beijos mil

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito bem lembrado, Teresinha. Mas eu não sou tão cética quanto o Raul Seixas. Eu acredito em coisas além de discos voadores. Acredito em um universo integrado onde uma máquina frágil precisa da recompensa de uma máquina mais forte para que o equilíbrio se estabeleça. As nossas conquistas precisam ser valorizadas e compartilhadas. Na música ele diz que foi muito fácil suas conquistas, mas também acho fácil dizer isso e cruzar os braços para a humanidade. Beijus,

      Eliminar
  20. Bonito. Por mim podem levar tudo o que fizer falta e puder ser aproveitado. Temo que os pulmões não sirvam a ninguém mas o coração... acredito que esteja limpo.
    :-)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ah, que bonito o que escreveu!! Certamente seu coração até lá estará intacto!! Beijus,

      Eliminar
  21. Adoro textos assim: um tanto quanto macabros. Mas gosto deles assim como você faz de forma suave.

    Legal, mas todos os que tivemos doença auto-imune ( no meu caso o ca de mama e mesmo que não esteja mais presente de forma visível no organismo ) não podemos ser doadores de nada. Consta nas regras de doação. Mesmo assim eu incentivo a doação entre parentes e conhecidos.

    Beijos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Algumas pessoas não conseguiram ler todo o texto, mas isso depende mais de como estamos em nosso íntimo. Se estamos bem, vamos em frente, por que o propósito do texto foi para alertar sobre a doação de orgãos. Você não pode doar, mas muita gente pode e não o faz por desconhecimento, desconfiança, ignorância ou mesmo por motivos religiosos. Beijus,

      Eliminar
    2. Luma é exatamente por isso que as pessoas não querer doar. Desconhecimento, desconfiança e ignorância e só vêem o valor disso quando algum familiar está necessitando.

      Agora a questão religiosa ainda é mais grave. Soube de casos em que os médicos e vendo que o doente necessitava de transfusão de sangue e a família se negava a autorizar o procedimento ( se reunirem e optarem pelo bom senso ). Bom senso é salvar a vida do paciente ;)

      Eliminar
    3. É isso aí, Iza!! Será que essa gente pensa que sairão do tumulo ressuscitados faltando pedaços? Eu, heim? Sabe que tem algumas religiões que também proibem autópsia? Dizem ser uma mutilação desnecessária... Beijus,

      Eliminar
  22. Não me preocupa em nada a morte, por ser uma consequência de viver. A doação dos órgãos é um dos poucos dogmas que alimento da doutrina espirita, que afirma não ser recomendável deixar um pedaço de si, nesta forma, com o outro. A outra coisa certa sobre a morte é que serei cremado, independendo como ela ocorra. Até lá, quem sabe eu consiga não alimentar este "pequeno grande" apego e deixe, além da história e lembranças para algumas pessoas, o corpo e algum ensino para vários estudantes.

    bjo =)

    ResponderEliminar
  23. Fico só com a primeira parte (poética) do post. O resto eu pulo.

    :)

    ResponderEliminar

Tenha identidade, não seja anônimo na web. Crie sua identidade virtual.

...bisbilhotaram em quietude, sem solidão

PlagSpotter - duplicate content checker tool
Licença Creative Commonsget click

Algumas coisas não têm preço


finalista the weblog awards 2005finalista the weblog awards 2006
finalista the weblog awards 2007weblogawards 2008
Verificar conteúdo duplicado

Me leve com você...

Leia o luz no seu celular

Copyright  © 2014 Luz de Luma, yes party! Todos os direitos reservados. Imagens de modelo por Luma Rosa. Publicações licenciadas por Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial- Vedada a criação de obras derivadas 2.5 Brasil License . Cópia somente com autorização.

Tem sempre alguém que não cita a fonte... fingindo ter aquilo que não é seu.

Leia mais para produzir mais!

Atenção com o que levar daqui. Preserve os direitos autorais do editor