Crônicas do Afeto

"Conhecer alguém aqui e ali que pensa e sente como nós, e que embora distante, está perto em espírito, eis o que faz da Terra um jardim habitado"(Goethe)

Hoje o blogue "Crônicas do Afeto" completa dois anos de existência e o Brunno Soares seu editor, convidou blogueiros amigos para participar da festa, postando em seus blogues posts (crônica, texto, foto, poema) relacionados a alguém, uma lembrança ou experiência ligada ao afeto, seja por paixão, amor, amizade ou simpatia.

Como o Brunno é uma pessoa generosa, nos deu de presente um Cronicast - Se não escrevo, não vivo! Baixe aqui.

Lembro que quando era criança e ficava contrariada, me escondia no telhado da minha casa e pensava que ninguém soubesse que eu estava lá. Me sentia bem, olhando tudo lá de cima, sem ter a noção de que o mundo fosse tão grande e depois que resolvia as minhas contrariedades, descia. Até que um dia descobri que todos em casa, sabiam que eu ia para lá. Perdeu a graça! Não fui mais para o telhado e fiquei sem lugar para falar com meus botões.



Nesta época, tinha acabado de perder meu pai e queria poupar a família de aborrecimentos. Não me sentia filha ou irmã. Tinha nascido quando a minha mãe já estava quase na terceira idade - bem rapinha do tacho - e meus irmãos todos criados. Achava mesmo que a minha mãe era a minha avó e os meus irmãos, meus tios. Tinha o mesmo pesadelo repetidas vezes e acordava assustada. Com a perda do meu pai, compreendi o valor da família e a importância de nos mantermos sempre unidos.

Falando um pouquinho da minha mãe: Sei que não é normal uma mulher ter filhos em idade tão avançada, tanto hoje em dia como antigamente, mas a minha mãe sempre fez tudo diferente! Foi a primeira filha a trabalhar fora de casa, a recusar um casamento arranjado para depois, já com seus 35 anos se apaixonar por um homem 15 anos mais novo e brigar com toda a família por causa deste amor. Isto, na década de 60. Estes foram apenas alguns exemplos, ela fez muito mais.

Meus pais foram muitos felizes por quase 25 anos e quando ele se foi, mamãe acumulou responsabilidades e se tornou mais durona. Meus irmãos à época já eram universitários ou entrando no mercado de trabalho. Eu, virei a filhinha da mamãe, mas não cheia de dengos e sim uma sombra dela, seu espelho.

Fazia tudo para não deixá-la aborrecida, por achar que já tinha responsabilidades demais e porque vez ou outra, a observando escondida, via que chorava. O meu maior medo passou a ser o de perder a minha mãe e todas as vezes que ela adoecia, eu pirava. Porém sempre aparecia alguém para dizer "Sua mãe é uma mulher forte, vai enterrar a todos". Eu rogava por isto.

Nestes últimos anos, pouco a vi. Não me desliguei dela, os laços de afeto estão presentes, mas agora temo que não vou tê-la por muito tempo. Ela está hospitalizada e viajo neste feriado para vê-la. Espero voltar com boas notícias, mesmo sabendo que o estado dela é grave.

Me desculpe, Brunno. Usei um dia de comemoração para falar de algo triste, porém de puro afeto!

Este texto não foi revisado e não farei, porque se faço, não publico. Vou deixar o texto abaixo, para que reflitam:

Os pais envelhecem

Talvez a mais rica, forte e profunda experiência da caminhada humana seja a de ter um filho.
Plena de emoções, por vezes angustiantes, ser pai ou mãe é provar os limites que constituem o sal e o mel do ato de amar alguém.
Quando nascem, os filhos comovem por sua fragilidade, seus imensos olhos, sua inocência e graça.
Basta vê-los para que o coração se alargue em riso e cor.
Um sorriso é capaz de abrir as portas de um paraíso.
Eles chegam à nossa vida com promessas de amor incondicional.
Dependem de nosso amor, dos cuidados que temos.
E retribuem com gestos que enternecem.
Mas os anos passam e os filhos crescem.
Escolhem seus próprios caminhos, parceiros e profissões.
Trilham novos rumos, afastam-se da matriz.
O tempo se encarrega da formação de novas famílias.
Os netos nascem.
Envelhecemos.
E, então, algo começa a mudar.
Os filhos já não têm pelos pais aquela atitude de antes.
Parece que agora só os ouvem para fazer críticas, reclamar, apontar falhas.
Já não brilha mais nos olhos deles aquela admiração da infância e isso é uma dor imensa para os pais.
Por mais que disfarcem, todo pai e mãe percebem as mínimas faíscas no olho de um filho.
É quando pais, idosos, dizem para si mesmos:
Que fiz eu? Por que o encanto acabou? Por que meu filho já não me tem como seu herói particular?
Apenas passaram-se alguns anos e parece que foram esquecidos os cuidados e a sabedoria que antes era referência para tudo na vida.
Aos poucos, a atitude dos filhos se torna cada vez mas impertinente.
Praticamente não ouvem mais os conselhos.
A cada dia demonstram mais impaciência.
Acham que os pais têm opiniões superadas, antigas.
Pior é quando implicam com as manias, os hábitos antigos, as velhas músicas.
E tentam fazer os velhos pais se adaptarem aos novos tempos, aos novos costumes.
Quanto mais envelhecem os pais, mais os filhos assumem o controle.
Quando eles estão bem idosos, já não decidem o que querem fazer ou o que desejam comer e beber.
Raramente são ouvidos, quando tentam fazer algo diferente.
Passeios, comida, roupas, médicos - tudo passa a ser decidido pelos filhos.
E, no entanto, os pais estão apenas idosos.
Mas continuam em plena posse da mente.
Por que então desrespeitá-los?
Por que tratá-los como se fossem inúteis ou crianças sem discernimento?
Sim, é o que a maioria dos filhos faz.
Dá ordens aos pais, trata-os como se não tivessem opinião ou capacidade de decisão.
E, no entanto, no fundo daqueles olhos cercados de rugas, há tanto amor.
Naquelas mãos trêmulas, há sempre um gesto que abençoa, acaricia.

