Questionamento

rotina
No fundo, no fundo,
bem lá no fundo,
a gente gostaria
de ver nossos problemas
resolvidos por decreto.

A partir desta data,
aquela mágoa sem remédio
é considerada nula
e sobre ela - silêncio perpétuo.

Extinto por lei todo remorso,
maldito seja quem olhar pra trás,
lá pra trás não há nada,
e nada mais.

Mas problemas não se resolvem,
problemas têm família grande,
e aos domingos saem todos pra passear
o problema, sua senhora
e outros pequenos probleminhas.

(Paulo Leminski)

Diante dos fatos atuais, lembrei-me dessa história...

Num belo dia, depois de quase oito anos de casamento, Alisa se pegou planejando os detalhes do velório do marido. Não haveria nada de errado se ele estivesse morto, o que não era o caso. Mark, o digníssimo cônjuge, estava vivíssimo e sua presença (ou ausência) lhe incomodava tanto que ela começou a imaginar como seria boa a vida se ele desaparecesse do mapa.

Ao choramingar sua longa lista de lamentos para uma amiga e falar sobre divórcio, ouviu o conselho de que deveria tentar de tudo para salvar a relação antes de jogar marido, filha e casa para o alto. Assim surgiu o projeto "Felizes para sempre". De outra forma, não ficaria sozinha por muito tempo, seria trocar alhos por bugalhos. Começar tudo de novo com outra pessoa? Ai... que preguiça!!

Aquela altura do casamento desastroso, Alisa já tinha feito uma lista enorme de homens com quem sairia no instante em que seu marido morresse. Não queria dormir com ele, nem nessa nem na próxima encarnação, e não fazia ideia de onde estava com a cabeça quando decidiu se casar com ele.

Mesmo assim, Alisa aceitou o conselho da amiga. Traçou uma estratégia de guerra para resgatar o amor, o sexo, a conversa e o prazer de estar ao lado marido e de poder contar com ele. O planejamento incluía um prazo de quatro meses e uma curta lista de prioridades. Desenvolveu quatro etapas que deveriam ser vencidas: perdão, renascimento da vida sexual, romance, comunicação e intimidade.

Ela se questionava: No casamento estava tudo arruinado. Se eu focasse em apenas um ponto, como a vida sexual, a tentativa de salvar o casamento seria uma experiência dolorosa e frustrante. Todos os aspectos de uma boa relação são interligados. Você não terá uma vida sexual incrível se não forem românticos um com o outro.

Mãe de uma menina de oito anos, ela viu o seu casamento desmoronar na proporção em que sua carreira evoluía e a do marido se tornava desastrosa. A corda rompeu de vez com o nascimento da filha na mesma época em que Mark abriu uma loja de bicicleta, pela qual ficou aficionado.

Ao se debruçar sobre a estratégia de resgate do casamento feliz, ela partiu para uma livraria e comprou 12 livros de auto-ajuda sobre o assunto. Leu todos. Foi de "Sete princípios para o casamento dar certo", de John Gottman e Nan Siver, a "O Cérebro feminino", de Louann Brizendine, passando pelo guia cheio de dicas de "Hot Monogamy", de Patrícia Love.

Ela comprou lingerie, fez o marido se arrepender de uma série de pontos como não querer transar com ela durante a gravidez, propôs tarefas a dois (como listar os motivos pelos quais se apaixonaram um pelo outro) e fizeram viagens a dois numa tentativa de reencontrar aquele namorado interessantíssimo que um dia foi seu marido e com quem ela adorava passar horas e horas conversando.

Para criar um compromisso, criou um blogue que atualmente figura entre os "100 blogs para visitar antes de morrer" - "oferecendo ajuda para casamentos e conselhos, porém também escrevendo sobre felicidade, espiritualidade, psicologia e muito mais". Não é que deu certo? Sua luta para manter o casamento, rendeu ao casal novos momentos de felicidade. Se não tivesse dado, também não teria escrito o livro "Felizes para sempre" ou melhor, três livros.

Alisa Bowman já conta 13 anos de casamento e jura que seu marido - aquele de quem tanto reclamava - melhorou tanto que se tornou objeto de inveja das amigas.

Alisa e família
Seu casamento passou pela prova de fogo, por que antes de decidir acabar com o relacionamento, ela se questionou: Devo dar mais uma chance para a felicidade?

Se as pessoas se separam porque amam de menos, quero entender porque sem fazer tentativas de reconstrução da relação, pessoas se separam porque amam demais. Esqueceram os motivos que decidiram estar juntas?

Vinícius no soneto "Fidelidade”, tão conhecido de todos, desejou "que não seja imortal posto que é chama / mas que seja infinito enquanto dure". E afirmou certa vez que: sua vida tinha sido como se uma mulher lhe depositasse sempre nos braços de outra.

Porque o amor paixão pela sua própria intensidade não tem condição de sobreviver?

Sim, quando queremos muito algo, tendemos ao exagero e esse exagero nos sufoca e sufoca o outro.

A calma no seio da paixão, seria o ideal, mas é um equilíbrio infecundo para o amor, para a poesia, para a música...para a arte em geral. O amor é uma arte, pois exige arte para amar.

E agora José? coloque o pé no chão...

Terminar um relacionamento é o caminho mais curto, menos trabalhoso, o mais usual nos dias atuais. Alisa passou por todas as fases da nossa coletiva "Amor aos Pedaços"; ela se encantou, desencantou, se encheu de esperanças, se questionou e chegou à sua plenitude como pessoa... essa nova fase e derradeira da nossa coletiva, você só saberá no dia 17 quando será feita a chamada para a 5ª fase. Aguarde!

Parece que tudo oprime o “homem”, até mesmo o amor. E agora falo no sentido amplo da coisa, de quem anda de Herodes para Pilatos se perguntando onde está o amor.

Quanto dura? Ninguém sabe.
Amor nunca é demais!
Enquanto dura, façam-no!

Essa é a minha participação na 4ª fase "Questionamento", da blogagem coletiva "Amor aos pedaços".

Compreendendo porque Mário Quintana, imprimiu o pensamento:

Amar é mudar a alma de casa.

Venha participar com a gente! Não importa se não participou das outras fases, pois apesar delas estarem interligadas, elas também são independentes.

Fique à vontade para escolher o dia que quiser postar! Dia 15 é referência de dia e só pedimos que avise que publicou.

