Fai un sol de carallo

luzdeluma
O título desse post é uma referência à "Galícia Canibal" d'Os Resentidos, uma banda mítica do underground galego que já se destacava nos anos 80 do século passado, tendo à frente o poeta Antón Reixa, também fundador do movimento cultural Bravú, ao qual também pertenciam Manu Chao e Fermin Muguruza.

Antón Reixa foi nomeado no início desse mês, presidente da SGAE (Sociedad General de Autores y Editores), uma entidade espanhola, sendo prestigiado não somente por ser um grande contribuidor cultural, como também um questionador político e defensor de suas raízes. A Galícia vai bem, obrigado!

Estou lendo um dos livros que escreveu: "História do rock and roll", vencedor do Prêmio Galícia em 1984. Interessante perceber mais uma vez que o "moderno" não existe, afinal, o que é moderno, senão a soma de toda a antiguidade. Não devemos quebrar a evolução natural da língua e disso, o tal acordo ortográfico da comunidade dos países da língua portuguesa cometeu, de certo modo, a mutilação dessa língua, pois retirou forçadamente o que deveria obedecer uma trajetória natural das coisas. Quando se mexe na língua de um povo, mexemos em todo o resto, afinal, se a língua é a expressão primária do ser humano e quando impressa em palavras, o ato de escrever não deve perder o vínculo com sua origem.

O livro citado acima é escrito em galego e estou lendo muito bem. Naturalmente! Pois o galego é um 'dialeto' do português com mistura do castelhano e, muitos também não sabem, que existe o português de Portugal, o português do Brasil, como existe o português da Galícia; esse não entrou no tal acordo ortográfico. Por que a Galícia não faz parte da comunidade dos países de língua portuguesa?

O português da Galícia mantém traços de um português já não mais existente no português Portugal/Brasil, mas não podemos dizer que seja arcaico. Ao contrário, é a forma evoluída da fusão do galego-português.

A Galícia criou o seu próprio vocabulário ortográfico, haja visto não ter-se encaixado na Comunidade dos países de língua portuguesa e muito menos pertencer a Associação de Academias de línguas espanholas, maior incentivador da criação do nosso acordo ortográfico e que ano passado excluiu o galego e espanholizou a toponímia da Galiza.

Sugestão de leitura: Galego e Português modernos: um estudo comparativo.

Algum estudioso da língua portuguesa, poderia dizer porque o Galego é a ovelha negra da família?

"Se a resposta está no vento e não há nenhum vento, então não há resposta" Antón Reixa.

78 comentários :

  1. Olá Luma, bom dia. Confesso que, desta vez, fui eu que me perdi no meio do teu artigo. Perdi-me em divagações sobre o preço a pagar pela individualidade do humano ou a identidade da comunidade. Foi uma dor de cabeça do caraças... Agradeço-te o mais que meritório, mas talvez inglório, esforço para me fazeres reflectir. Um beijo para ti e para os teus. Bom domingo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. José, tenho me perguntado sobre isso principalmente quando me deparo com tanto egoísmo. Onde iremos parar? Beijus,

      Eliminar
  2. Querida, uma postagem que nos traz várias reflexões.
    Beijos, bom domingo.

    ResponderEliminar
  3. Estive em Santiago de Compostela ano passado e foi super interessante do ponto de vista "linguístico". Além do português made in Brazil, falo-escrevo-penso em espanhol pois vivi fora durante algum tempo. O tal do galego realmente impressiona. Cheguei falando espanhol (vinha de Madri), depois começei a achar que tinha algo errado... pois parecia que eles me respondiam em português. Depois de algum tempo (e de muita tentativa e erro e de uns micos básicos) consegui entender que aquilo não era nem português nem espanhos, mas uma mescla louca dos dois. Divertido mesmo foi encontrar uma estátua em que rendiam homenagem ao maior gramático (local) galeco e definiam o português como uma das variantes universais da grande lingua mãe galega. Bem, ufanismo é pouco para a região, que se pensa independente da Espanha e afirma "exportar" isso e aquilo para os espanhóis.
    Uma coisa que virou piada em família foi o fato dos galegos de chamarem "bruxas" de meigas... Desde então, todas são-somos chamadas de meiguinhas aqui em casa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que experiência ótima você viveu!! Mas estou sabendo que muitas escolas espanholas estão ensinando o português de Portugal ou agora universal. Mais uma vez não entendo a exclusão do galego.
      Sua bruxinha!! :) Beijus,