* * *
A cada dia que nasce, lembre-se, está mais perto o dia da separação.
Um dia, o velho pai já não estará aqui.
O cheiro familiar da mãe estará ausente.
As roupas favoritas para sempre dobradas sobre a cama, os chinelos em um canto qualquer da casa.
Então, valorize o tempo de agora com os pais idosos.
Paciência com eles quando se recusam a tomar os remédios, quando falam interminavelmente sobre doenças, quando se queixam de tudo.
Abrace-os apenas, enxugue suas lágrimas, ouça suas histórias (mesmo que sejam repetidas) e dê-lhes atenção, afeto...
Acredite: dentro daquele velho coração brotarão todas as flores da esperança e da alegria.

Redação do Momento Espírita.
Disponível no CD Momento Espírita, v.13, ed. Fep.
Publicado em 10.07.2009.

89 comentários :

  1. Oi, Luma!!!
    Creio que você está a caminho da visita que fará a sua mãe. Quero dizer que você me emocionou com seu e-mail, e fiquei com uma vontade absurda de ver minha mãe e meu pai. Pena que não posso, já que moro longe deles. Eles estão em PE, e eu em SP. Coisas da vida...

    O que eu queria é que você soubesse que torço, junto com você, por sua volta trazendo boas notícias.

    Fique bem, sim?!

    Beijos

    ResponderEliminar
  2. Olá...
    Muito lindas suas palavras e com certeza comoventes. Eu dou muito valor aos meus pais. E a minha mãe é tudo pra mim. Meu pai tb, claro, mas como nao tive ele presente é diferente...

    As suas reflexões e esse texto me fizeram refletir sobre isso e uma dor invadiu meu peito ao saber que infelizmente é verdade. Que um dia eles se vão... Isso não devia acontecer.

    Mas vai com fé e entregue nas mãos de Deus. Ele sabe o que faz.

    Aguardamos vc com boas notícias.
    Beijos e boa viagem...

    ResponderEliminar
  3. Lumitcha ! nao estou numa semana boa, estou deprê !! Meu pai iria fazer 69 anos dia 15/04 e dia 23/04 completa 9 anos que ele faleceu.
    Abril é um mes chato pra mim...
    E qdo abro teu blog, me deparo com teu post comovente. Puxa vida, o que falar ?? eu espero que tua mae esteja bem, que Deus acima de tudo , sabe o que faz e espero que tua viagem seja maravilhosa junto de sua mae.
    Minha mae mora comigo, somos parceiras e eu torço pra que seja durante muito tempo....
    Beijocas no seu coração !!! Tô na torcida pela saude de sua mae.

    ResponderEliminar
  4. Oi Luma, vim agradecer sua visita e seu comentário, muito obrigada!
    Acabei conhecendo o seu Blog e adorei seu texto, pais são tudo, não tenho mais mãe aqui, mas ela está comigo sempre e mneu pai é o máximo! Adorei e tudo de muito bom para vc. Ah, virei seguidora, beijos e até a próxima!

    ResponderEliminar
  5. Bueno, espero que tudo corra bem! (e que voltes a subir em telhados...) bjs

    ResponderEliminar
  6. Nossa Luma me emocionei com esse texto, tudo de verdade, de bonito e de triste. Meus pais estão próximos a fazerem 60 anos, mas estão muitos jovens na aparência,trabalham, são independentes e quando não o forem, nem me imagino os tratando como se fossem crianças sem discernimento.

    "Nestes últimos anos, pouco a vi." Uma pena...
    Que Deus abençoe a você e a sua mãe.

