Minha Amiga Viúva

"...Nisto acordei com dor, com impaciência;
E não vos encontrando, olhos brilhantes,
Vi que era a minha morte a vossa ausência!"

Bocage

Minha amiga viúva
source

Tenho uma amiga que ficou viúva. Ainda não tinha estado com ela e não sabia detalhes do acontecimento e nem tato para falar pelo telefone. Sim! Em se tratando de morte sou patife e dificilmente frequento velórios e enterros. Encontrei a amiga enlutada em um acontecimento social e depois fomos ter privacidade para falarmos do fato em sua casa. Bebi alguns goles de vodca e acompanhei lentamente as suas narrativas. Olhava para os lados e me deparava com fotos do casal; a casa estava igual tal qual ainda me lembrava da última vez que lá estive. O 'Finado' era um homem bonito e vaidoso. Morreu jovem. Certa hora, buscou-me água e aproveitei para dar uma olhada nos livros e CDs (Além de patife, sou bisbilhoteira). Avistei um jarrinho delicado e bonito na estante, peguei, tirei a tampinha e olhei dentro; Ele tinha alguma coisa que fazia um xiiii quando chacoalhado. Quase o derrubei quando a amiga entrou na sala e eu quase o derrubei novamente quando soube o que tinha lá dentro: As cinzas do seu amado. Foi um pedido dele que as cinzas ficassem ali, na sala.

Patife com morte e com histórias ligadas a ela, quis ir embora. Não sei se ficaria sozinha naquela casa ou se aceitaria morar com as cinzas de um morto, mesmo amado. Da vida dela, só ela sabe. Mas fiquei pensando no assunto...

Todos nós já pensamos um dia no destino da alma. E o corpo, terá qual destino? Há quem diga que os cemitérios são coisas medievais...

O meu jarrinho vai ser um espetáculo!

52 comentários :

  1. não sei dizer se foi um último desejo romântico o dele, fico na dúvida entre dizer que há beleza na cena toda, no continuar habitando... ou se penso que assim fica muito mais complicado para a viúva se refazer.. toda hora dando de cara com o jarrinho.. ei, já pensou se vc fosse cheirar o xiii e aspirasse parte do morto? tipo um pedaço do dedo em pó e tal... vc escapou de um grande embaraço, luminha... =) FELIZ ANO NOVO MINHA QUERIDÍSSIMA NOTÁVEL!!!!! BJOS

    ResponderEliminar
  2. Não sei o motivo nem procurarei em algum canto escuro da minha alma, mas por duas vezes hoje, de forma bem forte, as palavras vida e morte vieram fazer parte dos meus pensamentos. Normalmente, pensamentos assim me assombram e acho que isso é resquício de outras épocas onde eu dava um valor mais concreto às coisas sonhadas. Lendo seu texto agora, pensando na leitura do texto de hoje da Denise Rangel, me questiono se a proximidade com a palavra morte não tem um significado maior para mim. Sim, pois tendo-a tão próxima, consigo vislumbrar melhor o quanto quero viver neste ano que começou agora... O novo ano trouxe promessas de vida mais plena e é isso que eu quero... quero que as barreiras que me impedem de ser plenamente feliz sejam derrubadas e sei que a hora certa chegará em que eu poderei olhar para tudo isso que foi 2011 e dizer que certamente "eles passarão, eu passarinho".

    ResponderEliminar
  3. Minha mãe diz que ninguém gosta de cemitério e hospital, mas que as vezes temos que ir... Nem por isso eu deixo de ser patife , sei lá... É complicado doença e morte, eu nunca sei o que dizer e o que fazer... e acabo não dizendo nada e me sentindo patife e idiota... Enfim, não sei o que será feito comigo após a morte, mas uma coisa sei, em cima da terra não fica mesmoooo... Deixo essa escolha a quem sobreviver a mim!!!

    ResponderEliminar
  4. "Morrer não é acabar, é a suprema manhã."

    Beijo.

