Myrna sugere

George Clooney apaixonado por brasileira

Mexi todos os pauzinhos para a notícia não vazar. Mas não teve jeito...espero que me compreendam. Clique na imagem para vê-la maior


FUJA DO HOMEM BONITO

Clélia escreve-me uma extensa carta e faz, inicialmente, esta confissão: "Sempre gostei de homem bonito. Todos os meus namorados eram bonitos. Todos, menos o último". Vacila, antes de elucidar - "Deste, eu gostei mais". E ela me consulta, porque não entende o próprio gosto ou, por outra, a própria falta de gosto. Acha inexplicável que, entre tantos bonitos, só o feio a impressionasse, de maneira profunda e definitiva. "Jamais poderei esquecê-lo" - confidencia Clélia. Interroga a si mesma e a mim: "Por quê, meu Deus do céu, por quê?". Bem, Clélia, conversemos nós duas, com um máximo de intimidade.

Trata-se, em primeiro lugar, de saber o seguinte: - "O que vem a ser um homem bonito". Eu penso, logo, nas estátuas gregas, nos rapazes de praia, os artistas de cinema. Os gregos eram perfeitos, perfeitos demais, talvez; belos, não há dúvida. Assim os atletas. E assim os rapazes de praia e os artistas de cinema. Todos formidáveis, todos. Mas isso basta? Penso em Robert Taylor. E, conjeture-se, a sua beleza não esconde uma tremenda e irremediável vacuidade, um vazio de alma, uma ausência total de espírito? Pergunto: "Como suportar, por mais de quinze dias, um cidadão sem espírito? Como amar, por mais de uma semana, um lindo, um deslumbrante débil mental?". Conheço vários homens bonitos; e nenhum deles, que eu saiba, já inspirou um amor imortal. Encantam a mulher no namoro, no noivado e na lua-de-mel. Depois, inspiram um tédio absoluto, irredutível. A mulher tem enjôo físico, só de vê-los. E quantos homens, chamados feios, nada gregos, nada clássicos, são amados com verdadeiro fanatismo? Porque eles possuem uma série de qualidades que suprem a falta da simples beleza física, qualidades que os transfiguram. E não se esqueça, Clélia, existe uma beleza das pessoas feias. É algo de sutil, insidioso, imponderável, mas influi, fisicamente, que gera, em nós, verdadeiras e constantes ilusões de ótica, fazendo com que vejamos o belo onde só existe o antiestético. Está certo que as mesmas qualidades poderiam existir com a beleza. Mas isso é tão raro, tão difícil, constitui, por assim dizer, uma possibilidade inexistente. Pior do que Quasímodo, pior do que o "Fantasma da Ópera", pior do que Boris Karloff - é o bonito oco, que não liga duas idéias, que jamais leu um verso, nem mesmo uma manchete, que é sensível e inteligente como um paralelepípedo. Homens desse tipo geram as desilusões atrozes. E é fácil explicar por quê. Quando gostamos de um feio, é pelo seu valor pessoal, pelo seu encanto, pela sua graça interior e irresistível, pelo seu espírito, pelo seu interesse humano. Ao homem bonito, não. Podemos amá-lo pelos seus traços, pelas suas feições, pela sua elegância. Pela beleza, em suma. E não por ele, pelo conjunto de qualidades que ele devia ter. Lembre-se, Clélia, que a beleza constitui, apenas, um único valor, entre os muitos valores pessoais de um homem. Se você amou um feio, e amou um feio mais do que os outros, não se admire. Ele valia muito mais para seu gosto. Ele possuía um valor pessoal, uma personalidade que faltava aos demais. E um homem feio, só é feio em um certo sentido. Jamais o será para a mulher que o ama. E parece que chegamos, agora, ao ponto crucial da questão. Bonito é o homem de quem a gente gosta. Não importa que seja Quasímodo em pessoa. A mulher o achará lindo, perfeito, como um heleno de vinte anos. Terá o nariz torto. Será vesgo. Não para a mulher. Esta sempre o julgará inexcedível. Ele produzirá, nela, uma impressão visual imcomparável. Não importa que, para os outros, seja horroroso. O amor é isso mesmo; ou seja: esta capacidade de ver o que os outros não vêem, de ver o que não existe e, enfim, de conferir, a um cidadão, qualidades físicas que ele, na maioria dos casos, não tem. Ora, o homem bonito não permite semelhante delírio. Para que embelezar o que já é belo? E o fato de ver uma beleza evidente, irrefutável, que todo o mundo vê, que todo o mundo constata, destrói, no fenômeno amoroso, o caráter essencial de mágica, delírio, imaginação e poesia. Creia-me, Clélia, nenhum Robert Taylor, nenhum Erroll Flynn, vale o seu deplorabilíssimo namorado suburbano. Quem é, entre tantos homens que cruzam o seu caminho, que você vê, em carne e osso, ou no cinema, nas imagens de sombra e luz? Quem é o mais belo, entre tantos homens, realmente vistos, ou, apenas, sonhados? - o homem amado.{ Nelson Rodrigues (2002) Não se pode amar e ser feliz ao mesmo tempo. São Paulo: Companhia das Letras, 35-37. }

Ó filha põe-te na fila...Halle Berry, 39 anos, atriz, tem um secreto desejo sexual pelo George.A mecinha que esteve com Clooney apenas uma vez diz agora que gostaria de "conhecê-lo melhor". "Ele tem uma natureza misteriosa. Nunca se sabe o que ele está fazendo, onde está em cada segundo", disse.(Ó filha, quando vires o tamanho da fila...acho que vais desistir...olha, regala as vistas...)Tadinha, não sou ciumenta! Não me apego aos homens, mas gostei muito de tê-lo comigo por algumas horinhas...Boa noite e boa sorte!

Melhor assim, ler esse texto do Nelson como se estivesse rezando, espantando todos os males, valha-me Deus! que todos os homens bonitos se espantem do meu lado! A mesma coisa para os meninos, viu? rezem meninos, as mulheres bonitas não valem nada!

* Boa Noite e Boa sorte, está sendo indicado pela 63º edição do prêmio concedido pela Hollywood Foreign Press Association. Indicação de melhor filme (drama), ator principal para David Strathaim e direção para George Clooney.

0 comentários :

Enviar um comentário

Tenha identidade, não seja anônimo na web. Crie sua identidade virtual.

...bisbilhotaram em quietude, sem solidão

PlagSpotter - duplicate content checker tool
Licença Creative Commonsget click

Algumas coisas não têm preço


finalista the weblog awards 2005finalista the weblog awards 2006
finalista the weblog awards 2007weblogawards 2008
Verificar conteúdo duplicado

Me leve com você...

Leia o luz no seu celular

Copyright  © 2014 Luz de Luma, yes party! Todos os direitos reservados. Imagens de modelo por Luma Rosa. Publicações licenciadas por Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial- Vedada a criação de obras derivadas 2.5 Brasil License . Cópia somente com autorização.

Tem sempre alguém que não cita a fonte... fingindo ter aquilo que não é seu.

Leia mais para produzir mais!

Atenção com o que levar daqui. Preserve os direitos autorais do editor