O que é pior: Perder o amigo ou perder o desejo?

Calma, eu explico! A culpa é toda do Chico; ele estava cantando quando dobrei a esquina...

"Talvez o mundo não seja pequeno
Nem seja a vida um fato consumado
Quero inventar o meu próprio pecado
Quero morrer do meu próprio veneno
Quero perder de vez tua cabeça
minha cabeça perder teu juízo"


Mas antes disso, tinha passado pela livraria para pegar um livro que encomendei: "Contos de Amor e de Morte" - desse espetáculo de autor que é Arthur Schnitzler - livro que já li, mas como emprestei e não foi devolvido, tive que ir atrás de outro exemplar.

O livro mostra um trabalho investigativo, sutil e sofisticado que fez dessa ficção um trabalho análogo ao que Freud realizava na teoria e na prática clínica e que mereceu admiração do psicanalista - acesse o link acima para saber a opinião de Freud sobre o autor.

Você vai se surpreender com a demostração, do que acontece no trânsito entre o real e a fantasia, seja esta um sonho, pesadelo ou alucinação. Os personagens são narradores “não confiáveis” (ironia minha). No último conto “Fuga para a escuridão” narra a terrível luta de um homem contra a própria loucura, numa singular atmosfera de pesadelos.


"Breve Romance de um sonho" é um dos contos que se tornou conhecido do público, através do filme de Stanley Kubrick: “De olhos bem fechados” - quem assistiu o longa e leu o livro, percebe que o filme é fiel ao livro e bem adaptado. A história original se passa no começo do século passado na Áustria e o Filme nos tempos atuais, em Nova Iorque. Mas isso não vem ao caso agora. O que impressiona nos dois é que eu nunca vi uma história em que o sexo, desejo e casamento, fossem discutidos com tamanha eficiência e propriedade.

Vamos combinar que quem viu o filme, poderá refletir comigo... Vamos discutir a relação? (rs*)


A esposa está no centro dos acontecimentos. É ela que muda a vida do casal. Em uma noite que deveria ser como outra qualquer, a dona de casa Alice confessa ao marido o desejo por um homem ocasional e desconhecido, perdido no passado e com o qual trocou apenas um olhar.

Dizem as más-línguas que este filme começou a estremecer a relação do casal Nicole e Tom Cruise.

O marido médico, que já nem reparava mais na mulher, que podia passar nua à sua frente que ele nem mais a reparava (armadilhas do casamento), começa a partir dessa confissão, a entrar em uma espiral de ciúmes. Um ciúme inútil, confuso e intenso.

Então, sai a procura de compensações mundanas – igualmente inúteis. O importante do livro/filme é essa discussão sobre o desejo dentro da instituição do casamento ou de uma relação de longo prazo.


Alberto Godim, escreveu: "O casamento é um espaço onde o companheirismo, a amizade são importantes. Divide-se o teto, as contas, os filhos. E o desejo? Onde fica?"

Diz ainda: “A amizade, a mais nobre das emoções humanas, não contribui para o erotismo. A amizade não é erótica (...). Um casal que consegue desejo intenso e amizade profunda é nota dez, porque desfruta de ambas qualidades, porém só uma minoria merece essa nota. Ou bem são relações fogosas sem amizade, ou ambos são amigos sem fogo (...)."

Freud dizia que a amizade sublima o sexo. Sublimar quer dizer que o sexo se transforma em outro sentimento, neste caso, em amor fraterno. Os amigos da mesma forma que os irmãos se amam, não se desejam.

Gaiarsa certa vez disse: “Os casais mais velhos são amigos porque não têm o sexo e filhos pequenos para atrapalhar”.


[last lines]
Alice Harford: I do love you and you know there is something very important we need to do as soon as possible.
(Eu te amo e você sabe que há algo muito importante que precisamos fazer o mais rapidamente possível)
Dr. Bill Harford: What's that?
Alice Harford: Fuck.

Mais intensas e profundas do que aparentemente frívolas. Algums pessoas só acreditam naquilo que podem tocar... Não é uma boa perder um amigo, mas é também não é bom perder o desejo! O desejo é um exercício e você, poderia responder a pergunta inicial do post?

Imagens do filme "Eyes Wide Shut" (De Olhos Bem Fechados), Stanley Kubrick, 1999.

Final de semana festivo! Aniversário de Lu Souza Brito, Michelle Siqueira, Veridiana Serpa, Sandra Botelho e Saramar. Parabéns, meninas!! Que os anos lhes tragam muitas felicidades!!

