Baleias, o que elas têm a ver com os outros?

Sim, porque dependem dos outros.

Os outros conduzem mal.

Os outros têm falta de civismo.

Os outros são uns inconscientes.

Os outros são uns nabos.

Nós somos os outros para os outros.

Os outros somos todos nós.

Meu amigo José Torres (Xistosa) em ocasião da postagem para arrecadar assinaturas para a criação do Santuário de Baleias aqui no Atlântico Sul, questionou-me se eu sabia o que se passava lá no hemisfério norte, em um país pertencente à união européia.

Como gosto de histórias, vou-lhes contar uma.

Era uma vez as ilhas chamadas Faroe, um território disputadíssimo nos tempos dos Vikings. Naquele tempo Noruega, Islândia e Dinamarca faziam parte de um só reino até ser dissolvido em 1814. As Ilhas de Faroe ficaram com a Dinamarca até 1948, quando passou a ser um território autônomo dentro da própria Dinamarca. Ela possue atualmente duas línguas oficiais e dois representantes dentro do parlamento Dinamarques. Chique, não?

O mar sempre esteve presente na vida dos faroenses, mas nem sempre eles foram ricos, anteriormente eram empregados por ingleses e alemães. As garotas das ilhas, se casavam às pencas com ingleses em verdadeiros tratados de mercantilização. Os ingleses 'pescavam' tanto em águas faroenses que chegou uma época que pensavam que a Grã-Bretanha estava sendo invadida por faroensas (sic).

Faroenses solteiros andavam por todos os cantos; Groenlândia, Islândia e Canadá atrás de grandes aventuras para provar o sangue viking e chamar a atenção das moçoilas. Depois com a autonomia das ilhas e com o subsídio do governo dinamarquês, investiram em barcos e atualmente possuem a maior, a mais moderna e mais bem equipada frota pesqueira do mundo. Suas traineiras são verdadeiras fábricas ambulantes que selecionam, empacotam, congelam e exportam pescados para EUA, Europa e *Brasil*

Os habitantes da ilha possuem padrão de vida altíssimo e mesmo dependendo de tudo que vem do mar, eles não abandonaram um costume antigo, a sangrenta pesca das baleias-piloto.





Trata-se de uma festa anual, onde os rapazes manifestam a sua passagem para a vida adulta, por conta de manter a tradição e a história dos seus antepassados, assim é feito este cruel ritual:

Avistado um cardume de baleias, uma mensagem é enviada por rádio para a comunidade mais próxima para que a caçada seja organizada rapidamente. Os barcos cercam o cardume, que é guiado a uma baía fechada. As baleias são pressionadas a nadar em direção à praia, com remos batidos na água e grandes pedras jogadas que reproduzem sons assustando os animais. Elas encalham na areia e aí inicia-se a tragédia: um longo facão é espetado atrás do seu pescoço que cortam as veias que irrigam o cérebro. Em um minuto a baleia está morta.

No passado, ao avistarem um cardume, a notícia era passada de boca em boca ou por sinais de fumaça ou bandeiras. Quando a matança terminava, comemoravam a coragem dos homens com músicas e danças. Mas no passado, a carne da baleia era o único complemento alimentar de uma economia dependente do continente. Não podiam contar com a agricultura que era limitada ao cultivo de ruibarbo e batata.

Apesar dos seis séculos de ligação com a Dinamarca, os faroenses se mantêm fiéis a seus ancestrais, como os vikings continuam leões no mar e como lá dizem "um homem sem barco é um homem acorrentado. O mar está em nosso sangue"

As imagens acima foram capturadas de cameras de cinegrafistas que em maio de 1984, mostraram através da televisão para muitos países, essa longa pesca em Társhavn, capital das Ilhas Faroe. As imagens mostravam praias repletas de baleias agonizantes em um mar de sangue. Esta cena chocou o mundo e as autoridades introduziram novas regras para que o abate fosse menos doloroso para as baleias. Um comitê foi organizado, criou-se nove distritos para a pesca, em cada distrito eleito um "xerife" e as 21 baías foram regulamentadas. Foi decidido que, se uma vila ou cidade tivessem carne estocada o suficiente, seria proibido caçá-las, ficando as baías regulamentadas para o abate fechadas.