    ResponderEliminar
  5. Eu não suporto esses pedido para depois da morte os outros cumprirem.

    Minha mãe é campeã neles e de antemão aviso que nem escuto pois não farei nada.

    Detesto isso e claro, mesmo amando meu marido como amo, nunca ficaria com as cinzas dentro de casa, senão não dormiria mais,credo!!! Sou borrada mesmo,rsrs beijos,chica

    ResponderEliminar
  6. Como dizem por aí: isso é tragicômico, hahaha!.


    Beijos!

    ResponderEliminar
  7. Parece coisa de filme!
    Nunca pensei a respeito disso, não sei o que quero que façam com meu corpo depois que eu morrer... Minha mãe fica apavorada só de pensar nessas coisas, então nunca falei sobre isso rs

    Beijo Luma!

    ResponderEliminar
  8. Eu tinha o desejo profundo de ser enterrada numa cova sem paredes e fundo de cimento; queria que fosse só barro, para meu corpo se misturar na terra e ficar uma coisa mais natural. Queria mesmo, de verdade. Mas atualmente ando pensando em cremação. Meu esposo sabe. Falo tudo. As flores do caixão quero roxas, óbvio, ou violeta, ou lilás rs...
    Se meu último desejo será realizado, não sei. Talvez só levem como mais uma frescura, mesmo ameaçando voltar do além para puxar o pé kkk...
    Beijinho, amiga Luma!

    ResponderEliminar
  9. Eu não sei como foi a relação de sua amiga com o falecido, mas querer manter um senso de propriedade, da pessoa que empatou a ele mesmo após sua morte. Em geral, coloca o que eu vejo é a distribuição do eixo através de lugares que a pessoa gostaria de participar, de contemplação. Não foi você que o eixo de seu animal de estimação (Max) difundiram no lugar onde ele costumava mergulhar?
    Com a crise nos cemitérios brasileiros, onde não há muitas vagas nos cemitérios, melhor 'Hollie' (não achei a palavra em português). Eu quero ser cremado. Abraços,

    ResponderEliminar
  10. chocolate... lembra juliete carregando o vaso pra todo lado e depois o vento levando as cinzas?
    as pontes de madson... as cinzas de francesca encontrando as de robert
    tudo é imaginação, Luma...rs!!!
    eu não quero vaso. quero santorini pra descanso ...eterno!
    bj

    ResponderEliminar
  11. Sabe, Luma!

    Antes teria as mesmas reações que você diante da doença e morte. Fugia de tudo que fosse relacionado... Não conseguia compreender.

    Hoje com os pensamentos mais elaborados quanto ao assunto penso que a morte ( enquanto morte natural ), assim como o nascimento são espetáculos somente não compreendidos em profundidade apenas pela civilização ocidental.

    Para mim a morte se resume na dor dos que ficam, pois são os que ficam os únicos a não compreender os motivos, os únicos que ficam com esse sentimento que - se não trabalhado - dilacera o viver.

    Como a Chica, acredito que não deve haver nenhum amanhã para a personalidade do morto. Mortos não poderiam ditar regras para o Viver daqueles que se encontram em vida.

    Quanto ao corpo - para mim é somente um veículo - assim como as árvores que morrem se transforma em energia. Não acredito que sejamos o corpo.

    Para sua amiga que guarda as cinzas do marido conforme ele pediu, terá que conviver eternamente com as lembranças do passado e sempre que olhar o jarrinho parecerá que o marido está na casa e presente. Será que ela realmente quer assim?

    Luma, sabe que falo como uma pessoa que trata um doença potencialmente fatal com grande chance de cura.

    E hoje, acho que devemos desejar ardentemente a vida, mas não temer a morte porque no final das contas um dia todo mundo morre.

    Quanto a cemitérios, cada povo têm sua forma de reverência aos mortos, eu acho desnecessário e preferia que os mortos fossem enterrados junto a Terra para que o corpo se dissolvesse nela.