      Eliminar
  4. É amiga eu já estive na Galiza. E tenho lá amigos. Acontece que eles falam uma lingua diferente do castelhano, também chamado de espanhol por ser a lingua oficial. Muitos anos atrás, antes da independência de Portugal, Quando ainda era o Condado Portucalense, D. Teresa, a viúva do conde D. Henrique sonhava juntar o condado ao reino de Galiza e formar um só reino. Naquela altrura o condado era pouco mais que o Minho e Trás os Montes. O Filho D. Afonso Henriques lutou contra a mãe e venceu-a, fundando depois o reino de Portugal. Mas ainda hoje no Minheo e em Trás os Montes se encontram muitas aldeias onde o português é diferente do nosso e embora não seja igual ao Galego se assemelha em muitas palavras. Na Galiza se fala Galego e Castelhano, como no País Basco se fala também o basco e o Castelhano e na Catalunha o catalão e o Castelhano. Os Galegos não entraram no acordo pois na verdade não falam português, mas Moçambique também não quer o acordo, nem Angola, e mesmo em Portugal a maioria não o quer.
    Não se justifica. Só causa confusões. Há muitos jornalistas e escritores que não o usam. O próprio presidente da República afirmou há dias que escreve como antigamente e são depois os assesore que transcrevem o que ele escreve. Enfim.
    Um abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Como ficam tantas variantes de um só idioma ou mais de um idioma misturados? Porque tende o ser humano a normatizar tudo? Liberdade de expressão para todas as línguas, já!! Beijus,

      Eliminar
  5. Muito estranha a língua galega... tenho alguns parentes distantes por lá, em Corunha e costumamos nos corresponder. Apesar de estar bem acostumada as nuances da língua, de vez em quando empaco em alguns termos, não tem jeito!

    Bjs, boa semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E não haveria de ser? ;)
      Boa semana para você também!!
      Beijus,

      Eliminar
  6. Querida Luma, ainda ontem estive em Vigo, bem no norte da fronteira portuguesa e as proximidades linguísticas são, realmente muitas. A história explica ... em tempos, o norte de Portugal e a galiza compartilhavam a língua, o galaico português, daí que perdurem as semelhanças que não se manifestam apenas na língua, mas na própria atitude perante a vida. Os galegos têm muito mais a ver com o Porto do que com Madrid!
    Beijo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que delícia!! Uma fronteira bem mais rica, certamente!! Beijus,

      Eliminar
  7. Tenho um canal de uma emissora da Galiza/Galícia e uns amigos do trabalho do meu marido que são de lá e, de certa maneira, frequentam a minha casa. É uma beleza de se ouvir.

    Parece que o que é unanimidade por aqui, onde vivo, é que o galego é um "problema" exclusivamente espanhol. Veja bem, não é uma afirmação minha, é uma reprodução do que ouço por aqui. Porque quando vim pra cá, o AO de 1990 estava em pleno debate (se iria para as escolas ou não), havia um certo mal estar sobre isso no ar, mas havia também as opiniões de pessoas muito modernas e positivas sobre o assunto. De fato, havia muitas coisas sendo ditas no jornais, blogues e telejornais sobre o assunto. Sobre a regulação efetiva da Língua Portuguesa em Portugal (sobre quem dá a palavra final) não há um consenso. Há o pessoal do Priberam, o pessoal do Cyberdúvidas, os pesquisadores do Instituto Superior Técnico de Língua Portuguesa (da Universidade de Lisboa, a clássica, não a Nova), o Ministério da Educação... Não há nenhum órgão desacreditado ou de competência duvidosa. São sempre emitidas opiniões capacitadas sobre o assunto, mas sem uma palavra final. Bom, agora já está nas escolas, é tudo o que sei.

