Cartas Reais


Recentemente dei uma faxina nas lembranças, rodeada de cartas escritas para mim por uma amiga maravilhosa. As cartas mais antigas, datam de quando eu tinha doze anos.

Todos esses anos, mesmo com a internet, não perdemos o costume de escrevermos carta uma para a outra - lógico que existiram períodos de intermitência; as correspondências atravessaram os nossos anos de escola, nossos namoros, estudos, trabalhos e casamentos, nossos bebês e nossos filhos crescendo... 

Quando nos tornamos amigas, tivemos que manter contato através de cartas e logo depois o telefone. Damos preferência para as cartas, para manter uma certa nostalgia da época que nos conhecemos e também para documentar a nossa amizade. 

Agora temos a internet e vez ou outra lhe mando um e-mail que é fácil quando queremos rapidez da resposta, mas quem me conhece sabe que não amo o e-mail, que para mim é associado a trabalho. Custa-me responder e-mails pessoais, mas carta respondo rápido! Nada se compara a uma verdadeira carta, principalmente quando a carta é DELA. Ela é uma escritora linda e tem uma escrita caprichada. Ela se senta em uma mesa e esquece do tempo, e posso sentir o pensamento, o tempo e o amor que chegam com suas cartas.

Meu coração sempre pula de alegria quando sua carta chega. Ponho de lado tudo o que estou fazendo para em seguida deslizar o dedo sobre a aba gomada e procurar um lugar confortável para ler.

Ela pediu autorização para quando eu morrer publicar um livro contando a minha vida sob a perspectiva dela e eu devolvi a proposta. Mas depois, pensamos melhor e chegamos a conclusão de que não teria graça eu não ler o que ela escreveria sobre mim e vice-versa. Fizemos novo trato e vamos escrever o livro à  quatro mãos quando nos encontrarmos nas próximas férias.
Você mantém correspondência por carta com alguém? Quando foi a última vez que você dedicou um pouco de tempo para escrever uma carta real? Se decidisse agora, a quem escreveria?

"Quem cedo e bem aprende, tarde ou nunca esquece. Quem negligencia as manifestações de amizade, acaba por perder esse sentimento." William Shakespeare

Claro que a minha amiga lê meu blogue!

83 comentários :

  1. Amiiiiga!
    Eu tenho uma sacola cheia de cartas escondida dentro do box da cama. kkkkk São de ex-namorados. kkkk
    Me perdoe pela demora. Estou muuuuito atrasada com os meus e-mails.
    Aproveito para lhe fazer um convite muito especial:

    Promoção de Natal de Sônia Silvino's Blogs:

    Como foi o seu melhor Natal?

    Para participar, é só contar na postagem do dia 20/11/12 no blog fLaShBaCk.CoM:

    http://soniasilvinoflashback.blogspot.com.br

    Maiores informações aqui:

    http://blogsdasoniasilvino.blogspot.com.br

    Participe! Boa sorte! Boas Festas!

    Beijocas, muitas!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sacola escondida? Tem medo de morrer e ser descoberta? Olha o risco... depois de morta a sua reputação ir por água abaixo.
      Obrigada pelo convite, mas dia 20/11? Já estamos em 23/11 :(
      Beijus,

      Eliminar
  2. Olá querida sinto um carinho imenso com esse gesto de vocês. Uma amizade sincera !! Eu amo escrever e receber cartas , entretanto alguns amigos ainda preferem os email, e eu ja prefiro a magia , a ansiedade da receber as cartas!! Super bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eloa, uma amiga pra toda hora!!
      A agilidade do email conquistou os práticos. Também gosto, mas as conversas entre amigos, é algo que se perde dentro da caixa postal. Super beijo!!

      Eliminar
  3. Puxa, vc tem cartas de qd tinha 12 anos? que bacana!! Tbm tenho, mas ja com 13 anos, mas só uma, de um amigo quando mudamos de casa. E ja mudei tanto de casa, Luma, taaaaaanto tanto, e essa cartinha nunca se perde, ja teve chances de isso acontecer, mas ela nunca me deixa :-)

    Eu tbm faco essa faxina de vez em quando, mas nao pra jogar fora, só pra olhar de novo, tudo de novo e guardar novamente. É bom né? Tanta coisa mudou desde lá.