    Mas tudo isso ainda está em elaboração em minha mente. como mudo de idéia frequentemente, amanhã posso até pensar diferente.

    Certamente deve tê-la abraçado. Neste momento um abraço é tudo o que podemos oferecer para amenizar a dor da saudade.

    Poderia ficar filosofando mais nesta sua caixinha de comentários, mas seria muito abuso meu.

    Beijos!

    ResponderEliminar
  12. Luma
    Eu nao sei o que faria coma s cinzas. Mas nao guardaria em casa pois acho muito sagrado.
    Na minha cidade houcre crematorio aqui em Bh e depois levaram para SA e enterraram.
    com amizade e carinho de Monica

    ResponderEliminar
  13. Bem, eu quero ser cremado - tomara que meus familiares atendam meu pedido.

    Sobre as cinzas, eles poderão jogá-las no mar. Tá bom assim.

    Eu também não sei lidar quando meus amigos e familiares perdem um ente querido. Raramente vou a enterros.
    Certeza mesmo, é que estarei no meu próprio velório. Ah, desse eu não escapo.

    Bj

    ResponderEliminar
  14. É fúnebre demais para meu gosto colocar as cinzas de alguém que já morreu pra morar comigo. Affe! Ainda mais sendo espírita e achando que corpo e espírito tem que se desligar.

    Se eu fosse cremada, gostaria que jogasse minhas cinzas em algum lugar, como mar. E faria o mesmo se fosse as cinzas de alguém querido.

    Beijocas

    ResponderEliminar
  15. eu também quero ser cremada. mas não quero ser guardada em casa num jarrinho. nem pensei em "onde ficar guardada". mas acho que pouco importa, não é?
    Beijos.

    ResponderEliminar
  16. Na boa, cremem-me e deixem minhas cinzas lá na lixeira do crematório mesmo. Ser enterrado é que não! Criar uma pseudo ligação com uma lápide? Quem precisa disso, se dá para sentir quem foi em cada lembrança querida, em cada alegria vivida? Ademais, intercâmbio com os que estão no outro plano não carece de lugar específico. E as cinzas, minha amiga, servem pra nada, então é lixo. Lixo se joga na lixeira. Bj

    ResponderEliminar
  17. confesso que ri ao imaginar a dupla tentativa de empoeirar o chão da amiga com o amado (:... acredito que seja apenas um apego vão, como muitos que carregamos em nossas jornadas nesta vida.

    beijo!

    ResponderEliminar
  18. Os mortos que sigam seu caminho. Essa é a tônica. Depois da morte ficar preso num jarrinho não parece bom.

    Bom 2012 pra você.
    Por aqui novamente e agora sempre.
    =**

    ResponderEliminar
  19. Eita, já pensou se quebra? Também não sou de ir à velórios, muito menos eterros, a não ser de parentes próximos. Sobre as cinzas, ah, acho estranho, e a ideia do cemitério me é bem mais simpática. é o que qeuro pra mim, mas, claro, sem nenhuma pressa.

    Grande abraço ;)

    ResponderEliminar
  20. Tive que rir ao imaginar a sua cara quando soube o conteúdo do jarrinho! Sou prevenida e já comprei a minha cova. Sabe que em muitas cidades, os cemitérios não tem mais morada para os mortos?
    Besitos,

    ResponderEliminar
  21. Luma,

    Eu só gostava de ir ao cemiterio quando era criança, pois era o melhor lugar para brincar de pique-esconde e comer goiaba (nojo). Daí os 'cascudos' se intensificaram, assim como aumentou os piolhos, que minha mae jurava ser dos defuntos.
    Brincadeiras a parte, nao gosto de velorios porque me impressiono com a feição do defunto e esta imagem fica pra sempre. sem contar que eu cismava que eles (defuntos) de alguma maneira se levantavam e queriam falar comigo. vai ver tinhas poderes mediunicos e nao sabia.

