Enquanto escovava os dentes, brinquei demais.


Agora vamos ao que interessa.


Notei durante essa semana que muitos de vocês estavam sem tempo para postar, eu que o diga. 

Houve o feriado que, para muitos é bom (pra mim também é) mas olhando por outro prisma, feriado é bom só pra quem é empregado, porque para o patrão...bem, não vou entrar agora no mérito da questão. Se Andam sem tempo para atualizar seus blogues ou mesmo irão de férias. Ou vão ficar o dia longe da máquina, não se desesperem! Foi criado um serviço online de "babás" para blogues. 

Basta passar por Blogsitter, fazer inscrição e colocar anúncio.

Mesmo assim, se todo o estresse da semana ainda não se esgotou, relaxem! 

*Perceberam como Nick Drake, mesmo que tenha morrido a mais de 30 anos se mantém atual? A nova propaganda do Cabrio tem essa música como pano de fundo.

A nostalgia se instala principalmente quando lembro do amolador de facas. Não se assustem! Era esse o barulho que eu escutava antes que qualquer novilho fosse para o abate. Depois toda a carne era separada e os empregados a passavam para o tacho e com sua própria gordura, refogavam até que ela ficavasse semi-pronta, a partir daí, a carne era armazenada em grandes latas.

Antigamente nas fazendas, não existiam freezers. Ou mesmo luz elétrica. Quando caia o sol o gerador era ligado. As leituras noturnas não eram indicadas e o bom mesmo era sentar em roda e proseá.

Eu sempre gostei da roça, era assim que passava as minhas férias escolares e é assim que faço toda vez que posso. É muito bom começar o dia, colocando uma galocha e correndo para o curral. Tomar leite espumado e aquecido naturalmente.

A refeição na fazenda sempre foi um evento, mas a minha mãe nunca gostou que frequentássemos a cozinha. Mal sabe ela das minhas escapadas com a desculpa de buscar um doce.

Só fui aprender a cozinhar quando sai de casa.

Este texto faz parte da postagem coletiva by Micha e o tema é Culinária! O tema foi sugerido por San e quem quiser aderir à idéia basta postar e enviar o link para a Michelle. Mas conte tudo! se gosta ou não. Como você se sai na cozinha: manda bem ou é um tremendo fracasso? Gosta de cozinhar ou cozinha só por obrigação? Inventa pratos complexos ou só arrisca um miojo ou ovo frito? O que mais gosta de fazer? E o que mais detesta? Por que? E o que não poderia faltar, uma receita.

Eu não sabia fazer nem arroz. Aprendi com um primo. Espaguete? Quando perguntei como fazia, me disseram que era tão fácil de fazer como arroz. Fiz como arroz e achei demais ter que refogar a massa "Ora! por isso que a panela de massa tem que ser grande!" Ralei muito. Por isso acho que todos devem aprender desde cedo. Mamãe errou feio nessa!

Minha mãe nunca gostou de cozinhar e sempre teve ótimo tempero. Todos gostavam quando ela ia para a cozinha. Para desespero dela, meus irmãos adoram um cozinha. Eu não cozinho por falta de tempo. Pra mim é passatempo com amigos. Prazer! Gosto de inventar e testar receitas. Fiquem tranquilos, aprendi a cozinhar!

Essa é a primeira vez que vou colocar uma receita aqui, colocarei uma fácil para que, aqueles sem prática possam testá-la. Como o tema é fazenda, vou dar uma receita mineira, fugindo do tradicional feijão tropeiro. Aproveitem a chegada da frente fria!


MANECO COM JALECO

500g de costelinha ou carne magra de porco, cortada em pedaços
4 dentes de alho picados
1/2 cebola picada
2 colheres (sopa) de salsinha picada
4 cebolinhas verdes picadas
4 colheres (sopa) de óleo
4 tiras de toucinho defumado picado
1 tomate picado
1 pimentão verde picado
1/2 litro de caldo de carne
10 folhas de couve rasgadas
2 colheres (sopa) de fubá
2 colheres (sopa) de vinagre
1/4 de xícara (chá) de suco de laranja
sal e pimenta malagueta a gosto

Tempere a carne com alho, vinagre, cebola, salsinha, cebolinha e sal. (Gosto de temperar um dia antes). Aqueça o óleo numa panela e refogue a carne. Quando estiver quase frita, adicione as tiras de toucinho. Deixe dourar. Depois acrescente uma xícara (chá) de água.
Junte à carne o suco de laranja, tomate e o pimentão.

Numa outra panela dissolva o caldo de carne e deixe ferver por cinco minutos, em seguida junte à carne de porco. Quando levantar fervura, adicione a couve rasgada e o fubá, despejando lentamente.
Deixe cozinhar beeeemm. Tempere com pimenta e sirva.

A receita a seguir, não tem nada à ver com Sericaia ou Sericá, um doce português do Alentejo. Essa receita é mineira, messsssmo uai! Boa para aproveitar o pãozinho dormido.

SIRICAIA
1/2 queijo minas cortado em fatiassss
5 ovos
1 bisnaga grande, de preferência amanhecida e cortada em fatias
manteiga
1 litro de leite
2 xícaras ou 400g de açúcar
canela em pó

Passe uma camada de manteiga nas fatias de pão e coloque-as, uma rente à outra, em um pirex untado. Sobre cada fatia coloque uma fatia de queijo. Bata no liquidificador os ovos, açúcar, canela e o leite. Deite lentamente sobre o pão com queijo, a fim de ficarem completamente embebidos por igual. Leveao forno quente para corar. Sirva em seguida. Essa é a receita tradicional e básica.

Photobucket - Video and Image Hosting

O que é que a gente leva dessa vida?
Alguém falou e não me lembro quem;
Que é o que se come,
O que se bebe,
O que se canta e
O que se ri!

Bom fim de semana!!
Aproveitem!
"A vida escorre lentamente"

0 comentários :

Enviar um comentário

Tenha identidade, não seja anônimo na web. Crie sua identidade virtual.

...bisbilhotaram em quietude, sem solidão

PlagSpotter - duplicate content checker tool
Licença Creative Commonsget click

Algumas coisas não têm preço


finalista the weblog awards 2005finalista the weblog awards 2006
finalista the weblog awards 2007weblogawards 2008
Verificar conteúdo duplicado

Me leve com você...

Leia o luz no seu celular

Copyright  © 2014 Luz de Luma, yes party! Todos os direitos reservados. Imagens de modelo por Luma Rosa. Publicações licenciadas por Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial- Vedada a criação de obras derivadas 2.5 Brasil License . Cópia somente com autorização.

Tem sempre alguém que não cita a fonte... fingindo ter aquilo que não é seu.

Leia mais para produzir mais!

Atenção com o que levar daqui. Preserve os direitos autorais do editor