E se um dia o sol nos fosse tirado?

imagem

"Se uma pedra sem valor é capaz
de quebrar um copo de ouro,
nem aumenta o valor da pedra,
nem diminui o valor do ouro"

As’di, nome de Musharrif-auddin
(1184-1291) - poeta persa.

...Uma moeda de cinco cents, cunhada ilegalmente por um funcionário da casa da moeda dos EUA em 1913, foi reconhecida como autêntica. Ela vale hoje US$1milhão.

Candy Bar
Um sujeito entra num bar em Chicago às cinco da tarde e pede três uísques.
Não um depois do outro, e sim três de uma só vez.
O barman fica meio intrigado com o pedido inusitado, mas não abre a boca e serve o que o homem pediu; três uísques alinhados no balcão, um do lado do outro.
O sujeito toma todos eles, um por um, paga a conta e vai embora.
No dia seguinte, lá está ele de novo, às cinco da tarde, e pede a mesma coisa.
Três uísques de uma vez.
Faz isso todo dia durante duas semanas.
Por fim, a curiosidade vence o barman:
- Não quero me meter, diz ele, mas o senhor vem aqui todo dia, há duas semanas, e sempre pede três uísques ao mesmo tempo, eu só queria saber por quê. Quase todo mundo pede um de cada vez.
- Ah, diz o sujeito, a resposta é muito simples. Eu tenho dois irmãos. Um mora em Nova York, o outro em San Francisco, e nós três somos muito chegados. Como forma de honrar nossa amizade, sempre vamos a um bar às cinco da tarde, pedimos três uísques e em silêncio brindamos à nossa saúde, fingindo que estamos todos juntos no mesmo lugar.
O barman meneia a cabeça, entendendo finalmente o motivo do estranho ritual, e esquece o assunto.
O sujeito continua a aparecer no bar por mais quatro meses.
Sempre às cinco da tarde bebe os três uísques.
Até que um dia aparece mas dessa vez pede só dois uísques.
O barman fica preocupado e, tomando coragem, resolve dizer:
- Não quero me meter, mas todo dia, nestes últimos quatro meses e meio, o senhor veio aqui e pediu três uísques. Hoje pediu dois. Sei que não é da minha conta, mas espero que não tenha acontecido nada com sua família.
- Não aconteceu nada, não, diz o sujeito, muito animado e alegre como sempre.
- Então o que foi?, pergunta o barman.
- A resposta é muito simples, diz o homem. É que eu parei de beber.

Paul Auster, em Viagens no scriptorium

SuperMoon
imagem

O título deste post é uma referência ao Dia Internacinal do Sol (03.05) - Instituído pelo Programa da ONU para o Ambiente. Fique tão ansiosa com a "Super Moon" que me esqueci do sol, o negro símbolo do castigo!

Nem tudo é como parece ser.

50 comentários :

  1. Oi Luma!

    Nunca vi uma pedra "quebrar" um copo/copa/caneca/taça de ouro...
    Mas dentro do campo do "Se",
    o poeta tem razão no valor das coisas:
    o fato não aumenta nem diminui seu valor;
    mas também se questiona se de fato possuem o valor que merecem...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não leve as palavras tão à risca! Entenda que usavam tantos sentidos figurados e mesmo metáforas para nos dizer aquilo que poderia ser evidente, mas só enxergado depois que alguém deu a primeira "Luz". O Sábio é aquele que diz aquilo que todos querem ouvir mas que não souberam dizer. Beijus,

      Eliminar
    2. Gosto de palavras e frases de vários sentidos,
      que ao mesmo tempo que nos abrem horizontes,
      nos deixam perdidos em pensamentos e nas interpretações.

      Sim, a leitura literal, o apego às palavras, é uma tendência.
      Mas fique sossegada, eu não levo nada. Deixo aqui para outros poderem tirar melhor proveito! rs

      Eliminar
    3. Pois devia levar... isso é, se assim quiser! :)

      Eliminar
  2. Luma,gostoso descobrir seu blog!
    Há tantas coisas e pessoas para conhecer...
    Vivo 'sem medo de ser feliz'!
    Boa semana! Inté!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Seja bem-vinda!
      Yes party! Sem medo de ser feliz!!
      Boa semana!! Beijus,

      Eliminar
  3. Adorei essa forma dele deixar de beber,sr...

    Que lindo o Sol e eu não ficaria sem ele.

    Preciso de seus raios
    e luz. Senão murcho,rs (aliás, uma murchadinha, LITERALMENTE, seria boa!) beijos,chica

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ah, também sou assim!! Preciso muito do sol, até mais que a lua :) Beijus,

      Eliminar
  4. Oi, Luma. obrigado primeiramente pela visita durante a minha ausência. Eu gostei desse miscelânea de asuntos. Sabedoria, humor e poesia sempre tem lugar cativo em mim. Obrigado e um grande abraço. Paz e bem.