    Beijos linda
    Mah

    ResponderEliminar
  7. Luma, desejo que encontre sua mãe bem e volte contente.
    O texto é lindo, diz verdades, mas discordo quando diz que os pais envelhecem mas continuam lúcidos e capazes. Mesmo lúcidos (minha mãe o é, está com 84 anos) perdem, sim, a noção de algumas coisas e é preciso a nossa interferência. Vivo isto, agora eu tomo conta do $$$$ dela, e sabemos onde é gasto. Antes, ela gastava sem que soubesse como, as compras não "batiam" com a presteza com que o dinheiro acabava. É um tema difícil.
    Eu sofreria muito se morasse longe da minha família. Nunca consegui.
    Curta bastante sua mãe e bom feriado pras duas.
    Bj

    ResponderEliminar
  8. Poxa Luma, espero que ela fique bem!
    Estarei aqui em oração por ela e por vc.


    um beijo

    ResponderEliminar
  9. Oi Luma,

    Tenho certeza que o Brunno não vai ficar chateado com você...

    Querida, eu espero que as notícias sejam boas quando você voltar! Sinceramente as palavras se perdem aqui, e o que eu posso deixar é apenas um abraço e a minha oração!

    Suas palavras me emocionaram...

    Beijos minha querida!!^^

    ResponderEliminar
  10. Oi Luma...tudo bem?
    Não conheço o blog do citado amigo, mas prometo dar uma espiada. Ao autor, parabéns!!!
    Enquanto lia a crônica do Momento Espírita, seguia refletindo em cada parágrafo. É tudo verdadeiro. Preocupo-me com os filhos que assim tratam seus pais e também com pais que, por vezes tratam seus filhos com total descaso e desamor. Não é incomum esses fatos lamentáveis.
    Que a ignorância dê lugar ao afeto!
    Bjs...Aline

    ResponderEliminar
  11. Luma, peço desculpas...só depois de comentar, li o restante do post. Espero sinceramente que sua mãe melhore. Assim como você, perdi meu pai e rogo para que minha mãe possa viver bastante.
    Que Deus abençoe toda a sua família!

    ResponderEliminar
  12. Oi querida !! amei a frase do inicio do texto... é isso mesmo, naõ existe jardim sem essas lindas flores que são os amigos.
    bjss

    ResponderEliminar
  13. Querida Luma,
    Que texto lindo, que bonita homenagem a sua mãe este post, nem tenho muito o que dizer, mas parar e pensar. Espero que seu encontro com sua mãe seja feliz, uma bom momento para as duas, que um dia será também uma bela recordação. Tranquilidade, serenidade nessa visita. E já que nao precisa mais de um telhado( eta menina diferente e inteligente!) sinta-se confortavel no coração de cada um de nós, seus fãs e amigos virtuais.
    Um beijo e o carinho da Cam

    ResponderEliminar
  14. Espero que a tua mãe realmente melhore Luma...

    Fique com Deus, menina Luma.
    Um abraço.

    ResponderEliminar
  15. Carissima, quando eu tinha quatorze anos eu perdi uma parte de mim e levei anos para entender parte de minha história. Fiquei meio zangada com o mundo, com as pessoas e me fechei. Então, anos depois voltei pra casa e acabei encontrando um diário e lá na última página tinha uma mensagem linda escrita um dia antes do fatal acidente, a última frase dizia "a eternidade se desenha a partir do outro que não joga fora as lembranças do que fomos". Levou anos para eu chorar, levou anos para eu me permitir dizer até breve. Mas enfim, nada acontece nem antes e tão pouco depois. Então seja como for, desenhe sua forma de eternidade. Beijos e paz em tuo cuore.

    ResponderEliminar
  16. Claro que o Brunno vai compreender, Luma, e mais, vai gostar muito porque seu relato é puro afeto.

    Um beijinho solidário, no desejo de recuperação para sua mãe.

    ResponderEliminar
  17. Ai ... eu não gostei muito dessa frase não: "a cada dia que nasce, lembre-se, está mais perto o dia da separação"! Estive pensando nisso esses dias!! Deu um aperto agora! rs. Bjão e bom feriado.

    ResponderEliminar
  18. OLÁ.

    PARABÉNS PELO SEU BLOG.

    GOSTARIA QUE DESSE UMA OLHADINHA NO NOSSO BLOG E ATENTE PARA AS SEGUINTES MANCHETES:

    * AJUDE VOCÊ TAMBÉM! CAMPANHA "FAÇA SUA DOAÇÃO"

    * PONTO DE CULTURA - CONSTRUINDO O FUTURO

    * MAPA DA VIOLÊNCIA 2010: HOMICÍDIO DE MULHERES NO BRASIL

    * A importância dos exames periódicos para as mulher...

    * Campanha de prevenção à aids foca beneficiárias do Bolsa Família

    OBRIGADA

    ANA SILVIA PASSBERG DE AMORIM
    PRESIDENTE

    EQUIPE DCM DE COMUNICAÇÃO

    ResponderEliminar
  19. Luma,

    Meu pai se foi e eu morava (moro!) longe. Minha mãe enfrentou muitas batalhas e continua a lutar. Meus irmãos envelhecem - como eu - sem o contato cotidiano de uma vez. Me sinto perdido, às vezes, por morar tão longe e ter que pagar o preço pelas minhas escolhas. Assim como um dia minhas meninas alçarão os próprios vôos, como você um dia o fez.