    Agora, pensar sobre o corpo nunca pensei. Sempre achei que se me colocarem naquelas gavetas apertadas eu vou acordar e nao vou ter como sair de lá.
    Cremação nem a pau, tenho pavor de fogo.
    Ok, sei que as duas condições acima nao fazem sentido porque ja estarei morta, mas nao consigo pensar como morta.
    Não sei, nao mesmo. Em momentos de dor profunda eu ficava pensando como seria bom morrer e abandonar este corpo, mas pensando sempre na leveza da alma...nunca no peso do corpo.
    Este eu deixo para os que tiverem que fazer algo a respeito, se for o caso.
    Beijos

    ResponderEliminar
  22. Sempre usei aquela velha piada para falar sobre o assunto: "Não gosto de mortes nem de enterro. Se puder, não vou nem ao meu. Aliás, morrer é a última coisa que quero fazer nessa vida"

    Mas se é REALMENTE inevitável, que não dê trabalho a ninguém. O que puder ser aproveitado, que seja. Ração pra peixe, adubo em pellets ou qualquer coisa. Se sobrar algo, cremação e as cinzas no mar. E que alguém tome uma cerva em meu nome.

    ResponderEliminar
  23. Oi Luma, vim agradecer seu votos e lhe desejar um feliz 2012, cheio de realizações, paz e saúde.
    Quanto ao texto, como dizem...cada louco com suas manias rsss
    beijosss

    ResponderEliminar
  24. Luma, que situação.
    Eu não tenho problemas para velorios e enterros, mas entendo perfeitamente o quanto é dificil para algumas pessoas.
    Não me sentiria nada bem com um jarrinho dormindo no mesmo teto que eu. Acho que cada ser deve estar no devido lugar, os vivos com os pés no chão e os mortos, livres.

    Eu gostaria de ser cremada e que minhas cinzas voassem com o vento. Quem sabe somente assim eu poderia ir para todos os lados que sempre desejei.

    Beijos

    ResponderEliminar
  25. Amiga!

    Há muita gente que guarda as cinzas dos seus entes amados, eu não sei se o faria, mas não vejo mal nenhum nisso.

    o meu marido diz que quer ser cremado, eu ainda não me decidi, que decidam por mim, afinal estarei morta, que importância terá então???

    Beijinho

    ResponderEliminar
  26. Luma,
    Não guardaria cinzas, apenas fotos e alguns objetos mais significativos.
    A morte sempre nos impressiona, não é mesmo.
    Felizmente, temos os sonhos, que nos aproximam dos amados que se foram, e os temos de novo.

    Um ótimo fim de semana!
    beijo, menina

    ResponderEliminar
  27. Olha Luma, não sei se aguentaria conviver com as cinzas de um parente que se foi.
    Big Beijos

    ResponderEliminar
  28. Felizmente, Luma, hoje não quero pensar na morte... há pouco nasceu o novo ano. :) Feliz 2012! Mas o caso é interessante, sim. Ah... e neste ponto somos igualmente patifes.:)

    ResponderEliminar
  29. Morte é coisa séria, imbui-nos de toda consternação e tristeza que o fato acarreta, mas já fui a um funeral de cinzas que mais pareceu uma comédia, impossível as pessoas ali reunidas não rirem juntas e isto me pareceu interessante, deveriam ser cômicos todos os funerais. dentre tantos episódios hilários neste dia, vou contar só um: estávamos no alto de uma montanha, as cinzas seriam jogadas de lá, a filha abre o jarro e o sacode, neste exato instante uma rajada de vento passa por nós, resultado: Todos os presentes receberam um pouquinho do defunto em si, a filha num ímpeto diz, "ai engoli papai". Alguém sussurra ao meu ouvido, "feche a boca para não engolirmos também, teremos de descer a montanha não podemos ficar bêbados, ele morreu de cirrose". Tem como não rir? Neste dia todos riram e afinal descemos a montanha um pouco menos tristes e levando a morte menos a sério.
    Senti uma pitada disto em seu conto. É sábio isto.

    Um beijo!