    O fato é que há uma grande diferença fonológica entre espanhol e português. Isto não se pode negar e isto não se vê através da leitura, obviamente. O português europeu é uma língua com a pronúncia oclusiva, o galego e o espanhol não. Talvez, apenas talvez, parta daí um diferenciação...

    Bj,

    Michelle

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pelo que pude perceber (vide comentário da Elvira), o galego é um problema desde o império em Portugal como também na Espanha. Acho tudo isso muito esquisito, pois na Espanha algumas escolas estão adotando o português como uma língua a ser ensinada, o que não acontece em Portugal. Veja se bem, se houvesse um intercâmbio de línguas na península ibérica, logo esses preconceitos seriam sanados. A diferença fonoaudióloga é por causa da pouca convivência ou por puro bairrismo, vai saber!

      Eliminar
  8. Oi querida,
    essa postagem foi muito bacana!
    Beijos
    Chris
    http://inventandocomamamae.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  9. Ah, olha só...

    Aqui tem informações interessantes:

    http://observatorio-lp.sapo.pt/pt/ligacoes/sitios-de-interesse1/historia-d-lingua/o-portugues-na-galiza

    http://observatorio-lp.sapo.pt/pt/noticias/pp-opom-se-ao-ensino-do-portugues-na-galiza-por-motivos-ideologicos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada pelos links, Michelle!! Já estou com eles abertos e vou ler.
      Beijus,

      Eliminar
  10. Saio sempre muito mais enriquecida quando aqui venho. Infelizmente não tanto quanto gostaria!

    Bjos e obg pelas postagens! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ah, não entendi a segunda parte do comentário... rs.
      Obrigada você!!

      Eliminar
  11. lendo o Luz e aprendendo: não sabia desse português de Galícia...interessante. e amei o título do livro, deve ser bom.

    Beijosssssssssssssssss
    ┌──»ʍi૮ђα ツ

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Aprendo pesquisando. Temos um mundo à nossa frente, cheio de descobertas!
      Beijus,

      Eliminar
  12. Luma, que bom aprender um pouquinho mais ao ler alguns de seus posts.
    Além disso li também os comentários dos seus leitores.
    Obrigada por esclarecer.
    Bjs,
    Aline

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. :) Feliz por você gostar!! Ah, os frequentadores do "Luz" são 10!!
      Beijus,

      Eliminar
  13. Peraí! Então nas famílias dos idiomas também existem ovelhas negras? :) Bom texto, Luma! Boa semana.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. As ovelhas negras eram minorias, lembra-se? (rs*)
      Boa semana!! Beijus,

      Eliminar
  14. Ah, essa reforma foi o fim do mundo, pelamor! Eu não conhecia esse português de galícia, mas, se ficaram de fora do acordo ortográfico - e aqui ignoro os motivos - sorte a deles, foram menos podados neste sentido que nós.

    Muito bom ler os comentários e ver como complementarm o texto. Muito bom mesmo ;)

    Beijos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olhando por esse lado... foram espertos em não se deixarem manipular pelos interesses comerciais.
      Ah, viu? Esses meus comentaristas... rs.
      Beijus,

      Eliminar
  15. Não conhecia o português de Galícia, mas pela frase do título, parece um pouco com o crioulo, dialéto dos africanos.