    Adoro trocar cartas. Faco isso tbm de vez em qd.
    Um bj pra ti e pra tua amiga.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. 12/13 anos não é muita diferença... você nunca teve curiosidade para procurar por esse amigo?
      Não jogo fora o recebo de amigos e parentes. Sou bastante organizada nesse sentido e separo por nome as caixas de correspondência. Quando estou com saudade de um amigo, pego a "nossa caixa" e revejo. Muitos amigos já se perderam no mundo e nunca mais soube. Talvez também estejam querendo saber o meu paradeiro ou até pensando que morri :) Beijus,

      Eliminar
  4. Que legal essa amizade com cartas assim e esse livro vai ser bem legal!! beijos às duas,tudo de bom,chica

    ResponderEliminar
  5. Que definição mais real para um e-mail e uma carta de quem se senta, apazigua o tempo e fica ali a escrever colocando sentimentos, alma, coração no papel.
    Tenho sentido muita vontade de escrever cartas e seu post reacendeu essa vontade em mim.
    Obrigada. Bj

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ana Paula, não deixe a vontade passar... escreva!! Pode ter notícias boas!! Beijus,

      Eliminar
  6. Luma, que coisa linda. Bom, a última vez que escrevi uma carta tinha uns nove ou dez anos, ainda na escola, e nem me lembro se recebi resposta, acho que não, depois a coisa se perdeu, o costume ficou datado, enfim. E concordo quanto ao e-mail, mesmo se enviado aos amigos eles parecem muito mais um elenco de tópicos que uma carta - pelo menos no meu caso, não deve ser a mesma coisa.

    Grande beijo.



    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Luciano, lembro como se fosse hoje, de uma aula na escola, de como escrever cartas. Depois com o passar dos anos, criamos o nosso próprio estilo, até fugindo um pouco do tradicional, mas sempre quando pego a caneta, lembro da minha professora explicando.
      Uso muito o email para trabalho e quando tenho que responder emails pessoais não vejo o mesmo peso de uma carta. Sei lá, um leitor do blogue me escreveu um email, dizendo que pelo correio, ele só recebe conta e por isso, qualquer carta que fosse diferente, ele ficaria feliz!
      Nesses amigos secretos que ocorrem na blogosfera, deveriam ao invés de presentes, enviarem cartas. Seria uma troca mais rica e sem estimular o consumismo!
      Beijus,

      Eliminar
  7. Oi flor!!!!

    Que coisa mais linda a amizade vocês!!! Faz anos que não escrevo e nem recebo uma carta. Mas é uma surpresa tão boa receber uma, né?

    Lindo o post!

    Beijos

    Selma

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Verdade, Selma!! Nada se compara a alegria, ou até mesmo surpresa, para quem nunca recebe uma carta, ter a oportunidade de receber! Beijus,

      Eliminar
  8. mantive até 3 anos e meio atrás, quando doladelá a filha gerou preguiça e doladecá o tempo ficou mais digital. Tenho todas, e as com as ex também, guardadas numa lata. Muito carinho e uma outra forma de contar quem realmente somos, de fato :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. faltaram os beijos, então tão: beijos :D

      Eliminar
    2. Tony, realmente existem períodos em que escrever é mais complicados. Você deixa o dia a dia tomar conta e não sobra tempo para sentar e se dedicar. Mas é forma de dedicação mesmo! Dedicação a muma amizade, a um amor... acho legal quem consegue guardar cartas de amor. Eu nunca consegui! Se não me desfaço, parece que ainda estou presa. Se acaba o namoro, quero acabar com as lembranças também. Não digo que já não guardei, mas nessas faxinadas, vou exorcizando o amor de mim e desfazendo de lembranças. Beijus,

      Eliminar
  9. Em tempos virtuais receber carta é coisa muito phyna! Eu adoro. E adorei tua proposta de "fim do mundo"... hehehe... a hora prevista eu não sei... mas qualquer coisa te aviso! Hehehe! Bjos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fred, sem esperanças, o melhor é tomar uma carga alta de sonífero! Eu não gostaria de ver e sentir o final do mundo. No mínimo, deve doer! Beijus,

      Eliminar
  10. Escrever e receber cartas é algo maravilhoso! Eu descobrir esse prazer, ironicamente, através da internet... É uma coisa fabulosa escrever e receber uma carta, surpreende até o carteiro!!!

    Lindo post Luma, lindo post mesmo...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E não é? Meu caseiro chega para me entregar a correspondência sorrindo... obrigada, Pandora!! Beijus,

      Eliminar
  11. Escrevi muitas cartas Luma. Na minha casa isso era um hábito...claro que não havia a internet.
    E sempre adorei receber...até tnha o costume de ficar esperando o carteiro na porta!!!! Fiquei amiga dele!!!
    Muita correspondência... hoje isso acabou... mas sabe que me deu uma grande idéia... vou voltar a escrever cartas...
    Beijão agradecido pela idéia!!!
    Astrid Annabelle

    P.S. hoje o Cova do Urso está de aniversário...cinco anos!!! Se puder vá até lá!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Escrevi sim, Astrid!! Acho que uma carta atualmente é como um presente!! Beijus,