    Vou torcer para que você traga na bagagem notícias boas, que a sua mãe seja tão forte quanto todos dizem e que você encontre um novo telhado.

    Beijocas

    ResponderEliminar
  20. Luma,

    Minha mãe sempre foi minha maior incentivadora e apoiadora. Não sei o que eu seria sem ela.

    Mesmo afastada da sua, imagino a ansiedade e preocupação e envio meus melhores votos de que tudo transcorra bem e que não apenas ela recupere a saúde como este evento ajude a fortalecerem e resgatarem os laços emocionais.

    Abração, viu?

    ResponderEliminar
  21. VAI COM DEUS, que ele esteja com vocês duas.

    ResponderEliminar
  22. Luma, passei apenas para desejar uma boa viagem e dizer que ficarei rezando pela recuperação de sua mãe.

    ResponderEliminar
  23. Luma querida
    Obrigada pelas suas visitas ao meu blog
    Faz tempo que venho passando por aqui mas não consigo deixar um comentário...Não sei o que acontece mas o seu blog não carrega e às vezes o me PC trava.Hoje finalmente consegui e
    fico feliz por isso e já estou te seguindo.
    Quanto à sua mãe, espero que ela se recupere e você volte com boas notícias.
    Um grande beijo
    Yoyo

    ResponderEliminar
  24. Querida Luma, antes de tudo obrigado por fazer parte deste momento que é tão importante para mim.

    Seu texto é belo, é cálido - como eu o defini. Não tenho dúvidas que ele veio da sua alma. Eu me vi bastante nas suas palavras, uma vez q estou de mudança p/ outra cidade e ficarei por um tmpo distante dos meus pais; tudo p/ ir em busca de um sonho.
    Acho que são esses momentos [em que o txto de alguem ganha vida na nossa vida] q testificamos o valor de blogar, o valor de participar, de estar junto.

    Por isso, eu desejo melhoras sinceras para sua querida mãe. Estarei orando por vcs.

    Um grande beijo do fundo do meu coração.

    ResponderEliminar
  25. Música de afeto cantada pelo CocoCoral:
    "Carinho de avó, carinho de avô. Não tem nada melhor, não, não, não"

    bjs virtuais afetuosos

    ResponderEliminar
  26. Esse é um momento onde o afeto fica a flor da pele. É bom quando podemos dispor desse tempo para acompanhar de perto essa situação. Quando minha mãe adoeceu minha vida estava numa bagunça tão grande que pouco pude estar com ela. Até hoje tenho um enorme vazio em meu peito... Sinceramente, espero que voltes com boas notícias. Boa viagem.

    Bjs.

    ResponderEliminar
  27. Luma,

    Senti tanta vontade de te dar um abraço bem apertado agora...

    Você é linda, menina querida.

    Espero notícias abençoadas, viu?

    Beijo imenso.

    Rebeca


    -

    ResponderEliminar
  28. Pelo jeito você teve a quem puxar o jeito maravilhoso de ser =)

    Eu tento pensar que quando as coisas seguem um fluxo normal " os pais, depois os filhos, depois os netos" é uma épecie de benção...por mais triste que seja.

    De qualquer forma,desejo melhoras para sua mãe, que ela ainda tenha muitos dias bons antes de partir.

    Um abraço,

    Lara

    ResponderEliminar
  29. Luma, que bela história de família! Eu também sou a raspa do tacho e também tinha um esconderijo particular: embaixo de uma grande mesa pintada de azul.
    Espero que tudo fique bem com sua mãe.
    Abraço!

    ResponderEliminar
  30. O seu texto: irretocável.
    Do fundo do coração.
    Para o fundo do meu...!

    O texto abaixo do seu (Redação Espírita?): doutrinário, sou avô, e beeem mais elástico em minhas considerações paternais. Não me lamento de atitudes filiais, elas advém de dentro, do centro de mudanças mentais, emocionais espirituais, impossível criticá-las, apenas as recebi, dei umas duras (na boa, calro. ainda dou), e toco o bonde.
    Liberdade, quero-a para mim, tenho-a em mim; desejo o mesmo à você, que a tenha. Sempre.

    ResponderEliminar
  31. Vim agradecer sua visita e me encantei com seu espaço, meus parabéns tudo aqui é SHOW,voltarei com mais tempo para ver tudinho, mas antes vou me tornar seguidora pra não te perder de vista.

    beijooo.

    ResponderEliminar
  32. Partilhou e foi bom. Comovi-me. Sei do que falas, porque a saúde frágil da minha mãe me faz entender-te tão bem! Aquele nó na garganta, chão que treme...
    Que encontres bem a tua mãe. Que te apazigues.
    Beijinho

    ResponderEliminar
  33. Ah, Luminha...
    Vou incluir sua mãe nas minhas orações, para que ela fique boa. Eu li seu ótimo texto com um aperto no coração, pois como você sabe, eu perdi meu pai e minha mãe está velhinha. Bem sei que numa hora dessas, ela vai ficar encantada e ficarei de vez por minha conta nesse mundo. Hoje eu cuido muito mais dela do que ela de mim. Mas gosto de saber que ela está viva e ao meu alcance.
    Penso que você pensa da mesma forma. E viajar para ver a mãezinha em estado grave torna esta viagem insuportavelmente tensa. tomara que você a veja com vida, tomara que ela melhore.
    Querida, não pude atender à sua convocação e convite por estar viajando (maiores explicações no post atual do Antigas Ternuras). Peço que me desculpe.
    Fique bem, Luminha. Que Deus esteja contigo e com ela.
    Carpe Diem. Aproveite o dia e a vida.