    Ovelhas negras foi boa hehe.

    bjss

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, o galego é o pais de todos!!
      Desculpe a frase título. Bem sabe que é apenas ilustrativa!! (rs*)
      Beijus,

      Eliminar
  16. Olha, quase coincidimos no conteúdo, mas com boa diferença. Línguas desaparecem, mas deixam suas marcas, é bom nos conhecer essas variações, ler algo numa língua que não aprendemos, mas podemos compreendê-la bem, pelo título é uma mistura do português com o espanhol, como você diz, castelhano, por isso eu amo português, te dá essa oportunidade de entender muitas coisas em língua oriundas do latim. Não sabia que ainda era falada essa variação. Não conheço a banda, autor o movimento, mas é interessante saber e melhor, que não fez parte desse acordo ortográfico.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A Rydi falou do crioulo da África e lá tem muitos outros dialetos que não se deixam influenciar pela língua local, todas oriundas do português. Esse des(acordo) está gerando é uma baita confusão!! Beijus,

      Eliminar
  17. Gostei de conhecer um pouco desta historia sobre a língua portuguesa e a língua falada na Galícia, não tinha este conhecimento.
    Tenha um bom fim de semana.
    Beijos.

    ResponderEliminar
  18. Interessante a culture de cada pogo, beijo Lisette.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Coloca mais interessante nisso!!

      Eliminar
  19. Oi Luma!
    Blogar também é adquirir cultura!rsss
    Desconhecia isso, um portugues da Galícia, bom saber!
    Beijinhos e uma linda semana!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E não é? A gente bloga também para isso! :)

      Eliminar
  20. O bom de blogar é isso: cada cantinho que entramos, temos um aprendizado. Como eu gostaria de ter mais tempo!!!
    Me interessei pelo livro, de repente... até arrisco.

    Abraços e ótima semana.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também gostaria de ter mais tempo!

      Eliminar
  21. Gostei de relembrar a existência deste português ovelha negra da família. Para falar a verdade é bem mais prazeroso ouvi-lo ou lê-lo, do que ter que conviver com; rs, rss, msg, tcp, td, like, etcc.
    Bom demais vir aqui.
    abraço linda semana
    yvone

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bem lembrado!! :)
      Obrigada, Yvone!

      Eliminar
  22. Não te sei responder à tua questão! Quanto ao acordo ortográfico, tens razão: a própria língua vai evoluindo à medida do tempo e dos seus falantes e escreventes, daí que sejam feitas alterações ortográficas de vez em quando - para a adequar aos novos tempos.

    Daí que um acordo ortográfico decidido em "gabinete" seja mal recebido. Mas por aqui esta polémica tem mais de 20 anos, já entrou em vigor há ano e meio e deixei de me preocupar com isso! É assim que se escreve agora? OK! Com tantos problemas mais preocupantes para a felicidade de todos nós, para quê fazer uma tempestade com este, que já foi debatido até à exaustão? E de facto o C de acção ou o P de optimismo não fazem assim tanta falta para a nossa felicidade. Mais, daqui a uns 3 anos já ninguém se lembra que se escrevia de outra maneira... :)))

    Beijocas!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Teté, é isso mesmo!! As mudanças são espontâneas e precisam de normatização, apenas documentando aquilo que o povo por si tornou usual. O português de Portugal sofreu muito com essa mutilação. Oras, para canetar um acordo desse, a despeito do governo de Portugal não se mostrar favorável, foi assinado por um presidente brasileiro que mal fala ou entende a língua portuguesa. Beijus,

      Eliminar
  23. Oi Luma gostei muito de rever algumas literaturas..algumas maneiras de se escrever..a linguagem galega é muito diferente..Luma querida obrigada pelo seu carinho no meu blog..mesmo quando eu não estava você me mandou um oizinho...fiquei feliz...beijos milll...boa noite..
    titi

    ResponderEliminar
  24. Eu queria pisar na areia e molhar os pés no mar....bjks

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim!! É o mais importante!! :)

      Eliminar
  25. Não sabia!
    Como sempre saindo daqui com um conhecimento a mais :)
    E grata pelo apoio e incentivo!
    Descansar estou tentando na medida do possível.
    Agora relaxar é uma coisa que ainda não aprendi depois que me tornei mãe... Rs
    Beijão!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ó Ana!! É sempre um grande prazer!!
      A adrenalina só vai abaixar quando chegar os netos!
      Beijus,

      Eliminar
  26. Luma, que lindo o texto, aprendi muito aqui e fico te devendo a questão, mas vou pesquisar, parabéns, amei demais, bjos!