Participantes dessa 4ª Fase:
  1. Eu
  2. Rute - Publicar para partilhar
  3. Valéria - Cadeirante em primeiras viagens
  4. Bel Freitas - Blogando com a vida
  5. José Torres - Inséte
  6. Max Coutinho - Etnias, o Bisturi da Sociedade
  7. Lílian e Vera - Meu caderno de inspirações
  8. Lílian e Vera - Só Tutoriais
  9. Lílian e Vera - Duas Moças Prendadas
  10. Lílian e Vera - Tenho Alma Vintage
  11. Teté - Quiproquó
  12. Carol M - Vamos Preservar?
  13. Sandra Portugal - Projetando Pessoas
  14. Nane - Diário de uma Transformação
  15. Emanuel - Cartas Cartomânticas
  16. Anne Liere - Asas dos Versos e Reversos
  17. Suelen Muniz - Viver é aprender
  18. Chica - Chica escreve por aí...
  19. Débora Acácio - Em Nossas Vidas...
  20. Lucinha - Lucinha's Home & Garden
  21. Isabel de Matos - A Escola é Bela
  22. Margarida - Tachos Vs. Panelas
  23. Elvira Carvalho - Sexta-Feira
  24. Teresinha Ferreira - Democratização da Moda
  25. Norma Emiliano - Pensando em Família
  26. Valéria - Do que eu gosto...
  27. Luciano A. Santos - .Livro
  28. Clara Lúcia - Simples e Clara
  29. Bia Jubiart - Jubiart Artesanato
  30. Marly Ribeiro - Mensagens Abençoadoras
  31. Josy - Cozinhando com Josy
  32. Lulu - Lulu on the Sky
  33. Lu Girão e Tony - Voz Ativa
  34. Bel Rech - Buscando o Amor
  35. Maria Luiza - Casa da Alquimia
  36. Carmen Luíza - Fractais da Calu
  37. São - São Banza
  38. Van - Retalhos do que sou
  39. Jorge Vicente - Amoralva
  40. Lu Souza Brito - Lichia Doce
  41. Adri - Casa, Coisas e Sabores
  42. Felipa - Uma certa luz
  43. Ieda Silver - Esplendor da Criação
  44. Michelle - Janela Pessoal
  45. Geíza Bolognani - Insanidade Temporária
  46. Tetê, sem neuras - Avaliando a Vida
  47. Ricardo Rayol Braga - A cor da letra
  48. Edu - A Letra E ヅ
  49. Lina - Aroma de Café
  50. Virgínia - Arte Livre Vimajê
  51. Mila Resendes - Nada Sério
  52. Anouska - Mãos de Manteiga
  53. Liliane - Sonhar e Ser
  54. Adão Braga - Corpo, Alma e Espírito
  55. Ana - Organizando o Caos
  56. Xunandinha - Conversas com Xunandinha
  57. Bia Hain - Revolta e Romance
  58. Irene Moreira - M@myrene
  59. Mary - Não estava a fim
  60. Zilda Santiago - Rumos Libertadores
  61. Você

112 comentários :

  1. Luma,uma excelente participação e que história mais legal dessa moça!Ela lutou e salvou seu casamento,acredito que assim que tem que ser!Deixo o link de minha participação:

    http://asasdosversosereversos.blogspot.com.br/2012/06/no-bolso.html

    bjs,

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anne, quem fica casado muito tempo sabe que por muitas vezes é pensado que tudo irá ruir ou que se está dando murro em ponta de faca. Além do amor, o casamento precisa de uma certa dose de paciência e compreensão que só se adquire com o tempo da relação. Daqui a pouco vou lá!! Estou acrescentando os links e escrevi correndo, ainda vou dar uma revisada no texto... :) Beijus,

      Eliminar
  2. Gostei do texto e adorei a citação de Quintana.

    Vou participar.

    Grande beijo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estou aguardando a publicação para acrescentar o seu link! Beijus,

      Eliminar
  3. Oi Luma!
    Excelente texto! Que história de comprometimento e perseverança.Ela foi uma batalhadora e viveu o júbilo, viver para o amor.
    Minha participação está lá no blog.http://ahdoqueeugosto.blogspot.com.br/2012/06/bc-amor-aos-pedacos-questionamento.html
    Beijinhos e um fds de paz!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ela pode dizer: "Eu tentei" - Você vive as felicidades de uma relação e também as infelicidades. Essa última não pode se sobrepor aos momentos felizes. Se não existem momentos felizes, cria-se!! (rs*) Beijus,

      Eliminar
  4. Lindo,Luma!!Bela história que teve final feliz, ainda bem.Ela soube questionar, passar por tudo e deu certo... beijos, tudo de boim,chica

    Também estou nessa:
    Esqueci de mandar o link:

    http://chicaescreveporai.blogspot.com.br/2012/06/amor-e-questionamentos.html

    beijos,lindo fds!chica

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Chica, fácil demais procurar defeitos e colocá-los em primeira instância. Um porre casais que vivem se corrigindo. Não parecem casais, parecem pais e mães tratando um ao outro como crianças débeis :) Beijus,

      Eliminar
  5. eita... como representante da turma que terminou relacionamento depois de 12 anos, fico meio incomodado com a leitura. será que não tentei o sufuiciente? será que escolhi o jeito "fácil"? acho que cada caso é um caso. quer dizer, num mundo com bilhões de pessoas, seguramente milhares de casais podem se beneficiar da experiência da moça/autora, mas prefiro não me sentir "oprimido" pelo sucesso dela não. :-)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ah, Não se sinta mal!! Eu garanto que para terminar você foi até o fundo do poço, roeu todo o osso e foi no pito! Como diria a minha mãe... Ela tentou, mas também podia dar certo. Eu te conheço e sei que tentou o máximo!! Vem participar com a gente!! ;) Beijus,

      Eliminar
    2. Seu desejo é uma ordem!
      http://aletrae.blogspot.com.br/2012/06/amor-aos-pedacos-blogagem-coletiva.html

      Eliminar
    3. Já adicionando seu link! Obrigada por participar!! + Beijus,

      Eliminar
  6. Luma, é isso mesmo que as pessoas deviam fazer,lutar para que o relacionamento funcione,viver a dois não é fácil,mas não pode esquecer o que os uniu. Também falei um pouco disso no meu texto.
    Não entendo que casais que se juntaram por estar apaixonados,muitos em um ano ou menos não se suportam,não faz sentido.
    Claro que tem relacionamentos que por mais que tentemos não tem jeito. Eu tentei por 23 anos,rs, mas desisti...
    Bjos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não existe fórmula, mas além do amor, muitos casais não desenvolver a intimidade que consequentemente se transforma em cumplicidade. Falta tempo! Falta convivência antes de assumirem um compromisso. É a pressa dos dias atuais... beijus,

      Eliminar
  7. Oi Luma!

    Só dá um passo adiante quem questiona

    Olha a minha aqui http://retalhosdoquesou.blogspot.com.br/2012/06/amor-aos-pedacos-questionamento.html

    Beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caríssima, você é inspiradora até quando comenta!
      Também acho que sem questionamento não existe progresso pessoal. Temos tantas fases em que questionamos a vida, quando temos que dar aquele passo, aquela decisão...
      Daqui a pouco vou aos blogues!
      Beijus,

      Eliminar
  8. Que história bonita!
    Ela investiu na relação e colheu dividendos.