      Eliminar
  12. Luma, total sintonia com você. Há dias penso nisso. Uma afilhada se forma em medicina este ano e penso muito em lhe escrever uma carta, coisa que nunca fiz, nos 24 anos dela. (muito menos ela, para mim). Nem cartões de Natal, prefiro telefonar. Nem um cartão de aniversário, prefiro depositar, em dinheiro, um presente para ela mesma comprar...Friezas da vida, tão diferente do que sinto dentro de mim.
    Vou optar pela carta. Pode crer.
    Beijo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ah! mas era boa em escrever, tenho pilha de cartas que marido e eu trocamos, enquanto namorávamos e noivávamos, pois ele estudou fora da nossa cidade. E cartões, muitos, de Natal, aniversário, postais, que troquei com amigas. Coisa boa de lembrar! beijo!

      Eliminar
    2. As pessoas não possuem a capacidade de adivinhar os nossos anseios, por mais que achamos que a convivência dê a capacidade de vidência, mas não dá. Se não darmos o primeiro passo, nada acontece! Escreva sim uma carta de aniversário ao invés do cartão. Não será mais um cartão de aniversário, fará diferente dos demais e é muito importante a pessoa sentir que nos dedicamos à ela.
      Ah, você ainda escreve cartas para o maridón? :)
      Beijus,

      Eliminar
  13. Oi, Luma!

    Eu adorei este post. Já me correspondi muito com amigas, através de cartas, na adolescência/juventude, e tinha uma que era especial, da qual eu ainda guardo alguma coisa. Hoje não me correspondo, através de cartas, com ninguém, mas, acho muito romântico. Ah, e vou torcer para que o projeto de vocês, do livro, tenha sucesso.

    Beijos
    Socorro Melo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Entramos na roda vida de que, se ninguém mais escreve cartas, por que escreveremos? Bom que tem cartas antigas guardadas. Por um tempo mantive correspondência com minha mãe, apesar de podermos falar por telefone, mas era muito melhor que ela me escrevesse. Ela sabia que morava sozinha e eu poderia pegar a carta e reler em meus momentos de saudade. Ainda tem notícias da sua amiga? Beijus,

      Eliminar
  14. Oi Luma!

    Amei seu post e sua história!! Melhor escrever o livro logo, para que também possamos compartilhar da sua história!!!

    Não tenho e nunca tive costume de escrever cartas. Porém cartões de Natal, mandava aos montes. Depois com a faculdade e trabalho, as coisas foram complicando e deixei esse costume de lado. Agora que só trabalho, estou voltando ao costume dos cartões de Natal.E cartas já escrevi alguns para meu amor que mora em outra cidade. Embora a gente converse todos os dias pelo MSN, ou telefone, as cartas foram surpresas para ele. Tenho costume de usar o e-mail mesmo, digo que escrevo cartas e-mail. Chego a escrever muito. Escrevo para o namorado que esta ocupado e não pode conversar comigo, escrevo para minha melhor amiga que mora em outra cidade, escrevo para minha amiga que mora na mesma cidade mas é dificil de encontrar, para meu amigo virtual (que virou real no coração). E assim vai. Mas imagina um e-mail enorme de se ler? Pois é sãos os meus e-maisl. Bem cartinhas mesmo...

    Bjos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esqueci de dizer que guardava todos os cartões, até que num belo dia de revolta joguei tudo fora. E me arrependi. Dai voltei a guardar tudo novamente. Bjs

      Eliminar
    2. Karina, veja como são as coisas! A gente nunca imagina que tem alguém nos observando... acredita que uma editora veio me propor a comercialização do livro?
      Legal que escreva para as pessoas sem esperar retorno, pois é assim que deve ser com a vida atribulada que todos temos. A carta você pode ler homeopaticamente e também responder do mesmo modo, sem a pressa dos dias...
      Já cometi a insanidade de jogar muita coisa fora, mas até com isso a gente se acostuma.
      Beijus,

