which clarinet?

Olhem bem o Woody Allen, ele provou que sabe fazer de maneira diferente, sem perder a originalidade...calma! calma! Não vou falar de filmes!

Para Woody não existe meio termo, uns amam, outros odeiam!

KarlfreySe ele não fosse cineasta e lhe fosse dada alternativas de escolha, facilmente escolheria ser músico profissional e voltar no tempo. O clarinete é parente pobre do seu talento, pois a música morreu na altura em que ele atingiu a maioridade e foi justo quando o rock nasceu.

Woody Allen, o cineasta profissional que é também clarinetista de jazz amador.

Todas as segundas-feiras à noite no bar do Hotel Carlyle, no Upper East Side de Manhattan, em Nova Iorque, ele é convidado especial e frequente de Eddy Davis New Orleans Jazz Band. Neste lugar ele alimenta a sua paixão pelo jazz.

Woody Allen foi mais além nesta carreira quando realizou a primeira excursão européia em 1996, como músico - o que resultou no documentário Wild Man Blues, assinado por Barbara Kopple.

Allen (Allan Stuart Königsberg) completa hoje, dia 1º de Dezembro, 74 anos (1935) e disse certa vez, que não perde tempo em ouvir música elaborada após os seus vinte anos. Para ele que nasceu na época de ouro da música popular americana, a música parou na década de 50 - tempo em que, a música americana tinha um certo glamour e recebia bastante influência da Europa.

Assista cantando (raridade) - muito cute! E tocando clarinete ao lado de Eddy Davis no Hotel Carlyle.

wood allen ap. hotel carlyle

Quem assisti aos filmes de Woody Allen, sempre atenta para as músicas, cujas referências jazzistas são evidentes. Em "Manhattan" as composições de George Gershiwn ajudam na estrutura da narrativa. Em "Através da Noite" conta a história de Emmet Ray, um gênio esquecido do jazz e da guitarra, que desmaiava toda vez que via Django Reinhard e por aí vai!

Vamos combinar que é difícil encontrar canções tão maravilhosas como as de Irving Berlin, Cole Porter, George Gershwin ou Jerome Kern. Depois, veio o rock, onde a música americana tornou-se bastante egocêntrica: I gotta be me, I did it my way.

A América teve New Orleans Band que recuperou o chamado dixieland, a primeira forma de jazz que atingiu grande popularidade, com nomes como Sidney Bechet, Earl Hines ou Louis Armstrong.

E lógico que tudo evolui, no caso do jazz não sei, não gosto desse jazz europeu atual, gosto mais das músicas "antigas" qualquer que seja o seu estilo. Da modernidade, nos resta pouca coisa para pular, ops! dançar.

Aproveitando para perguntar: Alguém aí sabe dançar de rosto colado, dançou alguma vez? (rs*)

As facilidades do mundo atual, acabam por desprezar hábitos que afinam o nosso espírito. O que dirá da afinidade ou habilidade com os instrumentos musicais?

trompeta digital Eu estava vagueando na internet atrás de um violão elétrico, quando dei de cara com um trombeta digital, que gera 20 sons e permite que os músicos aperfeiçoem o fingering da válvula, o tempo, as notas, e as mudanças da chave antes de aprender ao controle da respiração e à colocação mestre do mouthpiece de uma trombeta de bronze real.

Tem um altofalante interno poderoso, e as microplaquetas de memória internas que podem gerar estes 20 sons, incluindo sete trombetas, oito instrumentos de bronze (tuba e trombone), cinco woodwinds (oboe e Clarinet), cordas e uma voz humana sintetizada

Sussurando ou cantando no mouthpiece, você cria notas e tons exatos, com a opção de jogar longitudinalmente e acompanhar canções; 10 canções pre-carregadas e as que podem ser adicionadas à memória interna, usando o software incluído. Tem uma modalidade de treinamento que usa diodos emissores de luz, permitindo que você siga sugestões iluminadas na válvula e o acompanhamento, retarda para baixo ou pausa para cronometrar e seguir o tempo correto.

Veja bem, como complicaram a nossa vida. Seria tão mais fácil, só tocar Clarinete! Que dirá tudo que vem agregado ao resto.

38 comentários :

  1. Oi Luma minha linda!

    Já estou de volta e super bem.
    Obrigada pela visita.
    Volto para comentar mais tarde!
    Beijus!

    ResponderEliminar
  2. mEU dEUS, QUE COMPLICAÇÃO, NÉ?
    oLHA, TE CONVIDO PARA UM FAVOR, te peço pra votar aqui no blog do João Menéres meu, nosso amigo

    http://www.gazetadosblogueiros.com/

    você vai no meio da pagina em GRIFO PLANANTE e vote, é muito simples, e nós agredecemos, nosso tempo ta terminando...