34 comentários :

  1. Oi Luma!

    Acho que é melhor perder o amigo.
    Adorei o post. Muito bem escrito! Parabéns!
    Um beijo carinhoso.
    Daca

    ResponderEliminar
  2. Perder a amizade é pior sem dúvida, pois um relacionamento só com líbido tem menos chance de superar as crises comuns do casamento. Quando umas celulites, barrigas e "puns" dão as caras, o líbido permanece? Só com muuuita amizade e bom humor rs...
    Paz e bênçãos!

    ResponderEliminar
  3. Uii, difícil essa, mas eu particularmente fico com a amizade. Tem um conselho que diz: case com quem vc gosta de conversar.
    E o desejo? Se a conversa for boa, a labia tbm, e desejo vem naturalmente...
    Bjs

    ResponderEliminar
  4. Oi Luma,


    Iiii, não sei responder não. Acho que qualquer um dos casos seria uma grande perda, ahahaha.
    Para ser imediatista, eu diria que perder o desejo é pior. Ahahaha.

    Obrigada pela lembrança do niver!
    Beijos e bom fim de semana.

    ResponderEliminar
  5. Lembrem-se, no campo das suposições, o casamento já aconteceu. A escolha está feita e o problema surgiu dentro da relação. Quem é casado ou mantém um relacionamento de anos, sabe que com o tempo as coisas podem "amornar" e lógico, um dia o sexo não fará parte da vida do casal e se transformará em cumplicidade/carinho se anteriormente o casal viveu plenamente todas as suas fases. Citei a frase do Gaiarsa justamente por causa disso. Já Alberto Godim afirmou que o casal ideal é aquele que possui as duas qualidades e repetindo; no campo das suposições, estamos nos referindo a um casal jovem. É justo um deles querer manter a rotina sexual, enquanto o outro não? Acham que a amizade dentro do casamento supera essa emboscada?

    No caso do livro/filme é a mulher que reclama da falta de sexo e socialmente, sempre a mulher foi a mais compreensiva neste quesito. Acham que o homem teria essa compreensão?

    @Flaviane essa frase que citou é de Dalai Lama. Qual deles, não sei.

    Por enquanto as opiniões estão empatadas.

    ResponderEliminar
  6. Luma
    Eu não li o livro nem vi o filme, mas posso esperar um filme muito bom de ver.
    com carinho Monica

    ResponderEliminar
  7. Sem duvida nenhuma que - de acordo com Freud mesmo- perder o desejo é muito pior. Sem desejo não ha amigos.
    Enfim, melhor ser desejante e tudo virá para voce, para todos, inclusive os amigos!
    E nisso se inclui o desejo tesão. Todos os desejos.
    Beijim e bom findi querida!
    Cam

    ResponderEliminar
  8. Mantenho minha resposta mesmo para casais jovens. Para continuar o casamento a amizade é fundamental. Quem quer viver só pelo desejo, o casamento, vida a dois dia após dia, não é a melhor opção; pula fora de vez. Minha resposta portanto é para quem deseja relacionamento duradouro: amizade é fundamental.
    E como disse a Flaviane acima, se a conversa for boa o desejo vem naturalmente.
    Paz e bênçãos.

    ResponderEliminar
  9. Oi amiga!

    No final do texto deu vontade de rir... Depois de toda essa dissertação e dissecação vc retorna a pergunta, eu particularmente não vivo sem o amigo e nem sem o desejo, será que sou sortuda?

    Deu vontade de ler o livro. Quando maridão empresta livro, ele anota o dia e nome da pessoa, eu sou mais relaxada.

    Um ótimo fim de semana recheado de desejos e um grande amigo a disposição!

    Beijossssssssss

    ResponderEliminar
  10. Se é um relacionamento jovem, os dois seria o ideal, mas depois de alguns anos, o melhor é a amizade, a cumplicidade e de vez em quando uma pimenta, até porque, qualidade é bem melhor que quantidade.Mas isso aprendemos com o tempo...hehehe
    Mas quero ficar bem velhinha com meu velhinho conversando ao menos...
    Paz e bem

    ResponderEliminar
  11. Já tivemos aqui em casa uma crise em que eu disse ao meu marido que ele era meu colega de quarto, huahuahua. A crise passou, envolvia muitos fatores que ainda existem, mas estamos contornando. Acho que ele é meu amigo, não sei se sou dele, mas acho que sim e o desejo vai bem obrigada. Sei que não somos o casal ideal, mas estamos tentnado fazer funcionar essa instituição chamada "casamento, com filha pequena e muito senso de humor" bj

    ResponderEliminar
  12. Acho q ambos fazem muita falta, mas o desejo me parece algo que, uma vez perdido, seja mais dificil de se recurperar talvez pela sua intensidade e força. Já a amizade, mais morna, me parece mais possível de se refazer, não disse fácil, disse possível!