      Eliminar
  15. Luma viajei no tempo com seu post. Eu amo escrever cartas até hoje. Tenho uma prima que se tornou durante muitos anos a minha melhor amiga. Mal saídas da nossa adolescência ela se mudou para Londres. Posso garantir que foi um acontecimento e tanto para os padrões da nossa época e da família um tanto tosca a que pertencemos. Só sei que logo tratei de estabelecer uma forma de poder acompanhar um pouco da sua trajetória, saber das novidades pelo mundo e não perder o contato jamais. Assim as cartas que guardo até hoje nos manteve ligada. Correspondíamo-nos com certa freqüência e ficava sabendo como ia sua empreitada, suas aventuras e desventuras, enfim alguém para poder trocar experiências realmente inimagináveis para mim. Ficava encantada com suas descobertas e profundamente admirada pela sua coragem; partir sozinha para um país totalmente desconhecido carregando toda a sua vida e sua história em apenas uma mala. Quisera ter tido essa coragem, muitas vezes pensava. Eu sempre admirei pessoas que com facilidade aprendiam línguas estrangeiras, se adaptam a novas culturas. Em suas cartas ficava claro que ela era uma cidadã do mundo, se mudava com freqüência e logo estava adaptada e com novos amigos.
    Ficava ansiosa aguardando novas noticias, além disso, era também oportunidade para escrever e desabafar, a minha vida parecia tão medíocre se comparada com a dela, a cada noticia ou uma novidade... No entanto suas cartas me animavam porque em muitas delas continha mensagens de apoio, e também não faltavam ocasionais trocadilhos. Recebia fotos e noticias com textos bem escritos suficientes para regalar as amigas durante bons anos. Não tenho palavras para expressar como sua amizade e seu apoio foi e ainda é importante para mim!
    Bjus
    yvone

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Santinha, tenho certeza que você também foi um grande apoio para a sua prima. Ela estava longe de casa e por mais que a vida dela parecesse melhor, tenho certeza que a saudade que sentia era maior. Você foi e deve continuar sendo um grande apoio emocional!! Boa semana!! Beijus,

      Eliminar
  16. Luma:
    Ah, faz tempo que não escrevo uma carta. Nem conheço pessoalmente, alguém que queira fazer isto. O que é uma pena.
    Mas quem sabe?
    Não através de e-mail...
    Cartinhas mesmo. Uma delícia.

    Amei o assunto.
    Beijos. :)
    Anny

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bem, você pode se surpreender, se começar a escrever! :)
      Beijus,

      Eliminar
  17. Maravilhoso Luma! Essa sua história é linda e a amizade nem se fala.
    Por parte de minha família estar em Portugal e Ecuador sempre mantive correspondência com minha tia principalmente. Quando ela morreu ficou um vazio e tenho cartas e mais cartas, postais e mais postais que sempre manteve vivo o elo entre nós. Como diz hoje todos se falam pelas redes. Temos até o Grupo family para que possamos nos comunicar.

    Sinto tanta falta que hoje tenho me correspondido com alguns amigos do coração o que muitas vezes o intervalo entre as cartas é maior do que gostaria que fosse. Gosto de enviar postais também apesar de que até isso pode ser feito pela internet.

    Recebi um postal de uma foto de minha irmã e eu de uma viagem que fizemos juntas pelos correios. Achei estranho, mas não é que ela enviou pela internet.

    Adorei seu post amiga!
    Beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, nossa amizade é abençoada! Não sabemos os propósitos de Deus, mas tenho certeza que essa minha amiga, me foi colocada na vida por um bom propósito.
      Irene, as redes ajudaram a reatar laços, isso não podemos negar! Muita gente tem preguiça de escrever, assim como ler cartas... para essas pessoas práticas, a internet é melhor para a comunicação.
      Veja, só!! É o real se misturando ao virtual!!
      Beijus,

      Eliminar
  18. Olá Luma! Nada como pegar um envelope com um selo diferente, ler nosso nome, para sentir uma adrenalina na boca e a ansiedade por abri-lo! Hoje, falamos com nossos amigos e parentes distantes à toda hora pelo Skype, matamos a saudade, mas as emoções, são outras!
    Luma, acho que seu tradutor de idiomas não está funcionando. O meu, troquei pelo atual, porque também parou de funcionar. Bjs.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. São duas emoções diferentes e até pela frequência a emoção é colocada um pouco de lado. Na web, até a emoção ficou imediatista!!
      Depois vou no seu blogue para ver como é o atual. Eu testei o meu e deu certo :) Beijus,

      Eliminar
  19. kkkkkkkkkkkkkk! ii Luma, eu desde os 14 ou 15 anos escrevo para uma amiga. antes ela morava na mesma cidade, só que bem distante de mim, e como ela fazia escola tecnica, não tinha tempo para ser gente rsss, então só nos falávamos por carta mesmo. Hoje ela está nos EUA estudando, e continuamos escrevendo cartas uma pra outra. é claro que as minhas são as mais compridas, kkk sou mt prolixa, mas as dela são as mais interessantes. Sempre que sente para escrever para Mariana, penso que sou a Elizabeth Bennet escrevendo para a melhor amiga que casou com o MR Collins. Escrever cartas dá uma sensação muito boa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Alê, quando aprendi a escrever, gostava de escrever cartas para as amigas que moravam na mesma cidade - sentíamos importantes em praticar algo que era considerado adulto. Ir postar a carta no correio era um evento! Os valores mudaram tanto!
      Imagina se Pero Vaz de Caminha tivesse mandado a primeira carta por emails. Como hoje saberíamos do início da nossa história?
      Boa semana!! Beijus,

      Eliminar
  20. Luma, é lindo o carinho como descreves as trocas de correspondência entre você e sua amiga.

