Muito prazer pelas conquistas, mas eu quero muito mais!

Em 1949 com a rebelião da subjetividade, passamos uma rasteira no conservadorismo e atravessamos os últimos 60 anos discutindo questões fundamentais para o desenvolvimento social. Na informalidade, nós mulheres conseguimos anteceder teorias sociológicas e lutamos contra a indiscriminação no trabalho, violência doméstica e dupla jornada de trabalho.

Neste meio tempo a mulher saiu do Bunker doméstico atrás de respeito, emprego, salários justos e melhora na qualidade de vida. Com brigas concretas e o estresse da combinação: casa + família + trabalho, lamentamos um país que parece funcionar melhor para eles.

Temos pouca representação no congresso, porque mesmo constituindo 49,8% do eleitorado do país, apenas 24% deste eleitorado votam em mulher – nos tornamos vulneráveis quando não cultivamos nossas lideranças – o mais curioso, mesmo com número reduzido de deputadas e senadoras, temos força política, justo porque as mulheres mais escolarizadas, possuem importante representação nos setores mais progressitas de nossa sociedade.

É isto, rompemos a barreira cultural mas a política, por ser um reduto machista com desequilíbrio de gênero, continua fechada a nossa participação conforme gostaríamos. Participamos da redemocratização, mas não nos oferecem muitas pastas no governo.

Por essa questão, esse desencantamento político, preferimos andar desatreladas das falsas promessas e procuramos realizações na vida privada. Podemos dizer que demos um salto, uma sapatada nas velhas culpas.

Em oposição ao debate bizantino das religiões que governam em paralelo o país; passamos a fazer uso de métodos contraceptivos, mesmo as esterilizações e 80% das mulheres atualmente são favoráveis ao aborto legal atendido pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

O pior de tudo nessa nossa evolução é que a Aids se propaga entre a população feminina - a cada três novos casos, um é na mulher. Crescem também os casos de lesão por esforço repetitivo (LER) e o consumo de antidepressivos, no total de 80% dos casos.

Sabendo administrar a própria vida; a satisfação com o sucesso profissional, repercute no sucesso também da harmonia familiar.

Nos tempos de Chiquinha Gonzaga, ela afirmou: “Mesmo o mais imbecil dos homens considera-se semideus diante de uma mulher”

A cada nova década, essa frase mereceu ser reformulada, porém a mesma opinião as mulheres têm dos imbecis, quando a estes faltam argumentos e respondem com o braço forte do espancamento. A nossa opinião sobre o que é ser um verdadeiro homem, passa longe da força que eles demonstram nos braços.

Se o passado convive com o futuro dentro do processo da afirmação feminina, não podemos nos declarar “vítimas do sistema”, pois isto faz esvaziar todo o discurso de libertação e de sermos donas de nossas vidas. Somos vítimas de nós mesmas quando não revolucionamos, não colocamos em prática nossos pensamentos.

Em contrapartida, o que antes era natural passou por transições. E hoje, homens e mulheres, se perguntam: - O que é ser uma mulher?

E a resposta vem a seguir, quando também nos perguntamos - O que é ser um homem?


imagem

Este post está programado, então desde já parabenizo todas as mulheres pelo dia 08 - Dia Internacional da Mulher - e em especial três mulheres sensíveis, inteligentes, maravilhosas...elas possuem muitos mais adjetivos, que não caberiam aqui. Parabéns pelos aniversários: Beti Timm, Georgia Aegerter e Jaqueline Sales.

Deixo para vocês as palavras de António Lobo Antunes: "Esquecer uma mulher inteligente, custa um número incalculável de mulheres estúpidas"

Continuem únicas! E felicidades!

Feliz dia!!
Beijus,

6 comentários :

  1. Ando de luto... tb pela mulher q ainda virá...
    Bjins

    ResponderEliminar
  2. As muheres são, realmente, seres fascinantes. Mto mais do que nós, os homens. Elas carregam nas costas responsabilidades que não conseguiríamos manter sozinhos. A forma como cuidam da família, do lar, das responsabilidades do trabalho e da própria beleza é impressionante O.o

    Parabéns à mulherada! Deveria existir, pelo menos, uma Semana Internacional da Mulher :)

    Abraços

    ResponderEliminar
  3. Luma, parabéns pelo dia de hoje! És uma grande mulher!
    Um beijo!

    ResponderEliminar
  4. Luma,
    Este post é o melhor de todos os que conheci sobre a data de hoje. Certeiro, oportuno e com a grife da Luma. Não resisti. Entrei pela "janela" e o surrupiei inteirinho para reproduzi-lo na Oficina de Gerencia, com os destaques que a Luz de Luma merece.
    Espero que você não fique brava com este admirador incondicional.
    Receba o meu abraço gigante, pois nele você está representando as muitas mulheres que admiro nesse universo fascinante que é o mundo dos blogs e suas blogueiras (hoje eu nem me refiro aos blogueiros...
    Quando tiver um tempinho dê um clique lá na Oficina de Gerencia e leia as "maldades" que escrevi sobre você.
    Até breve.

    ResponderEliminar
  5. OI QRIDA...POIS É, VC TEM TODA A RAZÃO...BRIGAD VIU...FELIZ DIA DA MULHER...BOA SEMANA...BJÃO

    ResponderEliminar
  6. Luma querida,
    Belo texto!Muito bom mesmo.
    As Marias estão ai com ou sem João, mas o que vale é que todas as Marias juntas fiquem felizes e em paz.

    Beijos no ♥

    ResponderEliminar

Tenha identidade, não seja anônimo na web. Crie sua identidade virtual.

...bisbilhotaram em quietude, sem solidão

PlagSpotter - duplicate content checker tool
Licença Creative Commonsget click

Algumas coisas não têm preço


finalista the weblog awards 2005finalista the weblog awards 2006
finalista the weblog awards 2007weblogawards 2008
Verificar conteúdo duplicado

Me leve com você...

Leia o luz no seu celular

Copyright  © 2014 Luz de Luma, yes party! Todos os direitos reservados. Imagens de modelo por Luma Rosa. Publicações licenciadas por Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial- Vedada a criação de obras derivadas 2.5 Brasil License . Cópia somente com autorização.

Tem sempre alguém que não cita a fonte... fingindo ter aquilo que não é seu.

Leia mais para produzir mais!

Atenção com o que levar daqui. Preserve os direitos autorais do editor