    Beijo Linda,
    Ótimo fnds!
    Grã

    ResponderEliminar
  13. Luma,
    Difícil de responder.Vejo um atrelado ao outro. Se é um casal, amizade apenas nao é o suficiente, pois se buscará o desejo em outro alguém. Para casais mais velhos, talvez a amizade seja mais importante.
    beijo menina

    ResponderEliminar
  14. Luma
    Amiga vou responder a sua pergunta estando há 2 meses de completar 35 anos de casada.

    O pior seria perder os dois. Depois de tantos anos juntos o elo mais forte é o companherismo, a amizade, mas ainda permanece o desejo mesmo que a intensidade não seja tão forte quando no inicio. Para esse desejo se manter vivo ele precisa de que os dois saibam como satisfazê-lo.

    Eu vi o filme e é realmente oq eu você nos descreveu.

    Venho pouco aqui, mas saiba que adoro o conteúdo de seus posts

    Beijos no seu coração

    ResponderEliminar
  15. Oi querida
    Sem desejo o casal passa a ser apenas amigos e a relação deixa a porta aberta para terceiros.
    Portanto sem desejo o amigo pode virar seu inimigo, tratando de parceiros amorosos...
    Pois amigo torna-se irmão e não rola sexo,apesar de ouvirmos muito sobre amizades coloridas,rs,rs,

    ResponderEliminar
  16. Perder um amigo, dependendo da circunstâncias, pode ser bem desagradável. Mas o fato é que não perdemos pessoas, perdemos coisas.

    Quanto ao desejo, esse é melhor manter. Eu fico com o desejo.

    Abraços do Gaúcho.

    ResponderEliminar
  17. Querida Luma
    Realmente estar longe de casa me deixou bem mais vulnerável. Também tenho muito medo de perder as pessoas amadas, justo por estar longe (as vezes tenho a sensação que estou perdendo a vida dessas pessoas não as acompanhando de perto)!
    Procuro sempre resignar-me, pois acredito que Deus esta' me dando o melhor nesses momento (mais do que mereço). Muito obrigada pelo carinho.

    Bem... acho que é muito pior perder um amigo!
    Te desejo um lindo fim de semana
    Bjim
    Léia

    ResponderEliminar
  18. Não vi o filme nem li o livro e gostei muito deste teu post e reflecti, pensei nos que me rodeiam com anos de casados, os menos jovens (irmãos) e os mais jovens as minhas filhas. Porque eu já lá vão 20 anos que pus fim a "um amor desmedido da minha parte e ZERO da parte contrária, para não dizer utilização descartável (um horror)".

    Já houve muita gente que me disse que numa relação não há cabimento para a "amizade", o que eu contesto porque tudo pode começar, continuar e permanecer numa amizade, companheirismo, cumplicidade e consequente desejo.

    Mas há casos para tudo e a figura da história/filme é ela que vive esse tormento, retrato de muitos e na minha modesta opinião acho melhor perder o amigo e o desejo e pôr um ponto final na relação.

    Alberto Godim "(...) e o desejo? Onde fica?" pois é, a vida é tão acelarada por mil e um motivos que até se esquecem disso, mas será que se esquecem mesmo? Não acredito porque se não desistirem mal aparece um probleminha...a união perdurará e certo..."um casal disfrutar de ambas as qualidades".

    Nota 20 para este post.

    Beijocas do lado de cá do oceano

    ResponderEliminar
  19. A monogamia mata a libido.

    ResponderEliminar
  20. Luma,
    é bom que tão novinha conheças tanto da vida...
    Eu diria que o casamento tem fases: amizade/erotismo...

    beijo

    ResponderEliminar
  21. Acho tudo isso muito complicado, acredito que nos dias atuais nem o Freud conseguiria explicar.
    bjs

    ResponderEliminar
  22. Oi, hoje tem blogagem coletiva do Projeto 10 em 10! 10 fotos em 10 momentos diferentes do seu dia 10. Participe! Bjs e fik c Deus.