    Faz-me lembrar de minha infância e a troca de correspodência com minhas primas ( morando em outra cidade ) que nos visitavam todo o verão.

    Asim que completei quinze anos elas também já crescidas deixaram de escrever e perdemos o hábito e nos distanciamos também.

    Depois passei encontrei nas revistas Carinho e Contigo uma seção de correspondência com a finalidade de arrumar amigos. Na mesma época bateu-me uma preguiça de escrever no papel e a idéia das cartas ficou só na intenção.

    Não cultivo o hábito de correspondências escritas no papel. E acho mesmo que a última carta e assim mesmo entregue em mãos foi para meu marido.

    Legal saber que você mantém esse vínculo de amizade tão bonito. Demonstra viver intensamente suas emoções.

    Lá no diário, acho que você já viu, escrevo como se escrevesse uma carta par alguém e embora tenha me desviado do propósito original do blog que é escrever cartas abertas; pretendo voltar a fazê-lo.

    Beijos!

    Iza

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Iza, só quem me ama me entende! Você sabe e já sentiu como sou demoradinha para responder emails ou qualquer outro tipo de mensagem, mas não deixo de responder! As cartas, elas obedecem a nossa vontade interna e quando você senta para escrever, tem que estar com vontade. Até porque amigo de verdade não te cobra!
      No seu blogue, quando te dá na venta, você deleta, tranca... as cartas você perde esse controle. Acho que você não as escreveria... rs.
      Beijus,

      Eliminar
    2. Fiquei pensando neste fato de eu ter fechado blogues e deletado postagens. Resolvi contar lá, tanto para os meus amigos bloggers, quanto para os do cotidiano que não me vêem há muito tempo; o porque dos porquês eu fiz isso ou aquilo. Estou querendo é preservar mais a minha imagem.

      Beijos!

      Eliminar
    3. Vou depois lá, Iza!

      Eliminar
  21. Oi Luma, começo me desculpando pela demora em me "comunicar" contigo [ passo quase sempre, mas não tiro tempo pra deixar um oi ] e também por não ter conseguido participar do BookCrossing deste mês... #coisas da vida
    Bem, passado a primeira parte, passamos a seguinte...
    Confesso que não me recordo da última carta que escrevi e que me utilixei dos serviços dos Correios; perdi contato com praticamente todas as pessoas da minha vida A.I. [ antes da internet ] e os D.I. [ depois da internet ] me correspondo pelas mídias digitais.
    Achei bárbara a tua história e principalmente essa intenção de escrever sobre essas correspondências, quando esse projeto for para o papel [parece contradição] nos avise, tens leitoras certas!
    Bjkas
    Mila

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Mila!! Fique à vontade para participar ou não. Eu sei que além do ambiente virtual, cada um tem a sua própria vida que nem sempre condiz com as ações que acontecem na blogosfera.
      Verdade, ainda não tinha pensado na contradição ou contra-mão desse projeto. Quem sabe o correto mesmo é seguir o curso e aceitar que os livros devam ser publicados online.
      Avisarei... beijus,

      Eliminar
  22. Oi Luma,
    Bacana demais escrever cartas,eu escrevia cartinhas as melhores amigas quando pequenas,bilhetinhos,essas coisas.
    Hoje não mais,adoraria receber uma carta,deve ser uma emoção bonita mesmo.
    Ah e respondendo a pergunta,escreveria para a minha melhor amiga,acho que ela iria adorar receber.
    Um bom final de semana,abraço!=)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que delícia quando a gente está descobrindo as palavras e juntando em frases. Queremos contar para o mundo que sabemos escrever! Talvez por isso escrever cartas e bilhetes com mais disposição! Beijus,

      Eliminar
  23. Perdi o hábito de escrever cartas. Mas mantenho mails praticamente diários com uma amiga, já há mais de 14 anos! E quando vamos de férias, mandamos postais uma à outra... que é o mais próximo da antiga correspondência! :)

    Gostei muito dessa ideia!