Alguns anos depois, governo faroense fez um estudo mais profundo sobre os hábitos, a reprodução e a estrutura social das baleias-piloto que habitavam o Atlântico Norte, com o objetivo de mostrar ao mundo que não havia risco de extinção.

Deste estudo mais profundo, participaram biólogos franceses, escandinavos, espanhóis e ingleses, durante dois anos. Foram estudados 3488 baleias de quarenta diferentes grupos e as pesquisas indicaram que 100 mil baleias-piloto habitam as águas faroenses. A população pesca entre mil e 2 mil baleias por ano, o que representa até 2% do total. Nos últimos dez anos esse número baixou para a média anual de 1400 animais.

O governo defende-se, argumentando que os estragos são mínimos comparados à matança de animais, poluição e acidentes ecológicos em outros países e que o solo pobre e rochoso das ilhas, não deixa alternativa, sendo a carne e a gordura das baleias as únicas fontes de vitamina A e D.

Como diz a Jaqueline Amorim, a gente passeia entre os blogues e encontramos muitas informações. Ela encontrou informações sobre essa matança das baleias nas ilhas Faroe, mas veja bem, a foto da postagem já indica que a notícia é antiga, datada de maio de 1984, e que à época ecologistas do mundo todo se manifestaram contrários.



A imagem não reporta notícia atual, e daí? Daí que matar baleias, mesmo em número reduzido não é legal, sabem porque? Baleia não é peixe, é mamífero.

"...as baleias são mais parecidas com o homem e demais mamíferos. Ou seja, têm sangue quente, respiram ar pelos pulmões, e dão à luz filhotes bem desenvolvidos, que crescem sendo amamentados por suas mães. O período de gestação é bastante longo e, normalmente, um filhote nasce a cada um ou dois anos, requerendo mais de um ano de cuidados maternais, antes de poder sobreviver sozinho. Esse filhote pode levar muitos anos para atingir a maturidade. Por essas razões, as baleias se recuperam muito lentamente das perdas provocadas durante sua exploração comercial"(Greenpeace)

Como tudo vem em ondas, em ciclos, a União Européia resolveu manifestar-se contra a pesca das baleias, ameaçando não enviar fundos. E as empresas, principalmente as alemãs, deixaram de comprar qualquer outro produto da ilha (Salmão, Haddock...) e de lá do hemisferio norte tem chegado via e-mail uma petição para ser assinada. Eu já assinei!! Assine também!

Baleias não dizem adeus
!

Beijus,

Luma

21 comentários :

  1. Que horror. Já assinei a petição também!

    ResponderEliminar
  2. Luma, vendo as imagens ficamos ainda mais chocados...

    ResponderEliminar
  3. olá minha maiga
    tudo bem com vc
    sabe isso q eles fazem com as baleias é uma atrocidade kd o greenpeace numa hora dessas?
    sabe vc perguntou sobre os tsurus é o pássaro símbolo da paz, a meta é fazer 1000 e mandar para hiroshima
    tem uma reportagem em que apreço na tv sobre isso coloquei no meu post
    beijos

    ResponderEliminar
  4. Destruir florestas, baleias ou destruir a natureza de qualquer modo cruel, exagerado ou desnecessário à própria sobrevivência é desumano e irracional. O homem é lobo do homem e de outros seres vivos em toda parte...

    ResponderEliminar
  5. Chocante, Luma!
    Estou indo assinar a petição.
    Beijo

    ResponderEliminar
  6. Já assinei.
    Era isto que tinha lido e que me referia anteriormente.
    Mas aqui tem todos os pequenos-grandes pormenores.

    Não lhe dou os parabéns, porque já nos habituou a alta qualidade em tudo o que faz.
    Na parte que me toca, UM MUITO OBRIGADO, Luma!

    ResponderEliminar
  7. Oi Luma,
    querida ja assinei a petiçao,
    mais um dos grandes horrores do mundo.
    Luma por favor va visitar o blog
    da minha filha e veja se é possivel vc dar uma ajuda divulgando no seu blog.
    http:edilenemora.blogspot.com
    Obrigada.
    Bjussssssssss

    ResponderEliminar
  8. Boa tarde minha querida Luma!