    ResponderEliminar
  23. Luma achei seu post genial, mas confesso que não sei lhe responder.
    Quando fiquei viúva, com quarenta anos de casada, eu era amiga e muito do meu marido...
    Pois...
    Beijão gostoso e agradecido por sua presença e por seu carinho lá em casa.
    Astrid Annabelle

    ResponderEliminar
  24. Eu prefiro perder a pergunta... rs. Não é porque eu não leve a sério a pergunta ou o texto (levo a sério ao ponto de me propor a comentar), mas acho que é só mais uma pergunta chata. Porque tudo que está por trás das palavras não pode e não deve se resumir a isso. Não só a isso.

    Essa coisa do "casal nota 10" é sem dúvida realmente chato. Todo o tempo temos que ser 10 em tudo? Pra que? Acho que falta um pouco do exercício de autoconhecimento para sabermos quem somos de verdade e não passar a vida correndo atrás de um perfil que traçam para nós. A coisa de que a felicidade está do lado de dentro vai bem por essa linha...

    Fico de cabelo em pé quando um especialista-não-sei-das-quantas, com muito tempo à toa para fazer pesquisas e mais pesquisas pra inventar mais um objetivo-ideal-de-felicidade pra boiada correr atrás, vai pra televisão, ou pro livros (tanto faz), dizer que um casal "saudável" tem de fazer sexo X vezes na semana sob pena de acabar o casamento. Como assim? E toda a individualidade de cada um vai pra onde? Quem é esse cara que vem lá de fora querer dar um conselho pra um negócio que ele nem tem ideia de como funciona: você (seu casamento, suas ambições, suas buscas, etc.).

    De vez em quando penso que o medo do fim do casamento é algo tão ridículo quando o medo do fim do mundo. Pela máximo do "que seja bom enquanto dure" ainda se sai melhor.

    Mas foi bom botar todo mundo pra pensar... Como sempre, com seus textos.

    Bjs e bom domingo!

    ResponderEliminar
  25. Voc me fez lembrar de uma vez em que estávamos em um encontro de casais e as mulheres dormiam separadas dos maridos. Aí voce já imaginou um bando de mulheres, sozinhas, conversando antes de dormir ? trocávamos idéias sobre os mais variados assuntos, até que se chegou no papo sobre sexo. Haviam mulheres de todas as idades, moças, maduras e idosas.
    Voce não imagina como tem idosas assanhadas, hahahaha!!!!
    Mas quando falamos sobre a quantidade no sexo, muitas se espantaram comigo. A maioria ali não vivia sem sexo. E aí, entro eu e comento que eu não transava com meu marido com regularidade, mas sim, com qualidade e quando estávamos muito a fim, fisicamente. Isto causou um burburinho. Eu na época tinha uns 30 anos. E ali, naquela conversa, pude descobrir muita coisa e avaliar comportamentos. Eu acredito que na verdade a maioria das pessoas confundam o que é o verdadeiro amor. Amor é diferente de paixão.
    O que traz aquele tesão enorme do início do relacionamento é a paixão, não o amor. E essa acaba logo. E é aí que mora o pecado hahaha!!!
    E quando voce está há muito tempo em um relacionamento, a paixão tende a diminuir. E as mulheres, pelo menos a maioria, acaba achando que os homens não as amam mais. Mas, para mim, amor verdadeiro é aquele em que os dois seguem juntos para encarar a vida e crescerem mutuamente, juntos, compartilhando, dividindo, somando.Quando vejo certas "entendidas" falando, as tais "saias justas", sobre amor e relacionamento e descem a lenha em casais que vivem há muito tempo juntos, dizendo que estes estão é acomodados, que é impossível existir amor em uma relação longa, fico com uma enorme vontade de dizer para elas que isto é a visão delas, experiências vividas por elas, mas não é a verdade única e absoluta, jamais. E estou aqui para comprovar. Vivo há 20 anos com meu marido e o amo na mesma intensidade do começo, senão mais. E é recíproco. Aliás, aprendi isto com ele. Ele me trouxe esta visão do casamento. Então, até hoje namoramos, e quando transamos, é porque estamos muito a fim um do outro, e não para corresponder a teorias e estudos formados pelos outros ou pela sociedade, achando que se não há muito sexo, é pq não existe mais amor. Isto é balela de quem não foi capaz de transcender todos os obstáculos e dificuldades que um relacionamento a dois trás, e a vida, junto. Transo com meu marido até hoje, com muito tesão, e sinto um amor imenso por ele. Aquele que nos fez ficar mais juntos ainda, na hora da dor, dos problemas, das dificuldades, que não foram poucas. Não era paixão, era amor. É amor.
    Com isso, te respondo: é possível sim, viver com o amigo e com o desejo.
    Desculpe-me o longo texto, mas não conseguiria responder em um espaço curto.