    Beijocas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Emails são formas mais ligeiras de comunicação, mas eu prefiro, se puder optar, pelas cartas. Por elas eu não recebo pps... rs. Beijus,

      Eliminar
  24. Luma,
    já escrevi muita carta, já até tive correspondentes em vários estados, naquela época pré-internet.
    Atualmente quase não escrevo, só troco cartão-postal com uns dois amigos quando viajamos. Nostalgia.
    bjs
    Jussara

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. As minhas cartas eram mais frequentes também na época anterior a internet, mas com as pessoas próximas foi mais fácil persistir e lógico que a distância entre o envio e o recebimento e vice-versa, não obedece uma urgência. Quando quero urgência, é o email mesmo que uso!! Nostalgia pura!! Beijus,

      Eliminar
  25. Luma,

    Já tô doida pra ler este livro, hehehe.
    Eu acho mais que especial estas amizades duradouras, que nao perde este encanto da comunicação também por carta.
    Sim, eu tenho cartas de quando tinha 12 anos, de uma grande amiga que ainda mora na mesma cidadezinha e durante anos, nos comunicamos por cartas. Atualmente, recebo/envio somente uma ou duas vezes por ano, geralmente Natal e aniversario.
    É bom demais.
    Além das cartas desta amiga, tinha de uma outra amiga da adolescencia (todas guardadas até hoje com muito carinho), mas a gente acabou se perdendo. Nem sei mais por onde ela anda.
    Tenho também do marido, da epoca de namoro e ele tem centenas de cartas / cartões meus. Aliás, para ele, escrevo sempre. Mesmo morando na mesma casa, quando dá na telha, escrevo e deixo em algum canto que sei que será encontrada. Na parte superior do meu guarda-roupas tem umas 4 caixas de sapato, abarrotadas de cartas.

    Um beijo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amizade também é exercício!! Tem que haver algum esforço e temos que aprender que os vínculos formados na infância, podemos levar para o resto da vida. Infelizmente as pessoas se esquecem das amizades infantis, lembrando apenas das brincadeiras. Uma amiga disse que não se lembrava do nome da melhor amiga da infância e do rosto, apenas um vulto. Que triste! Uma pessoa que morreu para as lembranças...
      Você sabe que não é a quantidade de cartas que diz a realidade do que sente para querer manter o vínculo com a sua amiga. Muito bom, mesmo que sejam apenas duas ao ano!
      Uau!!! Que lindo vocês dois!! :=))

      Eliminar
  26. Nem sei mais escrever carta, uma pena mesmo.
    Beijo Lisette.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Basta saber escrever, Lisette! :)

      Eliminar
  27. Eu gostava de escrever cartas, mas recebia poucas respostas. Desde que fui morar longe de casa (muitas andanças), sempre mandei cartões de Natal, mas também recebia pouca resposta. Com o tempo fui deixando de escrever cartas e os e.mails acabaram sendo a única forma de comunicação escrita.

    Se tivesse que escrever uma carta hoje, escreveria para as minhas filhas lerem no futuro (e acho que a última foi para elas).

    :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Para quem está longe da família e amigos, as cartas tem um peso maior. Por também ter morado muito tempo fora, me sentia lembrada quando recebia uma manifestação de preocupação, fosse de qualquer modo, mas as cartas sempre ocuparam um espaço de destaque entre as formas de demonstração de afeto.
      Ah, escreva cartas para suas filhas! Eu tenho muitas cartas da minha mãe já falecida e me conforta sempre!
      Beijus,

      Eliminar
  28. Querida amiga

    Entre tantas
    coisas bonitas
    que perdemos
    na vida,
    uma foi a de
    escrever
    e receber cartas.

    Que amar seja para ti
    o objetivo de cada instante.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O que nos conforta é que perdemos mas também ganhamos!! Beijus,

      Eliminar
  29. Luma!

    Através deste texto fiz uma deliciosa viagem ao passado, quando enviava e recebia cartas regularmente. Tenho um amigo que mora em Niterói e que demorou muito tempo para "aceitar" a internet. Ele foi o último com quem troquei cartas até três anos atrás, quando ele se rendeu à net e tornou-se usuário contumaz dos e-mails, através dos quais nos comunicamos até hoje, quase todos os dias. Não são e-mails anexando alguma coisa (só quando julgamos interessante para o outro), são quase cartas escritas com tempo e com carinho. Mas o sabor de receber um envelope selado, a nós endereçado e com a letra amiga e querida trazendo notícias é inigualável. Acho que vou fazer uma surpresa a esse amigo e enviar-lhe uma carta nos próximos dias...

    Beijo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Zeca, tenho algumas tias-avós que não se aventuram pela internet e ainda usam da boa e velha correspondência. Talvez sejam elas as reais impulsionadoras da minha admiração pelas cartas.
      Faz a surpresa sim, Zeca!! :)

      Eliminar
  30. Tão romântico... mesmo que seja entre amigos...
    Escrevi e recebi na adolescência, com meu primeiro namorado, que morava em outra cidade.. não guardei. Pena!

    Beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também não guardei nenhuma carta de namoradinho... rs.

      Eliminar
  31. Olá Luma,
    Ah!!! Realmente, nada como receber ou escrever uma carta. O e-mail não é a mesma coisa.
    Já recebi muitas cartas e confesso que tenho saudades dos momentos de expectativa na hora do carteiro passar para saber se tinha alguma correspondência para mim. Eu tenho selos, ainda hoje, da época que recebia as cartinhas. Até colecionava.
    Confesso que não sei para quem iria escrever, pois a maioria dos amigos e dos parentes estão no facebook e tenho notícias quase todos os dias...
    Beijos mil

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Teresinha, acredito que existam muitos correspondentes ainda e que fazem coleção de selos, senão os correios não lançavam tantos selos diferenciados e comemorativos. Ficariam no carimbo impresso e pronto!
      Aproveite a época do natal para enviar uma carta junto com o cartão, pode ter surpresas!
      Beijus,

      Eliminar
  32. Tão nostálgico...
    eu tinha uma amiga que nos correspondíamos, mas perdeu a graça...
    eu até guardei as cartas por um tempo bem longo, mas depois joguei fora...
    Se eu tivesse que escrever uma carta,hj, escreveria para o marido... alíás, qdo não quero falar com ele, escrevo cartas...

    bjos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. hehehe uma boa medida, mas acho que comigo não funciona! Se não querem falar comigo, deixo a pessoa sentir vontade. Ah, algumas pessoas escrevem cartas mecânicas, essas nem merecem respostas! Beijus,

      Eliminar
  33. Nossa, Luma, parece mentira, tenho uma amiga assim também!

    Desde a infância nossas histórias de vida estão ligadas. Não trocávamos cartas, só cartões e bilhetinhos, porque morávamos no mesmo bairro e estávamos sempre juntas. Ela foi viver em Fortaleza, já não nos vemos tanto quanto gostaríamos, mas quando a gente se encontra é a mesma festa, a mesma cumplicidade, nada nos separa.
    Há alguns anos fiz um blog pra ela, para animá-la numa fase difícil, e ela me levou às lágrimas com o que escreveu num post, a mais simples e sincera declaração de amizade que jamais recebi. Se quiser dar uma olhada... http://multiplasfaces.blogspot.com.br/2007/05/amiga.html

    Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que bacana. Betty!! Fui no blogue e li ele todinho!! Pena que ela não está atualizando mais e deixou que spams invadissem. Acho que terá que fazer um faxina! Também tem comentários da "Cristiane", lembra? (rs*)
      Admirável a amizade de vocês! Laços que permaneceram fortes desde a infância, sem a necessidade de cartas... rs.
      Beijus,

      Eliminar
  34. Olá, Luma! Não tenho problemas em escrever cartas. Aliás, para mim, escrever é uma necessidade. Tenho bloquinhos em todas as minhas bolsas. O caso das cartas é o correio, porque a minha agência aqui é péssima.

    Acho lindo essa tua amizade duradoura e fiel. Quanto à música que você ouviu lá na "árvore", não é nova não. Ela foi tema, até, de uma novela: Páginas da Vida e para mim ela diz muito.

    Beijos e aqui no Rio, chuva!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Entendi. Aqui na minha cidade tem mais que um correio e são todos iguais, funcionam do mesmo modo. Ah, para mim a música foi novidade porque no horário que está passando novela é a hora que chego em casa, daí vou tomar banho, jantar, ficar com o filho um pouquinho... Quando ligo a tv é para dar sono para dormir :)
      Aqui também está chovendo demais!!
      Beijus,

      Eliminar
  35. Luma, creio que a última carta que escrevi tenha sido em 2000 e alguma coisa e naquela época isso já era raro... confesso que não lembro o motivo de ter perdido este hábito, mas atualmente, quase ninguém, "troca" endereço residencial, tão pouco telefone fixo, a maioria só conhece o significado da palavra Facebook e às vezes nem por lá, o contato é tão constante, já que é tão fácil... até o celular, já não é tão usado para uma conversa, o mundo está muito tecnológico. Hoje em dia, o quê eu escrevo, é só cartão de aniversário ou natal, pois quando presenteio uma pessoa, faço questão de colocar um cartãozinho junto para o presente ficar mais mimoso e a pessoa que recebe fica surpreendida e, de certa forma, encantada com tal "raridade" (cartão manuscrito) que, às vezes, nem ela está acostumada a praticar. Adorei sua história!
    beijos e tudo de bom sempre.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Adoro tecnologia e sou cercada por ela o dia todo também. A questão da carta é costume antigo que faço questão de perpetuar! Meu carteiro é super fã - ele mesmo diz que só entrega mala direta e quando vem me entregar cartas se sente um verdadeiro carteiro. Acho que ele tem medo da sua profissão se perder no tempo, assim como está acontecendo com os alfaiates e sapateiros :) Eu me assusto com as pessoas que acham "raridade" a grafia escrita. Que bom que gostou!! Beijus,