    ResponderEliminar
  27. Oi, amiga Luma!
    Ainda não conhecia esta banda nem o livro, mas suscitou assunto importante.
    O galego é uma espécie de português arcaico, além de ser uma língua neo-latina.
    A reforma ortográfica peca em muitos itens; para mim, mais deforma do que reforma.
    Ainda bem que a língua falada é livre e é impossível de se impor regras.
    Seus textos nos trazem sempre questões inusitadas e importantes.

    Abraços do novo amigo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Realmente, mais deforma do que reforma!!
      Obrigada! Você é sempre gentil!
      Beijus,

      Eliminar
  28. Não sabia disso não! Quando vc. escreve banda dos anos 80 do século passado me deu até um negócio (rs). bjs

    ResponderEliminar
  29. Oi Luma, vc sempre nos levando a "viajar" por belos caminhos...
    Obrigada amiga! Não sabia de muitas coisas que li neste artigo!
    Um forte abraço pra vc beijocas!
    Eu gosto muito de vc Luma!
    Com carinho
    Marly

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que linda!!
      Assim você me deixa docinho...
      Obrigada!!
      Beijus,

      Eliminar
  30. Olá Luminha,

    quase me assustei com o título...mas adorei ler o post, pois confesso a minha ignorância nesta área.

    Saudade!

    Beijoca

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Me desculpa!! Depois que coloquei o título que pensei na questão e talvez suscitar alguma animosidade.
      Saudade de você também!!
      Beijus,

      Eliminar
  31. Os meus avós, não sendo galegos, mas do norte de Portugal, diziam muitas palavras que agora são apenas galegas.
    Ou seja, há 200 ou 300 anos a língua falada e até a escrita em Portugal e na Galiza devia ser ainda bastante coincidente.
    A Nação inicial de Portugal era do Porto à Galícia (Douro + Trás-os-Montes + Minho + Galiza)... e uma nação não é destruída só porque há uma fronteira pelo meio.
    Durante a guerra civil espanhola do século passado, muitos galegos refugiaram-se no norte de Portugal, onde foram acolhidos como irmãos.
    Magnífico post, querida amiga.
    Beijo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A História, apesar das guerras, foi importante para limitar as fronteiras, mas para a língua não existem fronteiras. Acho lindo o modo de falar do galego! Beijus,

      Eliminar
  32. Sendo nascida e passando a minha infância no norte de Portugal, foram imensas as vezes que contatei com "nuestros hermanos" por obrigaçoes profisssionais de meu pai.A lingua em pouco difere uma da outra, a não ser em vocabulário específico. E os povos da fronteira convivem com a maior naturalidade. A fronteira existe na cabeça dos homens para demarcar territorio.
    E Galícia tem recantos espetaculares e um orgulho enorme de ser como são.
    Hoje com as auto.estradas, do Porto a Vigo é cerca de 1h...
    Belo post Luma.
    Grande partilha!
    Um imenso abraço, querida amiga

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também acho que a fronteira só existe na cabeça dos homens! Bom que deixassem a língua solta e acabassem com bairrismos!! Também passei a minha infância em Portugal e estou no Brasil em definitivo a pouco mais de sete anos. Me fez lembrar um caminho que adorava sair com o carro. Beijus,

      Eliminar
  33. Esse livro deve ser muito bacana viu? Qto ao seu comentário, já faz anos que a Ana Hickman está aos domingos no programa Tudo é Possível no lugar da Eliana que voltou para o SBT.
    Big Beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estou completamente por fora! Achava que a Ana Hickman apresentava programa vespertino junto com a Cris Lobo. Aff!!
      Big Beijus,

      Eliminar
  34. o Galego eu ainda não tinha ouvido / lido... bacana! Juatamente por serem evolutivas, as linguas e linguagens latinas não são tão dificeís de aprender... já li mta gente reclamando do parto que é aprender Catalão [por exemplo], mas em boa parte é melhor assimilável que o espanhol...