    ResponderEliminar
  5. Oi Luma,
    Eu amo o Paul Auster!!! Adorei o conto, este eu ainda não tinha lido.
    Será que eu vi a Paula na Thayse?!? Vou perguntar para ela. Obrigada pela dica.
    Beijos 1000 e uma 3ª-feira maravilhosa para vc.

    SORTEIO “Chá do Chapeleiro Maluco”
    http://www.gosto-disto.com/2012/04/sorteio-cha-do-chapeleiro-maluco.html

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Depois que sai do seu blogue tive certeza. Se quiser acho o link para você. Beijus,

      Eliminar
  6. as coisas serem como são, naturalmente... realmente, nem tudo é como parece :)

    bjo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. As aparencias das coisas, nem sempre tão aparentes, nos dizem mais do que nos mostram ou não. Às vezes enxergamos coisas onde elas não existem :) Beijus,

      Eliminar
  7. Nem me fale ficarmos sem o nosso astro rei! Ele é tudo dibom e as pessoas que pouco o tem presente, quando ele aparece, ficam completamente alucinadas, até de pernas pra cima sentam em jardins públicos. Menina, eu vi! hehe
    O conto é um barato e as imagens idem.
    beijos cariocas ensolarados de outono

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. De pernas para cima? :) Que felicidade!!
      Beijus ensolarados de outono para você também!!

      Eliminar
  8. Gosto da lua e do sol, e confesso que me preocupo com seu brilho nos dias quentes. Depois o esqueço. Confesso assim mesmo, sem culpa. Gosto de sabê-lo e sou daquelas que acredita que ele não irá se apagar e tão pocuo super aquecer o planeta. Acho que a vida é ciclica e seus ciclos tem prazos perfeitos. Da mesma forma que o sol atinge seu auge, ele declina e pronto, mas não creio na morte do sol. Não sei porque, já li a respeito e não conclui seu fim.
    Enfim, estou lendo esse livro de Paul Auster no momento. Adoro seu estilo de linguagem. Me perco em suas linhas. Há uma frase deliciosa nesse livro logo nas primeiras páginas "vista dos confins mais distantes do espaço, a terra não é maior que um partícula de poeira. Lembre-se disso a próxima vez que escrever a palavra "humanidade". pág. 10

    bacio

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que bela coincidência essa frase de Paul Auster que citou!! Bem se encaixa no post, não acha? :) Lunna, acho que esse pensamento que tem, não é somente com o sol. Talvez porque tudo o que temos esteja tão disponível que não sentimos falta. O Sol no Brasil brilha praticamente o ano todo e basta que fuja um pouco para as pessoas ficarem amuadas. Mesmo que não olhemos para ele, que não vamos ao sol, as nossas casas ficam mais bonitas, iluminadas pelo sol. Ele influência até mesmo as cores de roupas e objetos que usamos. Não é só a terra que gira em torno do sol, nós também giramos em torno dele. Beijus,

      Eliminar
  9. Gostei do cara ter parado de beber. Pensei que tinha morrido um irmão, rs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Todos pensam!! :) Uma grande sacada do autor!

      Eliminar
  10. Oi Luma!
    Ver este solzão brilhar com sua luz e calor é uma maravilha da natureza, Deus nos livre de perdê-lo.
    Adorei o textinho do Paul Auster, muito espirituoso.rss
    Beijinhos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Verdade!! :) Deus nos livre de perdê-lo!! Beijus,

      Eliminar
  11. Conheço há imenso tempo este texto como uma anedota e nem sabia que ele fazia parte de um livro do Paul Auster.
    Quanto ao texto sobre o apocalipse e suas explicações, o texto mais ou menos conheço, eu já li grande parte da Bíblia, mas quase nunca entendo o significado. As metáforas são muitas e é preciso uma certa cultura para as entender.
    Um abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Uma anedota muito bem elaborada!!
      Tem a ver com a queda de lucifer.
      Beijus,

      Eliminar
  12. O texto é fabuloso assim como as imagens e tudo o resto. Se me tirassem o sol para quê viver?

    Gostei imenso e mais uma vez os meus parabéns e obrigado pela leitura tão gostosa!

    ResponderEliminar
  13. Luma, eu ri um bocado com a estória do sujeito que diminui a quantidade porque ele, somente ele, parou de beber! kkkkkkk

    Beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. hehehe fico imaginando como será quando todos pararem de beber!! :) Beijus,

      Eliminar
  14. Lindo,seu blog ,Luma!
    Obrigada pela visita! Voltarei sempre aqui! Inté!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada!! Venha sempre!! Também gostei muito do seu blogue! Beijus,

      Eliminar
  15. Que bárbaro...que maneira incrível de ver, e de viver a vida...quem sabe um dia eu aprendo a ser assim? só com dois uísques e nada mais :)!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. hehehehe mas não beba daquele tanto! É apenas uma crônica :) Beijus,

      Eliminar
  16. "E se um dia o SOL nos fosse tirado?" parece uma constatação de conseqüências óbvia, dada a importância solar naturalmente percebida por todos nós no dia-a-dia. Tanto que o sol é uma divindade em muitas culturas.