    ResponderEliminar
  30. Uau, já imaginou se você tivesse aspirado o tal pozinho!
    Bem, acho pra lá de bizarro um potinho com as cinzas de alguém morto numa sala, mas eu até gostaria que me jogassem num jardim, pode ser o meu mesmo para ajudar a adubar mais as minhas hortências.
    No mar não! Não sei nadar. kkkkkkkkk
    beijinhos cariocas

    ResponderEliminar
  31. Oi Luma, que coisa! Imagino a tua cara ao saber que estavas com as cinzas do morto na mão! Eu não teria coragem de ter cinzas em casa, acho até que fica mais difícil para quem fica, recuperar da dor pela perda de quem já foi. Mas nunca pensei muito no assunto de cremação ou enterro, morte para mim não é assunto fácil, eu evito até falar dela. Um óptimo dia para ti, amiga e um ano de 2012 cheio de prosperidades. Beijinhos

    ResponderEliminar
  32. OI LUMA. ADOREI A SUA CRÕNICA, O SEU MODO DE ESCREVER E MUITO LEGAL.UM ABRAÇO FRATERNO, CELINA

    ResponderEliminar
  33. Eu também quero ser cremado. Quanto ao jarrinho, já decidi que as cinzas devem ser lançadas no mar. Não curto cemitérios e também não sou adepto do culto a morte. Sou pelas palavras de Thomas Hardy (poeta e pensador inglês):

    Que... não se saiba de minha morte

    Nem se sofra por minha causa,

    E que eu não seja enterrado em solo consagrado,

    E que nenhum sacristão venha a dobrar o sino,

    E que a ninguém se peça que veja meu cadáver,

    E que ninguém me acompanhe em funeral,

    E que não se plantem flores em minha sepultura,

    E que ninguém me recorde,

    A isso subscrevo.


    Um abraço.

    ResponderEliminar
  34. Boa tarde!

    Como já comentamos no blog, o Yehi Or! sempre foi alvo de ataques, tendo sido
    excluído e invadido muitas vezes.
    Bem, infelizmente aconteceu de novo. Assim, decidimos por não insistir mais e deixá-lo excluído.

    Mas não, ninguém vai nos calar. Em lugar do blog, temos agora um perfil no Facebook e uma página no Tumblr.
    Então, vim avisar para que você continue a nos acompanhar nesses dois novos lares.
    Pode nos adicionar, seguir... e se puder ajudar a divulgar, ficaremos muito gratos.

    Aqui seguem nossos links:

    Facebook: http://www.facebook.com/profile.php?id=100003244609425

    Tumblr: http://yehior.tumblr.com/


    Muito obrigada pela amizade e por caminhar conosco por tanto tempo.
    Continuemos juntos!

    Abraços e que Deus seja contigo sempre!


    http://www.youtube.com/watch?v=zBj-UZuNlxs


    Equipe do blog Yehi Or!

    ResponderEliminar
  35. O seupenssamento é vivo e forte... quase um enigma.. mas é tão clara sua liberdade.
    Adoro istO!

    Adoro sua coragem de viver a vida!

    ( Te mandei um email! )

    Bjao

    William

    ResponderEliminar
  36. Que história... também sou patife em sentimentos relacionado a morte, não sei como lindar! =/ Mas, não sei se conseguiria deixar a cinzas ali na salinha, por mais que ame! E alias conhecendo meu esposo, ele jamais me pediria isso, ele sabe que não gosto dessas coisas!
    A unica coisa que peço, é que jogue em algum jardim, pois amo...
    Beijinhos carregado de felicidade.
    Um lindo dia.
    Lorena Viana.
    pequena-prendiz.blogspot.com

    ResponderEliminar
  37. verídico?