    ResponderEliminar
  34. Luma querida, eu me 'debulhei' chorando. Tem dias que a gente fica mais sensível e hoje é um deles. Passei por isso com minha mãe e sei que não falta muito pra chegar a minha vez
    Espero, de coração, que voltes da tua viagem com boas notícias. Vou rezar pra que isto aconteça.
    Bjim, cosquirídia.

    ResponderEliminar
  35. Luma,
    Só hoje consigo postsar esse comentário, ontem., tentei e não entrou. coisas da máquina.

    Espero que sua chegada tenha alegrado o coração de sua mãe e tranquilizado o seu.

    bjos

    ResponderEliminar
  36. Deus e familia sao as unicas coisas q realmente importam nesta vida. Bjs e fik com Deus.

    ResponderEliminar
  37. Muito linda, muito comovente esta sua postagem onde o afeto está em todo lugar, aquele que transborda, que dói, que não é e faz falta... Me comoveu muito, Luma. Espero que sua visita à mãe tenha acontecido com todo o amor, dela e seu. Tomara.

    ResponderEliminar
  38. Luma, que comovente este teu texto, tomara que sua mãe se recupere e que você possa desfrutar de sua companhia ainda por muito tempo. Meus pais já se foram, partiram muito jovens, deixando um vazio que só pode mesmo ser preenchido pela lembrança deles.
    Beijos.

    ResponderEliminar
  39. Luma, querida, gosto muito quando falas um pouco de ti, assim de uma maneira mais intimista. Pena que não seja por um motivo feliz. Pelo menos não por hora, porque tenho certeza de que sua mãe estará melhor e quando voltares a escrever, será nos trazendo boas notícias!
    Beijos!

    ResponderEliminar
  40. Saber que alguém tão especial assim para nós está com a saúde abalada gravemente sempre nos deixa angustiados e tristes. O afeto que nos une a pessoas importantes para nós é algo muito maior que a vida e vai muito além de qualquer medo.

    Aconteça o que acontecer ela sempre estará com você.

    ResponderEliminar
  41. Delicado e intenso. Enfim, acho que os pais são figuras eternas dentro de nós, em nossas lembranças. Mas se despedir deles não é nada fácil. Minha mãe se foi há dois anos e eu ainda a vejo por aqui, me perturbando como de costume por causa de coisas bobas. Brigavamos vez ou outra, coisas de mãe e filho. Ela tinha os antigos hábitos e com a idade foi piorando, não se podia tirar nem mesmo um vaso do lugar que ela reclamava. Mas até disso sinto falta as vezes.
    Enfim, por isso quero mudar de casa, diminuir a intensidade da saudade me fará bem. Grande abraço e que tudo dê certo junto aos seus. Bom fim de semana menina

    ResponderEliminar
  42. pai e mãe, sempre um amor incondicional...luz de luma, cada vez mais brilhante!apareça por lá tb...bjs

    ResponderEliminar
  43. Deixo-te um afetuoso abraço!

    ResponderEliminar
  44. Luma que post lindo! Quanta verdade e sensibilidade pra dividir conosco. Vc com a sua mãe idosa eu com a minha mãe menina que me deixou ainda tão nova. Estava com com 23 e ela com 42 quando foi chamda pelo Pai. De qualquer forma, independente da idade, o mais importante é a relação estreita que temos com esses seres especiais chamdados de MÃE. Que a sua ainda viva com saúde por muito tempo. Que ela se recupere, se for da vontade do Pai, para com o seu olhar aquietar e enternecer toda a família. Ainda bem que tivemos tempo de amadurcer para compreender as nossas mães. Bjs

    ResponderEliminar
  45. Oi Luma!
    Que bom saber um pouco mais sobre sua vida.
    Que história hein?
    Sobre o texto retirado do site Momento Espírita é belíssimo.
    Sempre recebo mensagens desta página.
    São adoráveis.
    Um abraço.

    ResponderEliminar
  46. Oi Luma,
    Espero que esteja tudo tranquilo, que voce esteja bem e que seu encontro com sua mãe esteja sendo bom para as duas. Feliz. Mande noticias quando puder e saiba que estamos aqui te desejando Luz, Paz e Amor.
    Beijos da Cam

    ResponderEliminar
  47. Bonita e sensível declaração de amor, Luma. Desejo do fundo do coração que a tua mãe se recupere. Eu perdi a minha recentemente, em fevereiro, mas ela permanece viva no mundo dos bem-quereres que me aquecem a alma - e aí continuará sempre, como o pai. Creio que, assim como eu, você teve a felicidade de ter uma infância e adolescência recheada de carinho e atenção por parte de seus pais. Assim, está desvendada a origem do teu posicionamento digno e solidário diante da vida, que quem acompanha o Luz pode perceber.
    Fiz um agradecimento pra ti lá na Toca. Quando tiveres um tempinho, confere. (Se quiseres o original do presentinho feito pela Beti Timm, me avisa que eu envio).
    Pra você, assim como à tua mãe, os meus pensamentos mais solidários.
    Receba um beijo com o melhor do meu afeto.

