Permitida a entrada de meninos e meninas

O Ministério da Saúde adverte :
Não se distraia vendo TV, pois pode ser prejudicial a sua Saúde !!!!

Sempre que sobra um tempinho em casa, costumo organizar os armários. Até já fui surpreendida com uma pergunta bastante afirmativa - Você gosta de arrumar gavetas?! - Gosto de arrumar porque sei onde encontrar e encontro até no escuro, se precisar. Mas as estantes são um caso à parte, ali me perco e esqueço do mundo e do tempo. Ainda mais quando encontro as minhas coleções de HQ. 


Gosto muito dos quadrinhos mas não compro mais. Quando posso, relei os antigos. Hoje mesmo passei na banca de revistas pra saber o que anda acontecendo. E por esses dias de Copa, tenho lembrado muito da "Turma da Luluzinha" talvez por causa dos combatidos "Clubes do Bolinha" e querendo saber como surgiu o famigerado. Chegando em casa queria saber como um personagem pode adquirir fama mundial.

O raríssimo painel da personagem "Little Lulu" (ou Luluzinha, como é mais conhecida no Brasil), foi criado pela cartunista Marjorie Henderson Buell e arrematado em leilão por Maggie Thompson, editora do Comics Buyer's Guide. A peça é uma gag(piada curta e rápida) de um só quadro que marcou a estréia da Lulu, em 1935, no jornal Saturday Evening Post.



Em 1934, Marge Buell era a única mulher no ramo e criou todo o elenco que acompanharia a garotinha nas HQs. No início, as gag tinham apenas um painel, sem continuidade ou grande desenvolvimento de personagem, e quase sempre aparecia apenas Luluzinha.



A fama da garota cresceu e ela virou garota propaganda dos lenços de papéis Kleenex por mais de uma década. Marge desenhou pessoalmente as tiras de jornal até 1947, a partir deste ano, foi sucedida por outros artistas, que sempre seguiram o estilo da autora.Em 1945 foram lançados os Gibis e Marge não os desenhava, apenas supervisionava. A responsabilidade coube a John Stanley até 1960.



Depois disso o trabalho foi passado para Irv Tripp, que desenvolveu um traço mais "fofinho" para os personagens - que permanece até hoje. No Brasil "Luluzinha" chegou em 1960 e desapareceram sem muito alarde nos anos 80. Não se sabe ao certo porque eles acabaram; Se já haviam sido publicados todos os originais da dupla Stanley e Tripp ou se os leitores, nesta época, já haviam trocado Lulu pela Mônica.

Saudades de Lulu Moppet, Bolinha (Tubby), Glória, Alvinho (Alvin), Aninha (Annie), Plínio Raposo (Wilber von Snobble) e Carequinha.

O auge do sucesso no Brasil, foi atingido com uma música da Jovem Guarda dedicada à personagem, chamada de "Festa do Bolinha", na qual se cantava sobre os personagens da turma.


Eu ontem fui a festa,
Na casa do Bolinha.
Confesso: não gostei
Dos modos da Glorinha
Muito assanhada,
Nunca vi igual,
Trocava mil beijocas com Raposo no quintal

Porém pouco durou
Aquela paixão,
Pois Bolinha com ciúmes
Armou a confusão
Aninha tropeçou
Os copos derrubou
E a casa do Bolinha num inferno se tornou

Bolinha provou,
Que é ciumento pra chuchu
E... que não gosta da Lulu
Bobinha,
Que por ele ainda chora...
Com tanto pão
Dando bola no salão
Luluzinha foi gostar
Logo de um bolão!!!

Lulu, uma personagem do papel que se tornou tão famosa quanto algumas mulheres que existiram realmente.
Lulu, foi apenas uma personagem, mas existiram outras que influenciaram gerações:
E vocês sabem porque um personagem pode adquirir fama mundial? Sabem me dizer porque algumas pessoas reais podem criar fama de um personagem?

0 comentários :

Enviar um comentário

Tenha identidade, não seja anônimo na web. Crie sua identidade virtual.

...bisbilhotaram em quietude, sem solidão

PlagSpotter - duplicate content checker tool
Licença Creative Commonsget click

Algumas coisas não têm preço


finalista the weblog awards 2005finalista the weblog awards 2006
finalista the weblog awards 2007weblogawards 2008
Verificar conteúdo duplicado

Me leve com você...

Leia o luz no seu celular

Copyright  © 2014 Luz de Luma, yes party! Todos os direitos reservados. Imagens de modelo por Luma Rosa. Publicações licenciadas por Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial- Vedada a criação de obras derivadas 2.5 Brasil License . Cópia somente com autorização.

Tem sempre alguém que não cita a fonte... fingindo ter aquilo que não é seu.

Leia mais para produzir mais!

Atenção com o que levar daqui. Preserve os direitos autorais do editor