    Nossa estou até meio tonta de ver tanto horror.
    Como o homem pode gostar disso?
    Já assinei a petição.
    Luma brigada pela dica que deixou lá em casa, adorei.
    Beijos e tenha um semana bem gostosa.
    Rô!

    ResponderEliminar
  9. Luma o homem vai destruindo, matando tudo que pode , nós também temos a nossa farra do boi que difere muito das matanças das baleias e os rodeios então .

    VoCê sabia que Rita Lee , foi literalmente ameaçada quando começou a fazer uma campanha contra rodeios ....

    Ou seja nós somos tão assassinos quanto eles .

    bjs

    ResponderEliminar
  10. Luma... é muito triste... as imagens são chocantes...o sofrimento dos animais... e a crueldade dos homens!
    ...
    :(

    ResponderEliminar
  11. Oi Luma, voltou a funcionar, que bom. Bem, só vou comemorar quando eu ver que o comentário foi aprovado.
    Estou um pouco quieta hoje, deve ser saudade - mas confesso que ao ver o seu post com essas imagens, fico me perguntando o real significado da palavra "humanidade" porque não combina com pessoas na maioria das vezes. Porque um animal não faria o que humanos fazem por diversão ou apenas por tradição. Sei lá, isso me incomoda tanto, mas há pessoas que são indiferentes a tudo isso. Como é possível ser indiferente?
    Lembro que quando estudava psicologia, a professora disse, o primeiro passo é sempre difícil, depois é só continuar andando "walk way".
    Abraços meus caríssima.

    ResponderEliminar
  12. Isto é assassinato!!!
    Já assinei...
    Bjo

    ResponderEliminar
  13. Oi, Luma, obrigada pela visita.
    Fiquei chocada com a sua postagem, e estou indo assinar a petição.
    Quanto ao meu post sobre os cães, eu moro em São Paulo, e, sim, nós temos Associações, Organizações, ONGs de Defesa e Proteção aos Animais. Mas temos mais ainda cães e gatos abandonados, e os protetores - todos! - estão com a sua capacidade de alojamento esgotada. Eu sou voluntária e "cachorreira", não me intitulo protetora porque o que posso fazer, infelizmente é muito pouco perto de pessoas que dedicam praticamente toda a sua vida a essa causa. Quem me passou essa informação, essa denúncia, é uma mulher simples, mas tremendamente boa e dedicada aos animais, que já faz muito mais do que a sua situação permite. Ela não tem vaga para mais esses dois, nem eu, então o que fazemos é correr contra o tempo e divulgar o máximo que podemos essas notícias, na esperança de encontrar um lar para eles.
    A gente denuncia, mas infelizmente no nosso país a defesa dos animais é "coisa para desocupados, um luxo que não podemos ter", como já ouvi tantas vezes, e essas denúncias não são levadas à sério. Quando chegam até a mídia (o que acontece com uma entre milhares de denúncias, e mais ainda de situações semelhantes), como no caso do cachorro espancado em Brasilia, o criminoso paga R$2.000,00 de multa - da qual ainda pode recorrer - e sai livre, e, como o próprio Ibama reconheceu, ele deve apenas prestar serviços comunitários ou doar algumas cestas básicas ao invés de pegar 1 ano de cadeia como está previsto na lei.
    No caso das pessoas que abandonaram esses dois cães na zona leste, eles nem teriam dinheiro para pagar a multa, haja visto a casa onde moravam. Resta apenas a dedicação dos protetores, e a esperança de conseguir salvar tantos quantos pudermos.
    De qualquer maneira, agradeço mais uma vez a sua visita, e se vc puder nos ajudar divulgando não só esse, mas inúmeros casos que colocamos na internet todos os dias, já será uma grande ajuda.
    Grande abraço!

    PS: Ah! Adorei seu blog! Vou virar frequentadora!

    ResponderEliminar
  14. Oi Luma... Sabia que somente você saberia dar o recado como ninguém... Excelente artigo de exclarecimento contra a matança de baleias... Que nós consigamos acabar com esta barbárie! Atrocidades assim me chocam...

