Nascida sob o signo dos doidos [update]

Nascida sob o signo dos doidos
Imagem

Foi assim: um Office boy chamado Willian Taynton está lá, num fim de tarde, terminando o seu expediente num escritório londrino. Aproxima-se um louco manso e genial chamado John Logie Baird exigindo que o rapaz sentasse diante das luzes quentíssimas e da traquitana monstruosa por ele montada. Willian é um boy. John é um doido. Wiliam obedece.

E numa outra sala do prédio, num outro monstrengo criado por ele, John enxerga o rosto do rapaz. Em Outubro de 1925. Estavam inventados a câmera, o receptor e o primeiro rosto humano da TV. Três meses depois, uma apresentação para cineastas. Anos e anos de experiências até chegar 1939.

"Pelo amor de Deus vá à recepção e livre-se de um lunático que está lá. Ele diz que tem uma máquina de visão sem fio! Tome cuidado, ele pode ter uma navalha". O editor do jornal "Daily Express", se referindo a John Logie Baird.

Em Nova Iorque, a transmissão ao vivo da feira mundial entroniza definitivamente a televisão como meio de comunicação, de difusão de ideias, de entretenimento. É a partir daí que a televisão começa a seduzir, conquistar, apaixonar e enlouquecer o mundo civilizado.

Para o Brasil, a novidade foi trazida por Assis Chateaubriand – cuja sanidade não se pode atestar assim, de pronto...

Basta dizer que, primeiro, o homem construiu uma emissora. Só depois lembrou-se de importar aparelhos receptores de tv, para que alguns brasileiros pudessem assistir ao que seria levado ao ar. E Chateaubriand inaugurou sua PRF3, a TV Tupi de São Paulo, numa noite repleta de improvisos, em 18 de Setembro de 1950.

Num País pobre e atrasado, Chateaubriand fez surgir o chamado "televizinho". Era o sujeito da rua, ou do bairro, que tinha televisão – e que recebia visitas dos vizinhos da rua, ou do Bairro.

Assis Chateaubriand criou os fundamentos da televisão comercial no Brasil. Isso não fazia o menor sentido, não resistia à mais despretensiosa projeção futura dos acontecimentos. Era uma evidente e absoluta loucura. E deu certo. Mas, se considerarmos que a televisão “pegou” mesmo, para valer, só depois da Segunda Guerra, será ainda mais espantoso notar a importância que aquela caixa de luzes adquiriu para toda a humanidade em apenas meio século.

A ponto de, em 1960, o país mais poderoso do mundo eleger o seu presidente depois de um debate, na TV, em que um candidato usava terno escuro e, o outro, terno claro. O vitorioso John Kennedy ensinou ao adversário Richard Nixon e ao mundo inteiro que, na tv, terno escuro, atrai olhares e simpatias. Coisa de maluco. E ironicamente, em um intervalo de onze anos entre ambos, o assassinato de um e a renúncia de outro foram os momentos mais marcantes da história da televisão mundial.

Mas o fenômeno psicopatológico é mais profundo e geral. Senão, o que dizer da mobilização de brasileiros em frente às telinhas na Copa do Mundo? E como qualificar as cifras que os anunciantes americanos gastam, por segundo, em intervalos comerciais numa final daquele futebol deles? Doidice desvairada. E a histeria pacifista deflagrada pela cobertura jornalística da Guerra do Vietnã? E a Guerra do Golfo, a que todos assistimos ao vivo? Míssil disparado chamusca o céu e atinge seu alvo. Bum! Ao vivo, em tempo real! Sandice...

E as dúvidas sobre a autoria de assassinatos célebres, como os de Salomão Ayala, ou Odete Roitman, que monopolizaram o tema de conversas de milhões de patrícios por meses?

Ora, direis, “contra-senso-absoluto”. Eu vos direi, no entanto, que essa fonte de sandices chamada TV permitiu a 600 milhões de humanos acompanhar os saltos lentos de seus semelhantes sobre a lua. Aqui na terra, todos, ao mesmo tempo, vendo e ouvindo os sons e imagens das estrelas.