    Eu me desprendo fácil da matéria morta ... ficam somente as lembranças..
    não guardaria pózinho de ninguém, desculpa mãe? :P

    Mas, jogaria tudo ao vento... segue o caminho que tem que seguir, ainda acho mais legal ser pozinho ao vento que ex-gente apodrecendo no chão ( ninguém quer comer nada que nasce na terra adubada por um mortinho, quer? ...rs)


    Nossa, agora voce também vai poder dizer que sou estranha... kkkk


    beijo ;)

    ResponderEliminar
  38. Olá, querida Luma

    No qual cada semente em FLORES de ouro abrindo...
    Em nossa mente árida ORVALHA TUA GRAÇA...

    Vc poderia escrever para o meu e-mail pra me explicar direitinho o que me disse no comentário sobre um link, amiga???

    Sei bem como é essa dor... como dói!!! Rasga um pedaço do nosso peito... vai até o âmago do nosso ser... Isso quando se ama pois hoje em dia viúva é quem se vai...
    Bjs festivos de paz

    ResponderEliminar
  39. Lembrei da Courtney Love que ficou andando com as cinzas do Kurt Cobain um tempo numa mochila ursinho de pelúcia. Eu ficaria feliz com uma cremação, mas não pra deixar na sala, pra ser espalhada em algum lugar bonito.

    Bjs...primeira leitura de blogs de 2012 , estou voltando.

    ResponderEliminar
  40. Oi Luma
    eu sempre tive pavor da morte. Acho que não é de pensar na morte, mas sim de acordar e não conseguir sair.kkkkk Hoje, já consigo dizer que quero ser cremada e que minhas cinzas sejam jogadas, pode ser no mar mesmo, embora eu tenha muito medo dele, mas não vou estar ali mesmo, não é?
    beijos e Feliz 2012

    ResponderEliminar
  41. Ah, também sou muito patife para essas coisas "mortais"...
    Mas não ia querer um jarrinho não, além de patife também sou medrosa, rsrss

    Mas isso ficou parecendo a cena daquele filme que o cara derruba as "cinzas da vovo" lembra ??
    Nossa, imagina o mico !!

    Bjus 1000 querida e um 2012 lindão prá "nóis"

    ResponderEliminar
  42. Que delicada e feliz postagem, amiga.
    Nada como o tema do pós-morte, para nos fazer refletir sobre o momento presente...
    O jarrinho, acho eu, fica bem mais suave do que semear em abertura no chão.
    Bem... aos meus pósteros deixo essa (longínqua) decisão. rsrsrs

    Abraço fraterno.

    ResponderEliminar
  43. Luma:
    Bom mesmo é ler o que você escreveu e os comentários ótimos...
    "O assunto morte é para ser pensado todos os dias, já que pensamos em sermos eternos..."

    Beijos.
    Anny

    ResponderEliminar
  44. kkkkkk ai minha querida, me desculpa estar rindo, sei que o assunto é sério e triste, mas o jeito que vc narrou foi engraçado demais... Fora que fiquei aqui imaginando a sua cara qdo a sua amiga falou das cinzas do marido...rs Realmente esse é um "detalhe" que acho um tanto qto estranho, deixar assim na sala, ou em outro cômodo qq... Acho sinistro!
    Estamos nos desencontrando, né?! ;)
    Beijo, beijo e feliz Ano Novooooo!
    She

    ResponderEliminar
  45. ai Luma... que situação.
    Deus me livre...
    já pensou se o coitado do jarrinho cai da sua mão e o pobre do homi, já era!!!
    creiimdeuspai.

    rs
    ainda bem que tudo deu certo.
    e que vc tá vivinha da Silva.
    ufa.
    beijos.

    ResponderEliminar
  46. Oi, Luma! Feliz Ano Novo!
    Que o ano seja repleto se coisas boas e realizações!
    Olha, segui seu conselho e tirei um pouco das imagens da lateral de meu blog.Só que tem coisa que eu ñ consigo tirar.Não sei se fez diferença.Adorei a foto do post do ano novo.A música é perfeita. Nada do que foi será...
    Bjs, um ano maravilhoso pra vc com muitas vibrações boas!
    Rozani

    ResponderEliminar
  47. Oi Luma!