    Beijos,

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, sortuda!! Mas nem sempre é assim! Acho que devemos ir fundo e desistir somente quando não tiver mais jeito, para não ter a dúvida: Será que fiz certo?
      Beijus,

      Eliminar
  9. Já tô me perguntando se da última vez tentei muito errado pq foi desastroso! rs. Mas a vida nos dá novas oportunidades. Vamos ver se dessa vez dá certo.
    Bjs.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muitas vezes não escolhemos direito e a pessoa não foi certa. Vamos dizer que, não deu certo porque não tinha de ser! Beijus,

      Eliminar
  10. Oi Luma,

    Puxa, um excelente exemplo de algo que deu certo, quando ela poderia ter simplismente desistido né?
    E as vezes queremos mesmo desistir, mas é preciso mesmo reavaliar. No caso dela deu certo, poderia nao ter dado, mas acho que o amor exige um pouco mais que 'bons momentos' e as pessoas nao querem mesmo ter trabalho.
    Não estou julgando, mesmo porque tem gente que termina logo e para aquela pessoa, o fim do relacionamento significa o começo de uma vida muito melhor.
    Eu tento, eu insisto, e enquanto existir amor, vou continuar tentando. Por que ate uma dificuldade financeira nos dá vontade de jogar a toalha, e nao pode ser por aí, não é?
    Já postei minha participação.

    http://lichiadoce.blogspot.com.br/2012/06/questionamento-bc-amor-aos-pedacos.html

    Beijos
    Lu

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Desistir é sempre mais fácil, não somente com relação ao casamento. Podemos afastar o problema, mas ele não será resolvido. Se ele estiver em nós? Problemas alheios ao amor, interferem no dia a dia, mas não podemos fazer deles objeto de desistência. Muitos casais se fortalecem com as dificuldades. Diria que elas são a prova do amor! Beijus,

      Eliminar
  11. Oi, Luma!

    Salvar o amor... sim, é preciso! Antes de tudo, para todas as relações humanas, não apenas as relações que formam um casal!

    As pessoas estão perdidas à procura de regras, daí consomem livros de auto-ajuda antes mesmo de ouvir o próprio coração... Um coração humano dialoga com outro. A franqueza abre portas e falar o que realmente se sente nunca soará falso ou desencadeará más reações. É preciso falar e SABER o que se sente, a máxima do autoconhecimento está neste tema tanto para uns quantos outros que necessitem de uma base.

    Não! Não vejo de maneira alguma a separação de um casal como o caminho mais curto, nem mais fácil! Sim, infelizmente é o mais usual. Na verdade, vejo como um caminho tortuoso e duro. Muito duro.

    Ah, e não podemos esquecer os casos em que uma separação é absolutamente necessária. Temos de perceber nosso desconhecimento sobre as motivações que impulsionam as relações humanas, o conhecimento absoluto delas nem o mais estudioso dos estudiosos especialistas sobre o tema teriam gabarito para saber... Mas seguimos tentando. Uns mais que outros, é verdade. Só que isso não dá título "honoris causa" a ninguém, não há como padronizar comportamentos nem moralizar (moral torta) atitudes. Simplesmente existem. A simplicidade é complexa.

    Bj, adorei seu texto.

    Queria tentar participar, mas como já li aqui, não conseguiria libertar a mente para contribuir de maneira mais rica... Ou conseguiria? Se rolar qq coisa, passo aqui pra deixar o link.

    Michelle

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Lógico! Em geral, colocamos o casal com ilustrativo, mas o amor abrange todos os corações, do mais novo ao mais velho e em cada fase da vida, o amor se transforma, evolui e se adapta às circunstâncias.
      Quando o amor não evolui mais e é comprovada a sua morte, porque não enterrar o defunto? Queremos amor, queremos fazer amor de forma salutar, até que os anos nos permita. Um amor de casal sem sementes, não frutifica! Um amor fraternal, também sem sementes, morre!! A vida é um toma lá, dá cá! Ninguém ama sozinho e se assim está fazendo, não está vivendo o amor, está vivendo uma ilusão.
      Obrigada por ter gostado do texto!! Eu sei que você consegue, mas também sei que para isso acontecer, você precisa de um momento só seu! Te compreendo, amiga!!
      Se não conseguir postar, tudo bem! Seu comentário já me valeu, pois mostrou a sua sensibilidade quanto ao tema.
      Beijus,

      Eliminar
  12. Adorei o seu texto Luma. Sabe eu sempre achei que grande parte da desilusão das mulheres com o casamento é culpa delas mesmo. Claro que há homens doentes que por ciumes ou por outra coisa qualquer são capazes de tudo até de matar. E claro que não me refiro a esses. Mas ao longo da vida eu tenho encontrado amigas que se queixam do pouco interesse que o marido tem por elas, mas muitas vezes não se preocupam com a sua imagem, pensam que pelo facto de estarem casadas já não precisam se cuidar.
    Um abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Elvira!!
      Pode ser que a culpa seja nossa, mas a culpa pode ser compartilhada se ao invés de só desejarmos e querer algo diferente, irmos à luta e dizer ao nosso amado que os nossos sonhos podem ser reais, se ele contribuir. Quando digo isso, imagino duas pessoas dentro do casamento, cada um com seus pensamentos e desejos, cada um fechado em seu mundo. Se não haver comunicação, não existe adivinhação. Tem muito homem que possa de sabe tudo, mas que precisa da mulher, com sua meiguice e até falta de experiência para ditar-lhes os caminhos da boa convivência e descer do pedestal de "homem". Ainda mais atualmente que os homens têm medo de demonstrar sensibilidade. Salvo os mais modernos!! Salve os homens modernos!! (rs*)
      Sobre a falta de interesse dos homens ao desejar suas mulheres, isso é fácil, pois eles, mais que as princesas, vivem num mundo a desejar mulheres que não existem! Se não podem com uma Brunet, contentem-se com as suas! Pois nós mulheres, vemos com o passar dos anos, nossos príncipes se transformarem em sapos. Eles perdem bunda, afinam as coxas e canelas, ganham barrigas! E nós temos que ter tesão por isso... e eles não, por nós que vivemos em brigas com hormónios, gravidez, amamentação, dia a dia estressante com os problemas de todos! Aff!! O mundo não é justo!! Beijus,

      Eliminar
  13. Belíssimo texto. Ainda bem que ela soube se questionar e aproveitar as respostas que este questionamento lhe trouxe. Acho, na verdade, que isso faz toda a diferença: apenas se questionar não é o suficiente, e se não se toma proveito disso o ato é bastante supérfluo.

