Perversão em Preto-e-branco

I Love Hitchcock
"Eu sou um diretor marcado. Se dirigir Cinderella o público vai imediatamente procurar por um cadáver no colchão."

Quem imaginaria que Alfred Hitchcock recebeu uma rígida educação católica, baseada nos ensinamentos do jesuíta Inácio de Loyola? E que o mestre do suspense, um dos maiores cineastas do século XX, no começo de sua carreira, ficou dois anos escrevendo telas de texto para diálogos de filmes mudos?

Podemos disso tirar uma lição: se você tem uma meta, não se intimide em começar por baixo para entender todo o processo, só assim você se torna um "especialista".

“A televisão é como a torradeira americana, você aperta o botão e a mesma coisa salta toda a vez”

Temos amadores por todos os lados, estagiários usados para fazer o óbvio e no espaço entre uma escrita na tela ou outra, Hitchcock aprendeu a criar roteiros e editá-los, aproveitou seu tempo e não estagnou, porque sabia, tinha capacidade para mais. Em menos de dois anos tornou-se cenógrafo e assistente de direção. Seu primeiro filme "Number Thirteen" de 1922, foi um fiasco, mas não desanimou!

Quem sabe este filme não faria sucesso atualmente?

Hitchcock
Alfred Hitchcock, nasceu em 13 de agosto - 1899/1980

O sucesso não veio imediato e foram várias tentativas e aprendizado antes que algo de bom acontecesse, mesmo assim, continuou persistente na sua vontade. Não escreverei sobre os seus sucessos e fracassos, para tanto a web está lotada de biografias. Como este blogue fez em outras ocasiões, destacando um de seus trabalhos, hoje é dia de "Psicose"

Psicose_Hitchcock
Quando estreou, a 30 de Junho de 1960, o filme "Psicose", de Alfred Hitchcock, foi classificado pelo crítico Bosley Crowther, do jornal "New York Times" como "um tropeço numa memorável carreira". Ele achava que o diretor de "Janela Indiscreta" tinha ido longe demais daquela vez. Mas o filme orçado em US$800 mil rendeu em um ano nada menos que US$13 milh~es. E o sucesso elevou a clássico o longa-metragem que contém uma das mais aterrorizantes e belas cenas de suspense do cinema, a do assassinato de Marion Crane (Janet Leigh) durante o banho. A reboque, "Psicose" tornou o pervertido Norman Bates, vivido por Anthony Perkins, o mais carismático psicopata das telas.

Psyco Janet Leigh
O baixo orçamento do filme foi quase uma extravagância, dessas das quais bons diretores se utilizam para realizar exatamente aquilo que querem, à margem do capitalismo selvagem dos grandes estúdios. A Paramount não gostou da ideia de Hitchcock adaptar um autor menor - Robert Block, autor do livro "Psyco", em que se baseou o roteiro - para o cinema e boicotou o projeto, proibindo-o até de usar suas instalações. O diretor utilizou a equipe e os estúdios da série de TV "Suspense", que realizava para a Universal, e as filmagens duraram 36 dias, a portas fechadas. A teimosia do inglês rendeu um filme antológico.

Não há como desgrudar o olho da tela diante da ambígua figura de Norman Bates. Na aparência, ele é o simplório zelador de um motel. Na prática, é um maluco de carteirinha, que veste as roupas da mãe para matar. Nessa versão original - "Psicose" rendeu 3 continuações - Norman observa uma hóspede se despir minutos antes dela ser assassinada a facadas no banheiro. Ela não estava ali por acaso: havia fugido com um dinheiro roubado, hospedando-se naquele motelzinho de beira de estrada.

"A televisão devolveu o assassinato para dentro das casas - o lugar a que ele pertence."

A antológica sequência do assassinato de Marion Crane não demora um minuto, mas tem 70 tomadas diferentes, feitas em mais de uma semana até se atingir o efeito final. A primorosa e ágil montagem encarregou-se do resto.

Uma curiosidade de bastidor: A atriz Janet Leigh foi substituída por uma dublê nas cenas de nudez por imposição do ciumento marido Tony Curtis. Puritanismo à parte, "Psicose" criou um precioso ensaio sobre voyeurismo e perversão em preto-e-branco, protagonizado por um ator também esquisitão. Anthony Perkins confessaria mais tarde ter perdido a virgindade somente aos 37 anos, isto é, uma década depois do sucesso do filme.
Se estivesse vivo, o mestre do suspense estaria completando 112 anos.

"Sorte é tudo... Minha sorte em vida é ser uma pessoa medrosa. Tenho sorte de ser um covarde, em ter um baixo limiar de medo, porque um herói não poderia fazer um bom filme de suspense"

Em tempo: Fui convidada pela Norma Emiliano, do blogue "Pensando em família" para dividir espaço com a Denise, do blogue "Tecendo ideias". Agradeço essas pessoas queridas que deram-me oportunidade de dividir o "Meu melhor momento - minha mais cara lembrança". "Confiram o texto que lá publiquei".

17 comentários :

  1. Não há como não ligar imediatamente Hitchcock com "Psicose". Arrepiante. Assisti uma vez só, e basta.
    Beijinho e muita paz..

    ResponderEliminar
  2. Luma,

    Os anos 60/70, os anos Hitchcock.
    Como era bom ir ao cinema.