Entre todos os avanços tecnológicos desses anos, a tv ganhou cores reais e controles remotos, cabos de transmissão e antenas de recepção, a miniaturização, a alta definição. A televisão ganhou poder sobre o coração e o bolso das gentes. E, especialmente por esse último motivo, ganhou inimigos. Será, porém, contra senso maior do que todos os aqui relembrados debitar-lhe as tantas mazelas contemporâneas que lhe são atribuídas. A perversão infantil, a alienação juvenil, a passividade senil. Porque antes e depois de Baird, de Chatô e dos programadores de TVs, o que sempre deu e dará valor à inteligência é a escassez. Trata-se de regra universal, como universal é a estupidez humana.

A televisão é veículo para uma e para outra. Foi sempre assim – e assim será. E, neste século, a quem vir a TV como a caixa de Pandora, diremos que não. Que é apenas uma caixa. De luz, como também de escuridão. De muita loucura, e um pouco de razão.

Update: Viajarei. Retorno em breve! Se conseguir conexão mantenho contato!

49 comentários :

  1. Doidos todos nós somos um pouco...e nessa loucura vamos fazendo história...beijos querida e uma bela semana pra ti.

    ResponderEliminar
  2. Oi Luma,
    Sabia como a TV tinha vindo para o Brasil, mas não sabia da primeira transmissão feita por TV no mundo. Adorei a história!
    Fui no link que vc indicou e amei os espelhos de luz! Lindos!
    Beijos 1000 e uma de semana maravilhosa para vc.

    www.gosto-disto.com

    ResponderEliminar
  3. Mas se Chateaubriand tivesse importado os aparelhos de TV antes de existir emissora, também seria loucura, pois quem compraria uma TV se não havia o que assistir? De qualquer forma as grandes ideias sempre são loucuras no início, não é? Isso é bom para refletirmos. Quantas loucura talvez já deixamos passar...
    Beijinho e muita paz, querida Luma.

    ResponderEliminar
  4. Obrigada pela tão interessante lição que nos oferece!

    Bem haja!!

    ResponderEliminar
  5. Olá menina Luma!

    eu acho que a TV é o cavalo de Troia que entra em nossas casas.

    Só a caixa de iluminação para assistir alugueres, não ligo para a programação.

    Prefiro um bom livro, ou uma bela peça de teatro ao vivo, do que um serão em frente ao televisor. Mas adorei saber a história do televisor ao longo dos tempos. Especialmente essa aí de televizinho. Que máximo. Já tinha ouvido minha avó contar que a TV em outros tempos era uma forma de juntar a familia. Atualmente acho que é mais, uma forma de dividir a familia. Cada um com seu televisor, cada um no seu espaço, quarto, sala ou cozinha, assistindo à sua programação favorita.

    Valeu! Reflectir sobre este tema.
    Obrigada.
    Beijo além-mar.
    Rute
    P.s.-Não entrei na sua sugestão do bookcrossing pois meus livros estão sempre em movimento. Costumo emprestar e aceitar emprestado. Eles viajam por correio aqui em Portugal, pois temos uma Taxa especial livro, mais barata.

    ResponderEliminar
  6. Sua "aula-texto" me fez perceber, assisto tão pouco, não tenho nada contra,mas sempre tenho outras prioridades.

    beijinho e obrigada.

    ResponderEliminar
  7. No interior, Lu , nós eramos os unicos a ter TV. Quando passava luta Eder Jofre e... a rua fervia de gente e a janela não cabia de tantos visinhos.
    Era uma verdadeira festa!
    com amizade e carinho de Monica

    ResponderEliminar
  8. Interessante o texto, mas muitas noticias tem se difundido mais rapidamente no Twitter do que na televisão, imagino como será quando as redes socias se tornarem a principal fonte de informação para nós...

    Fique com Deus, menina Luma Rosa.
    Um abraço.

    ResponderEliminar
  9. Bela aula! Eu fui televizinha. rsrs Como você disse, é uma caixa! O homem coloca nela o bem ou o mal.
    Girassóis nos seus dias. Beijos.

    ResponderEliminar
  10. Uma delícia de texto, Lu. E acho que você tem toda a razão. A estupidez humana é bastante anterior à televisão e a todas as tecnologias que vieram depois dela. E não vai ser a caixa com tudo o que tem lá dentro (luz e trevas) que mudaria esse quadro para melhor ou pior. rsrs. Adorei! Um grande abraço. Paz e bem.

    ResponderEliminar
  11. Oi Luma, tudo bem?
    Muito bacana e interessante esta aula sobre a criação da TV, aprendi muito.
    Já fui televizinha lá pelos idos de... durante algum tempo para acompanhar novelas.
    Bjo e boa noite.