      Eliminar
  36. Oi minha KIRIDA!
    Saudade, sabia Luma?
    E que lindo este tema Luma! Uau! Então não escrevia cartas reais? E que cartas lindas! Tenho pena de ter queimado tantas que hoje seriam uma relíquia para mim.Mas...nada é para sempre! Se tenho? Claro que tenho.Todas as do meu marido. Eu as dele.Ele as minhas. Estão na Arca com o vestido de noiva! Há 38 anos! A sério? Claro? E ...que vou fazer com elas? Um dia vou buscar e ler. Depois...verei!
    Como dizia (diz...) Fernando Pessoa "Todas as cartas de amor são ridículas/não seriam cartas de amor se não fossem ridículas/ Hoje também escrevo cartas de...amor...ridículas..." Se escrevo? para quem???O meu marido já não acharia a mesma graça!Nem eu! Tudo passa...e as cartas também. Se me acha graça ainda? Muitaaa!
    Ah...já vou longe demais...Rss!
    ..são os teus posts sempre tão...teus!
    Abração minha querida!
    Te gosto!
    .....
    ah... a torta leva 3e1/2 colheres de farinha. Desculpa a falha...
    Bjiiii

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito bom, heim? Pode ser um encontro romântico, você organizar as cartas e ler as suas para ele e ele ler as dele para você. Bom reviver juntos os bons momentos, mesmo que tão distantes... talvez se lembrem de fatos que já se perderam na memória.
      Escreve pra mim, Manu! :)
      Vou anotar! Adorei aquela receita e enquanto fui anotando vi que faltava a farinha... não me leve à mal :) Beijus,

      Eliminar
  37. Que coincidência Luma, fiz um post no meu blog sobre cartas. Estava fazendo arrumação no meu quarto, encontrei a caixa e bateu aquela saudade!!!
    Um convite, se quiser ler... http://belblogandocomavida.blogspot.com.br/2012/08/as-cartas-tem-alma.html
    Bjs, linda... ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Wow!! Muito legal!! Como não acredito em coincidências, vou no seu blogue daqui a pouco ver o que escreveu :) Na vida tudo entra em sincronia. É como se eu pensando aqui, você pensasse lá, a mesma coisa... rs. Beijus,

      Eliminar
  38. Luma,

    Gostei muito do assunto desse post.
    Eu me correspondo com uma amiga no Brasil. Nos falamos por email, mas não abrimos mãos das cartas.
    Fico emocionada quando abro a caixinha do correio, e lá está aquele envelope padrão Brasil com a linda caligrafia dela.
    Nossa amizade não é de infância, mas já perdura um bom tempo através das cartinhas.

    Linda a amizade de vocês, e sei que esse encontro vai ser cheio de emoção.

    Um lindo dia! Beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que ótimo que você faz questão das cartas! A emoção é grande quando recebemos notícias dos amigos pelo correio. Sinal de dedicação!! Para a amizade não existe tempo :) Beijus,

      Eliminar
  39. Luma, vim correndo (rss). Cartas são cheias de um encantamento único, jamais encontrado em comunicações feitas por e-mail. Elas trazem algo especial, que ultrapassa o contato e as notícias. A proposição de vocês é mágica e vou querer ler. Um livro que, certamente, ficará precioso. Bjs.

    ResponderEliminar

Tenha identidade, não seja anônimo na web. Crie sua identidade virtual.

...bisbilhotaram em quietude, sem solidão

PlagSpotter - duplicate content checker tool
Licença Creative Commonsget click

Algumas coisas não têm preço


finalista the weblog awards 2005finalista the weblog awards 2006
finalista the weblog awards 2007weblogawards 2008
Verificar conteúdo duplicado

Me leve com você...

Leia o luz no seu celular

Copyright  © 2014 Luz de Luma, yes party! Todos os direitos reservados. Imagens de modelo por Luma Rosa. Publicações licenciadas por Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial- Vedada a criação de obras derivadas 2.5 Brasil License . Cópia somente com autorização.

Tem sempre alguém que não cita a fonte... fingindo ter aquilo que não é seu.

Leia mais para produzir mais!

Atenção com o que levar daqui. Preserve os direitos autorais do editor