    ResponderEliminar
  15. denise17:19

    Luma, a propósito, ativistas do Greenpeace estão presos por interceptar uma caixa de carne de baleia para usá-la como evidência de um crime de sonegação de impostos. Essa fraude envolve os responsáveis pelo programa de caça do Pacífico Sul.

    Junichi e Taru estão presos por pegar esse material e entregar à promotoria de Toquio, que concordou que a caixa seria evidência suficiente para alegar
    que tratava-se de um crime.

    As investigações ainda não foram concluídas, mas os ativistas estão presos. O Greenpeace luta para proteger as baleias e isso não é crime! Participe
    da cyberação para pedir que os ativistas sejam libertados
    imediatamente!
    http://www.greenpeace.org.br/participe/ciberativista_assina_ciber.php?cyber=3&codigo=116
    beijo, menina

    ResponderEliminar
  16. Oi, Luma!

    O que dói no meu coração é que o homem, com tanto discurso bonito, não aprendeu a respeitar aqueles que (julga) não pensam, não sentem.

    Vivo com uma frase na cabeça, que atribuem a Leonardo da Vinci: "Chegará o dia em que todo homem conhecerá o íntimo de um animal. E neste dia, todo o crime contra o animal será um crime contra a humanidade."

    Não sei o que passa no interior de certas cabeças, para agir com tanta brutalidade contra um ser que não faz além de embelezar a vida, o ambiente. Tenho pena, tenho raiva, tenho ganas de fazer com eles o que eles fazem com os animais. O problema é que, agindo assim, estaria no mesmo nível dessas bestas - porque gente não são.

    Já assinei a petição. Infelizmente ainda dependemos de petições para tentar arrumar o mundo em que vivemos.

    Abraço fraterno,

    MÔnika - Leitora de Blog

    ResponderEliminar
  17. Querida Luma, que coisa mais triste... Isso me faz sentir vergonha do ser humano, que às vezes me parece uma fera indomada pelo coração...

    Beijos.
    P.S.: já assinei a petição!

    ResponderEliminar
  18. Ai!!! Desculpe, Luma! Mas quando vi a primeira foto das baleias, não consegui ler mais nada... muito triste!

    ResponderEliminar
  19. Olá Luma!

    Ao ler este artigo, já vinha com algum conhecimento desta história. Mas deixe-me realçar a forma de como Você exprime e divulga os seus conhecimentos, denota-se que Você investiga a fundo sobre os assuntos, e dá o melhor que sabe aos seus leitores.

    Um artigo, impossível de deixar impávido e sereno qualquer ser humano, afinal estão em causas outros seres nossos irmãos, que de amor e respeito pela humanidade estão muito avançados sobre o conhecimento que o homem quer ter... falo dos golfinhos, das baleias, e do mundo animal.

    Sempre me conheci rodeado de animais, e quando estou algum momento sem eles, a alma fica mais vazia, falta aquela energia e ternura que cuida de nós incondicionalmente.

    ResponderEliminar
  20. podia passa um furacao e tsunami nesse luga ja que tem muita 7 bilhões de ser humano... esse dai nao vai fazer falta no mundo....

    ResponderEliminar
  21. meus deus como faco p asinar gente isso e um absurdo covardia bando de ignorantes la nao tem leis nao isso deveria ser proibido to revoltada aki com tanta covardia

    ResponderEliminar

Tenha identidade, não seja anônimo na web. Crie sua identidade virtual.

...bisbilhotaram em quietude, sem solidão

PlagSpotter - duplicate content checker tool
Licença Creative Commonsget click

Algumas coisas não têm preço


finalista the weblog awards 2005finalista the weblog awards 2006
finalista the weblog awards 2007weblogawards 2008
Verificar conteúdo duplicado

Me leve com você...

Leia o luz no seu celular

Copyright  © 2014 Luz de Luma, yes party! Todos os direitos reservados. Imagens de modelo por Luma Rosa. Publicações licenciadas por Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial- Vedada a criação de obras derivadas 2.5 Brasil License . Cópia somente com autorização.

Tem sempre alguém que não cita a fonte... fingindo ter aquilo que não é seu.

Leia mais para produzir mais!

Atenção com o que levar daqui. Preserve os direitos autorais do editor