    ResponderEliminar
  12. É isso mesmo, pode ser usada para bem e para mal uso. No mais das vezes é para manipulaçao mesmo ( intrumento de poder brabo). Mas pode forneceer informaçao de qualidade provavelmente em canais fechados e tal.
    Sei la muito assunto esse.
    Beijos queridona.
    Cam

    ResponderEliminar
  13. Luma querida!!!
    Acredito que o equilíbrio é a alma do negocio.
    Adooooro uma tv, na dose certa, porque no meu caso, se ultrapassada, o marasmo se aconchega e eu acomodo...rs!!
    Voce tem razao quanto ao sidebar quando se le pelo feed, nao tinha pensado nisso!!!
    Beijocas!!

    ResponderEliminar
  14. Oi Luma!

    Não estou com "saquinho" de dissertar sobre TV, mas caramba! O seu texto está excelente!!! Que bom ter amiga como vc, na verdade me orgulho! Me reprogramo, oxigeno com seus textos e links de madrugada...

    Tem muita diferença da razão para loucura? Rs. Lembrei-me de "Erasmo..."

    Tenha uma boa viajem e ótima conexões!

    Beijoooooooooo

    ResponderEliminar
  15. Eu curto ficar ficar lobotomizado na frente da TV. Ajuda a não pensar em nada. Como gosto de comédias, ainda rio. hehehe

    Olha a atualização do blog quando puder para sabe como não rolou o primeiro lançamento.

    ResponderEliminar
  16. Luma

    Gostei muito deste post onde nos descreve a situação da TV no Brasil (e mundo).

    Todos temos um pouquinho de louco, não é?

    ResponderEliminar
  17. A TV foi um dos maiores inventos do século passado! Infelizmente, ela não é usada tão bem, pois temos programas tão ruins, hoje em dia, que não dá vontade de assistir!

    www.sorvetedemorango.com.br

    ResponderEliminar
  18. Só vi tv pela primeira vez em finais de 1975 quando rumei ao Brasil, porque em Angola não havia nem em casas de ricos. Os passos na lua foram acompanhados pela rádio e depois no cinema onde, antes de cada sessão cinematográfica davam uma espécie de telejornal:)

    Não sou fã de televisão, excepto para algumas coisas: debates, alguns desligo porque com a pressa com que contabilizam o tempo por vezes há atropelos nos racicionios dos entrevistado, alguns spots publicitários, desporto (menos futebol), séries, cinema e natureza. Notícias, prefiro ler aqui na internet, por serem mais completas e não da forma como apresentam na televisão, onde resumem ao máximo num jornalismo absurdo!

    A juntar a tudo o que dizes, junta aí a "enorme onda de telenovelas" que apesar de focarem casos reais...é tudo rico, tudo fácil, tudo...menos a realidade núa e dura (há uma outra que não foi assim) do nosso dia-a-dia.

    Parabéns pelo post e que tenhas um bom regresso.

    ResponderEliminar
  19. Muito legal e sempre aprendemos contigo!!!Boa viagem, beijos, tudo de bom,chica

    ResponderEliminar
  20. Ah, o que seria de mim sem a tv? Se bem que hoje assisto bem menos do que antes, quando era noveleiro.

    ResponderEliminar
  21. Opa, cliquei sem querer. Acho que com a popularização da internet a tv perdeu um pouco de força, e, se as coisas já eram ruins antes, agora elas foram elevadas a milhonésima potência. Cabe, por fim, a cada um decidir o que é bom para si mesmo.

    Beijo, e boa viagem.

    ResponderEliminar
  22. Boa viagem, Luminha.

    Post bem construído, como de costume.


    Beijinho

    ResponderEliminar
  23. Luma, teu blog é uma eterna sala de aula, ainda bem que não estás de greve. Adorei a história sobre a televisão.
    Beijos.

    ResponderEliminar
  24. Hoje há quem diga que a imaior invenção dos tempos é a filmadora incorporada ao celular (videofonino, na Itália). Sim, hoje é possível registrar o que acontece em qualquer canto e tornar público ao mundo. Como pouca gente tem conexão à internet, a tv continua sendo o grande veículo de divulgação. De imagens, de notícias e de asneiras.
    :)

    ResponderEliminar
  25. Ótimo,como seus posts sempre são e conteúdo muito esclarecedor sobre a tv e sua influência nas nossas vidas.
    Abraço carinhoso e boa viagem!