    Obrigadíssima, CON

    ResponderEliminar
  3. Oi! Obrigada por sua visita . Muito gostoso recebê-la. Sabe as vezes tento escrever umas letras,mas, não entendo nada de música rs...Gostaria muito de entender assim. bjão

    ResponderEliminar
  4. Olha, tiro o chapeu para quem sabe tocar, esses instrumentos.
    Estava aprendendo a tocar violão e parei...
    Não porque era dificil, mas porque não deu mais.

    Muito legal o poster.

    Convite!!!!!

    Venha conhecer esses dois lindos Blogs Maravilhoso. Você que gosta de se deliciar no Amor, Romance, Prosa e Verso, este é o bom pedido.

    O Convite está feito.
    Te espero.

    Sinal de Liberdade-
    http://sandraandradeendy.blogspot.com/
    Conheça este cantinho lindo e maravilhoso.Onde o Amor fala mais alto.
    conheça também Poetas- Um Voo Livre.
    http://sandraregina7.blogspot.com/

    É com muito Prazer que receberei você.
    Não fique fora. Venha, siga e participe.Venha fazer desse Amor!

    Sandra

    ResponderEliminar
  5. Luma minha linda,

    Confesso que não sou muito fã de Woody Allen, mas vir aqui sempre é uma aula de informações.

    Viva de tal forma que deixes pegadas luminosas no caminho percorrido, como estrelas apontando o rumo da felicidade e não deixes ninguém afastar-se de ti sem que leve um traço de bondade, ou um sinal de paz da tua vida.

    E eu sempre levo daqui sua amizade, seu conhecimento e seu bom humor que acho fantástico.

    Beijos no teu ♥

    ResponderEliminar
  6. Não poderia deixar de comentar já que toco a bendita clarinete desde os 9 anos. Belo instrumento, bela sonoridade. Agradeço aos diretores que permitam que o filme fique marcado nas nossas vidas também pela sua trilha sonora.

    E complicar? Bem, a complicação é um fenômeno ótico...

    ResponderEliminar
  7. O historiador Eric Hobsbawm em sua auto-biografia "Tempos Interessantes- A historia do seculo 20" escreve que tinha paixao pelo jazz de seus tempos de mocinho, e pelo blues, ambos originantes do rock n' roll. O rock, alias, eh uma combinacao de varios generos musicais: Tin-pan Alley, blues, jazz e country. A paixao de Hobsbawm era Billy Holiday, pela voz, pela performance, e pelo que ela significava para ele. No entanto, diz ele, quando Billy Holiday deixou de fazer sucesso, quem a substituiu foram os Beatles (e os Beach Boys por um tempinho, mas depois, em comparacao aos mestres, desistiram de competir e sacaram que eram so uma "bandinha"), e Hobsbawm nao resistiu. Diz ele: "Por um lado me chateava que o que se ouvio nos radios ja nao incluia mais acervos musicais de Billy Holiday e de toda a turma do jazz que outrora me encantara. Por outro, surgiu esse grupo de jovens afinados, os Beatles, e como gostei muito de suas cancoes nao sinto tanta falta da popularidade de Holiday."

    Opiniao: Gosto de jazz. As vezes viajo ao som de Miles Davis, Marvin Gay, Billy Holiday, the "Duke", the "Prince" e assim por diante. Tenho algumas coletaneas deles. Mas sao musicas mais pesadas, nao tao facilmente consumidas. O rock dos Beatles mudou essa complexidade nao comprometendo a qualidade musical. Outra questao eh que o jazz eh criativo, intenso, mas limitado. Dentro da estrutura musical do jazz, ha x coisas que voce pode fazer, nao y. Essa eh a vantagem do rock, que eh menos intenso, mas mais criativo e muito menos limitado. De fato, pra mim, Beatles (Janis Joplin, Doors, Who, Rolling Stones etc) dao de 10 a 0 no jazz, porque posso ouvi-los sempre e emocionar-me sempre, o que nao eh verdade (para mim, claro) em relacao ao jazz.

    Em tempos, as baladas de Sinatra (etc) eram as verdadeiras egocentricas. O blues e o jazz justamente surgiram da revolta social (primordialmente negra, como a matriz do hip hop) contra esse conformismo e egocentrismo.

    bjx

    RF

    ResponderEliminar
  8. Talento multifacetado, esse Woody Allen. Faz tudo bem feito, tem múltiplas formas de expressão. E ainda escreve (bem).

    Sempre um bom post, Luma.

    Beijocas pra você.

    ResponderEliminar
  9. Venho deixar-te um terno e doce beijo... de SAUDADES!!!

    ResponderEliminar
  10. Geralmente os gênios tem abilidades variadas e são bons em muita coisa, o Woody Allen é assim.