    ResponderEliminar
  48. E querias algo mais? Bruno vai perceber, como todos perceberam pelo teu texto que além de afecto é um amor puro de mãe para filha e de filha para mãe. ADOREIIIIIIIIIII!

    Desejo as rápidas melhoras e que esteja a correr tudo bem.

    Beijos

    ResponderEliminar
  49. Oi Luma!

    Fico aqui de longe na torcida tenha certeza. Desejo melhoras e que você nos traga boas notícias na volta.

    beijos querida, take care.

    ResponderEliminar
  50. Sabe Luna, ainda não falei de minha mãe aqui; um dia o farei e sei que minhas palavras estarão carregadas de carinho e a afeição e o respeito que se nota nas suas.
    Ter esses momentos que vc nos colocou tão carregado de sentimento nos enobrece; por nos fazer sentir o que sentimos ao ler, e por dividir uma parte sua tão amável, e profunda.
    Amar à sua mãe, e à você, não é difícil. Realmente.

    Dois beijos e um abraço.

    ResponderEliminar
  51. Não dá pra ler e não se emocionar.
    Não tenho muito contato com meu pai, então minha mãe sempre fez o papel de "mai", e ela é a coisa mais preciosa que tenho na vida.

    Com certeza trará boas notícias da sua, tenha fé em Deus.
    Um abraço

    ResponderEliminar
  52. Luma minha querida:
    Senti e estou sentindo tudo que você relatou aqui.
    Essa dor, esse medo, não há telhado que nos conforte.
    Eles envelhecem, nós envelhecemos, e o que não pode mesmo haver, é falta de amor, de cumplicidade com eles.
    Não tardará, e nós estaremos assim querendo essa cumplicidade, ese carinho, essa compreensão.
    Que você possa ter paz em eu coração, e que ela possa ser e sentir-se feliz todo os dias.
    Um beijo, e meu carinho.

    ResponderEliminar
  53. Oi Luma tudo bem? Voltei! Seu texto é tão comovente...Ser filha temporão e ter na mãe um espelho, puxa que coisa boa viu! Espelhar alguém tão forte e estar ao lado dela em sua tão merecisda fragilidade é sem dúvida um privilégio.Estava falando hoje sobre a maternidade, o quanto ela nos engrandece e nos deixa em estado de graça por anos a fio,depois de mais alguns,os filhos partem pra seguir seu próprio caminho e aí sabemos que fizemos um bom trabalho. Os preparamos para voarem. Alguns esquecem os pais, outros não.Cada um tem sua história e cada qual seu destino. Desejo de coração que sua mãe não sofra e que você possa levar conforto e quietude ao coração dela. Mpntão de bjs e abraços

    ResponderEliminar
  54. Belissimas palavras Luma

    belo texto !!! Parabens!!

    bjs e boa semana!!

    ResponderEliminar
  55. Olá, Luma..:)

    Humm..texto legal com muitas verdades, acho que não só os pais envelhecem, na verdade,todos envelhecem..:)
    As velhas músicas, eu sou uma das que faço questão de baixar, vasculhar por aí, os ditos "oldies" para que elas=old ladies possam se deleitar ao ouví-las..:lol:
    Agora, o fato dos pais perderem as rédeas, é que o filhos descobrem as suas fragilidade, ou melhor,as falhas vêm à tona,e isto, significa que os filhos cresceram e ficaram mais sapientes..:))

    Melhoras para sua mãe..:)
    Tchauzinho..

    ResponderEliminar
  56. Pôxa, Luma... Acho que você deve mesmo estar passando por momentos difíceis. Já tem muitos dias que não a vemos por aqui, nem no Twitter, nem em parte virtual alguma. Meu coração fica apertado só de pensar no que você possa estar passando. Espero que fique bem, que você tenha paz e serenidade para passar pelo que quer que seja. Reserve-se ao direito da reflexão, única e particular, que todo ser humano merece em tempos difíceis.

    Fique com Deus.

    Um abraço,
    Michelle

    ResponderEliminar
  57. Luma, melhoras para a sua mae.bjs e dias felizes

    ResponderEliminar
  58. Oi Luma,
    Só hoje pude ver o post e quero dizer que estou pedindo a Deus que tudo fique bem. Quando puder nos dê noticias ok?
    Bjs carinhosos
    Márcia

    ResponderEliminar
  59. Parabéns ao Bruno.
    Boa viagem e aproveita bastante o convivio com a tua mãe.
    Beijos.