    Grande beijo ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bom que gostou, Luciano!! Eu já estava esperando uma feminista dizer que tem que "quebrar o pau", exigir e o quê? Ainda bem que no "luz" as leitoras são mulheres maduras, ou senão, são mulheres apaixonadas! Pelo sim, pelo não, me orgulho da comunidade formada em torno do "luz"; pessoas que compreendem a alma humana e seus deslizes.
      Luciano, perdemos tanto tempo com o desnecessário e na hora de salvar a nossa vida emocional, achamos dificuldade. Melhor questionar, senão conseguir resgatar o antigo amor, que os nossos erros sirvam para não cair no mesmo erro no futuro.
      Obrigada por participar! A sua presença é sempre esperada!!
      Beijus,

      Eliminar
  14. Luma, aqui vai meu link para participar:

    http://janelapessoal.blogspot.pt/2012/06/o-tal-famigerado-questionamento.html

    Acho que eu já havia me comprometido, então não vai ficar lacuna =)

    Aos poucos vou lendo os demais.

    Bj,

    Michelle

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Uhuuuuuuuuuuuu!! Você conseguiu!! Deus salve os anjinhos da guarda que zela pelo sonhos dos pequeninos!!
      Michele, você é uma pessoa muito responsável em tudo que assume fazer! Só te peço um pouco de paciência comigo, pois estou enrolada colega...rs.
      Beijus,

      Eliminar
  15. Luma, já começou o texto com um poeminha que adorei, aí foi levando a gente pela história de Alisa...eu mesma já estava esperando o momento da separação. É o que se espera hoje em dia, não é? Questionar, identificar os problemas e tentar resolvê-los é que são elas, e geralmente em "casos conjugais" é mesmo a família toda, problemões e probleminhas, rs. Cada vez mais nessa minha curta vida vejo que ser feliz é muito mais que estar feliz. O "estar" passa, é efêmero, sempre falta alguma coisa. Belíssimo texto, dos que fazem dessa blogagem tão rica :) Um beijão!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois então, a gente espera que diante de um relato desse, a separação seja eminente.
      Dri, você é uma pessoa profunda!! Eu vejo "Flores em você". Nós vivemos o nosso dia a dia e se ele não é satisfatória, sempre imaginamos uma alma bendita que nos venha resgatar do marasmo. Errado. Pensamos errado! Essa alma que vem, não deve ser esperada e como disse, o tempo é curto. Façamos nós o papel da alma bendita. Só nós sabemos as nossas dores, onde nos aperta o sapato e temos que ajustar o nosso cotidiano para próximo daquilo que nos satisfaça, se o sonho não está possível, pois assim, nos animamos a tentar mais e mais, e chegar cada vez mais, próximo do nosso sonho. O amor é assim, começamos com a paciência de um monge e com o passar do tempo, somos contaminados pelos excessos, por aquilo que vem de fora e nos esquecemos do momento em que decidimos ter esssa pessoa do nosso lado.
      A grama do vizinho é mais alta? Vai ver de perto, tá cheia de erva daninha!!
      Boa semana!! Beijus,

      Eliminar
  16. Oká
    Bela retrospectiva amorosa, com final feliz! Onde tudo recomeça num incessante trabalho de jardinagem. Pena que alguns solos não sejam fortes suficientemente para o renascer das rosas com sua beleza e espinhos.
    bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Culturalmente talvez os nossos machos não se prestariam a experiência. Contamos nos dedos os homens que se deixariam fotografar para uma matéria como essa. Mas o guapo também foi valente!! As amigas invejam... rs.
      Beijus,

      Eliminar
  17. *

    Alguns casais andam com muita pressa, não existe uma cumplicidade mútua.
    Não é regra, mas na minha opinião, uma relação precisa de alicerce (uma base) para continuar sólido. E depois, é aquela velha historinha... tem que cuidar sempre! Dependendo do tempo, se houver amor, “os dois” tem que regar a plantinha.
    É isso aí, Luma... O “amor” é sublime. Para mim, não existe rotina. Adoro quando aliada ao amor. Tudo fica leve, nada pesa.

    A Blogagem Coletiva continua muito legal. Vou ver se tenho um tempinho para visitar os outros blogues.

    =Beijos,

    .::.Susy.::.

    *

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Susy, está meio complicado construir base, pois os relacionamentos atuais se baseiam em sexo no primeiro encontro e no final de um relacionamento, pouco conversaram mas de tudo fizeram. Fica um vazio, afinal, o ser humano precisa preencher todas as suas carências para se sentir completo. Precisamos de um cúmplice! Amantes, tendo as prerrogativas é coisa fácil, já que estão todos malhando o corpo e atrofiando o cérebro. Beijus,

      Eliminar
    2. Lógico que nos dias atuais isso é bem comum para quem pratica. É bem como você faou: "Fica um vazio..."
      Ainda bem que faço parte do grupo da exceção. =)

      Boa semana! Fica com Deus!

      =Beijos...

      Eliminar
  18. Introduzindo meu link

    http://acordaletra.blogspot.com.br/2012/06/amor-aos-pedacos-questionamentos.html

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já adicionei na postagem e só peço que tenha paciência pois esse final de semana, não foi fácil!! E logo vou visitar o seu blogue! Beijus,

      Eliminar
  19. Alisa teve muita sorte.
    Encontrou tudo o que necessitava em livros, na loja da esquina... (rsrsrs).
    Dificilmente volta a acontecer um caso assim... um casamento desfeito, mas "pegado" (colado) com a sabedoria dos teóricos que se casam e descasam como qualquer mortal parecido com Alisa.
    Se o nosso 'interior' não estiver preparado, não conseguiremos "ver e ler" essa quimera, ou será uma certeza?.
    É mais fácil fazer um bolo de chocolate (brigadeiro, não é?) e depois de assado, voltar a separar os ingredientes (rsss, rsss, rsss).
    A Terra gira sem parar e quem perder o "trem" numa das suas passagens, não voltará a entrar.
    Penso eu.
    Estou sem tempo para visitar os outros blogs, mas prometo fazê-lo na segunda-feira (se ainda estiver vivo e a mexer os dedos dos pés, rsrsrs)
    Um abração e bom fim de semana.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas você!! Ela não queria importunar as amigas e os parentes com os problemas de casal e por isso procurou ajuda nos livros. Também não gosto de livros de auto-ajuda, mas usar esse tipo de ferramenta como ajuda é decretar seu desepero!!
      Com essa atitude, ela armou o seu interior para renovar as esperanças - nessa hora, acredito que tudo é válido! Só não entendo porque ela não procurou uma terapia de casal, mas enfim, se ela é escritora, tem que fazer propaganda dos livros que a editora dela vende! Captou?
      Sei que é um homem experiênte e a vida tem seus interesses. Mas eu prefiro romantizar. Acho muito triste a vida sem romance! (rs*) hehehe vou viver feliz!
      Entendi o que quis dizer. Eu até tenho um post que falo do "Bolo Queimado", por assim, não poderá, nem mesmo quimicamente separar os ingredientes. Você foi muito feliz nessa colocação. Mas é um sábio e eu ainda engatinho nessas coisas da vida!
      Amigo, quero chegar logo no seu blogue!! Mas o tempo aqui virou uma roleta doida que não para!!
      Boa semana!! Beijus,

      Eliminar
  20. Oi Luma,
    só agora estou iniciando visita às participações. Dia 15, sexta-feira é dose!! Estou num cansaço só. Mas muito feliz de sentir a intensa adesão das pessoas. Sem duvida que todo o mundo já entrou no ritmo da BCAP.
    Que pena que está terminando...