    Mas o que muita gente não se da conta é das conseqüências também tão desastrosas que seria "E se um dia a LUA nos fosse tirada?"!

    Aposto que quase todos acham que a lua poderia não fazer falta tanto quanto o sol. Mas um programa na Discovery Channel que assisti uma vez, revelava que a vida e o clima na Terra é o que é hoje graças a ela, e que se este panorama atual mudasse, seja com seu afastamento ou desaparecimento, tudo o que conhecemos acabaria aqui também, mesmo com o sol bonitinho lá no seu lugar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. André, você consegue o título desse documentário? Eu gostaria de assistir.
      Numa análise superficial, a minha preferência pelo sol é evidente pois olho mais para o céu durante o dia :)
      Mas se existem sol e lua é porque são necessários. Nada existe à toa!!
      Beijus,

      Eliminar
    2. Yes party!! Adorei, obrigada!!
      Vou assistir no final de semana!
      Beijus,

      Eliminar
    3. André, consegui assistir as 4 partes e fiquei até um pouco apavorada! Não sabia que a lua está se afastando da terra e que ela é responsável pela desaceleração do movimento da terra. Muito louco os cientistas quererem raptar uma lua de Júpiter. E o vídeo foi gravado faz tempo, né? Porque aquele milionário da California, já realizou o seu intento mas a descoberta não foi satisfatória.
      O quinto link que deixou não direciona a nada. Existe um post dizendo que é para pesquisarmos no google.
      Obrigada pelos vídeos, adorei!
      No canal GNT está passando um documentário sobre a acidificação dos oceanos e se gosta desses assuntos, vai adorar!
      Beijus,

      Eliminar
    4. Obrigado pela dica.
      Que bom que assistiu e gostou(?) rsrs

      Não se preocupe com o último link:
      era apenas apontamento para uma página
      de onde se poderia baixar todo o documentário,
      caso não quisesse/pudesse assistir pelo YouTube
      (os outros quatro links).
      E sim, é bem antigo o artigo... com a nossa Lua é!

      Eliminar
  17. Querida Luma
    Hehehehe, adorei! Isso sim é honrar os irmãos!
    Deixei uma respostinha para você lá no blog:)
    Bjo grande
    Léia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Léia!! Já vou no seu bloguinho!!
      Um brinde à famiglia!! :)
      Beijus,

      Eliminar
  18. rrss rrssss

    MInha querida, um abraço grande ...desejando que nada lhe seja retirado.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gratíssima!! Assim espero... rs.

      Eliminar
  19. Oi Luma
    Passei para fazer um convite. Passe lá no meu espaço e confira. Passei e-mail e voltou, mas não gostaria que meu convite não chegasse até você.
    bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O que será que aconteceu?
      Obrigada, Norma!!
      Vou no seu blogue para saber!
      Beijus,

      Eliminar
  20. Muito boa a postagem e interessante, se fosse uma história verdadeira, a amizade dessas três pessoas.

    Daniel

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ahhhhhhhhhhhh, por que acha que não é verdadeira?

      Eliminar
  21. Oi, Luma!

    Salve o irmaõ Sol!

    Que história linda e engraçada essa! Ele parou de beber, mas, em nome da amizade não quebra o ritual, rsrs
    É ótima e muito criativa.

    Beijos, amiga!
    Socorro Melo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também achei, Socorro! Apesar de não ter muita certeza se parou de beber em nome da amizade (rs*)
      Beijus,

      Eliminar
  22. Olá Luma! E que sol maravilhoso hein!
    Rsrs, qdo faz muito sol, a gente pede chuva e vice-versa,rsrs, mas será o benedito! como se satisfaz um ser humano!?
    Enxergar aquilo que se quer e não enxergar aquilo que está na nossa frente é mais humano que qualquer outra coisa.
    Qtas vidas será que são vividas sem que se tenha apreciado um cotidiano nascer do sol.
    Bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não saberia viver em países que o sol aparece a cada seis meses. Muito triste! Não à toa o alto índice de suicídios. Beijus,

      Eliminar

Tenha identidade, não seja anônimo na web. Crie sua identidade virtual.

...bisbilhotaram em quietude, sem solidão

PlagSpotter - duplicate content checker tool
Licença Creative Commonsget click

Algumas coisas não têm preço


finalista the weblog awards 2005finalista the weblog awards 2006
finalista the weblog awards 2007weblogawards 2008
Verificar conteúdo duplicado

Me leve com você...

Leia o luz no seu celular

Copyright  © 2014 Luz de Luma, yes party! Todos os direitos reservados. Imagens de modelo por Luma Rosa. Publicações licenciadas por Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial- Vedada a criação de obras derivadas 2.5 Brasil License . Cópia somente com autorização.

Tem sempre alguém que não cita a fonte... fingindo ter aquilo que não é seu.

Leia mais para produzir mais!

Atenção com o que levar daqui. Preserve os direitos autorais do editor