    ResponderEliminar
  11. Oy, Luma, Happy Birthday Woody Allen! I dig that hepcat's wild sound' Cheers' Beijus ;->

    ResponderEliminar
  12. Aninha Pontes14:52

    E ele não precisa fazer nenhum esforço para ser bom né?
    Você vai tocar violão elétrico, meu bem?
    Já dancei muuuuito de rosto colado.
    Era tão bom!!!
    Beijos Luminha.

    ResponderEliminar
  13. Daniel Savio14:53

    Bem, para sermos os melhores, não basta apenas tocar a clarineta (teriamos de passar anos aperfeiçoando a arte) e nosso não permite apenas tocar a clarineta...

    Não sabia deste gosto do Woody Allen.

    Fique com Deus, menina Luma.
    Um abraço.

    ResponderEliminar
  14. Jens14:53

    Oi Luma.
    Não sou um exímio dançarino, mas isto nunca me impediu de dançar de rosto colado (maravilha!); afinal, como ensinou a dupla Bosco e Blanc, é só dois pra cá e dois pra lá.
    ***
    LFV assim como Woody também é um adepto da clarineta. As memórias do Érico, pai do Luiz Fernando, foram reunidas em dois volumes intitulados Solo de Clarineta. Diante disto, estou pensando também em aderir ao instrumento. Quem sabe não não dá uma vitaminada no meu parco talento?
    ***
    Woody que me desculpe, mas entre os aniversariantes do dia 1°, a preferência do meu afeto recai sobre Mariana Timm da Silva, uma jovem igualmente talentosa que tive o privilégio de ver nascer.

    Um beijo.

    ResponderEliminar
  15. O Árabe14:53

    Mais uma faceta da genialidade de Allen... esta, eu não conhecia. Ah... e dançar de rosto colado é uma maravilha! Boa semana

    ResponderEliminar
  16. Minha querida amiga Luma, que agradável e bela postagem, o genial Woody Allen me fascina pela sua produtiva competência e sensibilidade, eu acho que a música também circula genialmente em suas veias.Parabéns, agradeço as gentis visitas.

    Muita paz e inspiração,

    forte abraço

    Caurosa

    ResponderEliminar
  17. Adoro os filmes dele.
    Mesmo amador, é um bom músico.
    Beijos.

    ResponderEliminar
  18. Susyanne14:55

    Não. Nunca dancei de rosto colado.
    Mas, bem que gostaria.
    Quanto aos instrumentos, prefiro os tradicionais.
    Daqui a pouco teremos no palco viciados em guittar hero.

    Beijíssimo

    ResponderEliminar
  19. Elena14:56

    olá, Luma..
    Woody Allen, um super-cineasta.. HUmm..trombetas são tocadas pelos anjinhos, viu.. Trombeta digital, piano digital, violão elétrico, guitarra elétrica, são sofisticações modernas..etc. É nós humanos somos imperfeitos e falhos, ás vezes, não conseguimos assoprar o ar de acordo, ou às vezes, o estado espiritual influe no equilíbrio, muitas vezes, com resultados não tão satisfatórios, e claro,com um piano digital, one fingering touch, o som não vai deixar de ecoar como deve ne.. Coisas dos tempos modernos Agora, esse negócio de que o manequim humano tem que vestir tamanho 36, é para estilistas que gostam de vestir "skeletons"..

    Ótima semana!!
    Tchauzinho

    ResponderEliminar
  20. Drika Kastrup14:56

    Confesso que não sou fã dele não... Não me diz, sabe ?

    Quanto às fotos, sou profissional nada, menina ! Marido é que manda super bem ! Eu, de vez em quando acerto uma... Mas obrigada pelo elogio !

    Minas é tudibom, né ?

    Beijoca !

    ResponderEliminar
  21. Olá Luma
    Adorei o seu post. Gosto imenso de Woody Allen, de dançar de rosto colado, de clarinete (a minha filha toca clarinete num grupo musical), enfim, só coisas agradáveis!
    Bjs

    ResponderEliminar
  22. Gisa14:58

    Adorei conhecer um pouco mais de Woody Allen, som especial !!

    abs

    ResponderEliminar
  23. Lunna14:58

    Não consigo gostar do estilo de Woody, mas é que suas estranhezas não me alcançam, apenas isso.
    Não é um caso de amor ou ódio, é apenas não faz parte do meu cotidiano. rs
    E devo ser sincera com você, não gostei desse "instrumento". Aliás, as modernidades cada vez mais me desagradam. rs
    Beijos noturnos carissima

    ResponderEliminar
  24. Marco Antonio14:59

    Não sei porque razão, mas os filmes dele nunca me disseram absolutamente nada. Não consigo encontrar sentido naquelas cenas. Eu sempre o achei um maluco mesmo e de certa forma ele é, assim como eu, mas a minha maluquice não vai para as telas do cinema. Beijos menina

    ResponderEliminar
  25. Mércia14:59

    Dançar de rosto colado "era"(?) tudo
    Wood Alen é fantástico!Excelente post, Luma.
    Bjos...muitas alegrias.