    Quanto à sua excelente participação, concordo em absoluto. Tenho por hábito dar "mil" hipoteses de reconciliação nos relacionamentos. Mas conforme alguém disse lá no meu blog, salvo erro foi a Lú, não depende só de uma pessoa, não é mesmo? Até no regaste do Amor são precisos dois!

    Duas vontades, um só objetivo. Esse é o grande milagre.
    A separatividade que dá lugar à união.
    Não é fácil, não. Mas é bom saber que há salvamentos que dão certo. Obrigada por compartilhar boas exemplos.
    Beijo além-mar.
    Rute

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Salve, Rute!! Ainda não consegui o feito! E sinto as pessoas animadas! O amor está no ar!! E não existe nada mais animador, não é mesmo?
      Hoje bateu um saudosismo! Não somente da blogagem, mas das nossas "discussões" nos bastidores! Como é gostoso trocar ideias e chegar a um senso comum! Crescemos na blogagem, nos conhecemos um pouco mais e tivemos a certeza de estar no caminho certo! Em prosseguir alimentando a blogosfera com boas atitudes e pensamentos capazes de germinar.
      Todo relacionamento é uma via de mão dupla e a resposta tem que acontecer! Senão morre, acaba! Lutar por um ideal em comum faz crescer e amadurecer, senão o relacionamento, nós como pessoas.
      Beijus,

      Eliminar
  21. Oi Luma!

    Com certeza, amor nunca é demais e sempre vale tentar "mais uma vez" antes de partir, antes de mudar. Os jovens o fazem com mais facilidade (como tudo na juventude...rs) mas depois de uma certa idade é sempre bom refletir, pensar duas vezes.

    Parabéns pelo texto e pela Blogagem Coletiva, não consegui partipar, mas não faltará oportunidade, pode acreditar.

    beijo grande querida e bom fim de semana!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tina Blue... você veio, quanta saudade!!
      Ir até o fundo do poço e ver se lá ainda tem água. Qual o futuro daquele poço que antes nos saciou a sede? Em se tratando de pessoas, não podemos ser tão frios, ainda mais se existem filhos envolvidos. A questão que hoje se coloca é: Se vive apenas uma vez! Será? Que mundo terrível é esse que te dá oportunidade apenas uma vez?
      Obrigada, Tina!!

      Eliminar
  22. Adorei a história Luma, ainda mais no mundo de hoje em que as pessoas preferem se separar do que assumir os erros ou tentar mudar! E sabe o que é pior? Algumas pessoas se arrependem de terem se separado em um espaço curto de tempo, só que aí minha querida pode ser tarde demais!

    Eu acredito que toda tentativa de recuperar o que foi perdido, é válida. Existem muitos motivos que podem fazer o encanto acabar ou até algumas coisas passarem despercebidas... MAs amar vale à pena sim :)

    Um beijo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Jaque, já vi muito disso! Pessoas desejando a liberdade e depois que os anos passam chegam a conclusão que foram escravos de um pensamento e na solidão dos anos, querem retornar para apagar aquele desejo que as fizeram distanciar do que realmente era importante.
      A realidade de um casamento, vai além daquilo que imaginamos se não estamos vivendo, mas achar que o pesadelo se instalou é não conhecer toda a realidade que existe nos relacionamentos. A construçao passa por conhecer os defeitos no dia a dia. Casamento é isso!! Beijus,

      Eliminar
  23. Luma querida, adorei sua participação. Não conhecia a história de Alicia, eu chego a crer que ela venceu, lutou, por que era a única que amava na relação, ou amava mais, isso sim foi a maior prova de amor que ela deu ao seu marido. Linda história. Bela participação. Bjocas. Excelente final de semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho que sim também! Ela optou pelo caminho mais longo e porque também os filhos já existiam. Acredito que os filhos nos fazem pensar mais uma vez antes de matar um amor em definitivo!
      Boa semana!! Beijus,

      Eliminar
  24. Essa história de Alisa é realmente impressionante: a pensar no velório do marido? A queixar-se à amiga e a falar de divórcio? Aparentemente é uma solução fácil: tá farta e acaba com tudo de vez! Mas bem fez a amiga em ajudá-la a reconsiderar! Nem sou muito desses livros de auto-ajuda, mas pensamento positivo ajuda sempre! Porque aliás, essa solução "fácil" às tantas torna-se difícil, com novos relacionamentos e desilusões (não há quem as não tenha, obviamente), se se foge sempre, um dia acaba-se sozinha/o... ;)

    Gostei da tua postagem e também desta vossa iniciativa, que pôs tanta gente a escrever sobre amor! :)))

    Beijocas!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cara Teté, posso lhe assegurar que pensar na eliminação do ex em nossas vidas é a coisa mais normal do mundo. Pois não dizem que o amor anda colado com o ódio? Imaginar é até salutar, pois daí você logo vivencia como seria sem o dito cujo e se sofrer com esses pensamentos, poderá retroagir e olhar o amado como uma pessoa "viva". Ela deu sorte por o marido não ter sido vítima de uma tragédia, já pensou? Ela imaginando a morte e acontece o pior? A culpa é pior que tudo, então, para não ter culpa, porque não tentar uma outra vez?
      Obrigada, Teté!! Parabéns pelo aniversário do blogue!! Beijus,

      Eliminar
  25. Que bonito, Luma. Questionar(se) e insistir, procurar fazer valer a pena. Acho que amor é assim, passa por vários momentos e é preciso estar sempre em luta (interior) para fazer valer o sonho de juntar nossa vida à de alguém e vencer todos os obstáculos. Amar se aprende amando, e persistindo, e inovando, e acreditando. Não se pode desistir facilmente.
    Beijo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É muito fácil acabar com um casamento no início, quando não se tem muito envolvimento de casal, no sentido amplo da relação. Depois, com os anos, tudo fica mais complicado, porque não depende das nossas vontades, existem outras vontades envolvidas. Precisamos pensar na infelicidades que podemos causar. Lógico que o egoísmo sempre ficará brigando e colocando dúvidas em nossas cabeças... e se... mas acho que antes dos "ses" precisamos retroagir e lembrar do porque resolvemos nos unir à pessoa que se tornou nosso parceiro de vida.
      Beijus,

      Eliminar
  26. Como sempre arrasando nbas blogagens coletivas. Fiz minha contribuição.
    Big Beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Lulu!! Vou começar a semana visitando os blogues pois ainda não consegui!! Beijus,

      Eliminar
  27. Oi Luma, demorou um pouco mas consegui comparecer em mais uma fase da BC...