    ResponderEliminar
  26. Confesso que nunca tinha lido sobre isso. Mas é interessante e se formos ver hoje, ninguém vive sem a TV! E com certeza os dramas das novelas e os jogos da Copa prendem todos num mesmo lugar, por mais minúsculo que seja :)

    Quando eu não tenho nada pra fazer fico assistindo TV, mas como não tenho TV à cabo me canso - principalmente no domingo - e volto pro computador haha

    Ah Luma, Cabo Frio é um lugar maravilhoso! Meu pai chegou a construir um sobrado lá, mas vendeu quando veio pra cá. Eu amava tudo aquilo! Pode deixar que avisarei sim querida! :)

    Beijos e boa viagem!

    ResponderEliminar
  27. Se superou nesse texto hein?
    Acho importante monitorar o que meu filho de 3 anos assiste. Ele repete tudo que vê! Desde que ele nasceu, eu praticamente só assisto desenhos e programas educativos! rs.
    Beijos.

    ResponderEliminar
  28. Blogar é cultura sempre.
    Não sabia da história assim completinha.
    Vc tem razão, meu livro estava de ponta cabeça e eu nem percebi rs.
    Por um lado foi bom, pq tem gente que acha que minha casa não é habitada...que eu sou neurótica , que tudo está sempre impecavelmente no lugar. Vc não imagina os comentários que recebo rs.
    Mas na minha casa tem vida e muita! Eu apenas sou organizada e também erro. Sou humana.
    Um beijo e obrigada pelo seu carinho
    Aproveite sua viagem.

    ResponderEliminar
  29. Luma,
    a televisão é só um veículo e é democrático, basta usar o controle e descartar o que não presta. Usando bem o controle é possível ficar bem informado e muitas vezes com mais profundidade que a internet, enfim debate de horas, rs
    Boa viagem e bom regresso!
    bjs
    Jussara

    ResponderEliminar
  30. Vejo cada vez menos esta caixinha chamada televisão, mas é por causa doutra caixinha chamada computador...

    Beijinhos, Luma, aproveite bem a sua viagem !

    Verdinha

    Já somos duas a condenar a pedofilia no nosso blog
    !

    ResponderEliminar
  31. Luma:
    Uma bela história sobre TV.
    Já li alguma coisa sobre o assunto e você completou. Obrigada.
    Internet, TV...a quantidade de tempo gasto neles é que precisa ser adequado.
    Cada um tem seu valor.

    Boa viajem e trabalho.
    Beijos.
    Anny.

    ResponderEliminar
  32. Parafraseando Os Tribalistas, não tenho paciência para televisão.

    ResponderEliminar
  33. Sou da época dos televizinhos,rsrs
    realmente foi uma revolução a televisão na sociedade, quer gostem ou não, veio para ficar...
    Beijos

    ResponderEliminar
  34. eu assisto bastante tv, mas sei discernir a luz da escuridão..amei o ultimo parágrafo.

    boa viagem!!

    /(,”)\\
    ./_\\. Beijossssssssss
    _| |_…………….

    ResponderEliminar
  35. Oi Luma,

    A TV foi uma das maiores invenções do homem, e estou-lhe grata por isso. Sou uma TVholic.

    Espero que te divirtas na tua viagem :D.

    Beijoooss

    ResponderEliminar
  36. Excelente Luma...
    Você me fez lembrar que sou do tempo do televizinho...e foi assim mesmo...
    Chego a pensar que uma doce loucura nem sempre faz mal a alguém!!!
    Adorei..volto para casa mais rica. Boa viagem!! Beijão.
    Astrid Annabelle

    ResponderEliminar
  37. Disparado a midia de recepção mais democrática que existe, mesmo quando se dispoe a disseminar um sem-numero de verdades convenientes e preconeceitos desnecessários... de todo esse periodo, a unica coisa que realmente me incomoda é não terem bolado um controle remoto menos "advinhe o que fazer com isso" e mais "controle este aparelho de fato"... acredito que seja questão de tempo, e um melhor custo das telinhas que invadiram smartphones.

    ótima viagem, bjos!