    ResponderEliminar
  26. Francy's14:59

    Nossa, eu dou muita risada com os filmes dele, gosto de um em especial cujo nome eu não me lembro, mas que eles estão caminhando numa calçada, lado a lado e de repente começam a discutir a relação. Adoro aquela cena que parece começar do nada.
    Beijitos

    ResponderEliminar
  27. Estava perdida no mar15:00

    Acho q só Leonardo da Vinci era bom em 500 mil coisas diferentes. Nós, meros mortais, temos q nos contentar com uma habilidadezinha aqui, outra acolá...rs.

    ResponderEliminar
  28. Sempre dou boas risadas com ele, mas não tenho um caso de amor ou ódio, apenas gosto! rs...
    Agora esse instrumento, confesso que não gostei muito, porém fiquei com saudade de ouvir um bom jazz!!!

    beijinhos

    ResponderEliminar
  29. Beth Q.15:00

    Gosto dos filmes dele, mas não gosto de sua figura, principalmente depois da traição com a Mia.
    Mas que o cara é talentoso ninguém pode negar.
    Ô bichinho feio e talentoso! hehe

    Eu já dancei de rosto colado sim e às vezes danço com maridex também assim.]
    É bão demaisssss!

    bjs cariocas

    ResponderEliminar
  30. São Banza15:01

    Olá, linda!

    Eu já sabia dessa paixão dele.

    Como cineasta, não o aprecio por aí além,,,embora tenha alguns filmes que achei piada.

    Um abraço grande.

    ResponderEliminar
  31. Rebeca15:01

    Assisti um filme que ele ajuda um menino a dizer não pra uma prospota de trabalho, esqueci o nome, mas muito bom.

    Ei, o melhor é que o cara não percebeu, acredita??? Eu juro...ahahahaha


    Beijo imenso, menina linda.

    Rebeca

    ResponderEliminar
  32. Meire15:01

    Trombeta digital...qdo é tao lindo saber tocar um instrumento sem estes artificios.

    bjs

    ResponderEliminar
  33. Renata15:02

    Oi Luma! Sumi ... mas voltei! Aos pouquinhos vou me atualizando dos blogs amigos. Bjão

    ResponderEliminar
  34. Dilberto15:03

    "Através da Noite"? Mana, o filme em questão é "Poucas e Boas" e narra a estória fictícia de um músico inventado por Allen (apesar de toda aquela encenação como se fosse um documentário, não é um estória real!)!

    Mas Allen está quase certo: a melhor música ficou pra trás: se não morreu com aquela época de ouro do jazz, claudicou ainda com bons rocks e desapareceu na mesmice das reciclagens dos anos 80 e 90, sem dar mais notícias...

    Abração!

    ResponderEliminar
  35. Lidiane Vasconcelos15:03

    Dançar de rostinho colado? Serve com marido na cozinha, no quarto e na sala? Então, sim... é bom! :D

    ResponderEliminar
  36. Jazz das antigas é realmente muito melhor. Faz bem Allen em não ouvir o que se passa depois dos seus 20 anos.

    Sobre sua pergunta: Dançar de rostinho colado é bom demais, mas há tempos não tenho o prazer. Só quando vou para alguma festa de pessoas de mais idade e alguma senhora mais animada me sequestra para uma boa dança, o que adoro.

    Eita que agora eu me lembrei de Ckeek to Cheek, de Fred Astaire... Pronto. Achei o link para você: http://www.youtube.com/watch?v=H...h?v=HYHZh- xnqhE

    Amo esse vídeo e essa música, só para constar. Como diria minha avó, eu já nasci envelhecido... rsrs =D

    ResponderEliminar
  37. Fatyly15:04

    Não gosto das produções e muito menos das actuações de Woody Allen e jazz em geral, apenas algumas músicas.

    ResponderEliminar

Tenha identidade, não seja anônimo na web. Crie sua identidade virtual.

...bisbilhotaram em quietude, sem solidão

PlagSpotter - duplicate content checker tool
Licença Creative Commonsget click

Algumas coisas não têm preço


finalista the weblog awards 2005finalista the weblog awards 2006
finalista the weblog awards 2007weblogawards 2008
Verificar conteúdo duplicado

Me leve com você...

Leia o luz no seu celular

Copyright  © 2014 Luz de Luma, yes party! Todos os direitos reservados. Imagens de modelo por Luma Rosa. Publicações licenciadas por Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial- Vedada a criação de obras derivadas 2.5 Brasil License . Cópia somente com autorização.

Tem sempre alguém que não cita a fonte... fingindo ter aquilo que não é seu.

Leia mais para produzir mais!

Atenção com o que levar daqui. Preserve os direitos autorais do editor