    Aqui meu link:
    http://milaresendes.blogspot.com.br/2012/06/blogagem-coletiva-amor-aos-pedacos.html

    Bjkas
    Mila

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Minha amiga, também estou atrasadinha... seja bem-vinda sempre!! Beijus,

      Eliminar
  28. Olá Luma!

    Que texto incrível! Difícil não nos questionar taantas coisas...
    Vou aguardar e tentar participar do próximo desafio!

    Abraços,
    Carol
    www.umblogsimples.com

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Carolina!! O próximo desafio será o último. Ficarei feliz se pudr participar!! Beijus,

      Eliminar
  29. numa perspectiva menos apaixonada, digo que ela também partiu de um ponto de 'inercia reclamando da inercia alheia' e juntos reconstruiram um relacionamento, blindando-o de sentidos. Não faltava nem sobrava amor, ele apenas ganhou um outro rótulo.

    O objetivo de manter o casamento [ou melhor, de qualquer relacionamento] é o amor ou a ocupação de permanecer juntos, sem acumular o sentimento de ter falhado na vida? Ela Encontrou a felicidade em ocupar-se e ao reconhecer que casar é também viver pra si e por alguém, redescobriram o sentido da relação... e isso faz todo sentido!

    E as demais pessoas, podem amadurecer e descobrir que a felicidade não é estar com outra pessoa, mas sim encontrar nela coisas que lhe fazem bem, a ponto dela também encontrar em ti coisas que lhe completam?

    ótimo final de semana, beijos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tony, em primeira instância, sempre colocamos a culpa no outro, mas se o outro seguir a mesma linha e for mais esperto, nos fará acatar toda a culpa para nós. Um ping-pong emocional que não leva a nada!
      A sua pergunta é afirmativa, pois concordo com seu contexto. A paixão quando ocupa todo espaço em um começo de relação, dificilmente ela se manterá ou terá sobrevida, pois dependendo dos envolvidos, não se desenvolverá em outros sentimentos que contenham o companheirismo como ingrediente principal. A paixão aliada a convivência pode se transformar em um sentimento maior, mesclado de uma amizade com paixão, isso é amor!! Relacionamentos que não tenham amizade como ingrediente, não perduram, pois estarão os envolvidos numa espécie de competição. Quem viver humores, saberá!!
      Beijus,

      Eliminar
  30. Que lindo Luma!
    Muito edificante para as nossas vidas!
    Que história de vitória e melhor, verdadeira nè?
    Um dia , depois de 16 anos de casada, eu quis ir embora tbém, largar aquele "poço de imperfeições" que achava que era o meu marido....
    Como a história é muito longa, apenas vou dizer que antes de ir embora pra sempre,confiei em Deus, e pedi-lhe "muda a mim SEnhor, muda meu olhar para com meu marido, muda meu pensar, muda a mim Senhor.." Hoje somos casados a 25 anos, felizes, para mim ele é o melhor marido do mundo, defeito todos temos, mas quase não os enxergo mais nele!
    Luma, acho que até agora ainda não tinha entendido o "espírito" desta blogagem, e não escrevi sobre o amor, mas vai lá ver....acho que no fim tudo nos leva ao amor mesmo...
    Parabéns!Tá muito lindo seu quetionamento!
    Com amor
    Marly

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O Seu click foi Deus! Acho que nos nossos piores momentos ter fé ajuda a resgatar a sanidade. Quem não acredita em Deus ou não tem fé suficiente, procura por terapia ou por um conselho amigo. Nesse último quesito, tenho um pé atrás porque acho que precisamos reagir sozinhos e uma pessoa nos dará apoio baseado em suas próprias experiência que talvez possa ser uma má influência, pois o que é bom para uma pessoa pode não ser bom para outra pessoa. Deus como terapeuta, se mantém neutro, esperando que nos decidimos entre afinal, o que queremos?
      Podemos formular nossos próprios pensamentos e pareceres sobre alguém e nem sempre somos perfeitos ao ponto de acertar. Vale sempre uma segunda reflexão!
      Logo mais vou lá!! Boa semana!! Beijus,

      Eliminar
  31. Oi Luma! História verídica e um bom exemplo que não se deve desistir de ser feliz! Nossa tendência a querer resolver tudo rápido é que mata a felicidade. Fugir e se livrar do problema não é solução é só criar outro(s) problema(s)! Bjks ecológicas diretas do EcoBlog! Tetê

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Flor!! Digamos que somos preguiçosos e deixamos o outro responsável por nossa felicidade, mas e quando o outro não tem energia suficiente para os dois? Cada um tem que fazer a sua parte, pois quem não faz, não tem direito de reclamar!! Assim que folgar a blogagem, vou no seu blogue!! Boa semana!! Beijus,

      Eliminar
  32. Querida Luma,
    Teu post esta de uma sensiblidade especial. Ja volto para comentar mais. Quero dizer que estou participando da blogagem coletiva. Escrevi um texto. Posso participar mesmo ja tendo passado o dia? Se pudar la esotu com meu texto sobre questionamentos ou nao questionamentos.
    Um grande beijo e dá um alô quando puder. Preciso enviar um cadeau para voce.
    Cam

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cam, estamos todos atrasadinhos... blogar no final de semana, não combina muito com quem se dedica a família. Então, ainda não consegui visitar o pessoal, o que farei em breve!! Conversei com sua mãe e avisei que estava viajando, depois te passo os dados. Boa semana!! Beijus,

      Eliminar
  33. Oi Luma
    Mulher... tu me tirou o folego...
    Me encheu mais ainda de interrogações durante a leitura.. rs mas que maravilhosa. Realmente essa situação envolve todos os nossos pedaços do encantamento do amor.
    Mas sempre tem algumas conjunções que nos dão alivio em algumas situações e concordo com a Rutinha.. esse querer precisa ser fundamental e principalmente bilateral.
    Assim como o amar...
    Beijos verdadeiramente encantados
    Debby :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Debby, todas as histórias de amor com final (?) feliz, a gente gosta e apoia!! Veja que as amigas invejam o marido, sinal que ele foi peça central de adesão ao grande projeto!
      Boa semana!! Beijus,

      Eliminar
  34. oi Luminha, linda
    ah... que história emocionante
    nos inspira e nos mostra que o esforço faz parte do processo de amar...
    fui conhecer o blog da Alisa, show mesmo.
    Luma...
    consegui postar minha participação hoje, tá.

    beijinho procê....

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Lili!! Estou atrasadinha com a minha visitação na blogagem e logo mais ainda hoje (espero) estarei no seu blogue!!
      Amor não é coisa pronta! É como o José Torres falou aí em cima. Se os ingredientes da massa do bolo não estiverem bons, o bolo sola e ainda tem o lance da mão, do tempo do forno, da temperatura ambiente... rs.
      Beijuzinhos em tu!!

