mass communication

12 comentários :

  1. Luma, uma verdadeira aula o seu post!
    Eu amo a internet.;)

    ResponderEliminar
  2. Oi!!!

    Não só a porta difícil, mas a pimenta da relação..rsrs..muito boa. O mais legal da porta é ela ser um link pro seu blog. Bom, ele inteiro é jóia...gosto demais e adorei te ver lá na Caixa.

    Apareça sempre, ok.

    Grande beijo.

    ResponderEliminar
  3. Luma
    Desculpa, mas depois desta aula maravilhosa tive que dar muita risada da coitada com o buquê de salsa na boca.
    Bjim.

    ResponderEliminar
  4. É Luma, muito de seu post vai de encontro ao problema dos analfabetos funcionais que retratei na blogagem do analfabetismo.
    Volto a dizer, para mudar a educação uma das coisas necessárias é mudar a legislação educacional no País, entre outras coisas.

    Seu post realmente foi uma verdadeira aula!!! :o)

    Beijos!!

    ResponderEliminar
  5. Bom dia Luma, eu gosto de apreciar a humanidade e ver o quanto somos limitados. Ontem, durante um jantar, discutíamos questão de costumes locais.
    Servi comida italiana (polenta verde e branca) e de repente todos eram italianos e ouvi as mais diferentes histórias sobre polenta. Falou-se muito da Itália, pareciam que todos queriam mostrar pra mim que sabiam muitas coisas do meu país de origem, detalhou-se os costumes, as tradições, as músicas. Tudo foi motivo para comentário.
    Ninguém falou do próprio país, pareciam analfabetos com relação a sua língua, sua cultura, sua literatura.
    E o interessante era o olhar de surpresa quando eu falava de Mário de Andrade e sua importância para o cenário literário. O mais absurdo era quando percebiam a ausência de sotaque italiano e a facilidade (disfarçada) para com a língua portuguesa.
    Tudo que vem de fora é bom e tem qualidades, o que cá está é simplesmente ignorado e há tanto por aqui.
    Bem, tenha um bom dia - por aqui chuva fina e nuvens num céu de quase maio. Estamos vivenciando o outono...

    Ps. Já li o post da Madalena sobre Keats. Grazie pela dica.

    ResponderEliminar
  6. Olá Luma,

    Vim despretensiosamente agradecer a visita em minha página e acabei me fascinando pelo teu blog! Um lugar gostoso de passear, textos bons de ler e palavras acertadas no alvo. Parabéns pelo teu talento Luma, é sempre uma surpresa conhecer espaços como este na Internet.

    Seria para mim um prazer tê-la linkada ao "Cartas trazidas pelo vento", será que eu poderia?

    Um feriado maravilhoso prá ti.
    Bárbara

    ResponderEliminar
  7. Nossa... muito dez o texto....
    Vou ler ele mais algumas vezes...rsss...
    Tenho prova de pedagogia e comunicaçao... vou estudar aqui...

    Beijinhos
    Gi, Roma

    ResponderEliminar
  8. verdade....
    vamos nos linkar? :}

    ResponderEliminar
  9. Você aborda tantas questões neste post, Luma, que nem sei o que posso comentar.

    Há, parece-me, um estranho malentendimento, como você menciona, no 4º poder. O que faz a notícia? Quem faz a notícia? É o populismo do povo que deve ser refletido, a vontade de ver as coisas mais surreais para se distrair, ou a verdade das coisas deve ser espelhada, ao mesmo tempo que se deve almejar a melhora do mundo e das situações? Acho que é sobre isto que se deve assentar a análise e o estudo atual do jornalismo. Aonde ele vai assim?

    Depois, lendo o seu texto, lembrei-me de Maturana, um estudioso da comunicação que diz algo como "eu não sou nada responsável pelo que você ouve de mim, mas sou totalmente responsável pelo que eu digo" (a frase não é bem essa, mas é quase...). Acho que por vezes, a comunicação falha exatamente ou porque achamo-nos responsáveis por tudo e não damos qualquer responsabilidade ao outro, ou porque não nos responsabilizamos por nada, quando a coisa é no meio termo.

    Bem, um post tão bom teria muito mais a comentar, mas acho que ficarei por aqui ;)

    ResponderEliminar
  10. Adoro ler suas matérias, mas também vou ler mais de uma vez para poder degustar melhor toda a rica informação que há nela.
    No final me lembrei de uma secretária que mamãe tinha lá em casa, tal como a sua caro custou para ele entender.
    Mais ou menos assim::-
    Todo terça tinha feira livre bem em frente de minha casa, Luiza era o nome dela, fazia a feira, gostamos muito de frutas então toda terça era aquela montanha de frutas. Quando mamãe chegava à tarde do trabalho, Luiza vinha com a perginta::-
    Dona Enilde advinha que frutas eu comprei, começa com "B"?
    E mamãe respondia::-
    Banana, Luiza!
    Não Dona Enilde, bacaxi e bacate...
    Foram meses para ela conseguir entender.

    Querida Luma prazer em receber sua visita, estava com saudades!

    Venho sempre por aqui, para ficar por dentro de tudo que você escreve.
    Beijos e fique com Deus, tenha um final de semana prolongado muito gostoso, apesar de não gostar muito de tantos feriados...

    Rô!

    ResponderEliminar
  11. Luma,bom bom feriado...Abraços!!!

    ResponderEliminar
  12. LUMA
    Tenho no Silêncio Culpado um prémio para ti, neste 1º.de Maio em que se comemora a luta dos trabalhadores. Este prémio, o prémio da liberdade florida, decidi reparti-lo com as mulheres que me visitam e que lutam pela justiça, pela dignidade e pelo direito à diferença.
    Mulheres que constroem, sofrem e amam mas que são, acima de tudo, mulheres inteiras que "pedalam" a dobrar num mundo competitivo ainda dominado pelos homens.
    Abraço

    ResponderEliminar

Tenha identidade, não seja anônimo na web. Crie sua identidade virtual.

...bisbilhotaram em quietude, sem solidão

PlagSpotter - duplicate content checker tool
Licença Creative Commonsget click

Algumas coisas não têm preço


finalista the weblog awards 2005finalista the weblog awards 2006
finalista the weblog awards 2007weblogawards 2008
Verificar conteúdo duplicado

Me leve com você...

Leia o luz no seu celular

Copyright  © 2014 Luz de Luma, yes party! Todos os direitos reservados. Imagens de modelo por Luma Rosa. Publicações licenciadas por Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial- Vedada a criação de obras derivadas 2.5 Brasil License . Cópia somente com autorização.

Tem sempre alguém que não cita a fonte... fingindo ter aquilo que não é seu.

Leia mais para produzir mais!

Atenção com o que levar daqui. Preserve os direitos autorais do editor