    ResponderEliminar
  60. não consigo me imaginar sem meus pais..
    temos q aproveitar mto o convívio com eles.
    com minha vóinha tb...amo tanto.

    /(,")\\
    ./_\\. Beijossssssssss
    _| |_................

    ResponderEliminar
  61. o bom relacionamento que tenho com meus pais me permite que o texto do momento espirita [excelente site!] não faça parte da minha realidade; tanto eles quanto eu levamos os dias preparados não para uma "separação", mas para uma pausa nesse laço. Me deram uma criação boa o suficiente para nunca menosprezar o valor que possuem, driblando naturalmente essas diversidades das diferenças de tempo que eles também enfrentaram quando eram apenas filhos. São eles, junto com tudo que nos dão e não se pode ver ou tocar, que realmente levamos da / pra vida.

    ResponderEliminar
  62. faltou um bjão de ótimos dias procê!

    ResponderEliminar
  63. Sabe como terminei de ler? Peguei o telefone, liguei para minha mãe (que vejo todo final de semana) e disse: "Te amo".
    Obrigada por isso! Que sua mãe esteja bem, e você também.
    Um beijo, fique com Deus.

    ResponderEliminar
  64. Oi, Luma
    Nossa mãe é nosso norte , nossa identidade, e quando ela envelhece ou parte ficamos mais frágeis, mais sozinhos.
    Mas, esse é o papel da vida. Os mais velhos irem primeiro.
    Tenha fé que tudo se resolverá, o tempo é, e será sempre a solução de tudo.
    Um forte abraço
    Corpo, escultura do tempo.

    ResponderEliminar
  65. Luma, fiquei emocionada com seu post. Tão lindo, tão sincero. Todos nós temos uma relação muito forte com os pais, mesmo que nem sempre admitamos né?
    Minha mãe para mim também é um grande exemplo.
    Ficou viúva do meu pai quando eu tinha apenas 1 ano,analfabeta, era contratada para trabalhar na lavoura, plantação de café, de feijão e do que mais aparecesse, por sua força e determinação.
    Tudo para nao deixar passar fome seus 6 filhos. Houve muitos pedidos para que ela doasse os filhos, eu e minha outra irmã (eu com 1 ano e a outra com 2). Mas ela se negou. E foi adiante. Nos passou a importancia dos estudos na vida de uma pessoa. Sou a primeira em minha casa com curso superior. Os demais nao se empenharam. Mas vi o brilho nos olhos dela no dia da minha formatura e tento ser uma boa filha como ela é uma boa mãe pra mim! Suas ações me comovem muito e hoje sei que ela é capaz de qualquer coisa para me ver feliz!

    ResponderEliminar
  66. Lindo, emocionante...todo mundo deveria ler esse post...pois quem ainda não é velho um dia vai ser!
    carinho e amor a quem nos deu tanto, é um mínimo, tratar bem então, nem se fala!
    Espero que volte logo e fique tudo bem con vc e sua família.
    Beijo grande!

    ResponderEliminar
  67. Luminha, você esteve aqui pertinho...
    Eu espero que tudo esteja bom com sua mãe e obviamente com você. Sei que não é fácil, principalmente morando longe.
    Que Deus abençoe vocês!
    Beijos! Conte sempre comigo.

    ResponderEliminar
  68. Um dos textos mais lindos e puros que já li aqui.
    Para mim uma lição e um alerta.
    com carinho Monica

    ResponderEliminar
  69. (Luma, tudo está bem? Espero que sim. Fica com Deus.Bj)

    ResponderEliminar
  70. Luma, como está sua mãe?


    bjo

    ResponderEliminar
  71. Luma, vim agradecer, com atraso pq to em periodo de provas, teu carinho e tuas visitas lá na Cozinha COletiva!

    um bjao! :D

    ResponderEliminar
  72. Belas histórias, Luma. A gente sabe que sendo voce quem é, que escreve coisas bacanas, tocantes, deveria ter mesmo - e tem! - muitas histórias para contar.

    Beijoooooooooossssssssss

    ResponderEliminar
  73. Oi, Lumita!

    Muita força nesse momento.

    Beijão querida

    ResponderEliminar
  74. Oi Luma,
    Olhando para esssa borboletinha no seu blog, lembrei da frase do Chico Xavier que diz que estamos nesse casulo para um dia virarmos borboleta. Parte de nossa evoluçao.
    Um beijo amiga, e conte com a gente de forma virtual e real. Se precisar de alguam coisa que seja, avise.
    Beijos da Cam

    ResponderEliminar
  75. Luma,aproveito ao máximo cada momento com minha família,principalmente minha avó.Como Micha escreveu,não me imagino sem minha família(estou chorando).Beijos,desculpe.