      Eliminar
  35. Querida Amiga,
    As vezes nao é o caminho mais curto, mas é o unico possivel e voce sabe do que estou falando. No geral, é possivel tentar resgatar sim, quem amou um dia pode acender uma nova chama, por que nao? Que delicia isso, essa capacidade e essa possibilidade. Acho que vou dar uma olhada no blog dela, fiquei curiosa sobre essa corajosa mulher.
    Me coloquei na postagem ta? Com meus errinhos, nao estou sabendo mexer direito na nova configuraçao do blogger, eu mesma apertei para mudar e eu mesma fiquei meio assim. Um beijao e bom final de sabado!!!
    Cam

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pode retornar ao modo antigo, se quiser!!
      Se existe uma centelha de amor, vale a pena investir, afinal, amor é sentimento raro hoje em dia!!
      Beijus,

      Eliminar
  36. Demorou um dia! Mas, terminei! Já está disponibilizado minha participação. A história dela é uma exceção que confirma a regra. Nem todos fazem assim.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu sei, Adão!! Se fosse uma história comum, acha que postaria? Talvez as pessoas tenha sair da trilha das ovelhas e fazer o que seu coração manda e não o que a sociedade impõe. Hoje em dia todo mundo te aconselha a jogar tudo para o alto e o início da conversa é sempre o mesmo: Você ainda tem chance de conhecer outra pessoa.
      É como se o mais importante da nossa vida fosse conhecer alguém novo. Porque não podemos investir em um amor já existente?
      Boa semana!! Beijus,

      Eliminar
  37. Gostei muito do post! Muitas vezes as coisas não resultam , por muito que nos esforcemos, mas há que ter fé e seguir em frente ! Bom fds !

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A gente tenta! Se não der certo, pelo menos valeu a tentativa!!
      Obrigada pela visita!! Beijus,

      Eliminar
  38. As pessoas sempre escolhem o jeito mais fácil e nos últimos isso significa fugir dos problemas. Aff
    Um relacionamento não e fácil. Tem momentos e dificuldades, afinal sao dois humanos que estão ali, não e mesmo?

    Bacio

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Dois humanos que dependendo do nível de interação, acaba por ser um. Por isso quando resolvemos que esse amor não vai dar certo, temos que ouvir a outra parte e se possível, dar uma nova chance!
      Concordo com tudo que escreveu, Lunninha!! É uma mulher que sabe o que quer!! Beijus,

      Eliminar
  39. Que lindo, Luma... viajei no texto...
    Nossa, como é difícil terminar uma relação, mas às vezes é necessário, qdo tentamos de todas as formas e essa tentativa é somente de um lado. Bem, nem tudo sai como a gente quer...

    Beijos e ótimo fim de semana!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Verdade, Clara!! Também não vamos ficar dando "murro em ponta de faca". O tempo voa, né amiga? Como dizem por aí "A fila anda". Beijus,

      Eliminar
  40. O meu erro pessoal foi dar mais uma, duas, tres, chances ao casamento. Eu deveria ter sangue frio para dizer chega e ser mais inteligente para me proteger.

    Beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Você não foi burra! Só estava coagida emocionalmente e isso nos tira toda a forma de reação. A sua sorte é que teve a hora do click, quando você disse "Basta"!
      Beijus,

      Eliminar
  41. Enquanto lia o texto, marquei tantas frases que achei ótimas, mas no fim eram tantas que nem sei qual colocar. Adorei a história e fiquei bem esperançosa para o futuro (e olha que nem sou casada ainda) . Muito legal essa blogagem coletiva.
    Beijos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Lua, ainda acredito no amor e que as pessoas queiram construir uma história de vida juntas e repassá-las por gerações. Ainda não casou, mas quem sabe um dia, já com seus netinhos, poderá lembrar de um momento em que desejou conhecer o seu princepesco?
      Beijus,

      Eliminar
  42. Atrasadona. mas chegando...

    Como está amanhecendo bom dia! Luma de tão cansada, perdi até o sono...
    Belo texto, linda história! Me leva a pensar que questionar pode ser a solução para muitas coisas na vida!

    Luma, tenha um ótimo domingão!

    Beijooooooooooooo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Poxa, Bia!! Descansa, mulher!!
      Sim, amoreco!! Antes de uma grande decisão é aconselhável questionar sobre o passo a ser dado :) Beijus,

      Eliminar
  43. Oi, Luma! Esse poema é um dos meus preferidíssimos, amei encontrá-lo por aqui. Gostei da Blogagem Coletiva, eu já havia lido a participação da Bia Jubiart mas só agora resolvia aderir. Vou escrever minha história ainda hoje pela manhã e pulicarei, ok? Estou dentro! Um abraço!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que bom que gostou!! Também adoro!
      Estou doida para ir ler a sua postagem, mas devo seguir a lista e logo, logo estarei por lá!!
      Beijus,

      Eliminar
  44. Olá Luma! Bom, sabe que sou sua fã e admiro seus textos, suas colocações são esplêndidas, na medida certa e este em especial serve à todos, já que amor a gente cultiva. dá trabalho mas vale a pena.
    Adorei, só achei injusto o seu blog não configurar na lista dos 100, rsrs, temos que fazer uma lista brasileira.
    Acredite, suas palavras fazem a diferença.
    Continue iluminada.
    Bjs e ótimo domingo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Flaviane!! Você sempre delicada... aquela lista é de blogues estrangeiros e temos sim uma lista brazuca, mas ela é bem antiguinha! Ninguém mais quis saber de rankings, porque de certa forma, atrapalhou muito a vida blogueira, pois egos ficaram exaltados. Para mim foi a pior coisa que me aconteceu, mas acredito que para as pessoas que leem um blogue, seja importante que aquele blogue configure entres os bambas, porque confirma a sua escolha de leitura :) Beijus,

      Eliminar
  45. OLá Luma

    Cheguei um pouco atrasada, mas não poderia deixar de compartilhar estes momentos que é uma satisfação para mim. É uma forma de poder falar um pouco sobre mim e o que já presenciei por essa vida afora.