    Assunto sério para começar o ano... Eu quero ser cremada e assumo: sou "patife" também com relação aos mortos e seus pertences... PA.TI.FE. até perder de vista!

    Aproveito o comment para desejar Feliz Ano Novo à você e família com o carinho de sempre. Permaneçam felizes.

    beijos,

    ResponderEliminar
  48. Luma
    Gostei do texto, mas o pedido é muito estranho.Eu jogaria as cinzas no mar com muitas flores desejando paz, como foi feito com as cinzas de uma tia a pedido dela.

    bjs

    ResponderEliminar
  49. Bem que eu estava sentindo falta de algo, e esse algo era visitar esse blog! 3 meses direto acompanhando aqui e agora por meio desde, fixo e retorno as raízes novamente.
    Um incrível 2012 para vc Luma, assim como para todos que visitam o site! PAZ. HARMONIA. ENERGIA BOA PARA TODOS.

    ResponderEliminar
  50. Me dejaste pensando. Feliz Fin de semana.

    ResponderEliminar
  51. Oi Luma.

    Também não gosto de nada relacionado com a morte mas nos últimos 03 anos já fui a mais velórios do que poderia imaginar em toda a minha vida.
    Houve um dia em que cheguei a ir a 02. Um de manhã e outro à tarde.
    Não, eu não sou uma Maria Carpideira !
    Não sei o quero que façam comigo após minha morte. Mas essas cinzas, o que fazer com elas ?

    Feliz 2012 !!!

    Bjs.
    Elvira

    ResponderEliminar
  52. É com muito carinho que venho lhe visitar. As vezes precisamos nos afastar um pouco, pela falta de tempo. Mas temos a certeza que os amigos sempre moraram em nosso coração. É bom voltar..É muito bom ser lembrado. Por isso hoje venho...
    Quero desejar a VOCÊ, um excelente Ano Novo, repleto de alegrias, Paz e amor.

    Que 2012 seja repleto de SAUDE, PAZ, ALEGRIA E AMOR, além de muito SUCESSO!!
    Que em 2012 nossa AMIZADE seja ainda melhor. Que sejamos Amigos Para Sempre...Nossa amizade é alegre, Sincera, gostosa e tem muitas atitudes. A vida ganha um novo sentido com ela.
    Que em 2012, você possa abrir seu coração e sonhar muito...Realizar muito...Sorrir Muito...Ser muito Feliz.. Sonhe.. Deseje...Realize..
    Seja muito Feliz e volte a ser criança...viva com muita emoções...
    Lhe desejo um Feliz Ano Novo, cheio de Luz, Alegria, Amor, Paz, Sucesso e Saúde...Que você realize todos os seus desejos e sonhos, mas principalmente que continue a sonhar...Sempre...
    Feliz ano Novo.. Cheio de Energias boas e muita Luz, para guiar seus caminhos.

    "Um dia você aprende que verdadeiras amizades continuam a crescer mesmo a longas distâncias. E o que importa não é o que você tem na vida, mas quem você tem na vida."
    Carinhosamente,
    Sandra

    ResponderEliminar

Tenha identidade, não seja anônimo na web. Crie sua identidade virtual.

...bisbilhotaram em quietude, sem solidão

PlagSpotter - duplicate content checker tool
Licença Creative Commonsget click

Algumas coisas não têm preço


finalista the weblog awards 2005finalista the weblog awards 2006
finalista the weblog awards 2007weblogawards 2008
Verificar conteúdo duplicado

Me leve com você...

Leia o luz no seu celular

Copyright  © 2014 Luz de Luma, yes party! Todos os direitos reservados. Imagens de modelo por Luma Rosa. Publicações licenciadas por Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial- Vedada a criação de obras derivadas 2.5 Brasil License . Cópia somente com autorização.

Tem sempre alguém que não cita a fonte... fingindo ter aquilo que não é seu.

Leia mais para produzir mais!

Atenção com o que levar daqui. Preserve os direitos autorais do editor