No era dos Jetsons



O Brasil, recentemente, conquistou duas medalhas de ouro em uma modalidade muito pouco conhecida para a maior parte da população. Não. Não foi durante o PAN ou o Parapan. Nem em esportes poucos divulgados por aí, como cricket ou bocha. As medalhas vieram das vitórias nas categorias Lightweight (peso leve) e Middleweight (peso médio), no combate de robôs da Olimpíada Internacional de Robótica - a maior competição mundial do gênero, realizada em São Francisco (EUA).

O brasileiro Touro, compacto e altamente resistente, foi capaz de suportar os enormes impactos de seus adversários e lançá-los a mais de um metro de altura. Com um tambor que gira em altíssima velocidade que causa dano duplo nos adversários; o impacto da pancada e a queda decorrente dela.

E a responsabilidade desta vitória foi da Riobotz, equipe de alunos ligados ao laboratório de robótica da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC - Rio) e coordenados pelo professor Marco Antonio Meggiolaro, que em entrevista nos deu a perspectiva de como essa equipe vem desenvolvendo projetos de robôs desde 2003 e colecionando grandes conquistas ao longo destes anos "A criação dos robôs é importante porque além de ser um profundo estudo de engenharia, é a primeira experiência prática do aluno. Boa parte dos alunos participam do laboratório mesmo sem valer créditos. É um grande estímulo poder estar próximo do que há de mais avançado em tecnologia".

Porém, por mais estranho, barulhento e brutal que possa parecer - a arena onde os combates ocorrem é fechada com vidro à prova de balas pra resistir aos impactos que chegam facilmente a algumas toneladas - a pesquisa e dedicação dos alunos produzem resultados muito mais importantes que um monte de fumaça e estruturas metálicas retorcidas.

Os estudos desenvolvidos para a construção destas máquinas demandam conhecimentos relacionados não só à engenharia robótica, mas a diversas modalidades, com a eletrôncia, a elétrica, a mecânica, além da física e da computação. A "brincadeira" é, na verdade, a concretização do que se testa em laboratório, onde se põe em prática tecnologias como manipuladores robóticos de alta performance: manipuladores elétricos, pneumáticos e hidráulicos; robôs móveis autônomos; controle de tração, estabilidade, auto-localização, mapeamento e planejamento; desenvolvimento de músculos artificiais, etc.

Tanto potencial acabou extrapolando os limites da universidade e das arenas de combate. A equipe hoje está desenvolvendo robôs para realizar inspeções nas instalações da Eletronuclear, em Angra dos Reis, "Estamos projetando dois robôs - Um para inspecionar o interior dos tubos de coleta de água para o resfriamento da usina e outro para inspecionar a tampa do vão do reator. E para isso são usados os mesmos materiais e tecnologia aplicados aos robôs de combate. Ou seja, tecnologias utilizadas na Nasa e materiais de tanques de guerra", nos conta o professor Marco Antônio.

Próximos eventos: RoboGames (12 à 15 de junho) e RoboCore - Winter Challenge 4 (26 e 27 de Julho)

Este é o Brasil que muita gente não vê!

Este texto faz parte do projeto Blogueiro Repórter, idealizado por Edney Souza, contribuindo na categoria Internet/Tecnologia.

Gostou? Leia as demais postagens e vote aqui ou no botãozinho laranja abaixo.

Obrigada,
Luma

2 comentários :

  1. Sempre voando alto com novas descobertas. Anda navegando por muitos lugares e descobrimentos novos horizontes. Não te esqueço e te acompanho sempre. Sei que é difícil responder a todos... também tenho dificuldades para isso. Passei para desejar-te: Feliz dia das mães, embora com atraso.
    Beijos!

    ResponderEliminar
  2. Nossa, que legal! Eu nunca imaginei que na PUC-Rio estivessem desenvolvendo algo assim tão avançado.
    bjo!

    ResponderEliminar

Tenha identidade, não seja anônimo na web. Crie sua identidade virtual.

...bisbilhotaram em quietude, sem solidão

PlagSpotter - duplicate content checker tool
Licença Creative Commonsget click

Algumas coisas não têm preço


finalista the weblog awards 2005finalista the weblog awards 2006
finalista the weblog awards 2007weblogawards 2008
Verificar conteúdo duplicado

Me leve com você...

Leia o luz no seu celular

Copyright  © 2014 Luz de Luma, yes party! Todos os direitos reservados. Imagens de modelo por Luma Rosa. Publicações licenciadas por Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial- Vedada a criação de obras derivadas 2.5 Brasil License . Cópia somente com autorização.

Tem sempre alguém que não cita a fonte... fingindo ter aquilo que não é seu.

Leia mais para produzir mais!

Atenção com o que levar daqui. Preserve os direitos autorais do editor