    Ele era excêntrico mas sua obra é maravilhosa.

    Abraços

    Luiz Ramos

    PS. Sou fã do TED. Se fosse convidado, aceitaria!

    ResponderEliminar
  3. Oi Luma, passando para dar um alô.
    Aproveitei para dar uma espiada na sua participação no blog da Norma.
    Difícil mesmo escolher um momento e interessante chegar a conclusão de que são os mais simples.
    Bjs

    ResponderEliminar
  4. Ah, tenho plantado mudas de árvores alguns anos, em especial, frutas.
    Exercito a paciência em esperar seu crescimento e depois de, as vezes, anos, ve-las dar frutos, no meu caso, colhi limões este ano. parece besteira mas a sensação é ótima.
    Rsrs, bjs

    ResponderEliminar
  5. Ei querida Luma! Passando rapidinho pra te responder... Não foi pra cx de spam não, e aproveitei procurei no meu e-mail, já que todos os comentários vão tb pro meu e-mail e nada... :( Não deve ter gravado por conta dos inúmeros bugs que o blogger de vez em qdo apresenta, aliás no dia 10 de Agosto o blog estava em manutenção... :( Se vc quiser fique à vontade pra escrever de novo...
    Fiquei triste que não gravou, pôxa...
    Beijo, beijo!
    She

    ResponderEliminar
  6. Olá Luma! Boa noite!
    Vou te confessar...tenho medo de filme de suspense...rssss
    Como a minha família adorava Hitchcock eu acompanhei seus filmes de canto dos olhos...e assim mesmo poucas vezes.
    Depois de ser réu confesso só me resta ver como foi seu melhor momento...
    Beijão
    Astrid Annabelle

    ResponderEliminar
  7. Nunca apriciei filmes de suspense, mas reconheço a importância do gênero para muitas pessoas. Hitchcock sempre foi sinônimo de suspense.

    E já estive no Tecendo Idéias. Gostei muito dos textos seu e de Denise.

    Beijos!

    ResponderEliminar
  8. Oi Luma eu adoro cinema e assisti muito os filmes do Hitchcock. Eu não gosto do terror, mas gosto do suspense.
    bjs

    ResponderEliminar
  9. Luma, agradeço o texto que recomendou, eu sou meio que nostalgica, perante artigos que li no passado, que foram se tornando realidade, me assusta um pouco o que pode vir para o futuro. Eu li tambem seu comentario. Entendo como a tecnologia lhe serve bem para o trabalho que faz. Eu concordo neste aspecto, porque eu tambem faço bom uso da mesma.

    beijos

    ResponderEliminar
  10. Que oásis! Libertei a imaginação com seu post. Gosto de suspense.

    Girassóis nos seus dias!
    beijos

    ResponderEliminar
  11. Um gênio Luma, indiscutivelmente. Tenho um tio que sempre fazia umas aparições em nossos filmes da grande Xixi Filmes dos anos 60/70, a la Alfred... Lembro-me de assistir Pássaros com meu pai e de ficar com medo por várias noites... Rsrsrs. Bela homenagem! Beijos!

    ResponderEliminar
  12. Me lembro bem da primeira vez que assisti Psicose, devia ter uns 17/18 anos, e ele foi meio que um soco recebido sem esperar. Sempre gostei de Os Pássaros, mas o bom mesmo de Hitchcock é a aflição que vem subindo o corpo aos poucos.....impagável.

    Beijão.

    ResponderEliminar
  13. Hitchcock Rei do suspense mesm. Marcou minha adolescência.bj

    ResponderEliminar
  14. Grande mestre!

    Sempre apreciei muito os seus filmes.

    Bjsss

    ResponderEliminar
  15. De verdade? Eu precisava ler esse post hoje, num domingo a noite, amanhã vou lembrar dele. Tentativa, fracasso, persistencia, acerto.

    Beijos

    ResponderEliminar
  16. Luma querida, esse cara era um gênio...adoro os filmes dele, clássicos eternos do suspense. Vivia apaixonado pelas atrizes (quase sempre, louras) dos seus filmes...um pouco louco, como todo gênio, né? beijos,

    ResponderEliminar
  17. E eu que só vi psicose no ano passado, por inteiro? N pedaços nas mais diversas aulas da graduação, enfim consegui! os demais estão anotados pra assistir numa tarde qualquer, de ferias que estão chegando :)... ótima semana!

    ResponderEliminar

Tenha identidade, não seja anônimo na web. Crie sua identidade virtual.

...bisbilhotaram em quietude, sem solidão

PlagSpotter - duplicate content checker tool
Licença Creative Commonsget click

Algumas coisas não têm preço


finalista the weblog awards 2005finalista the weblog awards 2006
finalista the weblog awards 2007weblogawards 2008
Verificar conteúdo duplicado

Me leve com você...

Leia o luz no seu celular

Copyright  © 2014 Luz de Luma, yes party! Todos os direitos reservados. Imagens de modelo por Luma Rosa. Publicações licenciadas por Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial- Vedada a criação de obras derivadas 2.5 Brasil License . Cópia somente com autorização.

Tem sempre alguém que não cita a fonte... fingindo ter aquilo que não é seu.

Leia mais para produzir mais!

Atenção com o que levar daqui. Preserve os direitos autorais do editor