    ResponderEliminar
  76. Bom fim de semana minha querida, bjs

    Existe algo misterioso
    no silêncio de seu olhar
    que talvez nunca revele
    pois, a mente feminina
    é um perigoso enigma
    que em vão, os homens
    pretendem desvendar.
    Mas, para quê conhecer
    esse hermético segredo?
    Se nosso grande objetivo
    sempre por nós perseguido
    é encontrar a felicidade
    realizar nossos desejos.
    Então, não faz sentido
    compreender essa paixão!
    O que interessa é o milagre
    que dá sentido nessa religião.
    Ao matar a sede dos corpos
    em seu ato misericordioso
    vai aos poucos libertando
    seus devotos sequiosos
    de um enorme desprazer
    e, mesmo sem entendê-las
    estamos libertos e felizes
    duma existência triste e vazia
    sem o amor de uma mulher!

    Valter Montani

    ResponderEliminar
  77. As mudanças são visiveis, a medida que eles crescem, minimizam ou substimam o conhecimento e a experiencia dos pais.
    Mas chega o momento que o quadro muda, quando eles tb começam a amdurecer, quando a idade começa a chegar pra eles tambem.
    Fiquei muito sensibilizada com o texto.
    Bjs querida e um otimo final de semana

    ResponderEliminar
  78. Bom dia Luma!
    Que bom estar aqui para comentar.
    Fiquei sem saber onde eram os lugares adequados das teclas e isto me deixou meio amarrada em digitar.
    Agora está tudo bem. Acabei de escobrir onde fica a interrogação. Isto não é incrível?

    Bom, afeto é mesmo um bom assunto, para começar o texto.
    E amigos são mesmo uma das coisas mais importantes da nossa vida. E nada como demonstrar afeto num comentário.
    Para resumir, adorei seu texto. Ele é completo.
    Fala de assuntos que às vezes nos recusamos até pensar neles.
    Obrigada por dizer assim, de um jeito especial o que nosso coração esconde.
    Beijos.
    Ammy.

    ResponderEliminar
  79. Que post mais lindo...e que texto mais tocante. Amei mesmo. A mais pura verdade.
    Espero que sua mae melhores, de coracao. Bj gde.

    ResponderEliminar
  80. Oi Luma!

    Espero que esteja tudo bem, estou torcendo,(de longe ainda) mas sempre lembrando.

    Beijo grande querida, take care.

    ResponderEliminar
  81. Luma; Apesar de achar um pouco triste, mas real, amei o post! Se Deus quiser, tudo vai dar certo.
    Perdi minha mãe e finalzinho do ano perdi meu pai e ainda hoje não consigo ir em casa dele sem me sentir triste. Mas é a vida...
    Boa semana! Beijos

    ResponderEliminar
  82. Boa semana para voce amiga. Estou aqui pensando em voce. Torcendo para que o melhor aconteça e que sua querida mãe esteja bem, esteja em paz.
    Beijos da Cam

    ResponderEliminar
  83. Torcendo por ela, Luma! Que muito possa estar com você, ainda. Boa semana, amiga!

    ResponderEliminar
  84. Olá Luma!

    Eu também fui uma filha "tardia"... Compreendo-a bem. Que aconteça o que for melhor para todos!
    Muita Luz e beijos***deFada

    ResponderEliminar
  85. Luma, lindo texto, mas discorde dele em parte. Hoje em dia as mulheres estao pensando em ser maes cada vez mais tarde.

    Sua mae, uma heroína e desejo que você nos traga boas notícias.

    Tb tinha esconderijos, dois: um em cima do telhado como vc e outro embaixo do móvel da cozinha.

    Bjao

    ResponderEliminar
  86. Continuo me emocionando. Penso que nossos pais, além de serem os nossos modelos para formar nossa identidade, e depois criamos a nossa própria variação.
    Muitas vezes queremos ser iguais a eles, outras vezes queremos ser completamemte diferentes, mas a vida é assim.
    Muito boa postagem, meus olhos ficaram marejados, sou um sentimental. Penso em sua mãe, e faço um paralelo com a minha, que criou três homens à partir da pré-adolescência, realmente são guerreiras.

    Um abraço e fica com Deus,

    * Estou te seguindo para não perder o contato.

    ResponderEliminar
  87. Luminha querida!
    Desculpe minha ausência, mas estive fora do ar também, cuidando do corpo e da mente (Spa), mas não poderia deixar algumas poucas linhas de força para que tudo corra bem com sua mãezinha, que ela ainda viva muitos anos e com saúde.
    Pra você, meu abraço amigo.
    beijos

    ResponderEliminar

Tenha identidade, não seja anônimo na web. Crie sua identidade virtual.

...bisbilhotaram em quietude, sem solidão

PlagSpotter - duplicate content checker tool
Licença Creative Commonsget click

Algumas coisas não têm preço


finalista the weblog awards 2005finalista the weblog awards 2006
finalista the weblog awards 2007weblogawards 2008
Verificar conteúdo duplicado

Me leve com você...

Leia o luz no seu celular

Copyright  © 2014 Luz de Luma, yes party! Todos os direitos reservados. Imagens de modelo por Luma Rosa. Publicações licenciadas por Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial- Vedada a criação de obras derivadas 2.5 Brasil License . Cópia somente com autorização.

Tem sempre alguém que não cita a fonte... fingindo ter aquilo que não é seu.

Leia mais para produzir mais!

Atenção com o que levar daqui. Preserve os direitos autorais do editor