    Um dia lindo, Luma, com muita luz!
    Liz

    ResponderEliminar
  26. Muito respeitosamente eu penso que não se deve perder nem a amizade e nem o desejo...

    Cada um tem o seu momento...

    Luma, obrigado pela visita e pelas lindas palavras...

    Gostei de te ler e espero poder vir aqui e corresponder a simpatia com que me presenteaste...


    Saudações poéticas do

    Porto-Portugal

    ZezinhoMota

    A Poesia do Zezinho II
    http://zezinhomota1.blogspot.com

    ResponderEliminar
  27. Hoje eu sei quem luta pode vencer,
    Ousar é a melhor maneira de vencer
    SE VOU VENCER SO DEUS SABE MAS DESISTIR NUNCA.
    Enquanto houver vontade de lutar haverá esperança
    a mim interessa sómente o
    futuro onde vou morar.
    Sei que parada não posso ficar
    nem ter medo do futuro chegar.
    Não posso passar todo tempo murmurando
    e desanimando meus amigos e amigas.
    E sim passando coragem e dizendo
    lute pela vida..Vale a Pena Viver..
    Um lindo final de Domingo
    beijos no coração ,,Evanir.
    Morre a tristeza nasce a esperança.

    ResponderEliminar
  28. Querida, numa relação em q estão envolvidos váarios sentimentos, necessidades e vontades, é realmente importante q haja mais amizade, carinho e respeio q sexo. Não q ele tenha q faltar ou ser sem sabor.
    Bjs

    ResponderEliminar
  29. Lendo tua resposta Luma não pude deixar d comentar pois concordo q nesse caso realmente não dá. Entendo q numa relação há q se pensar em encaixe, ou seja, as vontades têm q ser a mesma.

    ResponderEliminar
  30. deu uma vontade e curiosidade de ler esse livro.

    nunca vi esse filme, super falado.

    Uma ótima semana para você!!!

    /(,")\\
    ./_\\. Beijossssssssss
    _| |_................

    ResponderEliminar
  31. Luma, o desejo tem que existir sempre. Nem que não seja mais o carnal.
    Mas o desejo de continuar, de ser amigo, companheiro, cúmplice.
    Amigos, amigos, sexo à parte...rsrs
    Não gostei do filme "De olhos bem fechados", achei chatíssimo...
    Boa semana!

    ResponderEliminar
  32. Passando por aqui só pra responder sua perguntinha: a Lu esta em Paraty desde a semana passada por causa da FLIP (até fez um post falando sobre isso)ela deve estar de volta amanhã (eu acho). Eu não pude ir porque estou produzindo o lançamento do Diário das Estações em agosto. Ela está lá, mas não acho que ela goste muito de Oswald de Andrade não. A paixão dela é pelo outro Andrade, o Mário (eu acho).
    beijinhos

    ResponderEliminar
  33. Pois eu fiquei com um questionamento desse tipo quando vi o filme.
    E com oas pequenas perdas diárias, levaram o casal pra acontecimentos tão extremos fora do casamento?
    Falta de diálogo? Rotinização? A tal perda de desejo?
    Muito o que pensar, Luma.
    Excelente post, como sempre!

    Tempos q não venho aqui, mas sempre leio la pelo reader =)

    ResponderEliminar
  34. Acho que perder o desejo, mas quando isso acontecer é porque algo está errado é bom reavaliar tudo

    ResponderEliminar

Tenha identidade, não seja anônimo na web. Crie sua identidade virtual.

...bisbilhotaram em quietude, sem solidão

PlagSpotter - duplicate content checker tool
Licença Creative Commonsget click

Algumas coisas não têm preço


finalista the weblog awards 2005finalista the weblog awards 2006
finalista the weblog awards 2007weblogawards 2008
Verificar conteúdo duplicado

Me leve com você...

Leia o luz no seu celular

Copyright  © 2014 Luz de Luma, yes party! Todos os direitos reservados. Imagens de modelo por Luma Rosa. Publicações licenciadas por Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial- Vedada a criação de obras derivadas 2.5 Brasil License . Cópia somente com autorização.

Tem sempre alguém que não cita a fonte... fingindo ter aquilo que não é seu.

Leia mais para produzir mais!

Atenção com o que levar daqui. Preserve os direitos autorais do editor