    mto gostoso vir aqui aprender mais =)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Tony!!
      Por serem parecidas, pecamos muito em pensar que podem ser fáceis de aprender e quando colocamos em prática, vemos que a gramática é bem diferente.
      Beijus,

      Eliminar
  35. Querida Amiga, hoje eu quero muito lhe agradecer a sua linda e carinhosa presença no meu cantinho! Meu carinho sempre.
    Tem um selinho lá no meu cantinho, feito com muito carinho! Se gostar leve com você!
    Abraço amigo!
    Maria Alice

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada pelo carinho!! Logo mais vou lá pegar "meu" selinho! (rs*) Beijus,

      Eliminar
  36. Vim te convidar para uma blogagem coletiva muito especial: no dia 30 de maio, sobre o amor! Faz parte da campanha "GASTE TEMPO COM QUEM VOCÊ AMA"! Se der, vai no meu cantinho e confere como é. Participa com a gente??? Bj e fk c Deus.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nana, já estou sabendo!! Até tinha um banner que coloquei na sidebar, que tirei para colocar no post! Obrigada pelo reconvite!! Beijsu,

      Eliminar
  37. Oi Luma!!!

    Adorei o texto. Blogando e aprendendo!!!
    Obrigada pelo seu carinho no post do meu níver. Vc é especial!

    Bjs... :)

    ResponderEliminar
  38. Nao fazia a menor ideia que na Galicia falava-se portugues. Que deve ser bem diferente do nossso, que é bem diferente do outro :-)

    te lendo Luma, tava lembrando das confusoes pela quais passo morando na Alemanha, vinda do Brasil. Esse país confuso lá na América do Sul que fala português, que é um português tao diferente de Portugal. Sou questionada o tempo todo aqui, por alguns que nao sabem que falamos português no Brasil, mts pensam que falamos espanhol ne? Aqui o nosso idioma chama-se Brasilianisch, e nao Portugiesisch. Ou seja, os alemaes conseguem ver nosso idioma como algo separado do portugues de Portugal.Afinal soa totalmente diferente! E eles estao certos cara! Outro dia alguem perguntou: vc fala Brasilianisch com seu filho? eu disse; sim, falo com ele somente em portugiesisch e ela: nossa isso é a mesma coisa é?

    achei isso engracado :-)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O Brasil é o único país que fala o português na América do Sul e conclusivamente os alemães pensam num único bloco. Muito interessante isso que contou. Não sabia que na Alemanha existe essa diferenciação. Beijus,

      Eliminar
  39. Até hoje ainda não entendi porque embarcamos nessa furada do acordo ortográfico. Ninguém gostou, nem aqui e nem lá.

    Quando ao dialeto é uma dessas maravilhas que a linguística nos fornece aqui e ali. Nada melhor do que ver o poder de uma corrente de idioma ou a mistura de duas ou mais, que se "rebela" contra as convenções e se mantém viva e forte lutando contra todos os que desejam uma língua única ou uma "língua nacional".

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Admirável, não é mesmo? Fiquei fã do povo galego!! ;)

      Eliminar

Tenha identidade, não seja anônimo na web. Crie sua identidade virtual.

...bisbilhotaram em quietude, sem solidão

PlagSpotter - duplicate content checker tool
Licença Creative Commonsget click

Algumas coisas não têm preço


finalista the weblog awards 2005finalista the weblog awards 2006
finalista the weblog awards 2007weblogawards 2008
Verificar conteúdo duplicado

Me leve com você...

Leia o luz no seu celular

Copyright  © 2014 Luz de Luma, yes party! Todos os direitos reservados. Imagens de modelo por Luma Rosa. Publicações licenciadas por Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial- Vedada a criação de obras derivadas 2.5 Brasil License . Cópia somente com autorização.

Tem sempre alguém que não cita a fonte... fingindo ter aquilo que não é seu.

Leia mais para produzir mais!

Atenção com o que levar daqui. Preserve os direitos autorais do editor