    Gostei de saber sobre a história de Alisa e acho que é isso mesmo, temos que dar sempre uma chance para que o casamento continue.

    http://mamyrene.blogspot.com.br/2012/06/blogagem-coletiva-amor-aos-pedacos-4.html

    Uma boa semana

    Beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Como já disse em um dos comentários, estou seguindo a lista e ansiosa para ler todas as postagens, mas especial a sua, por se tratar de uma mulher vivida e poética! Acho essa mistura bombástica! :) Boa semana!! Beijus,

      Eliminar
  46. Olá Luma,
    Nunca devemos desistir da nossa felicidade. Com o passar dos anos, aprendemos a contornar algumas situações para viver em harmonia. O importante é não desistirmos jamais e procurar o bem estar e o verdadeiro amor.
    Bons fluidos.
    Beijos mil

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Verdade, Teresinha!! Quando somos imaturos, as contrariedades da vida a dois se tornam problemões quase que sem saída, de tão complicados resolver. Como o passar dos anos, vemos as coisas com mais clareza. Bons fluídos para você também!! Beijus,

      Eliminar
  47. Luma essa história é exemplo para muitos casamentos que estão acabando, mostra que é necessário questionar a melhor forma de salvar o próprio casamento.
    Agora vou ver mais.
    Boa semana
    Xeros

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É amiga, casamento não é brinquedo! Temos que pensar muito antes de tomar o passo para entrar, como também para sair. Boa semana!! Beijus,

      Eliminar
  48. Olá Luma!
    Lindo poema de Leminski e linda história!
    Acho que hoje em dia há tantos divórcios pois as pessoas, logo nas primeiras crises, já jogam tudo pro alto!
    Acho que quando ainda há amor, devemos tentar duas, três vezes... quem sabe a gente acerta e é feliz pra sempre (mesmo que esse sempre dure pouco!)
    O importante é ser feliz (ou pelo menos, tentar ser!)
    Beijão e uma semana iluminada!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também penso assim, Ludi!! Temos que lamber o osso, usufruir desse amor até a última gota (rs*) Beijus,

      Eliminar
  49. Oi Luma,

    Primeiro: amei o poema.
    Segundo, concordo "Não terá uma vida sexual incrível se não forem românticos um com o outro". É sempre necessário um certo nível de romantismo, de carinho até, para que o sexo sacie de verdade. Já não falo do que sexo com amor (amor mesmo) faz a uma pessoa...Meu Deus, que benção lol!

    Adorei esta tua participação, Luma: sim, a história de Alisa é um guia para as pessoas que tratam os relacionamentos como um sapato velho/de que já não gostam mais "Ah, já não serve vou deitar fora. Quando der, adquiro outro!"...não pode ser! Há que investir mais nos relacionamentos; há que tentar compreender o outro e respeitar a sua individualidade. Se não se está feliz, a comunicação é o melhor remédio para que se possam resolver problemas, ajustar o que precisa de ajuste etc. Um relacionamento pode ser um instrumento de crescimento incrível e, deve ser por isso que mantenho relacionamentos de longa data (não só de amizade como também do foro afectivo). Divago...

    Adorei!

    Beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Equivocadamente as pessoas pensam que o sexo começam na cama. Ele começa no café da manhã e atravessa o dia, sendo estimulado com respeito, carinho, sorrisos... você tem que sentir vontade de encontar a pessoa no final do dia. Vejo casais que logo pela manhã estão emburrados, destilando problemas um para o outro... que chato encontrar essa pessoa com a mesmíssima conversa no final do dia!!
      Também adorei o seu comentário! Partilhamos das mesmas impressões acerca dos relacionamentos. Não podermos nos esquecer do motivo que nos motivou a começá-los.
      Beijus,

      Eliminar
  50. Por vezes, as pessoas partem de questionamentos ante situações aflitivas para um descarte absoluto dos motivos que as geraram, achando que fugindo ou dando um ponto final unilateral, encontraram as respostas e podem livremente recomeçar outra vez.Sorte de quem assim consegue,mas são poucas as probabilidades de ao pularmos possibilidades, encontrarmos satisfação por inteiro. Aplaudo duplamente a tua participação, Luma, com a história de Alisa que apostou na esperança que os questionamentos sugeriam e abriu as portas da felicidade para sempre.
    Um exemplo de perseverança e compromisso com a confiança.
    Anotei o livro.Quero lê-lo.
    Bjkas mil,
    Calu

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Por que não tentar mais uma vez aquilo que um dia deu certo? Se as partes interessadas querem que dê certo, haverá de dar!! :) Beijus,

      Eliminar
  51. Oi!
    Obrigada pela visita,eu já nem me questiono mais sobre tempo, quase não comento nos blogs, porque não consigo tempo, no início me quastionava bastante, agora não, faço como dá. Quanto a blogagem, a verdade é que o Amor faz parte de nós e não podemos fugir dele, ele sempre acontecerá, temos sim é que aprender com ele, cada um da sua maneira! E se Deus quiser esttarei na próxima tbm. Bj.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada você, Ieda!! Pois também estou assim... eu adoro blogar! Mas está difícil visitar os amigos bloggers. Escrever ainda faço enquanto estou viajando, coisa que faço quase todos os dias.
      O amor nos guia, nos anima, dá todo sentido à vida. Te espero na próxima!!
      Beijus,

      Eliminar
  52. Oi, Luma! Que bela história a da Alisa! E de sucesso! Sim, ela faria sempre a sua parte, daí fica-se de consciência tranquila, se a outra parte corresponde, a coisa só pode dar certo mesmo... grata por partilhar e também o blog e os livros na sequência...
    Grata também pelo seu comentário lá na minha participação, já lhe respondi lá...
    Muitos beijinhos vemo-mos então na próxima e última fase (puxa! É já a última?!)...
    Isabel

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A história da Alisa é uma história que está dando certo! Um casamento é assim, cada dia, uma nova conquista e não existe final feliz, existe somente vários nasceres do sol compartilhados, pois é assim que tem que ser!
      Também estou já sentindo saudades...
      Beijus,

      Eliminar
  53. Uma história real para inspirar e motivar.

    Todos podem, basta querer! Adorei!!!

    E já estou a preparar a postagem da última fase ... sentirei saudades!!! rs ...

    Bjinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A saudade também bate aqui... beijus,

      Eliminar
  54. Olá,
    "O tempo foi teu amigo
    Mandava-lhe ventos favoráveis
    Mandava-lhe o orvalho da manhã"...
    (Simone Martins)

    "Amar é mudar a alma de casa"... isso é o que se passa em mim neste momento atual que Deus me ama tanto e me mudou de casa... Deus é bom extremamente!!!
    Continuemos em paz na blogagem!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Deus sabe o que faz e sabe o que é melhor para você. Sinta-se amparada, Rosélia!! Uma ótima semana para você! Beijus,

      Eliminar

Tenha identidade, não seja anônimo na web. Crie sua identidade virtual.

...bisbilhotaram em quietude, sem solidão

PlagSpotter - duplicate content checker tool
Licença Creative Commonsget click

Algumas coisas não têm preço


finalista the weblog awards 2005finalista the weblog awards 2006
finalista the weblog awards 2007weblogawards 2008
Verificar conteúdo duplicado

Me leve com você...

Leia o luz no seu celular

Copyright  © 2014 Luz de Luma, yes party! Todos os direitos reservados. Imagens de modelo por Luma Rosa. Publicações licenciadas por Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial- Vedada a criação de obras derivadas 2.5 Brasil License . Cópia somente com autorização.

Tem sempre alguém que não cita a fonte... fingindo ter aquilo que não é seu.

Leia mais para produzir mais!

Atenção com o que levar daqui. Preserve os direitos autorais do editor