    ResponderEliminar
  38. Eu confesso: não dou a importância que muitas pessoas dão para a televisão. Não espero nada dela. Não vejo telejornais e sou alienada em assuntos comuns a televisão.
    Vejo filmes, seriados, novelas (enquanto tenho paciência) mas não sigo nada. Pra mim, televisão é distração e sempre o último recurso. rs
    Mas gostei de saber como a tv veio parar no Brasil, mas sou sincera em dizer que gostaria que as pessoas olhassem para a tv como sendo um objeto de entretenimento e não como sendo um guia. aff

    bacio

    ResponderEliminar
  39. Querida Luma; tudo que é novidade traz essa confusão. E os seus inventores tomados por loucos. Mas apesar de quase não assistir, foi uma das grandes invenções.
    Belo post! Bom fim de semana! Beijos

    ResponderEliminar
  40. Interessante seu texto Luma.

    Desculpe por não ter vindo antes te agradecer pela companhia, obrigada volte sempre.

    "As coisas boas da vida.
    Estão em doces momentos
    Regados a sentimentos
    De emoção e alegria
    Que seu fim de semana
    Seja lindo, verdadeiro,
    Repetindo por inteiro
    As emoções de cada dia".

    beijooo.

    ResponderEliminar
  41. Antes de "fechar" o blog, tinha rascunhado um post sobre a invenção da TV, com fotos dos aparelhos antigos. Foram anos e anos de tentativas, até que tudo se concretizasse.
    Gosto demais de TV, acho uma companhia interessantíssima, variada, ao alcance de nossas mãos para nos distrairmo ou não, para aprender (ou não), enfim, é um dos grandes inventos da humanidade.

    ResponderEliminar
  42. oi, luma, que bom que voce podera contribuir com o love quilts! bjo bjo

    ResponderEliminar
  43. A televisão foi uma das maiores invenções da humanidade. Foi ela que verdadeiramente trouxe o mundo para dentro de nossas casas e possibilitou uma gama enorme de conhecimentos e informações que antes eram inacessíveis.

    Um abraço.

    ResponderEliminar
  44. Olá Luma, só hoje pude vir aqui, estamos de luto por uma cunhada.
    Eu gosto demais da tecnologia, de toda sua história e de tudo o que representa para nós, desde a fotografia, o cinema, a TV. Jamais me esqueço da aula de um professor louco que me ensinou a tirar fotos com uma caixa de sapatos com um buraquinho...

    Um beijo!

    ResponderEliminar
  45. Muito legal a história da televisão.
    Boa viagem!

    ResponderEliminar
  46. de doido e louco cada um em um pouco, kkk gosto de TV para relaxar e me desligar do mundo lá fora, adoro desenhos e filmes com final feliz.
    boa viagem Luma.

    ResponderEliminar
  47. Aproveita Luminha,

    Beijos

    ResponderEliminar
  48. Excelente texto!Parabéns.Bjs no coração.

    ResponderEliminar
  49. fantástico texto! não sabia dessa história na ocasião do invento. E Chateaubriand era mesmo maluco, o Brasil foi o quarto país a ter tv, não é?

    tv pra mim é igual faca: se bem usada, ajuda que é uma beleza.
    Se for mau usada, causa danos graves. A tv, em si, não tem culpa de nada, "culpa" é de quem escolhe coisa ruim para assistir (a tv cultura com um de média e um Brasil Urgente com dez).

    passa coisa ruim na tv pq tem público pra isso. as pessoas culpam mto a tv e tiram a responsabilidade do dono do controle remoto, como se a tv tivesse que entregar tudo maravilhoso, cultural, nutritivo. nem comida é assim né, a gente come um Mc sabendo que faz mal, mas come!

    boa viagem, aproveite muito! volte com muitas boas coisas pra contar pra gente rs

    bjs boa semana

    ResponderEliminar

Tenha identidade, não seja anônimo na web. Crie sua identidade virtual.

...bisbilhotaram em quietude, sem solidão

PlagSpotter - duplicate content checker tool
Licença Creative Commonsget click

Algumas coisas não têm preço


finalista the weblog awards 2005finalista the weblog awards 2006
finalista the weblog awards 2007weblogawards 2008
Verificar conteúdo duplicado

Me leve com você...

Leia o luz no seu celular

Copyright  © 2014 Luz de Luma, yes party! Todos os direitos reservados. Imagens de modelo por Luma Rosa. Publicações licenciadas por Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial- Vedada a criação de obras derivadas 2.5 Brasil License . Cópia somente com autorização.

Tem sempre alguém que não cita a fonte... fingindo ter aquilo que não é seu.

Leia mais para produzir mais!

Atenção com o que levar daqui. Preserve os direitos autorais do editor